WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate






alba








junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘Hospital de Base’

ITABUNA: APÓS ACORDO COM O MPT, HOSPITAL DE BASE ABRE 72 VAGAS EM PROCESSO SELETIVO

Hospital de Base de Itabuna faz processo seletivo com 72 vagas

Após acordo judicial firmado com o Ministério Público do Trabalho (MPT), o Hospital de Base de Itabuna abriu 72 vagas para contratação de médicos e cirurgiões dentistas. Os salários variam de R$ 5 mil a R$ 13,4 mil, a depender da carga horária e da especialidade. As inscrições são apenas presenciais e devem ser feitas no hospital, no Loteamento Nossa Senhora das Graças, em Itabuna.

Pelo acordo judicial, os profissionais serão contratados pela Fundação de Atenção à Saúde de Itabuna (Fasi) em regime celetista. O contrato, de acordo com o MPT e o edital da seleção pública, terá duração de 22 meses, podendo ser prorrogado por igual período.

O acordo para o processo seletivo foi feito após o MPT ingressar com uma ação de execução de termo de ajuste de conduta que vinha sendo descumprido havia anos pelo município. O MPT concordou em reduzir drasticamente os valores que a Fasi deveria pagar à sociedade em multas por descumprimento do TAC assinado em 2010 caso a Fundação se comprometesse a substituir os contratos pejota por contratos temporários enquanto providencia a contratação efetiva dos profissionais de saúde como servidores efetivos.

CLIQUE E CONFIRA EDITAL COMPLETO

No TAC, segundo o procurador do MPT Ilan Fonseca, responsável pelo caso, havia previsão de pagamento de multa de R$20 mil por cada um dos itens descumpridos. “O ajuste de conduta tratava da obrigação de manter o pagamento dos salários em dia e o recolhimento de contribuições e demais obrigações trabalhistas, mas houve um claro e incontestável descumprimento, o que nos fez ingressar na Justiça. Mas para evitar um prejuízo ainda maior à sociedade, concordamos em converter a maior parte dessa multa em obrigação de substituir os contratos PJ por contratos temporários até o concurso”, explicou.

SEM CONCURSO PÚBLICO

O acordo foi negociado entre o MPT e a Fasi e foi homologado na 1ª Vara do Trabalho de Itabuna. Nele, ficou decidido que a Fasi publicaria o edital para contratação pela CLT em regime temporário de médicos e cirurgiões dentistas. A contratação do servidor por meio de contratos temporários se deve à inexistência de legislação municipal prevendo cargos públicos para médicos a serem preenchidos pela Fasi e pela situação irregular de contratação de pessoas jurídicas, em desacordo com as regras celetistas. :: LEIA MAIS »

MOSQUITO JÁ É RESPONSÁVEL POR 90% DOS PACIENTES DO BASE

Direção do Hospital de Base é acusada de fraude.

Apesar de ser referenciado para traumas, urgências e emergências, o Hospital de Base de Itabuna acabou se tornando o destino da grande maioria das pessoas acometidas por doenças relacionadas ao mosquito Aedes aegypti.

Um médico da unidade afirma que aproximadamente 90% dos atendimentos no Base atualmente são de pessoas com zika e dengue.

A expectativa é de que essa demanda seja em grande parte absorvida pelo chamado “QG de Combate ao Mosquito”, que realizará atendimento ambulatorial na Avenida do Cinquentenário, nº 1370.

A promessa da Secretaria Municipal da Saúde é de que o QG estará em funcionamento na próxima semana.

“QG” ATENDERÁ VÍTIMAS DE EPIDEMIA CAUSADA PELO AEDES AEGYPTI EM ITABUNA

Central para atendimento a pacientes funcionará próximo ao Jardim do Ó.

Central para atendimento a pacientes funcionará próximo ao Jardim do Ó (Imagem em perspectiva).

Itabuna registra média diária superior a 300 casos suspeitos de doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti, principalmente a zika. O Hospital de Base está lotado e a rede ainda se prepara para atender a pacientes vítimas de zika, dengue e chikungunya. A perspectiva é ainda mais preocupante para o período que vai de março a maio.

A Secretaria de Saúde de Itabuna informou hoje (2) que os atendimentos a pacientes com sintomas destas viroses serão centralizados em uma unidade na Avenida do Cinquentenário. Apelidado de “QG”, a unidade funcionará na antiga Oduque Veículos, próximo ao Jardim do Ó.

O espaço, de acordo com o secretário Paulo Bicalho, terá capacidade para até mil atendimentos diários. Visa, também, desafogar unidades como o Hospital de Base. Dentre os sintomas causados pela dengue, chikungunya e zika estão febre, dor de cabeça, mal estar e erupções na pele. Quando o QG estiver funcionando, somente os casos graves serão atendidos na rede hospitalar.

FUNCIONÁRIO DO HOSPITAL DE BASE MORRE EM ACIDENTE NA ILHÉUS-ITABUNA

Jovem morreu em acidente grave na Ilhéus-Itabuna (Foto Radar).

Jovem morreu em acidente grave na Ilhéus-Itabuna (Foto Radar).

Um funcionário do Hospital de Base de Itabuna morreu em um acidente grave na Rodovia Ilhéus-Itabuna (BR-415), no final da noite desta quinta-feira (8). José Maurício Sousa Santos, de 28 anos, diriga um Fiat Pálio que colidiu frontalmente com uma carreta.

A colisão ocorreu no trecho da estrada entre o Atacadão e Motel Smile, no quilômetro 25 da rodovia. De acordo com o site Radar Notícias, José Maurício já trabalhou como auxiliar no Departamento de Polícia Técnica em Itabuna. O motorista da carreta sofreu ferimento leve com o impacto da colisão.

ESCANDALIZAÇÃO DA POLÍTICA

marco wense1Marco Wense

Cabe aos senhores pré-candidatos à presidência da República a espinhosa tarefa de provar que suas legendas, no caso o PT de Dilma, o PSDB de Aécio Neves e o PSB de Eduardo Campos, não têm culpa no cartório.

Não à toa que estudos apontam um crescente descrédito na classe política: apenas 3% dos brasileiros acreditam que deputados e senadores representam e defendem os interesses da sociedade.

O pior é que tudo caminha para uma situação preocupante, já que os homens de bem se afastam do processo político como o diabo da cruz. Sem falar no desabafo popular de que “todo político é ladrão”.

O duelo entre quem quer permanecer no poder e quem quer tomar o poder é de uma baixaria inominável. O debate de ideias cede lugar para acusações mútuas de corrupção.

Fazendo uma alusão ao pega-pega entre petistas e tucanos, o jornalista Miguel Martins lembra que a rinha entre o PTB de Getúlio Vargas e a UDN de Carlos Lacerda resultou em duas décadas de uma ditadura que nos tirou do trilho da modernidade.

A preocupação agora é com a eleição presidencial, com a política nacional mergulhada em um “mar de lama”. A disputa assentada na criminalização da política, em um pilar “que fez, faz e sempre fará mal à democracia”.

Mas abrir mão da apuração dos fatos em nome de uma eleição civilizada, deixando os larápios do dinheiro público sem punição, é alimentar a impunidade, que fez, faz e sempre fará mal à democracia.

Que sejam todas elas instaladas: CPI da Petrobras, com a compra da refinaria de Pasadena no Texas (EUA), CPI do Metrô de São Paulo, com as licitações fraudulentas, e a CPI do Porto de Suape (PE).

Cabe aos senhores pré-candidatos à presidência da República a espinhosa tarefa de provar que suas legendas, no caso o PT de Dilma, o PSDB de Aécio Neves e o PSB de Eduardo Campos, não têm culpa no cartório.

A dureza da lei não é só para os descamisados.

Ex-presidente Lula ao lado da presidente Dilma Rousseff.

Ex-presidente Lula ao lado da presidente Dilma Rousseff.

PLANO B

Só os incautos e desinformados continuam achando que o plano B do PT é uma invencionice da oposição para enfraquecer a candidatura da presidente Dilma Rousseff (reeleição).

O plano B, que é Luis Inácio Lula da Silva como candidato, se tornando imbatível e ganhando a eleição logo no primeiro turno, já foi comentado aqui em duas oportunidades.

Com efeito, o plano B se fortalece na medida em que a presidente cai nas pesquisas de intenção de votos. Dilma só será candidata se não houver nenhum risco do PT perder o comando do cobiçado Palácio do Planalto.

O GATO COMEU

Um grupo de vereadores está fornecendo uma recompensa de R$ 3 mil para quem oferecer alguma informação sobre o sumiço de três respiradores pulmonares do Hospital de Base.

A curiosidade fica por conta de como os R$ 3 mil foram divididos, se algum edil deu mais do que o outro. Se o grupo fosse de 21, com todos dando a mesma quantia, caberia R$ 142,85 para cada.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

GREVE NO HOSPITAL DE BASE

No hospital, segundo vereador, médicos decidem quem vive e quem morre

Funcionários do Hospital de Base de Itabuna cruzaram os braços na manhã desta quarta-feira, 20. Os trabalhadores deflagraram greve por tempo indeterminado, em protesto contra a pendência relativa aos salários de dezembro. Apenas os atendimentos de emergência são realizados.

Segundo a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Itabuna (Sindserv), Karla Lúcia Oliveira, o governo municipal descumpriu acordo de regularizar a situação até o dia 10 de fevereiro, compromisso assumido pelo presidente da Fundação de Assistência à Saúde de Itabuna (Fase), o médico Paulo Bicalho, e pelo secretário da Saúde, Renan Gomes.

“Nós entendemos que o atual governo recebeu uma herança maldita, mas não podemos aceitar o atraso do salário, pois o funcionário não é de Vane nem de Azevedo, mas do município”, declarou a presidente do Sindicato. Segundo ela, os trabalhadores só retornarão ao serviço quando o pagamento estiver na conta.

O governo alega que o atraso se deve ao fato de ainda não ter sido creditado o repasse de recursos da Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab). O motivo da demora seria uma mudança no sistema de informática da Secretaria.

 

ACORDO NO HOSPITAL DE BASE

Hospital de Base Luís E. MagalhãesA direção do Hospital de Base de Itabuna e os servidores municipais fecharam acordo para o pagamento do salário atrasado de dezembro. Pela negociação, o pagamento do salário de janeiro será feito na próxima segunda, 28, e o de dezembro será quitado em 10 de fevereiro, segundo a direção do Sindicato dos Servidores Municipais (Sindserv).

O médico Paulo Bicalho, presidente da fundação que mantém o hospital, disse que obteve adiantamento de recursos por parte da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), o que permitiu a negociação. O acordo foi aprovado em assembleia nesta manhã de quinta, 24.

MAIS NEGOCIAÇÃO

Se no Hospital de Base a situação parece resolvida, longe está a solução para os servidores dos outros setores da administração municipal. Os servidores farão assembleia no auditório do Sindicato dos Comerciários, na Avenida do Cinquentenário, para decidir se entram em greve.

Até lá, a direção do Sindserv espera proposta “mais razoável” da prefeitura. O prefeito Vane do Renascer chega a Itabuna no final da tarde de hoje, quando deve se reunir com secretários para discutir o pagamento do atrasado. O parcelamento do salário de dezembro em 16 vezes foi rejeitado pelo funcionalismo. O novo governo enfatiza que se trata de dívida da gestão do ex-prefeito Capitão Azevedo (DEM), que não deixou recurso em caixa para quitá-la.

GILNAY SE ESQUIVA DE “FANTASMAS” E JOGA PEPINO PARA ANA BRITO. AZEVEDO MANTÉM SILÊNCIO

Gilnay Santana (à esquerda) diz que não nomeou fantasmas e joga pepino para sucessora, enfermeira Ana Brito. Azevedo (centro) foi denunciado pelo MP.

A ex-presidente da fundação mantenedora do Hospital de Base de Itabuna Gilnay Santana disparou nota de esclarecimento em que diz nada ter a ver com as nomeações de funcionários fantasmas. Segundo diz a ex-presidente, os fantasmas foram nomeados nos dias 3 e 5 de julho.

Textualmente, Gilnay explica que dirigiu o hospital “de 28 de julho 2011 a 06 de junho de 2012,  e as nomeações citadas como “fantasmas”  ocorreram nos dias 3 e 5 de julho de 2012”. A enfermeira Ana Brito, ainda no comando do Hblem, foi a sucessora de Gilnay.

Gilnay e o prefeito Capitão Azevedo (DEM) foram denunciados à Justiça pelo Ministério Público estadual pela farra de contratações sem concurso público e de funcionários fantasmas. A ex-presidente não explica, porém, as denúncias de que transformou o Hospital de Base em cabide de emprego. Apenas refuta que tenha sido responsável pela contratação de “seres de outro planeta”.

MORTE EM BOCA DE FUMO NO ALTO MARON

Um usuário de drogas identificado apenas como “Lucas da Manchett” morreu após quebra-quebra numa boca de fumo na Travessa Independência, Alto Maron, região central de Itabuna.

Segundo policiais militares, Lucas foi lançado do segundo andar do prédio que abriga dezenas de estudantes universitários. Drogado, ele ainda conseguiu caminhar da escadaria até a entrada da república, onde tombou. Uma equipe do Samu 192 socorreu Lucas, que chegou sem vida no Hospital de Base de Itabuna.

De acordo com equipe do Samu, o usuário sofreu diversas escoriações e traumatismo craniano. O outro envolvido – ainda não identificado – também sofreu traumatismo e corte profundo numa das mãos. A polícia militar chegou ao local e encontrou apartamentos totalmente destruídos.

Durante a confusão, um dos usuários de drogas arrombou apartamentos de estudantes. Os universitários deixaram os imóveis assustados e foram procurar abrigo em casa de colegas e amigos, com escolta da Polícia Militar.

FUNCIONÁRIOS DO HOSPITAL DE BASE PARAM

Hospital enfrenta segunda paralisação em menos de um mês.

O Sindicato dos Servidores Municipais de Itabuna (Sindserv) distribuiu comunicado informando que os funcionários do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem) só retornarão ao trabalho quando a prefeitura de Itabuna comprovar o pagamento do salário de dezembro do ano passado.

A direção do Hblem havia se comprometido a quitar o salário atrasado até o meio-dia desta terça (1º), mas os servidores alegaram que, devido ao histórico de atrasos da prefeitura, só retornariam ao batente quando o dindin estivesse na conta. É mais uma crise na gestão municipal da Saúde.

A VITÓRIA DOS DERROTADOS

Ricardo Ribeiro | ricardoribeiro@pimentanamuqueca.com.br

É de pasmar a nota distribuída à imprensa, nesta quarta-feira, pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Itabuna. No texto, a entidade comemora como uma grande vitória o anúncio do pagamento dos salários de dezembro aos funcionários do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães. Isso em pleno dia 19 de janeiro!

Lamentável que os funcionários do Base já tenham chegado a uma situação na qual, após o vexame de ver seus salários atrasados por quase um mês, ainda têm que festejar a satisfação tardia como uma coisa grandiosa. Claro, certamente poderia ser pior, e considerando quem governa Itabuna hoje, é aconselhável estar preparado para tudo.

Nesta quinta-feira, dia 20, uma manifestação ocupa a principal avenida de Itabuna, a Cinquentenário, pedindo a estadualização do Base. A instituição convive com a esdrúxula circunstância de ser um hospital de perfil regional, porém vinculado ao município. Tem necessidades superiores à disponibilidade de recursos, o que gera ineficiência (nesse caso, traduza-se por mortes), dívidas cada vez maiores e sucateamento das instalações.

A situação é dramática, mas o prefeito José Nilton Azevedo vai irresponsavelmente empurrando o problema com a barriga. Não soluciona nem propõe alternativas, e ainda repele o debate sobre a estadualização.

Azevedo limitou-se a mudar o gestor, mas até agora não há qualquer sinal de que isso implicará em uma alteração real do quadro. Não basta trocar as peças, se mantiver o modelo de gestão e não atacar as mazelas imorais emperram qualquer iniciativa em benefício do maior hospital do sul da Bahia. O cabide de empregos, usado para agradar e amaciar vereadores, é uma dessas mazelas.

Do novo gestor do Base, Leopoldo dos Anjos, espera-se o anúncio de medidas arrojadas, um plano bem concebido, alguma ação enérgica. Por enquanto, a providência mais “chocante” é uma campanha para arrecadar lençóis.

Ricardo Ribeiro é um dos blogueiros responsáveis pelo Pimenta na Muqueca e editor do Política Etc.

LENÇÓIS E VERGONHA

Luiz Conceição | jornalistaluizconceicao@gmail.com

O diretor do Hospital de Base de Itabuna repetiu na TV a cantilena que a cidade ouve desde os tempos do ex-prefeito Fernando Gomes: 101 municípios despejam pacientes naquela unidade, diariamente. Mas se esqueceu convenientemente de dizer que os procedimentos médicos-hospitalares são remunerados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), ao contrário do que este discurso mentiroso insiste em afirmar, mas que, efetivamente, a tabela está em desacordo com os custos.

Os problemas do hospital são decorrentes da má gestão e do cabide de emprego em que se transformou desde a época de inauguração. Aliás, desde sua inauguração pela empreiteira que o concebeu e construiu com recursos do Governo Federal, via Orçamento Geral da União, o Base é um poço onde somem recursos públicos e disso ninguém tem dúvidas.

O político que o patrocinou só pensou nos seus interesses eleitorais e em quebrar o bom serviço prestado pela Santa Casa de Misericórdia de Itabuna. Nem os seus aliados médicos de então se preocuparam com o caos em que os serviços de saúde imergiriam pela gula das AIHs com o inevitável fechamento dos hospitais Santa Maria Goretti e São Lucas, que complementavam a oferta de leitos hospitalares aos cidadãos de Itabuna e região.

Atualmente, todos pagamos por tamanha irresponsabilidade. Administrador é administrador, médico é médico, vaqueiro é vaqueiro. Como diz o adágio popular, cada macaco no seu galho, xô xuá…

Portanto, em vez de fazer campanha para angarirar lençóis dos cidadãos para o Hospital de Base, os administradores municipais da saúde deveriam tomar vergonha e fazer diagnóstico para adequar pessoal e equipamentos para que a unidade preste serviços aos cidadãos e contribuintes que não suportam mais tantos desmandos e má gestão do patrimônio que é nosso. Chega da amadorismo!!

SALÁRIO SERÁ PAGO ATÉ AMANHÃ, DIZ SECRETÁRIO

O salário dos servidores da Saúde em Itabuna será pago até amanha, segundo o secretário Geraldo Magela. De acordo com ele, a prefeitura de Itabuna sofreu bloqueio de recursos da ordem de R$ 1,5 milhão do INSS e não teve como pagar o salário a todo os servidores dentro do prazo. Para honrar o pagamento, afirmou, o município vai tirar R$ 400 mil dos cofres. Segundo ele, parte do funcionalismo foi paga ainda na sexta, 7, faltando apenas um grupo e os trabalhadores do Hospital de Base.

A PM E O “EXÉRCITO DE UM HOMEM SÓ”

Apenas um soldado fazia o policiamento do município de Iguaí, no centro-sul do estado, na virada do ano. Assim, não fica difícil imaginar porque os bandidos preferem atacar bancos e empreendimentos nos pequenos municípios: encontram pouca resistência policial. Ou, como diriam os Engenheiros, é o típico “exército de um homem só”. Os soldados acabam se tornando presa fácil dos bandidos.

Se você acha isso absurdo o que ocorre em Iguaí, saiba também que apenas um PM era visto na sede da companhia da região da Califórnia em Itabuna no período do réveillon. E quem vai ao Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem) encontra apenas um soldado. É para lá que são encaminhados bandidos feridos em confrontos com a polícia ou com quadrilhas rivais no município.

O que diria o comando-geral da PM sobre essa situação vexatória?

BOLSA DE APOSTAS

Prosseguem em ritmo intenso as discussões sobre a reforma (ou minirreforma) administrativa do prefeito de Itabuna, José Nilton Azevedo. E nesta segunda-feira, 08, gente próxima do poder dava como certos pelo menos dois remanejamentos no governo.

Uma informação que não chega a ser nova é a de que o atual secretário da Fazenda, Carlos Burgos, é mesmo cotado para a presidência da Emasa, empresa à qual ele deve R$ 144 mil em contas de água atrasadas. Sabe-se que a missão de Burgos é preparar a empresa para ser privatizada.

A novidade do momento é que o secretário da Administração, Gilson Nascimento, poderá trocar sua pasta pela direção do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães. Talvez Nascimento queria, ao assumir um “abacaxi”, finalmente revelar seus dotes de administrador.

Figuras centrais do poder itabunense, Gilson Nascimento e Carlos Burgos sempre foram sombras do prefeito Azevedo, como mostrou essa charge de Dragon, publicada aqui no Pimenta em fevereiro deste ano

NO HOSPITAL DE BASE TAMBÉM FALTA ÁGUA (DE BEBER)

A caótica situação do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, em Itabuna, não se reflete apenas na falta de insumos básicos para o atendimento aos pacientes, mas também na ausência de outros requisitos mínimos para que aquela instituição funcione com decência.

Exemplo: o hospital está sem água potável para os funcionários (pacientes e acompanhantes, então…) e quem tiver sede por lá é obrigado a comprar água mineral. O desrespeito é denunciado pelos servidores e certamente será mencionado na audiência pública programada para esta terça-feira, 26, a partir das 18 horas, no plenário da Câmara de Vereadores.

A reunião vai debater a proposta de estadualização do Hblem. Foram convidados representantes da Prefeitura de Itabuna, Governo do Estado e de mais de 120 municípios que mandam pacientes para o Base.

WAGNER: “SINTO CLIMA FAVORÁVEL [A DILMA]”

Nas atividades da campanha de Dilma Rousseff (PT) ontem em Ilhéus e Itabuna, o governador Jaques Wagner mostrou-se confiante na eleição da presidenciável. “As pesquisas dão 12, 14 pontos de frente [para ela]. Sinto clima favorável”, disse, antecipando que Dilma estará em Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, nesta terça (26), a partir do meio-dia.

Uma das coisas que mais chamaram atenção na conversa de Jaques Wagner (PT) com jornalistas, ontem, foi a incorporação de discurso ambiental para marcar a fase de aliança do PV baiano com o projeto da presidenciável petista, Dilma Rousseff.

Enquanto agradecia a votação obtida no 3 de outubro e destacava que “Dilma teria levado no primeiro turno se dependesse da Bahia”, o governador elencou grandes obras tocadas no estado, mas respeitando as questões ambientais. “Não há crescimento econômico sem olhar para a sustentabilidade”.

Logo em seguida, ele destacou o apoio majoritário do PV baiano à sua amiga e presidenciável. “A maioria do PV já decidiu [apoiar Dilma], e eu agradeço”. E emendou com elogios a Marina Silva, “ministra do Meio Ambiente do presidente Lula por quase sete anos”.

Numa referência indireta ao tucano José Serra, o petista disse não falar mal de adversário, mas crê “que tudo ficará mais fácil [para a Bahia] com Dilma na presidência”. E assegurou que projetos do Complexo Intermodal Porto Sul e a duplicação da rodovia Ilhéus-Itabuna “foram discutidos com a equipe da Dilma”.

Os projetos de construção de novo aeroporto em Ilhéus, ferrovia e porto, afirmou,  estão engatilhados. “Por isso, digo que é importante a eleição da Dilma”.

Ele desconversou sobre melhorias no aeroporto Jorge Amado, na zona sul de Ilhéus. O aeroporto praticamente não recebe mais voos noturnos ou em dias chuvosos.

ESTADUALIZAÇÃO DO HBLEM

Hospital enfrenta sucateamento.

O governador deixou claro que depende apenas do prefeito Capitão Azevedo (DEM) a estadualização do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem). A unidade médico-hospitalar enfrenta a sua crise mais aguda.

Wagner credita à falta de gestão os problemas do hospital. “Nós dobramos o valor de recursos repassados, mandamos pra cá quatro caminhões de medicamentos, mas há uma dificuldade na gestão”. O Hblem é municipal.

Por fim, o governador disse acreditar na estadualização como saída para os problemas enfrentados pelo Hblem. “Estamos prontos para assumir a gestão do hospital”, assegurou.

CACHIMBO DA PAZ

Durante audiência na Sessão de Crimes de Menor Potencial Ofensivo (Secrimpo), ontem, o Ederivaldo Benedito e o diretor do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem), Antônio Costa, entraram em acordo e a queixas registradas contra o jornalista, por invasão do hospital e ameaça de morte, foram retiradas.

Bené e Costa foram ouvidos pela delegada Maria das Graças Valadares em depoimento que durou cerca de duas horas. De acordo com o jornalista, o assessor Antônio Geovanni Cerqueira teria sido o autor da queixa por ameaça de morte. “Não ameacei nem é do meu feitio ameaçar ninguém de morte”, observou Benedito.

Ainda na manhã de sexta-feira (20), a regional sul-baiana do Sinjorba havia emitido nota pública condenando tanto a proibição à reportagem da TVI, na segunda-feira (16), de produzir matéria sobre o sucateamento do Hblem como as queixas registradas na polícia civil por parte da direção do hospital, algo considerado uma tentativa de intimidação ao exercício do bom jornalismo.

PIMENTA DO DIA

Depois de ler essa matéria fiquei matutando as seguintes manchetes:

“Paciente picado por cobra no Hospital de Base em Itabuna permanece em estado grave”

“Leptospirose adquirida no hospital de Base manda 5 para UTI do Calixto”

Sou obrigado a sentenciar:

Vá matar o diabo !

Roberto Rabat, em comentário à nota DEPOIS DE EXPULSAR, DIREÇÃO DO HBLEM PRESTA QUEIXA CONTRA EQUIPE DA TVI

ESCONDENDO O JOGO

Adylson Machado | www.otrombone.com.br

Noticiam que – mais uma vez – o complexo hospitalar da Santa Casa ameaça suspender atendimento de pronto socorro se não atendidas suas reivindicações financeiras junto ao gestor público. Pronto socorro – não precisa muito explicar – é o mais imediato dos socorros de que depende a população.

Debruçamo-nos sobre o tema não somente pela temerária ameaça, quase um moto perpétuo nestes anos (inclusive consumada em tempos não tão distantes no Calixto Midlej), mas por ela esconder um jogo secreto não percebido pelo vil mortal: o que faz um pronto socorro funcionando, se – como buscam demonstrar – traria somente ônus?

Um dos mais competentes secretários de saúde do município de Itabuna que conhecemos, Dr. Paulo Bicalho, enfrentou com altivez e domínio técnico a ameaça da Santa Casa de cerrar as portas do pronto socorro do Calixto Midlej propondo-se a atender, de imediato, as reivindicações do hospital: a Prefeitura de Itabuna assumiria inteiramente o ônus do Pronto Socorro!

Para espanto, a aceitação pelo município foi recusada. Porque Dr. Bicalho só admitia a assunção se a triagem que ali se efetivasse fosse transferida para o Hospital de Base! Ou seja, a cirurgia, por exemplo, que decorresse de um atendimento no pronto socorro do Calixto seria realizada no HBLEM e não no próprio Calixto.

Não precisa dizer que a paz reinou e enquanto Dr. Bicalho foi Secretário de Saúde de Itabuna ninguém na Santa Casa mais falou ou ameaçou de fechar o pronto socorro.

Desdobrando e explicando: é através do pronto socorro que o profissional da Medicina percebe considerável parcela dos recursos dos procedimentos de média e alta complexidade.

Ou seja, a cirurgia decorrente do acidente de carro, moto, queda etc., assim como outros atendimentos mais complexos (cardíacos, renais, neurológicos etc.), ou mesmo um parto em caráter de urgência, está vinculada ao primeiro atendimento, prestado no pronto socorro, e se desdobra em trabalho para muitos: do médico cirurgião aos enfermeiros, passando pelo ortopedista, o anestesista, o cardiologista, o instrumentista etc. E, naturalmente, tudo remunerado pelo SUS.

Em suma, ainda que pareça grosseiro o exemplo, o pronto socorro é uma vitrine para a percepção de melhores remunerações por procedimentos que “rendem” mais.

Quanto ao que dissemos acima, de alguém estar escondendo o jogo – ainda que os recursos estatais para a saúde não sejam o “sonho” perfeito – que tal aproveitar o exemplo do Portal da Transparência do Governo Federal e abrir a caixa dos recursos do SUS recebidos pela Santa Casa e pagos aos seus profissionais?

Não há necessidade de citar pessoas. Basta o nome da atividade. Por exemplo: cirurgião 1, recebe X, cirurgião 2, Y, neurologista 1… e assim por diante. Muito válido, até porque os recursos sob comento são públicos e, portanto, do povo. Depois é só convocar o povo para ajudar a pressionar os Governos.

Adylson Machado é escritor, professor e advogado, autor de Amendoeiras de outono e O ABC do Cabôco, editados pela Via Litterarum.

AZEVEDO JÁ SABIA

Prefeito foi informado há um ano e meio sobre as "irregularidades"

As falcatruas que um grupo de delinquentes vinha praticando no Hospital de Base eram conhecidas pelo prefeito de Itabuna. Há pelo menos um ano e meio, um servidor procurou o prefeito e o informou, com detalhes, sobre tudo o que estava ocorrendo. As mesmas informações foram transmitidas ao presidente da Fasi (Fundação de Assistência à Saúde de Itabuna).

Não houve – como deveria – uma ação enérgica para apurar a roubalheira e ainda hoje Antônio Costa, da Fasi, fica cheio de reservas ao tratar do assunto. Azevedo, o prefeito, ainda não se manifestou.

O que se sabe é que quatro ocupantes de postos-chave no hospital foram afastados por 30 dias, em virtude da existência de “indícios de irregularidades”.

Infelizmente, as providências chegam quando o maior hospital do sul da Bahia já se encontra em adiantado estado de sucateamento e rapinagem, sem condições de prestar um atendimento decente a quem dele precisa.

O Base, atacado pelos gafanhotos do dinheiro público, está na UTI. Mas a “doença” é combatida sem o necessário sentido de urgência e até se comenta que os “vírus” são resistentes a qualquer tratamento.

O DESCASO DA PREFEITURA COM O HBLEM

Os problemas do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, em Itabuna, não se resumem às supostas irregularidades constatadas em sindicância realizada na instituição. A Prefeitura de Itabuna também vem dando sua parcela de contribuição para tornar o Hblem um caos.

Nesta quarta-feira, 11, o Sindicato dos Servidores do Município se reuniu com o presidente da Fundação de Assistência à Saúde de Itabuna (Fasi), Antônio Costa, que administra o hospital. E ele foi porta-voz de uma informação desanimadora: o governo municipal não vem cumprindo com os repasses necessários para manter os pagamentos dos funcionários em dia. As datas dos repasses foram estabelecidas em um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado entre Prefeitura, Sindicato e Ministério Público.

De acordo com nota do sindicato, os secretários da Fazenda, Carlos Burgos, e do Planejamento, Maurício Athayde, alegam não ter conhecimento do TAC.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia