unime

al-ba
julho 2015
D S T Q Q S S
« jun    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  



ftc

:: ‘Maria Quitéria’

QUITÉRIA É REELEITA PRESIDENTE DA UPB

Quitéria foi reeleita com mais de 70% dos votos (Foto Reprodução).

Quitéria foi reeleita com mais de 70% dos votos (Foto Reprodução).

A prefeita de Cardeal da Silva, Maria Quitéria (PSB), foi reeleita presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB) nesta quarta. Ela obteve 257 votos, enquanto Ricardo Machado, prefeito de Santo Amaro, ficou com 69 votos. Foram registradas 66 abstenções e 3 votos em branco.

Tanto Quitéria quanto Machado pertencem à base do governo estadual. Quitéria está de saída do PSB e revelou ter convites de filiação do PT e do PP. A posse para o novo mandato está prevista para 22 de janeiro. Atualizado.

PREFEITOS ESCOLHEM NOVO COMANDO DA UPB

Prefeitos em movimentação para escolher nova diretoria da UPB (Foto Sílvio Visão).

Prefeitos em movimentação para escolher nova diretoria da UPB (Foto Sílvio Visão).

Prefeitos baianos escolhem hoje a nova diretoria da União dos Municípios da Bahia (UPB). Os prefeitos Maria Quitéria (Cardeal da Silva) e Ricardo Machado (Santo Amaro) disputam a presidência da entidade municipalista. Os dois candidatos são da base de apoio do governador Rui Costa. A votação prossegue até as 17h. O resultado deve sair por volta das 18h.

A movimentação na sede da UPB é grande. Estão habilitados a votar 390 dos 417 prefeitos baianos. Poucos arriscam a apontar o vencedor da eleição de hoje, embora a presidente e candidata à reeleição, Maria Quitéria, conte com a força da estrutura da entidade.

Do lado de fora, o adversário, Ricardo Machado, faz campanha com bandas e cabos eleitorais vestidos com as cores da campanha. Fotos do candidato com Rui Costa são usadas pelo petista para tentar seduzir os colegas prefeitos.

O governador fez questão de ficar distante da disputa, não fazendo campanha por nenhum dos candidatos. Quitéria (PSB) e Ricardo (PT) apoiaram a eleição de Rui Costa.

SUL DA BAHIA FORA

A eleição na UPB demonstra a falta de representatividade da Região Cacaueira. As duas chapas não contam com prefeitos da região nos cargos administrativos. Do macro sul da Bahia, porém há um representante, o prefeito João Bosco, de Teixeira de Freitas.

Movimentação é grande em frente à sede da entidade (Foto Silvio Visão).

Movimentação é grande em frente à sede da entidade (Foto Silvio Visão).

PRESIDENTE DA UPB DEFENDE MAIOR PARTICIPAÇÃO DA MULHER NA POLÍTICA

Quitéria é a primeira mulher a presidir a UPB.

Quitéria é a primeira mulher a presidir a UPB.

Maria Quitéria, presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), defendeu maior participação da mulher na política brasileira. Filiada ao PSB da pré-candidata a governadora, Lídice da Mata, Quitéria lembrou que 62 prefeituras baianas são administradas por mulheres, mas isso representa apenas 14,87% do total de municípios no estado.

Nesta linha, Quitéria anunciou debate com as gestoras municipais baianas na sede da UPB, em Salvador, em 19 de março. A dirigente da entidade municipalista é prefeita de Cardeal da Silva cita que 52% do eleitorado brasileiro é feminino e a legislação destina 5% do Fundo Partidário para a criação e manutenção de programas de estímulo à participação feminina na política.

SUL DA BAHIA

A região sul do estado está entre as que mais possuem municípios comandados por mulheres:

Almadina – Gleide de Val (PSD)
Aurelino Leal – Liu Andrade (PP)
Barra do Rocha – Vera (PSC)
Barro Preto – Jaqueline Mota (PT)
Camacan – Ângela Castro (PP)
Camamu – Emiliana de Zequinha da Mata (PP)
Coaraci – Josefina Castro (PT)
Floresta Azul – Dra. Sandra (DEM)
Itajuípe – Gilka Badaró (PSB)
Maraú – Gracinha (PP)
Valença – Jucélia Nascimento (PTN)
Ubatã – Simeia de Expedito (PSB)
Una – Diane (PSD)
Uruçuca – Fernanda Silva (PT)

LEMBRANCINHA DA BAHIA

O encontro nacional de gestores municipais, em Brasília, será encerrado nesta quinta, 31, e uma das imagens que ficam deste convescote é a da faixa estendida pela União dos Municípios da Bahia (UPB) em Brasília. “Caiu” em sites jornalísticos e fez maior sucesso no Kibeloco. Tudo por causa de uns “hoyts”, popularmente conhecidos como royalties…
maria quitéria faixa

QUITÉRIA É ELEITA PRESIDENTE DA UPB

Maria Quitéria, a linda prefeita de Cardeal da Silva, levou a disputa na UPB (Foto  Andréa Farias).

Maria Quitéria, a linda prefeita de Cardeal da Silva, levou a disputa na UPB (Foto Andréa Farias).

Caetano acionou batalhão para eleger sucesso (Foto José Nazal).

Caetano acionou batalhão para eleger sucessora (Foto José Nazal).

Maria Quitéria (PSB), prefeita de Cardeal da Silva, foi eleita a nova presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB). Ela bateu o prefeito de Andaraí, Wilson Cardoso (PSB), por 207 votos a 141.

Quatro votos foram anulados. Quitéria presidirá a entidade municipalista até o início de 2014. Será a primeira mulher a comandar a UPB em 48 anos de fundação da entidade.

Para derrotar o colega de partido, Quitéria contou com a mobilização do atual presidente da UPBA, Luiz Caetano (ex-prefeito de Camaçari), e da base aliada do governo estadual.

Ela terá como companheiros de diretoria os prefeitos José Bonifácio Dourado (PT), de Ruy Barbosa;  Humberto Cruz (PP), de Luís Eduardo Magalhães; João Bosco (PT), de Teixeira de Freitas;  Isaac Carvalho (PCdoB), de Juazeiro; e Zenildo Brandão (PP), de Lafayete Coutinho.

VANE COM QUITÉRIA

Vane4O prefeito Claudevane Leite (PRB), de Itabuna, disse que vai deixar claro de que lado estará na disputa pela presidência da União dos Municípios da Bahia (UPB). Para ele, votar em Maria Quitéria, prefeita de Cardeal da Silva, hoje vice-presidente da entidade, é prova “inequívoca” de apoio ao governo. A votação ocorre hoje.

Do outro lado da disputa, está Wilson Cardoso (PSB), também da base aliada, mas com apoio robusto da oposição.

A PELEJA GOVERNISTA NA UPB

O corre-corre na base aliada do governo foi intenso nesta terça, 22. Tudo para (tentar) assegurar vitória à candidata assumidamente governista na disputa pela presidência da União dos Municípios da Bahia (UPB), Maria Quitéria, prefeita de Cardeal da Silva. Durante todo o dia, deputados ligavam para os prefeitos pedindo que não faltassem à eleição e, claro, votassem na “prefeita mais bonita da Bahia”.

Do outro lado, está o prefeito de Andaraí, Wilson Cardoso, do PSB de Maria Quitéria e da base aliada a Wagner. Wilson tem o apoio de descontentes com o governo e de seguidores da oposição a Wagner. O prefeito de Andaraí conseguiu apoio da oposição e de prefeitos como Gilka Badaró (PSB), de Itajuípe.

Até o final de semana, nomes ligados a Quitéria tentavam o apoio de Gilka, mas desistiram. Ela está magoada com Luiz Caetano. Este, deixou de pagar direitos trabalhistas à prefeita da Velha Pirangi. Gilka trabalhava na UPB até o início do ano passado.

UPB TERÁ BATE-CHAPA AMANHÃ

O clima é de guerra declarada na eleição que indicará o sucessor do prefeito de Camaçari, Luiz Caetano (PT), na presidência da União dos Municípios da Bahia (UPB). No páreo, dois prefeitos filiados ao PSB, partido que compõe a base aliada do governador Jaques Wagner, mas apenas um deles conta com a preferência do governo: a prefeita de Cardeal da Silva, Maria Quitéria.

A gestora mostrou força nesta segunda-feira, 21, ao reunir numa demonstração de apoio  o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo, e os deputados federais Nelson Pelegrino, Josias Gomes, Amauri Teixeira, todos do PT, e Daniel Almeida (PCdoB).

O outro candidato na disputa é Wilson Cardoso, prefeito de Andaraí, que conta vantagem e diz que vencerá a eleição com quarenta votos de frente. Quitéria afirma que o correligionário oponente quis forçar o PT a apoiá-lo e afirma que Cardoso não faz parte do movimento municipalista. Na troca de farpas, sobrou para Luia Caetano, que preside a comissão eleitoral e foi questionado pelo prefeito de Andaraí  em função do apoio declarado à de Cardeal da Silva.

Vai sair faísca.

DE OLHO NA UPB

Caetano e Quitéria vêm arrebanhar votos no sul da Bahia.

Caetano e Quitéria vêm tentar arrebanhar votos no sul da Bahia.

O presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Luiz Caetano (PT), está correndo trecho, sempre acompanhado da sua vice-presidente, Maria Quitéria (PSB), prefeita reeleita de Cardeal da Silva.

Amanhã, às 16h, na Fazenda Independência, em Uruçuca, Caetano reúne grupo de prefeitos do sul da Bahia para discutir o “projeto do próximo biênio da UPB”. E o projeto é eleger Maria Quitéria a presidente da UPB.

Já a escolha por Uruçuca para sediar a reunião tem outra intenção: a prefeita do município, a petista Fernanda Silva, é a preferida para ser a representante do sul da Bahia na chapa de Quitéria.

DISPUTA SOCIALISTA NA UPB

Wilson Cardoso e Maria Quitéria na briga pela UPB

Wilson Cardoso e Maria Quitéria na briga pela UPB

Da Tribuna

A eleição do novo comando da UPB ganha cada vez mais a influência da disputa de 2014, já que por trás dos candidatos à cadeira da entidade estão os interessados no Palácio de Ondina.

Ontem, a prefeita de São Francisco do Conde, Rilza Valentim oficializou a sua saída da disputa em apoio à prefeita de Cardeal da Silva, Maria Quitéria (PSB), que voltou ao páreo e deve ir para o bate chapa com o postulante do mesmo partido, o prefeito de Andaraí, Wilson Cardoso. Ele reafirmou a permanência na briga ao dizer ontem que sua candidatura é “irreversível”.

Há rumores de que o gestor de Andaraí permanece forte com o apoio da maioria dos prefeitos. No entanto, uma das leituras é de que, até o dia 23, Caetano siga muitas estratégias para fazer a sucessora.

Leia mais

CANDIDATA À PRESIDÊNCIA DA UPB

Quitéria, à esquerda, já é vice-presidente da UPB (Foto Marcos Souza/Pimenta).

A atual vice-presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB) e prefeita da cidade de Cardeal da Silva, Maria Quitéria (PSB), tem trabalhado para ser a sucessora do atual presidente da entidade, o prefeito Luiz Caetano (PT), gestor de Camaçari.  A concretização da candidatura de Quitéria representa um passo a mais para que a união baiana tenha a primeira mulher no comando.

– Estamos alinhados com o contexto nacional. A presidente Dilma chegou ao poder pelo mérito, por capacidade. Temos uma mulher também na presidência da Petrobras, uma representante feminina baiana no Senado que é Lídice da Mata. Então, isso solidifica o trabalho das mulheres que se destacam – analisa Quitéria.

Segundo a prefeita, o seu trabalho realizado no seu município e ao lado de Caetano a credencia para a disputa. Já como atividade de campanha, a postulante terá reunião na próxima semana com prefeitos da região de Ipiaú. De acordo com ela, gestores de municípios como Caetité, Luís Eduardo Magalhães, Juazeiro, Irará e outros já demonstraram apoio a sua candidatura. Informações do Bahia Notícias.

OS VERDADEIROS HERÓIS FORAM ESQUECIDOS

Ailton Silva | ailtonregiao@gmail.com

Até o aeroporto internacional de Salvador teve o nome substituído para homenagear um político que, com todo o respeito aos seus familiares e admiradores, não terá nunca a importância da Independência do nosso estado e do Brasil.

As histórias sobre a independência da Bahia e do Brasil são ricas, embora parte delas recheada de contradições, assim como é contraditório o nosso comportamento com relação aos heróis e ao 2 de Julho de 1823.

Manipulados pelos políticos, permitimos que eles homenageiem a si mesmo com nomes de ruas, praças, hospitais, pontes, viadutos, avenidas e até municípios. Assim aceitamos, também, que os heróis da Independência da Bahia praticamente fiquem esquecidos.

O coronel que assumiu o comando geral do Exército Brasileiro e derrotou os soldados portugueses em 1823, por exemplo, sequer teve a honra de ter o nome cravado em um logradouro público importante. Não cabe aqui discutir os interesses da família dele.

José Joaquim de Lima e Silva assumiu as tropas brasileiras em um momento crucial. Ele substituiu o general Pedro Labatut, que fora capturado pelas tropas inimigas que chegaram a dominar parte da Bahia, principalmente a região de Salvador.

De igual modo, a heroína Maria Quitéria de Jesus (1791-1853) mereceu o esquecimento do povo baiano. Pioneira na luta para expulsar os portugueses do Brasil, a filha de fazendeiro inscreveu-se voluntariamente no Exército para lutar contra os invasores.

Com grande habilidade no manuseio das armas de fogo e ótima em montaria, Quitéria cortou o cabelo, vestiu-se de homem para ingressar no Exército, em 1822, com o nome de José Cordeiro de Medeiros, o seu cunhado. Fez isso escondido do pai, o fazendeiro Gonçalo Alves de Almeida.

Nascida em 27 de julho, no arraial de São José de Itapororocas, hoje município de Feira de Santana, a heroína foi condecorada no Rio de Janeiro com a Ordem Imperial do Cruzeiro do Sul. Ela recebeu a medalha das mãos do imperador Dom Pedro I.

Quitéria lutou por mim, por você, caro leitor; por nós, que não erámos nascidos;  pelos filhos dos coronéis que fugiram do alistamento, mas, principalmente, pela verdadeira independência política e administrativa do Brasil. Ela foi integrante do Batalhão dos Voluntários do Príncipe, conhecido, também, como “Batalhão dos Periquitos”, por causa dos punhos e golas de cores verdes de seu uniforme.

A nossa heroína morreu em Salvador em 1853, praticamente cega e no anonimato. Ao contrário dos nossos “heróis políticos”, que estão com os seus nomes gravados pelos quatro cantos do Brasil, em logradouros construídos com o nosso dinheiro.

Ah, depois de anos no esquecimento, em 28 de junho de 1996, Maria Quitéria passou a ser reconhecida como Patrona do Quadro Complementar de Oficiais do Exército Brasileiro. A história da mulher é admirável e deslumbrante.

Outra heroína brasileira, só lembrada na celebração do 2 de Julho, é a freira Joana Angélica de Jesus. Ela tentou abrigar, no convento em Salvador, os soldados brasileiros que tinham sido cercados, mas foi fuzilada pelas tropas portuguesas. Pouco se fala sobre a brava mulher.

Os políticos reduziram a importância dos nossos heróis para desvalorizar o 2 de Julho,  dia em que os soldados brasileiros conseguiram a separação do país do domínio de Portugal.

Até o aeroporto internacional de Salvador teve o nome substituído para homenagear um político que, com todo o respeito aos seus familiares e admiradores, não terá nunca a importância da Independência do nosso estado e do Brasil.

O 2 de Julho não deveria ser feriado estadual, mas nacional porque foi a verdadeira independência do Brasil. Parabéns aos nossos verdadeiros heróis!

Ailton Silva é repórter de A Região, chefe de jornalismo da Morena FM e assessor de comunicação.