WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
alba


jamile_yamaha

sintesi17

novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

editorias


:: ‘Itaju do Colônia’

ROSEMBERG APONTA SUCESSO DA SSP-BA EM DESOCUPAÇÃO DE FAZENDAS NO MÉDIO SUDOESTE

Rosemberg (à direita) aponta sucesso em operação da SSP no médio sudoeste da Bahia

Rosemberg (à direita) aponta sucesso em operação da SSP no médio sudoeste da Bahia

A operação da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) para desocupação de mais de dez fazendas invadidas, no último domingo (1º), no médio sudoeste baiano, sem registro de violência, foi elogiada pelo deputado estadual Rosemberg Pinto (PT). Invasões ocorreram em propriedades localizadas nos municípios de Itapetinga, Itororó e Itaju do Colônia.

Rosemberg manteve audiência com o titular da SSP-BA, Maurício Barbosa, nesta quarta (4), no Centro Administrativo da Bahia (CAB). “Quero agradecer e parabenizar o secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa, pela presteza nas ações de pacificação na região, sem nenhum registro de violência, o que é mais importante”, disse o deputado.

A desocupação das propriedades foi executada por força-tarefa da SSP-BA, com efetivo das polícias Militar e Civil. Também participaram da audiência, hoje, os parlamentares Luiz Augusto (PP), Eduardo Salles (PP) e Pedro Tavares (PMDB).

Policiais civis e militares negociaram saída de invasores

Policiais civis e militares negociaram saída de invasores

TRIBUNAL FEDERAL SUSPENDE REINTEGRAÇÃO DE POSSE DE ÁREA EM ITAJU DO COLÔNIA

Moradores não índios protestaram cobrando solução.

No ano passado, moradores não índios protestaram cobrando solução para o impasse.

O Tribunal Regional Federal da Primeira Região, em Brasília (TRF1), suspendeu a reintegração de posse numa área considerada Terra Indígena (TI) Caramuru-Catarina Paraguassu, em Itaju do Colônia. A determinação para que os Pataxós Hã-Hã-Hãe deixassem o local havia sido tomada pela Justiça Federal de Itabuna, que validou ação movida pela Prefeitura de Itaju.

Ma ação, a prefeitura defendeu que outros moradores não índios ficassem nos imóveis situados numa área urbana conhecida como Parque dos Rios. Mas, a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS), alega que o Parque dos Rios fica dentro da terra indígena.

De acordo com a SJDHDS, além do risco de agravamento do quadro de violência em uma região marcada por conflitos, a sentença do TRF1 observou que a Comissão Permanente de Análise de Benfeitorias comprovou a ocupação tradicional indígena na localidade.  A secretaria informou que o processo de regularização fundiária está em curso e, inclusive, mais de 330 ocupações não-indígenas (referentes aos proprietários de imóveis) já foram indenizadas.

DEMARCAÇÃO COMO RESERVA

Em 2012, o Supremo Tribunal Federal (STF) já havia reconhecido a legitimidade das terras Caramuru-Catarina Paraguassu enquanto Reserva Indígena, tendo julgado, parcialmente procedente, a Ação Cível Originária, de autoria da Funai (Fundação Nacional do Índio), que discutia a anulação de títulos de propriedade localizadas na área.

A SJDHDS informou que as “terras já haviam sido demarcadas como Reserva desde 1938 – à época, pelo Serviço de Proteção aos Índios, depois sucedida pela Funai -, entretanto, o processo ainda aguarda homologação”. No ano passado, moradores não índios protestaram contra a ocupação da área.

POLÍCIA PRENDE HOMEM QUE INCENDIOU CASA E TENTOU MATAR EX-MULHER EM ITAJU

Polícia prende homem que incendiou casa de ex-mulher || Foto Polícia Civil

Polícia prende homem que incendiou casa de ex-mulher || Foto Polícia Civil

Policiais militares e civis prenderam na noite de segunda-feira (7), no centro de Itaju do Colônia, o vaqueiro Neilton Paixão dos Santos, o “Quirica”, de 40 anos, que estava foragido desde o dia 17 de julho, quando incendiou a casa da ex-companheira, Nívea Rocha Silva. O homem também é acusado de tentar assassinar a ex-mulher.

O delegado de Itaju do Colônia, Miguel Cicerelli, afirmou ao PIMENTA que, mesmo separado da vítima há cinco anos, o acusado ainda não se conformou e, no mês passado, tentou assassinar a ex-companheira. “Quirica” não conseguiu esfaquear Nívea Rocha por causa da intervenção de vizinhos. Ele cumpre prisão preventiva.

O suspeito e a vítima tiveram um relacionamento de 8 anos e têm dois filhos. A mulher já convive com outra pessoa em Itaju do Colônia. O delegado Miguel Cicerelli disse que, caso seja condenado, o acusado pegará de 12 a 30 anos de prisão. Por enquanto, “Quirica” foi indiciado por violência doméstica e tentativa de feminicídio, quando o crime é praticado contra pessoa do sexo feminino.

SECA AFETA VIDA PATAXÓ E INDÍGENAS BUSCAM APOIO DO SETAF

Indígenas discutem soluções com coordenador do Setaf, Marco Souza (Foto Divulgação).

Indígenas discutem soluções com coordenador do Setaf, Marco Souza (Foto Divulgação).

Viviane Cabral

Durante reunião, nesta sexta-feira (18), com o coordenador regional do Serviço Territorial de Apoio à Agricultura Familiar (Setaf/Litoral Sul), Marcos Souza, indígenas da tribo Pataxó Hã-Hã-Hãe, da Aldeia Bahetá, em Itajú do Colônia, apresentaram as demandas para a regularização do sistema de abastecimento de água na região. A tribo também busca melhorias na infraestrutura para o escoamento da produção, investimentos na agricultura familiar e a renegociação da dívida com o Banco do Brasil.

O presidente da Cooperativa Mista de Produtores Rurais e Indígenas, Edson Santana, “Son Pataxó”, revelou que foram contraídos mais de R$ 5 milhões em empréstimos com o Banco do Brasil e 99 % desse recurso foi utilizado para a compra de gado de leite. No entanto, com a crise nacional e a grave estiagem dos últimos meses, o gado está cada dia mais magro e de difícil comercialização para conseguir honrar com as parcelas do financiamento.

– A nossa preocupação é que estão vencendo as parcelas do Pronaf no momento da estiagem e de crise financeira no país. A nossa preocupação é que a inadimplência não venha crescer, e que os bancos nos dê mais um prazo para que a gente tome um fôlego para, lá na frente, pagar e não voltar para a linha da miséria” – revelou Son.

Outra demanda solicitada pelo grupo é verificar com o banco a possibilidade de liberar recursos para o manejo de pastagem e a melhoria de aguada em Itaju do Colônia.

:: LEIA MAIS »

EX-PREFEITO DE ITAJU É CONDENADO

Edivaldo ItajuA juíza federal Maízia Carvalho Pamponet condenou o ex-prefeito de Itaju do Colônia, Edivaldo Souza Lima, o Galego (DEM), por não prestar contas de verbas do Fundeb, à suspensão dos direitos políticos por 4 anos. Ele também vai pagar multa que equivale a quatro vezes a remuneração que percebia como prefeito na época das irregularidades em valores corrigidos.

A decisão foi baseada em processo do Ministério Público Federal. Segundo o MPF, em 2008 o então prefeito de Itaju do Colônia recebeu R$ 429 mil para custeio da educação, mas deixou de prestar contas sobre o destino de parte dos recursos, repassados pelo Ministério da Educação.

A denúncia foi feita à Justiça Federal em Itabuna depois da conclusão de um relatório do Tribunal de Contas dos Municípios. Edivaldo Souza foi intimado pelo TCM, mas não provou a correta aplicação do dinheiro. Informações d´A Região.

ASSOCIAÇÃO ALERTA PARA INVASÕES EM ÁREA DA BARRAGEM DO COLÔNIA

Elder Fontes e Edimar Margotto fazem alerta contra invasões.

Elder Fontes e Edimar Margotto fazem alerta contra invasões.

A Associação dos Agropecuaristas do Sul da Bahia (Adasb) lançou alerta para invasões que começam a ocorrer na área desapropriada para construção da Barragem do Rio Colônia, em Itapé. Nesta semana, uma propriedade que está situada no perímetro da obra foi invadida por integrantes de Movimentos Sociais.

A invasão ocorreu em uma área de 300 hetcares da Fazenda Canaã, em Itapé, do agropecuarista João Sobral. “Preocupada com a situação a Adasb traz a público esta notícia e ao mesmo tempo informa que tomará as devidas providências, cobrando do Poder Público que adote as medidas cabíveis que possam resguardar a obra”, frisou o presidente da associação, Elder Fontes.

Cerca de 50 pessoas já começaram a montar acampamento no local, mas ainda não apresentaram reivindicações. “Outros fazendeiros também estão inseguros. Eles temem que o movimento avance de tal modo para outras propriedades e atrapalhe a retomada das obras assim que o Governo do Estado resolver pendências de licitação que provocaram a paralisação”, completou o vice-presidente da Adasb, Edimar Margotto Jr.

A Adasb lembra que a referida invasão atinge não somente os proprietários das fazendas, mas a população regional como um todo, pois a barragem é reivindicação antiga de toda região e deve solucionar o problema de escassez de água em Itabuna. A barragem, quando pronta, deve regular a vazão dos rios Colônia, Salgado e Cachoeira durante todo o ano.

Ela é considerada a solução para o abastecimento de água em Itabuna e para a perenização do rio Cachoeira. Tem investimentos provenientes de recursos federais e do Governo do Estado e ocupará uma área de 1.621 hectares, com capacidade para armazenar 62 milhões de metros cúbicos de água, garantindo uma vazão de 1.400 litros por segundo.

JUSTIÇA FEDERAL BLOQUEIA BENS DE PREFEITO DE ITAJU

Padre Ednaldo foto O TempoA juíza da 1ª Vara da Justiça Federal, em Itabuna, Maízia Carvalho Pamponet, concedeu liminar bloqueando os bens do prefeito de Itaju do Colônia, Edinaldo Martins dos Santos (Padre Ednaldo), até o limite de R$ 302.941.

A decisão da juíza Maízia Carvalho foi com base em denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal, que constatou irregularidades com dinheiro repassado para a construção de banheiros no município.

De acordo com o Ministério Público, o prefeito transferiu, em fevereiro de 2012, R$ 335.436 para a empresa Superpesado Terraplanagem e Construções. Mas em novembro somente 8 banheiros tinham sido construídos.

A empresa venceu licitação para a construção de 241 banheiros em imóveis de famílias carentes. O valor global do contrato foi de R$ 876 mil. O empresário Carlos Jorge Quintino também teve os bens bloqueados. Informações d´A Região.

PÃOZINHO DE OURO…

Extrato de contrato revela o quanto prefeitura pode gastar por um pãozinho de queijo.

Extrato de contrato revela o quanto prefeitura pode gastar por um pãozinho de queijo.

A Prefeitura de Itaju do Colônia parece não ter sentido os reflexos da crise financeira que abala a maioria das administrações municipais no País. Pelo menos, a julgar pelo que é publicado no Diário Oficial eletrônico de lá.

Deu-se que em 15 de dezembro o município assinou contrato em que se compromete a pagar R$ 4.750,00 por 400 pãezinhos de queijo. Ou seja, cada pãozinho sai por R$ 11,87. No mercado, a unidade custa, na média, R$ 0,75.

Ainda de acordo com o contrato 361/2014, os pães seriam destinados a um projeto de leitura do Centro Educacional de Palmira, distrito de Itaju.

Edinaldo Martins, prefeito do pequeno município sul-baiano, consegue, assim, inverter o milagre da multiplicação dos pães…

SECRETÁRIO REBATE NOTA DA ADASB E DIZ QUE PRODUTOR NÃO QUIS DIÁLOGO

O secretário de Finanças de Itaju do Colônia, Raimundo Pereira Silva, disse que o produtor Geraldo Pinto Correa induziu a Associação dos Agropecuaristas do Sul da Bahia (Adasb) a assinar uma nota “que não se lastreia na verdade dos fatos”.  Segundo Pereira, foi o produtor quem não aceitou dialogar com o município.

Geraldo Correa teve cerca de um hectare da Fazenda Santa Rita desapropriado para a construção de casas populares. O prefeito Parte Ednaldo determinou que o secretário de Finanças conversasse com o agricultor. Pereira não obteve êxito, pois o produtor rural estava no Rio de Janeiro e entraria em contato quando retornasse, o que, conforme o representante do município, não ocorreu.

A versão de Raimundo é que Padre Ednaldo determinou que as negociações, então, seriam conduzidas pelo procurador-geral do Município, Wanderley Porto, mas o produtor se recusou a negociar e colocou um advogado como seu representante.

– Frustrando-se todas as tentativas de interlocução, restou ao prefeito, tão somente, recorrer ao poder judiciário, como autorizam a Constituição e o decreto-lei no 3365/1940 – esclarece.

PREFEITO DE ITAJU ACUSADO DE INTOLERÂNCIA

Padre Ednaldo foto O TempoA desapropriação de parte de uma fazenda em Itaju do Colônia fez com que o prefeito Padre Ednaldo atraísse a ira de agropecuaristas. A propriedade em questão é a Fazenda Santa Rita, do produtor Geraldo Pinto Correa.

Padre Ednaldo é acusado de agir sem um pingo de misericórdia: desapropriou parte da fazenda sem dialogar com o dono da fazenda e pagou preço irrisório pelo pedaço de terra.

A Associação dos Agropecuaristas do Sul da Bahia (Adasb) emitiu nota em que critica a posição do prefeito de Itaju, que teria se negado – por várias vezes – a receber o produtor rural. Agiu, segundo a entidade, de forma intolerante.

A nota sugere que o prefeito desconhece a história do município e “o quanto o agronegócio já contribuiu e continua a cooperar para o desenvolvimento de Itajú do Colônia”. Confira a íntegra da nota clicando em “leia mais”.

:: LEIA MAIS »

MORRE GERSON VARJÃO, EX-PREFEITO DE ITAJU

Gerson Varjão foi prefeito de Itaju por dois mandatos

Gerson Varjão foi prefeito de Itaju por dois mandatos

O produtor rural Gerson Varjão, ex-prefeito de Itaju do Colônia, faleceu às 4h40min desta segunda-feira (31) em Itabuna, no Hospital Calixto Midlej Filho. Ele estava internado há cinco meses na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), após sofrer uma Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Varjão tinha 71 anos de idade, foi vereador por uma vez e prefeito de Itaju do Colônia, no Sul da Bahia, por duas ocasiões, sendo a última no período de 1997 a 2000.

O velório será no SAF, na Avenida Juca Leão, em frente ao Grapiúna Tênis Clube, em Itabuna, onde vive a maior parte da família, segundo explicou o sobrinho e afilhado Elinho Almeida, que é vereador de Buerarema.

O enterro será amanhã, às 10h, no Cemitério Campo Santo, onde também foi enterrado o pai de Varjão. O ex-prefeito deixa esposa, Zélia Lacerda, e quatro filhos: Ana Paula Varjão, Ana Carla, Gerson Filho e Jefferson.

INDENIZAÇÕES A CONTA-GOTAS

Augusto cobra agilidade nas indenizações.

Augusto cobra agilidade nas indenizações.

O governo estadual pagou, no máximo, 10% do valor das indenizações por desapropriação de terras na área da Barragem do Colônia, em Itapé, segundo denúncia do deputado estadual Augusto Castro (PSDB). O parlamentar cobrou do governo mais celeridade nos pagamentos. A obra é essencial para o abastecimento de água em Itabuna.

Castro disse que o atraso nas indenizações estão resultando em desemprego na região de Itapé, pois os produtores estão sem terras e recursos “para investir em nova área”.

Para o deputado, não deveria haver atraso nas indenizações. “Se os recursos já estava previstos no PAC, é fundamental que seja efetivadas para garantir a manutenção e a abertura de novos empregos”.

A obra começou em fevereiro e tem custo previsto de R$ 70,9 milhões. A área afetada pela barragem é de 1.621 hectares e envolve os municípos de Itapé e Itaju do Colônia. A previsão é de que a barragem fique pronta até setembro do próximo ano.

Quando estiver em pleno funcionamento, a barragem vai armazenar até 62 milhões de litros de água e garantir vazão de 1,4 mil litros à rede de abastecimento em Itabuna.

ITABUNA: DEFINIDA EMPRESA QUE CONSTRUIRÁ BARRAGEM DO COLÔNIA

Barragem é apontada, tecnicamente, como solução para Itabuna.

Apontada como solução para o abastecimento de água em Itabuna, a obra da Barragem do Rio Colônia, em Itapé, já tem empresa definida. A Construtora Andrade Galvão venceu o processo licitatório para construção da obra orçada em R$ 70,9 milhões. O prazo máximo de conclusão da obra é de 18 meses. Ainda cabe recurso à definição do nome da empresa.

A barragem é sonho dos itabunenses e, segundo estudos técnicos, aumentará a vazão do sistema de água no município de pouco mais de 800 para 1.405 mil litros por segundo. A obra dos governos da Bahia e Federal deve começar no início do primeiro semestre de 2013.

A área a ser alagada com a construção da barragem é de 1.621 hectares, compreendendo os municípios de Itapé e Itaju do Colônia. A estrutura para represamento d´água terá altura de 19 metros e armazenamento de até 62 milhões de metros cúbicos, conforme projeto apresentado pelo Governo do Estado.

LIMINAR DEIXA FICHA DE PREFEITO LIMPA

Liminar do juiz Marley Cunha Medeiros, da Vara da Fazenda Pública de Itororó, suspendeu os efeitos do Decreto da Câmara Municipal que tornava ficha-suja o prefeito de Itaju do Colônia, Padre Ednaldo Martins (PT). Os vereadores haviam rejeitado as contas do gestor relativas ao exercício de 2010, apesar de parecer favorável no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

A decisão judicial preserva o direito de o prefeito concorrer à reeleição em outubro desse ano. Para o advogado Wanderley Porto, a decisão da Câmara de Vereadores violou princípios constitucionais do devido processo legal e da ampla defesa, resultando na ilegalidade do decreto reconhecida pelo Judiciário. “A Câmara não assegurou ao prefeito o direito de se defender no processo legislativo que culminou com a rejeição de suas contas”, explica.

CAMACAN: FORÇA-TAREFA DISCUTE A SEGURANÇA NA ÁREA DA RESERVA PATAXÓ

Delegado regional Moisés Damasceno, o major Rodrigues Castro e a delegada da PF, Denise Dias.

Representantes da força-tarefa integrada pelas polícias militar, civil e federal, além da Força Nacional de Segurança, se reuniram ao final da manhã desta quinta, 3, em Camacan, para discutir plano de ação na área de 54 mil hectares disputada por fazendeiros e pataxós. A reserva Catarina Caramuru-Paraguassu se estende pelos municípios de Pau Brasil, Camacan e Itaju do Colônia, no sul da Bahia.

As autoridades em segurança decidiram pela realização de reuniões constantes para avaliar as estratégias de segurança na área de litígio. A tensão permanece na região após a sessão de ontem no Supremo Tribunal Federal (STF), quando os ministros decidiram que os 54 mil hectares são reserva indígena.

Pataxós na área de litígio (Foto Oziel Aragão/Agora na Rede).

A segurança na região foi reforçada pelas polícias civil, militar e federal, que também receberam reforço com a chegada de aproximadamente 87 homens da Força Nacional de Segurança. A Polícia Civil deslocou para área homens do Comando de Operações Especiais (COE).

A reunião de hoje da força-tarefa teve a presença dos delegados Moisés Damasceno (Polícia Civil) e Denise Dias (Polícia Federal), o comandante da 69ª Companhia da PM em Camacan, major Rodrigues Castro, e o comandante da tropa da Força Nacional de Segurança, capitão Márcio Rogério.

O NETO, O AVÔ E OS PATAXÓS

Bombou no Facebook:

STF JULGA EM MAIO DISPUTA DE TERRAS ENTRE FAZENDEIROS E PATAXÓS, DIZ PRESIDENTE DA FUNAI

Nova presidente da Funai, Marta Maria, ao lado de indígenas (Foto José Cruz/ABr).

A nova presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Marta Maria do Amaral, afirmou que o Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para dia 9 de maio o julgamento de ação que envolve índios pataxós e fazendeiros no Sul da Bahia. A antropóloga é a primeira mulher a assumir o comando da Funai e tomou posse nesta quinta-feira, 26.

A nova presidente assume dias após serem registrados dois homicídios na região de Pau Brasil. Os pataxós reivindicam a posse de 54 mil hectares de terras numa área que envolve os municípios de Pau Brasil, Camacan e Itaju do Colônia. O último assassinato ocorreu na sexta, 20, quando o segurança Júlio Passos, de Itabuna, foi morto com um tiro na nuca.

Desde o início do ano, 72 fazendas foram ocupadas por índios pataxós nos três municípios. Os maiores focos das ocupações foram Pau Brasil e Itaju do Colônia. A tensão diminuiu no início desta semana com o reforço policial na região. Agentes e delegados da PF de várias partes da Bahia foram mobilizados para ações na região invadida.

PRIORIDADES

Embora tenha dito não ter conhecimento total sobre o assunto, a presidente disse que a Funai trabalha e vai continuar trabalhando ao lado da Polícia Federal e do governo baiano para preservar a segurança nas fazendas da região em conflito. A prioridade de sua gestão, afirmou, será a valorização da qualidade de vida das mulheres indígenas.

PF REFORÇA PRESENÇA NO SUL DA BAHIA

Tropas do Comando de Operações Táticas da Polícia Federal foram enviadas para as regiões de conflito entre índios e fazendeiros no sul da Bahia. De acordo com o delegado Rodrigo Reis, da PF, 30 homens das forças especiais da corporação foram convocados para avaliar a atual situação das terras invadidas.

Nas vistorias será considerada a necessidade de mais reforços para pacificar a região. Os policiais devem calcular o total de áreas tomadas, a quantidade de homens que participam das ocupações e identificar os principais envolvidos. Entre os crimes que a polícia irá apurar, estão posse ilegal de armas e formação de quadrilha.

Nas ocupações recentes de 74 fazendas nos municípios de Pau Brasil, Camacan e Itaju do Colônia, índios teriam contado com suporte de grupos armados e feito reféns, além da expulsão de fazendeiros e empregados.

“OCUPAÇÃO DE FAZENDAS NO SUL DA BAHIA É ESTRATÉGICA”, DIZ FUNAI

Populares fazem barricada em estrada de acesso a aldeia pataxó (Foto Alef Filho).

A Diretoria de Proteção Territorial da Fundação Nacional do Índio (Funai) divulgou Nota, na tarde de terça-feira, 17, relativa ao conflito envolvendo fazendeiros e posseiros na denominada terra indígena Caramuru/Paraguassu, no Sul da Bahia, que abrange os municípios de Camacan, Itaju do Colônia e Pau Brasil. Na Nota afirma ser a ocupação “estratégia de garantia de posse sobre seu território tradicional e frente à espera de julgamento pelo STF da ação proposta ainda em 1982”.

Além de informar que os primeiros registros sobre os Pataxó na região remontam a 1651, o que para a Funai não deixa dúvida sobre a presença histórica do grupo indígena na localidade, a Nota diz que processos de arrendamento de áreas para plantio de cacau se iniciaram nos anos 40 no contexto da expansão da ocupação de terras.

E enfatiza: “Em 1976 o governo do estado da Bahia expediu títulos de posse para diversos arrendatários da terra indígena Caramuru/Paraguassu, que resultou num processo de esbulho das terras indígenas, com registros de violência que marcaram a região com grandes conflitos agrários”.

A Funai também reafirma o direito de povos indígenas sobre suas terras tradicionais, reconhecido na Constituição Federal de 1988, sendo esses direitos originários, inalienáveis e imprescritíveis. “Além disso, nossa carta magna prevê que as terras tradicionalmente ocupadas pelos índios destinam-se à sua posse permanente, cabendo-lhes o usufruto exclusivo de suas riquezas do solo, rios e lagos existentes, entendidos como imprescindíveis para sua reprodução física e cultural”.

:: LEIA MAIS »

MARCHA PELA PAZ EM ITAJU DO COLÔNIA

Diante do recrudescimento dos conflitos entre índios pataxós hã-hã-hãe e fazendeiros nas últimas semanas, familiares das vítimas do confronto e demais representantes da sociedade civil de Itaju do Colônia realizarão nesta quarta, dia 18, a partir das 8h30min, a Marcha pela Paz, que percorrerá as principais ruas da cidade e se concentrará  na Praça Santo Antônio, no centro cidade. O município é o centro de conflito de terras com várias mortes.

Há uma semana um atentado matou Ana Maria Santos Oliveira, com um tiro no rosto, e feriu no braço a irmã dela, Odília Santos Oliveira, na Fazenda Vitória, nas proximidades da zona urbana de Itaju. Na ocasião, os índios pataxós foram acusados, mas depois o delegado federal Fábio Marques negou o fato e o incêndio criminoso na sede da propriedade, tendo apontado seguranças do imóvel como responsáveis.

O que a Polícia Federal apurou coincide com as pistas levantadas pela Polícia Civil teria dito à imprensa o delegado local Francesco Denis Santana, da Polícia Civil baiana. Depois desses incidentes, o clima continua tenso em Itaju do Colônia e a violência entre pataxós e fazendeiros chegou em Pau Brasil que junto com Camacan concentra os 36 mil hectares reivindicados pelos indígenas como área de proteção em que viviam seus ancestrais.

alba



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia