WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba

workshop










setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

editorias






:: ‘motoboy’

ILHÉUS: ACIDENTE NA PONTE DO PONTAL PROVOCA MORTE DE MOTOBOY

Claudio faleceu após sofrer acidente na Ponte do Pontal || Fotomontagem

Um motociclista faleceu poucas horas depois de sofrer grave acidente, neste sábado (20), na Ponte Lomanto Júnior, que liga o centro à zona sul de Ilhéus. Identificado como Cláudio Oliveira Silva, o motoboy seguia em sua moto e, ao ultrapassar caminhão de entrega de gás, sentido Pontal, sofreu acidente.

Claudio perdeu o controle da moto, que bateu na lateral de um ônibus e se chocou contra um terceiro veículo, conforme relatos. O acidente ocorreu por volta das 11h deste sábado.

O motoboy foi socorrido pelo Samu 192 e encaminhado ao Hospital Costa do Cacau, na Rodovia Ilhéus-Itabuna, mas não resistiu aos ferimentos. Nas redes sociais, amigos e parentes lamentam a morte de Cláudio, que residia no Alto dos Carilos.

PRÉ-CADASTRO PARA MOTOTAXISTAS

Serviço aguarda sanção de lei de regulamentação.

Serviço aguarda sanção de lei de regulamentação.

Mototaxistas e motofretistas de Itabuna começam a ser pré-cadastros pela Secretaria de Transporte e Trânsito (Settran) no dia 6 de janeiro do próximo ano. O município aprovou lei que regulamenta o serviço e agora aguarda a sanção do prefeito Claudevane Leite para passar a valer.

O pré-cadastro foi anunciado pelo presidente do Conselho Municipal de Transporte Público, Jorge Teles, e será concluído no dia 10 de janeiro. Será a primeira fase da ação que definirá os 700 profissionais que vão atuar oferecendo os dois serviços no município.

Aprovada pela Câmara no final de novembro, a lei está sob análise da Procuradoria-Geral do Município para, então, ser sancionada pelo prefeito itabunense.

A INFORMALIDADE DO MOTOTÁXI E MOTOFRETE

josé januárioJosé Januário Félix Neto | netto_felix74@hotmail.com

A Procuradoria Geral do Município, a Câmara Legislativa de Itabuna e a Secretaria de Trânsito Municipal, não podem deixar, à própria sorte, condutores sem a profissionalização correspondente a sua atividade.

Surgido na Alemanha na década de 1990, o serviço de mototáxi apareceu e ganhou força no Brasil na região Nordeste. Isso devido ao baixo preço das motocicletas, migração do homem do campo para as cidades e taxa altíssima de desempregados no serviço formal, de carteira assinada, e a ineficiência dos serviços de transporte público oferecidos à sociedade.

Com o advento da Lei 12.009, de 29 de julho de 2009, os serviços de mototáxi e motofretista foram condicionados à regra de concessão pública de exploração de transporte de passageiros e, no segundo plano, da entrega de mercadorias. A lei inovou e estabeleceu critérios para os condutores que atuam como prestadores desses tipos de serviços nas cidades brasileiras, tendo como objetivo a legalização da profissão.

Em Itabuna esse tipo de transporte ainda não foi regulamentado, já que a lei deixou a cargo dos municípios a sua autonomia. O profissional que sobrevive desse trabalho necessita do apoio do poder público local no sentido de protegê-lo da discriminação social e estatal, pois são alvos de desconfiança constante e violência por parte de motoristas no trânsito.

A desigualdade social empurra o jovem para sua prática e em sua maioria não possuem capacidade de exercerem a profissão de motofretes e mototáxis devido à falta de qualificação, local de trabalho e quantidade de motocicletas adequadas para cada área da cidade de acordo à sua densidade demográfica, iniciando uma fiscalização abusiva para sua atuação já que não existem regras definidoras e fiscalizatórias específicas.

Além disso, o cliente de motofretes ou passageiro de mototáxi estará protegido, pois terá, ali, um profissional identificado e qualificado e não os “motoqueiros” que fazem da profissão um bico, sem qualquer responsabilidade com a vida dele e dos outros.

:: LEIA MAIS »

MUITO POUCO PARA COMEMORAR

Lomanto Lacerda

A falta de atitude para controlar quantidade e qualidade dos mototaxistas pode fabricar um monstro incontrolável.

Neste 27 de julho, Dia Nacional do Motociclista, temos muito pouco para comemorar. A resolução número 350 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) propiciou um grande avanço para a profissionalização dos mototaxistas e dos motofretistas do Brasil.

Grande avanço mesmo são as aulas de ética e cidadania que serão ministradas para esses profissionais, pelo simples fato de acreditarmos que muitos dos problemas envolvendo esses profissionais só se resolvem com uma conscientização da necessidade de união de três pilares fundamentais. São eles cidadania, ética e trânsito. Quando estes andam juntos, todos nós ganhamos.

A resolução inteira ajuda e muito a segurança dos usuários, principalmente de mototáxi, em todo o Brasil, com destaque para o item de gestão de risco sobre duas rodas, que, se estiver bem elaborado, será uma grande ferramenta para diminuir o número de acidentes com esses profissionais.

O grande atraso fica pela omissão do dever de vários municípios, entre eles Itabuna e Ilhéus, que não cumprem suas obrigações morais de regulamentar o serviço para que os usuários nestas cidades possam utilizá-lo com segurança. Esse fato é uma ameaça à legislação [que periga] cair em desuso nestes municípios e o serviço ser praticado por qualquer motociclista sem qualificação.

A falta de atitude em não controlar quantidade e qualidade dos mototaxistas pode fabricar um monstro incontrolável, levando empresas de ônibus à falência, infiltração do crime no interior da categoria e um aumento de acidentes envolvendo usuários desse serviço.

Talvez quando os secretários de transporte e trânsito destes municípios resolveram trabalhar, já seja tarde demais! Mesmo assim, parabéns para nós motociclistas.

Lomanto Lacerda é presidente da Associação dos Mototaxistas, Motoboys e Motociclistas de Itabuna.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia