WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

editorias






:: ‘Jussari’

PREFEITOS DE JUSSARI E CAMACAN TÊM CONTAS REJEITADAS E SÃO MULTADOS PELO TCM

Prefeitos Valete, de Jussari,  e Oziel, de Camacan, têm contas rejeitadas

O Tribunal de Contas dos Municípios rejeitou, nesta terça-feira (10), as contas de 2018 dos prefeitos Oziel da Cruz Bastos, o Oziel da Ambulância, de Camacan; e Antônio Carlos Valete, de Jussari. A abertura irregular de crédito suplementar e a extrapolação do percentual máximo para despesa com pessoal foram as principais irregularidades que motivaram a reprovação dessas contas.

De acordo com o TCM, no município de Camacan, os gastos com pessoal representaram 64,48% da receita corrente líquida, superior, portanto, ao limite de 54%. O prefeito Oziel foi multado em R$48.600,00, que corresponde a 30% dos seus subsídios anuais, por não ter reconduzido as despesas conforme determina a Lei de Responsabilidade Fiscal.

O relator do parecer, conselheiro substituto Antônio Emanuel de Souza, também multou o gestor em R$8 mil pelas irregularidades constatadas durante a análise das contas, especialmente aquelas cometidas em processos licitatórios.

O prefeito de Camacan informou ao jornalista Andreyver Lima que mantém esforços no sentido de se adequar a lei, que exige percentual de gastos com pessoal de 54%, no máximo. “Tive a oportunidade de apresentar aos conselheiros as medidas que tomamos com o objetivo de reduzir o índice de pessoal exigido por lei. Recebemos o município em 1º de Janeiro de 2017, com índice superior a 71%. Hoje conseguimos reduzir para 60%.  O que demonstra o esforço da gestão em se adequar ao cumprimento da lei.”

Sobre a decisão do Tribunal de Contas, Oziel pretende pedir reconsideração, pois a rejeição foi exclusivamente por índice de pessoal. “A orientação que recebemos do TCM para que pudéssemos cumprir o índice seria demitir servidores concursados, e eu como servidor que sou, jamais faria.” afirmou.

Em Jussari, a causa da rejeição das contas foi a abertura de créditos adicionais suplementares sem indicação dos recursos correspondentes, bem como a extrapolação continuada do limite da dívida consolidada, segundo informou o órgão de fiscalização. O relator do parecer, conselheiro Raimundo Moreira, multou o prefeito Antônio Carlos Valete em R$5 mil. Os prefeitos podem recorrer da decisão do TCM. Atualizado às 11h25min desta quarta-ferira (11).

CADASTRAMENTO BIOMÉTRICO PARA ELEITORES DE ITABUNA, ITAPÉ E JUSSARI VAI ATÉ FEVEREIRO

Cadastramento biométrico obrigatório começa em Itabuna e 43 municípios

Eleitores de Itabuna, de Itapé e de outros 42 colégios eleitorais baianos terão somente até 22 de fevereiro de 2019 para fazer o cadastramento biométrico obrigatório. A Justiça Eleitoral retomou o cadastramento nestas localidades (veja relação mais abaixo) exatamente hoje (5).

Os eleitores devem comparecer aos cartórios com documento oficial de identificação com foto e comprovante de residência no próprio nome ou de alguém que seja, comprovadamente, parente. Se for o primeiro título, a pessoa deve apresentar quitação de serviço militar sendo homem e tendo de 18 a 45 anos. Em Itabuna, os cartórios das duas zonas eleitorais estão localizados na Rua Francisco Ribeiro Júnior (Beira-Rio), Centro, próximo ao Atlanta Center e ao canal da Amélia Amado.

LISTA DE DOCUMENTOS EXIGIDOS

O novo ciclo de cadastramento está dividido em quatro fases. Nesta, eleitores de Itabuna, Itapé, Jussari, Teixeira de Freitas, Medeiros Neto, Itarantim, Água Fria, Anagé, Anguera, Barra do Choça, Candeias, Caraíbas, Catu, Cravolândia, Crisópolis, Dias D´Ávila, Glória, Ibirapuã, Irará, Itanagra, Itapicuru, Lajedão, Lauro de Freitas e Maetinga fazem o título na forma biometrizada.

Além destas localidades, também eleitores dos municípios de Mata de São João, Olindina, Ouriçangas, Paulo Afonso, Planalto, Potiraguá, Santa Brígida, Santa Inês, Santanópolis, Santo Amaro, Saubara, Serra Preta, Simões Filho e Ubaíra estão obrigados a fazer o cadastramento. Também são obrigados eleitores para os quais o voto é facultativo, mas estes desejarem continuar a exercer o direito ao voto – analfabetos; eleitores na faixa dos 16 e dos 17 anos e os maiores de 70 anos de idade).

O cidadão que não atender à convocação da Justiça Eleitoral terá o título cancelado e não poderá, por exemplo, obter passaporte, tomar posse em concurso público, renovar matrícula em instituição de ensino, entre outros impedimentos previstos no art. 7º do Código Eleitoral. Os eleitores não cadastrados de Itabuna, Itapé e Jussari deverão comparecer à rua Francisco Ribeiro Júnior, no centro de Itabuna. :: LEIA MAIS »

MENINGITE MATOU 27 PESSOAS NA BAHIA; ITABUNA NOTIFICOU 10 CASOS DA DOENÇA

Itabuna notificou 10 casos de meningite e uma morte|| Foto Pedro Augusto

A meningite já casou 27 mortes em 16 municípios baianos neste ano. Em Itabuna, foi confirmado um óbito e 10 pessoas foram diagnosticadas com a doença. Outra morte causada pela meningite, no sul da Bahia, ocorreu em Jussari, na semana passada.

A vítima foi o aposentado Manoel Ferreira de Oliveira, de 75 anos, que morreu na quinta-feira (31), dois dias depois de ser internado em estado grave no Hospital de Base de Itabuna. O diagnóstico para o morador de Areia Branca, distro de Jussari, foi da meningite bacteriana.

Além de Itabuna e Jussari, neste ano a meningite já causou mortes em Alagoinhas (1), Catu (1), Correntina (1), Euclides da Cunha (1), Eunápolis (1), Feira de Santana (2), Irecê (1), Itaberaba (1), Jequié (1) e Juazeiro (2). Foram registrados óbitos também em Porto Seguro (1), Salvador (9), Santo Antônio de Jesus (1) e Vitória da Conquista (2).

Na Bahia, foram notificados 319 casos da doença, dos quais 124 em Salvador. No interior, os municípios com maior quantidade de ocorrências são Vitória da Conquista (69), Feira de Santana (35), Juazeiro (12) e Bom Jesus da Lapa (11). Itabuna e Jussari não foram os únicos municípios do sul da Bahia com registro da doença neste ano. Houve notificações em Ilhéus (3) e Firmino Alves (1). Os dados são da Secretaria Estadual de Saúde.

MAIS DE 40 MIL ELEITORES DE ITABUNA FIZERAM CADASTRAMENTO BIOMÉTRICO; PRAZO ATÉ 2020

Cartórios eleitorais de Itabuna fazem cadastramento até 2020

Tudo indica que os eleitores de Itabuna estão fugindo do sofrimento vivido por moradores de municípios como Ilhéus, Eunápolis e Salvador, que deixaram o cadastramento biométrico para os últimos meses e enfrentaram filas quilométricas. Nessas localidades, milhares de eleitores tiveram que passar à noite na fila para fazer o procedimento. Muitos não conseguiram, mas ganharam uma nova chance em março, informou hoje o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA).

Em Itabuna, o cadastramento biométrico ainda não é obrigatório, mas o eleitor parece disposto a desmoralizar a máxima de “que brasileiro deixa tudo para última hora”. Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) atualizados nesta quinta-feira (1º) mostram que 41.532 eleitores já fizeram o procedimento no município que possui 151.547 pessoas aptas a votar.

ITAPÉ E JUSSARI

Quem também não perdeu tempo foram os eleitores de Itapé. Mais de 50% das pessoas aptas a votar no município estão com a biometria feita.  São 4.854 eleitores que já passaram pelo procedimento. Itapé conta com 9.485 eleitores registrados no TSE. O cadastramento também não é obrigatório para eles.

Já os moradores de Jussari decidiram  que só vão se deslocar para os cartórios mais adiante.  Dos 4.895 eleitores aptos, somente 693 fizeram cadastramento biométrico. O procedimento também não é obrigatório no município.  O cadastramento em Itabuna, Itapé e Jussari prossegue até 2020, mas não custa nada fugir das filas quilométricas.

JUSTIÇA FEDERAL BLOQUEIA R$ 1,7 MILHÃO DE EX-PREFEITA BAIANA

Neone tem bens bloqueados

A pedido do Ministério Público Federal (MPF) em Ilhéus, a Justiça Federal determinou o bloqueio de cerca de R$ 1,7 milhão da ex-prefeita do município de Jussari (BA) Neone Simões Barboza, do engenheiro da prefeitura Marcos Alan Ribeiro de Farias, da empresa Galvão Administração e Serviços de Obras e do proprietário, Cláudio da Silva Galvão.

O pedido de bloqueio faz parte da ação de improbidade movida contra os quatro pelo desvio de verbas da saúde em 2012, quando a prefeitura firmou contrato com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) para a realização de melhorias e ampliação dos sistemas de abastecimento de água do município.

A conduta do quarteto, segundo o MPF, que concorreu para a prática dos atos de improbidade, foi individualizada e detalhada na ação, assim como os valores que cada qual deve ressarcir ao erário, “na medida de suas responsabilidades”.

O valor para a execução das obras era de cerca de R$ 2 milhões. De acordo com o termo de compromisso firmado, foram repassados R$ 823 mil para a obra. No entanto, apesar da liberação dos recursos, as obras não foram realizadas e a prefeitura não prestou contas dos recursos recebidos.

Do valor repassado, R$ 540 mil reais foram pagos à empresa contratada, mas a perícia técnica apontou que os serviços efetivamente realizados correspondem a apenas R$ 51 mil e, ainda assim, esses foram executados em desacordo com os projetos e as especificações técnicas aprovadas, tendo sido também empregado material de má qualidade.

De acordo com a ação do MPF, foi provado que “apesar dos poucos itens executados/iniciados, sem qualquer funcionalidade ou serventia, não houve o atingimento útil, ainda que parcialmente, do objeto do termo de compromisso.”

LAUDO PERICIAL

Segundo o laudo pericial da Polícia Federal, os R$ 490 mil restantes foram pagos indevidamente e embolsados ilegalmente pela empresa, o que configurou um superfaturamento de 951,21%. Dos mais de R$ 490 mil desviados, cerca de R$ 100 mil se refere a serviços pagos em duplicidade. Os R$ 280 mil de saldo do repasse da Funasa foram irregularmente transferidos para outras contas da própria prefeitura, inviabilizando a verificação da utilização dos recursos.

Na ação, assinada pelo procurador da República Tiago Rabelo, o MPF requer a condenação dos envolvidos nas sanções previstas na Lei da Improbidade (Lei nº 8.429/92), que prevê ressarcimento integral do dano causado, no valor de R$ 772 mil, perda de função pública, pagamento de multa civil, suspensão dos direitos políticos e proibição de contratar com o poder público. Pede, ainda, a condenação solidária dos acionados ao pagamento de danos morais causados à coletividade, no valor de R$ 30 mil.

CORREIOS SUSPENDEM DECISÃO DE ENCERRAR SERVIÇOS EM ILHÉUS E ITABUNA

Banco Postal dos Correios sob ameaça

Banco Postal dos Correios sob ameaça

Mais de 2 milhões de pessoas de municípios do sul, extremo sul e sudoeste da Bahia poderão ser prejudicadas com a decisão da direção dos Correios de encerrar os serviços prestados pelo Banco Postal.  As atividades nas agências podem ser encerradas a partir de janeiro em localidades como Itabuna, Ilhéus, Almadina, Buerarema, Camacan, Canavieiras, Coaraci, Itajuípe, Porto Seguro e Eunápolis.

O atendimento no Banco Postal em 12 estados, incluindo a Bahia, seria encerrado na próxima quarta-feira (11), mas foi adiado nesta quinta-feira(5) e iniciadas negociações com o Banco do Brasil, conforme nota dos Correios enviada ao PIMENTA. O Banco Postal é uma parceria da empresa estatal com o Banco do Brasil.

Se confirmada a descontinuidade dos serviços, os mais prejudicados serão moradores de municípios como Almadina, Arataca, Barro Preto, Mascote, Jussari, Santa Luzia e São José da Vitória. Moradores dessas localidades dependem do Banco Postal para saques de aposentadoria e pensões do INSS e recebimento de outros benefícios, como o Bolsa Família. Em Almadina, por exemplo, essas pessoas terão que se deslocar para Coaraci, que fica a cerca de 20 km.

A direção dos Correios alega que os altos custos de manutenção e segurança tornam “inviáveis” os serviços do Banco Postal. Se não houver acordo com o Banco do Brasil, somente no sul da Bahia serão fechadas agências em 40 municípios (veja lista no final do texto), que, juntos, têm cerca de 1 milhão de habitantes.

EXTREMO SUL

Além do sul da Bahia, integram a gerência da Regional Sul  parte dos municípios do sudoeste, extremo sul e baixo sul. No extremo sul poderão ser fechadas agências em localidades como Alcobaça, Belmonte, Caravelas, Guaratinga, Itamaraju, Itabela, Prado, Eunápolis e Porto Seguro. Nesses municípios moram 690 mil pessoas, segundo estimativa do IBGE para este ano.

As atividades do Banco Postal seriam encerradas neste mês em 1.827 agências na Bahia (440), Ceará (205), Goiás (259),  Mato Grosso (26), Pernambuco (23), Piauí (178), Paraná (412), Rio Grande do Norte (183), Roraima (15), Rio Grande do Sul (1) e São Paulo (14 agências no interior).

A Assessoria de Comunicação dos Correios informou nesta quinta-feira (5) que a empresa e o Banco do Brasil chegaram a entendimento para a continuidade dos serviços do Banco Postal. “O acordo a ser formalizado entre as duas instituições permitirá encontrar solução para manter, até 31 de janeiro, o funcionamento de todos os pontos de atendimento do Banco Postal que seriam encerrados no dia 11/10. Nos próximos quatro meses, as duas instituições irão negociar alternativas para viabilizar a permanência da parceria”, diz a nota ao PIMENTA.

Lista completa de municípios da Regional Sul que poderão ter o Banco Postal fechado:

:: LEIA MAIS »

ESCOLA DE JUSSARI CONCORRE A PRÊMIO ESTADUAL DE BOAS PRÁTICAS

Fachada do Colégio Amélia Amado, em Jussari.

Fachada do Colégio Amélia Amado, em Jussari. Escola concorre a prêmio estadual.

A comunidade escolar do Colégio Estadual Amélia Amado pode se orgulhar das conquistas depois da implantação do Programa de Organização e Limpeza Amélia Amado (Polaa). Com a iniciativa, o colégio concorre ao Prêmio Dia Você Servidor, do Governo da Bahia, na categoria Boas Práticas.

Alunos, professores, funcionários e familiares desenvolvem ações de conscientização que promovem a manutenção, limpeza, saúde e autodisciplina na unidade. A premiação acontece na quarta-feira (28/10), às 17h, no Teatro Castro Alves, em Salvador.

– O Polaa surgiu da necessidade em estabelecer um padrão de qualidade na unidade escolar. Então, pensamos num programa pedagógico que contemplasse a conscientização dos diversos segmentos da comunidade escolar para noções de conservação e manutenção do ambiente escolar, impactando na mudança de hábito dos envolvidos dentro da escola e fora dela, além de beneficiar o meio ambiente e a diminuição de custos da própria unidade – destaca o diretor David Assis.

Alunas do Amélia Amado falam dos efeitos do Polaa.

Alunas do Amélia Amado falam dos efeitos do Polaa.

Para o programa, em cada segmento foram selecionados coordenadores que promovem o diálogo entre seus pares. “O projeto busca este fator descentralizador para que todos se sintam responsáveis pelas ações, agindo como gestores do programa e motivando a democratização nas decisões”, conta o diretor.

A estudante do 2º ano e líder de classe, Ivone dos Santos, 18 anos, relata que o programa contribuiu para que a escola criasse um ambiente mais agradável, tornando o estudante um cidadão mais consciente. Segundo ela, as ações influenciaram no seu cotidiano e contribuíram para que seus hábitos em casa também fossem alterados. “Hoje, realizo a seleção do lixo para reciclagem, economizo água, não desperdiço alimento”.

Já Livia Gonzaga, 15 anos, estudante do 1º ano, ressalta sua participação em sala de aula. “Sempre estamos conversando com os colegas. É um papel de bala no chão ou um risco na parede. Mas percebo que a postura está mudando e a nossa escola realmente é um exemplo”.

:: LEIA MAIS »

ACUSADO DE MATAR EX-JOGADOR É BALEADO E MORRE NO HOSPITAL DE BASE

Epifânio foi acusado de matar ex-jogador de futebol em 2013.

Epifânio foi acusado de matar ex-jogador de futebol em 2013.

O comerciante Epifânio José dos Santos morreu ontem (4), à noite, no Hospital de Base de Itabuna, após levar três tiros. O crime ocorreu no centro de Jussari. Epifânio é acusado de mandar matar o ex-jogador de futebol Renildo Costa Ribeiro, conhecido como Vanzinho, em uma disputa comercial.

No dia 28 de setembro, Vanzinho recebeu um telefonema com pedido de entrega de material de construção, sendo morto a tiros ao chegar ao local da suposta entrega. O crime revoltou a comunidade de Jussari.

Momentos depois do crime, a polícia prendeu um mototaxista de Itabuna, que confessou ter matado Vanzinho por dinheiro. O assassinato foi encomendado, segundo Arilson Ferreira dos Santos, por Epifânio e por um mascate conhecido como Ceará, que continua foragido.

Epifânio disputava um ponto comercial com a vítima. O caso estava na Justiça. Além do homicídio, Epifânio respondia a crime por estupro de vulnerável.

Epifânio aguardava o julgamento da morte de Vanzinho em liberdade. Ele chegou a ser preso, mas pagou fiança de R$ 6.780,00, em novembro do ano passado, e ficou livre. À época, a defesa argumentou que o comerciante possuía bons antecedentes e residência fixa e que a prisão preventiva foi decretada sem cópia do depoimento do autor da execução e sem a ação penal.

POLÍCIA FAZ RECONSTITUIÇÃO DO CASO VALDENOR CORDEIRO

Polícia faz reconstituição do Caso Valdenor, em Jussari.

Polícia faz reconstituição do Caso Valdenor, em Jussari (Foto Diego Re/Pimenta)

Valdenor Cordeiro (Arquivo).

Valdenor Cordeiro (Arquivo).

Nove anos depois da morte do então prefeito de Jussari, Valdenor Cordeiro, ainda permanece a dúvida: homicídio ou morte natural? Atendendo a um pedido do Ministério Público Estadual (MP-BA), o juízo da 1ª Vara do Júri em Itabuna determinou a reconstituição do caso. Davi Pedreira, advogado da família de Valdenor, reúne depoimentos e aponta indícios de que a morte não teria sido natural.

“Quando foi encontrado o corpo da vítima, o imóvel estava bastante bagunçado, com muitas coisas quebradas e fora do lugar”, diz o advogado, acrescentando que uma empregada que trabalhava na casa da vítima encontrou seringa no forro do imóvel dois meses após o crime, o que reforçaria a tese de morte por envenenamento.

Todos os exames toxicológicos já realizados pela polícia técnica descartaram o envenenamento do prefeito, encontrado morto em sua própria residência um dia depois da posse. Davi lembra que a Valdenor, antes da posse, afirmou que estava recebendo ameaças.

Policiais na casa onde o prefeito foi encontrado morto.

Policiais na casa onde o prefeito foi encontrado morto (Foto Diego Re/Pimenta).

Uma das chaves para esclarecer a morte de Valdenor é a testemunha Valdelice de Jesus Maciel. Ela depôs várias vezes à polícia, cita Davi, e reafirmava ter visto seis homens pulando o muro para entrar na casa da vítima. Todos eles foram reconhecidos e citados nominalmente.

Segundo Davi, um dos suspeitos citados pela empregada é o secretário de Administração de Jussari, José Guimarães. Outros dois são guardas municipais: Roni Monteiro e Raimundo de Souza do Carmo, conhecido como Bem-Te-Vi. Os demais citados foram Josivaldo de Almeida Cabral, Simão Cavalcante Lucas e Tamar Monteiro. Desde o início das investigações, apenas Josivaldo foi preso. Ele, segundo as investigações, dizia que havia matado o homem mais importante da cidade.

Durante as investigações foram encontradas grandes quantidades de veneno na residência e um copo que não estaria quebrado se não tivesse sido arremessado. O copo continha substância tóxica.

EXUMAÇÃO E EXAMES TOXICOLÓGICOS

Desde a morte, houve exumação do corpo em 2008 e foram feitos exames toxicológicos, pelo menos, duas vezes. Apesar disso, não foram encontrados indícios de substâncias venenosas, de acordo com os laudos. Também não houve constatação de fratura.

JUSSARI: TJ-BA CONCEDE LIBERDADE A SUSPEITO DE MANDAR MATAR “VANZINHO”

Epifânio é suspeito da morte de comerciante.

Epifânio é suspeito da morte de comerciante.

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) concedeu habeas corpus ao comerciante Epifânio José dos Santos, suspeito de ser um dos mandantes da morte do ex-jogador e comerciante Renildo Costa Ribeiro (Vanzinho), em Jussari. Epifânio obteve a liberdade após pagamento de fiança de R$ 6.780,00.

O pedido foi julgado pela primeira turma da 1ª Câmara Criminal do TJ. Os desembargadores seguiram o voto do relator, Luiz Fernando Lima. A defesa argumentou que o comerciante possui bons antecedentes e residência fixa e que a prisão preventiva foi decretada sem cópia do depoimento do autor da execução e sem a ação penal.

Pela decisão da corte baiana, Epifânio está proibido de aproximar-se de testemunhas ou da casa comercial da vítima e de sair de Jussari, conforme a decisão do tribunal. O PIMENTA não conseguiu falar com o comerciante.

O CRIME

Vanzinho foi assassinado em 28 de setembro em Jussari com cinco tiros. O crime chocou o pequeno município sul-baiano. O comerciante foi acionado para entrega de material de construção. Ao chegar ao local informado por telefone, Vanzinho acabou executado pelo mototaxista Arilson Ferreira dos Santos, preso horas depois, na zona rural de Itabuna. Ao depor, o mototaxista incriminou Epifânio e um mascate conhecido como Ceará, que continua foragido.

O filho de Vanzinho, Rodrigo Ribeiro, divulgou carta há um mês e meio para pedir justiça. À época, Rodrigo revelou que o motivo do crime era a disputa por um ponto comercial sobre o qual Vanzinho estava próximo de obter a posse em ação judicial.

EFICIÊNCIA RECONHECIDA

Gildásio, Wendell, Dunga e João são reconhecidos pela qualidade

Gildásio Nunes, Wendell Castro, João Dunga e José Ricardo são reconhecidos pela qualidade.

A velha imagem do serviço público vem sendo substituída por exemplos de eficiência e qualidade. Em Jussari, as mudanças na agência dos Correios e do Banco Postal levaram o legislativo local a aprovar moção de aplausos à equipe, formada pelo gerente Wendell Castro e os colaboradores João Dunga, José Ricardo e Gildásio Nunes.

A moção, proposta pelo vereador Gideon Carvalho, foi aprovada por unanimidade pela Câmara de jussariense. O gerente da agência dos Correios, Wendell Castro de Souza, agradeceu o reconhecimento público. Para ele, a qualidade começa com o entrosamento da equipe. E divide os méritos: “Nós gerenciamos, mas são os colaboradores que fazem o processo andar de verdade”.

A mudança no relacionamento dos Correios com a comunidade também atraiu novos clientes. Para isso, contou a sensibilidade – e educação – da equipe no atendimento aos clientes, como cita Gideon Carvalho.

JUSSARI: DISPUTA COMERCIAL MOTIVOU ASSASSINATO DE EX-JOGADOR DE FUTEBOL

Ceará e Epifânio foram apontados como mandates de crime.

Ceará e Epifânio foram apontados como mandabtes de crime.

A polícia ainda procura dois homens apontados como mandantes do assassinato do ex-jogador de futebol e comerciante Renildo Costa Ribeiro, conhecido como Vanzinho, no dia 28 de setembro em Jussari, no sul da Bahia.Vanzinho foi chamado para fazer uma entrega em um bairro do município e acabou executado com cinco tiros na cabeça. O crime chocou o município de 6.492 habitantes.

Horas após o assassinato, a polícia prendeu o mototaxista Arilson Ferreira dos Santos na região de Itamaracá, zona rural de Itabuna. Arilson depôs e confessou que um homem conhecido como Ceará ofereceu dinheiro para que ele executasse o comerciante. O depoimento do réu confesso também incriminou o comerciante de prenome Epifânio.

Segundo a família de Vanzinho, Epifânio tinha interesse no ponto comercial da vítima. “Como a causa estava praticamente ganha para meu pai, ele [Epifânio] se juntou com o Ceará e mandou matá-lo”, disse o filho do ex-jogador. Rodrigo Ribeiro clama por justiça.

COMERCIANTE EXECUTADO EM JUSSARI

Um comerciante conhecido como Vanzinho Ribeiro, foi executado na manhã deste sábado, 28, em Jussari, a 63 quilômetros de Itabuna. Segundo o Radar, a vítima, que atuava no ramo de material de construção, morreu quando fazia uma entrega de produtos em uma casa próxima ao Hospital Gileno Amado.

Testemunhas disseram que o assassino estava em uma moto e disparou cinco tiros contra o comerciante, todos na cabeça. Após o crime, o bandido fugiu em direção ao distrito de Areia Branca. Há informações de que nenhum objeto ou dinheiro foi levado da vítima.

Vanzinho já atuou como jogador de futebol amador. Em razão do crime, o prefeito de Jussari, Valnio Muniz (PT), determinou a suspensão da final de um campeonato que seria realizada neste domingo, 29.

CANDIDATA DIZ QUE É VÍTIMA E ACUSA PREFEITA DE JUSSARI

Nilza diz que foi agredida pela prefeita (Foto Pimenta).

Dias após divulgar ter sido vítima de agressão em Jussari (veja aqui), a prefeita Neone Cordeiro (PP) está sendo acusada de agredir a candidata a vereadora Nilza Conje (PMN). As duas prestaram queixa na polícia e foram submetidas a exames na polícia técnica. Neone mostrou arranhões nas costas e Nilza diz ter sido atingida por um murro desferido pela prefeita e candidata à reeleição. Ela mostrou hematomas na mão e no braço.

Segundo Nilza, a confusão ocorreu na tarde de sábado, 22, quando um funcionário da prefeitura cobrou da prefeita o pagamento de salários atrasados. A candidata a vereadora diz que foi agredida enquanto tentava filmar a discussão. “Ela mandou parar de filmar e disse que desceria do carro e me daria uns tapas se continuasse filmando a discussão”, afirma. Para escapar de um “MMA” forçado, Nilza diz ter buscado guarida numa farmácia.

A prefeita desceu do veículo e continuou a discussão com o funcionário da prefeitura. A filmagem foi descartada quando a prefeita, segundo Nilza, quando Neone desferiu o suposto murro. “Desviei com a mão, mas fiquei machucada no braço”, diz, mostrando lesão no braço esquerdo e numa das mãos. “A prefeita inverteu toda a história e temos testemunhas de como tudo ocorreu”.

OUTRO LADO

A prefeita Neone Cordeiro disse que está tranquila e que, “em nenhum momento, agrediu a candidata a vereadora da oposição”. Neone disse que serão entregues à polícia imagens de câmeras de videomonitoramento da região onde ocorreu a discussão. A prefeita considerou a denúncia da candidata “uma tentativa de manobra eleitoral”. Ela também cita a falta de segurança no município. Atualizado às 12h59min

PT E PC DO B SE UNEM EM JUSSARI

Wenceslau, Valnio, Guimarães, Luciano e Aninha em reunião que selou acordo eleitoral em Jussari.

Se não deu certo em Itabuna, o mesmo não se pode dizer de Jussari. O antigo distrito de “Tabocas”  assiste à união entre os eternos brigões PT e PCdoB. Com o apoio dos “cururus”,  o petista Valnio Muniz tenta novo mandato no município sul-baiano , agora com o apoio de 10 partidos.

A reunião que sacramentou o apoio do PCdoB a Valnio ocorreu hoje à tarde, em Itabuna. O encontro foi conduzido pelo vereador Wenceslau Júnior, responsável pelas articulações regionais dos comunistas no sul da Bahia. Atual vice-prefeito, Guimarães rachou com a prefeita Neone Cordeiro e acredita que  grande aliança de partidos determinará “novo futuro para o povo de Jussari”.

PALESTRA TIRA DÚVIDAS ELEITORAIS

O chefe de cartório da 27ª Zona Eleitoral, Marcelo Brito, faz palestras na quarta e quinta (20 e 21) nos municípios de Itapé e Jussari para esclarecer dúvidas em relação a temas como propaganda partidária e registro de candidaturas. O evento envolverá representantes de partidos políticos, pré-candidatos, advogados e membros do Ministério Público.

As palestras serão proferidas na quarta-feira, 20, às 9 horas, na Câmara de Vereadores do município de Itapé, e na quinta-feira, 21, também às 9h, na cidade de Jussari. São abordados desde a criação de um diretório municipal até a diplomação dos eleitos e cumpre uma agenda de eventos com o apoio do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia