WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba

unesul bahia

uniftc






janeiro 2020
D S T Q Q S S
« dez    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias


:: ‘Jaques Wagner’

O LADO MAIS FRACO DA CORDA

Jorge Portugal | secretaria@jorgeportugal.com.br

A reação da mídia partidária e dos desinformados das redes sociais foi descompensada, cruel e absurda.

Os professores em greve bradam: “22% já!”; o governo responde em alto som: “Lei de Responsabilidade Fiscal”. No meio dessa queda de braço, sem meios de defender o seu direito a um ensino de qualidade e o seu sonho de entrar numa universidade, 140 mil estudantes regulares da rede estadual, com o semestre perdido e a prova do Enem à sua espera, em novembro. Se fosse seu filho, sobrinho, irmão ou neto, você que está me lendo, ficaria de braços cruzados? Eu não fiquei. Como a APLB e o governo já têm forças suficientes, tomei o partido do lado mais fraco e ignorado: os estudantes pobres da Bahia. Já tinha me decidido a fazer, voluntariamente, os aulões em espaços públicos de Salvador para tirar a garotada do sufoco, como sempre faço, aliás, há uns dez anos. Nesse ínterim, recebo telefonema do secretário Oswaldo Barreto me propondo criar 24 “cursinhos Pré-Enem”, entre a capital e o interior, com aulas interdisciplinares, reunindo a nata do professorado baiano, durante quatro meses, numa estrutura gigantesca de produção, envolvendo megaequipe, som de qualidade, luz, data-show, postagem de conteúdos na internet, passagens de avião para deslocamento de mestres, uma experiência inédita no Brasil, juntando a necessidade social desesperada dos alunos e a comprovada competência dos professores de cursinho, acostumados a colocar os filhos da classe média no ensino superior. Aulas, na maioria dos sábados, para ficar claro que não era reposição, nem esquema fura-greve.

Pronto! Foi meu crime ficar ao lado da garotada pobre da Bahia, mas sem me opor ao movimento dos professores, que, repito pela enésima vez, ganham um salário indecente, aviltante para o seu papel social. A reação da mídia partidária e dos desinformados das redes sociais foi descompensada, cruel e absurda. Lembrei, atualizando, Caetano e Gil: “Quando você vir um deputado (ou candidato) em pânico diante de qualquer atitude que possa melhorar o ensino médio no Brasil, pense no Haiti, reze pelo Haiti. O Haiti é aqui!”.

PS: se o governador e o secretário de Educação toparem, declino dos aulões.

Jorge Portugal é educador e poeta.

Publicado originalmente n´A Tarde.

WAGNER DIZ QUE “NÃO HAVERÁ MAIS ACORDO” COM PROFESSORES

Da Rádio Metrópole

Wagner: não tem mais acordo.Durante a apresentação do edital de lançamento da linha 2 do Metrô, o governador Jaques Wagner falou sobre a greve dos professores, que já dura mais de 70 dias.

O governador se mostrou irredutível quanto à possibilidade de negociação e afirmou que não fará mais acordo. “Não haverá mais nenhum acordo, pois a categoria fez dessa greve uma luta política”.

Wagner também disse que se os professores quiserem continuar na briga que o façam em sala de aula. “Se a categoria quer brigar com o governador que voltem às aulas com bandeiras de greve, mas que não punam os alunos”.

RECADO PARA WAGNER EM ILHÉUS

Faixas exibida por professores estaduais em assembleia ilheense (Cena Bahiana).

Do Cena Bahiana

Diretores de escolas da rede estadual se reuniram em assembleia nesta segunda-feira (18), em Ilhéus, para discutir os rumos da greve que já se aproxima dos 70 dias, a maior jamais vista na educação baiana. Participaram da reunião, no Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP), diretores deste estabelecimento de ensino e mais dos colégios Horizontina Conceição,  Iguape, Ceamev e Jorge Calmon. Pais, alunos e professores também estavam presentes e fizeram questão de enfatizar que todos ali, juntos, encontravam-se em busca de respeito.

O recado para o governador Jaques Wagner não poderia ter sido mais direto. Uma das faixas apresentadas pelos diretores trazia a seguinte mensagem: “Não traio minha história por cargo nenhum”. Referência à própria função dos diretores, assim como a posição do governador, que é acusado de trair seu passado sindical.

Outra faixa era uma forma de lamento, e de alerta: “Se fazem do professor um pássaro triste, quem ensinará a juventude a cantar?”. Numa sociedade tão carente de um canto novo, o que se ouve são apenas murmúrios.

JUÇARA FEITOSA: “NOSSO ADVERSÁRIO É O DEM”

A suplente de senadora e petista Juçara Feitosa disputará a prefeitura de Itabuna pela segunda vez. A convenção que confirmará a candidatura ocorre no próximo dia 30.

Ela acredita que o atual modelo de administração em Itabuna “está esgotado” e defende que os partidos da base aliada se juntem à sua candidatura “pelo desenvolvimento da cidade”.

Juçara também crê que a alta aprovação popular da presidente Dilma Rousseff ajudará a quebrar resistência do itabunense em eleger uma mulher prefeita.

Nesta entrevista, a ex-secretária de Desenvolvimento Social desfere estocada no Capitão Azevedo (DEM). Para ele, o prefeito enganou o eleitor com promessa de “20 mil bolsas renda, carteiras de motorista gratuita, terra pra todo mundo e prefeitura móvel”

PIMENTA – A senhora teve 42 mil votos em 2008, mas perdeu a eleição para seu oponente por 12 mil fotos de frente. Por que manter sua candidatura?

JUÇARA FEITOSA – Itabuna e região estão recebendo grandes investimentos. É importante que o município esteja próximo dos governos federal e estadual, pois o modelo que administra a cidade, o DEM, está esgotado, sem criatividade e sem capacidade de gestão. Por isso, sou candidata.

Mas esse discurso de proximidade com os governos federal e estadual já não deu certo, não é? 

Os governos Dilma e Wagner são do PT e vão nos ajudar a colocar Itabuna no contexto do desenvolvimento. Estamos vivendo isso com o Brasil e queremos que seja assim também com a nossa cidade.

A presidente Dilma pode ajudar sua campanha?

A presidente Dilma se mostra grande gestora, faz excelente trabalho e é respeitada mundialmente por isso. O Brasil, após Lula e com Dilma, só tem boas notícias. Acredito que podemos fazer o mesmo com Itabuna. Ter boas notícias em vez de ser apontada como campeã da dengue, campeã da mortalidade infantil, campeã em índices de violência.

Como está a sua pré-campanha?

Tenho conciliado apoios e conversado com as pessoas. Tenho visto de perto as carências de famílias mais humildes de nossa cidade. Percebo o desejo de mudança para vida digna, de qualidade e compromisso com a saúde, infraestrutura dos bairros e o social.

A saúde é das áreas mais criticadas em Itabuna. O que fazer?

Defendo que é urgente reformular a política de saúde, aplicando além dos 15% exigidos pela Constituição, e reforçar os recursos federais e estaduais que vêm para o município. Reorganizar os hospitais e recuperar e melhorar as unidades básicas de saúde com mais cotas de exames, médicos, remédios, equipamentos. Defendo ainda criar centros especializados de saúde da mulher e da criança.

 

RECURSOS FEDERAIS: As obras começam, mas não terminam, ou fazem obra de qualidade duvidosa.

 

A senhora fala em afinidades do seu partido e de seu projeto com os governos estadual e federal. Mas a cidade tem tido muitas obras.

É verdade, mas são obras estruturantes previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal, que não mede esforços em repassar recursos para cidades acima de 200 mil habitantes. Os projetos chegam, as ações são importantes, mas os recursos não são aplicados como deveriam pela prefeitura. As obras começam, mas não terminam ou se faz obra de qualidade duvidosa.

Um dos grandes debates nesta eleição será o avanço da criminalidade. Qual seria a solução para a violência?

É preciso ação firme no combate à violência que afeta crianças, jovens e toda a sociedade. O combate não pode ter somente repressão, mas políticas públicas inclusivas. Defendo a criação da Secretaria da Segurança Pública e Trânsito e ações coordenadas com o Ministério Público e polícias Civil e Militar, além de programas sociais para jovens de 15 a 29 anos, a faixa mais vulnerável, inserindo-os no grupo de população economicamente ativa da sociedade.

Como está o quadro de alianças para sustentação de sua candidatura a prefeita?

Já temos um número significativo de partidos, mas isso será definido até o dia 30 de junho, dia de nossa convenção.

As conversas com os partidos da base aliada do governo estão em que nível?

Estamos conversando com todos. O PT trabalha pela união e defesa do povo, independente das vaidades das lideranças. O nosso adversário é o DEM.

 

O VICE: Não definimos ainda. Será uma grande surpresa que iremos apresentar na nossa convenção.

 

Quem será o candidato a vice de sua chapa?

Não definimos ainda. Será uma grande surpresa que iremos apresentar na nossa convenção, no dia 30.

O PCdoB se mantém ressentido com o PT pelo episódio envolvendo o vereador Wenceslau Junior. Há diálogo com os comunistas?

Itabuna deve estar acima desses sentimentos. Caminhamos para fortalecer a cidade, que não pode perder tempo nem oportunidades.

A militância petista está animada com sua nova pré–candidatura?

A militância do partido está firme e confiante.

As eleitoras de Itabuna estão dispostas a mudar de opinião e votar na senhora?

A mulher tem papel importante na sociedade e sente mais as dificuldades dos serviços públicos de saúde, educação, infraestrutura, má-qualidade de vida e a violência. Tenho certeza que as mulheres de Itabuna responderão a esse chamamento.

A imagem da presidente Dilma pode contribuir para reforçar sua campanha nessa direção?

A presidenta Dilma será um dos nossos exemplos. Queremos convencer as mulheres que, mais próximos dos governos federal e estadual, poderemos realizar os investimentos na infraestrutura dos bairros, na saúde, na educação e na qualificação das pessoas.

 

ESTOCADA EM AZEVEDO: Não nos utilizaremos de mentiras nem falsas promessas, a exemplo de 20 mil bolsas renda, carteiras de motorista gratuita, terra pra todo mundo e prefeitura móvel…

 

Como a senhora acha que será a campanha no rádio e na TV?

Vamos fazer uma campanha de alto nível. Não nos utilizaremos de mentiras nem falsas promessas, a exemplo de 20 mil bolsas renda, carteiras de motorista gratuita, terra pra todo mundo e prefeitura móvel e de portas abertas… Itabuna não quer mais essa enganação. Mostraremos projetos concretos para provar a nossa real intenção em priorizar o cuidado com a cidade.

A senhora foi secretária municipal de Assistência Social como avalia o setor atualmente?

Quando dirigi a Assistência Social, fizemos ou trouxemos vários programas como Viva Maria, Grapiúna Cidadão, Alimenta Itabuna e Bolsa-Família. Muitos desses meninos conseguiram o primeiro emprego na Coelba, Banco do Brasil e na Prefeitura. Os projetos já não oferecem as mesmas oportunidades e caiu em qualidade. Poderia hoje estar atendendo a 30 mil famílias, mas não passa de 19 mil. Isso mostra a falta de prioridade e descaso com os mais humildes.

O Rio Cachoeira está morrendo. O que fazer para recuperá-lo?

A barragem do Rio Colônia é uma forma de recuperar o nosso Rio Cachoeira e irá melhorar o fornecimento de água e garantir abastecimento para mais de 50 anos. O Inema já concedeu a licença prévia e ajustes estão sendo feitos para que a licença definitiva saia. Além disso, o Governo Wagner está elaborando um plano diretor de saneamento básico em Itabuna que irá coletar e tratar 100% do esgoto.

As ações de saneamento que a senhora fala incluiria devolver o patrimônio, fundir a Emasa com a Embasa ou a privatização?

Está fora de cogitação a transferência da Emasa ao Estado ou à iniciativa privada. A empresa é municipal e precisa ser fortalecida e reestruturada para que continue cuidando das ações de saneamento. Pena que se tenha se transformado em cabide de emprego. A Emasa é essencial para continuar a atender a população carente com tarifas diferenciadas de água e esgoto e até isenções tarifárias.

O APELO DE WAGNER AOS PROFESSORES

Da coluna Tempo Presente, de Levi Vasconcelos, em A Tarde

No fim de semana em Varzedo, o governador Jaques Wagner fez um apelo emocionado referindo-se aos professores em greve:

– Voltem às salas de aula. Não sejam algozes dos estudantes mais pobres! Ponham uma faixa na testa: governador traidor! Mas não punam mais os estudantes!

Ontem, na assembleia geral, os professores nem tchum. Estão irredutíveis na sua pedida, e o governo batendo na mesma tecla: atender a isso é ‘impossível’ por falta de dinheiro.

Os grandes perdedores da pendenga, os alunos, já sofreram danos irreversíveis. O ensino público, que é de qualidade discutível, neste primeiro semestre foi nenhum.

É nesse ponto que o governo parece se ver sem saída. Os professores em greve tratam Wagner da mesma forma que tratavam ACM em matéria de agressividade. A diferença é que ACM não pensava duas vezes para brandir a chibata. Wagner, até por ser um ex-sindicalista, abomina tais métodos. Mas parece não ter uma técnica alternativa para o enfrentamento de tais situações.

O resultado é trágico: sangra ele, porque se desgasta; sangram os alunos, porque não têm aula; e sangram os professores, porque ao invés de educadores também viram carrascos.

GEDDEL ALFINETA WAGNER E DESCARTA ALIANÇA PMDB-PT NAS 35 MAIORES CIDADES

O ex-ministro Geddel Vieira Lima descartou aliança do PMDB com o PT nos 35 maiores colégios eleitorais da Bahia. Por ele, o diretório estadual peemedebista vetaria toda e qualquer aliança com os petistas no estado. “Fui voto vencido nesse tema”, revelou em entrevista concedida ao PIMENTA.

Geddel explica as razões de o PMDB optar por não aliar-se ao DEM de ACM Neto na capital baiana, mas fechar apoio eleitoral ao prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo, de quem o ex-deputado Renato Costa deverá ser o vice. Deixa claro que o jogo em Salvador tem a ver com 2014.

Vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica, deputado federal por cinco legislaturas e vice-presidente do PMDB baiano, Geddel também aproveitou para desferir ataques contra o seu alvo político preferido na Bahia, o governador Jaques Wagner. Disse que  o petista sofre crise de autoridade. E provoca: “Wagner zonzo”.

Confira a entrevista.

PIMENTA – O PMDB brigou com o DEM na capital baiana e lançou Mário Kertész a prefeito. Como explicar a postura em Itabuna, onde o partido vai ter a vice na chapa de um democrata?

GEDDEL VIEIRA LIMA – O PMDB não brigou com o DEM na capital baiana. A eleição em Salvador é em dois turnos. É impossível pensar que um partido que disputou a eleição de governador em 2010 e que tem projeto para 2014, abra mão de tentar conquistar a capital com suas próprias bandeiras, projetos e programas. No segundo turno, se para ele não formos – e acredito muito no nosso candidato, conversaremos com outras forças de oposição.

E Itabuna?

Em Itabuna, a eleição tem um turno só. O PMDB local entendeu que o prefeito [Capitão] Azevedo fez um bom trabalho e seria o melhor posicionado para derrotar o PT. Ele incorporará nossas ideias e vamos à campanha. Nenhuma contradição, nenhuma briga. Cada município tem sua realidade.

O que pesou na aliança com o DEM em Itabuna, já que tanto o PT como a Frente Partidária também namoravam o PMDB?

Não tem acordo com o PT em cidades grandes, formadoras de opinião. Além disso, temos uma opinião muito clara sobre o estilo dos líderes do PT de Itabuna fazerem política. Nossa opinião é de absoluta rejeição. Não acreditamos que o PT possa trazer avanços políticos-administrativos para Itabuna.

Em eleição de dois turnos, você só não participa do primeiro se faltar absoluta condição política.

O principal entrave em Salvador seria o fato de o PMDB buscar alianças talvez projetando 2014?

Foi o desejo de, na capital do nosso estado, o PMDB buscar, de forma legítima, apresentar seu próprio projeto político-administrativo para a cidade. Em eleição de dois turnos, você só não participa do primeiro se faltar absoluta condição política.

O petista Jonas Paulo vê PT e PMDB fazendo alianças em, pelo menos, 35 municípios. Essa é a mesma visão do senhor?

Não sei em quantos, mas é verdade que em alguns pequenos municípios, a executiva estadual, depois de examinar as realidades locais, admitirá algumas coligações com o PT. Fui voto vencido nesse tema.

Como o senhor avalia o quadro político-eleitoral em 2012? Wagner e Dilma terão a mesma força eleitoral mostrada pelos dois governos em 2008?

O Wagner está muito desgastado. É greve para todo lado, uma imensa crise de autoridade. E as promessas não cumpridas? Cadê a barragem em Itabuna? E a duplicação da Ilhéus-Itabuna? Nada acontece no governo, só lero-lero. Esse é um governo manso. A Dilma, de olho em 2014, vai se meter pouco em 2012.

O partido do senhor trabalha com cenário adverso em 2012 quando comparado a 2008. Quantos prefeitos o partido espera eleger agora?

Certamente não repetiremos o desempenho de 2008. A realidade é outra. Não sei quantos prefeitos elegeremos. Ganharemos umas, perderemos outras… Mas vamos participar do maior número possível de disputas, renovando nossas lideranças, difundindo nossas ideias.

O governador, tentando desmistificar o conceito de que não tem autoridade, age autoritariamente. Wagner  zonzo.

A divisão nas oposições em Salvador não terá reflexo em 2014?

Unidade não é um fim em si mesmo. Precisamos construir um projeto comum da confiança de todos. 2012 é um ano, uma realidade. 2014 será outro momento, outra realidade.

Na opinião do senhor, por que o Estado vem enfrentando dificuldade na negociação com os professores?

Porque o governador, tentando desmistificar o conceito de que não tem autoridade, age autoritariamente. Wagner zonzo.

O PMDB assumiu o comando regional da Ceplac. Recentemente, o secretário estadual de Agricultura, Eduardo Salles, defendeu a transformação do órgão em Embrapa Cacau. Seria esta a saída?

A solução é investir na modernização da Ceplac, na motivação das pessoas, na tecnologia. O doutor Juvenal [Maynart] vem realizando um trabalho que nos orgulha. O ministro [da Agricultura, Mendes Ribeiro], o tem elogiado muito.

PROFESSORES ESTADUAIS EM GREVE APRESENTARÃO CONTRAPROPOSTA

Mais um aceno de paz na controversa greve de 59 dias dos professores estaduais baianos. Depois de se reunir com o arcebispo primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, em Salvador, nesta sexta-feira, 8, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB) faz reunião na tarde deste sábado, 9.

Pelo divulgado, a APLB vai elaborar uma contraproposta ao governo do estado e tentar dar um fim à greve. Os dirigentes sindicais reforçam que têm compromissos com a sociedade.

O segundo-secretário da APLB, Claudemir Nonato, disse ao Correio da Bahia que a última proposta do governo divulgada pela imprensa foi diferente do que foi apresentado aos professores na reunião no Ministério Público dia 4.

A categoria queria a proposta detalhada do governo, o que inclui a revogação do Projeto de Lei que “traz reajustes para 2013 e 2014, nem a intenção de não fazer o avanço horizontal, as promoções, em 2011 e 2012”.

A discordância agora não está mais na porcentagem de acordo o sindicalista. “O governo já admitiu que vai cumprir esse aumento. Não tem problema no número, e sim no prazo e no conteúdo. Queremos que seja para todos os professores”, declarou. Isto incluiria os que não estão atuando em sala de aula, em outras funções, e aqueles em estágio probatório.

PROFESSORES FAZEM ASSEMBLEIA NESTA TERÇA

Uma assembleia às 9 horas desta terça-feira, 5, na Secretaria da Educação (SEC), em Salvador, pode encerrar ou não a greve de 55 dias dos professores estaduais. Na manhã de segunda, o governador Jaques Wagner acenou com o pagamento aos licenciados de parcelas de 7% em novembro deste ano e abril de 2013, como progressão na carreira.

O governo diz que os percentuais representarão ganhos entre 22% e 26%. Com essa proposta, o governo antecipa investimentos que seriam aplicados nos reajustes de 3% e 4%, que seriam concedidos em 2013 e 2014.

“Estamos fazendo um grande esforço para, juntamente com os professores, evitar a perda do ano letivo. Haverá por parte do Estado a antecipação de um grande volume de recursos”, explicou Wagner. Para efetivar a proposta financeira será enviado um novo projeto de lei para a Assembleia Legislativa e revogada a Lei nº 12.364.

O coordenador-geral da APLB/Sindicato comemorou a apresentação da proposta e a reabertura de diálogo entre o governo e a categoria. “Houve avanços porque o governo dizia que não negociava com os professores em greve”, afirmou em entrevista, ressaltando que aguarda a apresentação oficial da proposta.

WAGNER, GEORGINA E A GREVE

Durante entrevista ao Jornal da Manhã, da Rede Bahia, o governador Jaques Wagner saiu da linha e se irritou com a apresentadora Georgina Maynart. A entrevista abordava a greve dos professores da rede estadual.

GOVERNO ESTADUAL OFERECE REAJUSTE ESCALONADO DE ATÉ 26% A PROFESSORES

Jaques Wagner (Foto Lúcio Tavora).

A greve dos professores da rede estadual na Bahia completou hoje 54 dias e comprometeu de vez o ano letivo. Nesta segunda, o governador Jaques Wagner concedeu entrevista a uma emissora de tevê em Salvador em que propõe reajuste de 22% a 26%, escalonado em novembro deste ano e abril de 2013, mantendo os 6,5% já concedidos. O reajuste ocorreria com base na progressão de carreira.

“A proposta está na mesa. Cabe aos sindicato dizer se aceita ou não”, afirmou ele. O governador acredita ter melhorado a proposta anteriormente apresentada, que incluía escalonamentos só em 2013 e 2014. Esta já é a segunda maior paralisação dos professores baianos. A primeira, em 2007, durou 55 dias.

GOVERNO CANCELA VERBA DE DUPLICAÇÃO DA RODOVIA ILHÉUS-ITABUNA

Em primeira mão

Dilma e Chiavon (foto) assinam decreto.

Mais um duro golpe no sul da Bahia e contra o projeto de duplicação da rodovia Ilhéus-Itabuna. Decreto publicado na edição do Diário Oficial da União desta quinta-feira, 31, cancelou verbas no valor de R$ 19 milhões do projeto de duplicação da Rodovia Ilhéus–Itabuna (BR-415), no DNIT.

A medida foi assinada pela presidenta Dilma Roussef e pela secretária-executiva do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Eva Chiavon, ex-titular da Casa Civil da Bahia.

O decreto abre no Orçamento Fiscal da União, em favor dos ministérios dos Transportes e da Integração Nacional, crédito suplementar no valor global de R$ 1.104.568.546,00.

O crédito foi aberto a partir do cancelamento de verbas para diversos projetos e obras, como a duplicação da Rodovia Ilhéus-Itabuna. A obra é prometida há décadas por vários governadores, inclusive Jaques Wagner.

Decreto cancela R$ 19 milhões destinados ao projeto de duplicação (Reprodução Pimenta).

TJ-BA MANDA ESTADO PAGAR PROFESSORES GREVISTAS

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) determinou nesta segunda-feira, 28, o pagamento dos salários dos professores da rede estadual, em greve há 49 dias, e a liberação do atendimento ao Planserv. A desembargadora Lícia de Castro Laranjeira emitiu liminar favorável ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB).

A entidade pediu o “restabelecimento do pagamento imediato dos valores devidos viabilizando descontos de empréstimos consignados, inclusive referentes a previdência e imposto de renda, além de acesso dos docentes seus familiares e dependentes conveniados ao Planserv”.

As alegações da APLB foram consideradas pertinentes pela desembargadora, que determinou o “cumprimento imediato da decisão concessiva da liminar”. “Convicta, atualmente, da presença do ‘fumus boni juris’ e do ‘periculum in mora’, concedo a liminar perseguida, possibilitando o restabelecimento imediato do pagamento dos salários dos professores, supostamente suspensos em decorrência do referido movimento paredista e, por conseguinte, o acesso dos conveniados ao Planserv”, escreveu Lícia. Do Bahia Notícias.

SARCÁSTICO

O DEM trocou o estilo brucutu do presidente José Carlos Aleluia pelo sarcasmo do vice-presidente Heraldo Rocha. O ex-deputado comentou matéria d´O Globo que mostra Jaques Wagner como o governador brasileiro que mais viajou ao exterior desde o início de 2011 (78 dias fora do país).

Para Heraldo, o mandatário baiano tem um projeto em mente: – Wagner quer virar personagem de Julio Verne…

JAC MOTORS TRANSFERE IMPORTAÇÕES PARA PORTO DE SALVADOR

Modelo agora tem a Bahia como porta de entrada (Foto Divulgação).

A JAC Motors escolheu a Bahia para instalar a primeira fábrica da montadora chinesa no Brasil e, a partir de hoje, também troca o Porto de Vitória pelo terminal de Salvador para a entrada dos carros importados da China.

Hoje serão desembarcados mil modelos J5 pelo porto da capital baiana. Um ato simbólico reunirá o governador Jaques Wagner e o presidente da JAC Motors Brasil, Sérgio Habib, além do secretário estadual de Indústria, Comércio e Mineração, James Correia, às 14h.

Diretor da Jac, Marcos Donizetti da Silveira diz que o desembarque é o início das operações da montadora chinesa na Bahia. A fábrica tem previsão de inauguração para 2014. A unidade começará a ser construída em Camaçari, na Região Metropolitana, e terá capacidade de produzir 120 mil veículos por ano. O investimento é de R$ 900 milhões.

VAIAS AO COMPANHEIRO

Os professores da rede estadual de ensino adotaram as vaias como arma contra o governador Jaques Wagner. Aonde o mandatário baiano pisa os pés no interior do estado, a categoria prepara “homenagens”. Foi assim em Cicero Dantas e Ubaitaba e se repetiu em Eunápolis, no extremo-sul baiano, ontem, onde Wagner foi inaugurar presídio. Além das vaias, a palavra de ordem era “traidor”.

A categoria pede 22,22% de reajuste para todos os níveis do magistério. O governador diz que não há caixa para atender a reivindicação. A greve completou hoje 32 dias.

Protesto contra Wagner (Foto João Luz/Radar64).

“NO PROBLEM”?

Gabrielli, de branco, quer conversinha com o eleitor.

Ontem, a oposição caiu de “bença” no secretário estadual de Planejamento, José Sérgio Gabrielli, porque o mesmo anunciou um programete de rádio com o sugestivo nome de Encontro com Gabrielli. A escolha embute personalismo na coisa paga com dinheiro público.

Como se sabe, o ex-presidente da Petrobras é dos nomes petistas para a sucessão do governador Jaques Wagner. Os opositores se assanharam e prometeram recorrer ao Ministério Público estadual sob a acusação de propaganda eleitoral antecipada.

Mas há quem não veja no programa crime eleitoral algum. Caso do advogado e mestre em Direito Público pela Ufba, Tiago Ayres. Para ele, a iniciativa pode até figurar “como um meio de cumprimento do dever que tem o Poder Público de ser transparente”.

E diz mais: que não há como ver propaganda eleitoral antecipada. “Falar em propaganda eleitoral antecipada para uma candidatura que sequer existe, e, caso venha efetivamente a ocorrer, só se concretizará em 2014!? O que é isso? Propaganda eleitoral antecipada virtual, em perspectiva?”, questiona.

Pode ser, pode não ser, mas fica aqui um exemplo dentro do próprio governo: O programa semanal que vai ao ar com o “Galego” e mandatário baiano chama-se Conversa com o Governador e não Conversa com Wagner.

Ô turma afoita…

AZEVEDO COBRA DE WAGNER CONCLUSÃO DA UPA 24H E DO CENTRO DE CONVENÇÕES

Terreno onde deveria ser construída a UPA do Jaçanã.

O prefeito Capitão Azevedo (DEM) está cobrando do governador Jaques Wagner promessa feita em 2009 de conclusão das obras do Centro de Convenções e Teatro Municipal e inauguração da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do bairro Jaçanã.

Aproximadamente R$ 10 milhões foram investidos no Centro de Convenções. As obras estão paralisadas desde novembro de 2008, momentos após a derrota do então governador Paulo Souto (DEM). A UPA do Jaçanã foi anunciada em julho de 2009 – no auge da epidemia de dengue em Itabuna – e deveria ter sido entregue no início de 2010. A obra nem bem começou e foi paralisada em maio do ano passado, com a rescisão de contrato com a construtora MPF.

Azevedo: "situação inaceitável".

O investimento para a UPA ser inaugurada é de aproximadamente R$ 3 milhões. A unidade funciona como um mini-hospital e tem capacidade para realizar até 300 atendimentos por dia.

O prefeito também cobra do governador Jaques Wagner que o município volte a gerir os recursos da média e alta complexidade. São aproximadamente R$ 80 milhões em recursos por ano.

Desde outubro de 2008 que estes recursos são geridos pelo governo baiano, já que Itabuna foi desabilitada. “Essa é uma situação inaceitável e eu tenho afirmado isso ao governador, desde o início do meu mandato”,



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia