WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










agosto 2019
D S T Q Q S S
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

editorias






:: ‘Marcelo Nilo’

MARCELO NILO SE QUEIXA DE RUI E WAGNER: “MINHA LEALDADE CANINA NÃO FOI RETRIBUÍDA”

Marcelo Nilo: lealdade canina não retribuída

Ganhou repercussão em Salvador e no interior do Estado as declarações de Marcelo Nilo (PSB-BA), deputado federal e ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), em entrevista à Rádio Metrópole, de Salvador. Nilo se mostrou arrependido pelo que chama de “lealdade canina” ao então governador Jaques Wagner e a Rui Costa quando ainda estava no comando da Alba.

– Na Assembleia, o projeto chegava em dois minutos e já estávamos votando. Lá eu conhecia. Apesar de ser presidente e ter o apoio da oposição, eu era de uma lealdade canina aos governadores Jaques Wagner e Rui Costa. Uma coisa que hoje me arrependi. Minha lealdade canina não foi retribuída.

O queixume aumenta quando se refere ao governador Rui Costa, agora no segundo mandato:

– O governador Wagner só me apoiou uma vez. Minha lealdade, quando saí, fui tratado como deputado do baixo clero. Passei oito meses sem uma audiência com o governador Rui Costa. Passei quatro horas para ser recebido pelo governador Rui Costa e não fui recebido. O governador não me ajudou em nada. Fui eleito pelo povo da Bahia. Não tenho nenhuma intimidade. Só vou no palácio quando vou com outros deputados”, disse o deputado.

BEBETO, NILO E O PSB

Bebeto: boas-vindas a Marcelo Nilo

Diante dos rumores de insatisfação do deputado federal Bebeto Galvão com a entrada do deputado estadual Marcelo Nilo no PSB, o parlamentar ilheense resolveu distensionar.

Bebeto deu boas-vindas a Nilo, que pretende disputar eleição a deputado federal. “Partido que não se abre a novos líderes está fadado a morrer”, disse ele.

Nilo estava no PSL e negociou com a senadora Lídice da Mata e o ex-governador Jaques Wagner a sua entrada no novo partido. O ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia reuniu-se com Wagner e declarou apoio ao nome do petista para uma das vagas ao Senado na chapa de Rui Costa.

EX-PRESIDENTE DA ALBA É ALVO DA PF

PF cumpre mandados contra Nilo|| Foto Arquivo

PF cumpre mandados contra Nilo|| Foto Arquivo

O ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) Marcelo Nilo (PSL) é alvo de operação da Polícia Federal nesta manhã de quarta (13).

O deputado estadual é acusado de falsidade eleitoral com envolvimento da Babesp, empresa de pesquisa de opinião também apelidada de DataNilo, numa referência ao parlamentar baiano.

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos pela PF e Ministério Público Eleitoral (MPE) em dois endereços do deputado e de pessoas próximas, como o genro Marcelo Dantas Veiga, e o assessor Roberto Pereira Matos.

Durante a Operação Opinião, a PF colhe provas para averiguar se Nilo é o verdadeiro dono da Babesp, que ficou famosa em 2014 por prever a vitória de Rui Costa na disputa ao Palácio de Ondina.

 

NILO OU O CORONEL?

marco wense1Marco Wense

 

O governador Rui Costa, assim como fez sua opção por Fernando Gomes, em detrimento do médico Antônio Mangabeira, vai ter que decidir entre Nilo e o Coronel.

 

O governador Rui Costa (PT), mais cedo ou mais tarde, vai ter que decidir se prefere o apoio de Marcelo Nilo (PSL) ou de Ângelo Coronel (PSD).

O ideal seria se o chefe do Executivo ficasse com os dois deputados do seu lado, unidos em torno do legítimo direito de disputar o segundo mandato.

O problema é que Nilo e o Coronel se tornam cada vez mais distantes e imprevisíveis quando o assunto é a eleição de 2018.

Nilo não quer o Coronel no mesmo palanque e vice-versa. Ambos estão dando declarações que soam como uma espécie de ultimato ao governador: ou eu ou ele.

Quando questionado sobre seu apoio, se fica com Rui Costa ou ACM Neto, Nilo diz que a resposta “só depois do carnaval”.

O Coronel, atual presidente da Assembleia Legislativa, não perde a oportunidade de dizer que “o PSD tem que ter candidatura própria ao Palácio de Ondina”.

A candidatura a qual se refere o comandante do Parlamento é a do senador Otto Alencar, que é do mesmo partido do Coronel, o PSD.

O coronel, que tem um estilo muito parecido com o de Nilo, vai mais longe: “Não tendo candidato, quero ir para o Senado”.

O imbróglio é que uma das vagas para o Senado da República – a outra é de Jaques Wagner – está sendo disputada por quatro pretendentes.

O governador Rui Costa, assim como fez sua opção por Fernando Gomes, em detrimento do médico Antônio Mangabeira, vai ter que decidir entre Nilo e o Coronel.

O prefeito soteropolitano, ACM Neto, sem dúvida o único oposicionista com condições de derrotar Rui, fica esperando o desenrolar do Nilo versus Coronel.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia e editor d´O Busílis.

DEM, FERNANDO E ALICE

marco wense1Marco Wense

 

Alguns nomes já despontam para substituir Maria Alice no comando do DEM de Itabuna, como os do ex-vereador Solon Pinheiro e do advogado Cosme Reis, pai de Chico Reis, presidente da Câmara de Vereadores.

Matematicamente falando, diria que Fernando Gomes e Maria Alice vão sair do DEM como 2+2 são quatro. Politicamente, não sei por que continuam na legenda.

Ambos já declararam que o Partido do Democratas é coisa do passado. A secretária de Governo até que mostrou certo sentimento. O prefeito chutou o pau da barraca, como diz a sabedoria popular.

Estranho é a cúpula do demismo, sob a batuta de ACM Neto, ficar inerte diante de uma situação irreversível. O deputado federal José Carlos Aleluia, presidente estadual do partido, segue no mesmo diapasão.

Essa passividade, essa desaconselhável acomodação, lembra a expressão latina “Dormientibus Non Sucurrit Jus”. Ou seja, assim como no direito, o processo político não costuma socorrer os que dormem.

A falta de reação dos democratas passa a impressão de que estão desolados com a atitude de Fernando, que a legenda ainda mantém acessa a possibilidade de um entendimento.

Alguns nomes já despontam para substituir Maria Alice no comando do DEM de Itabuna, como os do ex-vereador Solon Pinheiro e do advogado Cosme Reis, pai de Chico Reis, presidente da Câmara de Vereadores.

Como a decisão do demismo é de fazer oposição implacável ao governo FG, hoje aliado do Partido dos Trabalhadores, a indicação do doutor Cosme Reis não é do agrado do enraizado fernandismo.

Maria Alice sempre foi uma dirigente partidária atuante, daquelas que não medem esforços para alcançar os objetivos. Continua sendo a fiel escudeira de Fernando Gomes e a “dama de ferro” do pupilo político.

Depois da derrota de Marcelo Nilo na eleição para presidir o Parlamento estadual, o PSL ficou desnutrido e já é carta fora do baralho para ser o próximo abrigo partidário do alcaide.

Com efeito, Nilo pode até perder o controle do PSL para o deputado estadual Nelson Leal. O ex-todo poderoso presidente da Assembleia Legislativa vive seu pior momento na vida pública. Vale lembrar que Nilo foi derrotado por Félix Júnior na disputa pelo comando do PDT.

O PSD do senador Otto Alencar, cada vez mais forte e, agora, tendo seus passos monitorados pelo PT, pode ser o mais novo refúgio de Fernando Gomes de Oliveira e seus seguidores.

A expectativa fica por conta de quando as lideranças do DEM vão acordar.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

COM OPOSICIONISTAS, NILO CONTABILIZA 32 VOTOS NA DISPUTA À PRESIDÊNCIA DA AL-BA

Nilo tenta emplacar sexto mandato à frente da AL-BA (Foto Bahia em Pauta).

Nilo tenta emplacar sexto mandato à frente da AL-BA (Foto Bahia em Pauta).

Candidato à reeleição, o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Marcelo Nilo (PSL), disse hoje ter 32 votos para manter-se no comando do legislativo estadual. Além de apoios de parlamentares do PSB, PT, PCdoB e PSL, dentre outras legendas do arco de alianças governistas, o dirigente coloca na conta dos apoios os votos dos oposicionistas Targino Machado (PPS) e Samuel Júnior (PSC).

Os 32 votos dão a maioria para que Nilo seja reconduzido à presidência. O parlamento baiano tem 63 cadeiras. Do outro lado do ringue, os adversários em 2 de fevereiro serão Luiz Augusto (PP) e Ângelo Coronel (PSD). Augusto disse, na semana passada, que Nilo estava blefando quando dizia já contar com 29 votos.

Hoje, Nilo comemorou as declarações públicas de apoio de Reinaldo Braga, ex-presidente da AL-BA, e de Jurandy Oliveira, ambos do PSL do candidato à reeleição. Nilo disse ter recebido com “responsabilidade e respeito” os apoios de “políticos tão experientes para a nova investidura”.

O CINISMO DO PT

marco wense1Marco Wense

 

Depois de tantos escândalos, de todo esse massacre da imprensa, da Operação Lava Jato cada vez mais perfurante, o PT ainda não aprendeu a lição.

 

Não é possível que o PT e os petistas vão continuar errando depois de tudo que aconteceu e, como consequência, todo esse gigantesco desgaste que toma conta da legenda.

De público, esbravejam o “Fora Temer”. Nos bastidores, ficam atrás de Rodrigo Maia (DEM-RJ) e de Eunício Oliveira (PMDB-CE) pedindo uma boquinha em nome da sobrevivência política.

Maia e Oliveira, respectivamente candidatos às presidências da Câmara Federal e do Senado da República, são os principais protagonistas do “Fora Dilma”, os intitulados pelo petismo de “golpistas”.

O ex-governador do Ceará e candidatíssimo ao Palácio do Planalto na eleição de 2018, Ciro Gomes (PDT), tem razão quando diz que “trocar o restinho de respeitabilidade por um carguinho e suas mordomias seria nada menos do que traição”.

Pois é. É incrível. Depois de tantos escândalos, de todo esse massacre da imprensa, da Operação Lava Jato cada vez mais perfurante, o PT ainda não aprendeu a lição.

Ora, se aprendeu e continua no mesmo caminho, aí é deboche, cinismo, é falta de respeito com a aguerrida militância, com a história de luta do Partido dos Trabalhadores.

GRADA KILOMBA

“Há uma história de privilégios, escravatura e colonialismo expressa de maneira muito forte na realidade cotidiana. É espantoso ver a naturalidade com que os brasileiros conseguem lidar com isso. Muitas vezes nos dizem que nós somos discriminados porque somos diferentes. Isso é um mito. Não sou discriminada por ser diferente, mas me torno diferente justamente pela discriminação que sofro. O branco não é uma cor. O branco é uma definição política que representa os privilégios históricos, políticos e sociais de um determinado povo. Um grupo que tem acesso às estruturas e instituições dominantes da sociedade. Branquitude representa a realidade e a história de um determinado grupo”.

Grada Kilomba, 45, negra, nasceu em Portugal, escritora e professora da Universidade de Humboldt, uma das mais tradicionais e antigas de Berlim.

FERNANDO: PSD OU PSL?

Venho dizendo, há muito tempo, que entre os acertos de Fernando Gomes e Josias Gomes, o de mudar de legenda (DEM) e ir para um partido da base aliada é considerado como o mais importante, o que implica no apoio de FG à reeleição do governador Rui Costa (PT).

O outro acordo é pessoal. Ou seja, Fernando Gomes vai apoiar Josias para o Parlamento Federal. Uma maneira de retribuir os favores do secretário de Relações Institucionais no seu esforço pela elegibilidade de FG.

E qual seria a nova opção partidária do prefeito eleito de Itabuna, o PSD do senador Otton Alencar ou o PSL do deputado e presidente da Assembleia Legislativa Marcelo Nilo?

O próximo passo da articulação política do governo é afastar Fernando Gomes do PSD, já que Otton Alencar não é tão confiável para o alto comando do PT, tanto estadual como nacional.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

NILO PROMETE CORTAR PONTO DE DEPUTADOS FALTOSOS

Nilo promete cortar ponto dos colegas faltosos (Foto Divulgação).

Nilo promete cortar ponto dos colegas faltosos (Foto Divulgação).

Numa entrevista à Rádio Sociedade, o presidente e candidato à reeleição dá Assembleia Legislativa da Bahia, Marcelo Nilo (PSL), comprometeu-se a cortar o ponto dos deputados faltosos, a partir de fevereiro. Segundo ele, o corte valerá para qualquer sessão ordinária. “Vou sugerir aos presidentes que cortem também o ponto dos deputados que não participarem das comissões”, disse o presidente.

A eleição à presidência da Assembleia Legislativa está marcada para 2 de fevereiro. Até aqui, Nilo tem como adversários os colegas Luiz Augusto e Ângelo Coronel. O presidente do parlamento diz manter boas relações com os dois e não os criticará. Pelo menos, até o dia da eleição. Nilo também falou das suas relações com a oposição.

– Quero ser candidato da Casa, do parlamento. Eu tenho um respeito muito grande com o governo, mas também tenho boa relação com a oposição.

Quase todos os parlamentares da base do Governo Rui Costa já anunciaram apoio a Nilo, incluindo PSB, PT e PCdoB. O quase se deve ao PP e ao PSD, partidos dos dois adversários anunciados do presidente da Casa em 2 de fevereiro.

O candidato à reeleição fez uma revelação, a de que Rui Costa teria dado empurrãozinho na sua decisão de disputar novo mandato à frente da AL-BA:

– Sempre achei que já tinha dado minha contribuição ao parlamento baiano, mas vários deputados e o próprio governador Rui Costa acharam que nesse momento de crise política deve-se ter na presidência alguém experiente, que tenha boa relação com todos. Então decidi colocar mais uma vez o meu nome à presidência da Casa.

JOSIAS REBATE GERALDO SOBRE PT NO GOVERNO DE FERNANDO: “NÃO HÁ ABSOLUTAMENTE NADA DISSO”

Geraldo citou suposta negociação e foi rebatido por Josias.

Geraldo citou suposta negociação e foi rebatido por Josias.

O secretário estadual de Relações Institucionais, Josias Gomes, negou que esteja negociando a participação do PT no governo do prefeito eleito de Itabuna, Fernando Gomes (DEM). “Não há absolutamente nada disso”, disse ao PIMENTA ao rebater críticas feitas por Geraldo Simões. “As conversas que tenho [com Fernando] são em função da governabilidade, da aproximação dos governos [estadual e municipal]”, completou.

Eventual participação do Partido dos Trabalhadores na gestão de Fernando, observou Josias, teria que, necessariamente, passar pelo Diretório Municipal, hoje comandado pelo grupo geraldista. “O PT tem direção municipal e qualquer discussão seria feita ouvindo, obviamente, a direção estadual. Não há essa negociação do partido ir para o governo. Não houve essa consulta ao prefeito”, disse.

“DIÁLOGO FÁCIL” COM FERNANDO

Josias reforçou a importância de Itabuna para os projetos que estão sendo desenvolvidos pelo estado no sul da Bahia. Dentre os projetos, citou a duplicação da Rodovia Ilhéus-Itabuna, o Hospital da Costa do Cacau, o novo aeroporto internacional (“estamos trabalhando para que ele aconteça”) e investimento na área de saneamento em Itabuna.

Para executar os projetos, diz Josias, as boas relações com os governos municipais de Ilhéus e Itabuna são imprescindíveis. E confessou: “o prefeito eleito, [Fernando Gomes], tem se mostrado de diálogo muito fácil conosco e com o governador [Rui Costa]”, disse na entrevista ao blog.

O ponto discordante nos diálogos entre o governo estadual e o prefeito eleito é o saneamento básico. O Estado quer a transferência dos serviços de água e esgoto da Emasa para a Embasa. Fernando resiste à ideia. Sobre este ponto, Josias diz que os dois lados ainda conversam e há uma busca pelo entendimento.

BASE ALIADA

A ida de Fernando para a base aliada é quase ponto pacífico, porém não há, até aqui, uma decisão quanto ao partido para o qual o prefeito eleito deva ir. Desde o entrevero entre o prefeito de Salvador, ACM Neto, e Fernando, o governo estadual dialoga com o prefeito eleito de Itabuna.

No fechar das urnas, em 2 de outubro, aventou-se a possibilidade de Fernando ir para o PSD, puxado pelo deputado federal Paulo Magalhães. Como antecipado pelo PIMENTA, outro destino pode ser o  PSL, comandado pelo presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo (relembre aqui).

MARCELO NILO DESTACA REFORÇO NA SEGURANÇA NA TEMPORADA DE VERÃO

Nilo, ao centro, destaca reforço na segurança com a Operação Verão.

Nilo, ao centro, destaca reforço na segurança com a Operação Verão.

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Marcelo Nilo (PSL), participou, nesta quarta (14), ao lado do governador Rui Costa, do lançamento da Operação Verão na Bahia. A solenidade de lançamento da Operação ocorreu no Jardim de Alah, em Salvador, e contou com deputados estaduais, representantes das polícias civil, militar e corpo de bombeiros.

A partir de hoje até o carnaval, o policiamento será ostensivo nos principais pontos turísticos de Salvador e em 25 municípios do interior do estado
A Polícia Militar vai atuar com um efetivo de 22 mil PMs durante a operação. Serão entregues 19 bases móveis e 480 viaturas. A Polícia Civil vai receber 365 viaturas e o Corpo de Bombeiros irá atuar de forma preventiva com ações para evitar ocorrências.

Marcelo Nilo elogiou a iniciativa salientando a necessidade de intensificar a segurança em um período de grande movimentação de turistas no estado. “Mais de 25 cidades baianas vão receber investimentos e reforço policial, garantindo a segurança dos baianos e dos que visitam nossa terra no verão”, afirmou Marcelo Nilo.

O governador Rui Costa disse que, nos últimos anos, a Operação Verão tem tido bons resultados “Contamos com a cobertura de mais de mil e cem quilômetros do litoral baiano, rodovias, aeroportos, terminais marítimos e rodoviários, além de grandes eventos e festas populares em todo o estado”, disse o governador.

AL-BA: NILO CONTABILIZA 29 VOTOS À REELEIÇÃO

Nilo promoveu encontro com presença de 25 parlamentares, ontem (Foto Divulgação).

Nilo durante encontro com apoiadores (Foto Divulgação).

Após realizar um almoço com 25 deputados, ontem (6), em Salvador, o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Marcelo Nilo, contabiliza o apoio de, pelo menos, 28 deputados em sua tentativa de reeleição. Do encontro, participaram deputados do PCdoB, PSL, partido do presidente, PT e PSB.

A eleição que definirá o presidente da AL-BA para os próximos dois anos está prevista para 2 de fevereiro do próximo ano. Nilo se articula para obter apoios de parlamentares de outras legendas governistas, como PP e PSD, que ensaiam uma aliança para tirá-lo do poder. A articulação, porém é acompanhada de perto pelo governo, para evitar um “racha” na base.

 

PSL DE OLHO EM FERNANDO

Nilo quer atrair Fernando Gomes para o PSL.

Nilo quer atrair Fernando Gomes para o PSL.

Comandado na Bahia pelo presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo, o PSL fez 15 prefeitos em outubro passado. O partido quer ampliar este número. O dirigente espera atrair para a sigla o candidato mais votado de Itabuna, Fernando Gomes.

O ex-prefeito do município sul-baiano concorreu ao cargo pelo DEM, mas contrariado com ACM Neto, que ficou neutro no processo e defendeu aliança do Democratas com Augusto Castro (PSDB), terceiro colocado na disputa.

Fernando ainda aguarda julgamento do seu registro de candidatura para saber se assumirá a Prefeitura de Itabuna pela quinta vez. O julgamento está marcado para as 9h desta terça (22), no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA), em Salvador.

Após obter efeito suspensivo de condenações no Tribunal de Contas da União (TCU) e reverter condenação no Tribunal de Contas do Estado (TCE-BA), a defesa de Fernando acredita que não há mais empecilho para que ele seja liberado para ser diplomado e assumir a prefeitura. Do outro lado, há o grupo do segundo colocado na disputa, Antônio Mangabeira (PDT), que espera ver o TRE negando registro a Fernando e determinando a posse do pedetista (pela legislação, deverá haver, neste caso, nova eleição).

Nilo já acionou emissário para iniciar conversas com Fernando. O ex-prefeito é nome dado como certo no PSD, puxado pelo deputado federal Paulo Magalhães, que o apoiou na disputa eleitoral deste ano.

“SEM FUNDAMENTO”, DIZ MARCELO NILO SOBRE PEDIDO DE IMPEACHMENT CONTRA DILMA

Nilo considera sem fundamento pedido de opositores de Dilma.

Nilo considera sem fundamento pedido de opositores de Dilma.

O pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff é sem fundamento na análise do presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Marcelo Nilo (sem partido). Hoje à noite, ele disse acreditar que “a Câmara dos Deputados refutará por larga maioria essa iniciativa muito mais calcada na busca do poder do que por argumentos jurídicos”.

O presidente da Assembleia Legislativa vê no impeachment “um recurso constitucional de alta poder explosivo, de graves consequências, que só deve ser acionado quando as condições jurídicas intrínsecas ao processo de afastamento presidencial estejam à vista de todos, o que não acontece”.

Para o deputado estadual e dirigente do legislativo baiano, a presidente Dilma é “pessoa honrada”. E acrescenta:

– Não existe nada que desabone a sua conduta pessoal ou no exercício do mandato presidencial que 54 milhões de brasileiros lhe conferiram.

EMBATES POLÍTICOS QUE VÃO PARA A JUSTIÇA

marivalguedes2Marival Guedes | marivalguedes@gmail.com

 

Indagado sobre o assunto, Marcelo Nilo respondeu: “Só porque eu perguntei quem pagava as contas dele quando ficou oito anos sem trabalhar, ele entrou na justiça contra mim.”

 

 

Em períodos pré-eleitorais, a justiça costuma  solicitar  às assessorias jurídicas de partidos e candidatos(as) que ponderem antes de entrar com uma ação. O objetivo é evitar o excesso de processos nos tribunais.

Mas nos embates pelo voto é difícil haver conciliação entre as partes. Na última eleição para governador, o então candidato Rui Costa entrou com ação contra o prefeito ACM Neto que entrou com uma ação contra Rui Costa.

Quando acabou a disputa, os dois negociaram e retiraram os processos. O candidato Paulo Souto, derrotado, fez o mesmo. “Houve um entendimento entre ambas as partes para que todas as ações do período eleitoral fossem desfeitas. Não tem mais sentido”, afirmou Paulo Souto.

Dos embates durante as campanhas, o do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Nilo, com o deputado federal Antonio Imbassahy,  ganhou repercussão.

Marcelo Nilo disse que seu desafeto é traidor e puxa-saco. Imbassahy retrucou afirmando que Marcelo Nilo tem mente desequilibrada e deveria procurar um psiquiatra, um terapeuta, um centro espírita ou qualquer outra forma de ajuda para se curar desse problema.

A peleja continuou, Imbassahy sentiu-se ofendido por uma declaração  do presidente da assembleia e entrou com uma ação na justiça. Indagado sobre o assunto, Marcelo Nilo respondeu: “Só porque eu perguntei quem pagava as contas dele quando ficou oito anos sem trabalhar, ele entrou na justiça contra mim.”

Na verdade, durante uma entrevista, o presidente da Assembleia disparou uma série de perguntas ao adversário:

“Ele passou oito anos sem trabalhar, a mulher dele não trabalha, então quem paga as contas dele? Quem sustenta ele? Foi algum empresário? Ele viajava para o exterior sempre, passeava de carros luxuosos. Mas com o dinheiro de quem? Quem paga essa conta? Ele tem que responder”.

Marival Guedes escreve crônicas aos domingos no Pimenta.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia