WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba








outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

editorias






:: ‘O homem que não dormia’

O IMPOSTO DEVOROU O PRÊMIO

Ramon Vane (na foto ao lado de Rodrigo Santoro) ficou abismado com os impostos

 

No ano passado, Ramon Vane teve seu talento reconhecido no Festival de Cinema de Brasília, como melhor ator coadjuvante pela interpretação do personagem Prafrente Brasil no filme “O homem que não dormia”, de Edgard Navarro. Apesar da alegria com o prêmio, até hoje Vane se surpreende com a voracidade do Estado que, tal qual o homem do filme, também não dorme em serviço.

Para receber o valor do prêmio, de R$ 3 mil, o ator pagou R$ 150 à Prefeitura de sua cidade natal, Buerarema (emissão da Nota Fiscal Avulsa) e teve ainda mais 30% abatidos para bancar um imposto do Distrito Federal. Considerando o dispêndio de outros R$ 150,00 para obter documentos, restaram apenas R$ 1.800,00.

Abismado, Vane resume seu sentimento num desabafo: “que Brasil o nosso!”.

NAVARRO E RAMON VANE FALAM SOBRE “O HOMEM QUE NÃO DORMIA”

Vídeo do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro traz o diretor de O homem que não dormia, Edgar Navarro, e o ator sulbaiano Ramon Vane, que levou o Candango de Ouro como melhor ator coadjuvante com o personagem Prafrente Brasil. Confira:

 

Leia ainda:
RAMON VANE GANHA PRÊMIO NACIONAL POR “O HOMEM QUE NÃO DORMIA”

RAMON VANE GANHA PRÊMIO NACIONAL POR “O HOMEM QUE NÃO DORMIA”

Rodrigo Santoro levou prêmio de melhor ator e Ramon Vane (d), o de ator coadjuvante.

Ramon Vane interpreta Prafrente Brasil (Foto Calil Neto).

Advogado, poeta e ator, o bueraremense Ramon Vane faturou ontem à noite, em Brasília, o prêmio de melhor ator coadjuvante no 44º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. A premiação veio pela interpretação no longa-metragem O homem que não dormia. Vane interpreta o personagem Prafrente Brasil, no filme de Edgar Navarro.

A película foi rodada em Igatu, na Chapada Diamantina, e conta a história de cinco pessoas que, numa mesma noite, sofrem com o mesmo pesadelo. O filme fala de um homem sinistro e a procura por um tesouro (imaginário) como desencadeadores da história.

O festival teve ainda como vencedores Rodrigo Santoro (melhor ator, em Meu país), Denise Fraga (melhor atriz/Hoje) e Gilma Nomancce (atriz coadjuvante/Trabahar cansa). O melhor longa do festival em Brasília foi Hoje, de Tata Amaral. L, de Thais Fujinaga, levou o prêmio de melhor curta.

Edgar Navaro e os sulbaianos Rita Santana e Ramon Vane, o premiado!






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia