WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










agosto 2019
D S T Q Q S S
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

editorias






:: ‘Jaques Wagner’

WAGNER: BAHIA INVESTE R$ 4 BI PARA AMPLIAR OFERTA DE ÁGUA E REDUZIR EFEITOS DA SECA

Wagner diz que seca tem lhe tirado o sono.

Wagner diz que seca tem lhe tirado o sono.

A Bahia terá investimentos de aproximadamente R$ 4 bilhões até 2014 para programas de aumento da oferta de água e de convivência com a seca, segundo o governador Jaques Wagner.

Ele cita projetos como Água do Sertão para minimizar os efeitos da pior seca dos últimos 50 anos no Nordeste. O assunto é tratado no programa semanal de rádio Conversa com o governador.

Ainda no programa, o governador fala de ações emergenciais, a exemplo da contratação de R$ 30 milhões para abastecimento de água e distribuição de alimentos e R$ 4 milhões em carros-pipa com recursos próprios.

O Exército, de acordo com Wagner, vai ampliar a sua atuação no combate à seca para cerca de 200 municípios baianos.

A pior seca em 50 anos, diz Wagner, tem lhe tirado o sono. “Porque a seca se estende, se agrava, e o nosso povo está sofrendo muito, não só aqui na Bahia, mas no nordeste inteiro”, justifica na entrevista ao jornalista Edmundo Filho.

Para ouvir o programa, clique aqui.

 

ALEMÃ KNAUF ANUNCIA FÁBRICA NA BAHIA

A Knauf investirá R$ 160 milhões em uma fábrica no município de Camaçari, Região Metropolitana de Salvador. O anúncio será feito nesta terça, 9, às 14h, em um encontro de executivos da multinacional e o governador Jaques Wagner, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.

A empresa pretende gerar cerca de 11o empregos com o investimento. A Knauf é especializada em sistemas de construção a seco. Será a segunda planta da multinacional no país, e deverá entrar em operação em abril do próximo ano.

DILMA E WAGNER INAUGURAM FONTE NOVA

A presidente Dilma Rousseff e o governador da Bahia, Jaques Wagner, inauguraram nesta sexta, 5, a Nova Arena Fonte Nova. A solenidade atraiu torcedores e autoridades estaduais. A presidente Dilma deu o pontapé na inauguração oficial. A festaiva ocorrerá no próximo domingo, 7, com shows de Ivete Sangalo e Cláudia Leite e o primeiro BA-Vi do ano (Foto Manu Dias.
A presidente Dilma Rousseff e o governador da Bahia, Jaques Wagner, inauguraram nesta sexta, 5, a Nova Arena Fonte Nova. A solenidade atraiu torcedores e autoridades estaduais. A presidente deu o pontapé na inauguração oficial. A solenidade festiva ocorrerá no próximo domingo, 7, com shows de Ivete Sangalo e Cláudia Leite e o primeiro BA-VI do ano.
O estádio vai receber jogos da Copa das Confederações-2013 e da Copa 2014. As obras ficaram prontas após dois anos e meio e investimentos próximo de R$ 700 milhões. O estádio foi construído numa Parceria Público-Privada. O governo baiano entrou com mais de R$ 450 milhões em investimentos e o restante foi aplicado pelo consórcio OAS-Odebrecht (Foto Manu Dias/GovBA).

OTTO ALENCAR E RUI COSTA

O secretário estadual da Casa Civil, Rui Costa, é o nome preferido do governador Jaques Wagner para a sucessão em 2014. Costa, aliás, é levado a tiracolo a todos os compromissos do “Barbudinho de Ondina” no interior do Estado. Ou, claro, representa-o em eventos oficiais.

Mas se Wagner quer o secretário da Casa Civil candidato, o vice-governador tem outra opinião. A amigos, Otto Alencar diz que Rui não é o melhor nome para a disputa eleitoral de 2014. No PT, outros nomes na disputa são os de Walter Pinheiro e José Sérgio Gabrielli.

Resta saber se o vice-governador topa formar chapa com Rui. Como o Barbudinho de Ondina é tido como de bons argumentos, esperemos.

COSTA SE DIZ ORGULHOSO COM “ESCOLHA” DE JW

RUI COSTA 2Do Bahia Notícias

Ao representar o governador Jaques Wagner durante o lançamento do edital de licitação para execução do projeto Novo Teatro Castro Alves (TCA), nesta quarta-feira (3), o secretário estadual da Casa Civil, Rui Costa (foto), falou sobre a preferência do seu nome pelo chefe do Executivo para candidatura ao governo em 2014, segundo especulou o colunista da revista Época, Felipe Patury.

“Minha função é apresentar as marcas do governo. De todo modo, fico lisonjeado e orgulhoso e entendo que essa indicação parte da amizade que tenho com o governador há mais de 30 anos”, avaliou o secretário, em entrevista ao Bahia Notícias.

Costa ponderou que “política não é definida por amizade” e negou que já tenha conversado com o governador sobre o assunto. “Wagner vai discutir isso com as bases do governo e, então, naturalmente, nós vamos tratar do assunto”, declarou.

Durante o evento, Rui Costa demonstrou a sintonia com o governador ao discursar que a Casa Civil será responsável por acompanhar o novo TCA. “Wagner falou: ‘Rui, acompanhei o projeto até aqui, agora quero que a Casa Civil tome conta'”, relatou.

WAGNER NO “RODA VIVA”

roda viva

O governador Jaques Wagner é o entrevistado desta segunda, 1º, do programa Roda Viva (TV Cultura), às 22 horas. O mandatário baiano vai falar dos efeitos da pior seca dos últimos 50 anos no Nordeste brasileiro.

No último dia 9, Wagner decretou situação de emergência em 214 municípios baianos atingidos pela seca. O governador ainda responderá a questões relacionadas ao processo eleitoral do próximo ano e reeleição da presidente Dilma Rousseff.

GABRIELLI NEGA CRISE NA PETROBRAS E DIZ QUE TUCANOS “FALSEIAM REALIDADE” DA EMPRESA

Gabrielli durante evento em Itabuna (Foto Marcos Souza/Pimenta).

Gabrielli em Itabuna (Foto Marcos Souza/Pimenta).

O ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli disse que os ataques da oposição ao período em que ele comandou a estatal do petróleo têm como foco não a disputa estadual de 2014, da qual se revela pretendente a sucessor do também petista Jaques Wagner. O alvo, para ele, é a gestão da presidente Dilma Rousseff.

– Essa é uma questão nacional que nada tem a ver com a disputa local. É nacional, em relação à Petrobras. O PSDB e a oposição ao Governo Dilma estão querendo bombardear a Petrobras, e não a minha gestão. O foco não sou eu – disse em entrevista ao PIMENTA.

Gabrieli diz que a empresa saiu de um lucro médio de R$ 1,1 bilhão com os tucanos, em 2002, para R$ 25 bilhões sob o período Lula-Dilma Rousseff. E aproveita para se capitalizar. “Os cinco maiores lucros obtidos pela Petrobras foram sob a minha direção”. Para ele, os tucanos “estão falseando a realidade” financeira da Petrobras.

O secretário é um dos nomes petistas na disputa à sucessão do governador Jaques Wagner. Gabrielli é apontado como o queridinho de Lula ante nomes como os de Walter Pinheiro e Rui Costa, este último com o apoio de Wagner.

Também de olho em 2014, o homem do Planejamento iniciou périplo pelo estado há dez dias. O pretexto é discutir problemas e soluções nos quase 30 territórios de identidade da Bahia. De quebra, aproveita para vitaminar o próprio nome, colocando-se em contato com líderes políticos e comunitários, a exemplo do que ocorreu em Itabuna, no projeto “Diálogos Territoriais”, com a companhia dos deputados Geraldo Simões e Rosemberg Pinto, que defendem o nome de Gabrielli na sucessão estadual.

Confira a entrevista.

Blog Pimenta – Como esta série de diálogos pode ser útil à sociedade e ao governo?

José Sérgio Gabrielli – Esse Diálogo permite troca de opiniões sobre o que foi feito e qual é a visão que o seu território tem dos seus principais problemas. Isso vai fazer com que nós processemos essas informações e reorientemos as ações de governo, além de observar no que essa reorientação pode implicar nas ações da gestão.

BP – O que foi identificado de deficiências na atuação do Estado no Território Litoral Sul?

JSG – Senti muito uma visão de que o governo está fazendo as obras estruturantes, que as grandes questões estão sendo tratadas pelo governo, mas há uma diferença entre os pequenos e os grandes municípios da região. O governo está precisando dar um pouco mais de atenção a essas questões internas do Litoral Sul, especialmente aos municípios menores.

gabrielli jan1 foto marcos souza www.pimenta.blog.br

PORTO SUL – Esse processo não está parado, está em andamento. Está mais lento que nós gostaríamos, mas não está parado.  [A lentidão] É resultado da legislação brasileira e da ação do Ministério Público Federal.

BP – A lentidão no andamento do projeto Porto Sul tem sido ponte de fortes críticas ao governo. A Bamin reivindica a cessão da área do terminal privativo. Por que essa cessão não ocorreu até agora?

JSG – Olha, existe um processo de licenciamento ambiental que está sendo contestado pelo Ministério Público Federal e pelos órgãos ambientais. Pontos foram defendidos, foram feitas várias audiências. A licença-prévia saiu e temos que atender uma série de condicionantes.  Esse processo não está parado, está em andamento. Está mais lento que nós gostaríamos, mas não está parado.  [A lentidão] É resultado da legislação brasileira e da ação do Ministério Público Federal.

BP – A cessão não pode ocorrer enquanto não sair o licenciamento?

JSG – Na licença-prévia, você tem uma série de condicionantes, que estão sendo encaminhadas. Eu não concordo com a ideia de que estamos parados. Gostaríamos de maior rapidez, mas temos limitações que fogem ao nosso controle.

BP – Agora, falando de processo eleitoral: o PT fez reunião para discutir 2014 e o nome do senhor está incluído.

JSG – Mais importante que os nomes, o PT reafirmou a legitimidade de ter um candidato a governador. Essa é a questão central. Vamos maturar os nomes e o processo de definição.  Acho que está muito cedo para definir quem é o nome, mas o partido reafirmou, corretamente, que tem condições políticas para dar continuidade ao governo Wagner, que é do PT, e vem conduzindo de forma magnânima a ampla a base de sustentação.

Gabrielli foto Marcos Souza jan2 www.pimenta.blog.br

 

Elegemos 92 prefeitos na Bahia, temos as maiores bancadas de deputados. Por isso, [o PT] tem toda a legitimidade e vários nomes a ofertar para ser o sucessor de Wagner.

 

 

BP – E a viabilidade?

JSG – O PT tem viabilidade eleitoral porque teve um milhão de votos a mais que o segundo partido mais votado na disputa a prefeito [em 2012] no Brasil, elegemos 92 prefeitos na Bahia, temos as maiores bancadas de deputados estaduais e federais. Por isso, [o PT] tem toda a legitimidade e tem vários nomes a ofertar para ser o sucessor de Wagner.

BP – Falando do senhor, o bombardeio contra os resultados da sua gestão na Petrobras não seriam um complicador na pretensão de ser o nome do PT?

JSG – Olha, essa é uma questão nacional que nada tem a ver com a disputa local. É nacional, em relação à Petrobras. Acho que o PSDB e a oposição ao Governo Dilma estão querendo bombardear a Petrobras, e não a minha gestão. O foco não sou eu.

Gabrielli foto Marcos Souza jan2 www.pimenta.blog.brA Petrobras não está em crise. Uma empresa que teve R$ 21 bilhões de lucro em 2012, [projeta] 236 bilhões de dólares de investimentos para os próximos anos e está produzindo 300 mil barris/dia no pré-sal não pode ser caracterizada como empresa em crise.

 

BP – Mas não refletiria no nome do senhor e nas suas pretensões?

JSG – Eu venho afirmando claramente que a Petrobras não está em crise, não está com problemas. Uma empresa que teve R$ 21 bilhões de lucro em 2012, [projeta] 236 bilhões de dólares de investimentos para os próximos anos, que está fortemente caminhando para crescer na produção e já está produzindo 300 mil barris por dia no pré-sal não pode ser caracterizada como uma empresa em crise. Essa é a questão central. Estão falseando a realidade [da Petrobras].

BP – Como se explica o fato de a empresa deixar de ser a de maior valor do Brasil?

JSG – Mas ela foi a de maior valor comigo. Os cinco maiores lucros obtidos pela Petrobras foram sob a minha direção. Eles estão comparando com 2008, quando eu era presidente. Por que não comparam com 2002, quando eles mandavam na Petrobras e o lucro era de R$ 1,1 bilhão e, agora, o lucro médio dos últimos anos é de R$ 25 bilhões?

BP – Retornando à disputa de 2014, o senhor acha que o nome a ser escolhido na base terá como vencer diante das insatisfações regionais com o governo estadual?

JSG – Olha, as eleições de prefeito demonstraram que o PT teve um milhão e 100 mil votos na Bahia. O PMDB elegeu pouco mais de 40 prefeitos, o PSDB elegeu 9. A base do governo elegeu 340 prefeitos. Então, não vejo como o eleitor está demonstrando que é contra o governo.

O “JUDAS DO ANO”

caricatura vaneOs leitores opinaram na seção Comentários e o prefeito Claudevane Leite, de Itabuna, foi o escolhido para o posto de “Judas do Ano”, com 44 menções, ante 38 do ex-prefeito Capitão Azevedo. No geral, os leitores citaram o atual gestor pelo início de governo “cambaleante”. Já o ex-prefeito é lembrado pelo caos financeiro que provocou em Itabuna.

O governador Jaques Wagner foi lembrado por 10 dos leitores que opinaram. O vice-prefeito de Itabuna, Wenceslau Júnior, recebeu 8 menções, seguido do prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, com seis. Houve ainda quem citasse o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros, e o deputado federal Marco Feliciano, acusado de racismo e homofobia.

ALDENES VERSUS DAVIDSON

marco wense1Marco Wense

Um Aldenes Meira independente, com personalidade, conduzindo a digna instituição com respeito, enfraquece a corrente do PCdoB contrária a sua legítima pretensão de se candidatar ao Parlamento estadual.

Já começou o burburinho em torno da votação das contas de 2011 e 2012 do ex-prefeito José Azevedo, ainda filiado ao Partido do Democratas, o DEM de Maria Alice.

O “ainda” é porque Azevedo quer trocar o DEM pelo PMDB do médico Renato Costa, que vai terminar vivendo o dilema do “se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.”

O bicho pega porque Renato não pode ser ingrato com o ex-prefeito, seu aliado na sucessão de 2012. A dobradinha DEM-PMDB colocou Renato como candidato a vice na chapa da reeleição.

O bicho come porque o discurso da ética, que sempre norteou a carreira de Renato, com a filiação de um político que vai ser alvo de inúmeros e variados processos, fica comprometido. Desacreditado.

Alguns membros do diretório do PMDB querem que a filiação de José Azevedo fique condicionada à aprovação das suas contas pela Câmara de Vereadores.

O “condicio sine qua non” não agrada o comando estadual da legenda, já que o ex-prefeito pode ser um importante aliado de Geddel Vieira Lima na sucessão do governador Jaques Wagner (PT).

A grande expectativa fica por conta de Aldenes Meira, presidente do Legislativo municipal e pré-candidato a deputado estadual pelo PCdoB, partido sob a batuta do vice-prefeito Wenceslau Júnior.

Aldenes sabe que sua ascensão política depende do seu desempenho na Casa. E nada melhor do que a rejeição das contas do ex-alcaide para colocá-lo na mídia. Na vitrine eleitoral.

:: LEIA MAIS »

ESTADO PROMETE GRATIFICAR POLICIAL COM BOM DESEMPENHO

Wagner lança prêmio por desempenho policial (Foto Manu Dias/GovBA).

Wagner lança prêmio por desempenho policial (Foto Manu Dias/GovBA).

Depois de mais de um ano após aprovação pela Assembleia Legislativa, o governador Jaques Wagner lançou, hoje, o Prêmio por Desempenho Policial (PDP), em cerimônia na sede do Ministério Público Estadual. De acordo com o PDP, a premiação será paga sempre no mês de abril de cada ano, a partir de 2014.

A premiação atingirá o máximo de R$ 4 mil para delegados, oficiais, peritos e analistas técnicos e R$ 2,8 mil para investigadores, escrivães, praças, peritos técnicos, técnicos administrativos e auxiliares administrativos. O pagamento terá como critério, segundo o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, “a participação do servidor na redução dos crimes violentos letais intencionais”.

PESQUISA REVELA QUE SÓ 23,2% DOS ITABUNENSES APROVAM GOVERNO VANE

Vane obtém aprovação de 23,5% em início de governo.

Vane obtém aprovação de 23,5% em início de governo.

A Sócio-Estatística fez levantamento com 808 itabunenses, no período de 1 a 8 de março. Os resultados levam preocupação ao prefeito Claudevane Leite (PRB) e – mais ainda – ao ex-prefeito Capitão Azevedo (DEM).

Com pouco mais de dois meses de gestão, o Governo Vane obteve apenas 23,2% de avaliação positiva, percentual praticamente igual ao dos que consideram a gestão ruim ou péssima: 20,8%.

A margem de erro do levantamento é de 4 pontos percentuais.

O percentual dos que avaliam o governo como regular atingiu 21,5%. Dos eleitores ouvidos,  34,5% não quiseram emitir opinião.

Para Agenor Gasparetto, da Sócio-Estatística, a avaliação do governo tende levemente ao positivo, mas a administração “terá que provar que será capaz de ir além de boas intenções e bons propósitos”. O itabunense, diz Gasparetto, está mais exigente.

Gestão de Azevedo obteve reprovação de 52,1% dos itabunenses.

Gestão de Azevedo obteve reprovação de 52,1% dos itabunenses (Foto Bahia Online).

A pesquisa também aferiu o humor do eleitorado em relação ao finado governo de José Nilton Azevedo (DEM).

Exatos 52,1% dos pesquisados avaliaram como negativa a administração do ex-prefeito, sendo que, destes, 42,9% cravaram como “péssima” a gestão do democrata. A aprovação ficou em 21,1%.

Palavras de Gasparetto: “Essa avaliação praticamente sela a sorte de Azevedo como político no curto prazo. Saiu mal do governo e sair mal não é uma boa notícia e não emite sinais alvissareiros para o futuro, muito pelo contrário”.

A Sócio-Estatística ainda perguntou ao eleitor itabunense sobre as gestões de Dilma (muito bem avaliada) e de Wagner (tendendo ao negativo) e mandatos de deputados itabunenses: os estaduais Augusto Castro e Gilberto Santana têm avaliação tendendo ao positivo, enquanto o federal Geraldo Simões é mais conhecido (está no terceiro mandato de deputado e foi duas vezes prefeito de Itabuna), mas a visão que o itabunense tem dele, no geral, tende ao negativo. Atualizado às 13h37min.

LULA DE OLHO NO CENÁRIO BAIANO

Nota publicada na coluna Painel, da edição de hoje da Folha, revela preocupação do ex-presidente Lula com a performance dos governadores petistas. A nota “Alerta vermelho” cita, principalmente, Bahia, Rio Grande do Sul e Distrito Federal. Eis a nota:

“Em conversa com dirigentes do PT, Lula manifestou preocupação com o desempenho de governos petistas, sobretudo no Rio Grande do Sul, Bahia e Distrito Federal. Citando a derrota de Ana Júlia (Pará), atribuída por ele à ausência de diagnóstico das falhas da gestão, pediu novas pesquisas de avaliação dos mandatos de Tarso Genro, Jaques Wagner e Agnelo Queiroz. O ex-presidente quer traçar panorama para 2014 conhecendo os pontos frágeis da sigla nos Estados que administra”.

WAGNER E DILMA NA DESPEDIDA A CHÁVEZ

Chávez recebeu Wagner no Miraflores em março de 2009 (Foto Divulgação).

Chávez recebeu Wagner no Miraflores para tratar de dengue e investimentos (Foto Francisco Batista).

O governador Jaques Wagner embarcará com a comitiva presidencial brasileira que irá a Caracas, na Venezuela, para participar das últimas homenagens a Hugo Chávez, presidente venezuelano morto na última terça-feira, 5, vítima de câncer.

O corpo do comandante venezuelano será enterrado nesta sexta, 8. Wagner lembra das visitas de Chávez ao estado e das colaborações do presidente do país vizinho em ações de combate à dengue na Bahia. O voo a Caracas está marcado para o meio-dia de hoje.

Wagner esteve em missão oficial, na Venezuela, há exatos quatro anos (relembre aqui). Em março de 2009, o governador baiano foi recebido por Chávez, no Palácio Miraflores, quando foi tratar de projeto na área petroquímica e ações de combate à dengue na Bahia.

O país sul-americano havia enfrentado uma grande epidemia de dengue em 2006.

WAGNER E DILMA COMENTAM RENÚNCIA DE BENTO XVI

Fátima Mendonça e Wagner em visita a Bento XVI, no Vaticano, em maio de 2012.

Primeira dama e Wagner em visita a Bento XVI, no Vaticano, em maio de 2012. Padre recebeu livro sobre Irmã Dulce (Foto Arquivo).

O governador Jaques Wagner solidarizou-se, hoje, com o agora papa emérito Bento XVI em sua decisão de renunciar ao pontificado. O sumo pontífice deixou o cargo máximo da Igreja Católica apostólica romana às 16h desta quinta, 28.

Wagner considerou o gesto do papa uma demonstração de “coragem e firmeza”. Wagner visitou o papa, no Vaticano, em maio do ano passado, quando presenteou a autoridade religiosa com livro sobre Irmã Dulce (foto acima). A íntegra da mensagem do governador baiano ao papa emérito foi divulgada pela sua assessoria.

– Expresso, hoje, em meu nome e de todos os baianos, profunda admiração e respeito pela decisão de Vossa Santidade de renunciar ao papado, gesto imbuído de muita coragem e firmeza, ao mesmo tempo em que manifesto sincero desejo de que em sua nova residência, em Castel Gandolfo, possa continuar sendo um instrumento de luz, sabedoria e amor em prol da humanidade.

A presidente da República, Dilma Rousseff, também se pronunciou quanto à renúncia de Bento XVI.  “Manifesto o meu respeito pela decisão de Vossa Santidade de renunciar à Cátedra de São Pedro. Desejo que essa nova fase de recolhimento o encontre com saúde e paz”, disse em mensagem tornada pública pela sua assessoria.

NOVO ATRASO NAS OBRAS DA FONTE NOVA

Fonte Nova será entregue só no dia 8, se não houver novo adiamento (Foto Divulgação).

Fonte Nova será entregue só no dia 8, se não houver novo adiamento (Foto Divulgação).

Do GE

Gramado plantado e podado, traves instaladas, campo marcado, iluminação externa testada e refletores do campo a pleno funcionamento. De longe, a Fonte Nova parece pronta para ser entregue à população de Salvador. No entanto, ainda não será dessa vez que o estádio baiano receberá o carimbo de ‘obras finalizadas’.

Nesta manhã, o governador Jaques Wagner reconheceu que haverá um atraso na entrega da arena. O prazo, que inicialmente vencia nesta quinta-feira, foi adiado pela segunda vez. Agora, a promessa é de que o palco de jogos da Copa das Confederações deste ano e da Copa do Mundo de 2014 só passará para o Governo do Estado em 8 de março, dia Internacional da Mulher.

WAGNER DEFENDE ALIADO NA DISPUTA PELA PRESIDÊNCIA EM 2018

Wagner defende aliado na disputa presidencial em 2018.

Wagner defende aliado em 2018.

O governador Jaques Wagner surpreendeu petistas em sua passagem pela capital pernambucana, na noite da segunda-feira, 25, quando defendeu que o PT abra espaço na disputa pela presidência da República a um dos partidos aliados em 2018. O gesto, logo em Recife, foi visto como uma forma de agradar o governador Eduardo Campos, que é do PSB e faz jogo (não tão claro) com vistas à disputa de 2014.

– Eu posso falar que em 2018 a gente vai inteirar 16 anos de governo, de um projeto político que tem aliados sem os quais a gente não teria andado e que tem o PT na condução; mas que não tem, obrigatoriamente, que ter o PT na condução.

Wagner, segundo reportagem do Valor, também disse que a melhor forma é “caminhar agregando” para que não dar chances aos adversários. Afirmou isso ao discorrer sobre alianças e participação do PSD no governo da presidenta Dilma Rousseff.

Enquanto isso, não se sabe qual o jogo de Wagner para 2014 na sua área, a Bahia. O partido dele, o PT, tem, pelo menos, quatro nomes na disputa pela cadeira principal do Palácio de Ondina, dos quais se destacam o senador Walter Pinheiro e os secretários estaduais José Sérgio Gabrielli e Rui Costa.

Do lado da oposição, nomes ventilados são os do peemedebista Geddel Vieira Lima e do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), que – por enquanto – descarta entrar na disputa do próximo ano.

VANE ANUNCIA FÁBRICA DA DEL VALLE E PROGRAMA PARA 10 MIL CRIANÇAS E JOVENS

(Fotos Gabriel Oliveira)

(Fotos Gabriel Oliveira)

O prefeito Claudevane Leite (Vane do Renascer) disse que estão adiantadas as negociações do governo estadual para que a fábrica de sucos Del Valle, da Coca-Cola Company, seja instalada em Itabuna. A unidade deverá se instalar no Distrito Industrial, às margens da BR-415. Uma área de 72 hectares foi desapropriada pelo governador Jaques Wagner para criar o distrito e abrigar indústrias como a Del Valle.

Durante entrevista exclusiva ao PIMENTA, o prefeito itabunense também revelou a criação do que considera o maior programa social da história do município. A iniciativa envolverá 10 mil crianças e adolescentes em atividades de inclusão por meio do esporte e deverá começar “nos próximos meses”. É uma das cartadas para tentar diminuir os índices de violência no município e integra as ações do programa Cidade de Paz, prometido em campanha.

Vane também comentou sobre a força do PCdoB no governo e negou que os comunistas tenham sido desleais. “Eu desafio aqui os meios de comunicação ou qualquer pessoa a dizer onde foi que o PCdoB avançou sinal”.

A entrevista também aborda duas questões caras nesse início de governo: a nomeação – e exoneração – de azevedistas e as dívidas deixadas pelo ex-prefeito Capitão Azevedo (DEM).  Apenas com a Marquise, cita, foram R$ 12 milhões não pagos, além de R$ 1 milhão com a Oi, o que deixou prefeitura e redes de educação e saúde sem telefone e internet, afetando, por exemplo, a marcação de exames e consultas. Confira principais trechos da entrevista.

BLOG PIMENTA – A mudança foi o lema da sua campanha, mas a sua gestão manteve quadros e situações do governo passado. Com isso, não há uma quebra de expectativa? O senhor não acha que faltaram ações de impacto que marcassem a diferença de um momento para o outro?

CLAUDEVANE LEITE – Eu acredito que houve choque de gestão com a revisão, agora, de todos os contratos feitos de 2009 para cá. Conseguimos reduzir o valor da maioria dos contratos. Dos cargos comissionados, nós preenchemos apenas 40%, o que é muito difícil um prefeito fazer. Quanto aos comissionados do governo anterior, foram 9, 10 pessoas, não era uma multidão e, até onde eu sei, não eram pessoas envolvidas com nada de errado. Nós terminamos por exonerá-las,  exatamente porque a opinião pública não aceitava. [A nomeação] talvez tenha sido um equívoco. Os que ficaram são efetivos e quem errou vai responder. Vamos enviar [as provas] para o Ministério Público estadual.

BP – Numa entrevista, o senhor disse que nomeou algumas das pessoas do governo passado, apresentadas pelos seus secretários,  sem mesmo conhecê-las. Essa surpresa se deu também com o ex-secretário José Alencar?

CL – Não. José Alencar é um bom técnico, tem trânsito muito bom no governo federal e tinha uma boa equipe de planejamento, de projetos. No primeiro momento, a gente precisou ficar com algumas pessoas aqui para passar informações de projetos. Chegamos e não tínhamos conhecimento de como estavam os projetos. Uma dessas pessoas foi José Alencar, que ficou e nos ajudou muito.

BP – Essa necessidade seria um indicativo de que não houve transição efetivamente?

CL – Houve transição, trabalhamos, mas, efetivamente, o governo anterior não encaminhou todas as informações. Até agora, eles não passaram as informações contábeis. Marcam a data e não cumprem. Estamos em nossa auditoria interna e vamos contratar empresa.

BP – Fará auditoria externa?

CL – Exatamente. Estamos conversando com várias empresas. Vamos fechar essa auditoria externa até a próxima semana.

Vane entrevista Pimenta5 foto Gabriel Oliveira______________

NOMEAÇÃO DE AZEVEDISTAS: Foram 9, 10 pessoas, não era uma multidão. Nós terminamos por exonerá-las,  exatamente porque a opinião pública não aceitava.

 

BP – Nos levantamentos internos, o que já foi detectado?

CL – O comprometimento das finanças, as dívidas deixadas, sem dúvida, são os maiores problemas. Itabuna está no Cadin [Cadastro de Inadimplentes] e, por isso, não pode pleitear muitos dos convênios federais por causa da inadimplência. Só de INSS, são R$ 250 milhões em dívidas. Isso é histórico, vem de muito tempo. Temos dívida de R$ 19 milhões com empresas de lixo. São R$ 12 milhões com a Marquise e R$ 7 milhões da Torre.

BP – Como será solucionado este impasse com a Marquise, que tem contrato até setembro?

CL – A Marquise está trazendo muita dificuldade para gente. Aqui em Itabuna, já encontramos empresas que podem fazer o serviço pela metade do preço da Marquise, mas com qualidade. Óbvio que iremos ver isso por meio de licitação. Ainda falando dos problemas encontrados, o ex-prefeito também não pagou os servidores, que precisam receber, mas como é que você paga R$ 11 milhões nessa dificuldade? Outro problema muito grave é com a telefônica Oi. Deixaram R$ 1 milhão de débito. A gente não tem como quitar R$ 1 milhão de um dia para o outro. Em janeiro, tivemos um mês infeliz. Nossa arrecadação caiu de R$ 23 milhões, em janeiro de 2012, para R$ 18 milhões em 2013. 70% da nossa frota estava praticamente sem funcionar, inclusive a patrulha mecânica, equipamento novo. Temos também o alto percentual gasto com a folha de pagamento. Apenas a folha dos efetivos já é muito alta e isso é extremamente preocupante.

BP – Muitos municípios têm sofrido com esse aumento do percentual de gasto com a folha não pelo empreguismo, mas por causa da queda de arrecadação. Qual a saída para aumentar receita?

CL – Nós temos que trabalhar com austeridade e buscar aumentar a receita própria, mas sem aumento ou criação de impostos, e vamos fazer isso. Volto a dizer que cortamos as funções gratificadas e deixamos de preencher 60% dos cargos comissionados como medidas de economia. Mas vamos ter que contratar para a saúde, educação, assistência social. Precisamos estruturar a saúde para que todos os postos estejam funcionando em março. A saúde está sendo preparada para receber a Plena.

______________Vane entrevista Pimenta 6 Foto Gabriel Oliveira

DÍVIDAS E GESTÃO: Nossa perspectiva é de um cenário melhor a partir de abril, mas já estamos fazendo muito dentro do possível. Nós pegamos uma prefeitura com débito e sem dinheiro em caixa.

BP – O retorno do Comando Único estaria condicionado, ainda, ao pagamento de dívidas deixadas em 2008, quando o município perdeu a gestão plena?

CL – Este não é um complicador para que o comando único retorne. O mais importante é melhorar a atenção básica. Nós estamos acelerando para que isso aconteça.

BP – O senhor traz um retrato de “terra arrasada”. Há perspectiva de quando o governo começa a trabalhar dentro de um cenário mais otimista?

CL – Tivemos uma melhora em fevereiro, mas nossa perspectiva é de um cenário melhor a partir de abril, mas já estamos fazendo muito dentro do possível. Nós pegamos uma prefeitura com débito e sem dinheiro em caixa. Estamos regularizando a dívida com o servidor, contratamos 150 pessoas para varrição de ruas, poda, jardinagem e estamos com operação tapa-buracos e iluminando as vias. A cidade não está melhor, mais limpa, por causa desse problema com a Marquise, que faz a coleta de resíduos sólidos. O Hospital de Base já deu uma melhorada, mesmo com toda a dificuldade. As consultas médicas estão sendo marcadas. Gente que estava há oito meses sem marcar exame já  está conseguindo.

BP – Mas quem procurou marcar consulta no início de fevereiro enfrentou dificuldades.

CL – Com certeza, mas isso foi por causa do sistema que é ligado à Oi, a quem a prefeitura deve R$ 1 milhão. Esse foi um problema operacional, que já estamos regularizando. A gente começou a limpar a cidade, tapar os buracos e limpar canais. O canal do São Caetano há seis anos que não passava por limpeza e nós começamos a limpar. E o da Califórnia, também. Então, a gente acredita que de abril em diante a gente comece a avançar muito mais.

BP – As feiras livres de Itabuna sempre foram sujas, mas hoje estão ainda mais. O centro comercial está muito sujo. O que fazer?

CL – O centro comercial é um condomínio e precisa dar uma resposta. Diante da dificuldade toda que temos, estamos fazendo grande esforço. Queria antecipar que, na conversa com o governador Wagner, nós tratamos da revitalização das feiras livres. Outro assunto foi a volta do Comando Único do SUS. A gente não quer apenas melhoramento, mas fazer revitalização total das feiras. As feiras são questão de saúde pública e um pedido de Itabuna. As feiras do São Caetano e Califórnia têm canais sujos, com ratos, urubus… Nós solicitamos ao governador, e ele pediu para encaminhar projeto. Pensamos em feira com estacionamento, pavimentos e que as pessoas que trabalham lá possam aumentar sua renda.

Vane entrevista Pimenta5 foto Gabriel Oliveira______________

FEIRAS LIVRES: As feiras são questão de saúde pública. A gente não quer apenas melhoramento, mas fazer revitalização total das feiras.

 

 

BP – Esses projetos das feiras livres implicam em mudança de local?

CL – Não temos intenção de mudança de local. Pedimos mais algumas coisas ao governador, a exemplo dos canais e apoio para a pavimentação dos bairros.

BP – Na última entrevista ao blog, ainda na condição de prefeito eleito, o senhor falou que um dos assuntos da audiência seria a geração de empregos, atração de indústrias. Isso foi tratado?

CL – Sim, o governo já desapropriou área de 72 hectares para a Sudic. Virá uma empresa para cá. Estou muito preocupado porque 90% das pessoas que vêm à Prefeitura estão em busca de emprego. Nesses 50 dias de governo, já me reuni com mais de 20 empresários. Todas essas 20 virão para Itabuna? Não, mas tentaremos trazê-las. Nós fomos o primeiro prefeito da Bahia que criou a Sala do Empreendedor, com o Sebrae, para que o pequeno empreendedor saia de lá com tudo prontinho, tenha também acesso a crédito, junto com a Caixa [Econômica Federal]. Essa semana, também, já tivemos com o Banco do Povo, para que a prefeitura possa dar suporte financeiro para que possamos expandir o microcrédito. A visão nossa é ampla, estamos preocupados com a questão da saúde, da educação, do emprego, da violência.

BP – Qual a empresa que ocupará essa área do distrito industrial?

CL – É a indústria de sucos Del Valle (da Coca-Cola) e já é uma negociação que está bem adiantada. Mas temos também aquela área onde funcionou a Kildare, que eu penso em utilizar para instalar uma incubadora de pequenas e médias empresas. Hoje nós temos diversas empresas interessadas naquele espaço e nós estamos avançando nisso, embora ainda haja uma questão judicial a ser resolvida. Mas estamos muito preocupados com a questão do emprego e renda em Itabuna.

BP – Existe possibilidade de negociação amigável com os Kaufmann, que reivindicam os galpões?

CL – Na verdade, hoje a Prefeitura tem o domínio da área, mas ainda há questões a serem vencidas.

Vane entrevista Pimenta 7 foto Gabriel Oliveira______________

VIOLÊNCIA E CIDADE DE PAZ: A cada ano a violência aumenta e isso é uma coisa que nos deixa extremamente preocupados. O ano de 2013, particularmente, começou dando sinais de que será pior nesse aspecto.

BP – Como o governo está se mobilizando para transformar em realidade o projeto Cidade de Paz, que foi um de seus compromissos de campanha?

CL – Na última década, os índices mostram que a cada ano a violência aumenta e isso é uma coisa que nos deixa extremamente preocupados. O ano de 2013, particularmente, começou dando sinais de que será pior nesse aspecto. Nós vamos procurar resolver isso, fazendo políticas públicas. Temos feito diversas reuniões com nossos secretários e todas as ações, principalmente na cultura, na Fundação Marimbeta, Secretaria de Esportes, de Educação, é visando promover programas e projetos voltados à inclusão social. O que precisamos fazer é trabalhar a criança e o adolescente para reduzir sua vulnerabilidade. Estamos articulando junto ao Pronatec [Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego] a atração de diversos cursos profissionalizantes. Além da ampliação da renda, queremos oferecer esse treinamento e mais opções no que se refere ao esporte e à cultura.

BP – Já existe algum projeto pelo menos em vias de ser concretizado?

CL – Nós ainda não estamos divulgando na imprensa, mas nos próximos meses vamos lançar um programa que vai atender 10 mil crianças e adolescentes. Será o maior programa social da história de Itabuna. Somente na Vila Olímpica, sede da Usemi (União dos Servidores Municipais de Itabuna) e no Itabunão (Estádio Luiz Viana Filho),  teremos vaga para 3 mil crianças praticarem esportes. Outras 2 mil serão acolhidas na Fundação Marimbeta e mais 5 mil pela Ficc [Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania]. Será o primeiro grande passo que daremos em relação às políticas públicas de inclusão, mas também de prevenção. Itabuna terá uma programação cultural e esportiva que jamais teve. Queremos fazer grandes festivais culturais e muitas competições esportivas para que, nos próximos anos, em vez de ver a  violência aumentar, possamos vê-la diminuir.

CLIQUE NO LINK ABAIXO E CONFIRA TODA A ENTREVISTA
:: LEIA MAIS »








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia