WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia






secom bahia








maio 2019
D S T Q Q S S
« abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias






:: ‘índio’

COM DISTINÇÃO, ÍNDIO DE PAU BRASIL CONQUISTA TÍTULO DE MESTRE PELA UFBA

Primeiro pataxó do sul da Bahia a conquistar o título de mestre pela UFBA||Foto Arisson Marinho/CORREIO

De cocar, colar e de rosto pintado. Foi assim que Hemerson Pataxó, de 25 anos, se preparou para se tornar, nessa sexta-feira (3), o primeiro estudante indígena a conquistar o título de mestre pela Universidade Federal da Bahia (Ufba) em um curso das Ciências Exatas.

Nas palavras da dedicatória, que, emocionado, o novo mestre em química orgânica não conseguiu ler para sua plateia, a referência ao seu povo: os Pataxó Hã Hã Hãe: “Agradeço à minha família pelo incentivo, apoio e por sempre acreditar no sucesso de minhas escolhas e ao meu povo por lutar e resistir para que possamos escrever histórias como essa”.

A aldeia onde vive a tribo de Hemerson fica há nove horas de ônibus da capital. Para chegar até os Pataxó Hã Hã Hãe, é preciso ir de Salvador a Itabuna, de lá até Pau Brasil, o município mais próximo do povoado, e ainda percorrer um terceiro trecho até chegar ao povo pataxó.

Quando solicitado por um dos professores que avaliavam seu trabalho, Hemerson não conseguiu terminar a leitura do curto agradecimento. Ao lembrar da origem que carregava não só no sangue, mas nos símbolos que usava, as lágrimas e a emoção tomaram conta do pesquisador. Depois de quase duas horas de perguntas dos avaliadores, e já com o título garantido, Hemerson esclareceu seus motivos.

Hemerson saiu de lá com apenas 18 anos, quando foi aprovado no vestibular de química na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). Todo o estudo de ensino médio foi feito ainda na aldeia, e é este um dos motivos que levaram o estudante a escolher portar os símbolos da sua cultura ao defender sua tese de mestrado. LEIA MAIS.

EX-JOGADORES SE EMOCIONAM EM CAMPANHA DA LEIAUTE PARA “REESTREIA” DA FONTE NOVA

Arena fonte nova campanha publicitária“Deuses de carne e osso” indo às lágrimas e a alegria de um campeão brasileiro são dois dos “ingredientes” de uma campanha que mira o emocional para mostrar a gradiosidade de uma das praças da Copa das Confederações-2013 e da Copa 2014, a Arena Fonte Nova, reinaugurada no domingo, 7.

Os personagens da campanha são seis jogadores de Bahia e Vitória que deixaram suas marcas na Arena. Ricky, Beijoca, Raudinei, Índio, André Catimba e Zé Carlos aparecem em vídeo relembrando momentos na Fonte. E se emocionam ao conferir o novo estádio.

A concepção e execução do trabalho é da agência baiana Leiaute, que uniu em vídeos, spots, outdoors e fanpage “a emoção de vitórias, derrotas, alegrias e saudade”. Confira um dos vídeos da campanha que traz como personagens – além da Fonte – os jogadores Ricky, Beijoca, André Catimba, Zé Carlos, Índio e Raudinei.

 

Veja ficha técnica da campanha e todos os vídeos – incluindo making ofs – clicando no “leia mais”, abaixo.

:: LEIA MAIS »

ÍNDIO “INTERPELA” MINISTRO DO STF

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, havia aprovado o sistema de cotas nas universidades públicas até às 18h30min de hoje (26). Os ministros Ricardo Lewandowski, Luiz Fux, Rosa Maria Weber, Carmem Lúcia, Joaquim Barbosa e Cezar Peluso são favoráveis, o que significa a derrota do Democratas (DEM), autor da ação que questionava a medida.

Um episódio transmitido pelo TV Justiça chamou mais atenção do que a leitura dos votos dos ministros. Usando camisa do Vasco da Gama, o índio guarani Araju Sepeti estava sentado na primeira fila do plenário e cobrou do ministro Luiz Fux que, em seu voto, mencionasse também os índios. Fux discorria sobre a ausência de ministros afrodescendentes nos tribunais superiores quando foi interrompido: “tem que falar dos índios também”, afirmou o índio em voz alta.

Um homem – negro – que assistia ao julgamento tentou acalmá-lo, mas o índio atacou. “Não está satisfeito, volta para seu quilombo”, disse o índio, conforme relataram aos jornalistas pessoas que estavam próximas. O presidente do STF, Carlos Ayres Britto, interrompeu o julgamento por cinco minutos e ordenou que a segurança tirasse o índio do plenário.










WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia