WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
cenoe





dezembro 2018
D S T Q Q S S
« nov    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

editorias






:: ‘Jonas Paulo’

AUGUSTO, GERALDO E GABRIELLI

Gabrielli também foi citado por Augusto.

Gabrielli também é citado por Augusto entre “geraldistas”.

O deputado Augusto Castro (PSDB) apareceu aqui, ontem à noite, apontando reparos à postagem em que ele falava da impossibilidade de acordo com o PCdoB e da sua estranheza quanto à forma como o PT estadual vem tratando Geraldo Simões.

Augusto, na entrevista ao Resenha da Cidade (Rádio Difusora), não citou apenas Josias Gomes, Jonas Paulo e Everaldo Anunciação entre os nomes de expressão que obtiveram espaço em mandatos – no legislativo ou no executivo – exercidos por Geraldo Simões.

Além dos três, o deputado tucano também citou o ex-presidente da Petrobras e ex-secretário estadual de Planejamento José Sérgio Gabrielli. De memória elogiável, Augusto até lembrou que Gabrielli assessorou Geraldo em um dos mandatos do petista enquanto deputado.

Assim, este blog faz o reparo realmente necessário à nota e dá por encerrada a questão.

CASTRO DESCARTA ALIANÇA COM O PCdoB E COLA IMAGEM DE VANE NOS COMUNISTAS

augusto castroPosicionando-se como candidato a prefeito de Itabuna, o deputado estadual Augusto Castro (PSDB) descartou qualquer possibilidade de aliança com o PCdoB em 2016. Numa entrevista ao Programa Resenha da Cidade (Rádio Difusora), o tucano fez questão de associar a imagem do Governo Vane com os comunistas.

– O PCdoB tem lado – disse Augusto, enfatizando que os comunistas comandam algumas das principais secretarias do governo, dentre elas Saúde e Educação.

Castro, relembrando entrevista do deputado federal Davidson Magalhães, disse que pode conversar sobre ações e projetos para Itabuna, mas nada a ver com a composição eleitoral em 2016. Concluiu que o PCdoB também é governo estadual, enquanto ele integra a bancada oposicionista.

A estratégia tucana é clara: colar a imagem de desgaste do Governo Vane no PCdoB, que pode ir para o pleito com Wenceslau Júnior, hoje vice-prefeito, ou com o deputado federal Davidson Magalhães.

INGRATIDÃO DO PT COM GERALDO?

Castro também comentou sobre a situação política do ex-deputado federal Geraldo Simões. O petista tem sido vetado em cargos estaduais e até mesmo federais pelo comando estadual do PT. Para Augusto, o fato é estranho, pois, lembra ele, Geraldo deu guarida a nomes como Everaldo Anunciação, Josias Gomes e Jonas Paulo, quando foi prefeito de Itabuna. “Há algo de estranho aí”, disse.

NINÃO SURPREENDE PT E ANUNCIA APOIO A VALMIR ASSUNÇÃO E JONAS PAULO

Ninão, ao centro, com Fernanda Silva e Walmir Assunção no Uruçuca Folia.

Ninão, ao centro, com Fernanda Silva e Walmir Assunção no Uruçuca Folia.

A figura de Eduardo Almeida “Ninão” sempre esteve ligada ao deputado federal Geraldo Simões. Os dois caminhavam juntos, politicamente, desde 1995. Hoje, a criatura rompeu politicamente com o criador.

Ninão decidiu apoiar o deputado federal Valmir Assunção, que tenta renovar o mandato em outubro. No plano estadual, ele apoiará o ex-presidente do PT baiano Jonas Paulo, que tentará vaga à Assembleia Legislativa. O apoio de Ninão a Valmir foi costurado pelo também petista Murilo Brito, esposo da prefeita Fernanda Silva, de Uruçuca.

Numa rápida entrevista ao PIMENTA, Ninão explica as razões para o rompimento anunciado desde o final do ano passado, quando ele não seguiu orientação de Geraldo e decidiu apoiar Everaldo Anunciação, de quem é amigo desde a década de 90, na disputa pela presidência estadual do PT. O candidato de Geraldo era o jornalista Ernesto Marques. Confira

PIMENTA – Você estava com Geraldo há quase vinte anos, por que decidiu apoiar Jonas Paulo para estadual e o deputado federal Valmir Assunção?

EDUARDO ALMEIDA (NINÃO) – A Bahia está em um novo momento. Jonas e Valmir têm muito a contribuir com o PT da baiano nessa nova caminhada.

PIMENTA – É um rompimento só no plano político?

NINÃO – Respeito e reconheço a liderança de Geraldo, mas não concordo com  maneira como o Geraldo vem se relacionando com os partidos aliados, principalmente em Itabuna. Precisamos ter uma relação mais aberta com os aliados nos planos federal e estadual. Hoje o PT de Itabuna enfrenta dificuldades com a política adotada nos últimos anos.

PIMENTA – Como fica o PT para 2016 em Itabuna?

NINÃO – Temos que pensar direito. Aqui em Itabuna, como disse, há dificuldade para se relacionar com os aliados no nível estadual. O PT terá que fazer um trabalho de reaproximação em nível municipal. Se quiser ganhar a prefeitura em 2016, tem que buscar nomes que sempre foram aliados nossos.

EVERALDO DIZ QUE PT PRECISA DE “AJUSTES”

Jonas Paulo (à esq.) declara Everaldo Anunciação eleito novo presidente (Foto Vicente Coutinho).

Jonas Paulo (à esq.) declara Everaldo eleito novo presidente (Foto Vicente Coutinho).

O resultado oficial das eleições no PT baiano confirmou o nome de Everaldo Anunciação como novo presidente da legenda no estado. Ele acabou eleito com 74,45% dos votos ante 20,1% de Ernesto Marques.

Ilheense, técnico agrícola da Ceplac, ex-dirigente da CUT no sul da Bahia e ex-vereador de Itabuna (1997-2000), Everaldo fala na necessidade de “ajustes” no partido “sem perder os princípios de partido de massa, de luta, mas também de mudanças”.

Secretário de Organização do partido, Everaldo enxerga como tarefa para o seu mandato melhorar a relação com a base. Segundo ele, é preciso anda “uma forma de comunicação, de organização da máquina partidária ajustada à nova realidade”.

POSSE E DEFINIÇÕES PARA 2014

O novo presidente toma posse, possivelmente, no dia 30 de novembro, data na qual será escolhido o nome do PT para a sucessão de Jaques Wagner. Estão na disputa o senador Walter Pinheiro, os secretários Rui Costa (Casa Civil) e José Sérgio Gabrielli (Planejamento) e o ex-prefeito de Camaçari Luiz Caetano. Nos últimos dias, surgiu também o nome do secretário de Saúde da Bahia, Jorge Solla.

A disputa teve cinco candidatos. Os outros três nomes foram os de Wanderson Pimenta (1,8% dos votos), Lourival José (1,66%) e Hipólito Brito (1,41%).

De acordo com o boletim divulgado pelo diretório estadual, apenas 17.567 petistas foram às urnas de um total de quase 100 mil filiados. Boa parte ficou de fora por não pagar em dia suas contribuições, dentre eles o governador Jaques Wagner.

JONAS PAULO DIZ QUE MOMENTO É DE REAFIRMAR LIDERANÇA DO PT

Jonas Paulo: controlamos a crise (Foto Pimenta).

Presidente petista diz que movimentação das ruas reforça importância da candidatura própria (Foto Pimenta).

As pesquisas mostram que o PT, em função de sua posição de destaque na política nacional, foi o partido mais prejudicado com as mobilizações das ruas. Diante desse cenário, o presidente da legenda na Bahia, Jonas Paulo, acredita que o momento seja de dar a volta por cima e mostrar força.

Falando sobre a sucessão de Jaques Wagner, Jonas Paulo disse que “a movimentação das ruas reforça ainda mais a tese da importância de se vincular a eleição do estado com a nacional, onde a candidatura petista tem papel central”. A mensagem é clara: o PT apostará na candidatura própria em 2014.

O presidente petista declarou ainda que a presença do partido na cabeça da chapa majoritária significa “a reafirmação da liderança do PT na Bahia, maior estado com um governador petista, para consolidar nosso projeto político nacional”.

Jonas Paulo prevê para novembro o anúncio do candidato à sucessão de Wagner.

“CONTROLAMOS A CRISE”, DIZ PETISTA

Jonas Paulo: controlamos a crise (Foto Pimenta).

Jonas Paulo: controlamos a crise (Foto Pimenta).

Conhecido pelo seu estilo verborrágico, Jonas Paulo, presidente do PT baiano, acredita que a presidente da República, Dilma Rousseff, controlou a crise. Por meio do Twitter, fez jogo de palavras ao fazer referências a conglomerados de comunicação. Para ele, a Folha de São Paulo e a Rede Globo, com “seus institutos e instintos malignos”, vão “morrer de raiva”.

No sábado, o Instituto Datafolha, do Grupo Folha, divulgou pesquisa na qual a presidente Dilma aparece em situação ruim tanto em avaliação de governo quanto nas intenções de voto (reveja aqui). O instituto de pesquisa tem entre seus clientes a Rede Globo.

– Vão manobrar, influenciar, fuxicar e morrer de raiva, pois controlamos a crise – diz o dirigente partidário.

JONAS PAULO SE REBELA CONTRA DESEJO DE WAGNER DE UNIR PT E DEM NA BAHIA

Jonas Paulo quer acabar com flerte de Wagner com ACM Neto (Foto Pimenta).

Jonas Paulo quer acabar com flerte de Wagner com ACM Neto (Foto Pimenta/Arquivo).

Jonas Paulo, presidente estadual do PT, não quer pagar uma de “cupido”. Há pouco, o petista disparou petardos contra a tentativa de aproximação político-eleitoral do governador Jaques Wagner e o prefeito de Salvador, ACM Neto.

Jonas avalia que está claro o desejo do DEM de “embaralhar as cartas” para confundir o eleitor, segundo expressou no microblog Twitter. E, por isso, as flechadas do dirigente partidário não são a de cupido, mas a de quem teme que o PT seja usado pelo Democratas para catapultar o prefeito ACM Neto.

– A tentativa do fragilizado Demo de embaralhar as cartas e colocar cunhas na base JW e influenciar os rumos da sucessão por dentro é visivel – diz ele, que completa: – Não se trata de juntar ou espalhar personagens políticos de ontem e hoje, mas sim unir a frente política do governo JW no projeto mudancista.

Wagner quer ter ACM Neto na base aliada.

Wagner quer ter ACM Neto na base aliada.

Apesar do grande número de ex-carlistas no Governo Wagner, incluindo o vice-governador Otto Alencar, Jonas Paulo fala em “projeto demo-tucano”. Para ele, “a base de JW (Jaques Wagner) expressará a continuidade da mudança”.

O dirigente petista  anda “tiririca” da vida com as movimentações do governador baiano e até bateu boca com o vice-governador Otto Alencar, cria do carlismo. Wagner, ontem, minimizou as declarações recentes do presidente do PT baiano ao afirmar, em entrevista à imprensa, que “posição de partido não é posição de governo”.

O governador, aliás, anda disposto a pagar qualquer preço de uma (agora) possível aliança com o DEM de ACM Neto. Num recado a Jonas Paulo, Wagner disse que “quem prospera na política é quem consegue somar e não subtrair”.

PT ITABUNENSE PREGA UNIDADE

dadfadfdaf

Jonas Paulo é o “conciliador” na paz selada entre as alas de Josias e Geraldo no PT (Foto Josivaldo Dias).

O PT itabunense se reuniu ontem para comemorar os 33 anos de fundação do partido e iniciar a formação política dos novos filiados à legenda. O encontro, no plenário da Câmara de Vereadores, teve a participação dos vereadores Paulinho do INPS e Júnior Brandão, do deputado Geraldo Simões e do presidente estadual do partido, Jonas Paulo, além da presidente do diretório local, professora Miralva Moitinho. Filiados ligados aos deputados federais Geraldo Simões e Josias Gomes adotaram o discurso da unidade e da paz entre os grupos.

JONAS PAULO GARANTE: “O PT É GENEROSO”

Jonas Paulo rebate Lídice

A senadora Lídice da Mata (PSB) se coloca como possível nome na disputa pela sucessão de Jaques Wagner e afirma que chegou a hora do PT ceder espaço aos alados. Lídice chegou a criticar a “avareza” do PT, afirmando que a tradição do partido tem sido a de “não abrir mão”.

A queixa da senadora teve resposta do presidente do diretório estadual do PT, Jonas Paulo. Em entrevita à Tribuna, ele declarou que o PT tem sido generoso com os parceiros políticos e citou a própria eleição da socialista para o Senado como um exemplo. O petista também mencionou a escolha de Gildásio Penedo (PSD) para o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e a presidência da Assembleia Legislativa, ocupada por Marcelo Nilo (PDT) como provas de que seu partido divide o bolo.

Lídice pode mudar o discurso e dizer que o PT cede alguns espaços para acomodar os aliados e mantê-los em sua órbita. Na cúpula do poder, porém, são “outros quinhentos”.

PT SEGUE ORIENTAÇÃO DE WAGNER E NÃO FARÁ OPOSIÇÃO A VANE

Jonas Paulo acompanhou reunião do diretório (Foto Pimenta).

Jonas Paulo acompanhou reunião do diretório (Foto Pimenta).

O diretório municipal do PT decidiu que não fará oposição ao governo do prefeito Claudevane Leite, Vane do Renascer (PRB), em reunião de mais de quatro horas, ontem à noite, com a presença do presidente estadual do partido, Jonas Paulo.

O partido (ou metade dele) defenderá a governabilidade, sem criar empecilhos à nova gestão municipal. Porém, o filiado que ocupar cargo no governo municipal terá que se licenciar ou deixar o partido, informa o Blog do Thame.

Durante a reunião, pesou o fato de que não faria sentido reforçar a oposição ao novo governo se o partido não teve o mesmo comportamento durante a gestão do ex-prefeito Capitão Azevedo. A oposição ao prefeito do DEM era tímida.

A decisão do diretório local, referendada por Jonas Paulo, acalma os ânimos e agrada -em parte – aos grupos ligados aos deputados federais Geraldo Simões e Josias Gomes.

O grupo do ex-prefeito de Itabuna defendia oposição ao governo, enquanto o de Josias defendia reciprocidade com o PRB com o PT na base aliada de Vane, repetindo o que acontece nos planos estadual (Jaques Wagner) e federal (Dilma Rousseff). Os dois governos têm apoio do PRB.

PRESIDENTE DO PT BAIANO FALA EM “VIRADA” NA DISPUTA ILHEENSE

Candidata escolheu o dia 13 para fazer caminhada no centro de Ilhéus.

Professora Carmelita fez grande caminhada nas ruas centrais de Ilhéus ontem e espera ter fisgado eleitores indecisos. Baseando-se em cálculos da PM, a organização afirma que cerca de 10 mil pessoas tenham participado do evento. O evento também atraiu figuras deputados estaduais e federais, o secretário de Planejamento da Bahia, José Sérgio Gabrielli, e o presidente estadual do PT, Jonas Paulo.

Jonas Paulo, diante da multidão, se empolgou: “a virada mostrada nas ruas é certeza de que está na hora da mãe que acalenta, da guerreira que não se cala, da mulher determinada a conduzir os nossos destinos, de conduzir a esperança que bate em nossos corações”.

Do outro lado da disputa, os jabistas esperam dar a resposta amanhã, sábado, 15, quando promovem caminhada na mesma região da cidade. Assim como em Itabuna, ainda não houve nenhuma pesquisa registrada até o momento.

ENFRENTAMENTO COM O DEM

Jonas Paulo: enfrentamento com o DEM.

Jonas Paulo, presidente estadual do PT, disse hoje que a eleição de Juçara Feitosa em Itabuna “é estratégica” e colocou o município como uma das prioridades absolutas do partido no Estado no enfrentamento com o DEM.

A declaração é mais um apelo aos partidos da base do governo baiano na tentativa de reforçar o arco de alianças. A candidatura petista local tem enfrentado resistências entre aliados históricos.

Dos aliados históricos, tem o apoio do PSB. E dos possíveis aliados de peso em relação ao tempo de tevê, contaria com o PSD, partido que luta ainda para que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lhe dê o tempo de tevê de acordo com a bancada atual de deputados federais. A decisão favorável asseguraria ao PSD, pelo menos, 5 minutos diários de televisão. A decisão do TSE sai ainda hoje.

GEDDEL ALFINETA WAGNER E DESCARTA ALIANÇA PMDB-PT NAS 35 MAIORES CIDADES

O ex-ministro Geddel Vieira Lima descartou aliança do PMDB com o PT nos 35 maiores colégios eleitorais da Bahia. Por ele, o diretório estadual peemedebista vetaria toda e qualquer aliança com os petistas no estado. “Fui voto vencido nesse tema”, revelou em entrevista concedida ao PIMENTA.

Geddel explica as razões de o PMDB optar por não aliar-se ao DEM de ACM Neto na capital baiana, mas fechar apoio eleitoral ao prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo, de quem o ex-deputado Renato Costa deverá ser o vice. Deixa claro que o jogo em Salvador tem a ver com 2014.

Vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica, deputado federal por cinco legislaturas e vice-presidente do PMDB baiano, Geddel também aproveitou para desferir ataques contra o seu alvo político preferido na Bahia, o governador Jaques Wagner. Disse que  o petista sofre crise de autoridade. E provoca: “Wagner zonzo”.

Confira a entrevista.

PIMENTA – O PMDB brigou com o DEM na capital baiana e lançou Mário Kertész a prefeito. Como explicar a postura em Itabuna, onde o partido vai ter a vice na chapa de um democrata?

GEDDEL VIEIRA LIMA – O PMDB não brigou com o DEM na capital baiana. A eleição em Salvador é em dois turnos. É impossível pensar que um partido que disputou a eleição de governador em 2010 e que tem projeto para 2014, abra mão de tentar conquistar a capital com suas próprias bandeiras, projetos e programas. No segundo turno, se para ele não formos – e acredito muito no nosso candidato, conversaremos com outras forças de oposição.

E Itabuna?

Em Itabuna, a eleição tem um turno só. O PMDB local entendeu que o prefeito [Capitão] Azevedo fez um bom trabalho e seria o melhor posicionado para derrotar o PT. Ele incorporará nossas ideias e vamos à campanha. Nenhuma contradição, nenhuma briga. Cada município tem sua realidade.

O que pesou na aliança com o DEM em Itabuna, já que tanto o PT como a Frente Partidária também namoravam o PMDB?

Não tem acordo com o PT em cidades grandes, formadoras de opinião. Além disso, temos uma opinião muito clara sobre o estilo dos líderes do PT de Itabuna fazerem política. Nossa opinião é de absoluta rejeição. Não acreditamos que o PT possa trazer avanços políticos-administrativos para Itabuna.

Em eleição de dois turnos, você só não participa do primeiro se faltar absoluta condição política.

O principal entrave em Salvador seria o fato de o PMDB buscar alianças talvez projetando 2014?

Foi o desejo de, na capital do nosso estado, o PMDB buscar, de forma legítima, apresentar seu próprio projeto político-administrativo para a cidade. Em eleição de dois turnos, você só não participa do primeiro se faltar absoluta condição política.

O petista Jonas Paulo vê PT e PMDB fazendo alianças em, pelo menos, 35 municípios. Essa é a mesma visão do senhor?

Não sei em quantos, mas é verdade que em alguns pequenos municípios, a executiva estadual, depois de examinar as realidades locais, admitirá algumas coligações com o PT. Fui voto vencido nesse tema.

Como o senhor avalia o quadro político-eleitoral em 2012? Wagner e Dilma terão a mesma força eleitoral mostrada pelos dois governos em 2008?

O Wagner está muito desgastado. É greve para todo lado, uma imensa crise de autoridade. E as promessas não cumpridas? Cadê a barragem em Itabuna? E a duplicação da Ilhéus-Itabuna? Nada acontece no governo, só lero-lero. Esse é um governo manso. A Dilma, de olho em 2014, vai se meter pouco em 2012.

O partido do senhor trabalha com cenário adverso em 2012 quando comparado a 2008. Quantos prefeitos o partido espera eleger agora?

Certamente não repetiremos o desempenho de 2008. A realidade é outra. Não sei quantos prefeitos elegeremos. Ganharemos umas, perderemos outras… Mas vamos participar do maior número possível de disputas, renovando nossas lideranças, difundindo nossas ideias.

O governador, tentando desmistificar o conceito de que não tem autoridade, age autoritariamente. Wagner  zonzo.

A divisão nas oposições em Salvador não terá reflexo em 2014?

Unidade não é um fim em si mesmo. Precisamos construir um projeto comum da confiança de todos. 2012 é um ano, uma realidade. 2014 será outro momento, outra realidade.

Na opinião do senhor, por que o Estado vem enfrentando dificuldade na negociação com os professores?

Porque o governador, tentando desmistificar o conceito de que não tem autoridade, age autoritariamente. Wagner zonzo.

O PMDB assumiu o comando regional da Ceplac. Recentemente, o secretário estadual de Agricultura, Eduardo Salles, defendeu a transformação do órgão em Embrapa Cacau. Seria esta a saída?

A solução é investir na modernização da Ceplac, na motivação das pessoas, na tecnologia. O doutor Juvenal [Maynart] vem realizando um trabalho que nos orgulha. O ministro [da Agricultura, Mendes Ribeiro], o tem elogiado muito.

DE CARMELITA PARA JONAS: “NÓS VAMOS ATÉ O FINAL”

Carmelita diz que vai até o fim.

O tempo fechou no PT após o presidente estadual do partido, Jonas Paulo, afirmar que Ilhéus e Juazeiro estão entre as cidades onde a legenda pode ceder em favor de candidaturas da base aliada (relembre aqui).

Hoje, a prefeiturável Professora Carmelita diz que a candidatura é irreversível e que Jonas, tido como boquirroto, não tem autonomia para determinar com quais partidos o PT deve fazer alianças.

Por meio de sua assessoria, a professora cita o fato de seu nome ter sido escolhido pelo diretório municipal, respeitando as diretrizes nacionais:

– Fizemos tudo dentro da legalidade. Quem decidiu por esta condição foi nosso diretório municipal, inclusive com o testemunho de pessoas enviadas pelo presidente do PT. Portanto, decidimos e não abriremos mão disso.

A pré-candidata sinaliza até mesmo fim de diálogo com Jonas Paulo. “Nós vamos até o final. Se a nossa candidatura não for bem aceita quem vai ter que dizer isso é o povo de Ilhéus. Não é o presidente [estadual] do partido”.

JONAS PAULO DIZ QUE PT PODE CEDER EM ILHÉUS

Jonas Paulo: PT pode ceder em Ilhéus (Foto Luiz Conceição/Pimenta).

O jornal A Tarde iniciou neste domingo, 3, série de matérias sobre as eleições municipais na Bahia. A primeira reportagem aborda o conturbado relacionamento do PT com os aliados do Governo Wagner. O partido espera fazer 100 prefeituras em 2012, apesar dos desgastes do governo estadual em 2012.

A matéria assinada por João Pedro Pitombo traz reclamações dos dirigentes Alexandre Brust, do PDT, e Daniel Almeida, do PCdoB, quanto à gula petista. A base governista, constata A Tarde, não está unida em nenhum dos 10 maiores colégios eleitorais da Bahia.

Ouvido pela reportagem, o presidente estadual do PT, Jonas Paulo, fala em unidade da base aliada e possibilidade do partido dele abrir mão da disputa em cidades como Juazeiro e Ilhéus. “Vamos trabalhar com humildade e serenidade, respeitando os espaços dos aliados”.

Resta saber como a declaração de Jonas será recebida em Ilhéus, onde o nome na disputa é o da Professora Carmelita…

JONAS PAULO VÊ PT-PMDB NAS MAIORES CIDADES E DEFENDE DIÁLOGO COM PROFESSORES

Jonas Paulo: aliança com PMDB e diálogo entre governo e professores (Foto Luiz Conceição/Pimenta).

O Conselho Político do Governo Wagner, que envolve 10 partidos da base aliada, assiste a possibilidade de o PT fazer aliança eleitoral com o PMDB em 35 municípios da Bahia. Foi o que disse, em Itabuna, o presidente estadual do Partido dos Trabalhadores (PT), Jonas Paulo, que participou do Encontro Municipal do PT de homologação da candidatura a prefeita de Juçara Feitosa e de candidatos a vereador.

Quanto à possibilidade de aliança dos dois partidos no município, Jonas Paulo prefere aguardar as conversas em andamento. “É preciso ficar claro que PT e PMDB juntos nas eleições depende do mapeamento da base que faz o Conselho Político”, desconversou quando questionado se ainda há fricções entre os líderes, principalmente do PMDB. que faz oposição ao governo estadual, embora em nível nacional seja da base do governo Dilma.

“Não queremos fazer especulações. Nossa maior preocupação é evitar fricções desnecessárias entre os 10 partidos da base aliada do governo estadual”, comentou Jonas Paulo em entrevista ao PIMENTA. Para ele, se houver alianças entre partidos deve se levar em conta o projeto local, a união e convergência na base em um projeto maior.

DIÁLOGO COM OS PROFESSORES

O dirigente do PT também confirmou as conversas com PCdoB e PSB em relação à greve dos professores da rede estadual que chega a 49 dias. Dizendo que apóia as reivindicações e as considera justas e legítimas, Jonas Paulo disse que tudo depende do tamanho do orçamento estadual e da capacidade do governo.

– O parcelamento, talvez, seja uma saída. Claro, é importante que não haja radicalização. O que vemos é um desencontro no movimento social, nos partidos políticos e no parlamento.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia