WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
cenoe





dezembro 2018
D S T Q Q S S
« nov    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

editorias






:: ‘Michel Temer’

TEMER ASSINA EXTRADIÇÃO DE CESARE BATTISTI

Battisti tem ordem de prisão e deverá ser extraditado || Reprodução Facebook

O presidente Michel Temer assinou nesta sexta (14) a extradição do italiano Cesare Battisti, condenado à prisão perpétua em seu país. A medida foi confirmada pelo Palácio do Planalto. Ontem (13), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux já havia determinado a prisão do italiano.

Em 1988, Battisti foi condenado na Itália por quatro homicídios cometidos quando integrava o grupo Proletariados Armados pelo Comunismo. Ele chegou ao Brasil em 2004, onde foi preso três anos depois.

Battisti foi solto da Penitenciária da Papuda, em Brasília, em 9 de junho 2011. Ele voltou a ser preso em outubro do ano passado na cidade de Corumbá, em Mato Grosso do Sul, perto da fronteira do Brasil com a Bolívia. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), ele tentou sair do país ilegalmente com cerca de R$ 25 mil em moeda estrangeira. Após a prisão, Battisti teve a detenção substituída por medidas cautelares.

Com a decisão de Temer, a Itália consegue algo que vinha pedindo ao governo brasileiro há oito anos. O governo italiano pediu a extradição de Battisti, aceita pelo STF. Contudo, no último dia de seu mandato, em dezembro de 2010, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu que Battisti poderia ficar no Brasil, e o ato foi confirmado pelo Supremo. Com informações da Agência Brasil.

PF PRENDE EX-ASSESSOR E AMIGO DE TEMER

Em foto do GGN, Yunes (à direita) aparece ao lado do presidente Temer

Amigo e ex-assessor do presidente da República, Michel Temer, José Yunes foi preso pela Polícia Federal nesta quinta-feira (29), em São Paulo, além do ex-ministro da Agricultura Wagner Rossi e do sócio da Rodrimar, Antônio Celso Grecco.

As prisões foram autorizadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso no âmbito das investigações sobre Decreto dos Portos.

O inquérito que apura suspeita de corrupção no Porto de Santos (SP) envolve o presidente Temer. O Decreto dos Portos foi editado no ano passado pelo preside Michel Temer.

TEMER QUER DISPUTAR REELEIÇÃO

Temer anuncia disposição em disputar pleito || Foto Antonio Cruz/Agência Brasil/Arquivo

Informação do Estadão revela disposição de Michel Temer (PMDB) disputar a reeleição presidencial. “Apesar dos baixos índices de aprovação do seu governo – 6% segundo o último levantamento do Instituto Ibope -, o presidente acha que ninguém melhor do que ele será capaz de defender seu legado e sua própria honra”.

A publicação aponta que o “patamar de popularidade é um obstáculo pesado para sua candidatura”, porém acha que sua situação “poderá melhorar” com a confirmação de recuperação da economia e outras medidas que pretende adotar ainda neste ano.

EX-PROCURADOR, JANOT CRITICA SUCESSORA E ENCONTRO DE TEMER COM PRESIDENTE DO STF

O ex-procurador-Geral da República Rodrigo Janot fez uso de sua conta no microblog Twitter para fazer críticas à sucessora, Raquel Dodge, e à presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármem Lúcia.

Dodge foi questionada por estar no cargo faz seis meses e, até agora, não ter havido nenhuma nova delação na Operação Lava Jato. “Vai ser assim?”, pergunta Janot. Ele fazia alusão a nota d´O Globo abordando a ausência de novas delações no curso da operação.

Pouco antes, o ex-procurador-geral havia feito críticas à presidente do STF por um encontro fora da agenda entre ela e o presidente da República, Michel Temer. “Causa perplexidade que assuntos republicanos de tamanha importância sejam tratados em convescotes matutinos ou vespertinos”, escreveu Janot ao compartilhar reportagem que mostrava Temer na residência da presidente do STF. Veja abaixo:

STF AUTORIZA QUEBRA DE SIGILO BANCÁRIO DE MICHEL TEMER

Temer tem sigilo bancário quebrado por ministro do STF

O presidente Michel Temer teve a quebra do sigilo bancário autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, para a investigação no inquérito da elaboração da Medida Provisória dos Portos. Temer é o primeiro presidente em exercício a ter o sigilo de informações bancários suspenso por ordem judicial.

A decisão foi em 27 de fevereiro, mas só foi divulgada na noite desta segunda-feira (5). Os executivos da empresa Rodrimar, Antonio Celso Grecco e Ricardo Mesquita, também tiveram o sigilo suspenso. A suspeita é de favorecimento de empresa do setor de portos por um decreto presidencial, em troca de propina.

Em comunicado, o Banco Central distribuiu um ofício às instituições financeiras comunicando a decisão do STF e pedindo a liberação das informações.

Barroso é o responsável no STF pelo inquérito que investiga o suposto favorecimento da empresa Rodrimar S/A por meio da edição do chamado Decreto dos Portos (Decreto 9.048/2017), assinado pelo presidente Michel Temer em maio do ano passado. Na ação, além de Temer, são investigados o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures e os empresários Antônio Celso Grecco e Ricardo Mesquita, donos da Rodrimar, empresa que atua no Porto de Santos. :: LEIA MAIS »

GOVERNO DECIDE FAZER INTERVENÇÃO NA SEGURANÇA PÚBLICA DO RIO DE JANEIRO

O presidente Michel Temer decidiu decretar intervenção federal na segurança pública do Estado do Rio de Janeiro. A decisão foi tomada durante uma reunião na noite de ontem (15.fev.2018) no Palácio da Alvorada.

A medida atende a pedido do governador Luiz Fernando Pezão (MDB-RJ). O interventor será o general Braga Netto, que comandará as atividades dos bombeiros, da polícia militar e civil no Estado.

O decreto precisará ser aprovado em até 10 dias pelo Congresso, mas tem efeito imediato a partir da publicação. Caberá ao presidente, Eunício Oliveira, marcar uma sessão para analisar a matéria.

Temer deve assinar o decreto nesta 6ª feira (16.fev.2018).  Os últimos detalhes do texto serão fechados hoje. Confira mais no Poder360.

“FOLHA” APONTA QUE PF E PGR POUPAM TEMER EM INQUÉRITO SOBRE PORTOS

Temer é poupado pela PF e PGR, segundo a Folha || Antonio Cruz/Agência Brasil/Arquivo

Reportagem da Folha de São Paulo desta segunda-feira de Carnaval revela que o presidente Michel Temer e amigos estão sendo poupados em investigação sobre decreto do setor portuário (veja aqui). Já na última sexta (10), o diretor da Polícia Federal, Fernando Segovia, criticou a qualidade da investigação do caso. A crítica de Segovia foi feita durante entrevista à Agência Reuters. Mais que isso, Segovia indicou que o inquérito que investiga presidente, amigos e empresários poderá ser arquivado.

A reportagem é assinada por Rubens Valente. Ela aponta que várias medidas não foram tomadas, indicando que o presidente será poupado, ao se deteter apenas em aspectos formais, a exemplo de depoimentos dos investigados, e não houve quebra de sigilos bancário e fiscal dos envolvidos. A matéria atribui à PF e à Procuradoria-Geral da República as falhas na investigação.

BOLSONARO NÃO É EXEMPLO DE POLÍTICO PARA O BRASIL, AFIRMA RUI COSTA

Rui diz que Bolsonaro não é exemplo de político para o país

O governador Rui Costa avaliou o cenário eleitoral nacional em 2018 e disse acreditar que o pré-candidato Jair Bolsonaro não passe dos 15%, 16% dos votos. “Não é exemplo de político para o Brasil. Acho  que o teto [de voto] dele é esse, 15%, 16%”, afirmou o governador durante entrevista à Rádio Metrópole FM, há pouco.

Para o gestor baiano, Bolsonaro é dos candidatos que pregam ódio, raiva e acham que “a solução pro Brasil é na arma”. Na avaliação de Rui, o país precisa de presidente que saiba discutir sobre temas como saúde, finanças, política econômica e investimentos em infraestrutura no pais e passe confiança aos investidores. “Não é com retórica, bravata que a gente vai conseguir”, completou. O novo presidente, afirma, deverá ser quem tem capacidade de unir e liderar o país.

O governador fez críticas à condenação de Lula (“sem provas”) e disse que os aliados do presidente Michel Temer terão dificuldades nas eleições deste ano. Ele ainda abordou a disputa estadual e, usando a linguagem do futebol, afirmou que seu time tem bons jogadores. “Eu tenho craques para colocar em campo. Tem treinador que falta jogador”, disse, alfinetando o pré-candidato do DEM ao governo do estado, ACM Neto, que tenta fisgar nomes da base aliada adversária.

“BANDIDO SAI DANDO ADEUSINHO”

Ainda durante a entrevista, Rui defendeu mudança na Lei de Execução Penal. “Sou defensor de mudar a lei de execução penal. Sou contra alguém que tira a vida de outra pessoa ter regressão de pena. Mata o pai, a mãe e com 3 anos está em liberdade provisória. Prende e solta. Não é possível. O criminoso que foi pego com arma, assaltando, ele sai antes da delegacia que o policial. Sai dando ‘adeusinho’ e o policial fica preenchendo requerimento e o cara sai antes. Isso desestimula a ação policial”, disse.

TRF MANTÉM SUSPENSA A POSSE DE CRISTIANE BRASIL

Cristiane Brasil sofre nova derrota judicial || Foto Wilson Dias/AB

O juiz substituto do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) Vladimir Vitovsky negou, na noite desta quarta-feira (10) os pedidos apresentados pela defesa da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) e pela Advocacia-Geral da União (AGU), para suspender os efeitos da liminar do juiz titular em exercício da 4ª Vara Federal em Niterói, no Rio de Janeiro, Leonardo da Costa Couceiro, que impediu a posse da parlamentar como ministra do Trabalho.

O  Palácio do Planalto ainda não se manifestou sobre a decisão de hoje.

A liminar de primeira instância foi concedida na segunda-feira (8) em resposta a uma ação popular do Movimento dos Advogados Trabalhistas Independentes. O mérito da ação popular ainda será julgado pela primeira instância. O relator do processo é o desembargador federal Sergio Schwaitzer, da 7ª Turma Especializada do TRF2.

Na decisão de hoje, o juiz Vladimir Vitovsky destaca que a liminar “não tem o condão de acarretar risco de dano grave, de difícil ou impossível reparação. Outrossim, é prematuro afirmar estar demonstrada a probabilidade de provimento do recurso. Com efeito, a competência do presidente [Michel Temer] para escolher e indicar seus ministros é matéria eminentemente de mérito”, diz Vitovsky.  O juiz ressalta ainda que não há motivos suspender a liminar, para permitir a posse, antes de uma decisão do mérito da questão pela 1ª Instância.

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa de Cristiane Brasil afirmou apenas que “no momento adequado, a deputada emitirá nota esclarecendo todos os assuntos de competência da mídia”. (AB)

SEDE NO PODER

Afonso DantasAfonso Dantas | afonso.dantas@camaracomunicacao.com.br

 

 

O Temer, o que bebe o Temer? Não foi comprovado seu gosto vampiresco por sangue, embora milhões de brasileiros pensem o contrário com a série de denúncias sobre seu governo pululando na imprensa e nas redes sociais.

 

Analisando o perfil dos nossos presidentes, observo a relação destes com as bebidas. Não lembro se o Sarney apreciava alguma “branquinha” daquelas com infusão de maribondos e devidamente flambada, para fazer alusão ao seu tão famoso livro de poemas, nem dos gostos dos sisudos militares ou do querido Tancredo. O mais famoso, sem dúvida, nesse setor foi o Jânio Quadros, que disse “Bebo porque é líquido, Se sólido fosse, come-lo-ia.”…Mas vamos lá!

Collor era apaixonado pelo Logan, um whisky escocês de 12 anos – e por causa disso, as importações desse bom whisky dispararam no Brasil. (Há quem suspeite até de sociedade com a destilaria. Pura fofoca.)

Itamar não demonstrava preferência por nenhuma bebida, embora no episódio da modelo Lílian, sem calcinha, no camarote oficial da presidência, durante o carnaval, alguns aleguem que não seria possível ele não estar em um estado um pouco alterado. Ficará sempre a dúvida.

Uma pausa nos presidentes da república para lembrar de outro presidente, o Ulisses Guimarães, eterno presidente do PMDB, que lançou moda ao revelar seu gosto por um aguardente de pêssego, que inclusive vinha com uma pera dentro. A garrafa do Poire Williams, caríssima, era sinônimo de intimidade com o poder e ostentá-la na mesa do Piantella, restaurante preferido da fauna política da Capital Federal, era requisito para atrair a atenção do Doutor Ulisses.

Fernando Henrique Cardoso, era colecionador de cachaças, embora alguns afirmem que isso era para tentar ser um pouco mais “pé na cozinha”, frase que disse e que o acompanhou até o fim do mandato como um presidente que “forçava” seu lado popular. Sua coleção de cachaças foi “socialmente compartilhada” – seria esse o termo politicamente correto? – pelos companheiros do MST, Movimento dos Sem-Terra, que invadiram sua fazenda e degustaram sem cerimônia a sua tão estimada coleção.

Lula, presidente extremamente popular, nos tempos do sindicato adorava uma cachacinha e uma cervejinha gelada. A marca? Gelada! No poder, ainda curtiu uns licores de jenipapo e quentões em uma festa junina palaciana, mas, encantado com as benesses do poder, foi conquistado pelo mundo do vinho, estimulado pelo seu marqueteiro Duda Mendonça – esse influenciado pelo ex-governador de São Paulo Paulo Maluf – e fez uma adega de fazer inveja aos Rothschild. Uma boa garrafa de Romanée-Conti, devidamente “decantada”, sonho de consumo de enólogos pelo mundo todo, passou a fazer parte de sua degustação diária. Um luxo.

Dilma Rousseff em matéria de bebidas não se destacou, embora afirmem que não seriam normais suas declarações e discursos em estado de sobriedade. Mas, por via das dúvidas, vamos deixar esse assunto para lá, pois fora a farra de vinhos bem acima da média na escala em Lisboa, de uma viagem internacional, com fotos um pouco comprometedoras em termos de falta de sobriedade, nada temos a comentar muito. Melhor ficar de bico calado, para não sermos acusados de machismo. Tempos difíceis.

O Temer. O que bebe o Temer? Não foi comprovado seu gosto vampiresco por sangue, embora milhões de brasileiros pensem o contrário, com a série de denúncias sobre seu governo pululando na imprensa e nas redes sociais. A bebida predileta do atual mandatário do Palácio do Jaburu (não quis o Alvorada, pois, dizem, tinha muita luz…) é um mistério, embora haja suspeita de que exista um estoque reforçado de uma bebida escura, a base de catuaba, feita por um raizeiro de origem libanesa, que é melhor do que muita pílula azul famosa que existe por aí.

Um brinde ao poder.

Afonso Dantas é administrador de empresas e especialista em Gestão Cultural pela Uesc, além de sócio e diretor de criação da Camará Comunicação Total.

PARA BEBETO, MEDIDAS DE TEMER FAVORECEM TRABALHO ESCRAVO

Bebeto reage às novas regras de caracterização do trabalho escravo

Bebeto reage às novas regras de caracterização do trabalho escravo

O deputado federal Bebeto Galvão (PSB/Bahia) reagiu com indignação às recentes mudanças promovidas pelo governo do presidente Michel Temer nas regras de caracterização e fiscalização do trabalho escravo. “A cada dia que passa, Temer nos surpreende com medidas que trazem retrocessos para o Brasil e para os trabalhadores”, disse o parlamentar baiano da tribuna da Câmara.

A nova portaria traz regras que alteram o modelo de fiscalização e abrem brechas que dificultam a comprovação e punição do trabalho escravo. Uma das mudanças condiciona a divulgação da lista a uma decisão do ministro do Trabalho e exige a presença policial nas fiscalizações, já que o processo contra quem escraviza só terá validade se for acompanhado por um boletim de ocorrência policial.

A medida provisória assinada pelo presidente após pressão da bancada ruralista exclui da definição de trabalho escravo jornada exaustiva e trabalho forçado. Na prática, o empregador enquadrado nessa lei fica, entre outras coisas, proibido de tomar empréstimos em bancos públicos, como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

“Isso é uma vergonha. Não vamos aceitar mais esta medida ilegal. Vamos aumentar a pressão para que esse retrocesso seja barrado”, afirmou Bebeto ao lembrar que as mudanças vêm sendo contestadas por inúmeros órgãos de proteção ao trabalhador, como o Ministério Público do Trabalho (MPT) e organismos internacionais, como a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

BRITTO CRAVA “FICA, TEMER”, APÓS CARGO

Britto votou a favor de  Temer, após nomeação de indicado.

Britto votou a favor de Temer, após nomeação.

O deputado federal Roberto Britto (PP-BA) está entre os deputados que votaram para barrar a investigação contra o presidente da República, Michel Temer, e poderá ganhar mais cargos da estrutura federal na Bahia. Britto votou favorável a Temer depois de conseguir indicar Carlos Alexandre Brandão, novamente, para o cargo de superintendente da Ceplac na Bahia (relembre aqui).

Além de Britto, outros 16 parlamentares votaram pela manutenção do peemedebista no cargo de presidente, na última quarta. Ao contrário destes, Jutahy Júnior e João Gualberto, ambos tucanos, devem perder cargos. Foram favoráveis ao afastamento de Temer para que o presidente fosse investigado ainda no cargo pela denúncia de corrupção passiva em “malfeitos” que envolvem a dupla nada caipira que comanda a JBS.

ATO CULTURAL PEDE “FORA, TEMER” EM ITABUNA

Frente promove Ato Cultural na Praça Adami, a partir das 15h

Frente promove Ato Cultural na Praça Adami, a partir das 15h

Integrantes da Frente Brasil Popular promovem ato cultural, a partir das 15h desta quarta (2), na Praça Adami, em Itabuna. De acordo com a organização, haverá apresentações de artistas locais e a exibição da votação dos parlamentares em um telão.

O ato cultural ocorrerá em todas as capitais e nas maiores cidades do país. “A ideia é chamar a atenção dos eleitores para acompanhar a posição de cada deputado federal na votação da denúncia por corrupção passiva contra Michel Temer, feita pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot”, afirma João Evangelista, da comissão da Frente Brasil Popular em Itabuna.

PARECER QUE LIVRA TEMER DE INVESTIGAÇÃO NA LAVA JATO SERÁ LIDO HOJE NA CÂMARA

Câmara pode livrar Temer de investigação amanhã.

Câmara pode livrar Temer de investigação amanhã.

Da Agência Brasil

Com as atenções voltadas para a votação sobre a admissibilidade do processo contra o presidente Michel Temer, senadores e deputados voltam ao trabalho nesta terça-feira (1º), após duas semanas de recesso.

Pelo calendário estabelecido pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, hoje, no primeiro dia de trabalho, o parecer da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ), contrário ao prosseguimento da denúncia, será lido em plenário às 14h. Amanhã (2), o parecer deverá ser votado pelos 513 deputados.

ACUSAÇÃO

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, acusa Temer de corrupção passiva com base em gravações e na delação dos donos do grupo J&F, que controla o frigorífico JBS. O empresário Joesley Batista gravou uma conversa com o presidente, em março, no Palácio do Jaburu, que gerou a denúncia.

O presidente nega ter cometido ilegalidades e sua defesa deve repetir os argumentos apresentados à CCJ de que não há provas e que a denúncia se baseia em ilações dos procuradores.

VOTAÇÃO

Nesta quarta-feira (2), a votação só será aberta quando pelo menos 342 dos 513 deputados registrarem presença em plenário. Rodrigo Maia decidiu adotar esse critério para evitar questionamentos futuros na Justiça.

A exemplo do que aconteceu no impeachment da presidente Dilma Rousseff, a votação será nominal e aberta (no microfone). Para que a acusação da PGR siga adiante, são necessários 342 votos contrários ao parecer da CCJ que livra Temer da denúncia.

COM A CABEÇA NO PLANALTO, RODRIGO MAIA SE DIZ FIEL A TEMER

Rodrigo Maia admite candidatura ao Planalto|| Foto Divulgação

Rodrigo Maia admite candidatura ao Planalto|| Foto Divulgação

Do Poder360

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que se enxerga como uma alternativa para a Presidência da República. Mas só daqui a alguns anos. O deputado reafirmou ser leal a Michel Temer.

“É óbvio que chegar onde cheguei já me coloca, daqui duas, 3 eleições, como uma alternativa [ao Planalto], mas, no curto prazo, acho que a Presidência da Câmara já me dá a possibilidade de realizações que nunca imaginei que pudesse realizar”.

As afirmações de Maia foram em entrevista à GloboNews, veiculada na noite desta 2ª feira (17.jul.2017). Atualmente, o presidente da República está em posição frágil devido às acusações de corrupção contra seu governo, à crise econômica e, principalmente, à denúncia apresentada pela PGR (Procuradoria Geral da República).

A Procuradoria acusa Temer de corrupção passiva. O STF (Supremo Tribunal Federal) só pode julgar o presidente da República se houver aval da Câmara –Casa comandada por Maia. Uma condenação pelo Supremo cassaria o mandato do governante. Maia assumiria o Planalto.

A posição do político do Rio de Janeiro está sob os holofotes de Brasília nos últimos tempos. Ele fala cautelosamente. Questionado pelo entrevistador se faria agora a mesma coisa que Michel Temer fez com Dilma, respondeu ter certeza que “o presidente não fez isso”. Ainda disse ser cobrado pela mãe para que não conspire contra o mandatário.

Ele fez, porém uma diferenciação. Disse que, como deputado, “será leal sempre”. Mas afirmou ter função de “árbitro do jogo” como presidente da Câmara. “Então, minha distância do governo nesse momento. A Constituição e o Regimento da Casa são aqueles escritos que vou respeitar nesse processo”. Confira a íntegra

JUIZ PREVÊ LEVA DE “DEMISSÕES” PARA AJUSTES À REFORMA TRABALHISTA

Cairo: leva de "demissões" com reforma.

Cairo: leva de “demissões” com reforma.

Juiz titular da 3ª Vara do Trabalho em Ilhéus, José Cairo Júnior prevê uma leva de demissões após a reforma trabalhista aprovada na Câmara e no Senado e sancionada ontem à tarde pelo presidente Michel Temer. E aponta o motivo: “As novas regras relativas ao contrato individual de trabalho só se aplicarão aos novos contratos de trabalho”.

Como as novas regras não podem ser aplicadas aos contratos em vigor, as “demissões” ocorreriam, conforme ele, para que as empresas adequassem as relações de trabalho às mudanças. As cerca de 100 mudanças impostas pela Reforma Trabalhista entrarão em vigor em novembro deste ano.

O texto aprovado na Câmara e no Senado tem várias brechas e o governo fala em modificar o texto por meio de Medida Provisória, mas a mesma tem prazo de validade. Assim, as mudanças via Medida Provisória precisariam ser votadas no legislativo para ter sua aplicação garantida. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, já se opõe a mudanças por meio de MP.
reforma trabalhistas demissões






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia