WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

editorias






:: ‘Jorge Portugal’

ITABUNA: ROBERTO MENDES E PORTUGAL LEVAM MÚSICA E POESIA AO ESCOLA CULTURAL

Jorge Portugal e Roberto Mendes apresentam O Violão e a Palavra no Modelo, em Itabuna

Jorge Portugal e Roberto Mendes apresentam O Violão e a Palavra no Modelo, em Itabuna

O Colégio Modelo de Itabuna, primeira Escola Cultural do programa Educar para Transformar, do Governo da Bahia, recebeu a aula-show “O Violão e a Palavra”, com a participação do secretário estadual de Cultura e professor de Língua Portuguesa e Literatura, Jorge Portugal, e o cantor e compositor baiano Roberto Mendes. Estudantes e pessoas da comunidade vivenciaram o encontro entre a música e a palavra, em que o violão se uniu à poesia para mostrar a força da arte e da comunicação.

O projeto Escolas Culturais tem o objetivo de fomentar ações que promovam experiências em cultura dentro das unidades da rede pública de ensino e a integração com a comunidade onde a escola está inserida. Nesse sentido, se adequou perfeitamente a apresentação do ‘Violão e a Palavra’, que foi a quarta edição do projeto criado há um ano pela Fundação Pedro Calmon (FPC), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado (Secult). :: LEIA MAIS »

EM ITABUNA, PROGRAMAÇÃO CELEBRA CENTENÁRIO DO ESCRITOR ADONIAS FILHO

Nascido em Itajuípe, Adonias Filho foi um dos principais nomes da literatura baiana.

Nascido em Itajuípe, Adonias Filho foi um dos principais nomes da literatura baiana.

Portugal participa de comemorações amanhã (Foto Mateus Pereira).

Portugal participa de comemorações (Foto Mateus Pereira).

As comemorações do centenário de nascimento do escritor Adonias Filho terão atividades especiais em Itabuna, com espetáculo de dança, apresentação musical e panorama para falar da vida e obra do escritor na quinta e sexta-feiras (dias 26 e 27). Adonias Filho nasceu em 27 de novembro de 1915, em Itajuípe. As comemorações

Amanhã, às 19h, no Centro de Cultura Adonias Filho, haverá apresentação da Banda Sinfônica de Itabuna. O secretario de Cultura da Bahia, Jorge Portugal, abrirá as comemorações abordando a importância do escritor para o território de identidade Litoral Sul e para a literatura nacional.

Na sequência, Silmara Oliveira, coordenadora do Memorial Adonias Filho, em Itajuípe, apresenta traçado histórico sobre os cem anos do escritor. Para encerrar a noite, o Balé do Teatro Castro Alves (BTCA) fará a apresentação de seu espetáculo “…Ou isso”, uma montagem inspirada na obra do poeta mato-grossense Manoel de Barros (1916), considerado um dos principais poetas contemporâneos brasileiros.

Na sexta-feira, às 19h30, o BTCA fará nova apresentação do espetáculo “…ou isso”, desta vez, aberta ao público. O ingresso será trocado por 1 kg de alimento não perecível, que será destinado para o Abrigo São Francisco e o Albergue Bezerra de Menezes, em Itabuna.

VIDA E OBRA DE ADONIAS FILHO

Nascido em 1915, na cidade de Itajuípe, Adonias Aguiar Filho foi jornalista, crítico literário, ensaísta e romancista. Foi eleito vice-presidente da Associação Brasileira de Imprensa, membro do Conselho Federal de Cultura, presidente da Associação Brasileira de Imprensa e presidente do Conselho Federal de Cultura.

Suas obras apresentavam fortes características da região cacaueira, das quais se pode destacar Corpo Vivo, Luanda Beira Bahia, O Largo da Palma e As Velhas. Suas obras foram traduzidas para o inglês, o alemão, o espanhol, o francês e o eslovaco. Foi eleito para a cadeira nº 21 da Academia Brasileira de Letras. Em 2 de agosto de 1990, faleceu em sua fazenda Aliança, em Inema, distrito de Ilhéus e vizinho a Itajuípe.

JORGE PORTUGAL NO “IMPROVISO, OXENTE!”

Secretário Jorge Portugal participa do Improviso no dia 3 (Foto Mateus Pereira).

Secretário Jorge Portugal participa do Improviso no dia 3 (Foto Mateus Pereira).

A primeira edição do Improviso, Oxente!, do Teatro Popular de Ilhéus (TPI), será com o secretário estadual de Cultura, Jorge Portugal. O evento está previsto para 3 de setembro, na Tenda do TPI, na Avenida Soares Lopes, em Ilhéus. O tema central do Improviso com Jorge Portugal será cultura e educação.

O evento é um mix de debates com intervenções artísticas. Ainda no dia 3, o debate terá as presenças dos professores Álamo Pimentel (Universidade Federal do Sul da Bahia-UFSB) e Jules Soares (Universidade Estadual de Santa Cruz-Uesc). O pedagogo e escritor Pawlo Cidade será o mediador do debate.

O Improviso, Oxente! também debaterá, em setembro, legislação e políticas públicas (dia 10), formação de professores (17) e o lugar da arte na escola e o lugar da escola na arte (dia 24).

WALDICK SORIANO II

marivalguedesMarival Guedes | marivalguedes@gmail.com

O artista olhou pra ele, pediu mais uma, chegou mais perto e gritou: “é claro, porra!”

Perdoem-me a overdose “waldickiana”. Mas, além de comentários através de telefonemas e mensagens, o secretário Estadual de Cultura, Jorge Portugal, me contou duas histórias. Começo opinando sobre comentário do leitor, Sergio Malvar:

“Marival bem que poderia ter feito uma abordagem do lado positivo do artista baiano. Bem sei que o ser humano é composto de dualidade, daí só abordar o lado negativo é complicado.”

Meu caro Sergio, entendo que o embate em Itabuna teve desfecho positivo. Em vez de ficar magoado, Waldick foi cantar gratuitamente na janela do hotel. Atitude inusitada e grandiosa.

Do amigo Antonio Lopes, jornalista e escritor de mão-cheia: “Muito bom (não Waldick, o texto!). Não sabia desse arranca-rabo dele com meu compadre Hercílio Nunes, grande figura. Tenho lido semanalmente, com prazer, suas publicações no Pimenta. Bola pra frente!”

Uma informação fora deste contexto que merece ser compartilhada. Com bom humor e criatividade características, Lopes informa que está “finalizando um livrinho, que pretendo apresentar à Editus ainda este mês, esperando que cometam a insensatez de publicá-lo.”

De Cuiabá, a jornalista Luana Rodrigues escreveu: Fiquei saudosa. “Aos oito anos, em Fortaleza, cheguei empolgada para a professora e mostrei um autógrafo ‘de um artista famoso que me recebeu super bem no aeroporto.’ Ela olhou e disse: ‘Não tinha outro artista melhorzinho que o Waldick Soriano, não?’. Fiquei chateada e frustrada, kkkkkk. Beijos.”

Já o também compositor Jorge Portugal, me contou que, ainda garoto em Santo Amaro, entrou num bar e fez uma pergunta/provocação: “Waldick , Tortura de amor é realmente composição sua?”

O artista olhou pra ele, pediu mais uma, chegou mais perto e gritou: “é claro, porra!”

Anos depois, Portugal produziu show do cantor. Um grupo de ciganos ficou em frente ao palco. Quando ele chegou, tiraram o chapéu, curvaram-se e o chefão falou: “Sr. Waldick, estamos ao seu dispor”.

Encerro com mais uma confissão de Waldick: “passei dois anos num garimpo sem ver uma mulher. A salvação foi que meu pai mandou um presente.”

O que ele recebeu, não revelo nem sob tortura.

Marival Guedes é jornalista e escreve crônicas semanais no PIMENTA.

REVOLUÇÃO NAOMARIANA

jorge portugal2Jorge Portugal | jpportugal@uol.com.br

Não à toa, em recente encontro internacional de educação, realizado na Coreia do Sul, o ministro da Educação, Prof. Renato Janine Ribeiro, classificou a UFSB como uma das duas universidades de vanguarda do Brasil.

Acaba de começar no sul da Bahia uma verdadeira revolução no âmbito do ensino superior do país, e para o ensino baiano em particular. Seu nome: UFSB. Seu comandante-em-chefe: Prof. Naomar Almeida. Sim, ele mesmo que, ainda na condição de reitor da Ufba, implantou a bem sucedida política de ações afirmativas, que mudou a cara e a cor da universidade, e ainda instituiu os Bacharelados Interdisciplinares, buscando atualizar a nossa “Federal”, ajustando-a à moderna visão de universidade, mundo afora. Sei que não foi fácil. Acompanhei a sua árdua luta de convencimento aos seus pares, e vibrei com sua vitória final.

Cumprida a missão “ufbeana”, Naomar partiu para a concretização do seu sonho maior e pleno: a criação da Universidade Federal do Sul da Bahia, dando forma final e definitiva ao modelo que sempre esteve na cabeça de Anísio Teixeira, mas também no bojo do pensamento de Paulo Freire, Darcy Ribeiro e Milton Santos. Não à toa, em recente encontro internacional de educação, realizado na Coreia do Sul, o ministro da Educação, Prof. Renato Janine Ribeiro, classificou a UFSB como uma das duas universidades de vanguarda do Brasil. A outra é a Universidade Federal do ABC paulista.

A UFSB já nasce com um elenco de professores-doutores na sua totalidade; mantém e até amplia a estrutura dos Bacharelados Interdisciplinares e, culminância das culminâncias, em vez de estar narcisicamente voltada para as suas pós-graduações, inclina o seu olhar para o ensino médio da rede pública, como forma de desativar a “bomba social” do país. Por isso, a participação do Prof. Naomar e da UFSB no Pacto Social da Bahia tem sido necessariamente fundamental. Os colégios universitários nas demais cidades onde não há campus formal (Ferradas/Itabuna, Porto Seguro e Teixeira de Freitas) darão nova vida e qualidade aos estudantes da região, que já respirarão o “ar universitário” antes mesmo de ingressar no ensino superior.

Reitor Naomar e sua equipe da UFSB: magníficos!

Jorge Portugal é poeta, educador e secretário estadual de Cultura.
(Artigo publicado no Facebook da UFSB.)

PORTUGAL PROMETE CENTRO DE CULTURA REFORMADO ATÉ JULHO

Centro de Cultura entrou em reforma em 2013, mas obras não foram concluídas.

Centro de Cultura entrou em reforma em 2013, mas obras não foram concluídas.

jorge portugal2O secretário estadual de Cultura, Jorge Portugal, concedeu entrevista ao site Rede Sul Bahia, da jornalista Vera Rabelo. De acordo com o secretário, o Centro de Cultura Adonias Filho (CCAF), em Itabuna, será entregue em duas etapas, a primeira delas em julho. A reforma completa será entregue, de acordo com ele, no final deste ano.

– Iremos entregar o Centro de Cultura, em condições de funcionamento para a comunidade, em julho. Enquanto isso, estamos acelerando o processo de atualização desse equipamento, para chegar ao ponto de ótimo, até o final do ano – disse ele em entrevista ao site.

O centro de cultura leva o nome do escritor itajuipense Adonias Filho, que, se vivo estivesse, completaria cem anos em novembro. As comemorações do centenário de nascimento de Adonias começaram na semana passada.

PEGOU MAL, PORTUGAL

jorge portugalA comunidade artística itabunense – e política, também – está tiririca com o secretário estadual de Cultura, Jorge Portugal. Ele esteve em Itabuna, no final de semana, para uma palestra na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), no campus Jorge Amado. Proferiu a palestra dele, mas nem tchum para quem tentou ouvi-lo sobre questões de “menos importância”, como a conclusão das obras do Centro de Cultura Adonias Filho.

2015 é o ano do centenário do escritor Adonias Filho. Os 100 anos de nascimento do grapiunense serão completados em novembro. Duvida-se que, até lá, sejam concluídas as obras do centro de cultura batizado com o nome do escritor nascido na Velha Pirangi, hoje Itajuípe.  O centro de cultura foi quase que levado ao chão em uma reforma iniciada – e paralisada – em 2013.

O silêncio de Portugal deixou artistas e profissionais de comunicação aflitos.

Na manhã de sábado (23), o presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc), Roberto José, conversava com outro secretário estadual, o Josias Gomes, das Relações Institucionais.

Consta que Roberto José e o governo itabunense querem a indicação do diretor do CCAF. Dois nomes são ventilados – o itabunense Fernando Caldas e o escritor paulista Gustavo Felicíssimo, que desenvolve trabalho na cultura regional e por aqui semeia com a Editora Mondrongo.

PORTUGAL, MAIO 68, ACM E O AUTOEXÍLIO DE RAIMUNDO SODRÉ

marivalguedesMarival Guedes | marivalguedes@gmail.com

Contagiada pelas ações anteriores, a multidão começou a apedrejar os políticos que, em pânico, na base do salve-se quem puder, saíram em disparada, obviamente dentro das possibilidades físicas de cada um.

Jorge Portugal compôs a belíssima Maio 68 em parceria com Roberto Mendes. Simone, no auge da carreira artística, ouviu, gostou e pediu a Portugal pra gravar, mas não pode ser atendida. Havia o compromisso com o parceiro Raimundo Sodré que fazia sucesso com a Massa, autoria da dupla.

Maio 68, que retrata com maestria os movimentos políticos, sociais e culturais na França e no Brasil naquele período, criava expectativa de sucesso.

Mas tudo mudou repentinamente por causa da realização de um comício da campanha de Clériston Andrade em Aquidabã, Salvador, em 1981, com o apoio do padrinho governador Antônio Carlos Magalhães.

Raimundo Sodré foi contratado e cantou antes dos discursos que haveria. ACM, o candidato ao governo e seus seguidores, ficaram em cima do arco da ladeira Nazaré-Barbalho. O povo, embaixo, na Baixa dos Sapateiros.

Vale lembrar que naquele ano a cidade fervilhava com vários protestos e uma “explosão” ocorreu quando, num ato do Movimento Contra Carestia, sindicatos e partidos na Praça Municipal, o sistema elétrico do local foi interrompido. No quebra-quebra em vários pontos da cidade, 350 ônibus foram depredados e dez incendiados.

Raimundo Sodré havia chegado de viagem e não sabia o que estava acontecendo. Começou a cantar A Massa e no embalo entoou: “Quebra-quebra guabiroba/Quero ver quebrar”, como se fosse um estribilho.

Pareceu uma senha. Contagiada pelas ações anteriores, a multidão começou a apedrejar os políticos que, em pânico, na base do salve-se quem puder, saíram em disparada, obviamente dentro das possibilidades físicas de cada um.

O vingativo ACM pensou que foi intencional e começou uma implacável perseguição contra o artista. Mandou que o hotel onde Raimundo Sodré estava hospedado o expulsasse, ligou para a gravadora para que o novo disco não fosse divulgado e pressionou as emissoras para não executarem suas músicas.

Acuado, o artista decidiu pelo autoexílio na França, voltando dez anos depois. Apesar do longo período, Raimundo Sodré não foi esquecido. Desde o retorno faz shows no Recôncavo, em Salvador e outros lugares. Agora, só faltam divulgar Maio 68.

Marival Guedes é jornalista e escreve no Pimenta às sextas.

AÇÃO PARA ANULAR CONTRATO DO ESTADO COM JORGE PORTUGAL

Portugal: na mira do DEM.

O diretório estadual do DEM na Bahia entrou com ação para anular o contrato de R$ 1,59 milhão entre Governo do Estado e a empresa Abais Conteúdo Educativos e Produção Cultural Ltda, do professor e poeta Jorge Portugal. O contrato permite ao estado oferecer 384 aulões aos alunos do 3º ano do Ensino Médio.

O presidente do DEM, José Carlos Aleluia, diz que é “inaceitável” que o estado pague R$ 8,40 por hora/aula ao professor concursado e R$ 250,00 a um professor da iniciativa privada por meio de contrato sem licitação. “É um ato ilegal que desmoraliza e humilha os professores da rede estadual”. Os educadores da rede estadual estão em greve há 86 dias.

Portugal justificou o valor do contrato ao afirmar que os professores envolvidos nos “aulões” são “de ponta”. Em artigo, o professor considerou a reação aos valores do contrato “descompensada, cruel e absurda”.

O LADO MAIS FRACO DA CORDA

Jorge Portugal | secretaria@jorgeportugal.com.br

A reação da mídia partidária e dos desinformados das redes sociais foi descompensada, cruel e absurda.

Os professores em greve bradam: “22% já!”; o governo responde em alto som: “Lei de Responsabilidade Fiscal”. No meio dessa queda de braço, sem meios de defender o seu direito a um ensino de qualidade e o seu sonho de entrar numa universidade, 140 mil estudantes regulares da rede estadual, com o semestre perdido e a prova do Enem à sua espera, em novembro. Se fosse seu filho, sobrinho, irmão ou neto, você que está me lendo, ficaria de braços cruzados? Eu não fiquei. Como a APLB e o governo já têm forças suficientes, tomei o partido do lado mais fraco e ignorado: os estudantes pobres da Bahia. Já tinha me decidido a fazer, voluntariamente, os aulões em espaços públicos de Salvador para tirar a garotada do sufoco, como sempre faço, aliás, há uns dez anos. Nesse ínterim, recebo telefonema do secretário Oswaldo Barreto me propondo criar 24 “cursinhos Pré-Enem”, entre a capital e o interior, com aulas interdisciplinares, reunindo a nata do professorado baiano, durante quatro meses, numa estrutura gigantesca de produção, envolvendo megaequipe, som de qualidade, luz, data-show, postagem de conteúdos na internet, passagens de avião para deslocamento de mestres, uma experiência inédita no Brasil, juntando a necessidade social desesperada dos alunos e a comprovada competência dos professores de cursinho, acostumados a colocar os filhos da classe média no ensino superior. Aulas, na maioria dos sábados, para ficar claro que não era reposição, nem esquema fura-greve.

Pronto! Foi meu crime ficar ao lado da garotada pobre da Bahia, mas sem me opor ao movimento dos professores, que, repito pela enésima vez, ganham um salário indecente, aviltante para o seu papel social. A reação da mídia partidária e dos desinformados das redes sociais foi descompensada, cruel e absurda. Lembrei, atualizando, Caetano e Gil: “Quando você vir um deputado (ou candidato) em pânico diante de qualquer atitude que possa melhorar o ensino médio no Brasil, pense no Haiti, reze pelo Haiti. O Haiti é aqui!”.

PS: se o governador e o secretário de Educação toparem, declino dos aulões.

Jorge Portugal é educador e poeta.

Publicado originalmente n´A Tarde.

TÁ REPROVADO!

O professor Jorge Portugal está comendo apertado para explicar contrato de mais de R$ 1,59 milhão com o governo baiano e que tem como objeto 384 “aulões” a estudantes do 3º ano do Ensino Médio. A empresa dele, a Abais, foi contratada sem licitação (o governo justifica dizendo que o negócio foi provocado pela greve na rede).

Deram a perguntar ao professor os motivos de um valor tão alto para o negócio. Aí danou-se. Respondeu que os aulões terão professores de ponta, dos melhores cursinhos de Salvador (Anchieta, Grandes Mestres, Mendel), que cobram “R$ 250,00” por hora/aula.

Os colegas da rede pública – em greve há 80 dias – não assimilaram essa conversa “de ponta”. Professor exemplar e de sucesso, Portugal precisa explicar melhor esse contrato. Ele e o governo baiano, claro.

EVENTO REÚNE ROSEMBERG E JORGE PORTUGAL

Portugal e Rosemberg.

Assessor licenciado da presidência da Petrobras, Rosemberg Pinto (PT) disputa uma vaga à Assembleia Legislastiva. Tem corrido trecho e acumulado apoios importantes. Um deles é o do educador e poeta Jorge Portugal.

O professor estará em Itabuna na próxima quinta-feira, 23, quando discutirá com profissionais da educação e estudantes políticas de acesso ao ensino superior, cotas e investimentos nesta área.

O bate-papo será às 18 horas, no ICEI, ao lado do colégio Ciomf, no bairro Santo Antônio. O evento é voltado ao público regional. Logo após, haverá um encontro de lideranças regionais, no mesmo local, com Rosemberg Pinto. “Este eu aprovo”, diz Jorge, declinando o seu voto para estadual.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia