• WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
    cenoe





    dezembro 2018
    D S T Q Q S S
    « nov    
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031  

    editorias






    :: ‘Israel Nunes’

    ILHÉUS SE DESPEDE DE ISRAEL NUNES

    Israel explica aliança do PCdoB com Jabes.

    O corpo do procurador federal e professor Israel Nunes está sendo velado na Loja Maçônica Vigilância e Resistência, na Avenida Itabuna, em Ilhéus. Israel faleceu na noite desta sexta-feira (1º), depois de lutar por muitos anos contra um tipo raro de cirrose hepática.

    Israel será sepultado logo mais, às 16 horas, no Cemitério da Vitória. O procurador, que durante algum tempo publicou artigos em um blog pessoal e teve vários textos divulgados aqui no PIMENTA, era conhecido pela defesa dos interesses coletivos.

    Em 2012, Israel Nunes teve seu nome cogitado para disputar a sucessão municipal em Ilhéus. No entanto, seu partido, o PCdoB, optou por apoiar a eleição do atual prefeito Jabes Ribeiro.

    Entre os muitos amigos de Israel Nunes, está o blogueiro Emílio Gusmão, que divulgou um último pedido feito a ele pelo procurador. Ao amigo, Israel, que era ateu, pediu que não fizessem manifestações religiosas em sua despedida.

    SEM AVENTURA

    Jabes Ribeiro e Israel Nunes selaram união em encontro no sábado.

    O procurador federal Israel Nunes (PCdoB) desistiu da disputa pela prefeitura de Ilhéus e declarou apoio à pré-candidatura de Jabes Ribeiro (PP).

    No final de semana, durante evento que contou com a participação dos capas-pretas do PP e do PCdoB na Bahia – lá estavam Mário Negromonte, Daniel Almeida e Davidson Magalhães, Israel assim se justificou quanto à escolha: “é o temor de que uma nova aventura política venha colocar Ilhéus mais uma vez em má-situação”.

    Para Jabes Ribeiro, a aliança com o PCdoB é “decisão histórica”. A aliança, aliás, foi costurada pelo presidente da Bahiagás, Davidson Magalhães, cunhado de Jabes.

    “QUEM NÃO CUMPRE ACORDO, NÃO TEM FUTURO NA POLÍTICA”

    Israel explica aliança do PCdoB com Jabes.

    O procurador federal Israel Nunes (PCdoB) disse que ainda não está definido se ele será o vice do prefeiturável Jabes Ribeiro (PP). Os dois partidos fecharam acordo no final da semana passada, num golpe quase mortal contra a Plenária Unificada, um arranjo de partidos do qual deveria sair uma chapa para disputar a Prefeitura de Ilhéus.

    Numa entrevista ao Cena Baiana, Israel Nunes diz que a posição de vice está em aberto para possibilitar a atração de novas legendas e das negociações em torno das coligações para a disputa de vagas na Câmara de Vereadores.

    “Respeitamos e cumprimos os acordos, assim como exigimos que os acordos sejam cumpridos. Em política, quem não cumpre acordo não tem futuro”, diz Israel. Confira a íntegra da entrevista.

    JABES, O PASTOR E O PROCURADOR

    Fontes próximas ao ex-prefeito Jabes Ribeiro afirmam que na cabeça do secretário-geral do PP baiano dois nomes são tidos como interessantes para a sua vice: o pastor Gilmar Bonfim (PV) e o procurador federal Israel Nunes (PCdoB).

    A preferência de Jabes é pelo pastor, mas uma composição com Israel Nunes ajudaria a “limpar” a barra do pepista, que é chamado pelos adversários de “ficha-suja”. A chapa já foi batizada pelos oposicionistas: “O procurado e o procurador”.

    SOBRE A GREVE DOS PROFESSORES

    Israel Nunes | professor.israelnunes@gmail.com

     

    O pronunciamento judicial nada diz em relação à legitimidade dos interesses defendidos pelos trabalhadores.

     

    Um meio muito comum ultimamente de tentar esgotar politicamente as lutas dos trabalhadores em prol de melhores condições de vida é a judicialização do conflito. Isso tem ocorrido com bancários, policiais militares, operários da construção civil e, recentemente, com os professores.

    Trabalhadores da iniciativa privada ou do setor público têm as suas reivindicações ocultadas por uma disputa judicial que desloca o centro do conflito das reivindicações objetivas para uma discussão sobre a legalidade ou não da greve, ou para ações em que se discute a posse, como no caso dos interditos proibitórios ajuizados na Justiça do Trabalho ou comum.

    Esta tática, de judicializar o conflito, além de tentar deslocar o cerne da questão, passa a ideia para a opinião pública de que as reivindicações serão apreciadas por um órgão “imparcial”: o Poder Judiciário.

    Ledo engano. O pronunciamento judicial nada diz em relação à legitimidade dos interesses defendidos pelos trabalhadores, mas sim, e de maneira duvidosa às vezes, sobre aspectos relativos à legitimidade das formas de luta. Ou seja: do ponto de vista do conteúdo, a discussão não será sepultada, embora do ponto de vista da forma a greve ou o piquete possam ser sepultados.

    E o aumento de cerca de 22% que os professores pretendem é absolutamente injusto. Porque é pouco.

    Muitos países com economia pífia diante da nossa têm níveis de escolaridade mais elevados do que o Brasil. Em muitas outras nações o professor é um profissional mais valorizado do que é no Brasil. É uma situação vergonhosa. É humilhante, melhor dizendo. Humilhante para os brasileiros, humilhante para o Brasil, humilhante para os professores.

    É, induvidosamente, uma necessidade inadiável vincular pelo menos 10% do PIB para a educação pública.

    A transformação social que os governos progressistas do ex-presidente Lula e da presidenta(e) Dilma tanto almejam passa, de maneira indiscutível, pela valorização dos profissionais da educação. No âmbito do Estado da Bahia, a coisa não é diferente, visto que temos um Governador de um partido ligado aos interesses dos trabalhadores.

    É uma questão do Estado Brasileiro e que deve ser tratada desse modo. A construção da cidadania e da noção de soberania popular, se é que ainda se pode falar de soberania no plano internacional, depende da construção de um povo educado, visto que a educação possui um caráter nitidamente emancipatório. O professor desempenha esse papel crucial. Com o perdão do exagero: se o matarmos de fome, a quem recorreremos?

    Ao Poder Judiciário? Talvez, para declarar a ilegalidade da morte por inanição, quem sabe…

    Devemos ser razoáveis e aproveitar a oportunidade para corrigir logo esse erro histórico, concedendo de imediato 22% aos professores estaduais e destinando 10% do PIB nacional para a educação.

    Israel Nunes é professor e procurador federal.

    PIRIPAQUE NA HORA DO CLIQUE

    Israel Nunes: Jabes, tô fora!

    Aliados do ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro (PP), tentam promover uma aproximação entre ele e o procurador federal e professor Israel Nunes, que pretende concorrer à prefeitura ilheense pelo PCdoB. Um encontro entre os dois foi promovido no sábado, 4, em um restaurante da zona sul da cidade, mas, se os jabistas pensavam em concretizar um namoro, a verdade é que não houve clima.

    Jabes chegou primeiro ao restaurante e teve que esperar muito pelo procurador, que se atrasou. Quando apareceu, visivelmente nervoso e pouco à vontade, Israel tentava parecer natural, mas estava difícil.

    O advogado Carlos Pereira, jabista das antigas, procurou acomodar o procurador em um lugar ao lado do pepista, mas, quando ia bater uma foto, o procurador não aguentou. Teve um mal-estar e precisou sair às pressas do restaurante, com sintomas de queda de pressão arterial, o que foi confirmado no atendimento que recebeu logo em seguida fora dali.

    A explicação para a hipersensibilidade a Jabes estaria ligada aos tempos em que Israel Nunes militou no movimento estudantil na Uesc, à esquerda, e combatia o político que hoje é do PP, mas na época era do PFL de ACM. Incompatibilidade total!

    O BRUXO DAS FRENTES

    Do Blog do Gusmão

    Israel Nunes | professor.israelnunes@gmail.com

     

    Uma coisa aprendi: tem doido demais na política, mas o número de ambiciosos é insuperável.

     

    Quando o ano acabar, se acabar, a única certeza que tenho é a de que em 2013 escreverei outro livro. Dessa feita, não será um livro técnico. Pelo menos não no sentido que habitualmente se atribui ao termo “técnico”. Será um livro de crônicas políticas, especialmente das crônicas políticas de Ilhéus.

    Mas não todas elas. Só as narradas a mim por um recente amigo, José Henrique Abobreira, que conheci por intermédio do blogueiro Emílio Gusmão. A amizade com Emílio Gusmão nunca me rendeu um centavo. Em contrapartida, me trouxe grandes riquezas. José Henrique Abobreira é uma delas.

    Abobreira é uma daquelas pessoas a quem podemos chamar de bruxo. Penso que essa alcunha de feiticeiro quem lhe deu foi Gusmão. Ou Carlos Pereira, outro amigo. Não sei ao certo. Mas, voltemos a Abobreira.

    É um bruxo este homem. Com seu falar e suas ideias, põe encantos e feitiços nas mentes. Isso porque sabe ler os corações. Anima-nos quando esmorecemos, sabe tocar nos egos e mexer nos brios de modo a influenciar as ações daqueles que estão à sua volta. E recentemente descobri que com alguns abracadabras, cura até pressão baixa.

    Contou-me Abobreira que, quando era vice-prefeito e Secretário Municipal, um cidadão, certamente ensandecido, comparecia diuturnamente à sua Secretaria, pleiteando uma verba de cinco mil reais para pôr em andamento uma ideia mirífica.

    O doidivanas sustentava, com veemência mas apenas murmurando para o Secretário, temendo ser ouvido por outro de igual matriz psiquiátrica, que tinha descoberto um modo de fabricar ouro. Isso mesmo, um jeito de fabricar o metal do rei Salomão.

    :: LEIA MAIS »

    “MAMÃE, NÃO QUERO…”

    Israel Nunes: "eu não sou besta pra tirar onda de heroi"

    Comunistas ilheenses estão alvoroçados com uma possível pré-candidatura do procurador federal e professor Israel Nunes, que seria opção do PCdoB para a sucessão municipal.

    No Blog do Gusmão, noticia-se que Nunes seria apresentado pelo partido como um postulante a vice em alguma chapa de esquerda. Já um cururu ouvido pelo PIMENTA pondera que ninguém é lançado a vice e o nome do procurador entra no jogo mesmo para disputar uma cabeça de chapa.

    Ocorre que, no seu próprio blog (aliás, uma excelente fonte de denúncias contra desmandos administrativos), Israel Nunes postou o clipe da música “Cowboy fora da lei”, antigo sucesso de Raul Seixas, que já começa dizendo “Mamãe não quero ser prefeito…”.

    O título da postagem é “Para bom entendedor, meia palavra basta”.

    LAMENTÁVEL

    Israel Nunes | professorisraelnunes@gmail.com

    É lamentável o estado de coisas a que chegou o Município de Ilhéus. Há alguns dias atrás, publiquei um editorial aqui comentando exatamente essa questão.

    E, quando pensamos que mais nada é possível, a criatividade dos representantes populares nos brinda com mais uma surpresa. A suposta maracutaia anunciada por jornais e reproduzida em blogs, que envolve uma tenebrosa teoria conspiratória, em que mensagens cifradas teriam sido publicadas em jornais da região anunciando previamente os ganhadores de licitações na Câmara Municipal.

    Nem bem concluiu-se uma reforma na Câmara, outra parece já estar em curso. Ou a reforma anterior foi inútil, o que demonstra incompetência de quem a planejou, ou a atual está sendo realizada para beneficiar alguém. Decidam-se.

    Nas ruas, alguns dizem: “só jogando uma bomba mesmo e começando tudo do zero…”
    Concordo com o povo nesse particular. Mas que bomba seria? Formada de explosivos ou uma bomba metafórica, que simbolizasse a insatisfação geral com a Câmara Municipal e o Poder Executivo? E olha que a bomba real não seria ruim de todo, porque nos pouparia o trabalho de convencimento da população a respeito da perniciosidade dos distintos senhores que se aboletaram no Poder Político Municipal.

    Mas o que está de acordo com o Estado Democrático de Direito é a bomba simbólica, metafórica.

    Rousseau, em seu livro o “Contrato Social”, defende que a sociedade inteira faça um grande Pacto, uma Convenção Social que refunde todo o sistema, que na visão dele estaria já corrompido irremediavelmente. E olha que esse filósofo escreveu o “Contrato Social” no século XVIII.

    Proponho eu também que a sociedade ilheense faça um grande Pacto Social, que seria exatamente essa bomba metafórica: em 2012, vamos trocar todos eles! Sim, isso mesmo!

    Não temos nenhuma garantia de que os novos serão melhores, mas teremos a garantia de que não serão os mesmos!

    Vamos jogar essa bomba sobre o Poder Legislativo e Executivo e expulsar a todos, dar-lhes um pé naquele lugar, recomeçando do zero. No mínimo, os próximos teriam medo do poder do povo, do poder do voto, e o desrespeito não seria tão escancarado, tão vergonhoso como tem se apresentado.

    Como efeito colateral, alguns poucos bons representantes seriam punidos eleitoralmente, mas é o preço que se paga pela omissão e por uma catarse no jogo político ilheense. Bomba é assim: ou se inicia tudo do zero ou os vícios continuam.
    Bom. Isso é só um desabafo de um cidadão pelo escárnio que os representantes populares têm praticado com os recursos públicos em Ilhéus.

    Não tem outro nome para isso tudo: é sem-vergonhice pura!!

    Israel Nunes é procurador federal e professor.

    PROCURADOR VOLTA À BLOGOSFERA

    O procurador federal Israel Nunes não aguentou a abstinência do “bom vício”. Hoje, anunciou o seu retorno à blogosfera. “O site volta com a mesma cara e princípios motivadores, de espaço democrático e de transparência dos negócios públicos”.

    Ele promete manter a divulgação de dados, matérias e informações sobre as finanças públicas. Israel gerou muita polêmica ao denunciar desmandos na gestão ilheense e flagar “malfeitos” de secretários, como o titular da Fazenda, Jorge Bahia.

    OS BENS (DECLARADOS) DE CADA UM

    O blog do procurador federal Israel Nunes traz um serviço de grande valia para os nobres eleitores do eixo Ilhéus-Itabuna. Diariamente, e a conta-gotas, Israel revela a declaração de bens feita por prefeitos e vereadores do trecho que tomaram posse em 1º de janeiro de 2009.

    Por lá (clique aqui para acessá-lo), pode-se encontrar algumas pérolas.

    POESIA E CAOS (EM ILHÉUS)

    A situação político-administrativa de Ilhéus andou despertando o lado literário de blogueiros da terrinha. Veja esta:

    Ilhéus locomotiva
    Sem pista
    Sem maquinista
    Nau à deriva…
    …os que ficam em cima
    Estão cheios de treitas
    Terra onde sobeja lima
    Terra onde sobeja freitas
    …qual vagão desgovernado

    Confira o final no blog de Israel.






    WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia