WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

editorias






:: ‘Marlos Macedo’

NÚMERO DE ASSASSINATOS CAI 34% EM ITABUNA

Itabuna encerrou o primeiro semestre deste ano com a menor taxa de assassinatos dos últimos 10 anos. Os números são da Secretaria Estadual de Segurança Pública e foram divulgados pelo Jornal das Sete (Morena FM). A média mensal ficou em torno de 8 mortes violentas ante mais de 12 nos seis primeiros meses de 2014.

Foram 50 assassinatos no período de 1º de janeiro a 30 de junho. Ainda segundo a reportagem do programa da Morena, o número é 34% menor do que o registrado em igual período do ano passado, quando ocorreram 76 mortes violentas (homicídios e latrocínios). Junho deste ano também foi o menos violento dos últimos dez anos, com o registro de 6 execuções.

Para as autoridades de segurança pública, um dos principais fatores foi a transferência de presos perigosos para presídios de Serrinha e Lauro de Freitas.

O governo explica que diversas ordens para assassinato de pessoas partiam do presídio de Itabuna. As mortes eram determinadas pelo chamado alto escalão das facções criminosas raios A e B.

Marlos Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

Marlos Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

REVISTA NO PRESÍDIO

O diretor-adjunto do presídio de Itabuna, Bernardo Dutra, informou que na revista de ontem (1º), por exemplo, foram encontradas facas artesanais, chips de celular, quatro celulares e buchas de maconha.

A revista foi feita por agentes penitenciários, com acompanhamento da Polícia Militar. Bernardo reforçou que essas e outras ações têm contribuído para a queda de homicídios em Itabuna. “Sem os celulares, os detentos ficam ilhados”.

O titular da Delegacia de Homicídios de Itabuna, Marlos Macedo, afirmou que toda a ação direta do estado contribui para a queda. “As operações, principalmente em locais mais violentos, têm sido fundamentais”, disse o delegado ao Jornal das Sete. A matéria completa pode ser conferida n´A Região.

ENXUGANDO GELO

Marlos Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

Macedo, da Homicídios (Foto Diário Bahia).

Titular da Delegacia de Homicídios, Marlos Macedo recentemente comparou a tarefa de combate ao crime em Itabuna a “enxugar gelo”. Sábado, este blog revelou que a escalada do crime no município avançava e tínhamos, ao final de novembro, mais homicídios em 2014 do que no ano anterior (relembre aqui).

Hoje, o delegado falou ao repórter Oziel Aragão, da Rádio Difusora e do Plantão Itabuna, que a polícia tem combatido o tráfico de drogas e prendido mais rápido os assassinos para tentar evitar tragédia ainda maior. A preocupação com o tráfico é maior, pois, segundo a polícia, cerca de 80% dos homicídios têm relação com as drogas.

DELEGADO DIZ QUE HÁ NOVA FACÇÃO CRIMINOSA EM ITABUNA

Líderes do tráfico em Itabuna foram transferidos há um ano (Foto Jorge Cordeiro).

Líderes do tráfico em Itabuna foram transferidos há um ano (Foto Jorge Cordeiro).

Macedo: facção quer aniquilar família de rivais (Foto Diário Bahia).

Macedo: facção quer aniquilar família de rivais (Foto Diário Bahia).

A briga pelo comando do tráfico de drogas fez surgir uma nova facção criminosa em Itabuna, segundo afirma o delegado Marlos Macêdo em entrevista ao Diário Bahia. A facção DMP reúne bandidos dos bairros Daniel Gomes, Maria Pinheiro e Pedro Jerônimo e seria a responsável por boa parte das mais de cinquenta mortes ocorridas em Itabuna só em 2014.

Titular da Delegacia de Homicídios, Macêdo afirma que a DMP foi criada por ex-integrantes das facções Raios A e B. As mortes são uma tentativa de aniquilar adversários, segundo a autoridade policial.

A facção tomou corpo após a mega-operação que transferiu os chefes do tráfico em Itabuna para o presídio de Segurança Máxima de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. O objetivo dos criminosos, por enquanto, é aniquilar os rivais.

A disputa pelo comando do tráfico no município – ou, pelo menos, na região do DMP – levou o grupo a metralhar a residência de um dos antigos chefes do crime no município, Sidmar Soares Santos, o Bolota.

Segundo o delegado, a disputa tem como alvo, também, os familiares dos bandidos presos. O ataque, conforme Macêdo, teria sido ordenado pelo chefe do DMP, Thiago Penteado, que tem contra si um mandado de prisão.

Macêdo voltou a repetir que tem a sensação de que a polícia enxuga gelo ao tentar combater o tráfico de drogas. E explica:

– Quanto mais prendemos, citando a PM e a Civil, a gente observa que sempre há alguns adolescentes assumindo os postos de comando do tráfico de drogas. Estamos sempre prendendo as mesmas pessoas.

Clique e confira a reportagem de Simone Nascimento no Diário Bahia.

POLÍCIA PRENDE TARCÍSIO KONG

Kong foi preso no Daniel Gomes (Foto Wadson Santos/Plantão Itabuna).

Kong foi preso no Daniel Gomes (Foto Wadson Santos/Plantão Itabuna).

Após denúncia anônima, a Polícia Civil conseguiu prender um dos homens mais procurados de Itabuna. Tarcísio Soares, o Tarcísio Kong, foi preso por agentes da Delegacia de Homicídios, hoje à tarde, no Bairro Daniel Gomes. O bandido é acusado de várias mortes e tentativa de assassinato, segundo o delegado Marlos Macêdo. “Kong” foi apresentado no Complexo Policial há pouco.

MULHER É ACUSADA DE MANDAR EXECUTAR MARIDO EM ITABUNA

“Kiko” confessou crime e relação da esposa da vítima com a tentativa de assassinato (Foto Gerson Teixeira/Diário Bahia).

Reviravolta no caso do atentado sofrido pelo auxiliar de necropsia Jailson Alves dos Santos, o “Jai”, funcionário do Departamento de Polícia Técnica de Itabuna. Ele foi baleado com três tiros no final da noite de quarta-feira (24), quando chegava em casa, no Gogó da Ema, no Sarinha Alcântara.

Mardson Freitas Santos, o “Kiko”, de 25 anos, autor dos disparos, foi preso na manhã de quinta-feira (25), escondido em uma oficina, no mesmo bairro onde ocorreu a tentativa de homicídio. Inicialmente, o criminoso declarou que teria atirado em “Jai” porque ele seria “dedo-duro”. Mas, ao prestar depoimento ao delegado Marlos Macedo, o homem mudou completamente a versão.

Segundo ele, o crime foi encomendado pela esposa da vítima, Vanda Caldeira Gomes, de 38 anos, que teria prometido pagar R$ 1.500,00, além de uma “noite de amor” com o acusado. Ela já está presa e será indiciada como mandante. Uma das suspeitas da  polícia é a de que a mulher quisesse ficar com uma casa, comprada recentemente pelo marido.

Leia mais no Diário Bahia






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia