WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
rota






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘Lúcio Vieira Lima’

PARA PGR, INVESTIGAÇÃO CONTRA GEDDEL E LÚCIO VIEIRA LIMA DEVE FICAR NO STF

Lúcio e o irmão Geddel, que está preso || Foto Jornal Bahia Online

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, defendeu em memorial enviado nesta segunda (7) ao Supremo Tribunal Federal (STF) a permanência na Corte da investigação sobre os R$ 51 milhões em dinheiro vivo encontrados em um apartamento, em Salvador, ligado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima.

No entendimento da procuradora-geral, a restrição ao foro privilegiado decidida pelo plenário do STF na semana passada não se aplica ao caso. Na última quinta-feira (3), os ministros decidiram que deve permanecer na Corte, no caso de deputados e senadores, somente os casos relacionados a crimes supostamente cometidos durante e em razão do mandato.

Geddel, seu irmão, o deputado Lucio Vieira Lima (PMDB-BA) e a matriarca da família, Marluce Vieira Lima foram denunciados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por corrupção e lavagem de dinheiro.

O processo tramita no STF devido ao cargo ocupado por Lúcio Vieira Lima, que ainda foi acusado de peculato, por supostamente ter se apropriado de 80% dos salários de um ex-assessor parlamentar. Ele nega as acusações.

O recebimento da denúncia está marcado para ser julgado amanhã (8) pela Segunda Turma do STF. Dodge defendeu que os crimes de lavagem e peculato foram cometidos por Lúcio Vieira Lima antes e depois de ele assumir o mandato de deputado federal, em 2011.

Para Raquel Dodge, na denúncia “resta demonstrado que o caso em análise envolve a prática de crimes por parlamentar detentor de foro por prerrogativa no STF, relacionados à função pública e no exercício do mandado parlamentar”.

As defesas dos acusados negam os crimes. Em relação ao dinheiro vivo encontrado em malas no apartamento em Salvador, os advogados de Geddel argumentam se tratar de simples guarda de quantia, sem origem ilícita.
Outros casos

Nesta segunda-feira, Dodge também enviou pareceres a respeito de outros casos que devem ser julgados amanhã (8). Em relação ao senador Fernando Bezerra (MDB-PE), ela defendeu o envio da denúncia contra o parlamentar para a primeira instância.

Bezerra foi denunciado por corrupção em 2016, quando foi acusado de ter recebido ao menos R$ 41,5 milhões em propina de empreiteiras que atuaram nas obras da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Os crimes teriam ocorrido entre 2010 e 2011, quando o senador era secretário estadual. :: LEIA MAIS »

O BODE EXPIATÓRIO DE ACM NETO

Ladeado por Lúcio e Geddel, ACM Neto pode não disputar governo em 2018

Pelo que deixa escapar à mídia, o prefeito ACM Neto (DEM) encontrou um bode expiatório para continuar no comando da quarta mais populosa capital brasileira e não disputar a eleição a governador da Bahia.

Neto deverá jogar na conta dos irmãos Vieira Lima a culpa por não disputar o pleito estadual em 2018. Reuniu-se com o deputado federal Lúcio Vieira Lima para que o parlamentar deixasse o MDB, migrando para um partido nanico.

Lúcio estaria resistindo à ideia.

Neto quer o tempo de televisão do partido do aliado, mas não quer Lúcio no palanque. Quer evitar o desgaste de ser associado aos homens dos R$ 51 milhões apreendidos pela Polícia Federa.

Há quem imagine que, para não perder ainda mais espaço político, Neto vá disputar o Senado Federal, deixando a vaga de governador para o prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo, também do DEM.

A DEBANDADA NO MDB BAIANO

Leur (à esquerda) deixa MDB e Geddel após 17 anos || Foto Jequié Repórter

O MDB perderá todos os deputados estaduais na Bahia, como já assinalou o presidente da legenda, Lúcio Vieira Lima. O último a confirmar desfiliação foi Leur Lomanto Jr., nesta terça (27). Vai, como disse ele, vislumbrar uma nova caminhada política. A debandada emedebista tem a ver com os reflexos eleitorais do “Bunker dos Vieira Lima”, aquele onde foram encontrados mais de R$ 51 milhões em dinheiro vivo.

Filho do ex-deputado Leur Lomanto, o deputado estadual teve apenas o MDB em seus 17 anos de partido. “É um ciclo que se encerra e outro que começa. Chegou o momento de partirmos juntos para uma nova caminhada”, disse ele, sem apontar a qual partido se filiará..

Leur Lomanto Jr. anunciou que, após três mandatos como deputado estadual, pretende concorrer a uma das 39 vagas na Câmara Federal. Dos parlamentares estaduais e federais na Bahia, o MDB continuará apenas com Lúcio Vieira Lima. Saem, dentre outros, Hildécio Meireles, Pedro Tavares e o próprio Leur Jr.

ACM NETO E SEUS DILEMAS

Marco Wense

 

 

Portanto, todo cuidado é pouco com o deputado Lúcio, que já avisou que vai permanecer no MDB e que os incomodados procurem outra legenda.  

Como não bastasse a indecisão de ser ou não candidato ao governo da Bahia, o prefeito ACM Neto tem pela frente o presidente Temer e o deputado Lúcio Vieira, ambos do MDB.  

A autoridade máxima do Poder Executivo, que chegou ao cargo com o impeachment de Dilma Rousseff, tem um alto índice de rejeição, beirando aos 90%.  

O parlamentar baiano, depois do “bunker” de R$ 51 milhões, vive pelos cantos, até históricos correligionários se afastam do ex-chefe.  

O problema é que o alcaide soteropolitano não pode prescindir do bom tempo do MDB no horário eleitoral, sem falar que qualquer atitude de menosprezo a Lúcio pode provocar a ira do irmão Geddel.  

O ex-ministro não vai aceitar que Lúcio seja jogado na sarjeta. O que se comenta, nos bastidores de Brasília, é que Geddel pode insinuar uma delação se a perseguição política contra o mano se tornar um fato.  

Portanto, todo cuidado é pouco com o deputado Lúcio, que já avisou que vai permanecer no MDB e que os incomodados procurem outra legenda.  

ACM Neto vai ter que suportar essas duas “malas”. Como presidente nacional do DEM, partido que integra a base aliada do Palácio do Planalto, terá até que carregá-las.  

Saindo candidato na disputa com o governador Rui Costa (PT-reeleição), Neto tem que rezar muito para que impopularidade de Temer e Lúcio não contamine sua campanha.  

Marco Wense é editor d´O Busílis e da Coluna Wense, no Diário Bahia.

IRMÃO DE GEDDEL NO CONSELHO DE ÉTICA

Lúcio e o irmão Geddel, que está preso || Foto Jornal Bahia Online

O deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) será alvo de processo disciplinar no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados. A reunião que analisará o pedido de cassação do mandato será na próxima terça (27), quando também serão examinados os pedidos contra os deputados Paulo Maluf (PP-SP), Celso Jacob (PMDB-RJ) e João Rodrigues (PSD-SC).

Quem definirá o relator para cada processo, a partir de sorteio em lista tríplice, é o também baiano Elmar Nascimento (DEM), que preside o Conselho. Lúcio Vieira Lima é apontado como um dos donos dos R$ 51 milhões encontrado em imóvel emprestado ao irmão dele, Geddel Vieira Lima. Lúcio foi denunciado por lavagem de dinheiro e associação criminosa, em dezembro passado, pela Procuradoria-Geral da República.

GEDDEL E LÚCIO PODEM TIRAR ACM NETO DA DISPUTA AO GOVERNO DA BAHIA, DIZ JORNAL

Ladeado por Lúcio e Geddel, ACM Neto pode não disputar governo, segundo jornal

Cardeais da base aliada ao DEM veem no PMDB da Bahia o grande entrave para a candidatura do prefeito ACM Neto ao governo. Caso o diretório do partido no estado continue sob controle dos irmãos Geddel e Lúcio Vieira Lima, avaliam, será difícil convencer Neto a entrar no páreo. Da Coluna Satélite, do Correio24h

A nota acima foi publicada no Correio, publicação que pertence à família do prefeito de Salvador, ACM Neto. Há mais de dez dias, este blog publicou nota com avaliação de democratas. Para eles, Neto só entra na disputa em caso de Lula ser condenado e ter reduzidas chances de disputar a presidência da República. Aliado a isso, os irmãos Vieira Lima teriam que sumir do cenário. Outro desgaste para Neto é o apoio ao Governo Temer. E Lula na disputa tornaria a candidatura de Rui Costa quase imbatível (reveja).

AS MAJORITÁRIAS DE RUI E NETO

marco wense1Marco Wense

 

Uma coisa é certa: a disputa Rui Costa versus ACM Neto vai ser acirrada. O segundo mandato do governador não é favas contadas como dizem os petistas mais eufóricos.

 

O comentário de hoje é sobre a composição das chapas da situação e da oposição, respectivamente encabeçadas pelo governador Rui Costa e o prefeito ACM Neto.

Quem teria mais problemas para arrumar a majoritária sem causar graves dissidências, o alcaide soteropolitano (DEM) ou o chefe do Executivo estadual (PT)?

Pelo governismo, o maior entrave diz respeito ao PSB da senadora Lídice da Mata, que não teria espaço para sua reeleição. Vai ter que se contentar com uma eventual candidatura à Câmara dos Deputados.

Outro fato que pode complicar Lídice é a articulação nacional do PSB com o PSDB, mais especificamente com o governador de São Paulo e presidenciável Geraldo Alckmin.

Tem também o PR de José Carlos Araújo, que sempre deixa nas entrelinhas que pode romper com o governo se a legenda for preterida.

A chapa governista caminha para manter João Leão (PP) como vice e as duas vagas para o Senado sendo ocupadas por Jaques Wagner e um indicado pelo PSD do senador Otto Alencar.

PSB e o PR ficam de fora. Em relação ao Partido da República existe a remota possibilidade de Wagner se candidatar a deputado federal para solucionar o impasse.

Na oposição, obviamente com ACM Neto disputando o Palácio de Ondina, os postulantes são José Ronaldo (DEM), Jutahy Júnior e Antônio Imbassahy, ambos do PSDB, e Lúcio Vieira Lima (PMDB).

O que se comenta nos bastidores é que a vontade de ACM Neto é ter uma mulher na sua vice, já que a chapa adversária só terá marmanjos.

O pessoal do marketing acredita que a presença feminina na composição da majoritária pode ter um apelo significativo no processo sucessório.

José Ronaldo dificilmente seria defenestrado. O oposicionismo não pode deixar de fora o prefeito de Feira de Santana, o segundo maior colégio eleitoral.

Aí sobra apenas uma vaga para o Senado para ser disputada entre Imbassahy, Jutahy e Lúcio Vieira Lima. Dos três, o que tem menos chance é o primeiro.

Aliás, Imbassahy, que é o secretário de Governo de Temer, é uma espécie de “patinho feio”. Quer sair do PSDB, mas não encontra partido que lhe queira. As portas estão fechadas.

“Imbassahy está bem onde está”, diz Aleluia, presidente estadual do DEM. “O partido não é barriga de aluguel”, alfineta Lúcio, cacique do PMDB.

O trunfo do irmão de Geddel é o invejável tempo do PMDB no horário eleitoral destinado aos partidos políticos. O de Jutahy é tirar da chapa uma conotação 100% temista, já que votou pela continuidade da denúncia da PGR contra o presidente Temer.

Uma coisa é certa: a disputa Rui Costa versus ACM Neto vai ser acirrada. O segundo mandato do governador não é favas contadas como dizem os petistas mais eufóricos.

Marco Wense é editor d´O Busílis.

GERALDO, DAVIDSON E ROBERTO JOSÉ

marco wense1Marco Wense

 

Dos quatros prefeituráveis de partidos que dão sustentação política ao governo estadual, o ex-alcaide é o grande favorito. Percentualmente, diria que Geraldo tem 90% de chance, Davidson 5%, Roberto José 4% e Leahy 1%.

 

Já estou ficando repetitivo quando digo que o PT de Geraldo Simões e o PCdoB de Davidson Magalhães vão caminhar juntos na sucessão do prefeito Claudevane Leite.

A união entre petistas e comunistas é uma questão de pura sobrevivência política. O cenário aponta uma dependência que tende a ficar cada vez mais escancarada.

Se a junção é considerada como favas contadas, então podemos dizer que o candidato do governismo será Geraldo Simões, com o PCdoB indicando o companheiro da chapa majoritária.

E Roberto José, que é do PSD do senador Otto Alencar, que é aliado do governador Rui Costa, como fica? Vai aceitar passivamente a fritura em torno da sua pré-candidatura?

Ora, até as freiras do Convento das Carmelitas sabem que o governador Rui Costa não medirá esforços para que a base aliada tenha um só candidato a prefeito.

Dos quatros prefeituráveis de partidos que dão sustentação política ao governo estadual – Geraldo Simões, Davidson Magalhães, Roberto José e Carlos Leahy, respectivamente PT, PCdoB, PSD e PSB –, o ex-alcaide é o grande favorito. Percentualmente, diria que Geraldo tem 90% de chance, Davidson 5%, Roberto José 4% e Leahy 1%.

É bom lembrar que a senadora Lídice da Mata, dirigente-mor do PSB, além de ter um bom relacionamento com o governador Rui Costa, comunga com a opinião de que qualquer cisão na base só faz ajudar a oposição.

Robertistas, obviamente os mais lúcidos e politizados, já defendem uma aproximação de Roberto José com o médico Antônio Mangabeira, pré-candidato pelo PDT do saudoso Leonel Brizola.

Muita coisa ainda vai acontecer na movediça areia da sucessão do prefeito Claudevane Leite (PRB).

GEDDEL EM ITABUNA

JuvenalMaynart CeplacAmanhã, sábado (28), o ex-ministro Geddel Vieira Lima e o mano Lúcio Vieira Lima, cotadíssimo para substituir Eduardo Cunha na presidência da Câmara dos Deputados, estarão em Itabuna para discutirem a sucessão do prefeito Claudevane Leite.

Serão recebidos pelo presidente do diretório do PMDB, Pedro Arnaldo, pelo médico Renato Borges da Costa, o pré-candidato Fernando Vita, o vereador Antônio Cavalcante e, principalmente, por Juvenal Maynart.

Digo principalmente, porque Geddel tem a oportunidade de parabenizar pessoalmente Maynart não só pelo bom trabalho realizado na Ceplac, quando superintendente do órgão, como na valorosa contribuição para a implantação da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB).

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

CACÁ COLCHÕES NO PP

Jabes se filiará ao PP de Jabes Ribeiro.

Jabes se filiará ao PP de Jabes Ribeiro.

O vice-prefeito de Ilhéus, Cacá Colchões, anunciou em entrevista coletiva, hoje, no Palácio Paranaguá, que está de malas prontas para deixar o PMDB. O político anunciou que se filiará ao mesmo partido do prefeito Jabes Ribeiro, o PP.

A mudança tem a ver com a nova postura do ex-padrinho Geddel Vieira Lima, dono do PMDB baiano. Já em 2014, Geddel e o irmão, Lúcio, lançaram o nome do deputado estadual Pedro Tavares à sucessão em Ilhéus.

ADVERSÁRIO É SUSPEITO DE MATAR PREFEITO DE MACAJUBA

Fernão, de barba, em reunião com líderes estaduais do PMDB (Foto Reprodução).

Fernão, de barba, em reunião com líderes estaduais do PMDB (Foto Reprodução)[

O prefeito de Macajuba (BA), Fernão Dias de Ramalho Sampaio (PMDB), de 67 anos, foi morto a tiros, ontem à noite, na região central da cidade. O suspeito de ter efetuado os disparos foi identificado como Binho de Moacir. A morte teria sido motivada por vingança, segundo sites de notícias da região.

Fernão estava dirigindo o carro quando levou quatro tiros. Ele perdeu o controle da caminhonete, que bateu contra a parede da igreja matriz de Macajuba. Populares ainda socorreram o político, mas Fernão faleceu pouco tempo depois.

LÚCIO PROMOVE ATOS EM CANES

Almir e Lúcio cumprimenta eleitores em eventos (Foto Anderson Costa).

Almir e Lúcio (de branco) cumprimentam eleitores em eventos (Foto Anderson Costa).

Candidato à reeleição, o deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB) fez carreata e comício no sábado (27) em Canavieiras, acompanhado pelo prefeito Almir Melo, também do seu partido.

O prefeito peemedebista lembrou do compromisso do peemedebista com Canavieiras e combateu os deputados “copa do mundo”, que só aparecem na cidade de quatro em quatro anos para pedir votos.

Aos irmãos Vieira Lima, Almir credita a obtenção de recursos para a primeira etapa da urbanização da orla de Canavieiras, construção do Parque Esportivo e Ecológico Luiz Eduardo Magalhães, o Caminho da Fé, a reforma total da Unidade de Saúde Dr. Edmundo Lopes de Castro, num valor total de R$ 4,35 milhões.

Além de Lúcio, o prefeito de Canavieiras definiu apoio a deputado estadual (Leur Lomanto Jr.), ao Senado (Geddel Vieira Lima) e ao governo baiano (Rui Costa-PT).

COLUNISTA D´O GLOBO DIZ QUE GEDDEL TENTA DESESTABILIZAR RELAÇÃO ENTRE DILMA E PMDB

Geddel: "humilhado" com cargo 'de m...." na Caixa.

Geddel: jogando com o inimigo.

O jornalista Jorge Bastos Moreno, d´O Globo, diz em seu blog que os irmãos Vieira Lima jogam para promover a discórdia na relação Dilma Rousseff-PMDB.

A nota começa falando da negativa do governo em relação a um possível, porém improvável, rompimento entre petistas e peemedebistas. E explica por que a presidente da República, hoje, não pôde falar de nova dobradinha com o PMDB em sua estratégia de reeleição. A presidente participou de convenção peemedebista.

Na parte final da nota, Bastos Moreno atribui a Geddel Vieira Lima, hoje na Caixa Econômica, e ao deputado Lúcio Vieira Lima a estratégia de parte do PMDB em desestabilizar a relação com o governo, já com vistas a 2014.

Eis parte do texto:

“O Planalto identificou nos irmãos Geddel/Lúcio Vieira Lima toda a tentativa de desestabilizar a relação do governo com o PMDB.

Geddel mesmo reconhece que seu cargo no governo não passa de uma sinecura.

Dilma só ainda não o demitiu porque é malvada: quer humilhá-lo nesse cargo insignificante.

Dilma alega que não perde tempo com Geddel.

Geddel, por sua vez, fala mal da Dilma pra todo mundo e diz que não tem medo de perder “esse cargo de….”, ah, vc sabe, leitor, como diria Ancelmo.”

Confira aqui a íntegra da nota.

“AQUELES OLHOS AZUIS”

Da coluna Tempo  Presente (A Tarde):

Anfitrião do deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB) – que esteve ontem na Bahia à caça de votos para a eleição à presidência da Câmara -, o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB) levou o companheiro de partido para uma visita ao governador Jaques Wagner.

PMDB e PT, todos sabem, são oposição na Bahia, porém estão juntos no governo federal.

Na chegada à Governadoria, Lúcio ouviu piadinhas dos colegas por estar na “casa do inimigo”.

Saiu-se com esta:

– Ninguém resiste ao encanto desses olhos azuis – apontou para o governador.

Risos generalizados.

LÚCIO VIEIRA PULA A CERCA EM FORMOSA

O presidente estadual do PMDB, Lúcio Vieira Lima, saiu de Salvador, de jatinho, para pular a cerca em Formosa. A confissão está no microblog Twitter. É que o prefeito do pequeno município, sabendo da visita do Gordinho, mandou fechar o aeroporto municipal.

O jatinho do Gordo até pousou, mas Lúcio teve que pular a cerca para uns dedinhos de prosa com as eleitoras. E com os eleitores, naturalmente.

JOÃO SEM BRAÇO…

O deputado federal Lúcio Vieira Lima, comemorava há pouco, no Twitter, resultado de pesquisa de intenções de voto em Itabuna. E diz lá que recebeu o levantamento “hoje”. 

Na verdade, o comando peemedebista teve o relatório em mãos já na semana passada, dois dias antes de decidir a aliança com o Capitão Azevedo (DEM).

Foi exatamente a pesquisa que animou – demais – o PMDB e o fez ir para os braços do prefeito, colocando Renato na vice (pelo menos, temporariamente).

Em tempo: Existem várias razões para Lúcio comemorar o resultado. Uma delas está relacionada a uma pré-candidatura chamada por ele de “farofeira”.

LÚCIO NO SUMÔ

Do Cena Bahiana

O deputado Acelino Popó Freitas tirou o terno e mostrou que continua em forma nos ringues. Há pouco, em Punta del Este, no Uruguai, Popó, de 36 anos, venceu o desafio no boxe com o jovem Michael Oliveira, campeão latino-americano e até então invicto.

A vitória está bastante comentada no Twitter e aqui a gente destaca duas tiradas engraçadíssimas do deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB), assíduo frequentador das redes sociais.

Um interlocutor observou que o também deputado Nelson Pelegrino, do PT, acompanhou a luta no Uruguai e ficou colado em Popó após a vitória. Comentário de Lúcio, referindo-se à pré-candidatura de Pelegrino a prefeito de Salvador: “esse não ganha nem na porrada”.

Outro seguidor desafiou o peemedebista, perguntando quando é que ele iria subir nos ringues. E Lúcio: “tô agendando uma luta de sumô no Japão”.

Que figura!

Confira mais do excelente Cena Bahiana clicando aqui.

AMBIENTE FAVORÁVEL PARA AZEVEDO

A decisão das direções local e estadual do PMDB de jogar o partido no colo do prefeito Capitão Azevedo (DEM) tem a ver com as recentes pesquisas. Inicialmente, Juvenal Maynart jogava para que o partido apoiasse Juçara Feitosa (PT), mas os números pintados nas sondagens do partido e de aliados não indicavam aquela quase certeza de vitória para a suplente de senadora.

Juvenal havia até amolecido os corações dos irmãos Lúcio e Geddel Vieira Lima, mas veio a conjuntura estadual e as benditas pesquisas. Daí, trataram de “matar” a pré-candidatura peemedebista da empresária Leninha Alcântara, em script conhecido pelo próprio ex-deputado Renato Costa e o também ex-deputado Capitão Fábio.

“Fuzilada” a empresária, abriu-se o caminho para a estratégia peemedebista. Lançar Renato Costa pré-candidato, algo apenas como jogo de cena, pois o médico, que já foi vice do ex-prefeito Fernando Gomes e aliado do também ex-prefeito Geraldo Simões, passou à condição de nome cotado para a vice de Azevedo.

O prefeito tem zilhões de motivos para comemorar. Não foi à toa que Lúcio Vieira Lima, ontem, tratou de “vender o peixe” do PMDB. Disse a Azevedo que o partido é bom para ser apoiado e para apoiar e dispõe de valiosos três minutos de televisão. E campanha eleitoral na TV, quando bem feita, tem força para mudar o jogo em Itabuna.

Azevedo, que não é besta, ri de orelha a orelha, principalmente agora no momento em que a Frente Partidária sofre o baque da denúncia contra o vereador Wenceslau Júnior e tira a legenda dos Vieira Lima da aba da petista Juçara Feitosa e da Frente integrada por PDT, PCdoB, PRB, PSC e PV.

Mais que isso, o candidato à reeleição já conta com apoios importantes, como o do PR, e deverá dispor do PSDB no seu arco de alianças. A tudo isso, acrescentemos o fato do prefeito ter a seu favor a máquina administrativa – e o governo estadual estar ausente de Itabuna (e região). O cenário é favorável, mas cabe lembrar 2000, quando tudo apontava para a reeleição de Fernando Gomes. A oposição venceu.

GEDDEL LANÇA RENATO, “VENDE” PMDB A AZEVEDO E CUTUCA ACM NETO

Renato, Lúcio, Geddel, Azevedo e Pedro Tavares na coletiva à imprensa (Foto Pimenta).

O ex-deputado Gedel Vieira Lima acredita que em dez dias o PMDB oficialize o ex-deputado estadual Renato Costa como candidato a prefeito de Itabuna ou sua aliança com o DEM. “Nos próximos dez dias tudo terá que estar resolvido para que haja lançamento oficial com a presença do vice-presidente da República, Michel Temer”, afirmou na entrevista na Câmara de Vereadores de Itabuna.

O ex-ministro não deixou de desferir petardo contra o deputado federal ACM Neto, do mesmo partido do prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo. Para Geddel, o lançamento da candidatura do DEM à prefeitura de Salvador foi um equívoco. “Vamos continuar dialogando para criar condições de alianças. Nada é impossível. Esse é o desafio da política”. O PMDB, disse, deve fortalecer suas lideranças e de partidos aliados no projeto para 2014.

APOIO E TEMPO DE TELEVISÃO

Um dos líderes do PMDB no estado, ao lado do irmão, o deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), Gedel disse que seu desejo é que o partido tivesse candidato, mas não descarta o diálogo com o DEM na composição da chapa. “Temos candidato honesto, político bem avaliado e de qualidades que é Renato Costa. Convido-os ao diálogo. O PMDB é importante para vencer e ajudar a vencer. Além disso, tem valiosos três minutos de tempo de TV”, disse.

Rui Machado, Azevedo e Geddel na chegada à Câmara de Itabuna (Foto Pimenta).

O deputado federal Lúcio Vieira Lima disse que os eleitores de Itabuna são felizes pela opção a prefeito que têm entre Renato Costa e Capitão Azevedo. “Vocês têm duas boas opções, mas é preciso evitar que a prefeitura caia nas mãos do PT, partido marcado pelo descaso com o funcionalismo público. É natural que o PMDB e o DEM sentem-se à mesa para conversar. Vocês devem ter juízo”, disse, se referindo ao ex-deputado e ao prefeito.

DESISTÊNCIA DE LENINHA

Os dirigentes da Executiva estadual do PMDB vieram a Itabuna para referendar a pré-candidatura de Renato Costa a prefeito, depois da renúncia da empresária Leninha Alcântara, que não compareceu ao evento. “Se houve renúncia, não foi por pressão da Executiva, mas por vontade própria”, respondeu Geddel quando questionado sobre a desistência, acrescentando que a direção estadual respeita as características da política nos municípios, não estando descartada nem mesmo eventuais alianças em nível municipal com candidaturas do PT.

PMDB NAMORA AZEVEDO, APESAR DE RENATO

Não se espante o leitor-eleitor se o PMDB itabunense, que apresentou a empresária Leninha Alcântara como pré-candidata, surgir no cenário sucessório de 2012 como aliado do projeto de reeleição do prefeito Capitão Azevedo (DEM). Sinais começaram a ser emitidos com a desistência de Leninha na semana passada. O nome do ex-deputado Renato Costa surge agora como substituto peemedebista.

Para muitos, o presidente da comissão provisória do PMDB vai para o sacrifício. Mas há quem aposte em jogo de cena e preparação para que o partido feche mesmo com o DEM, embora peemedebistas tenham travado relação de tapas e beijos com os democratas em nível estadual.

Ouvido pelo PIMENTA, Juvenal Maynart, da direção estadual peemedebista, diz que a aposta é outra. O partido quer aproveitar o momento de CPI do Caso Cachoeira para levantar a bandeira da moralidade. Ele reconhece que, dentro do PMDB, há quem defenda o apoio a Azevedo, mas o partido apostará em Renato Costa.

A favor do ex-deputado, cita Juvenal, estão o tempo de TV do PMDB – o segundo maior dentre todas as legendas – e a necessidade de candidatura própria para reforçar o projeto eleitoral de 2014. “Acreditamos que a candidatura de Renato se viabilizará em até 30 dias. O mote de campanha será a moralidade [na coisa pública]”, afirma.

Hoje, o deputado Renato Costa era esperado para entrevista na Rádio Jornal, às 9h. De última hora, avisou ao jornalista Jota Silva que compareceria amanhã, justamente o dia em que a cúpula estadual peemedebista estará no município. Vêm a Itabuna o comandante da legenda na Bahia, Lúcio Vieira Lima, e o presidente estadual de honra, Geddel Vieira Lima.

CREDENCIAIS

Visto com desconfiança ao ser nomeado para o cargo de superintendente regional da Ceplac, Juvenal Maynart, parece que – aos poucos – vai superando o fato de ter sido uma indicação política, e do deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB).

A própria nomeação de Maynart ocorreu de forma inusitada – quando o diretor-geral, Jay Wallace Mota, estava de férias. Mas os planos e a estratégia de estabelecer canais com os servidores do órgão e a comunidade regional desanuviaram o cenário.

Na sexta, rolou uma “D.R.” entre Jay, Lúcio e Maynart. Em público. Discutiam a nomeação e os novos tempos. O superintendente baiano passou outra impressão a Jay, além de ter marcado gol com o seminário que discute alternativas de financiamento à lavoura cacaueira tendo como pano de fundo a conservação da Mata Atlântica, além de ações do plano Brasil sem Miséria.

Fala o próprio Juvenal: “Minha missão é mostrar que alguém que vem do universo político pode dar respostas aos anseios da comunidade”, diz, citando os nomes do padrinho, Lúcio Vieira, e do diretor Jay Wallace.

PMDB SELA ACORDO ANTI-PT EM ILHÉUS, ITABUNA E 8 CIDADES

Geddel arma aliança com o neto do desafeto ACM para tentar derrubar o PT (Foto ABr).

A direção estadual do PMDB baiano incluiu Ilhéus e Itabuna na relação das dez cidades baianas nas quais o partido não fará coligação com o PT em 2012.

O veto faz parte de acordo construído com legendas do campo oposicionista, a exemplo de PSDB, PPS e DEM. A lista foi publicada pelo jornalista Josias de Souza em seu blog.

O veto aumenta as chances do prefeito Capitão Azevedo (DEM) ter o apoio da legenda na tentativa de reeleição em Itabuna, embora Geddel Vieira Lima e o irmão, o deputado federal Lúcio Vieira Lima, tenham se afastado do mandatário grapiúna.

OS PRAZOS DO PMDB

Juvenal: preferência por Leninha.

Juvenal Maynart diz que o deputado federal Lúcio Vieira Lima é quem definirá o pré-candidato do PMDB à prefeitura de Itabuna. O nome será divulgado em janeiro. E o escolhido terá até maio para mostrar poder de fogo. Ou isso ou o PMDB abrirá mão de possível cabeça de chapa.

Juvenal, que compõe a Executiva Estadual e é próximo a Lúcio Vieira Lima, defende o nome da empresária Leninha Alcântara. Para ele, é quem, dos nomes postos, tem os três “Dês”: “densidade, democracia e dimensão”. Alguém mais direto resumiria tudo a um só “D” – de “dinheiro”.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia