WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘Lula’

APLACANDO OS ÂNIMOS

Finalmente um motivo para os deputados rirem. Depois de um longo e tenebroso inverno, o governo falou as palavras mágicas: vai liberar verbas das emendas dos parlamentares.

A torneira vai ser aberta, de maneira que saia, por mês, R$ 1 bilhão, até a soma de R$ 6 bilhões, de setembro a dezembro. O dinheiro já é previsto no orçamento de 2009, mas o governo estava contingenciando a liberação, devido à queda na arrecadação causada pela crise mundial.

E não é dizer que era a oposição quem mais chiava. Os parlamentares do aliado PMDB já falavam em boicotar as votações que interessam ao governo, caso continuassem na seca. Agora, tudo azul novamente.

PUXÃO DE ORELHA?

Deu na coluna Panorama Político, de O Globo: O presidente Lula informou ontem ao presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), que vai entrar em campo para resolver as divergências entre PMDB e PT nos estados. Eles conversaram a sós durante duas horas no almoço ontem, em São Paulo. Lula vai começar pela Bahia e pelo Pará e os primeiros com quem vai conversar são o ministro Geddel Vieira Lima e o deputado Jader Barbalho.

ESTREMECIMENTO DE LULA COM GEDDEL

.

.

O respeitado jornalista e coordenador da Agência A Tarde, Paixão Barbosa, fala de possível estremecimento na relação do presidente Lula com o ministro da Integração Nacional, o baiano Geddel Vieira Lima. O atrito teria como causa o rompimento do PMDB com o governo Jaques Wagner. Confira o que informa o blog Política&Cidadania.

“Segundo informações confiáveis, o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, ainda não teria tido a oportunidade de falar com o presidente Lula a respeito do rompimento oficial da aliança do PT com o PMDB na Bahia. Ao tomar a decisão de entregar os cargos ocupados por peemedebistas ao governador Jaques Wagner (PT), Geddel informou a Lula, mas não o fez diretamente. O presidente da Câmara Federal, Michel Temer (PMDB-SP), teria sido o portador do recado.

Depois disto, o ministro ainda não teve audiência com Lula e não conseguiu falar com o presidente por telefone. Há quem esteja interpretando o fato como resultado da reação negativa do Palácio do Planalto ao rompimento da aliança baiana, uma vez que o presidente ainda apostava na recomposição das forças que elegeram Wagner em 2006 e teria sido surpreendido pelo gesto do PMDB.

Vamos ver como Lula se refere agora ao ministro, depois de tê-lo elogiado tanto na última solenidade pública em que estiveram juntos.”

DILMA SE ENROSCA NO BIGODÃO; WAGNER É SONDADO

.

A ministra Dilma Rousseff pode não se sair muito bem das brigas em que se meteu recentemente e da associação política ao presidente do Senado, José Sarney. Motivos mais que sufucientes para acender a luz amarela no Planalto.

Alternativas ao nome da super-ministra à sucessão do presidente Lula começam a serem estudadas, e o governador da Bahia, Jaques Wagner, surge novamente como opção.

Wagner até hoje é reverenciado pela atuação como o ministro das Relações Institucionais – articulação política – durante o pior período vivido pelo governo Lula, no episódio do mensalão. O “ministro do Bolsa Família” – Desenvolvimento Social -, Patrus Ananias, também é sondado.

A decisão de Lula, que cuida pessoalmente dessas questões de sucessão, passa pela avaliação dos números nos próximos meses, levando-se em conta, ainda, o fator Marina Silva. As informções são do colunista Eumano Silva, do site Congresso em Foco.

DECIFRA-ME OU…

Wagner e o discurso enigmático.

Wagner e o discurso enigmático.

O discurso do governador Jaques Wagner, ontem, na posse dos novos secretários James Correia (Indústria, Comércio e Mineração) e João Leão (Infraestrutura), foi carregado de frases de efeito, mas uma delas parece ter passado despercebida de muitos. Foi, digamos, enigmática.

Wagner, numa indireta ao ministro Geddel Vieira Lima, disse não ter dúvida de qual será o seu palanque na sucessão presidencial que se aproxima. Será o escolhido pelo presidente Lula. É justamente aí que está o enigma. O governador deixou no ar uma espécie de dúvida em relação ao nome da ministra Dilma Roussef à sucessão de Lula, pelo PT.

– Eu não tenho dúvidas de onde estarei em 2010. Estarei no palanque da sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na figura da ministra Dilma ou de quem ele [Lula] determinar.

À primeira vista, deixa transparecer que as últimas pesquisas de opinião podem ter deixado o PT em dúvida sobre a melhor opção do partido para disputar a sucessão do presidente. Antes, era a ministra da Casa Civil, Dilma Roussef. O levantamento do Datafolha revelou que ela pouco ou nada cresceu em relação à pesquisa de maio (apenas 1 ponto percentual). Numa análise mais otimista, o discurso de Wagner seria apenas para reforçar a sua lealdade ao presidente Lula.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia