WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia






secom bahia








maio 2019
D S T Q Q S S
« abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias






:: ‘Jabes’

DEPOIS DA GUERRA VERBAL, A RECONCILIAÇÃO

Jabes, o secretário Vilas-Boas e o deputado Eduardo Salles

O ex-prefeito Jabes Ribeiro se reuniu, ontem (21), com o secretário Estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, em Salvador. O encontro foi uma espécie de reconciliação.  Jabes e Vilas-Boas travavam guerras verbais publicamente, enquanto o ex-prefeito estava no poder em Ilhéus.

Por meio de sua assessoria, Jabes diz ter apresentado sugestões de ajustes para tornar o acesso ao Hospital da Costa do Cacau mais ágil, além de manutenção do apoio da Sesab às Santas Casas de Misericórdia de Ilhéus e de Itabuna. “A experiência e visão políticas de Jabes serão muito úteis na condução desse processo de reestruturação da Saúde de Ilhéus”, teria dito Vilas-Boas.

Vilas-Boas faz fortes críticas a Jabes Ribeiro. O ex-prefeito é acusado de ter sucateado a rede de atenção básica do município. Para se ter ideia, menos de 20% da população é coberta pela rede básica (postos e unidades de Saúde da Família).

O encontro em Salvador foi acompanhado pelo deputado estadual Eduardo Sales (PP), que agendou o encontro.

JABES CULPA A CRISE POLÍTICA NACIONAL PELA DERROTA DE CACÁ

Jabes quando anunciou que não disputaria reeleição (Foto Ciro Zatele/Arquivo).

Jabes quando anunciou que não disputaria reeleição (Foto Ciro Zatele/Arquivo).

As crises política e econômica são apontadas como principais fatores que levaram à  derrota de Cacá Colchões (PP) no último domingo (2), na avaliação do prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro. O candidato derrotado tinha o apoio do prefeito ilheense. A disputa foi vencida pelo médico Mário Alexandre, conhecido como Marão (PSD).

Segundo Jabes, a combinação de crise política e econômica foi combustão para o sentimento de mudança, dificultando candidaturas governistas e reeleição de prefeitos bem-avaliados.

– Aconteceu aqui, o que aconteceu em todo Brasil.  Vivemos uma crise.  A população demonstra uma insatisfação com a política por causa dos problemas enfrentados pelas atuais administrações, que passam por dificuldades, independentemente de suas avaliações.

Secretário-geral do PP baiano, Jabes enumerou gestões bem avaliadas na Bahia e em outros estados que não conseguiram reeleição ou fazer sucessor, a exemplo do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB). Jabes não fez mea culpa. Paes apoio o também peemedebista Pedro Paulo, contra quem havia denúncia de irregularidades e de agressões físicas contra a ex-esposa.

O prefeito ilheense também se queixou do empobrecimento dos municípios e dos seus reflexos nas gestões. Segundo ele, será possível pagar o funcionalismo em dia, até dezembro, graças à reforma tributária ocorrida em seu governo.

NÃO DISPUTOU REELEIÇÃO

Jabes desistiu de disputar a reeleição ao alegar problemas de saúde. Submeteu-se a várias cirurgias no olho esquerdo por causa de um glaucoma. Corria o risco de perder a visão.

JAMIL NÃO DÁ “OK” PARA NOME DE CACÁ

Para Jamil, nome de Cacá não está definido (Foto Alfredo Filho).

Para Jamil, nome de Cacá não está definido (Foto Alfredo Filho).

Anunciado ontem como o pré-candidato oficial à sucessão do prefeito Jabes Ribeiro (PP), o vice Cacá Colchões pode enfrentar um obstáculo: ele atende pelo nome de Jamil Ocké,vereador, jabista da velha guarda e até pouco tempo secretário municipal de Ação Social.

Mesmo com o nome de Cacá ungido pelo prefeito e já em fase de arrumação de coligações, Jamil divulgou hoje uma nota na qual dá a entender que o PP ainda definirá seu candidato. Atribuindo o posicionamento ao próprio gestor municipal, o vereador diz que “a decisão de quem irá assumir a chapa depende do partido”.

Mais adiante, ele acrescenta, com açúcar e afeto:  “sabemos que a força e a história do nosso prefeito torna esta uma decisão difícil, mas que é importante que todos os membros do PP se unam para fortalecer a indicação do nome que assumirá a brilhante tarefa de dar continuidade ao bom trabalho executado por Jabes”. E promete que estará empenhado em apoiar o nome indicado pela legenda.

A nota encaminhada pela assessoria encerra com um autoelogio: “Jamil Ocké [é] uma das mais atuantes e fortes personalidades políticas da cidade”.

Resta alguma dúvida de que essa alma quer falar?

A SAÍDA DE ISAAC ALBAGLI DO GOVERNO ILHEENSE

Isaac tenta recuperar terreno perdido

Isaac tenta recuperar terreno perdido

Ao deixar a Secretaria de Infraestrutura da Prefeitura de Ilhéus, conforme publicação no Diário Oficial do Município nesta quarta-feira (1º), Isaac Albagli afirma ter dois caminhos à frente. Poderá ser candidato a prefeito pelo PR ou até vice em uma chapa talvez encabeçada pelo vice-prefeito e hoje prefeito interino Cacá Colchões (PP).

O blog Agravo, de Ilhéus, cogita uma disputa de espaço político entre Isaac e Cacá, mas o ex-secretário nega. Na versão do blog, Isaac estaria incomodado com a perda de terreno para o interino, que opera para ser candidato a prefeito, caso Jabes Ribeiro desista de tentar a reeleição.

Diplomaticamente, Isaac jura fidelidade a Cacá e sugere a possibilidade de ser seu vice. Porém, fora do campo das polidas e calculadas declarações públicas, acredita-se que o ex-secretário opere para reconquistar a área vip que já ocupou no jabismo, o que significa dar um chega pra lá no prefeito interino.

JABES PEDE LICENÇA PARA CUIDAR DA SAÚDE

Jabes Ribeiro (Foto Pimenta).

Jabes Ribeiro (Foto Pimenta).

O prefeito Jabes Ribeiro pediu licença de 15 dias para cuidar de problemas de saúde. Durante entrevista coletiva concedida hoje,  no Centro Administrativo, ele afirmou que o glaucoma ficou fora de controle, tendo que ser submetido a cinco cirurgias no olho esquerdo.

Segundo ele, deveria passar dois dias em Belo Horizonte, onde fez a cirurgia. As complicações levaram JR a ficar dez dias na capital mineira. Contra recomendação médica, Jabes retornou a Ilhéus na última segunda.

DESFILE DE PRÉ-CANDIDATOS NO LANÇAMENTO DE BEBETO

Bebeto quer oposição unida contra Jabes

Bebeto quer oposição unida contra Jabes

O deputado federal e pré-candidato a prefeito de Ilhéus, Bebeto Galvão (PSB), tem um senhor desafio pela frente, e ontem (15), no lançamento de sua pré-candidatura, mostrou que está disposto a encará-lo. A tarefa do socialista é unir os partidos que fazem oposição ao prefeito Jabes Ribeiro (PP) em uma única chapa, algo que esbarra em pretensões pessoais.

Bebeto reuniu uma dezena de partidos e pré-candidatos, a exemplo da Professora Carmelita (PT) e do médico Mário Alexandre (PSD). Também participaram do evento a deputada estadual Ângela Sousa, o secretário geral do PSB da Bahia, Domingos Leonelli, e o coordenador da Defesa Civil do Estado, Rodrigo Hitta.

O discurso, como não poderia deixar de ser, foi lastreado na proposta de unidade. Segundo consta, Bebeto tem aparecido bem em consultas eleitorais e hoje teria condições de pedir preferência.

VEREADOR COBRA ESCLARECIMENTOS SOBRE OBRA EM CENTRAL DE ABASTECIMENTO

Central está fechada há mais de um ano para reformas. Demora na conclusão prejudica 70 famílias

Central está fechada há mais de um ano para reformas. Demora na conclusão prejudica 70 famílias

A paralisação das obras de reforma da Central de Abastecimento do bairro Hernani Sá, na zona sul de Ilhéus, levou o vereador Fábio Magal (PSB) a cobrar esclarecimentos do prefeito Jabes Ribeiro (PP).

Segundo Magal, a obra teve início em 31 de janeiro do ano passado, portanto há mais de um ano. Mas o trabalhos acabaram interrompidos sem maiores explicações.

Em requerimento encaminhado à Mesa Diretora da Câmara, o vereador solicita que o prefeito e o secretário de Indústria e Comércio de Ilhéus, Roberto Garcia, apresentem informações sobre a reforma.

Entre outros dados, Magal questiona o nome da empresa responsável pela obra, com cópias do contrato, processo licitatório e notas de empenho. Pede também que o governo dê uma previsão de data para a conclusão dos trabalhos.

Segundo o vereador, 70 famílias de comerciantes dependem dessa obra para retomar suas atividades na Central de Abastecimento.

PREFEITURA DE ILHÉUS PAGA ALUGUEL EXORBITANTE

Jabes para R$ 12 mil de aluguel por imóvel no Banco da Vitória

Jabes para R$ 12 mil de aluguel por imóvel no Banco da Vitória

Conforme notícia do Blog do Gusmão, a Prefeitura de Ilhéus renovou o contrato de locação do imóvel onde funciona a Escola Municipal do Banco da Vitória. O que causa espanto é o valor do contrato, fechado em R$ 146.484,00 para o período de 4 de janeiro a 31 de dezembro de 2016. Por mês, o aluguel é de “módicos” R$ 12.207,00.

O imóvel pertence a Maria Natália Oliveira, que pode se considerar uma felizarda. Segundo um experiente corretor de imóveis ouvido pelo PIMENTA, Ilhéus tem pouquíssimos imóveis que poderiam ser alugados na faixa de R$ 12 mil. O valor está restrito a casas de luxo, situadas em áreas nobres da cidade, o que não é o caso do Banco da Vitória.

O prefeito Jabes Ribeiro precisa tomar cuidado para não inflacionar o mercado de locação de imóveis na Terra da Gabriela…

ITABUNA: NOME DA BASE SERÁ DEFINIDO ATÉ ABRIL, DIZ JOSIAS GOMES

(Foto Pimenta)

(Foto Pimenta)

O governador Rui Costa espera haver unidade da sua base nas eleições municipais de Itabuna, lançando apenas um nome para disputar a sucessão no maior município sul-baiano. No último final de semana, o secretário estadual de Relações Institucionais, Josias Gomes, se reuniu com o ex-prefeito Geraldo Simões, pré-candidato a prefeito de Itabuna, e o presidente do PT baiano, Everaldo Anunciação, para costurar essa unidade.

Ao Pimenta, Josias disse que as negociações envolvem outros nomes do arco de alianças – Davidson Magalhães (PCdoB) e Carlos Leahy (PSB). “Esse processo será conduzido com calma. O nome da base deve sair até abril”.

Segundo Josias, o prefeito Vane do Renascer, que desistiu da reeleição, ajuda no processo de construção da unidade da base. Confira principais trechos da entrevista.

Blog Pimenta – O senhor se reuniu com petistas, o prefeiturável Geraldo Simões entre eles. Já existe uma definição do nome da base?

Josias Gomes – Conversamos com Geraldo e vamos construir essa unidade da base, identificar o melhor nome. Esse processo será conduzido com calma. O nome deve sair até abril. Estamos conversando com Vane, que ajuda nesse processo. Além de Geraldo, vamos também conversar com os outros candidatos da base, Davidson Magalhães e Carlos Leahy.

Pimenta – E Roberto José?

Josias – O que estamos propondo são as condições para que nossos partidos tenham uma candidatura. Nesse sentido, é de nosso interesse que ele consiga entender o propósito. E acho que dá para fazer isso muito bem. Vou aí [em Itabuna] para conversa com Davidson e, em seguida, fazer esse caminho.

Pimenta – O PSD apoiará o nome da base?

Josias – Otto [Alencar] tem sido um grande parceiro nosso. Temos estado com ele, já analisamos uma série de questões como, por exemplo, onde o partido tem interesse. Estamos muito alinhados. O PSD, assim como todos da base, tem sido parceiro. Nenhum [partido] tem se colocado em situação de confronto. Agora, é claro que cada partido tem um interesse eleitoral, ampliar número de prefeitos e vereadores.

Pimenta – E o PT, como se coloca nesse processo?

Josias – O presidente estadual do PT me disse que o partido deve apoiar aliados em mais de 300 municípios. E vai concorrer em pouco mais de 100. Ou seja, o partido vai apoiar, abrir mão na maioria dos municípios. Estamos buscando essa construção.

______________

PINHEIRO DE SAÍDA – Na visão dele próprio, seu ciclo no PT já se encerrou. E temos conversado no sentido de contribuir. É um grande parlamentar, é uma opção.

______________

 

Pimenta – O senador Walter Pinheiro deixará o PT? De fato, irá para o PSD?

Josias – Ele me disse que ainda não havia decidido. Na visão dele próprio, seu ciclo no PT já se encerrou. E temos conversado no sentido de contribuir. É um grande parlamentar, é uma opção. Ele deve ir para um partido da base [governista]. Conversou com o PDT, teve com Otto e com o pessoal da Rede.

Pimenta – Ou vai para a base de ACM Neto, como já foi especulado?

Josias – Eu não sei se houve isso, essa conversa. Seria uma coisa tão extravagante para a história dele fazer uma movimentação dessa… Não está no horizonte dele. Para mim, ele sempre negou [a ida para a base de Neto]. Pinheiro em 2010 não era o queridinho [do partido, quando foi eleito senador]. Teve nosso apoio. Fomos para cima e foi o escolhido com 80% dos votos da minha corrente [no PT, sendo depois eleito senador].

______________

CARMELITA, JABES E BEBETO – Como são nomes da base, preferimos que os partidos discutam, definam. Diferente de Itabuna. Estive com Carmelita, com Bebeto. Tenho conversado bastante.

______________

Pimenta – Falando da disputa no eixo Ilhéus-Itabuna, Professora Carmelita (PT) é candidata?

Josias – É sim. Lá, em Ilhéus, temos situação diferente da de Itabuna. Existem as candidaturas de Jabes e Carmelita. Podemos ter, também, Jabes e Bebeto. Carmelita pode fazer movimentação no sentido de apoiar Bebeto ou receber apoio do PSB. Pode resultar nisso: PT e PSB contra Jabes, esse tipo de situação. Como são nomes da base, preferimos que os partidos discutam, definam. Diferente de Itabuna. Estive com Carmelita, com Bebeto. Tenho conversado bastante. Demora um pouco mais pra definir em Itabuna.

______________

PESQUISA ELEITORAL EM ITABUNA – É o tipo de situação que não recomenda fazer projeção. Rui é um exemplo disso. Acabou eleito. Hoje, o que há é um sentimento. E pesquisa quantitativa não consegue identificar isso.

______________

Pimenta – O que as pesquisas sinalizam em Itabuna?

Josias – Não temos trabalhado com pesquisa quantitativa. Hoje, em fevereiro, não faz muita diferença para a eleição, que ocorre em outubro. Em 2012, [Jaques] Wagner pedia a desistência de Carmelita no início daquele ano. No período da campanha, chegamos a ter 32% a 30% entre ela e Jabes. É o tipo de situação que não recomenda fazer projeção. Rui é um exemplo disso. Acabou eleito. Hoje, o que há é um sentimento. E pesquisa quantitativa não consegue identificar isso. Em Itabuna, há o sentimento de setores da sociedade de que, isoladamente, sem ter esse diálogo com Estado e sem União, o prefeito não vai resolver as grandes questões daí.

Pimenta – E Salvador?

Josias – Há essa movimentação de PT mais PCdoB, PSD. Tem a candidatura de Sargento Isidório. Se esses partidos se entenderem para fazer confrontação política e ideológica com o Neto… Isso, espero que a gente consiga construir. Essa eleição não é fácil para Neto. Não se iluda. Sem ter contraponto, é fácil. Essa eleição em Salvador ainda tem desdobramentos. Rui é bem avaliado aqui. Teremos um confronto político bem interessante.

NO PONTAL, VAIAS PARA JABES

Jabes é vaiado em festa do Zé Pereira (Foto A Região).

Jabes é vaiado em festa do Zé Pereira (Foto A Região).

O Bloco do Zé Pereira, um dos mais tradicionais de Ilhéus, ganhou as ruas do bairro Pontal na madrugada deste sábado (6). Concentrados na Praça São João Batista, os foliões iniciaram a marcha da alegria à meia-noite, como manda a tradição.

O prefeito Jabes Ribeiro (PP) prestigiou a saída do bloco. Visitou o Bar do Jorginho, perto da praça, onde a galera aquecia os motores para o desfile.

Um casal de músicos se apresentava num pequeno palco montado em frente ao bar. A dupla saudou o prefeito na chegada, mas as vaias dos foliões abafaram a saudação.

Leia a íntegra no Blog do Gusmão

JABES CONFIRMA DEMISSÕES EM 2016 E DIZ QUE REFORMA AUMENTOU RECEITAS EM 50%

Jabes confirma demissões e pode disputar reeleiçao (Foto Pimenta).

Jabes confirma demissões (Foto Pimenta).

O prefeito Jabes Ribeiro confirmou ontem (30) que demitirá uma leva de funcionários no próximo ano e insistiu em atribuir a responsabilidade aos sindicatos dos servidores municipais. Numa entrevista ao Jornal Bahia Online, Jabes disse que demitirá logo no início de 2016.

– O que está sendo pedido ao prefeito é para fazer o concurso. Mas, para fazer isso, primeiro terei que fazer exonerações. Não tenho saída. Janeiro tenho que tomar providência. Não tenho saída.

DRAMA PESSOAL E AUMENTO DE RECEITAS

Ele falou de drama pessoal – ao afirmar que perdeu a visão de um olho por dez dias – e comemorou o fato de a reforma tributária render ao município um aumento de 50% nas receitas próprias. “Saímos de uma arrecadação em 2014 de R$ 40 milhões e chegamos este ano a mais de R$ 60 milhões. Esses R$ 20 milhões de reais a mais foram fundamentais para que a cidade pudesse avançar”.

O prefeito também faz críticas à oposição e admitiu que pode concorrer a um novo mandato. “Pode acontecer, mas não pertence ao meu momento, ao meu desejo e à minha vontade”, disse. Jabes também aborda a sua peleja pessoal com o diretor do Hospital Geral Luiz Viana Filho, Cláudio Moura, e o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas Boas. Clique aqui e confira a íntegra da entrevista.

JABES “EMPAREDA” GESTORES DO BATACLAN, QUE TERÁ ATRAÇÕES GRATUITAS

Fachada do Bataclan, que deverá ter programação semanal (Foto Gidelzo Silva).

Fachada do Bataclan, que deverá ter programação semanal (Foto Gidelzo Silva).

A Prefeitura de Ilhéus emparedou os atuais gestores do espaço Bataclan, famoso pela obra de Jorge Amado. Desde o ano passado, depois de uma polêmica surgida durante a campanha eleitoral de 2012, os concessionários já vinham arcando com as faturas de água, energia e do IPTU, que antes eram pagas pelo ilheense.

Agora, com um aditivo no contrato de cessão de uso, o espaço está obrigado a fornecer programação cultural por três dias da semana de forma gratuita. Atrações, que antes custavam R$ 50,00 a mesa, serão na faixa.

Essas medidas seriam uma espécie de retaliação do prefeito Jabes Ribeiro aos atuais coordenadores do espaço. Durante a campanha de 2012, chegaram a retirar uma placa colocada no local que indicava a reforma no prédio, tocada justamente pelo agora prefeito.

Pra completar o pacote,  o restaurante instalado no prédio, localizado na Avenida Dois de Julho, terá de incluir no cardápio pratos típicos da culinária regional.

REUNIÃO PARA DESTRAVAR OBRA DE SANEAMENTO DO PONTAL

Cássio Peixoto informou a Jabes de reunião para solucionar impasse.

Cássio Peixoto informou a Jabes de reunião para solucionar impasse.

O impasse para a execução das obras de esgotamento sanitário na zona sul de Ilhéus pode chegar ao fim na próxima segunda (28), segundo o prefeito Jabes Ribeiro foi informado pelo titular da Pasta de Infraestutura Hídrica, Cássio Peixoto.

Representantes da Embasa se reúnem com executivos da Caixa, BNDES, Banco do Brasil e Banco do Nordeste para decidir sobre o financiamento da obra, orçada em R$ 51,3 milhões. A obra deve beneficiar cerca de 37 mil pessoas que residem na zona sul da cidade.

Parece incrível, mas o Pontal não conta com esgotamento sanitário até hoje. O projeto já havia sido liberado pelo Ministério das Cidades e até foi licitado ao final de 2014 (processo vencido pela Emprenge), mas faltou resolver a pendenga financeira.

A ordem de serviço, de acordo com a Embasa, não foi assinada “em decorrência de questões que envolvem a sobreposição de garantias entre os diversos contratos existentes entre a empresa, a Caixa e o BNDES”.

A expectativa é de que a Embasa e os agentes financeiros solucionem a questão (ou encontrem saída) na próxima segunda. Os ilheenses agradecem.

CONTRA SINDICATOS, JABES CORTARÁ ATÉ 20% DO SALÁRIO DE COMISSIONADOS

Jabes anunciará corte de salário de comissionado (Foto Pimenta).

Jabes anunciará corte de salário de comissionado (Foto Pimenta).

O prefeito Jabes Ribeiro anunciará, na próxima terça (4), o corte de até 20% dos salários dos servidores que ocupam cargo de confiança. A intenção da medida é tentar sensibilizar os sindicatos de que o seu governo está cortando gastos e, assim, evitar reajuste salarial.

Os servidores não recebem reajuste desde 2012. Assim que assumiu – e sempre alegando impedimento por causa dos limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal, Jabes peitou servidores e negou reajustes, mesmo enfrentando quase três meses de greve dos professores e paralisações gerais.

Na quinta (3), o prefeito chegou a anunciar, em coletiva, a realização de concurso público, mas informou que, para isso, terá de demitir centenas de servidores não estáveis admitidos na década de 80.

O anúncio, aliás, tem levado trabalhadores ao médico. Ontem (4), um servidor do Setor de Compras deu entrada no pronto-socorro. Colegas disseram que a queda da pressão foi causada pela notícia dada no dia anterior.

Ainda na quinta, era visível o semblante abatido de funcionários que acompanhavam o ato e que podem ser atingidos pela medida.

O prefeito se diz “sozinho” no esforço de poupar a demissão desses trabalhadores, que somam mais de 30 anos de casa. Acusa ainda os sindicatos dos servidores (Sinsepi) e dos professores (APPI) de não querer negociar a permanência destes e ainda exigir a realização de concurso público, o que, segundo ele, é impossível com a atual situação da folha de pagamento, que extrapola o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

ESTRATÉGICO

Quem transita pelo Palácio Paranaguá, aposta que Jabes não levará a cabo esse plano. A estratégia, acreditam, é tensionar com os sindicatos ou até mesmo tentar deixar sobre eles a responsabilidade pelas virtuais demissões, que causariam incontáveis processos de indenizações e judiciais.

RUI É ALVO DA BIRRA DE JABES

Jabes está na fase "birrento".

Jabes está na fase “birrento”.

O prefeito Jabes Ribeiro está de birra com o governador Rui Costa. Motivo: desde que assumiu o executivo estadual, o homem não pisa em terras ilheenses, nem traz notícias, digamos, auspiciosas aos que por lá moram.

Jabes chegou até a anunciar, por duas vezes, a vinda de Rui à cidade, mas foi contrariado nas duas ocasiões. Na última sexta (10), o governador esteve na vizinha Itacaré, para entregar a Itacaré-Taboquinhas asfaltada.

Lá, o prefeito de Ilhéus não foi, mesmo sem ter agenda externa pela manhã.

No Palácio de Ondina, o dito é que o “desleixo” de Rui com Jabes tem a ver com a falta de empenho do prefeito na eleição de 2014, quando o ilheense até emitiu sinais ao candidato oposicionista Paulo Souto. Como Rui não é Jaques Wagner, castiga!

ESPERA

Rui Costa é esperado pelas bandas de Ilhéus por alguns motivos bem nobres: um posicionamento definitivo quanto à nova ponte do Pontal; o início da obra de saneamento da zona sul, que já tem empresa vencedora da licitação; e a ordem de serviço para o novo hospital.

ZONA AZUL EM ILHÉUS

Jabes corre por aprovação da Zona Azul (Foto Gidelzo Silva).

Jabes corre por aprovação da Zona Azul (Foto Gidelzo Silva).

Se for pelos planos do prefeito Jabes Ribeiro, Ilhéus deve ganhar, logo depois de seu aniversário, no dia 28 deste mês, o sistema de gerenciamento de estacionamentos na região central da cidade, a velha Zona Azul, que já funciona em Itabuna.

A Câmara avalia o projeto em regime de urgência, a pedido do prefeito. O modelo funciona na cidade vizinha. Organizou os estacionamentos, principalmente na Avenida do Cinquentenário, e ainda gera receitas ao município, se bem gerido.

JÔ DO PCdoB ASSUMIRÁ SECRETARIA DE TURISMO DE ILHÉUS

JôDo Jornal Bahia Online

Prego batido. Ponta virada. O sindicalista Josenaldo Cerqueira (Jô do PCdoB) se reuniu agora à tarde com o prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro. O nome dele será oficializado nas próximas horas como o novo secretário municipal de Turismo, conforme adiantou o Jornal Bahia Online, 15 dias atrás (leia aqui).

Se a indicação de Josenaldo, que já foi presidente do diretório municipal do PCdoB em Itabuna, não une por completo o partido, ele hoje foi apresentado ao prefeito Jabes por um nome de peso do PCdoB. Na visita que fez ao gabinete para acertar os últimos detalhes da sua nomeação, Josenaldo estava acompanhado do vice-prefeito de Itabuna, Wenceslau Júnior.

O detalhe do encontro ficou por conta da escolha da cor da roupa usada pelos comunistas. Acostumados ao vermelho que simb oliza a história do partido, não quiseram arriscar. Subiram as escadarias do Paranaguá vestidos de azul, a cor predileta do prefeito e a oficial do PP, partido do comandante local.

Leia mais no JBO

JABES DIZ QUE PAGA PISO DOS PROFESSORES, MAS FALA EM 2 MIL DEMISSÕES COM REAJUSTE LINEAR

Jabes diz que paga piso nacional "desde o início".

Jabes diz que paga piso nacional “desde o início”.

O prefeito Jabes Ribeiro disse que “nenhum professor de Ilhéus ganha menos que o piso nacional” e que sua gestão vem pagando o piso “desde o início do atual mandato”. No último dia 7, a Justiça do Trabalho publicou decisão em que obriga o prefeito a implementar o básico nacional, de R$ 1.917,78, sob pena de multa diária de R$ 500,00.

A decisão também força o município a conceder igual percentual de reajuste às demais padrões ou categorias do magistério. Jabes informou ainda não ter sido intimado da decisão, mas antecipou que “tomará as medidas judiciais cabíveis” quanto à necessidade de reajuste linear para as demais categorias (confira mais abaixo).

Segundo ele, o pagamento da folha dos professores já compromete 100% dos recursos do Fundo da Educação Básica (Fundeb). “Entretanto, se o piso nacional for parâmetro para o Plano de Cargos e Salários do Município, a prevalecer a decisão do TRT, seria necessário um aumento de 40% nos recursos do Fundo”, disse ele.

2 MIL DEMISSÕES

O prefeito disse ter reduzido de 78% para 64% o percentual da receita com a folha de pagamento, mas estando distante dos 54% fixados na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Pelos cálculos do prefeito, se concedesse o aumento pretendido pela Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus (APPI/APLB-Sindicato), o percentual subiria dos atuais 64% para 70%. E completa:

– A alternativa seria a demissão de praticamente dois mil funcionários públicos, entre os quais cerca de mil servidores que ingressaram na Prefeitura entre 1983 e 1988 – inclusive professores, muitos deles próximos da aposentadoria, e até mesmo comprometer o pagamento em dia dos salários – disse ele.

Sentença que obriga ao pagamento do piso nacional.

Sentença que obriga ao pagamento do piso nacional.

JABES PREPARA O “BOTE” EM MAGAL

Relação de Magal e Jabes ficaram estremecidas há mais de um ano (Foto Divulgação).

Relações de Magal e Jabes ficaram estremecidas há mais de um ano (Foto Divulgação).

O prefeito Jabes Ribeiro está atraindo o PSC para a sua base de apoio, o que deve fragilizar o projeto de reeleição do vereador Fábio Magal. As conversas começaram após um show do Irmão Lázaro em Ilhéus, no Louvar Verão. Lázaro é deputado federal pelo partido e deve assumir o controle da legenda na Bahia.

Internamente, o desgaste de Magal aumentou quando ele decidiu pelo apoio a Fábio Souto (DEM) na disputa à Assembleia Legislativa, quebrando acordo com Heber Santana, filho do dirigente estadual do PSC, Eliel Santana. Não há interesse do partido em salvá-lo, segundo fontes.

Magal terá que, por exemplo, trabalhar forte para se recuperar em regiões onde foi bem votado, a exemplo do Hernani Sá. Mas terá contra si a Máquina de Vingança de Jabes, operada pelo irmão John Ribeiro. Os Irmãos Ribeiro não gostaram nada de ver Magal indo ao procurador-geral de Justiça, Márcio Fahel, denunciar arbitrariedades político-administrativas cometidas pelo governo ilheense.

IPTU DE ILHÉUS PODE AUMENTAR EM 300%, DIZ MAGAL

Magal critica reforma proposta por Jabes.

Magal critica reforma proposta por Jabes.

O vereador Fábio Magal (PSC) acredita que o projeto de reforma do Código Tributário de Ilhéus pode resultar em aumento de até 300%, caso seja aprovado da forma como enviado pelo prefeito Jabes Ribeiro à Câmara.

Magal critica, ainda, o fato de a proposta ter sido encaminhada somente em 18 de novembro. A votação está prevista para hoje à tarde.

Segundo o vereador, não há tempo hábil para apreciação do projeto e elaboração de emendas. “O prefeito quer empurrar [a reforma] goela abaixo por ter maioria na casa”, disse ao PIMENTA.

O vereador classificou a reforma, em regime de urgência, como “golpe” contra o bolso do contribuinte. Magal disse entender a necessidade de reforma tributária, mas discorda da forma como está sendo discutida.










WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia