WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
rota






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘greve nas universidades’

TERMO DE COMPROMISSO É ASSINADO PARA O FIM DA GREVE NAS UNIVERSIDADES BAIANAS

Reunião desta noite de segunda resultou em assinatura de compromisso || Foto Suami Dias

Representantes do governo baiano, da Assembleia Legislativa (Alba) e do Fórum das Associações dos Docentes assinaram, hoje à noite, termo de compromisso para encerrar a greve dos professores das universidades estaduais, segundo o governo estadual. A gestão se compromete a enviar para a Assembleia Legislativa projeto de lei de reestruturação do quadro de vagas da carreira de professor e R$ 36 milhões para que as quatro universidades apliquem em investimentos. As propostas do governo serão votadas em assembleias nas universidades.

O acordo foi assinado pelos secretários Cibele Carvalho (Relações Institucionais) e Jerônimo Rodrigues (Educação), o líder do Governo, Rosemberg Pinto, e representantes da Comissão de Educação da Alba, Fabíola Mansur e Hilton Coelho, além dos representantes do Fórum das Associações Docentes, conforme o governo.

Outro ponto acordado, segundo o governo, foi o pagamento dos salários mediante reposição das aulas, “devendo o plano de reposição ser submetido a Reitoria da Instituição de Ensino e à Secretaria da Administração do Estado (SAEB)”.

Segundo o governo, a proposta é que a greve seja encerrada, pelo menos, até dia 14 para que o Estado pague, integralmente, o salário de junho. Mediante execução do plano de reposição das aulas, será pago o mês de maio junto com o mês de julho, e, em sequência, os dias de greve do mês de abril serão pagos no mês de agosto mediante execução do plano de reposição de aulas. O termo de compromisso será analisado durante assembleias nas quatro universidades estaduais – Uesc, Uesb, Uefs e Uneb.

Representantes do governo, da Alba e dos docentes assinam termo de compromisso || Foto Suami Dias

Além disso, até 72 horas após o encerramento da greve, será instalada uma nova mesa para negociação de outros pontos colocados pelas Associações Docentes (ADs) envolvendo as outras secretarias de Estado, a exemplo da Fazenda (Sefaz) e Administração (Saeb).

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, destaca os avanços da negociação. “A intermediação da ALBA foi muito importante desde o início, com a presença do líder do governo e da Comissão de Educação nesta mediação para o acordo assinado aqui. E longe da gente querer extrapolar o nosso papel, nós sabemos que as ADs irão para as assembleias e, com toda a autonomia, irão pautar e negociar isso com seus pares”.

Jerônimo disse avaliar o momento desta noite de segunda “como muito positivo”. Segundo ele, a discussão “serviu para ponderar aquilo que a gente acha importante, mas não abrimos mão de reconhecer a importância das universidades para o desenvolvimento da Bahia. Em momento algum, o governador ou qualquer órgão de governo duvidou disso. E estamos confiantes com os pontos pactuados”.

APÓS GREVE, UESC TERÁ AULAS ATÉ FEVEREIRO

Uesc tem calendário acadêmico reformulado (Foto Robson Duarte).

Uesc tem calendário acadêmico reformulado (Foto Robson Duarte).

O primeiro semestre letivo da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) será encerrado em 22 de setembro. O novo calendário acadêmico foi aprovado em reunião do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) nesta quinta (13).

A reunião extraordinária do Consepe também definiu que o segundo semestre começará em 19 de outubro e será encerrado em 27 de fevereiro.

CONFIRA CALENDÁRIO

A reformulação se tornou necessária depois da greve dos docentes. A paralisação, encerrada na semana passada, completaria três meses exatamente hoje. A greve também atingiu as demais universidades estaduais baianas (Uesb, Uefs e Uneb).

A greve dos docentes começou em 13 de maio, após negociações por promoções, aumento de orçamento e revogação da lei que retirou autonomia das universidades, dentre outros pontos, não terem avançado.

Os professores cobram, ainda, que o orçamento das universidades estaduais seja o equivalente a 7% da Receita Líquida de Impostos (RLI) do Estado. Redação com informações do Blog do Gusmão.

GOVERNO E PROFESSORES DE UNIVERSIDADES TÊM ENCONTRO HOJE

O governo baiano e representantes das associações das universidades estaduais têm reunião, nesta segunda (11), às 10h, no Centro Administrativo da Bahia (CAB). O encontro ocorrerá na Secretaria de Relações Institucionais. O governo busca evitar a greve de docentes anunciada para a quarta (13) e, para isso, convidou as associações docentes.

Na semana passada, o governador Rui Costa disse que o estado ampliou recursos destinados às universidades (Uesb, Uesc, Uefs e Uneb) e, de acordo com nota, autorizou reivindicações como progressões e promoções previstas para maio. Para isso, a Secretaria de Administração baseou-se no cronograma enviado pelas universidades. O governo também anunciou estar “elaborando a minuta do projeto de alteração do quadro de vagas do magistério”.

O governo também reafirmou ter aumentado o orçamento das universidades em 10,3%, atingindo R$ 1.126.500.000,00 em 2015. Os professores entraram em greve por mais verbas para as instituições superiores. A principal pauta é o aumento do orçamento para as universidades, elevando-a de 5,1% para 7% das Receitas Líquidas de Impostos (RLI).

JW PEDE FIM DA GREVE NAS UNIVERSIDADES

Wagner: fim de greve nas universidades.

Depois de alegar aumento de 81% no orçamento das universidades estaduais baianas, o governador Jaques Wagner voltou a pedir o fim da greve dos professores. A paralisação completará dois meses no início da próxima semana.

Os docentes exigem que o governo rediscuta a política de reajuste salarial para o quadriênio e revogue decreto que suspende contratações de professores e novos investimentos nas universidades estaduais. Para a categoria, o decreto afeta a autonomia universitária.

O governador diz que melhorou “muito as condições de trabalho nas universidades” e assegurou ganho real de 18% à categoria nas discussões de reajuste salarial para os próximos quatro anos. Os docentes, no entanto, alegam que o governo incluiu uma cláusula, de última hora, que promoveria o congelamento dos salários.

Ontem, o juiz da 8ª Vara da Fazenda Pública em Salvador, Mário Soares Caymmi Gomes, considerou ilegal a greve na Universidade Estadual da Bahia (Uneb) e determinou a imediata volta dos trabalhos aos professores, sob pena de multa diária de R$ 5 mil à Associação dos Docentes da Uneb (Aduneb).

A greve na Uneb é “abusiva”, segundo entendimento do magistrado. A decisão não atinge as demais universidades estaduais (Uesc-Ilhéus, Uesb-Vitória da Conquista, Itapetinga e Jequié, e Uefs-Feira de Santana). Desde ontem (31), docentes e estudantes universitários ocupam a Assembleia Legislativa baiana.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia