WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba



policlinica





outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

editorias






:: ‘homenagem’

ESCOLA DO PONTAL LEVARÁ O NOME DO PROFESSOR DORIVAL DE FREITAS

Dorival de Freitas é homenageado dando nome a escola em Ilhéus

Lukas Paiva presta homenagem ao professor Dorival de Freitas || Foto Clodoaldo Ribeiro

Na tarde desta quarta-feira (19), a Câmara de Vereadores de Ilhéus aprovou, por unanimidade, o projeto de lei que muda o nome da Escola Municipal do Pontal para Escola Municipal Dorival de Freitas. A iniciativa é de autoria do vereador e presidente da Casa, Lukas Paiva (PSB).

Convidado para falar da trajetória do educador Dorival de Freitas, o advogado e professor Josevandro Nascimento relatou um pouco da rica história e do que representou Dorival para o município.

Dorival de Freitas iniciou no sacerdócio, lecionou na Universidade de Santa Cruz (Uesc) nas disciplinas de História da Filosofia e Deontologia, sendo um dos homens mais cultos que passaram pela história da Educação em Ilhéus.

“Além de ser membro da Academia de Letras de Ilhéus, tinha uma postura digna e caráter irrepreensível. Agradeço em nome de uma legião de professores pela justiça que a Câmara faz a esse que foi um dos maiores educadores de Ilhéus”, disse Josevandro. O projeto segue para o Executivo Municipal para avaliação e sanção do prefeito Mário Alexandre.

Dorival de Freitas faleceu em 28 de junho de 2016, aos 83 anos. Nascido em Santa Inês, chegou a Ilhéus quando ainda tinha um ano de idade. Com vocação para o sacerdócio, foi padre até os anos 60. Casou-se com Maria de Freitas, com quem teve três filhos.

Além de professor da Uesc e de escolas das redes estadual e municipal, o mestre também integrou a Academia de Letras de Ilhéus, dono da cadeira 11. Foi dos nomes da fundação da Faculdade de Filosofia, além da antiga Fespi, da qual originou-se a Uesc.

 

COQUINHO DE QUELÉ AINDA É LEMBRADO COMO UMA DAS DELÍCIAS DE CANAVIEIRAS

Tia Quelé recebe amigos e relembra fatos de Canavieiras

Uma unanimidade: assim era considerado o coquinho de Quelé, uma deliciosa mistura de cachaça com o coco, fabricado anos a fio na atual rua Dr. Edmundo Lopes de Castro, no bairro da Birindiba, em Canavieiras. E o delicioso produto etílico, àquela época, era consumido por pessoas das mais diversas faixas etárias – de mamando a caducando, como se diz –, bastando, para tanto, saborear um bom aperitivo.

Aos 89 anos, Dona Clemência Vieira Costa está aposentada deste afazer desde 2009, para desespero dos antigos e fiéis clientes, que relembram com água na boca as visitas ao Coquinho de Tia Quelé. Para uns, visita diária obrigatória – ao meio-dia para despertar o apetite, ou ao final da tarde para descansar de um dia estafante de trabalho e se encorajar para um banho frio –; semanais, às sextas-feiras, com a finalidade de abrir o fim de semana; e ainda tinha a turma do sábado ou do domingo.

Desculpas de biriteiros à parte, a fama do Coquinho de Quelé reunia representantes de todas as camadas sociais de Canavieiras por ser um local onde até os políticos adversários se encontravam e se comportavam com civilidade. Até mesmo os alunos do Ginásio Municipal Osmário Batista – uniformizados, inclusive – frequentemente pulavam o muro para beber um coquinho em Tia Quelé, como fazia o hoje bancário aposentado, Raimundo Antônio Tedesco, isso aos 15 anos de idade.

Coquinho de Tia Quelé, umas das delícias de Canes

Mais de 100 coquinhos eram produzidos mensalmente, sem contar as encomendas destinadas a parentes e amigos em Salvador, que recebiam os coquinhos para verdadeiros mimos para matar as saudades da terra natal. Além do coquinho, Tia Quelé também atendia aos mais diferentes paladares, oferecendo cachaça com folhas (folha podre, no ditado popular) e cerveja. Já os tira-gostos eram servidos por estabelecimentos vizinhos.

JEGUE AMARRADO NO BALCÃO

No Coquinho de Quelé também tinha a turma da saideira, que amarrava o jegue no balcão e só deixava a casa depois de pronto e acabado, embora para uma grande turma era o local do início dos “trabalhos”. Informa Tedesco, que o local era uma espécie de esquente para a turma ir à farra, após umas doses espertas do coquinho. “Dali cada um tomava o seu rumo”, conta Tedesco.

E Tia Quelé, que serviu e introduziu várias gerações ao mundo etílico e boêmio por várias décadas, finalmente aposentou e não deixou nenhum substituto à altura, como reclama um dos clientes mais assíduos, Nélson Barbosa (Nélson Amarelão). Essa também é a queixa dos canavieirenses que residem em outras cidades, que frequentemente visitam Tia Quelé em suas idas e vindas. Outro cliente com muitas encomendas era o ex-bancário Jaime Bandeira, para presentear os amigos em Salvador.

Até mesmo o bancário aposentado e ex-secretário municipal Antônio Amorim Tolentino, hoje fora das lides etílicas, quando relembra o coquinho de Tia Quelé diz que vem a saliva na boca. Para ele, além da alta qualidade do produto, a casa reunia a mais fina-flor da boemia, a exemplo de Arimar Chaves, Fred Érico Almeida, José Reis, Almir Melo, Tyrone Perrucho, Toninho Pereira Homem, Ériston Nascimento, dentre outros, que passavam os mais variados temas em revista.

Na opinião do jornalista Tyrone Perrucho, mesmo com todos o bares e botequins da cidade, a casa de Tia Quelé era uma parada obrigatória da boemia, lembrando a grande profusão desses estabelecimentos em Canavieiras. “De repente, ficamos órfãos com a aposentadoria de Tia Quelé. Ela representou para nós o mesmo que Caboclo Alencar, do ABC da Noite, simboliza para Itabuna”, retratou.

Tia Quelé faz pose com os embaixadores

HOMENAGEM

Mas o sentimento de perda do Coquinho de Tia Quelé deixou nos nostálgicos clientes está perto de ser satisfeita e, quem sabe, neste Carnaval possam matar as saudades do coquinho, numa edição especial de homenagem, com 50 coquinhos. Mais ainda, outra edição do coquinho está prevista para o dia 5 de junho, data em que Tia Quelé completa 90 anos de idade. Quem promete essa festa toda é o seu bisneto Paulo Henrique.

A intenção da família é relembrar uma das grandes tradições de Canavieiras criadas por Tia Quelé e que faz parte da memória da cidade e das pessoas que aqui viveram e foram apreciadores da iguaria. A notícia das edições especiais já despertaram alguns dos clientes mais assíduos, que tentam se inscrever numa lista de pré-venda e participarem das homenagens.

RECONHECIMENTO

Num expediente sabático na Confraria d’O Berimbau, entre as várias e simultâneas discussões, o Coquinho de Quelé foi apontado pelos confrades especialistas em assuntos etílicos como uma das maravilhas da vida boêmia de Canavieiras. Considerado um assunto dos mais relevantes, imediatamente foi programada uma visita de reconhecimento à Tia Quelé, com a formação de uma comissão de alto nível para a importante missão.

Nesta embaixada, participaram os jornalistas Tyrone Perrucho e Walmir Rosário, os bancários aposentados Raimundo Antônio Tedesco e Antônio Amorim Tolentino e o funcionário público aposentado Nélson Barbosa. O objetivo principal foi o de refrescar a memória das pessoas sobre uma pessoa que contribuiu para tornar Canavieiras uma cidade de cultura rica, notadamente na gastronomia e nas bebidas.

Tia Quelé, que criou e netos adotivos, se aposentou aos 81 anos e hoje vive com o bisneto Paulo Henrique. Aualmente tem dificuldades em reconhecer as pessoas, mas, com esforço, lembra de alguns fatos e amigos mais chegados, a exemplo de Raimundo Orelhinha e Wallace Mutti Perrucho. Apesar dessas condições, não perde o bom humor, mesmo quando reclama de algumas dores ao ficar sentada ou em pé. Mesmo assim não se fez de rogada ao ser chamada a ir para a porta para pousar na fotografia com os antigos clientes.

ITABUNA PARA NA SEGUNDA COM O FERIADO DO DIA DOS COMERCIÁRIOS

Com antecipação do Dia dos Comerciários, Itabuna terá feriado na próxima segunda

Com antecipação do Dia dos Comerciários, Itabuna terá feriado na próxima segunda


Decreto estabelece dia 23 de outubro deste ano como feriado municipal (Clique para ampliar)

Decreto estabelece dia 23 de outubro deste ano como feriado municipal (Clique para ampliar)

Segunda-feira (23) será feriado em Itabuna com a antecipação, por meio de decreto municipal, do Dia dos Comerciários. Por causa da homenagem, até mesmo supermercados e o Shopping Jequitibá também não abrirão. A antecipação do feriado é resultado de acordo celebrado entre Sindicato dos Comerciários, Sindicom e CDL com a Prefeitura de Itabuna.

O Dia dos Comerciários é celebrado dia 30 de outubro, porém foi antecipado para dia 23 pelo prefeito Fernando Gomes, com o Decreto 12.684, de 20 de setembro último. “As empresas que desrespeitarem a determinação estarão sujeitas às sanções previstas nas Convenções Coletivas de Trabalho dos setores varejista e supermercadista”, alerta a direção do Sindicato dos Comerciários por meio de nota.

FESTA

Os comerciários vão participar de festa no dia 23. De acordo com o sindicato da categoria, haverá torneio de futebol (Torneio Caixeiral) e show com Aline Kaliu, no Recanto dos Comerciários, no Bairro Conceição.

SENADO PRESTARÁ HOMENAGEM AO EX-GOVERNADOR LOMANTO JÚNIOR

Lomanto Júnior será homenageado em Brasília (Foto Divulgação ).

Lomanto Júnior será homenageado em Brasília (Foto Divulgação ).

O Senado Federal prestará homenagem aos 49 anos de vida pública do ex-governador da Bahia Antônio Lomanto Júnior, em sessão especial, na próxima quinta-feira (4), às 9h, no plenário da Casa.

A sessão, proposta pelo senador Otto Alencar (PSD), é um reconhecimento do legislativo federal ao político baiano que passou por quase todos os cargos eletivos. A sessão deverá reunir políticos, amigos e familiares do ex-governador, falecido em 23 de novembro de 2015.

Lomanto Júnior nasceu em Jequié, no sudoeste da Bahia, em 29 de novembro de 1924. Desde a infância revelava o sonho de se tornar governador do estado. Formou-se em Odontologia pela Universidade Federal da Bahia e, dentro do Movimento Estudantil mostrava a vocação para a política.

Aos 23 anos foi eleito vereador de Jequié, cargo que exerceu até 1950. Esse foi o primeiro passo de uma longa trajetória: Lomanto foi prefeito de sua cidade três vezes, governador da Bahia, deputado estadual, deputado federal e senador da República.

FEIRA DE SANTANA PRESTA HOMENAGEM AO RADIALISTA LUCÍLIO BASTOS

Lucílio dará nome a núcleo de rádio.

Lucílio dará nome a núcleo de rádio.

O radialista Lucílio Bastos, falecido em fevereiro de 2014, dará seu nome à Divisão de Rádio do Núcleo de Jornalismo da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Feira de Santana. Itabunense por adoção, inclusive com título de cidadania, Lucílio nasceu em Feira.

Com o seu Falando Francamente, foi um dos mais importantes comunicadores do Estado. Ele atuou no rádio feirense nas décadas de 60 e 70. Lá, na Rádio Cultura. Em 14 de março de 1974, véspera da posse do general Ernesto Geisel na presidência da República, o então deputado federal Chico Pinto concedeu uma entrevista a Bastos e denunciou a ditadura chilena de Augusto Pinochet.

A entrevista foi considerada ofensiva pelas militares brasileiros. Por causa disso, a emissora foi fechada por 11 anos. Chico Pinto, um dos mais vibrantes e corajosos parlamentares que a Bahia já viu, ficou preso por seis meses. Lucílio fez sucesso no rádio itabunense já na década de 80, após mudar para o sul da Bahia e ter programa diário na Rádio Difusora. Nos anos 2000, voltou a ter programa diário na Rádio Nacional de Itabuna (ex-Clube).

– Buscamos homenagear profissionais que foram importantes na trajetória do jornalismo em Feira de Santana, mas ainda não haviam sido lembrados na denominação de equipamentos públicos – disse o secretário municipal de Comunicação, Valdomiro Silva.

CÂMARA PRESTA HOMENAGEM A MULHERES

 (Foto Pedro Augusto).

A Câmara de Vereadores de Itabuna realiza hoje (dia 11), às 19 horas, no salão social da AABB, a entrega da Comenda Otaciana Pinto, honraria concedida a mulheres selecionadas pelos membros do legislativo municipal pela relevância dos serviços prestados à comunidade local. A homenagem será prestada a 21 mulheres de diversos perfis e com atuação em vários setores da sociedade.

O nome da comenda faz referência à professora, parteira e vereadora Otaciana Pinto, nascida na cidade de Valença em julho de 1883 e que se radicou em Itabuna em 1925. Estima-se que ela tenha auxiliado em mais de mil partos, trabalho que só deixou de realizar quando chegou aos 74 anos de idade.

Otaciana Pinto morreu em maio de 1987, pouco antes de completar um século de vida.

O RECONHECIMENTO A LÉO BRIGLIA

homenagem leoO clube que consagrou Léo Briglia para o Brasil presta homenagem ao velho ídolo. Nas redes sociais, o Esporte Clube Bahia agradece ao ex-atleta, merecidamente chamado de “campeão”.

O Bahia lembra os dois feitos que marcaram a carreira de Léo Briglia: a artilharia do primeiro Campeonato Brasileiro e o título da competição, em 1959.

O ex-jogador morreu hoje, aos 87 anos. Seu corpo está sendo velado no Velório Santo Antônio e será sepultado nesta sexta-feira (25), às 8 horas.

EDUARDO BRINCAVA COM O TEMPO

Eduardo Anunciação, hoje em um lugar chamado Eternidade

Eduardo Anunciação, hoje em um lugar chamado Eternidade

“Política, Gente, Poder”… Três palavras e três assuntos que mereciam a especial atenção de um jornalista inquieto, atento e perspicaz que viveu no Planeta Cacau.

Há exatos três anos, Eduardo Anunciação partia para um lugar chamado Eternidade. Era dessa forma que ele descrevia a estação final da vida, um tema que também era recorrente em sua coluna no jornal Diário Bahia.

Muito antes dos cientistas confirmarem a existência das ondas gravitacionais, a coluna de Eduardo nos permitia viajar no espaço-tempo. Em suas notas, fatos do passado se misturavam com assuntos recentes de modo natural e contextualizado. Bastava saber interpretar as entrelinhas, sem binóculos.

O fato é que Eduardo criou um estilo próprio, só dele, cunhando expressões e frases que ficaram gravadas na memória de quem tinha sua coluna como primeira leitura do dia.

Num tempo regido pela agilidade da internet, quando os fatos muitas vezes se sucedem sem dar chance para a reflexão, Eduardo faz falta, e como faz! Era um jornalista que não tinha pressa e brincava com o tempo, fazendo frequentes viagens às saudosas priscas eras e àquele plano que é o destino de todos nós.

Pela forma como se referia à morte, Eduardo deixou em sua partida a impressão de que simplesmente mudou de endereço. Há quem acredite que ele continue tamborilando sua Olivetti, analisando os fatos do Planeta Cacau. É hoje o nosso correspondente naquele lugar chamado Eternidade.

MAÇÔNICA 28 DE JULHO PRESTA HOMENAGEM A CACÁ FERREIRA

Cacá Ferreira é um dos nomes de credibilidade do rádio regional.

Cacá Ferreira é um dos nomes de credibilidade do rádio regional.

O radialista Cacá Ferreira será um dos homenageados pela Loja Maçônica 28 de Julho, hoje, às 20 horas, durante a cerimônia de posse dos dirigentes para o biênio 2015/17. A solenidade será na sede da loja maçônica, na Rua Professor Alício de Queiroz, 585, centro, ao lado da AFI, em Itabuna.

A loja definiu a lista de homenageados com base nos serviços de grane relevância prestados à comunidade. Cacá Ferreira é um dos nomes de maior credibilidade do rádio AM local e apresenta o Difusora em Revista, na Rádio Difusora Sul da Bahia.

Os nomes agraciados, explica a loja, “contribuem para o progresso de Itabuna e região”. Além da cerimônia de posse, a Loja Maçônica 28 de Julho comemora 45 anos de fundação.

 

PRAÇA É HOMENAGEM A CLARA KAUARK

Clara Kauark, de vestido, entre colegas (Foto Charles Henri).

Clara Kauark, de vestido, entre colegas (Foto Charles Henri).

Finalmente, Itabuna prestará uma (justa) homenagem à arquiteta Clara Kauark. Autora de projetos arquitetônicos públicos e privados que mudaram a cara da cidade, a exemplo da Praça Rio Cachoeira (Beira-Rio), Clara faleceu em 3 de abril de 2011. Seu exemplo ficou não apenas nas belas obras planejadas pelos seus traços, reconhecidos também fora daqui. Clara, além de arquiteta, lutava por causas sociais.

Ano passado, a Câmara de Vereadores aprovou projeto que denominou Clara Kauark uma área do próximo à casa onde a arquiteta residiu.

Hoje à tarde, às 15h30min, na Rua Pedro Zildo Guimarães, Zildolândia), o governo estadual, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e a Conder, assina a ordem de serviço para a construção da praça. A obra será tocada em parceria com a prefeitura.

A praça terá área de 1.588 metros quadrados. De acordo com a ordem de serviço, a obra deverá ser concluída em 90 dias. O investimento previsto é R$ 303.477,65.

A praça levará mais que o nome de Clara. O projeto é da própria arquiteta. Foi feito em 1988.

Praça Rio Cachoeira em foto de Rodrigo Leite de Almeida.

Um dos projetos de Clara, a Praça Rio Cachoeira em foto de Rodrigo Leite de Almeida.

LUCÍLIO BASTOS

Allah GóesAllah Muniz de Góes | [email protected]

 

Sempre combativo e disposto ao embate, chegou a nossa região na década de 60 do século passado, procurando por aqui “uma nova trincheira” onde pudesse continuar a sua luta.

 

“Falando Francamente”. Quem de minha geração, ou que viveu a Itabuna dos anos 80/90, não ouviu aquela voz inconfundível no início das tardes da Difusora? Em nossa casa, sempre que chegava da escola, religiosamente pegava meu pai almoçando, mas não com os olhos na televisão, pois estava com os ouvidos e a atenção no rádio, e isto porque lá estava, analisando os principais fatos e acontecimentos do dia, o sempre polêmico Lucílio Miranda Bastos.

Você poderia até não concordar com o posicionamento externado pelo radialista Lucílio Bastos, mas, com toda a certeza, admirava sua coragem e eloquência, o que acabava por transformar o conteúdo apresentado em seu programa no assunto mais comentado do dia em todas as rodas dos ditos “formadores de opinião”.

Sempre combativo e disposto ao embate, chegou a nossa região na década de 60 do século passado, procurando por aqui “uma nova trincheira” onde pudesse continuar a sua luta, pois em sua terra natal, Feira de Santana, já não lhe eram dadas condições para que continuasse seu trabalho sem a perseguição dos militares. Eram os anos de chumbo.

:: LEIA MAIS »

BANCO DO POVO ATINGE R$ 14 MILHÕES EM EMPRÉSTIMO A MICROEMPREENDEDORES

Omar Costa (c) é homenageado pelo presidente, agente de crédito e diretora do BP (Foto Pimenta).

Omar (c) é homenageado por presidente, agente e diretora do BP (Foto Pimenta).

Ex-presidente Juscelino Victor recebe homenagem a Pastor Hélio.

Ex-presidente Juscelino Victor representa Pastor Hélio em homenagem.

O Banco do Povo de Itabuna encerra 2013 superando a marca de R$ 3 milhões em concessões de empréstimos. A instituição de crédito solidário comemorou, ontem, 12 anos de atividades com mais de R$ 14 milhões em empréstimos e quase 9 mil contratos fechados no apoio microempreendedores de Itabuna e municípios sul-baianos.

Na comemoração dos 12 anos, no Hotel Tarik, o ex-diretor Omar Costa e os conselheiros Jasiel Simões e pastor Hélio Lourenço foram homenageados pelo presidente do conselho administrativo, Wellington Ferraz, e pela diretora-executiva, Ilana Queiroz.

O Banco do Povo foi a primeira instituição de microcrédito solidário do sul da Bahia. Inaugurado em dezembro de 2001, o banco, além do crédito, também fornece orientação aos microempreendedores. “É uma trajetória vitoriosa”, ressalta Ferraz.

Ferraz e Cíntia entregam placa a Jasiel Simões.

Ferraz e Cíntia prestam homenagem a Jasiel Simões.

A trajetória de 12 anos da instituição foi lembrada tanto pelos dirigentes como por ex-diretores. A homenagem ao pastor Hélio Lourenço foi entregue ao primeiro presidente do conselho do Banco do Povo, Juscelino Victor. O pastor não pôde comparecer devido a outros compromissos anteriormente agendados.

Juscelino observou os acertos bem no início do projeto. Para ele, um dos acertos do governo municipal foi ter criado o banco sem vinculá-lo à gestão. O Banco do Povo foi inaugurado pelo então prefeito, Geraldo Simões.

O ANIVERSÁRIO DE ODUQUE

Oduque é homenageado em evento do Rotary (Foto Sílvio Roberto).

Oduque é homenageado em evento do Rotary (Foto Sílvio Roberto).

Membros do Rotary Club e de outros clubes de serviço de Itabuna se reuniram em um jantar nesta terça-feira (22) para prestar homenagem ao empresário e ex-prefeito José Oduque Teixeira, que completou 90 anos de idade.

Alguém quis brincar com Oduque, que é conhecido pela fama de pão-duro, sugerindo que ele deveria pagar a conta do restaurante. Outros, mais cautelosos, desaconselharam a pegadinha.

Nessa idade, um susto tão forte é muito perigoso.

O MAIOR BAIANO

baianos

O jornal A Tarde promove competição para descobrir quem foi, segundo a opinião popular, o maior baiano de todos os tempos.

A primeira fase da seleção colheu indicações espontâneas de notáveis, cada um indicando três nomes em ordem decrescente de relevância. Desta etapa, saiu vencedor o jurista e político Ruy Barbosa, seguido pelo poeta Castro Alves e pelo escritor Jorge Amado.

Entre os dez nomes mais lembrados, além dos três mestres acima, figuram, em ordem alfabética, ACM, Anísio Teixeira, Dorival Caymmi, Edgar Santos, Glauber Rocha, Irmã Dulce e Milton Santos.

A lista com os dez compõe agora em uma enquete, e qualquer pessoa pode votar no seu preferido. O resultado indicará o baiano “mais retado” de todos os tempos.

HOMENAGEM AO “CANÁRIO”

Orlando Cardoso: 71 anos de idade, 52 de rádio

Orlando Cardoso: 71 anos de idade, 52 de rádio (Foto Oziel Aragão / Plantão Itabuna)

O radialista Orlando Cardoso foi festejado na manhã desta sexta-feira, 23. Colegas e amigos do “Canário” fizeram questão de abraçá-lo em seu aniversário de 71 anos. Destes, 52 foram dedicados ao rádio grapiúna.

Orlando é um dos radialistas mais longevos da Bahia e segue firme no comando de seu Panorama 640, todas as manhãs, na Difusora AM, contando como o apoio de Silmara Souza.

Descanso, nem pensar. O comunicador diz que não gosta sequer de ouvir a palavra “aposentadoria”.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia