WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

editorias






:: ‘Luiz Caetano’

TOP FIVE DO TCM

Caetano, de Camaçari, lidera lista

Os dez ex-prefeitos baianos mais endividados por multas e ressarcimentos têm débitos que, somados, chegam a R$ 38 milhões. As dívidas foram impostas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), devido a irregularidades cometidas por eles em suas gestões. Os valores, quando pagos, vão para os cofres municipais.

Quem lidera o ranking é o deputado federal Luiz Caetano (PT), que governou Camaçari por três mandatos e deve R$ 8,7 milhões. Em segundo vem Maria Maia (PMDB), ex-prefeita de Candeias, que tem débitos de R$ 5,9 milhões. O ex-prefeito de Paulo Afonso Raimundo Caires (PSB) é o terceiro, com pendências de R$ 3,6 milhões. Entre os três, Caetano e Caires tentaram voltar em 2016, mas foram derrotados.

A lista tem ainda Pedro da Campineira (PSD), de Itamaraju, e Orlando Xavier (PR), de Casa Nova. Eles devem R$ 3,2 milhões e R$ 3,1 milhões, respectivamente. O levantamento foi realizado pela Satélite com base em informações disponíveis no site do TCM.

Da Coluna Satélite, do Correio24h

DEPUTADO DA BASE DIZ QUE CANDIDATURA DE RUI COSTA “NÃO DECOLA”

(Foto Pimenta).

(Foto Pimenta).

O deputado José de Arimatéia faz campanha pelo nome de Jorge Solla ao Governo da Bahia e deixa claro que não morre de amores pelo preferido de Jaques Wagner no PT.

– Os nomes [do PT] não decolam, com exceção de [Walter] Pinheiro. Rui Costa é o pior que tem. Já que é para se escolher, tem que ser Pinheiro ou Solla – disse ele ao PIMENTA durante a solenidade de oficialização do retorno da Gestão Plena da saúde em Itabuna.

Além de Pinheiro e Costa, José Sérgio Gabrielli e Luiz Caetano são os nomes petistas que sonham em disputar a sucessão de Wagner.

Arimatéia afirmou ainda que está trabalhando pelo nome de Solla que, segundo ele, tem a preferência “não só do PRB, mas do PP também”.

WAGNER E A SUCESSÃO

marco wense1Marco Wense

O governador não perdeu sua intuição política. Não é nenhum neófito, iniciante, marinheiro de primeira viagem, bobo e desorientado. Continua sendo o Jaques Wagner de carne e osso.

Não tenho nenhuma dúvida de que o nome do governismo para disputar o Palácio de Ondina vai sair do Partido dos Trabalhadores (PT). E nenhuma hesitação de que a escolha está entre Rui Costa e Walter Pinheiro.

Rui Costa é o chefe da Casa Civil. A seu favor o fato inquestionável de que é o candidato da preferência do governador Wagner. Do lado do senador Walter Pinheiro, as pesquisas de intenção de voto.

De fora mesmo, sem perspectiva, José Sérgio Gabrielli e Luiz Caetano, respectivamente secretário estadual de Planejamento e ex-prefeito de Camaçari.

Se não fosse o republicanismo do governador Wagner, reconhecido e enaltecido até pelos opositores, o martelo já teria sido batido: o candidato é Rui Costa e ponto final.

Na época do carlismo, sob a batuta de ACM, com o mandonismo a todo vapor, não teria nem discussão sobre a composição da chapa.

O desejo de ACM era uma ordem, o “manda quem pode, obedece quem tem juízo”.

Correligionários do senador Walter Pinheiro defendem as consultas populares como critério para a escolha do candidato, já que a diferença entre ele e Rui é considerável.

O governador Wagner até que concorda com a opinião de que a pesquisa pode ser um indicativo, mas faz a seguinte ressalva: “Não é para mim o critério preponderante.”

Os pretendentes da base aliada são dois: Marcelo Nilo (PDT) e a senadora Lídice da Mata (PSB). A pré-candidatura do pedetista tem a compreensão de Wagner e do PT.

O engraçado fica com Lídice. Ela quer o apoio de Wagner para o Palácio de Ondina fazendo campanha para Eduardo Campos (PSB) para o Palácio do Planalto.

:: LEIA MAIS »

NÃO É UMA QUESTÃO DE TORCIDA

sócratesSócrates Santana | soulsocrates@gmail.com

Enfrentar nomes improváveis como os prefeitos de Salvador ou de Feira de Santana, respectivamente, ACM Neto ou José Ronaldo, mais calejados como o ex-governador Paulo Souto ou até mesmo o ex-ministro Geddel Vieira Lima, não é uma tarefa qualquer.

Nesta manhã nublada de quarta-feira (2), acompanhei a entrevista do secretário da Casa Civil da Bahia Rui Costa na Rádio Tudo FM, que perdeu muito com a saída do jornalista Evilásio Jr (registre-se). Após discorrer de maneira bastante segura sobre uma série de intervenções de infraestrutura do governador Jaques Wagner no estado, o preferido do Palácio de Ondina teceu comentários sobre a sucessão estadual de 2014.

Sendo um dos quatro pré-candidatos do PT, Rui Costa usou de analogias futebolísticas para rechaçar as críticas internas e externas ao seu nome. Primeiro, rechaçou quem usa da comum prática de publicar notas via imprensa de maneira anônima para emitir uma opinião. Depois, avaliou como natural quem prefere este ou aquele candidato. Comparou, porém, a opção pessoal de cada um ao clássico BAVI. Mas, a escolha deste ou daquele candidato não é uma questão de torcida. Se fosse assim, Flamengo e Corinthians venceriam todos os campeonatos nacionais. Mas não ganham.

A questão é quem está pronto para encabeçar uma disputa majoritária. Não é, simplesmente, quem possui mais densidade eleitoral, a exemplo dos torcedores da candidatura do senador Walter Pinheiro. Nem tão pouco, quem prefere um nome mais habituado às querelas municipais, a exemplo dos torcedores do ex-prefeito Luiz Caetano. Também não é uma questão de quem tem mais visibilidade nacional, como o ex-presidente da Petrobrás, José Sergio Gabrielli de Azevedo, menos ainda uma questão tão pessoal como o chamego do governador pelo secretário da Casa Civil.

Numa disputa majoritária, todos sabem disso, o candidato é o principal comandante contra as nuvens movediças do ex-governador mineiro, Magalhães Pinto: “Política é como nuvem, muda de forma toda hora”. É quem vai enfrentar notícias – plantadas ou não – sobre o envolvimento de petistas ou aliados em episódios polêmicos, a exemplo de operações da Polícia Federal, contas rejeitas pelos tribunais de contas, envolvimento em grandes transações, a exemplo de Pasadena, greves, atraso de fornecedores e dos servidores, além de golpes baixos sobre a vida pessoal de cada um.

A superação de cada um desses embates também não é resolvida simplesmente com a disposição de cada um para enfrentar esses dilemas. Não basta ser convincente, como dizem os publicitários, é preciso parecer convincente. Enfrentar nomes improváveis como os prefeitos de Salvador ou de Feira de Santana, respectivamente, ACM Neto ou José Ronaldo, mais calejados como o ex-governador Paulo Souto ou até mesmo o ex-ministro Geddel Vieira Lima, não é uma tarefa qualquer. Não basta decorar as principais realizações do governo, nem possuir o principal cabo eleitoral do país ou do estado ao lado.

Apesar de compreensível, a postura do secretário da Casa Civil de entregar nas mãos do governador a tarefa de articular a viabilidade de sua candidatura junto ao PT e aos demais membros da base aliada, tira dele o papel de protagonista de uma eleição suspensa pela fúria das manifestações de junho ainda em curso no país. Afinal de contas, o discurso da continuidade soa extremamente vago quando as pessoas querem tudo, menos o que está aí. E, quem fingir ou enterrar a cabeça debaixo da terra, pode assistir atônito a banda passar cantando sobre como as coisas da política não são resolvidas apenas com partidos e obras.

Sócrates Santana é jornalista e filiado ao Partido dos Trabalhadores.

EVERALDO OBTÉM APOIO DE TENDÊNCIAS E PRÉ-CANDIDATOS PETISTAS

Caetano, Pinheiro e Rui confirmam apoio a Everaldo à presidência do PT.

Caetano, Pinheiro e Rui confirmam apoio a Everaldo à presidência do PT.

everaldo_anunciacao_membro_diretorio_estadual_partido_dos_trabalhadores_da_bahiaO evento de apoio à candidatura de Everaldo Anunciação, ontem, no Hotel Fiesta, reuniu mais de 2 mil petistas baianos. O ceplaqueano e ex-vereador de Itabuna disputa a presidência estadual do PT e atraiu ao evento o senador Walter Pinheiro, o secretário estadual da Casa Civil, Rui Costa, e o ex-prefeito de Camaçari Luiz Caetano. O trio disputa a indicação do partido para a sucessão do governador Jaques Wagner. José Sérgio Gabrielli, outro nome petista, não foi ao evento, pois cumpria agenda fora da Bahia.

O Processo de Eleições Diretas (PED) do PT será realizado em novembro deste ano, quando serão escolhidos, além dos novos dirigentes estaduais, as novas composições dos diretórios nacional e municipal. Everaldo também obteve, no evento, apoio das tendências Construindo um Novo Brasil (CNB), Reencantar e Esquerda Popular Socialista (EPS), que ainda definiu, ontem, o apoio à pré-candidatura a governador de Rui Costa, o nome preferido do mandatário-mor da Bahia, Jaques Wagner.

A PELEJA GOVERNISTA NA UPB

O corre-corre na base aliada do governo foi intenso nesta terça, 22. Tudo para (tentar) assegurar vitória à candidata assumidamente governista na disputa pela presidência da União dos Municípios da Bahia (UPB), Maria Quitéria, prefeita de Cardeal da Silva. Durante todo o dia, deputados ligavam para os prefeitos pedindo que não faltassem à eleição e, claro, votassem na “prefeita mais bonita da Bahia”.

Do outro lado, está o prefeito de Andaraí, Wilson Cardoso, do PSB de Maria Quitéria e da base aliada a Wagner. Wilson tem o apoio de descontentes com o governo e de seguidores da oposição a Wagner. O prefeito de Andaraí conseguiu apoio da oposição e de prefeitos como Gilka Badaró (PSB), de Itajuípe.

Até o final de semana, nomes ligados a Quitéria tentavam o apoio de Gilka, mas desistiram. Ela está magoada com Luiz Caetano. Este, deixou de pagar direitos trabalhistas à prefeita da Velha Pirangi. Gilka trabalhava na UPB até o início do ano passado.

DE OLHO NA UPB

Caetano e Quitéria vêm arrebanhar votos no sul da Bahia.

Caetano e Quitéria vêm tentar arrebanhar votos no sul da Bahia.

O presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Luiz Caetano (PT), está correndo trecho, sempre acompanhado da sua vice-presidente, Maria Quitéria (PSB), prefeita reeleita de Cardeal da Silva.

Amanhã, às 16h, na Fazenda Independência, em Uruçuca, Caetano reúne grupo de prefeitos do sul da Bahia para discutir o “projeto do próximo biênio da UPB”. E o projeto é eleger Maria Quitéria a presidente da UPB.

Já a escolha por Uruçuca para sediar a reunião tem outra intenção: a prefeita do município, a petista Fernanda Silva, é a preferida para ser a representante do sul da Bahia na chapa de Quitéria.

DISPUTA SOCIALISTA NA UPB

Wilson Cardoso e Maria Quitéria na briga pela UPB

Wilson Cardoso e Maria Quitéria na briga pela UPB

Da Tribuna

A eleição do novo comando da UPB ganha cada vez mais a influência da disputa de 2014, já que por trás dos candidatos à cadeira da entidade estão os interessados no Palácio de Ondina.

Ontem, a prefeita de São Francisco do Conde, Rilza Valentim oficializou a sua saída da disputa em apoio à prefeita de Cardeal da Silva, Maria Quitéria (PSB), que voltou ao páreo e deve ir para o bate chapa com o postulante do mesmo partido, o prefeito de Andaraí, Wilson Cardoso. Ele reafirmou a permanência na briga ao dizer ontem que sua candidatura é “irreversível”.

Há rumores de que o gestor de Andaraí permanece forte com o apoio da maioria dos prefeitos. No entanto, uma das leituras é de que, até o dia 23, Caetano siga muitas estratégias para fazer a sucessora.

Leia mais

FORD INVESTIRÁ R$ 400 MILHÕES EM FÁBRICA DE MOTORES NA BAHIA

Governador, prefeito Luiz Caetano e dirigentes da Ford lançam pedra fundamental.

Será na Bahia a primeira fábrica de motores do Nordeste. Hoje, dirigentes da Ford e o governador Jaques Wagner lançaram a pedra fundamental do investimento de R$ 400 milhões. Construída em Camaçari, a fábrica de 24 mil metros quadrados terá capacidade para produzir 210 mil motores por ano.

Marcos de Oliveira, presidente da Ford Brasil e Mercosul, disse que a direção da montadora está muito satisfeita com os investimentos e “altíssima qualidade” da mão de obra no estado. A fábrica faz parte do plano de produzir produtos globais.

O governador Jaques Wagner diz que a Bahia terá orgulho de fabricar carro mundial da Ford totalmente desenvolvido no estado. A fábrica de veículos da Ford em Camaçari emprega cerca de 1,2 mil engenheiros, segundo a montadora.

PRESSÃO FAZ TRIBUNAL DE JUSTIÇA ANALISAR REATIVAÇÃO DE COMARCAS

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) julga em sessão da próxima quarta (23) ação administrativa para reativar 50 comarcas do interior do estado. De acordo com cálculos da União dos Municípios da Bahia (UPB), a desativação das comarcas atingiu uma população de aproximadamente 700 mil pessoas no estado.

O presidente da UPB, Luiz Caetano, considera este o momento apropriado para que prefeitos demonstrem união e estejam no tribunal na próxima quarta. Somente no sul da Bahia, a decisão atinge Santa Luzia Barro Preto, Itagimirim, Jitaúna, Maraú, Nilo Peçanha e Itagi.

Santa Luzia é dos casos mais emblemáticos e exemplo de desperdício de dinheiro, caso o tribunal não volte atrás na decisão tomada . O fórum local foi inaugurado há pouco tempo e custou aos cofres públicos aproximadamente R$ 2 milhões.

Advogados e cidadãos temem que a decisão do tribunal estimule ainda mais a impunidade no interior baiano, devido à ausência de Justiça. Municípios atingidos pela desativação de comarcas teriam que recorrer a cidades distantes, em média, 60 quilômetros.

TCM OBRIGA LUIZ CAETANO A RESSARCIR R$ 2 MILHÕES GASTOS EM PUBLICIDADE

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) formulará denúncia ao Ministério Público estadual contra o prefeito de Camaçari, Luiz Caetano (PT), pelos gastos irregulares em publicidade no exercício de 2006. O caso tem a ver com a concorrência pública 001/2005.

De acordo com o conselheiro do TCM e relator das contas, Paolo Marconi, Caetano terá de ressarcir o erário em R$ 2.058.296,26 do próprio bolso, além de pagar multa de R$ 26,6 mil.

O prefeito teria, no entendimento do relator das contas, cometido diversas irregularidades em publicidade institucional no exercício de 2006. Dentre elas, promoção pessoal com dinheiro público e uso de slogan “idêntico” ao da campanha (“Camaçari do Bem”). Caetano pode recorrer da decisão.

PARAR, SÓ EM 2014

O superintendente administrativo da União dos Municípios da Bahia (UPB), Júnior Muniz, é tido como inquieto e nem hoje, no próprio aniversário, parou de trabalhar no assessoramento ao presidente Luiz Caetano.

O ritmo do assessor ainda parece o da campanha que fez de Caetano um nome de consenso à presidência da entidade municipalista. Não à toa, conquistou fãs entre prefeitos baianos e funcionários da UPB.

Os amigos e políticos mais próximos dizem que Muniz só vai “sossegar” em outubro de 2014, depois que ver Caetano garantido no Palácio de Ondina. Haja disposição.

CAETANO E A “COPA” DE 2014

Caetano, que sonha com 2014, ouve um "parabéns, governador!" (foto JC d'Almeida / Blog do Anderson)

O presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Luiz Caetano, saiu animado de Vitória da Conquista, no último final de semana. Após discurso inflamado em defesa da reforma tributária e melhor distribuição da arrecadação central, foi retribuído com cumprimentos efusivos e gritos de “parabéns, governador!”.

Os prefeitos se queixam, principalmente, da concentração excessiva da arrecadação em mãos do governo federal, enquanto estados ficam com 25% e municípios, 15%. O discurso de Caetano, então, caiu como música para os ouvidos dos gestores.

Os prefeitos, muito deles avessos ao planejamento, aplaudiram também a agenda do novo presidente da UPB. Caetano detalhou a agenda de trabalho da entidade para os próximos meses e lembrou que os municípios não devem perder a oportunidade de pressionar – com inteligência – os governos estadual e federal.

O PRESTÍGIO DE CAETANO

O prefeito de Camaçari, Luiz Caetano, assume a presidência da União dos Municípios da Bahia (UPB) com um prestígio pouco visto para um dirigente da entidade municipalista. Ontem, Caetano atraiu mais de 200 prefeitos e dezenas de deputados baianos ao Hotel Fiesta.

Por lá, também estiveram o governador Jaques Wagner, a senadora eleita Lídice da Mata (PSB) e o vice-governador Otto Alencar. Prefeitos sul-baianos, a exemplo de Sandra Cardoso (DEM) e Lenildo Santana (PT), ressaltaram a força da nova diretoria da UPB. A eleição que confirmou o nome de Caetano como presidente da entidade ocorreu nesta quinta, 27.

OS NOMES DE CONSENSO

Conforme o PIMENTA já noticiou, o prefeito de Ibicuí, Cláudio Dourado (PTB), é nome de consenso para substituir Moacyr Leite na presidência da Amurc (Associação dos Municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste da Bahia). Reproduz na região o mesmo êxito que Luiz Caetano (PT), prefeito de Camaçari, teve nas articulações para presidir a UPB (União dos Municípios da Bahia).

Neste sábado, 22, Caetano e Dourado se reúnem com prefeitos sul-baianos num jantar em Ilhéus. Um encontro em clima de vitória.

Clique aqui para ver a composição da chapa pluripartidária liderada por Cláudio Dourado. Na UPB, Caetano ainda realiza costuras para formar a nova direção.

“UNGIDO” NA UPB, CAETANO CORRE TRECHO

A disputa pela presidência da União dos Municípios Baianos (UPB) terá chapa de consenso. Após uma tentativa fracassada em 2009, Luiz Caetano será o próximo comandante da entidade.

Para garantir o voto dos colegas de todo o estado, o petista inicia uma maratona pelas várias regionais da Bahia. Caetano e o vice, Eduardo Vasconcelos (PSDB), têm encontro com prefeitos do sudoeste amanhã (21), em Vitória da Conquista. No sábado, a dupla se reúne com os colegas da região sul-baiana, às 19h, no Hotel Jardim Atlântico, em Ilhéus.

Caetano deve chegar preparado, pois não serão poucos os pedidos para que abra dois lugares na chapa em favor do também petista Adroaldo Almeida (prefeito de Itororó) e o pepista Moacyr Leite (prefeito de Uruçuca).






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia