WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
jardim das hortensias
unime


agosto 2016
D S T Q Q S S
« jul    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

editorias


:: ‘homicídios’

DEPUTADO CRITICA GOVERNO DA BAHIA POR NÃO INVESTIR EM SEGURANÇA

Deputado diz que a população está tomando sufoco dos bandidos, enquanto governador tenta salvar presidente

Deputado diz que a população está tomando sufoco dos bandidos, enquanto governador tenta salvar presidente

O elevado número de homicídios registrados neste feriadão em Salvador e Região Metropolitana alimentou o discurso oposicionista na retomada dos trabalhos da Assembleia Legislativa. As críticas ficaram por conta do deputado Sandro Régis (DEM), líder da oposição.

Em apenas três dias do feriado prolongado, Salvador e RMS contabilizaram 19 homicídios. Oito desses crimes ocorreram ontem (27), nos bairros do Lobato, Paripe, Federação, Dom Avelar, Tororó e Boca do Rio.

Além de atribuir o problema à falta de investimentos do governo na segurança pública, Régis afirmou que o governador Rui Costa tem dedicado mais energia para “salvar a presidente Dilma do impeachment”. Nas palavras do deputado, “é inadmissível que o governador Rui Costa canalize suas ações e energias em defesa do governo federal, enquanto a população baiana morre nas ruas e fica refém da criminalidade”.

NOVOS POLICIAIS

O governo tem sido criticado por descumprir a promessa de convocar 800 policiais civis (delegados, investigadores e escrivães) e cerca de 2 mil policiais militares. Rui Costa disse em janeiro que as nomeações ocorreriam logo após o Carnaval, mas depois alegou impossibilidade de realizá-las em virtude de problemas financeiros do Estado.

No momento, o governo espera um relatório da Secretaria de Administração (Saeb) para saber quantos novos policiais poderão ser nomeados. As admissões serão apenas para preencher vagas que surgiram desde 2012, em razão de óbitos e processos de aposentadoria.

HOMEM É EXECUTADO NO BAIRRO SANTA INÊS

violênciaItabuna registrou dois homicídios nesta sexta-feira (26), após uma período de dez dias de calmaria.

À noite, a polícia foi acionada por moradores do bairro Santa Inês, que informaram um assassinato na Rua Dois de Julho. A vítima do crime foi identificada como Luiz Fabiano, de 33 anos.

Segundo testemunhas, dois homens se aproximaram a pé e fizeram vários disparos. Pela quantidade de cápsulas de munição encontradas, a polícia constatou que foram mais de 20 tiros, todos de calibre 380. Dos 14 que atingiram a vítima, 7 foram na cabeça.

Na madrugada do mesmo dia, a polícia registrou a morte, também por execução, de José Ribeiro da Silva, de 60 anos, no Parque Boa Vista. O número de homicídios cometidos nestes dois primeiros meses do ano, até o momento, chega a 31.

VANE COBRARÁ INDICAÇÃO DE JUÍZES TITULARES

Prefeito se reuniu com autoridades da área da segurança (foto Wilson Oliveira)

Prefeito se reuniu com autoridades da área da segurança (foto Wilson Oliveira)

A falta de juízes titulares em Itabuna é apontada como um dos fatores que aprofundam a crise de segurança na cidade. O assunto esteve na pauta em uma reunião ocorrida ontem (19), entre o prefeito de Itabuna, Claudevane Leite; o comandante do 15º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Daniel Riccio; e o delegado Evy Paternostro, chefe da 6ª Coordenadoria da Polícia Civil (Coorpin). Também participou o presidente da Câmara de Vereadores, Aldenes Meira.

O prefeito disse que, na próxima semana, entregará um relatório sobre a situação da criminalidade em Itabuna ao governador Rui Costa e ao secretário estadual da Segurança Pública, Maurício Barbosa. Além disso, ele irá solicitar ao Tribunal de Justiça da Bahia a indicação de juízes titulares para a comarca.

Durante a reunião, o prefeito criticou a divulgação de boatos pelas redes sociais, que teriam a finalidade de intimidar a população. “É lamentável que pessoas maldosas ocupem parte de seu tempo para espalhar o terror”, disse Vane.

O tenente-coronel Riccio informou que a polícia vem realizando operações permanentes e intensificou seu trabalho nos últimos dias. Segundo ele, a expectativa é de queda no índice de homicídios nos próximos meses.

INDULTO – Até esta sexta-feira, foram registrados 29 homicídios em Itabuna, contra 25 no mesmo período de 2015. De acordo com o delegado Evy Paternostro, uma das possíveis causas seria a liberação de presos por meio do indulto de Natal. O titular da 6ª Coorpin ressaltou que 50% dos detentos contemplados não retornaram à prisão após o fim do prazo do benefício.

CLIMA DE MEDO NA MANGABINHA

Violência faz parte do cotidiano dos moradores

O bairro da Mangabinha já aparece nas estatísticas como um dos mais violentos de Itabuna em 2016. Por lá, foram registrados dois homicídios em um único dia neste mês de fevereiro, sendo que uma das vítimas foi apontada como suspeita de vários assaltos naquela comunidade (confira aqui). Em janeiro, houve pelo menos uma tentativa de assassinato confirmada pela polícia.

A situação se complica neste período de Carnaval, em virtude do envio de parte do efetivo da segurança pública para as cidades que realizam festejos, principalmente Salvador.

Na noite de ontem (5), moradores da Mangabinha utilizavam as redes sociais para pedir socorro. Por volta das 21 horas, circulava a informação de que bandidos haviam imposto toque de recolher na parte do bairro conhecida como Alto da Lua.

Um morador desabafou no Facebook: “Sexta- feira de carnaval, 21:36, e eu e minha família estamos trancados dentro de casa e longe das portas. Isso é vida? Bandido solto e cidadão preso!”.

ITABUNA REGISTRA HOMICÍDIOS NO BANCO RASO E NO FÁTIMA

violênciaDois homicídios ocorreram em Itabuna entre o final da manhã e o início da tarde deste domingo (27).

Uma das vítimas foi assassinada no Banco Raso. Levou seis tiros, disparados por homens que estavam em um Fiat Uno.

O outro crime ocorreu no Bairro de Fátima. De acordo com a polícia militar, a vítima tinha 14 anos. Também foi morto a tiros, sendo identificada como João Victor Nascimento dos Santos.

Ainda não há informações se as vítimas tinham envolvimento com ações criminosas.

Atualizado às 21h

NÚMERO DE ASSASSINATOS CAI 34% EM ITABUNA

Itabuna encerrou o primeiro semestre deste ano com a menor taxa de assassinatos dos últimos 10 anos. Os números são da Secretaria Estadual de Segurança Pública e foram divulgados pelo Jornal das Sete (Morena FM). A média mensal ficou em torno de 8 mortes violentas ante mais de 12 nos seis primeiros meses de 2014.

Foram 50 assassinatos no período de 1º de janeiro a 30 de junho. Ainda segundo a reportagem do programa da Morena, o número é 34% menor do que o registrado em igual período do ano passado, quando ocorreram 76 mortes violentas (homicídios e latrocínios). Junho deste ano também foi o menos violento dos últimos dez anos, com o registro de 6 execuções.

Para as autoridades de segurança pública, um dos principais fatores foi a transferência de presos perigosos para presídios de Serrinha e Lauro de Freitas.

O governo explica que diversas ordens para assassinato de pessoas partiam do presídio de Itabuna. As mortes eram determinadas pelo chamado alto escalão das facções criminosas raios A e B.

Marlos Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

Marlos Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

REVISTA NO PRESÍDIO

O diretor-adjunto do presídio de Itabuna, Bernardo Dutra, informou que na revista de ontem (1º), por exemplo, foram encontradas facas artesanais, chips de celular, quatro celulares e buchas de maconha.

A revista foi feita por agentes penitenciários, com acompanhamento da Polícia Militar. Bernardo reforçou que essas e outras ações têm contribuído para a queda de homicídios em Itabuna. “Sem os celulares, os detentos ficam ilhados”.

O titular da Delegacia de Homicídios de Itabuna, Marlos Macedo, afirmou que toda a ação direta do estado contribui para a queda. “As operações, principalmente em locais mais violentos, têm sido fundamentais”, disse o delegado ao Jornal das Sete. A matéria completa pode ser conferida n´A Região.

DUPLO HOMICÍDIO EM FERRADAS

Dois homens foram executados a tiros, às 2h20min da madrugada deste sábado (17), na Rua do Cajueiro, no Nova Ferradas, em Itabuna. De acordo com a central da Polícia Militar, homens chegaram atirando contra Sérgio Alves dos Santos, de 32 anos, e um outro homem que o acompanhava.

A segunda vítima não foi identificada pela polícia. Ainda segundo a PM, Sérgio Alves residia no Loteamento 101 da Roça do Povo.

ITABUNA REGISTRA 146 HOMICÍDIOS – E 2014 (AINDA) NÃO ACABOU

Juliano foi morto a tiros e Fabrício a facadas na região da Califórnia (Reprodução Plantão Itabuna e Facebook).

Juliano foi morto a tiros e Fabrício a facadas na região da Califórnia (Reprodução Plantão Itabuna e Facebook).

A onda de homicídios em Itabuna fez mais uma vítima. Ontem à noite, homens mataram a tiros Juliano Oliveira Santos, de 22 anos. O crime ocorreu no Bairro Califórnia. Desde o domingo, este é o sétimo assassinato, além de quase uma dezena de baleados.

Os dados apontam que, entre homicídios e latrocínios, foram 146 mortes violentas no município sul-baiano apenas neste ano. A maioria das vítimas tem entre 14 e 25 anos. Registre-se, para além da fria estatística, que este ano está ainda mais violento que 2013, quando a polícia deu um freio no crime com megaoperações.

Na noite de segunda (15), um rapaz de apenas 14 anos morreu em um crime que teve requintes de crueldade. A vítima levou 30 facadas, segundo a polícia técnica. Fabrício Gabriel Santos havia saído para comprar pão, a pedido da avó. Não mais retornou. Até agora, não se sabe a motivação do crime.

A matança dos últimos dias teve início no domingo, quando sete pessoas foram assassinadas em Itabuna. A maioria dos crimes ocorreu na região da Califórnia.

CARROS E CASAS SÃO INCENDIADOS APÓS A PRISÃO DE BANDIDO EM CAMACAN

Imóveis foram incendiados por familiares de bandidos em Camacan.

Imóveis foram incendiados por familiares de bandidos em Camacan.

Ricardo, o Cal, é acusado de homicídios em Camacan.

“Cal” é acusado de homicídios em Camacan.

Casas e carros foram incendiados neste domingo (7) em Camacan, no sul da Bahia, em retaliação à prisão do homicida Ricardo Santos Rezende, o Cal. Policiais civis e militares prenderam o bandido durante operação na madrugada de hoje.

De acordo com o comandante da PM em Camacan, major Rodrigues de Castro, Cal tinha contra si mandado de prisão e é suspeito de matar um idoso e uma indígena. Cal e o irmão “Veni” são apontados como autores de vários crimes no município. Veni está foragido.

Os policiais montaram cerco à casa de Cal ontem à noite e negociaram para que o bandido se entregasse. Com a resistência, os policiais decidiram invadir o imóvel, prendendo-o em seguida.

Conforme o comando da Polícia Militar, familiares do bandidos, descontentes com a prisão de Cal, iniciaram ofensiva incendiando, pelo menos, cinco casas. Carros também foram incendiados ou apedrejados entre a madrugada e o final da tarde deste domingo.

O policiamento no Bairro da Gameleira foi reforçado por causa do aumento da tensão. O bandido foi levado para o Complexo Policial de Camacan. A polícia ainda decidirá para onde encaminhar o bandido, se Itabuna ou Feira de Santana.

Criança caminha em meio a escombros de casa e carro incendiado.

Criança caminha em meio a escombros e carro incendiado.

ENXUGANDO GELO

Marlos Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

Titular da Delegacia de Homicídios, Marlos Macedo recentemente comparou a tarefa de combate ao crime em Itabuna a “enxugar gelo”. Sábado, este blog revelou que a escalada do crime no município avançava e tínhamos, ao final de novembro, mais homicídios em 2014 do que no ano anterior (relembre aqui).

Hoje, o delegado falou ao repórter Oziel Aragão, da Rádio Difusora e do Plantão Itabuna, que a polícia tem combatido o tráfico de drogas e prendido mais rápido os assassinos para tentar evitar tragédia ainda maior. A preocupação com o tráfico é maior, pois, segundo a polícia, cerca de 80% dos homicídios têm relação com as drogas.

MAIS HOMICÍDIOS QUE EM 2013

violênciaAinda não chegamos a dezembro e Itabuna registra em 2014 mais homicídios que todo o ano de 2013.

Somente ontem, foram 3 homicídios no município, chegando a 133 no ano.

Os dados apontam 128 homicídios em todo o ano de 2013.

De acordo com as estatísticas, mais de 80% das mortes estão relacionadas a disputas pelo domínio do tráfico de drogas ou dívida de usuários com traficantes.

Atualizada (2/12/14), às 13h : A polícia informa que, no ano, foram 129 homicídios.

SSP ANALISA ÍNDICE DE HOMICÍDIOS NO SUL DA BAHIA

Barbosa durante coletiva hoje à noite (Foto Carla Ornelas).

Barbosa participa da reunião em Ilhéus (Foto Carla Ornelas).

A cúpula da segurança pública da Bahia se reúne nesta sexta-feira (17), em Ilhéus, para discutir os índices de homicídios no Sul do Estado. O encontro está marcado para as 9 horas, no auditório da Faculdade Madre Thaís.

Estarão presentes o secretário estadual da Segurança Pública, Maurício Barbosa; o comandante-geral da Polícia Militar, Coronel Alfredo Braga de Castro; e o delegado chefe da Polícia Civil, Hélio Jorge Oliveira Paixão. Também participam da reunião os representantes da Região Integrada de Segurança Pública do Sul da Bahia, comandantes de unidades operacionais da PM e delegados de polícia.

As autoridades pretendem analisar os dados referentes aos crimes contra a vida e planejar novas ações para diminuir os índices da criminalidade.

HOMEM É EXECUTADO NO ODILON

Carlos foi executado a tiros (Reprodução).

Carlos foi executado a tiros (Reprodução).

Um homem de 33 anos foi assassinado nesta manhã de domingo (20) no Bairro Odilon, em Itabuna. Carlos Silva dos Santos levou vários tiros na cabeça e no pescoço.

Carlos não teve chance de escapar do executor. A vítima foi executada dentro de casa. A polícia ainda não identificou nem prendeu o autor dos disparos.

Por meio de boletim, a Polícia Militar informou que o corpo do homem foi encontrado por volta das 6 horas da manhã deste domingo.

O local do crime foi isolado pela PM, à espera de equipe do Departamento de Polícia Técnica (DPT), que já efetuou o levantamento cadavérico.

NÚMERO DE ASSASSINATOS TEVE MAIOR ELEVAÇÃO NO PERÍODO DE PAULO SOUTO EM ITABUNA

violênciaO número de homicídios nos últimos anos em Itabuna é praticamente o mesmo ou menor que o registrado em meados da década passada, quando o democrata Paulo Souto era o governador da Bahia.

Conforme dados do Mapa da Violência e da Secretaria de Segurança Pública, no período de 2002 a 2006, o município sul-baiano experimentou a maior elevação do número de mortes violentas, principalmente com o uso de arma de fogo.

De acordo com o Mapa da Violência, divulgado pelo Instituto Sangari, Itabuna registrou 92 homicídios em 2002. No primeiro ano do governo de Souto, em 2003, este número saltou para 100. Já em 2004, foram registrados 118 mortes violentas.

A escalada do crime no município registrou pico em 2005, quando Itabuna teve 156 homicídios. Já em 2006, caiu para 143 (relembre aqui).

De lá para cá, apenas em 2012 o número total de homicídios foi maior que o registrado em 2005: 176 ante 156. Ano passado, foram 128 homicídios, número menor que os 147 registrados em 2010. No comparativo 2005-2011, ficou estável: 156 e 157 homicídios, respectivamente.

Independente da queda ou manutenção da taxa de assassinatos, o município vive situação epidêmica de homicídios.

A partir deste sábado (10), o município registrará visitas frequentes de candidatos ao governo ou de discursos de seus apoiadores. Restará a quem sofre com esta onda de violência cobrar medidas exequíveis. Claro está que não se resolve questão de segurança pública apenas com repressão, contratação de policiais, compra de armamento etc.

50 ANOS DE 31 DE MARÇO DE 1964 E O BRASIL DE HOJE

professor júlio c gomesJulio Cezar de Oliveira Gomes | advjuliogomes@ig.com.br

Há um Brasil que chora, cotidianamente, por um dilúvio de sangue que jorra das capitais e do interior deste país.

Para uns, golpe. Para outros, revolução. O fato é que há cinquenta anos um movimento militar arrancou o presidente João Goulart do Palácio do Planalto e impôs àquele Brasil um governo composto por uma estranha junta militar.

O resto da história, já se sabe. O regime de exceção se impôs pela força das armas e da máquina governamental por vinte e cinco longos anos, até que sob a pressão da imensa maioria dos brasileiros pelo fim da Ditadura, foi eleito, de forma indireta, um presidente civil, em 1985; e depois promulgada a Constituição de 1988, pondo fim ao Período Militar.

Entretanto, o que há de novo neste aniversário de 31 de março de 1964 não é a comemoração dos militares, que sempre a fizeram, de forma mais ou menos ostensiva, mas um clamor pela volta dos militares ao poder, que ecoou fortemente por todos os meios de comunicação.

Causa estranheza que em um Brasil muito mais desenvolvido economicamente, muito mais escolarizado e com chances de ascensão social infinitamente maior do que as que existiam na década de 1960, 70 e 80, este clamor tenha sido ouvido. Mas foi.

Penso mesmo que, se o povo não aderiu ao apelo do retorno à Ditadura, foi justamente por esta compreensão de que a vida melhorou, e muito.

Porém, o mesmo povo que se recusou a aderir à Marcha da Família também se recusa a defender o regime democrático, em uma clara demonstração de desprestígio da democracia junto àqueles que mais deveriam defendê-la: o povo.

Observo, especialmente, que o discurso de que a Ditadura assassinou cruelmente seus opositores – e assassinou de fato – não comove mais às pessoas. Por que será?

:: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia