WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘mulheres’

MULHERES AUMENTAM ESCOLARIDADE EM RELAÇÃO AOS HOMENS, MOSTRA PESQUISA

O ano de 1991 foi um marco para o perfil da mulher no mercado de trabalho porque, pela primeira vez, o nível de escolaridade feminina superou o dos homens. Segundo a professora Hildete Pereira de Melo, uma das coordenadoras do Núcleo de Pesquisa em Gênero e Economia (NPGE) da Faculdade de Economia da Universidade Federal Fluminense (UFF), nesse período o tempo de estudo das mulheres passou a ser maior.

Conforme a pesquisadora, as mulheres aumentaram em um ano a escolaridade média em relação aos homens. “É a maior conquista das mulheres brasileiras terem conseguido se educar no século 20. Embora, a gente não tenha construído a igualdade, a gente conseguiu realmente uma vitória. Não houve política pública que facilitasse isso. Foram decisões pessoais das mulheres”, afirmou, acrescentando que no Censo 1900 as mulheres eram analfabetas e terminaram o século 20 mais escolarizadas do que os homens.

A evolução da escolaridade é um dos dados abordados pela pesquisa, que comprova a desigualdade de rendimentos entre homens e mulheres no Brasil. O trabalho foi desenvolvido por Hildete e pela professora Lucilene Morandi, também coordenadora do NPGE. “A ideia dessa pesquisa era ter uma noção do impacto da diferença de participação no mercado de trabalho e na renda de homens e mulheres”, disse Lucilene.

ESCOLARIDADE X SALÁRIO

O aumento da escolaridade, no entanto, não representou o fim do desequilíbrio salarial entre homens e mulheres. As pessoas com mais escolaridade no Brasil ganham mais, mas Hildete citou o próprio exemplo para comentar a diferença de gênero na questão salarial. “A distância entre o que eu ganho como doutora em economia e o meu colega que é doutor em economia é muito grande. É muito maior do que quando pega uma escolaridade mais baixa, então, educação é um prêmio para todos, mas o prêmio para os homens é bem superior ao que ela permite às mulheres”.

TRABALHO DOMÉSTICO

Outra avaliação da pesquisa, ao analisar o Produto Interno Bruto (PIB) feminino e masculino, é a falta de captação do resultado do serviço doméstico feito pelas mulheres, inclusive com extensão de jornada. “O problema do trabalho não pago, o trabalho gratuito, que as mulheres realizam, é que se somasse os dois tempos, o do que a gente chama pago ou produtivo com o não pago nos cuidados com as crianças, com a casa, com os doentes, com os idosos, vê-se que a jornada das mulheres é cinco horas maior”, observou. :: LEIA MAIS »

MULHERES DEDICAM QUASE O DOBRO DO TEMPO DOS HOMENS ÀS TAREFAS DOMÉSTICAS

Mulher ainda trabalha muito mais que o homem em casa|| Foto Licia Rubinstein

As mulheres dedicaram, em média, 21,3 horas por semana com afazeres domésticos e cuidado de pessoas em 2018, quase o dobro do que os homens gastaram com as mesmas tarefas – 10,9 horas. É o que revela o suplemento Outras Formas de Trabalho da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A situação no mercado de trabalho também pouco impactava na jornada doméstica feminina. Mesmo trabalhando fora, a mulher cumpria 8,2 horas a mais em obrigações domésticas que o homem também ocupado.A diferença era ainda maior entre homens e mulheres desempregados. Nessa condição, elas trabalhavam 11,8 horas a mais que eles.

Segundo a pesquisa, estima-se que 87% da população com 14 anos ou mais realizaram afazeres domésticos e/ou cuidado de moradores ou de parentes em 2018, o que representa 147,5 milhões de pessoas. Essa incidência era maior entre as mulheres, 93%, do que entre os homens, 80,4%.

Os dados também mostraram que na condição de cônjuge ou companheira, as mulheres trabalhavam ainda mais, chegando a alcançar 97,7% delas, enquanto entre os homens, na mesma situação, a incidência foi de 84,6%.

:: LEIA MAIS »

#ELENÃO: ATO CONTRA BOLSONARO ATRAI MILHARES AO CENTRO DE ITABUNA

Movimento das mulheres contra Bolsonaro teve reforço em Itabuna || Foto Pimenta

O movimento das mulheres brasileiras contra o presidenciável Jair Bolsonaro atraiu milhares de pessoas ao centro de Itabuna, no sul da Bahia, na manhã deste sábado (29). Pintadas, com faixas e cartazes nas mãos ou soltando gritos de ordem contra o candidato do PSL, mulheres se concentraram no Berilo, próximo ao Centro de Cultura Adonias Filho, e seguiram em passeata pela Avenida do Cinquentenário, por volta das 11h. Faixas e cartazes faziam críticas a declarações machistas e homofóbicas já proferidas pelo presidenciável.

A organização do movimento #EleNão calcula ter reunido cerca de 4 mil pessoas no ato em Itabuna. O movimento está ocorrendo em todo o país neste sábado. Em São Paulo, a estimativa é de que o ato contra Bolsonaro esteja reunindo, ao menos, 150 mil pessoas. Já no Rio de Janeiro, na Cinelândia, outras 100 mil pessoas.

No sul da Bahia, também houve manifestação contra Bolsonaro em Ilhéus, com passeata e apresentações culturais em frente ao Teatro Municipal, no Centro Histórico.

REAÇÃO

Os atos em Itabuna e Ilhéus foram pacíficos. Não houve registro de tumulto durante a caminhada em Itabuna, que ganhou maior proporção. Os favoráveis ao presidenciável Bolsonaro prometem reagir com carreata, neste domingo (30), que começará em Itabuna e será encerrada na vizinha Ilhéus.

Manifestantes prestam homenagem a Maria Aparecida, vítima de feminicídio || Foto Pimenta

HOMENAGEM A APARECIDA

Ainda na principal artéria comercial do centro de Itabuna, as manifestantes pararam em frente à drogaria onde a comerciária Maria Aparecida Reis trabalhava, próximo à agência principal do Bradesco no município. As manifestantes fizeram minuto de silêncio em homenagem à vítima de feminicídio em 8 de junho passado.

Maria Aparecida foi baleada e esfaqueada pelo ex-companheiro em um ônibus, na Praça Olinto Leone. A marcha #EleNão foi encerrada exatamente na praça onde ocorreu o feminicídio (relembre aqui).

Mulheres exibem cartazes com mensagens contra presidenciável || Foto Pimenta

MULHER FINGIA INCORPORAR ESPÍRITO MASCULINO PARA SE RELACIONAR COM VÍTIMAS

Andreza Souza é acusada de aplicar golpe em mulheres de várias cidades baianas

As tramas criadas pela estudante de direito Andreza Souza Dias Souza, 22 anos, para envolver mulheres em relacionamentos amorosos e conseguir arrancar-lhes dinheiro são dignas dos famosos romances do escritor Nelson Rodrigues. Ela se passava por homens, atraía as vítimas através de sites de relacionamentos e WhatsApp e ainda se dizia capaz de manter uma ‘canalização’ com um espírito masculino para se relacionar sexualmente com as mulheres.

“Ela criava perfis falsos com fotos de pessoas do sexo masculino com o intuito de obter benefícios financeiros. Depois, quando o relacionamento parecia real, ela se passava por sobrinha do homem e dizia que ele incorporaria nela para manter relações sexuais com as vítimas”, explicou a promotora de Justiça Ana Emanuela Rossi Meira, coordenadora do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (Gaeco). As fotos dos homens eram pegas de forma aleatória em redes sociais e os nomes eram fictícios.

Conforme a promotora, a estudante conseguia manipular a voz para falar com as vítimas como se fosse o suposto namorado e, durante uma conversa, sugeria que as mulheres conhecessem uma sobrinha, que era a própria suspeita. Ainda de acordo com ela, Andreza dava diversas desculpas para evitar o contato pessoal entre o ‘namorado’ e as vítimas e para conseguir dinheiro.

“Ela sempre dizia que estava viajando a trabalho, que estava com problemas pessoais e que precisava de dinheiro para fazer uma cirurgia. Se apresentava como médicos, agentes da Polícia Federal e outros profissionais”, contou a coordenadora.

APLICAVA GOLPE DESDE 2013

Andreza, que também é funcionária pública com cargo comissionado na prefeitura de Santo Antônio de Jesus – Recôncavo Baiano –, vinha agindo desde 2013, quando ainda era uma adolescente de 17 anos. Nesses mais de cinco anos, ela conseguiu ludibriar mais de 20 mulheres. A promotora não soube informar com quantas vítimas a estudante se relacionou sexualmente.

:: LEIA MAIS »

RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA LEVA SERVIÇOS PARA MORADORAS DE URUÇUCA

Programa inicia atendimento em Uruçuca

Programa inicia atendimento em Uruçuca nesta quinta-feira (24)

O programa Saúde sem Fronteira Rastreamento do Câncer de Mama atende as moradoras de Uruçuca desta quinta-feira (24) a 1º de setembro. De acordo com a secretária de Saúde do município, Domilene Borges, a meta é atender 1.169 mulheres, na faixa etária de 50 a 69 anos.

Na sede, o procedimento será feito em uma unidade móvel, na Praça Régis Pacheco, até o dia 31 deste mês. Na Vila de Serra Grande, o mutirão será nos dias 31 de agosto e 1º de setembro, na Praça Pedro Gomes. O horário de atendimento será das 7h às 12h e das 14h às 17h.

O prefeito Moacyr Leite Júnior destaca que a realização do exame é muito importante. “Eu fico muito feliz em poder fazer parcerias que proporcionem melhor qualidade de vida para nossa população”, disse o prefeito. Para ser atendida, a mulher deve levar um documento de identidade, Cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) e comprovante de endereço.

TRATAMENTO

O Saúde sem Fronteiras é um programa que tem como diferencial o acompanhamento das mulheres com mamografias inconclusivas, com a oferta de exames complementares para o diagnóstico e o encaminhamento ao tratamento, visando à integralidade do atendimento.

Para as mulheres com diagnóstico positivo, o tratamento cirúrgico, quimioterápico ou radioterápico será realizado em unidades de alta complexidade em oncologia. O programa é uma ferramenta de acesso da mulher às ações de prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer de mama.

MULHERES SUPERAM HOMENS NA CRIAÇÃO DE NOVOS NEGÓCIOS, REVELA PESQUISA

Mulheres superam homens em novos negócios no país.

Mulheres superam homens em novos negócios no país.

As mulheres brasileiras estão à frente dos homens na criação de novos negócios. Mas, quando se trata de negócios já estabelecidos, elas mostram presença menor que a do sexo masculino. As informações estão na pesquisa Global Entrepreneurship Monitor 2016, coordenada no Brasil pelo Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae) e o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBPQ).

Segundo o estudo, em 2016 a taxa de empreendedorismo entre os que têm um negócio com até três anos e meio de existência ficou em 15,4% entre as mulheres e em 12,6% entre os homens. A taxa de empreendedores estabelecidos, ou seja, que tocam um negócio há mais de três anos e meio, ficou em 19,6% entre os homens e 14,3% entre as mulheres.

A pesquisa revelou também que as mulheres empreendem por necessidade mais frequentemente do que os homens. No grupo feminino, 48% delas afirmaram ter buscado o empreendedorismo porque precisaram. No masculino, esse percentual cai para 37%.

O presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, afirma que em tempos de crise o empreendedorismo é uma alternativa para vários brasileiros que perderam o emprego ou buscam uma renda extra. No caso das mulheres, ele destaca que a solução pode ser mais viável que um emprego com horário rígido, já que muitas delas têm de fazer a chamada jornada dupla.

“O dilema da mulher é entre a necessidade de trabalho e de cuidar da criança, da casa. O empreendedorismo tem se mostrado um grande caminho de conciliação. Quem quer fazer carreira em uma empresa tem que lidar com a disciplina dos horários, o que não facilita”, comenta.

Ele lembra que um número grande de brasileiras é responsável, sozinho, pelo sustento da família e pela organização do lar. “Há a mulher como arrimo de família. Elas são a única fonte de renda e ainda têm que cuidar da atividade doméstica. Então, a atividade de empreendedora em casa facilita muito. A maioria caminhou para isso por necessidade. Essa pesquisa trata do mercado formal, mas você tem um monte de mulheres por conta própria na informalidade”, destaca.

MAIS SUPORTE

Marcelo Minutti, professor de empreendedorismo e inovação da Faculdade de Economia e Finanças Ibmec, vê como positiva a maior presença feminina nos negócios novos. Ele acredita que isso é resultado do empoderamento das mulheres e avalia que, com o tempo, crescerá também o número das que estão à frente de negócios estabelecidos há mais tempo.

“A gente percebe, nos últimos anos, uma tendência forte para a mulher empreender. Inclusive, esses percentuais de crescimento atual resultam de uma defasagem muito grande [da presença delas nos negócios anteriormente]. Isso estava represado. Como esse empoderamento tem ganhado força apenas nos últimos anos, isso reflete, porque os negócios são mais novos também”, afirma. :: LEIA MAIS »

MULHERES SÃO APENAS 5,3% DOS CANDIDATOS NO SEGUNDO TURNO

Mulheres têm participação ainda mais reduzida na disputa deste turno (Foto Agência Brasil).

Mulheres têm participação ainda mais reduzida na disputa deste turno (Foto Agência Brasil).

Dos 114 políticos que disputam hoje (30) o segundo turno para o cargo de prefeito, apenas seis são mulheres, o que representa 5,3% do total. Nos 57 municípios de 20 estados onde haverá o segundo turno, as mulheres encabeçam a chapa para o Executivo municipal em cidades de Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pernambuco, do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e São Paulo.

Das 18 capitais em que haverá a disputa do segundo turno, as mulheres lideram a chapa em duas: em Florianópolis, com Ângela Amin (PP), e em Campo Grande, com Rose Modesto (PSDB). Elas enfrentam Gean Loureiro (PMDB) e Marquinhos Trad (PSD), respectivamente.

Das 13 cidades com mais de 200 mil eleitores em que a eleição não foi decidida no dia 2 de outubro e haverá a disputa no segundo turno, apenas em Guarujá uma mulher concorre como candidata a prefeitura. Primeira colocada no primeiro, com 43,17% dos votos, Haifa Madi (PPS) – que substituiu o marido com a candidatura impugnada pela Justiça Eleitoral – enfrenta Valter Suman, que obteve 23,70% dos votos.

No Rio de Janeiro, onde haverá segundo turno em oito cidades, não há nenhuma mulher como cabeça de chapa.

Já em Minas Gerais, onde eleitores de quatro cidades voltam às urnas, apenas em Juiz de Fora há representação feminina como cabeça de chapa. Segunda colocada no primeiro turno com 22,38% dos votos, Margarida Salomão (PT) enfrenta Bruno Siqueira (PMDB), que teve 39,07% dos votos no dia 2 de outubro.

Com quatro cidades decidindo as eleições hoje, as mulheres em Pernambuco estão na corrida à prefeitura em Caruaru, com Raquel Lyra (PTN). Ela ficou em segundo lugar no primeiro turno, com 26,08% dos votos, enquanto Tony Gel terminou o pleito em primeiro, com 37,10% dos votos.

A situação é semelhante à do estado do Rio Grande do Sul. Lá, quatro cidades decidem as eleições municipais e em apenas uma delas há participação de mulheres à frente da chapa. Beth Colombo (PRB), que teve 45,79% dos votos no primeiro turno, enfrenta Busato (PTB), que teve 37,30% dos votos em 2 de outubro. Da Agência Brasil.

MORTE POR ENFARTE É MAIS PROVÁVEL NAS MULHERES POR ERRO DE DIAGNÓSTICO

Morte por enfarte em mulheres é mais provável por erro de diagnóstico.

Morte por enfarte em mulheres é mais provável por erro de diagnóstico.

Da Agência Brasil

As mulheres têm maior probabilidade de não resistir a um enfarte do miocárdio do que os homens devido a erros de diagnóstico que atribuem os sintomas a crises de ansiedade, mostra um estudo canadense.

Os investigadores da Universidade McGill, de Montreal, tentaram compreender o que justificava a grande diferença na taxa de mortalidade entre homens e mulheres vítimas de enfarte, em estudo divulgado na semana passada.

Foram ouvidos 1.123 pacientes com idade entre 18 e 55 anos, hospitalizados em 24 estabelecimentos de saúde do país, mas também em um hospital americano e outro suíço.

Os pacientes, todos diagnosticados com síndrome coronária aguda, responderam às perguntas dos investigadores nas 24 horas após a internação.

As mulheres ouvidas tinham rendimentos menores do que os dos homens que participaram do estudo. Apresentavam também maiores riscos de diabetes e de hipertensão arterial, tinham um histórico familiar de doenças cardíacas e estavam ainda mais sujeitas à depressão e ansiedade.

:: LEIA MAIS »

TRÁFICO DE MULHERES: DENÚNCIAS CRESCEM 1.547% NO PRIMEIRO SEMESTRE

Trafico-de-MulheresO número de denúncias de tráfico de mulheres no país teve aumento de 1.547% no primeiro semestre deste ano, em comparação ao mesmo período de 2012. Nos meses de janeiro a junho, o canal de atendimento Ligue 180 recebeu 263 denúncias, das quais 173 sobre casos internacionais e 90 no Brasil. Em 34% dos registros, havia risco de morte da vítima. Os dados fazem parte do balanço semestral divulgado nesta segunda-feira, 7,  pela Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República.

De acordo com a ministra Eleonora Menicucci, o aumento das denúncias está relacionado ao impacto das campanhas e possibilitou o desbaratamento de quadrilhas que traficavam brasileiras. O levantamento apontou que a maior parte das denúncias foi feita pela mãe da vítima. As denúncias revelaram exploração sexual, de trabalho, remoção de órgãos e adoção.

“O aumento é assustador, mais de 1.500%. Em 2012, foram apenas 17 denúncias”, disse a ministra. Nos 90 casos denunciados de tráfico de pessoas dentro do país, 64 eram sobre exploração sexual, 25 exploração de trabalho e uma de adoção.

O serviço Ligue 180, que recebe denúncias de violência contra a mulher e também orienta sobre direitos, atende a 56% dos municípios. De janeiro a junho deste ano, foram registrados 306.201 atendimentos, como em todo o país. Os 50 municípios que mais acessaram o canal têm até 20 mil habitantes. Informações da Agência Brasil

Leia mais

CASO NEW HIT: JULGAMENTO COMEÇA AMANHÃ

Pagodeiros acusados de estupro gostam de se exibir como "garanhões" durante os shows

Pagodeiros acusados de estupro gostam de se exibir como “garanhões” durante os shows

Integrantes da banda de pagode New Hit, acusados de estuprar duas adolescentes em agosto de 2012, irão a julgamento a partir desta terça-feira, 3, na cidade de Ruy Barbosa, a 320 quilômetros de Salvador. A expectativa é de que a sentença seja divulgada no dia seguinte.

O crime de que os músicos são acusados teria sido cometido logo após um show da banda. As duas adolescentes, de 16 anos, acompanharam a apresentação e depois pediram para tirar fotos com os componentes, sendo orientadas a entrar no ônibus do grupo. Foi no interior do veículo que teria ocorrido o estupro, com a conivência de um policial militar que trabalhava como segurança dos pagodeiros.

Além da possível violência sexual, os integrantes da New Hit são acusados por grupos feministas de desrespeitar a mulher nas letras das músicas, bem como nas coreografias apresentadas no palco. O julgamento dos réus em Ruy Barbosa será acompanhado pela Marcha Mundial das Mulheres, que combate a violência de gênero.

Maíra Guedes, militante da Marcha, diz que “a luta pelo fim da violência contra as mulheres é parte da luta por liberdade, que só virá com a destruição de todo um sistema que se alimenta da exploração e opressão das mulheres”.

 

ITABUNA CORRE O RISCO DE PERDER VERBA PARA CENTRO DE REFERÊNCIA DA MULHER

AzevedoNa condição de cidade-polo no Território Litoral Sul, Itabuna foi escolhida para receber um Centro de Referência de Atendimento à Mulher (Cram), que é um espaço de acolhimento e atendimento à mulher em situação de violência. Mas a verba de R$ 200 mil para implantação do centro será perdida, caso o prefeito José Nilton Azevedo (DEM) não deposite a contrapartida de R$ 8 mil até a próxima quinta-feira, dia 20.

O prefeito firmou acordo com a Secretaria Estadual de Políticas para as Mulheres (SPM), mas ainda não honrou o compromisso assumido, nem dá sinais de que irá fazê-lo. No último fim de semana, em Itacaré, participantes da I Conferência das Mulheres do Sul da Bahia assinaram uma carta dirigida a Azevedo, na qual exigem que o município de Itabuna honre o acordo feito com a SPM.

No documento, que será entregue nesta manhã ao prefeito, as mulheres observam que “o prazo para efetivação do contrato por meio do depósito da contrapartida esgota-se dia 20 de dezembro de 2012 e não será prorrogado”. Dizem ainda ser “inconcebível que recursos dessa monta, imprescindíveis para o combate à violência contra a mulher em toda a região, sejam perdidos por irresponsabilidade ou descaso do poder público”.

CRISE DEIXA 13 MILHÕES DE MULHERES SEM EMPREGO

Da Agência Brasil

A crise econômica internacional deixou 13 milhões de mulheres sem emprego, segundo o relatório Tendências Mundiais de Emprego das Mulheres 2012, divulgado hoje (11) pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). Devido à crise, há cerca de 29 milhões de pessoas desempregadas no mundo e estima-se que outras 2,5 milhões deverão entrar nessa situação em 2013.

A OIT identificou que a taxa de desemprego entre as mulheres era 0,7 ponto percentual maior que a dos homens, depois de 2009, ano da crise: 6,4% das mulheres no mundo estão desempregadas, contra 5,7% dos homens.

Entre 2002 e 2007, a diferença era de 0,5 ponto percentual – 5,8% de mulheres desempregadas e 5,3% de homens. A OIT não espera redução desses índices antes de 2017. No total, há cerca de 1,3 bilhão de mulheres no mercado de trabalho, aproximadamente 39% das 3,3 bilhões de pessoas trabalhando atualmente.

PROTESTO FEMININO NA AVENIDA

Pelo segundo ano consecutivo, a Marcha das Vadias levou seu grito para as ruas de Itabuna. Centenas de mulheres participaram da mobilização, que denuncia a violência e o machismo.

Na marcha de hoje, um dos temas lembrados foi a tentativa de homicídio cometida contra Ingrid Dantas. No dia 22 de setembro, o marido dela, Rogério Gomes, a atropelou propositalmente no centro de Itabuna (relembre). Indrid foi arrastada pelo veículo, teve os cabelos arrancados e ficou entre a vida e a morte. Sobreviveu, mas até hoje não anda por causa da violência.

De janeiro a setembro deste ano, cerca de 1.400 mulheres foram agredidas por seus maridos, ex-maridos ou companheiros na cidade.

Abaixo, algumas imagens captadas pelo jornalista Luiz Carlos Júnior durante a marcha:

LEONELLI DIZ QUE NÃO AGREDIU, SÓ FOI “RÍSPIDO”

Indicação para Leonelli: toma “Paquetá”

O secretário de Turismo da Bahia, Domingos Leonelli, divulgou nota na qual admite ter sido ríspido com a jornalista Bruna Santana, chefe do Departamento de Comunicação da Bahiatursa. Mas nega tê-la agredido.

O fato ocorreu durante o Congresso da Abav, no Rio de Janeiro. Segundo a nota de Leonelli, o que houve foi “uma discussão, ríspida, entre nós dois, por conta da necessidade do trabalho cotidiano de uma feira de grande porte, como é o caso do Congresso da Abav”.

O secretário diz ter pedido desculpas à funcionária, primeiro reservadamente, e  depois em público, durante reunião de avaliação do evento. Esse episódio atiçou a oposição, sendo que o deputado estadual Carlos Geilson (PTN) chegou a cobrar posicionamento da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Bahia (confira).

Constrangimento geral no governo.

MUDANÇA DO GARCIA LEVA PROTESTO AO CARNAVAL

Marcelino entra com o Bloco do Galo, dentro da Mudança do Garcia

Quem desfila nesta segunda-feira, 20, no Carnaval de Salvador, é o irreverente bloco Mudança do Garcia, que sai às 10 horas do restaurante Aconchego da Juju, no final de linha do bairro, em direção à Praça da Sé. Além da alegria, os foliões levam para a festa seu protesto em defesa de questões como a reforma agrária e os direitos das mulheres.

Entre os participantes do bloco, estarão o deputado federal Valmir Assunção, e o estadual Marcelino Galo, ambos do PT, e a secretária estadual de Políticas para as Mulheres, Lúcia Barbosa.

Segundo Marcelino, a Mudança do Garcia “se apresenta como a maior expressão de democracia no Carnaval de Salvador”. As camisas do bloco são gratuitas e distribuídas no momento da concentração.

DINAMITE, PRA QUÊ?

Em Londres, mulher ataca caixa eletrônico a sapatadas

Da BBC:

A polícia de Chippenham, a cerca de 2 horas de Londres, divulgou imagens de uma mulher atacando um caixa eletrônico com um sapato de salto alto (veja reportagem em vídeo).

As câmeras de segurança do banco mostram o equipamento sendo atacado mais de 50 vezes. A tela e o teclado foram danificados.

O investigador do caso, Richard Gardner, disse que não há razão aparente para o ataque. O cartão bancário da mulher não foi encontrado dentro do caixa eletrônico.

MULHERES DO MST AFIRMAM COMBATER “FEMINIZAÇÃO DA POBREZA”

As cerca de 1.500 mulheres do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra, que ocuparam nesta terça-feira, 28, terras da Fazenda Cedro, da Vereacel Celulose, em Eunápolis, explicam que a ocupação “faz parte da programação do Dia da Mulher”, oficialmente celebrado a 8 de março.

Segundo militantes do movimento, há dez anos as mulheres comemoram o 8 de março realizando marchas a Salvador, o que não será possível este ano em função da concorrência com os trios elétricos.

As sem-terra são procedentes de 26 assentamentos e 20 acampamentos do MST, onde vivem 9,5 mil famílias. Usando  facões e foices, elas derrubaram pés de eucalipto e iniciaram o plantio de feijão e milho.

Uma militante conhecida como “Liu” explicou que a ocupação neste mês é para colocar na ordem do dia a pauta contra a “feminização da pobreza”.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia