WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba

workshop










setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

editorias






:: ‘Orçamento’

CONTA DE LUZ NA BAHIA TERÁ PESO DE REAJUSTE E BANDEIRA AMARELA EM MAIO

Não bastasse o aumento de mais de 17% nas contas de energia elétrica em vigor desde o dia 22 de abril, o consumidor ganhou outro presente para o período. A cada 100 kwh consumidos, o cliente da Coelba terá acréscimo de R$ 1,00 em maio devido à mudança da bandeira tarifária, que saiu do verde para o amarelo.

– Com o fim do período úmido e a menor incidência de chuvas, os reservatórios das hidrelétricas do Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste estão com volumes mais baixos, o que resulta em gradual aumento do risco hidrológico (GSF) e do preço da energia elétrica de curto prazo (PLD), as duas variáveis que determinam a bandeira a ser acionada – informou a Aneel.

Para não ter mais dissabores no período, o cliente deverá adotar hábitos que não impactem ainda mais a conta. “Ladrões” tradicionais de energia são os chuveiros elétricos, os ferros de passar roupa, portas de geladeira abertas, aparelhos de ar-condicionado. Assim, deve-se evitar banhos prolongados com chuveiro elétrico acionado, passar maior número de roupas possível em um só período e não deixar porta de geladeira aberta desnecessariamente.

TRANSFERÊNCIAS REPRESENTAM MAIS DE TRÊS QUARTOS DA RECEITA DE 82% DOS MUNICÍPIOS

dinheiro3Da Agência Brasil

A maioria esmagadora dos municípios brasileiros tem elevada dependência dos estados e do governo federal para fechar as contas. Segundo estudo divulgado hoje (7) pelo Tesouro Nacional, as transferências federais e estaduais corresponderam a mais de três quartos do Orçamento em 82% das prefeituras em 2016.

Segundo o Boletim Balanço em Foco, que traz a análise dos principais dados do Balanço do Setor Público Nacional referente ao ano passado, apenas 1,81% dos municípios tiveram menos da metade do Orçamento atrelada a repasses dos governos estaduais e da União no ano passado.

O Tesouro também analisou a dependência dos estados em relação aos repasses federais. Em seis estados (Acre, Amapá, Maranhão, Paraíba, Piauí e Sergipe), os recursos da União corresponderam a uma faixa entre 50% e 75% das receitas locais. O estudo não divulgou os percentuais de dependência para cada estado.

Em sete estados (Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo), a razão de dependência ficou abaixo de 25%. No Distrito Federal e nos demais estados, o indicador ficou entre 25% e 50%. Roraima foi a única Unidade da Federação a não entrar no levantamento.

Déficit

De acordo com o balanço, o déficit nas três esferas de governo (União, estados e municípios) somou R$ 325 bilhões no ano passado, crescimento de 26,9% em relação ao resultado negativo de R$ 256 bilhões registrados em 2015. As receitas – que incluem tanto os tributos como a emissão de títulos públicos e os financiamentos bancários – aumentaram de R$ 3,899 trilhões em 2015 para R$ 4,566 trilhões em 2016. As despesas, no entanto, saltaram de R$ 4,156 trilhões para R$ 4,891 trilhões na mesma comparação. :: LEIA MAIS »

APREENSÃO NA JUSTIÇA DO TRABALHO

Presidente do TST disse que a Justiça do Trabalho pode "fechar as portas"

Presidente do TST disse que a Justiça do Trabalho pode “fechar as portas”

A juíza Eloína Machado, da 2ª Vara do Trabalho de Itabuna, convocou advogados, serventuários e representantes de entidades de classe para uma reunião que irá discutir a crise da justiça trabalhista. Há um clima de apreensão geral, em virtude de cortes orçamentários que comprometem o funcionamento desta área do judiciário.

Na semana passada, o presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Ives Gandra, radicalizou o discurso, ao declarar que a Justiça do Trabalho “poderá fechar as portas a partir de agosto”, caso não haja realocação de verbas.

Temerosos com a profecia trágica, juízes querem mobilizar a sociedade. Em Itabuna, o assunto será discutido hoje, às 12 horas, na sede do órgão.

DEFENSORIA PÚBLICA OUVE USUÁRIOS NA ELABORAÇÃO DE ORÇAMENTO

Subcoordenador regional da Defensoria acredita que consulta popular ajudará a aprimorar serviços

Subcoordenador regional da Defensoria acredita que consulta popular ajudará a aprimorar serviços

Em uma iniciativa inédita, a Defensoria Pública do Estado da Bahia está ouvindo sugestões de usuários de seus serviços no processo de elaboração do orçamento do órgão para 2017. As propostas do público-alvo são colhidas em um ciclo de conferências que percorre várias cidades da Bahia.

Em Itabuna, o debate em torno do orçamento da Defensoria Estadual acontece na próxima terça-feira, dia 12, a partir das 8 horas, no auditório da FTC, com acesso livre ao público, inclusive representantes de associações, grupos e entidades da sociedade civil.  Na conferência, os participantes receberão formulários  com tópicos relacionados à área de atuação da Defensoria e poderão apontar aquelas que, em sua opinião, devem merecer destaque.

Segundo a Defensoria, as informações serão processadas e posteriormente analisadas. O passo seguinte será definir como as sugestões dos usuários poderão ser transformadas em ações institucionais.

Na opinião do advogado George Araújo, subcoordenador regional da Defensoria Pública, a consulta à população pode contribuir significativamente para aprimorar e ampliar os serviços oferecidos pela instituição.

PARA TRIBUTARISTA, GOVERNO NÃO VIOLOU LEI ORÇAMENTÁRIA

Professor de Direito Tributário defendeu Dilma na Comissão do Impeachment (foto Marcelo Camargo / Agência Brasil)

Professor de Direito Tributário defendeu Dilma na Comissão do Impeachment (foto Marcelo Camargo / Agência Brasil)

Ao prestar depoimento hoje (31) na Comissão do Impeachment, o professor adjunto da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (RJ), Ricardo Lodi Ribeiro, especialista em direito tributário e financeiro, segundo nome indicado para fazer a defesa da presidenta Dilma Rousseff, afirmou que há “incongruências” no pedido apresentado pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Jr. e Janaína Paschoal.

Dividindo os assuntos por tópicos de acusação, Lodi Ribeiro disse que, enquanto os juristas afirmam que as pedaladas fiscais foram constituídas por operações de crédito, o que houve foi um “direito de crédito”. Para explicar a tese, o professor citou o exemplo de um contrato de reforma residencial em que o arquiteto entrega a obra no prazo, mas o contratante não paga no dia acertado.

“Se não pagou o projeto entregue no prazo, o arquiteto tem direito de crédito, mas isto não constitui uma operação de crédito”, afirmou, fazendo uma analogia com os contratos da União com agentes financeiros públicos. Lodi alertou que a Lei do Impeachment não tipifica como crime de responsabilidade a violação da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). “O que se pune é o atentado à Lei do Orçamento, que prevê receitas e despesas. A LRF estabele normas gerais sobre gestão do orçamento. Além de não termos uma operação de crédito e uma violação à LRF, não houve violação à Lei do Orçamento”, ressaltou.

O especialista em direito afirmou que, das acusações elencadas no pedido, em relação ao ano de 2015, “só restou um caso apontado na denúncia, que é o do Plano Safra que não tem qualquer participação da presidente da República. É inteiramente regulado pelo Conselho Monetário Nacional. A presidente não tem competência para contrair operação de crédito nestes casos”, disse. Da Agência Brasil

BAHIA ULTRAPASSA LIMITE DE GASTOS COM PESSOAL

Governador anunciará redução de cargos comissionados e terceirizados

Governador anunciará redução de cargos comissionados e terceirizados

A Tarde

O Relatório de Gestão Fiscal do terceiro quadrimestre (setembro/dezembro) que fecha o ano de 2015 do governo do estado, publicado nesta terça-feira, 23, no Diário Oficial, confirma que as despesas com pessoal ultrapassaram o chamado Limite Prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), refletindo as dificuldades provocadas pela crise econômica que o País atravessa.

Conforme o documento, os gastos totais com os servidores ano passado, foram de R$ 15,630 bilhões, equivalentes a 57,45% da Receita Corrente Líquida (soma das receitas tributárias, de contribuições, deduzidos os valores transferidos para municípios e parcelas da dívida da União).
O secretário da Fazenda da Bahia Manoel Vitório deve apresentar o relatório na Assembleia Legislativa no dia 8 de março.

O Limite Prudencial de despesas com pessoal, previsto na LRF para os estados é de 57% e o Limite Máximo 60%. Contudo, o Limite Prudencial varia em cada esfera de poder. A maior parcela é do Executivo, que é de 46,17%, mas os gastos em 2015 chegaram a 47,61%, bem próximo ao Limite Máximo que é de 48%. Quando esse Limite Prudencial é ultrapassado o estado precisa cortar gastos com pessoal para baixar as despesas e arrecadar mais.

Isso significa que os aumentos salariais e novas contratações ficam restritas. Demissões também podem ocorrer.

Leia mais.

ITABUNA TERÁ ORÇAMENTO DE R$ 527,5 MILHÕES EM 2016

Itabuna terá orçamento de mais de R$ 500 milhões em 2016 (Foto Tarso Soares).

Itabuna terá orçamento de mais de R$ 500 milhões em 2016 (Foto Tarso Soares).

Itabuna terá orçamento de R$ 527.531.520,00 para o próximo ano, de acordo com a proposta enviada pelo município à Câmara, nesta quarta (30). De acordo com a mensagem do Executivo, o anteprojeto prioriza investimentos nas áreas de saúde, educação, infraestrutura e assistência social. Do valor total, 63,56% serão destinados para saúde e educação.

A dotação para Secretaria Municipal da Saúde será de R$ 230 milhões, dos quais R$ 38,2 milhões para a Fundação de Atenção à Saúde de Itabuna (FASI), que administra o Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães.

Outros R$ 205,7 milhões serão para garantir o atendimento na rede de atenção básica e média e alta complexidade, conforme a mensagem. A dotação para saúde será R$ 52 milhões maior.

Para a educação, o volume de recursos passará de R$ 92,4 milhões, neste ano, para R$ 105,5 milhões em 2016. Para a área de infraestrutura, a proposta orçamentária prevê R$ 63,6 milhões. O valor, informa o governo, assegura investimentos em esgotamento sanitário e pavimentação de ruas nos bairros, de acordo as propostas recolhidas por indicação da população durante o programa Orçamento Participativo.

CORTES NO ORÇAMENTO PREJUDICAM COMBATE AO TRÁFICO DE DROGAS

Wagne tem se esforçado por recursos, segundo general (Foto Pimenta).

Wagne tem se esforçado por recursos, segundo general (Foto Pimenta).

A execução de projetos estratégicos do Exército brasileiro está ameaçada por causa dos cortes orçamentários, alerta o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas. Segundo ele, o que mais preocupa é o Sistema Integrado de Monitoramento das Fronteiras (Sisfron).

Planejado para ser implantado ao longo de dez anos, os investimentos começaram há dois anos, mas dos R$ 10 bilhões previstos, apenas 7,2% foram aplicados até agora.

O Sisfron vai monitorar quase 17 mil quilômetros de fronteiras, 27% do território nacional e quando estiver em pleno funcionamento não ficará restrito às Forças Armadas.

“Temos 17 mil quilômetros de fronteiras com países produtores de cocaína e maconha. A Polícia Federal estima que 80% da criminalidade urbana está ligada direta ou indiretamente à droga. Estão descoordenados os órgãos federais que têm responsabilidade sobre isso”, disse Villas Bôas.

Além do Sisfron, outros projetos estão atrasados. O de defesa cibernética deveria ter ficado pronto no ano passado, mas agora tem previsão para 2017. “Para vocês terem uma ideia, na Copa do Mundo foram neutralizados 756 ataques cibernéticos contra os sistemas que estavam sendo utilizados diretamente. No Brasil, ocorre, mais ou menos, 1,6 milhão de ataques a sistema cibernético por ano; 51% são contra sites do governo”.

Os projetos que fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Defesa também foram afetados. O Sistema Proteger, com um déficit de R$ 200 milhões, é um deles, disse o general. Ele é uma espécie de Sisfron para todo o território nacional, de proteção de infraestruturas estratégicas.

Apesar das dificuldades, o comandante do Exército destacou que ministro da Defesa, Jaques Wagner, tem se esforçado para reduzir o impacto desses cortes sobre a pasta e que tem demonstrado muita sensibilidade às questões que envolvem a área.

:: LEIA MAIS »

AL-BA APROVA PROMOÇÃO DE DOCENTES DAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS

Projeto de Lei aprovado garante promoção de docentes nas UEBAs (Foto Robson Duarte).

Projeto de Lei aprovado garante promoção de docentes nas UEBAs (Foto Robson Duarte).

A Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) aprovou, nesta terça-feira (15), o Projeto de Lei 21.420/2015, que trata da promoção dos professores nas universidades estaduais. A promoção foi um dos itens negociados pelo governo com os professores para encerrar a greve nas quatro instituições estaduais (Uesc, Uesb, Uneb e Uefs) em agosto.

O Governo do Estado assegurou recursos orçamentários para implementação das promoções, progressões e alterações de regime sem comprometer o orçamento de custeio e investimento das universidades.

O orçamento das universidades para 2015, segundo o governo baiano, já está garantido na sua integralidade, sem contingenciamento. Este orçamento representa um aumento de 10,3% em relação ao ano passado, totalizando R$ 1.126.500.

Agora, o projeto de lei segue para a sanção do governador Rui Costa. O prazo para sancioná-lo é 15 dias.

promoção docentes uebas

RUY MACHADO REAPARECE NA CÂMARA

ruy-machadoDesde que foi derrotado na disputa pela presidência da Mesa Diretora da Câmara de Itabuna, o vereador Ruy Machado (PTB) não aparecia na sede do legislativo. O retorno ocorreu ontem, vinte e três dias após a eleição.

Ruy, que está de licença médica, correu para a Câmara quando soube da adesão da bancada do Pros ao grupo do presidente Aldenes Meira (PCdoB). Ele ficou irado quando soube do discurso do vereador Carlos Coelho, que fazia parte de seu grupo e agora está ao lado do comunista.

O vereador do PTB não foi ao plenário, onde acontecia a votação do orçamento. No gabinete, recebeu a visita do colega Ronaldo Geraldo (Ronaldão), do DEM, que lhe cobrou o pagamento de R$ 2 mil, fruto de uma aposta em torno do resultado da eleição da Mesa.

Ruy se esquivou da dívida, alegando que houve fraude na eleição. Ele afirmou que só paga a aposta se perder no STF, até onde pretende chegar na tentativa de reverter sua derrota.

ESTADO DESTINA RECURSO DO FUNPREV PARA COBRIR DESPESA COM EMENDAS PARLAMENTARES

Castro defendeu criação de comitê de acompanhamento

Augusto Castro criticou medida do governo

A Assembleia Legislativa da Bahia acaba de aprovar, em segundo turno, a Lei Orçamentária do Estado para 2014. Com um detalhe que agitou a oposição: as despesas com emendas parlamentares – cerca de R$ 75 milhões – serão custeadas com recursos do Fundo de Previdência do Servidor (Funprev).

Deputados da oposição, como Augusto Castro (PSDB) e Elmar Nascimento (DEM), criticaram a manobra. “Os deputados da oposição querem as emendas, mas são contra retirar recursos do Funprev”, afirmou o tucano. Os oposicionistas também lembraram que no início deste mês o governo tentou aprovar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 134, que previa a antecipação de R$ 2 bilhões em royalties do petróleo, sob o argumento de que os recursos seriam utilizados para cobrir o déficit previdenciário herdado de gestões anteriores.

“Hoje a máscara caiu”, alfinetou o tucano, ao observar que a destinação de recursos do Funprev para as emendas parlamentares fragilizou o argumento do déficit previdenciário. Questionado pelo PIMENTA se via a manobra como incoerência, Elmar Nascimento afirmou que houve, na verdade, uma “imoralidade”.

O projeto da Lei Orçamentária previa inicialmente um percentual de 0,6% da receita corrente líquida do Estado para as emendas parlamentares. Esse foi o índice aprovado em primeiro turno, mas depois o governo verificou que o número estava errado; na noite desta terça, a bancada governista conseguiu redefinir o índice para 0,33%. A oposição se absteve.

PREFEITO SANCIONA LEI ORÇAMENTÁRIA

O prefeito de Itabuna, Claudevane Leite, sancionou ontem (20), a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2014, que estima a receita e fixa a despesa para este ano em R$ 464.950.700,00. O dispositivo está publicado na edição nº 503 do Diário Oficial do Município, que pode ser consultado no site da Prefeitura.

Na LOA, está definido para o Orçamento Fiscal, referente aos poderes Legislativo e Executivo, seus fundos, órgãos e entidades da Administração direta e indireta, instituídas e mantidas pelo Poder Público Municipal, o montante de R$ 240.478.850,00. Para o Orçamento da Seguridade Social, cujas ações sejam relativas à saúde, à previdência e à assistência social, o valor estimado é de R$ 224.471.850,00.

Outros valores referentes ao orçamento, a exemplo da despesa fixada para os vários setores da administração municipal, podem ser verificados no link informado acima.

 

CORTE DE 70% NO ORÇAMENTO DA CEPLAC

Ceplac sofre com corte gigantesco no orçamento de 2013.

Ceplac sofre com corte gigantesco no orçamento de 2013.

Sem rodeios nem cerimônia, o Governo Federal meteu o facão no orçamento da Ceplac. O órgão da lavoura cacaueira terá que sobreviver até o final do ano com um corte de 70% no seu orçamento, conforme fonte do PIMENTA.

A determinação do Governo Dilma ocorre em um momento em que a Ceplac retoma à condição de protagonista com as discussões sobre conservação produtiva e desenvolvimento sustentável.

Ontem, quando o superintendência do órgão na Bahia disse que 2013 é “um ano particularmente difícil para a Ceplac do ponto de vista do orçamento” deixou claro o aperto, mas poucos imaginavam a dimensão.

PROJETO DO ORÇAMENTO VAI PARA A CÂMARA NA SEGUNDA

A Prefeitura de Itabuna apresenta nesta segunda-feira, 30, à Câmara de Vereadores, o projeto de lei orçamentária para 2014. A proposta estima uma recursos de R$ 430.841.200,00, consideradas as receitas ordinárias, repasses do Fundeb, SUS, fundos estadual e nacional de assistência social, royalties, convênios e alienação de bens.

Segundo o secretário de Planejamento e Tecnologia, Wenceslau Júnior, mais de 60% das receitas serão destinadas a cobrir despesas de custeio da Administração, Saúde, Educação e Assistência Social. Ele observou que, além desses gastos, há os repasses feitos ao legislativo, parcelas de financiamentos e pagamentos de débitos renegociados com FGTS e INSS.  “No final, sobra muito pouco para investimentos em grandes obras e projetos”, afirma.

Wenceslau Júnior diz que o município buscará recursos federais, por meio de convênios e financiamentos, para assegurar obras de infraestrutura. Segundo ele, vários projetos foram submetidos à apreciação de ministérios e alguns já estão aprovados, “a exemplo das creches-escola dos bairros São Pedro, Vila Anália, Novo Horizonte, Nova Ferradas, Loteamento Gleber Gally e Santa Inês”.

GOVERNO DETERMINA EXONERAÇÃO DE COMISSIONADOS

apertando-o-cinto

A ordem no Governo da Bahia passou a ser a de apertar o cinto. Nesta quinta-feira, 15, quando um novo secretário assume a pasta da Fazenda (Manoel Vitório, que deixou a Administração e substitui Luiz Alberto Petitinga), o Estado divulga novo contingenciamento nos gastos.

As medidas, publicadas na edição de hoje Diário Oficial do Estado, complementam outras que foram anunciadas há 15 dias, novamente poupando apenas as Secretarias da Educação e da Saúde. Faz paz parte do remédio amargo a determinação para que todas as pastas exonerem 10% dos ocupantes de cargos de confiança.

Outras determinações do decreto publicado nesta quinta-feira são: redução de 20% da frota de veículos e de 50% nas autorizações de viagem. Também está suspensa a contratação de empresas de consultoria e a locação de veículos e imóveis, além de ter sido estabelecida restrição a medidas que impliquem na elevação das despesas com pessoal.

O governo não divulgou quanto espera economizar com mais esse enxugamento. Nos cortes determinados há 15 dias, a economia estimada foi de R$ 250 milhões.

CÂMARA IMPÕE DERROTA AO GOVERNO

Legislativo rejeita proposta do governo Vane

A Câmara de Vereadores de Itabuna realizou esta tarde a segunda apreciação da proposta do governo municipal de remanejamento de R$ 8 milhões do orçamento municipal. A matéria foi rejeitada e o placar repetiu o da primeira votação: 20 votos contrários e apenas um favorável.

Mais que uma reprimenda à gestão financeira do município, a posição dos vereadores é vista como um sinal claro de que a relação entre legislativo e executivo não é boa.

Durante a primeira votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), também nesta terça, 16, vereadores criticaram o governo por vacilos na tramitação da matéria. Primeiro, o executivo enviou o projeto sem o Anexo de Metas e, numa segunda tentativa, a proposta da LDO foi apresentada com o complemento, mas recheado com diversos erros.

Vereadores, tanto da oposição quanto da situação, disseram que foi necessário deslocar a secretária parlamentar Margareth Brandão temporariamente para a Prefeitura, a fim de orientar os técnicos do governo e corrigir o projeto antes de reenviá-lo ao legislativo. Numa atitude de ironia com o executivo, a servidora recebeu homenagens na sessão plenária.

Um dos críticos mais ácidos, como de costume, era o vereador Ruy Machado (PTB). Segundo ele, o governo não enviou para a Câmara um projeto de LDO, mas sim uma “colcha de retalhos”.

BAHIA REDUZ E SP “VITAMINA” GASTOS COM PUBLICIDADE

Do Estadão

Pelo menos metade dos Estados pretende aumentar os gastos com publicidade em 2013. De acordo com levantamento feito com 23 dos 26 governos estaduais, além do Distrito Federal, 12 têm planos de incrementar a verba com propaganda institucional e de utilidade pública neste ano. Em média, o gasto dessas administrações com divulgação das gestões deve crescer 37,35%.

São Paulo, com R$ 226 milhões, Distrito Federal, com R$ 138 milhões, e Bahia, com R$ 117 milhões, são os Estados com a maior previsão de gastos com publicidade em 2013. A previsão de despesas do governo paulista é de R$ 5 por habitante, um dos menores orçamentos per capita do País.

No Distrito Federal, se executado o orçamento proposto pelo próprio governo, o gasto por habitante vai alcançar R$ 54, o maior do Brasil. No ano passado, o governo distrital de Agnelo Queiroz (PT) orçou, em valores atualizados, despesas ainda maiores com propaganda: R$ 155 milhões.

Na Bahia, de Jaques Wagner (PT), os gastos com publicidade governamental chegam a R$ 8 por habitante. O governo do Estado diminuiu a previsão de gastos neste ano. Em 2012, foram R$ 131 milhões, em valores atualizados.

Leia reportagem completa

VERBA PARA A SANTA CASA

A Santa Casa de Itabuna espera receber em breve a primeira parte de uma verba federal de R$ 2 milhões, para investir em setores como o de pediatria do Hospital Manoel Novaes. A inclusão dos recursos no Orçamento Geral da União resultou de esforço suprapartidário da bancada baiana na Câmara dos Deputados.

Essa rara conjunção de forças foi lembrada nesta segunda-feira, 28, durante o  evento comemotativo dos 96 anos da instituição. Além de deputados federais como Geraldo Simões (PT), que estava presente à solenidade, e Jânio Natal (PRP), a provedoria mencionou a ação do deputado estadual Augusto Castro (PSDB), que mobilizou a bancada federal tucana em favor da emenda ao orçamento.

LUGAR DE CRIANÇA É NO ORÇAMENTO

Começou hoje e prossegue até esta quarta-feira, 13, em Ilhéus, o II Ciclo Preparatório para os 21 anos do ECA, evento que tem como tema “Lugar de Criança é no Orçamento”. A atividade acontece  no auditório Jorge Amado, na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), e conta com a participação de membros do Ministério Público, Poder Judiciário, Defensoria Pública e dos Conselhos Tutelares e de Direitos da Criança e do Adolescente.

O Estatuto da Criança e do Adolescente completa 21 anos exatamente neste dia 13 de julho. Apesar de estar em vigor há bastante tempo, a efetiva implementação da lei ainda não se tornou uma realidade. O ciclo de debates se propõe a discutir essa situação e apontar a importância do orçamento público para fazer com que as garantias das crianças e adolescentes não fiquem apenas no papel.

CÂMARA APROVA O ORÇAMENTO

Legislativo e Executivo começam a se afinar, depois da posse do “independente” Ruy Machado (PRP) na presidência da Câmara de Vereadores de Itabuna.

A prova mais evidente foi dada na tarde desta quinta-feira, 06, quando o orçamento do município para 2011 foi aprovado pelo plenário, com direito a cereja no bolo do prefeito José Nilton Azevedo: a autorização de suplementação orçamentária de 30%. A lei aprovada nesta tarde prevê receitas da ordem de R$ 400.624.000,00.

Com a apreciação da matéria, os vereadores correram para casa e arrumaram as malas para o recesso. Agora, entram em merecido gozo de férias, já que ninguém é de ferro.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia