WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia




alba



bahiagas





novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

editorias






:: ‘Nilton Cruz’

NO TABULEIRO DA SUCESSÃO EM ILHÉUS, ESQUENTAM AS ARTICULAÇÕES DE BASTIDORES

Jerberson Josué

 

 

 

 

Em 2020, os 130 mil eleitores ilheense terão a certeza da disputa mais aberta da nossa história. Muitas são as possibilidades… inclusive para não mudar nada. Ou aparecer um nome arrasador como o doutor em 2016.

 

No tabuleiro da sucessão municipal de Ilhéus, esquentam as articulações de bastidores.

Há um grande número de pré-candidatos já sinalizados por seus respectivos partidos e outros, nem tem filiações, ou definições partidárias. E existem aqueles que nem grupos, ou liderança possuem e são pretendentes de seus próprios interesses e devaneios.

Ainda assim todos possuem direito de concorrer e merecem respeito. Afinal, depois de Bolsonaro, qualquer cidadão, ou cidadã pode surpreender e se eleger, contrariando todos prognósticos e avaliações de pesquisas de opinião pública.

Basta saber fazer as coisas acontecer e aproveitar as oportunidades.

Voltando a Ilhéus e aos ilheenses, segundo sondagens recentes, mais de 70% dos eleitores, não tem ou não querem saber, nem pensam em candidatos.

Isso deixa o jogo aberto e com muitas possibilidades em aberto.

Os mais experientes não ousam arriscar prognósticos sobre o resultado do pleito. Alguns apontam que no frigir dos ovos, só o prefeito e um seu opositor, polarizarão a disputa. Mas não há no panorama atual, a definição de quem seria esse desafio.

O prefeito segue atuando e se empenhando para reduzir a rejeição a que está submetida sua gestão e talvez esteja aí, seu maior obstáculo eleitoral.

As oposições seguem sem emplacar uma alternativa convergente.

Cada movimento de bastidores e avançar dos dias, resultam em possibilidades que vislumbram esperanças, ou desmotivam candidaturas proporcionais e majoritárias.

Um ator importante nesse tabuleiro, é o governador Rui Costa. Mas não está claro até onde e por quem ele pretende participar na eleição ilheense.

A aprovação de 80% e ausência de oposição em Ilhéus, deixam o governador em situação confortável.

Outro ator importante no jogo local é o ex-prefeito Jabes Ribeiro. Silencioso e calculista, raros foram os momentos em que o professor foi traído pela sorte nos últimos 40 anos de política em Ilhéus.

Até pra quem perder, o professor costuma escolher.

O calouro do pleito é o jovem Júnior Reis, que segue tentando ser a terceira via. Já ouço seu nome nas classes predominantes. A dúvida é se isto será uma tendência ou apenas um “balão de ensaio”! Essa trinca dá o norte até essa hora.

A noiva predileta para esses três grupos acima citados é o PT, que segue com o empresário Nilton Cruz, lutando e se esforçando para viabilizar sua candidatura. Os adversários do PT, querem ele ao lado para herdar a força da máquina estadual e influência do governador mais bem avaliado do Brasil.

Ao PT, resta saber qual caminho melhor lhe convém. Seguir no projeto Nilton Cruz e fazer uma boa bancada para Câmara Municipal, ou aliar-se ao que melhor lhe convier.

Na avaliação de especialistas, o apoio do PT é promissor e preponderante para quem quiser se eleger, ou reeleger!
Eu, como militante e pré-candidato a vereador, torço pelo projeto Nilton Cruz.

O jogo só está no início, no primeiro chute. Todavia, dezenas de pré-candidatos estão rodando, andando, conversando e articulando.

Em 2020, os 130 mil eleitores ilheense terão a certeza da disputa mais aberta da nossa história. Muitas são as possibilidades… inclusive para não mudar nada. Ou aparecer um nome arrasador como o doutor em 2016. Porém, entretanto, todavia, vida que segue…

Eu sou Jerberson Josué, um aprendiz na escola da vida.

NILTON CRUZ É REELEITO PRESIDENTE DA ACILHÉUS

Jorge Brito, José Leite, Nilton Cruz e Libério Menezes integram diretoria (Foto Ed Ferreira).

Jorge Brito, José Leite, Nilton Cruz e Libério Menezes compõem nova diretoria (Foto Ed Ferreira).

O empresário Nilton Cruz, da Amazon Bahia e do Complexo Itaísa, foi reeleito para um novo mandato à frente da Associação Comercial de Ilhéus (ACIlhéus). Nome de consenso, Nilton será mantido no comando da entidade até 2015.

Ele comemora o resgate da imagem da ACIlhéus e ressalta o papel dos dirigentes da associação. “Acredito muito nessa equipe que estará engajada em intermediar as questões que dizem respeito a Ilhéus e ao sul da Bahia”, disse.

POR CARMELITA, CORRENTES DO PT ILHEENSE PROMETEM MARCHAR UNIDAS

Carmelita, ao centro, ganha apoios internos.

Depois de desacertar o passo na dança da sucessão municipal, o Partido dos Trabalhadores (PT) parece que decidiu marchar unido. Integrantes da tendência Articulação CNB, que nos últimos meses vinha demonstrando intenção de apresentar nome para a disputa, anunciaram que apoiarão a Professora Carmelita à sucessão do prefeito Newton Lima.

O anúncio de unidade se dá às vésperas do Encontro Municipal de Tática Eleitoral, domingo, 29, na Câmara de Vereadores de Ilhéus. O evento preparatório visa a escolha definitiva do nome petista para a disputa majoritária da eleição deste ano. Também agitar a militância, já que  não haverá  mais bate-chapa  e disputas internas na sigla.

A unidade foi festejada pelo vereador Alisson Mendonça. “O projeto de governar Ilhéus e dar à cidade os caminhos de desenvolvimento que os ilheenses tanto nos cobram é o que nos mantêm unidos. O momento de diferenças já passou e a hora é de mostrarmos que, juntos, somos fortes e podemos”, completou.

PT (É CLARO) SE DIVIDE NA SUCESSÃO DE NEWTON LIMA

Pouco importa que o prefeito de Ilhéus, Newton Lima (PT), tenha proclamado que o seu candidato à sucessão será pinçado da “lista tríplice” formada pelo deputado federal Josias Gomes, o secretário de Governo Alisson Mendonça e a vereadora Carmelita Ângela (confira). O fato é que nada está certo e o ninho petista em Ilhéus se encontra no mais completo alvoroço.

Em disputa, as correntes ligadas a Josias Gomes, de um lado, e ao também deputado Geraldo Simões, do outro. Até aí, nenhuma novidade. Porém, novo mesmo é que o grupo de Geraldo vislumbra artimanhas do arco da velha na proclamação de Inema.

A interpretação do grupo geraldista é de que a lista tríplice é cortina de fumaça e faz parte de uma estratégia pela qual o nome petista para a sucessão será o da vereadora Carmelita. Mas não para a cabeça de chapa e sim para (aí vem bomba!) ser a vice de Jabes Ribeiro (PP).

“Mas como?”, perguntarão petistas espantados, principalmente porque Ribeiro tem dito cobras e lagartos da companheirada e afirmado que os vê quase como leprosos com os quais não arriscaria sequer um cumprimento, quanto mais uma chapa. Além de tudo, o artífice da manobra, Josias Gomes, enfrentaria resistências em seu próprio grupo para emplacar o apoio.

Como em política até o impossível é relativo, os petistas ortodoxos (se é que ainda existem) que se cuidem. Geraldo Simões, que é pós-graduado nessas tretas, já tomou as providências dele. Diz que seu grupo mantém o nome de Alisson Mendonça e ainda apresenta novamente o empresário Nilton Cruz, que caminhava para fora do páreo.

A briga vai ser feia!

DE MÃOS DADAS

Marco Wense

O ex-prefeito Fernando Gomes, o comprador João Botti e o deputado federal Geraldo Simões. Sem dúvida, os principais protagonistas da transação comercial envolvendo a Rádio Difusora.

Nilton Cruz, presidente da ACI de Ilhéus, e Tiago Feitosa, filho do parlamentar, ficam como coadjuvantes. Raimundo Vieira foi o articulador, o articulador-mor da inusitada aproximação dos ex-prefeitos, que agora são aliados na sucessão de 2012.

PS – A coordenação política da nova Rádio Difusora vai ficar sob a batuta dos jornalistas Eduardo Anunciação e Daniel Thame, profissionais de inteira confiança do deputado Geraldo Simões.

COMENTE JÁ! »

BOATOS

Com a proximidade do dia da eleição, os boatos, que são inerentes ao processo eleitoral, vão crescer em projeção geométrica.

O último é que Tom Ribeiro, do programa Alerta Total, na telinha da TV Cabrália, teria sido convidado para ser o vice na chapa encabeçada pela petista Juçara Feitosa.

Tom é filiado ao PRB, o mesmo partido do prefeiturável Claudevane Leite, o vereador Vane do Renascer. Na política, existe o boato e o “boato”.  Com e sem aspas.

COMENTE JÁ! »

AZEVEDO, CASTRO E SANTANA

Na medida em que o deputado Geraldo Simões se aproxima de Fernando Gomes, o prefeito José Nilton Azevedo fica cada vez mais refém dos deputados estaduais Augusto Castro (PSDB) e do coronel Santana (PTN).

Uma coligação com o PMDB do médico Renato Costa passa a ser imprescindível para o projeto de reeleição do demista. O PSDB continua firme com a pré-candidatura de Ronald Kalid.

Santana e Castro vão pedir o céu ao chefe do Executivo. O céu tem que ser de brigadeiro. Nada de nuvens cinzentas.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

ILHÉUS: ROSEMBERG APOIA ALISSON E COBRA DEFINIÇÃO NO PT

Os petistas Nilton Cruz, Newton Lima, Alisson e Rosemberg.

Após anunciar apoio à pré-candidatura de Alisson Mendonça, o deputado estadual Rosemberg Pinto (PT) defendeu que o partido defina “imediatamente” o nome com o qual disputará o “trono” do Palácio Paranaguá, facilitando o trabalho da militância e a definição e defesa de propostas para o município.

Alisson é pré-candidato a prefeito de Ilhéus, mas enfrenta no partido a concorrência do secretário de Serviços Públicos, Gerson Marques, e do deputado federal Josias Gomes.

Rosemberg foi a Ilhéus para participar de uma reunião com Alisson, Nilton Cruz, o prefeito Newton Lima e dois dos secretários de governo indicados pelo PT. O empresário Nilton Cruz desistiu da disputa para apoiar o secretário de governo.

Alisson disse ter ouvido do governador Jaques Wagner, na última terça, em Salvador, que a candidatura petista ao Palácio Paranaguá “é legítima e deve ser incentivada”.

INDÚSTRIAS INVESTIRÃO R$ 120 MILHÕES EM ILHÉUS, DIZ PRESIDENTE DA ACI

Cruz: investimentos em Ilhéus.

Ilhéus receberá investimentos de R$ 120 milhões com a ampliação do parque industrial da Cargill e a construção de um parque da General Electric (GE) voltado à fabricação de equipamentos para produzir energia eólica. O anúncio foi feito pelo presidente da Associação Comercial e Empresarial de Ilhéus, Nilton Cruz, numa entrevista ao programa O Tabuleiro, da Conquista FM.

Nilton, ex-diretor da Sudic, afirma que a informação foi repassada a ele em telefonema do secretário de Indústria, Comércio e Mineração da Bahia, James Correia, e o deputado estadual Rosemberg Pinto (PT). Nesta terça (1º), foi assinado financiamento que assegura à Cargill os R$ 70 milhões para expansão da indústria no sul da Bahia. “Esse investimento vai gerar mais 100 empregos”, observou.

A GE construirá no município a fábrica de equipamentos de energia eólica. “Empresários chegarão [a Ilhéus] provavelmente após o carnaval. Já estamos buscando o terreno para instalação da indústria”, diz.

QUEM SERÁ O PRÓXIMO?

Da coluna Tempo Presente, d´A Tarde

Olhando bem a Superintendência de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Sudic), órgão da Secretaria da Indústria e Comércio do governo bateu o recorde em matéria de rotatividade na era Wagner.

O primeiro superintendente foi Dilson Jatahy Fonseca Júnior, depois Ademar Barroso Alves, esta semana Nilton Cruz foi demitido e agora é Ricardo Luiz Taboza (interino).

Na média, um por ano. Parece ter sido contaminada pela poderosa bactéria que ataca os auxiliares do prefeito João Henrique.

NILTON CRUZ DEIXA A SUDIC

Conforme o Pimenta antecipou no início de setembro, o empresário Nilton Cruz deixou o comando da Sudic (Superintendência de Desenvolvimento da Indústria e do Comércio da Bahia). O pedido de exoneração foi entregue nesta quarta-feira, dia 20.

Segundo informações de fonte do governo, há pelo menos seis meses o empresário entrou em rota de colisão com o secretário da Indústria, Comércio e Mineração da Bahia, James Correa. A exoneração já estava resolvida há mais de um mês, mas ficou adiada para o período pós-eleitoral (primeiro turno).

Nilton Cruz foi indicado para a Sudic pelo deputado federal Geraldo Simões.

NILTON CRUZ “SUBIU NO TELHADO”

Não são boas as relações entre o secretário estadual de Indústria, Comércio e Mineração, James Correa, e o diretor da Sudic, órgão vinculado à SICM, Nilton Cruz. Uma das queixas de Correa é a de que o subordinado gosta de atuar com excessiva independência.

Segundo informações de fonte do governo, o clima entre os dois é tenso há pelo menos seis meses e a exoneração do homem da Sudic já estaria programada para outubro, logo após as eleições.

Ocorre que ontem, Correa – que já é conhecido no governo Wagner como um exímio “chutador de canelas” – quis antecipar a exoneração de Nilton Cruz. Acabou sendo aconselhado a ter calma e aguardar mais alguns dias, a fim de evitar transtornos à campanha.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia