WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia




alba



bahiagas





novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

editorias






:: ‘Nilmecy Gonçalves’

ITABUNA: AULAS NAS ESCOLAS MUNICIPAIS COMEÇAM NA PRÓXIMA QUINTA

Imeam atraiu mais alunos e está em reforma || Foto Wilson Oliveira/Arquivo

As aulas nas escolas da rede municipal de Itabuna começam na próxima quinta-feira (16) com pouco mais de 16,6 mil alunos matriculados para o ano letivo de 2019. As atividades preparatórias começaram desde a semana passada, com a realização da pré-jornada e da jornada pedagógica da rede. O início tardio do ano letivo se deve a greves dos educadores no período 2017-2018.

Apesar da grande queda no número de alunos na rede municipal, a Secretaria de Educação de Itabuna aponta que houve aumento no alunado do Instituto Municipal de Educação Aziz Maron (Imeam), que saiu de 700 alunos em 2018 para 1.100 em 2019. O colégio terá 37 turmas neste ano.

O acréscimo se deve, principalmente, ao fim do convênio do município com o Ciso. O convênio foi rompido, unilateralmente, pelo prefeito Fernando Gomes com o colégio por questões político-partidárias. Os alunos tiveram que ser remanejados para o Imeam, que terá como um dos atrativos a adoção do modelo militar.

De acordo com a secretária de Educação, Nilmecy Gonçalves, o número de alunos até agora, na rede, é 16.623, porém as matrículas para o ano letivo estão abertas até 31 de maio. A expectativa, segundo ela, é que a rede alcance 18 mil alunos matriculados. A rede conta com 1.223 professores e 800 funcionários de apoio, conforme dados da Secretaria de Educação de Itabuna.

DECISÃO DE FERNANDO SUSPENDE PROJETO ESPORTIVO QUE ATENDEU 5 MIL PESSOAS

Conjunto profissional do Tênis de mesa foi retirado do Ciso, ontem

O projeto que já atendeu cerca de 5 mil pessoas com aulas de tênis de mesa no Colégio Ciso, em Itabuna, sofreu um duro golpe, ontem (29). Por decisão da Secretaria de Educação de Itabuna, as seis mesas profissionais utilizadas no projeto foram retiradas do colégio. O projeto social contemplava alunos do Ciso e de colégios da rede pública, além de pais ou responsáveis pelos alunos. Somente neste ano, o projeto deveria beneficiaria 600 pessoas, segundo estimativa do coordenador e técnico da Seleção de Tênis de mesa de Itabuna, Marcos Júnior.

De acordo com Júnior, houve uma tentativa de negociação com o município para cessão das mesas, porém a surpresa veio na manhã de segunda (29), quando o conjunto esportivo foi levado do colégio. O tênis de mesa de Itabuna, afirma, conta com mais de 200 títulos estaduais e nacionais no período do projeto, inaugurado há cerca de 10 anos.

O tênis de mesa não fazia parte dos Jogos do Ciso e dos Jogos Estudantis de Itabuna. A modalidade foi incluída nestas competições a partir do projeto, na década passada. A retirada do conjunto de mesa ocorre agora devido ao fim do convênio da Secretaria de Educação de Itabuna com o colégio, um dos mais tradicionais do município.

– Fico profundamente triste por ver tamanha falta de bom senso de uma gestão que não tem amor pelas pessoas. Dizem lutar pela educação, mas fecham escolas. Dizem lutar pela saúde, mas fecham postos médicos e, por fim, acabam com o esporte da cidade – lamenta o treinador e coordenador do projeto.

A Secretaria de Educação de Itabuna informou ao próprio Marcos Júnior que as mesas serão redistribuídas em três escolas da rede municipal. Para ele, dificilmente o projeto terá o retorno obtido até aqui, por falta de profissionais especialistas na modalidade.

OUTRO LADO

Nilmecy afirma que mesas foram retiradas por não haver documento ou acordo com o Ciso ou a Associação


A secretária de Educação de Itabuna, Nilmecy Gonçalves, disse que “não há absolutamente nada, nenhum documento, acordo ou projeto que regulamente a utilização desse patrimônio [as mesas profissionais] nem pelo Ciso nem pela Associação de Tênis de Mesa de Itabuna”.

A secretária não informou, porém se há disposição em firmar convênio na área de esporte com o colégio ou a associação. O rompimento do convênio ocorreu de forma unilateral, pelo município, quando o vereador Júnior Brandão, um dos coordenadores do Ciso, votou contra o projeto que muda o regime jurídico dos servidores municipais.

Ainda segundo a secretária, o município desenvolverá ações voltadas ao tênis de mesa no ano letivo de 2019, que deverá começar em maio. O município informou a existência de Assessoria de Esporte e Lazer para comandar o projeto. O município não dispõe de especialista ou técnico em tênis de mesa, de acordo com Marcos Júnior, daí a preocupação com a atitude da Secretaria.

LOJA PÕE LIXO NA ARTE. E A ARTE, NO LIXO!

Painel de Genaro sofre ataque da Ricardo Eletro (Foto Pimenta).

Painel de Genaro sofre ataque da Ricardo Eletro (Foto Pimenta).

O painel A civilização do cacau (Saga do cacau), de Genaro de Carvalho, no encontro da Praça Adami com a Avenida do Cinquentenário, em Itabuna, é um dos mais ricos retratos da cultura cacaueira sul-baiana. A obra foi fixada ali, no Edifício Comendador Firmino Alves, em 1953, encomendada pelo Banco Econômico. Sofreu a ação do homem até ser, finalmente, restaurada em 2011 pelo artista Richard Wagner, contratado pela Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc), então presidida pelo escritor grapiúna Cyro de Mattos.

Para resistir à ação predatória em uma das regiões mais movimentadas do centro da cidade, um gradeado protege o painel em azulejo. Nem sempre o bicho homem respeita este limite. Nem sempre o gradeado significa proteção. Camelôs utilizam o espaço para guardar produtos ou até mesmo cadeiras. Não há repressão por parte do município.

A permissividade abriu espaço para que não só os informais cuidassem de, novamente, ameaçar o patrimônio artístico e histórico. De domingo para segunda, homens contratados pela Ricardo Eletro tiveram a “brilhante” ideia de usar o espaço para descartar o resto de letreiro da finada Insinuante.

Questionada pelo PIMENTA, a gerência da loja explicou que a decisão de usar aquele espaço como descarte de lixo teria sido tomada, desavisadamente, por operários contratados para mudar a cara do estabelecimento, trocando o letreiro da finada rede de móveis e eletros. “A gente vai tirar [o lixo] amanhã”, disse a tranquila gerente.

O blog procurou a presidente da Ficc, Nilmecy Gonçalves, mas a sua assessoria informou que ela estava fora da cidade.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia