WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate


alba










julho 2019
D S T Q Q S S
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

editorias






:: ‘Makro’

TERROR EM MOTEL NA ILHÉUS-ITABUNA

Bandidos tentaram assaltar motel (Foto Google Imagens).

Bandidos tentaram assaltar motel (Foto Google Imagens).

Três bandidos tentaram assaltar clientes e funcionários do Motel Smile, no quilômetro 24 da Rodovia Ilhéus-Itabuna, neste domingo (22). A ação criminosa ocorreu por volta das 10h30min.

Os assaltantes não conseguiram levar nada das vítimas, porque elas foram mais rápidas ao se trancarem na recepção e apartamentos. A tensão somente diminuiu com a chegada da polícia.

Homens da Companhia de Policiamento Especializado da Região Cacaueira (Cipe Cacaueira) fizeram rondas na região, mas os assaltantes não foram localizados. O motel está localizado em uma região que possui três filiais de atacadões (Maxxi, Makro e Atacadão).

VIAMETRO ACUSADA DE PREJUDICAR FUNCIONÁRIOS DO MAKRO E DO ATACADÃO

Viametro deixa funcionários do Makro e do Atacadão sem ônibus.

Viametro deixa funcionários do Makro e do Atacadão sem ônibus.

A Viametro está sendo acusada por comerciários de retirar o último horário da linha que liga a região central de Ilhéus ao Atacadão e do Makro, localizados no quilômetro 24 da Rodovia Ilhéus-Itabuna. Alegando prejuízos, a Viametro não faz mais o trajeto na faixa das 22h30min, de acordo com as vítimas da medida.

A empresa, de acordo com os comerciários, retirou o último horário após alegar “que não compensava [financeiramente] o trajeto até o Atacadão para pegar somente 10 colaboradores”.

Um dos funcionários entrou em contato com a nossa redação e desabafou: “Gostaria de dizer que são 10 seres humanos que merecem respeito. São pais de família e que hoje estão sem transporte para voltar para casa. Precisamos do emprego e do transporte”.

Localizados próximos ao limite entre Itabuna e Ilhéus, tanto o Makro como o Atacadão situam-se em território ilheense. “Toda a arrecadação em impostos gerados pelas empresas vai para Ilhéus”, reforça a vítima da Viametro.

Agora, resta à Superintendência de Transporte e Trânsito de Ilhéus (Sutran) se posicionar: a Viametro continuará deixando os trabalhadores na mão?

IMPRUDÊNCIA E SINALIZAÇÃO PRECÁRIA SÃO MAIORES CAUSAS DE ACIDENTE NA BR-415

Trecho tem sinalização ruim e muitos buracos (Foto Pimenta/Arquivo).

A imprudência dos motoristas e a precária sinalização na BR-415, trecho Ilhéus-Itabuna, tem sido apontados como principais causas de acidentes neste trecho da rodovia, entre os mercadões de atacado e o viaduto da entrada de Itabuna. Na segunda, 2, o Peugeot JMK-2051 e a caminhonete Ranger NZL-7343, dirigida pelo funcionário público estadual Raul Villas Boas, colidiram no trecho dos supermercados Makro e Atacadão. Além do susto, os motoristas nada sofreram.

Segundo o funcionário público, a motorista que ia à sua frente na pista deu sinal de conversão à esquerda para se dirigir a um dos atacadões em vez de ir ao acostamento à direita e fazer o contorno. O choque, diz ele, foi inevitável e causou danos materiais.

Além de não obedecer à sinalização, alguns condutores sinalizam a conversão que pretendem fazer, sem observar se outros veículos vêm atrás, o que acaba em choques e abalroamentos. Em sua opinião, o Derba deveria colocar quebra-molas no local para diminuir o numero de acidentes.

O chefe da Residência do Derba, Fernando Sanches, não foi encontrado para falar sobre o assunto. De acordo com a assessoria, Fernando está em viagem a Salvador. O trecho em frente aos atacadões é cheio de buracos e o mato está avançado sobre a pista.

ILHÉUS E O MORDE-ASSOPRA DE SANTANA

Homenagem do ilheense Blog do Gusmão, em abril do ano passado, a Santana.

Depois de apresentar proposta de “esquartejar” o território de Ilhéus ao propor a anexação de Salobrinho a Itabuna e dos distritos de Inema e Pimenteira a Coaraci, o deputado estadual Gilberto Santana (PTN) quer “ficar de bem” com o eleitorado da Terra de Gabriela.

Com a anexação, o interesse de Santana era fazer com que a área onde estão os atacadões Makro e Atacadão passasse a pertencer a Itabuna, que lucraria em torno de R$ 600 mil em impostos, por mês.

Ontem, o deputado apresentou moção de felicitações e voto de aplauso pelo aniversário de “130 anos de emancipação político-administrativa do município de Ilhéus”.

– Esta homenagem nasce do especial carinho, atenção e apreço que tenho por essa terra e toda a sua população, da qual também faço parte, tanto como cidadão juntamente com minha família, quanto na condição de representante político.

O leitor-eleitor ilheense aceitará o carinho e apreço do deputado?

O BARATO QUE SAI CARO

A cada novo empreendimento comercial ou residencial que vai surgindo ao longo da rodovia Ilhéus-Itabuna, abrem-se acessos que obrigam o motorista a cruzar a BR-415, em manobras temerosas. Mais correto, do ponto de vista da segurança e da fluidez do tráfego, seria construir viadutos para evitar tais cruzamentos.

Essa seria a melhor solução, por exemplo, para o trecho do Makro / Atacadão e para o local onde estão sendo construídas unidades habitacionais do programa “Minha Casa, Minha Vida”, nas proximidades do Banco da Vitória. Porém, em vez de se optar pelo caminho mais acertado, vão se construindo os armengues.

Só Deus mesmo para olhar pelos que trafegam por esta rodovia…

 

PROGRAMA DEBATE LIMITES DE ILHÉUS E ITABUNA

A possibilidade de revisão dos limites territoriais de municípios baianos esquentou a polêmica entre políticos de Ilhéus e Itabuna. Ontem, o assunto foi discutido no programa N Debates, da TV Cabrália Record News, pelo deputado estadual Gilberto Santana (PTN) e o chefe de gabinete da prefeitura de Ilhéus, José Nazal, com a mediação do jornalista Tom Ribeiro.

Para José Nazal, a discussão sobre revisão territorial tem mais interesses econômicos, pois a dúvida nunca antes foi levantada. O principal trecho em disputa por parte de Itabuna abriga as lojas do Makro e Atacadão e deverá atrair novs empreendimentos.

O deputado Gilberto Santana discorda de Nazal e vê a discussão como oportunidade para eliminar “incoerências” e atualizar as divisas territoriais. Confira o clima do debate no vídeo abaixo (programa na íntegra).

LUCROS DO MAKRO E DO ATACADÃO CAEM

Loja do Makro em Ilhéus (Foto Pimenta).

Os resultados da rede de comércio atacadista Makro no Brasil pioraram no ano passado por causa de uma mudança na forma como as verbas de bonificação (desconto que o comerciante obtém em compras da indústria) são contabilizadas. A modificação, classificada como “saudável” pelo presidente da empresa no país, Roger Laughlin, contribuiu para a retração da margem bruta de 13,9% para 12,9%.

Em 2010, o Makro encerrou o exercício com lucro de R$ 38 milhões, 64% inferior ao resultado do ano anterior. Caso semelhante aconteceu em 2010 com o Carrefour, que teve perdas de € 550 milhões no balanço por causa da operação brasileira. Informações do Valor.

DRAGON – NA FRONTEIRA

SANTANA CONDECORADO

Homenagem do Blog do Gusmão ao deputado "amigo".

INDIANA JONES E O MARCO PERDIDO

Daniel Thame | www.danielthame.blogspot.com

Diante do impasse criado em torno do marco divisório que define os limites entre Ilhéus e Itabuna, esquecido em meio à mata durante quase um século, autoridades dos dois municípios decidiram, em comum acordo, convocar Indiana Jones para a difícil missão.

Afinal, a pendenga, gerada por conta da inauguração de dois grandes hipermercados numa área que fica colada a Itabuna, mas que originariamente está dentro dos limites de Ilhéus, periga descambar para uma guerra que já estava começando a superar a fase das palavras duras de lado a lado para resultar numa saraivada de jacas e caranguejos, ressuscitando uma rivalidade histórica, simbolizada pelo futebol.

Isso, claro, nos tempos em que os times profissionais de Itabuna e Ilhéus jogavam futebol.

Indiana Jones, capaz de desvendar os mais incríveis mistérios da arqueologia, era a pessoa ideal para colocar fim a uma questão que ameaçava se arrastar por meses ou até anos.

Tudo bem que o tal Jones anda meio entrevado, fora de forma, semi-aposentado, mas o que é um marco divisório para quem já encontrou arcas perdidas e monumentos pré-históricos nos confins do planeta?

Acerto fechado, nenhum problema quanto ao local do desembarque. Foi no aeroporto de Ilhéus mesmo, embora alguns itabunenses achassem que com um pouco de boa vontade dava para pousar no aeroporto local, desde que os urubus fossem devidamente convencidos a dar uma pausa no lazer diário.

Hospedagem?

– Claro que ele vai ficar no hotel em que até o presidente Lula se hospedou!, exultaram os ilheenses.

– Nada disso, ele vai ficar no hotel com visão para o rio mais lindo do mundo e ainda por cima o dono é medico, pra qualquer eventualidade!, rechaçaram os itabunenses.

E, pra evitar que começasse com uma nova briga, lá foi o pobre Indiana Jones aboletar-se numa pousada na beira de um lago em Itajuípe.

A estratégia não impediu que, durante a noite e- felizmente- em horários diferentes, Indiana fosse visitado pelos prefeitos de Itabuna e Ilhéus, acompanhados de um discreto assessor.

– Diga que o marco beneficia Itabuna que eu te dou uma Bolsa Alimentação, carteira de motorista grátis e um terreno para você fazer sua rocinha; disse o alcaide ao bravo explorador.

– Prefeito, isso o senhor já prometeu pra 50 mil pessoas na eleição passada, acha que o Indiana vai cair nessa?, lembrou o assessor.

– Então dou o nome dele pra nossa ponte espalhada…

-É espraiada, prefeito, espraiada…

– Olha que último que prometeu praia em Itabuna se ferrou…

Indiana, coitado, não entendeu nada e entendeu menos ainda quando chegou o prefeito de Ilhéus. Esse mais modesto, falou que se elegeu graças ao “arroz com feijão”, mas que se Indiana confirmasse os limites atuais, iria melhorar o cardápio e convidá-lo para o regabofe.

-Prefeito, isso o senhor prometeu ao povo de Ilhéus. E, cá pra nós, o pessoal tá é a pão e água. Quando chove, então, aí é que é água mesmo.

-Então prometo entrada grátis no Estádio Mario Pessoa, para ele ver os jogos do Colo Colo…

– Ô prefeito, com uma proposta dessas, parece que o senhor está ao lado dos itabunenses…

Quando finalmente pensou que iria dormir, foi acordado por um grupo de ambientalistas:

-Não ache marco nenhum, vamos transformar Itabuna e Ilhéus numa grande floresta, abaixo o Porto Sul, abaixo a Ferrovia Oeste-Leste, abaixo os supermercados, viva a Natura, viva a Rede Globo!!!

Indiana Jones falou algo como “fuqui iorselfi” para a turma e finalmente descansou.

Haveria uma longa batalha pela frente.

:: LEIA MAIS »

OS TABARÉUS NA BATALHA DE QUIRICÓS

Do Política Etc:

Carlos Freitas, o Marquês de Quiricós, grita: "Uhu, o Atacadão é nosso!"

Nossas duas maiores cidades sul-baianas, embora aspirem o grau de cosmopolitas, não cessam de adotar posturas provincianas que fazem ambas ser comparadas à eterna Sucupira. As peripécias e bizarrices de Odorico Paraguaçu são em tudo, por a mais b e c menos d, comparáveis às atitudes de figuras políticas dos dois municípios, coisa que ficou evidente na mais recente disputa travada entre eles.

Na “Batalha de Quiricós”, com direito a ampla cobertura dos veículos de imprensa, Itabuna e Ilhéus reivindicavam o direito sobre as terras onde estão instalados dois mercadões. Itabuna, mais perto deles, não quer se limitar a ir às compras; também deseja se beneficiar com a receita dos impostos dessas empresas. Ilhéus, mais longe, pode não frequentar os estabelecimentos com a mesma assiduidade, mas é oficialmente dona das terras e exige o devido retorno pela sua ocupação.

Leia mais

O MARCO DA INTERROGAÇÃO ENTRE ILHÉUS E ITABUNA

O marco de Carlinhos Freitas...

seria diferente do marco da Fazenda Rochedo?

O marco encontrado nesta segunda-feira, 21, na Ilha dos Quiricós, supostamente encerraria a polêmica entre Ilhéus e Itabuna no que se refere ao limite entre os dois municípios. Por trás da briga, o interesse pela receita tributária gerada pelos supermercados Makro e Atacadão, que hoje beneficia Ilhéus.

Ontem, o secretário de Serviços Públicos de Ilhéus, Carlos Freitas, comemorou a descoberta do marco nos Quiricós. Alguns dias antes, uma missão formada por representantes dos dois municípios vasculhou a ilha no Rio Cachoeira e não achou a estrutura de concreto que identifica a linha divisória.

Segundo uma fonte da Prefeitura de Itabuna, o desbravador ilheense teria quebrado um compromisso acertado entre os dois governos. Eles haveriam combinado que toda ação para resolver a dúvida sobre o limite deveria ser empreendida em conjunto. Freitas foi sozinho em busca do marco perdido.

O fotógrafo e memorialista José Nazal, chefe de gabinete do prefeito Newton Lima, acompanha de perto a pendenga e diz que foi o secretário de Planejamento de Itabuna, Fernando Vita, quem abriu mão das missões conjuntas. Nazal defende a autenticidade da demarcação e sustenta que está encerrada a polêmica. “Vita foi a primeira pessoa para quem eu liguei quando soube da descoberta”, diz o chefe de gabinete.

O OUTRO MARCO – A imagem de outro marco, este situado na Fazenda Rochedo, na margem esquerda do Rio Cachoeira, colabora com a polêmica. Segundo fontes da Prefeitura de Itabuna, há diferenças entre o ponto dos Quiricós e o da fazenda, como o formato, os sinais da ação do tempo e a placa metálica incrustada na ponta, com informações sobre o limite.

Para Nazal, as diferenças se justificam pela localização de cada marco. “Um está numa ilha que fica totalmente submersa em períodos de cheia, enquanto o outro fica sob uma árvore da fazenda, protegido”, argumenta. O chefe de gabinete supõe que a placa antes existente no marco da ilha foi furtada.

ACABOU A POLÊMICA: ENCONTRADO MARCO QUE DEFINE ATACADÃO E MAKRO EM ILHÉUS

Marco auxiliará levantamento topográfico (Foto Clodoaldo Ribeiro).

Acabou a dúvida sobre os limites territoriais entre Ilhéus e Itabuna. Por volta das 16 horas desta segunda, uma equipe de técnicos localizou o marco oficial da Ilha dos Quiricós, que define com exatidão os limites entre os dois maiores municípios baianos na região do Makro e Atacadão.

A descoberta tem implicações econômico-financeiras para os dois municípios. E, por ele, os técnicos não têm mais dúvidas de que o Makro – além do Atacadão – está mesmo localizado em Ilhéus. Apenas cerca de 10% da loja, por esta descoberta, estaria em solo itabunense, segundo o chefe de Gabinete da prefeitura de Ilhéus, o memorialista José Nazal Soub.

Amanhã, às 8h30min, técnicos das prefeituras de Ilhéus e de Itabuna se encontram em frente ao Atacadão, no quilômetro 24 da rodovia Ilhéus-Itabuna, para oficializar a descoberta. José Nazal diz que o governo ilheense optou por um comportamento de equilíbrio, criando as condições para que a justiça fosse feita e sem traumas. “O tempo todo a administração defendeu a legalidade, sem privilégio para um ou para outro”, diz.

Quem descobriu o marco, uma coluna de aproximadamente 3 metros de fundura, foi o secretário de Serviços Públicos, Carlos Freitas. “Justiça seja feita a ele”, diz o sorridente chefe de gabinete, José Nazal. Sem o marco reencontrado hoje, a definição sobre onde começaria o território de Itabuna e onde terminaria o de Ilhéus duraria mais seis meses, segundo previsão da Secretaria Estadual de Planejamento.

Freitas, "o descobridor", sobre o marco da Ilha (Foto Clodoaldo Ribeiro).

PREFEITOS DIALOGAM SOBRE “ZONA DE CONFLITO”

A faixa de terra onde se encontram instaladas as lojas do Makro e do Atacadão, na rodovia Ilhéus – Itabuna, pode ser considerada atualmente como a área mais disputada em todo o sul da Bahia. Sabe-se que, apesar de serem “colados” na zona urbana de Itabuna, os terrenos oficialmente ficam no município de Ilhéus e é para este que converge a receita tributária oriunda do comércio ali praticado.

Itabuna, por sua vez, reivindica o território e apresenta uma série de argumentos na tentativa de evidenciar que o mesmo lhe pertence. Um deles é o de que as pessoas que vivem na área têm a cidade como referência e utilizam os serviços, inclusive os públicos, por ela oferecidos. Antigos limites, no entanto, colocam a “Faixa de Gaza” dentro do município ilheense.

A questão é objeto de estudos da Secretaria de Planejamento da Bahia e será discutida logo mais, às 10 horas, em Itabuna. O prefeito ilheense, Newton Lima, vai à casa do adversário para pregar a paz e, ao mesmo tempo, defender seu peixe.

Republicamos charge de Marcos Maurício sobre a disputa entre Newton e Nilton

 

DERBA AINDA SEM PROJETO QUE REDUZA RISCOS DE ACIDENTES NA ÁREA DO MAKRO E ATACADÃO

 

Derba ainda não tem projeto para área do Atacadão e Makro, na BR-415 (Foto Pimenta).

– Área tem fluxo de 10 mil veículos por dia, segundo PRE

O Derba ainda não tem um projeto que reduza os riscos a motoristas e pedestres que transitam na área onde estão instaladas as lojas do Makro e do Atacadão, no quilômetro 24 da rodovia Ilhéus-Itabuna (BR-415), a dois quilômetros de Itabuna. O trecho é dos mais perigosos da rodovia e os riscos ficaram ainda mais acentuados depois da construção dos dois empreendimentos.

O movimento naquele trecho chega a aumentar em até 70%, a depender do dia da semana. De acordo com a polícia rodoviária estadual (PRE), circulam aproximadamente 10 mil veículos por dia nesta área. Já foram registrados diversos acidentes no local.

Os motoristas reclamam que os riscos são ainda maiores quando veículos tentam fazer manobra para sair do Atacadão, situado à margem esquerda da rodovia, ou entrar no Makro, na margem oposta. Estes acessos ficam próximos a uma pequena ponte e a área possui sinalização deficiente.

Em janeiro, uma carreta que seguia de Ilhéus para Itabuna não conseguiu frear a tempo de evitar colisão com uma caminhonete F-1000. O motorista do veículo menor foi levado em estado grave para o Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (confira aqui). As colisões se sucedem, assim como os pedestres que arriscam atravessar a pista entre uma loja e outra ficam cada vez mais expostos.

Colisão em frente ao Makro deixou homem em estado grave (Foto Ana Messias).

O blog tentou contato com o diretor do Departamento de Infraestrutura de Transporte da Bahia (Derba), Saulo Pontes, mas ele estava em reunião. De acordo com a assessoria de comunicação do órgão, o Derba já fez um “levantamento da situação e está sendo elaborado um projeto de segurança para o local”.

O Pimenta ligou para o escritório do Derba em Itabuna e o engenheiro Fernando Sanches alegou falta de autonomia para dar informações sobre os resultados do levantamento e o que será feito no local.

Tanto o Derba como a Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinfra) poderiam dar uma resposta mais adequada para um problema sério como este. O governo do estado brinca com vidas?

MARCOS MAURÍCIO – GUERRA DOS PREFEITOS

PERIGO NA RODOVIA ILHÉUS-ITABUNA

Trecho movimentado e com sinalização deficiente gera temor (Foto Pimenta).

Leitora do Pimenta revela natural temor de aumento do número de acidentes no quilômetro 24 da rodovia Ilhéus-Itabuna (BR-415) na área em frente às lojas do Atacadão e do Makro. A sinalização no local é ruim e a quantidade de veículos que transitam pela rodovia cresce consideravelmente no verão, quando milhares são atraídos ao litoral Sul.

Se a sinalização é precária, nada se fala sobre instalação de passarelas ou redutores de velocidade. Os acessos às duas lojas estão localizados praticamente em cima de uma curva. Outro ponto destacado é a falta de abrigos cobertos para usuários de ônibus que fazem compras por lá e residem em Itabuna.

ILHÉUS E ITABUNA DISPUTAM LOJA MAKRO

Disputa territorial: Ilhéus e Itabuna querem Makro (Foto Pimenta).

Mais uma polêmica deve envolver Ilhéus e Itabuna nos próximos meses. Os dois municípios brigam, nos bastidores, pelo limite territorial e um negócio que pode render mais de R$ 400 mil mensais em impostos.

Para a Prefeitura de Ilhéus, a loja da rede Makro, inaugurada recentemente às margens da rodovia Jorge Amado, na saída de Itabuna, está situada em seu território.

Já a Prefeitura de Itabuna acredita que o empreendimento está dentro de seus limites e aguarda confirmação pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais (SEI), do governo do estado.

Segundo a União das Prefeituras da Bahia, diversos conflitos surgiram recentemente com a decisão do IBGE de reorganizar os limites territoriais dos municípios baianos com uso do GPS.

Povoados e distritos que antes, com medição imprecisa, pertenciam a um município, passaram para outro. No caso de Itabuna e Ilhéus, a disputa é pelo trecho que vem recebendo investimentos privados nos últimos meses. Informações d´A Região.

DESENCONTROS

A assessoria da matriz do Makro Atacadista informou a este blog a abertura da loja ilheense na próxima quinta, 30, precedida de uma solenidade de inauguração na tarde de quarta, 29, faltando definir apenas o horário, mas antecipando que seria “no final da tarde”. Hoje, a diretora da unidade ilheense afirma que a inauguração ocorrerá na sexta, 1º. Uai.

QUANDO DEZEMBRO CHEGAR

Caso tudo ocorra dentro do cronograma, o grupo Walmart inaugura ainda em dezembro a loja do Maxxi Atacadão em Itabuna, a ser construíao no quilômetro 25 da rodovia Ilhéus-Itabuna, ao lado da churrascaria Los Pampas.

O grupo acelera para a obtenção de licenciamentos por parte de Estado e prefeitura e finaliza projeto que não ofereça riscos aos consumidores ao convergir do atacadão do grupo para a rodovia Ilhéus-Itabuna.

A preocupação com o fluxo de veículos faz sentido naquela região. Hoje, um dos gargalos da estrada está situado na área do Atacadão Carrefour e do Makro (que será inaugurado no dia 28), a menos de um quilômetro do terreno adquirido pelo grupo que também é dono de bandeiras como o Bompreço.

A REGIÃO: POLÊMICA DE LIMITES ITABUNA-ILHÉUS TEM 98 ANOS

Divisão Itabuna-Ilhéus é polêmica (Foto A Região).

Numa das edições especiais do centenário de Itabuna, e que está nas bancas, o jornal A Região aprofundou-se na polêmica sobre limites territoriais entre Ilhéus e Itabuna. De acordo com a publicação, a polêmica é quase tão antiga quanto “Tabocas”: 98 anos.

Em abril deste ano a Prefeitura de Ilhéus encaminhou para a Superintendência de Estudos Sócio-Econômicos da Bahia (SEI) – protocolo nº 140110000554712 – pedido de revisão dos seus limites territoriais.

O prefeito ilheense, Newton Lima (PSB), contesta novo mapeamento estadual que levaria Ilhéus a perder parte significativa de seu território para municípios como Uruçuca, Itajuípe, Itabuna, Buerarema e Una.

Por meio de ofício, prefeito esquenta ainda mais a polêmica ao relembrar que parte da Califórnia, em Itabuna, pertence a Ilhéus. Como Itabuna atende à localidade com serviços públicos, e pelo princípio da conurbação, definiu-se como sendo itabunense. É o que popularmente chamamos de “contrato de gaveta”.

A discussão ficou ainda mais acirrada a partir da instalação dos empreendimentos Atacadão e Makro, localizados na rodovia Ilhéus-Itabuna, mas em território ilheense. Os atacadões, porém, estão a cinco quilômetros do centro itabunense e a mais de 20 da Terra de Gabriela.

Se a reivindicação de Newton Lima é procedente, poderíamos dizer, então, que a loja do Maxxi (a empresa atacadista do Walmart) será instalada, também, em solo ilheense. Vixe…

Confira a reportagem na íntegra








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia