WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
jau


CONLAR_OFERTAS_EM-CHAMAS_BLOGS_PIMENTA

jamile_yamaha

sintesi17

novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

editorias


:: ‘Otto’

DE VENTO EM POPA

marco wense1Marco Wense

FG é uma angustiante dúvida, não em relação à sua saída do DEM, já dada como favas contadas, mas com quem fica em uma eventual disputa entre Rui Costa e Otto Alencar pelo governo da Bahia.

O barco do senador Otto Alencar, autoridade-mor do PSD da Bahia, desliza com mais velocidade em decorrência de bons ventos que começam a soprar na parte posterior.

O parlamentar, que nasceu em Ruy Barbosa, cidade da Chapa Diamantina, médico ortopedista, deixa de lado as fraturas e fissuras ósseas para tratar exclusivamente de traumatismos políticos.

Otto vive o seu melhor momento na vida pública. Pilota seu avião em céu de brigadeiro, sem nuvens cinzentas que possam atrapalhar seu legítimo e democrático sonho: ser novamente governador da Bahia.

Até os que procuram prejudicar, agindo nos bastidores, na calada da noite, de maneira sorrateira, terminam ajudando, como Cícero Monteiro e Josias Gomes, homens de confiança do governador Rui Costa (PT).

Monteiro e Gomes, respectivamente o atual e o ex-secretário de Relações Institucionais, trabalharam para manter Marcelo Nilo (PSL) na presidência da Assembleia Legislativa do Estado.

O prefeito soteropolitano ACM Neto, o fiel da balança, o comandante da oposição, caminhava no sentido de liberar os deputados para que cada um votasse de acordo com sua vontade.

Para o demista Neto, era o mesmo que trocar seis por meia dúzia. Ou seja, tanto faz Marcelo Nilo, do PSL, como Ângelo Coronel, do PSD. Ambos integrantes da base aliada do governismo.

Quando o democrata percebeu que a articulação política do Palácio de Ondina estava pedindo votos para Marcelo Nilo, queimando o Coronel, tomou a decisão de apoiar o candidato do senador Otto Alencar.

Cícero Monteiro e Josias Gomes só fizeram o que não deveriam fazer. Sem dúvida, os responsáveis pelo apoio decisivo da oposição à candidatura do Coronel, o que levou Nilo a desistir de conquistar o sexto mandato.

Fica agora a obrigação de arrumar uma vaga para Marcelo Nilo na chapa majoritária da reeleição do governador Rui Costa, como candidato a vice ou a senador. Vale lembrar que já defenestraram Nilo na sucessão de 2014.

Ora, ora, até as freiras do Convento das Carmelitas sabem que existe uma preocupação com a ascensão do senador Alencar, que vai ocupando os espaços políticos de maneira inteligente e sem fazer oba-oba.

:: LEIA MAIS »

RUI, OTTO E A SUCESSÃO ESTADUAL

marco wense1Marco Wense

 

Se o alcaide soteropolitano não disputar a sucessão de Rui Costa, a candidatura do senador passa a ser uma exigência da cúpula nacional do PSD. ACM Neto apoiaria Otto em uma coligação envolvendo o DEM, PSDB, PMDB, PPS e alguns partidos de menor expressão.

 

 

O governador Rui Costa vem fazendo de tudo para tirar da cabeça do senador Otto Alencar qualquer pensamento em relação à sucessão de 2018.

Rui sabe que Otto mantém acesa a possibilidade de disputar o governo do Estado, principalmente depois do bom desempenho do PSD nas eleições municipais, conquistando 82 prefeituras. O PT foi quem mais perdeu, saiu de 93 para 39, uma redução de quase 60%.

“A gente vai decidir isso lá em março de 2018”, diz o presidente do PSD da Bahia quando questionado sobre sua possível candidatura. Finaliza dizendo que “a pretensão é continuar na aliança com o governador Rui Costa e com os aliados”.

O PSD passa a ser prioridade na mudança que o chefe do Executivo pretende fazer no alto escalão. O afilhado político de Otto, José Muniz Rebouças, deve assumir a secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur). O comando da Conder pode também ir para o Partido Social Democrático.

A nomeação para cargos sempre foi o melhor caminho para evitar a rebeldia dos parceiros do poder. A sabedoria popular costuma dizer que nada melhor do que uma “boquinha” para colocar cada um no seu devido lugar.

Vale ressaltar que a conjuntura política e a situação econômica, em ano eminentemente politico-eleitoral, podem fortalecer ou enfraquecer algumas candidaturas. Outro aspecto, considerado como explosivo, é o desenrolar da Operação Lava Jato. Os petistas, por exemplo, torcem para que ACM Neto apareça na delação da Odebrecht.

Outro detalhe, por enquanto restrito aos bastidores, longe dos holofotes e do povão de Deus, é que os governistas, pelo menos os mais lúcidos, sonham com ACM Neto candidato em 2018.

Se o alcaide soteropolitano não disputar a sucessão de Rui Costa, a candidatura do senador passa a ser uma exigência da cúpula nacional do PSD. ACM Neto apoiaria Otto em uma coligação envolvendo o DEM, PSDB, PMDB, PPS e alguns partidos de menor expressão.

ACM Neto só sairá candidato se enxergar alguma chance de ser eleito. Não vai arriscar deixar o Centro Administrativo de Salvador para ir atrás de uma aventura que lhe pode causar desgastes.

Rui Costa, candidatíssimo a um segundo mandato, está bem avaliado na capital. ACM Neto é prefeito só de Salvador, enquanto o petista é uma espécie de, digamos, “prefeito” de todas as cidades da Bahia.

Tem também o fator Lula. Se não barrarem a elegibilidade do ex-presidente, aí complica, o caldo engrossa. Sua popularidade volta à tona e, com ela, o poder da transferência do voto, principalmente no Nordeste e, mais especificamente, na Bahia.

Portanto, é bom torcer para que ACM Neto saia candidato a governador na eleição de 2018, sob pena de Otto Alencar disputar o comando do cobiçado Palácio de Ondina como o candidato da oposição ao petismo.

Não tenho a menor dúvida de que Otto Alencar é mais adversário para Rui Costa do que o democrata (ou demista) ACM Neto.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

SENADORES QUEREM ELEIÇÃO PRESIDENCIAL ESTE ANO

Um grupo de seis senadores trabalhar em uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) para viabilizar a realização de eleições diretas para Presidente da República este ano. A ideia é que o pleito ocorra juntamente com a sucessão municipal, no dia 2 de outubro.

Entre os membros do Senado que defendem a ideia, estão os baianos Lídice da Mata (PSB) e Walter Pinheiro (sem partido). Segundo o jornal A Tarde, há informações de que o senador Otto Alencar (PSD) também é simpático à proposta.

Para que possa ser apresentada, a PEC precisa da assinatura de 27 senadores. Depois, deve ser aprovada por três quintos dos votos no Senado e também na Câmara, com dois turnos de votação em cada casa.

O grupo que sugere esse caminho diz que a intenção não é barrar o processo de impeachment, mas propor uma alternativa para superar a crise.

 

CLIMA PESADO ENTRE ÂNGELA SOUSA E ROBERTO JOSÉ

Não há mais sorrisos entre Ângela e Roberto José

A deputada estadual Ângela Sousa (PSD) está profundamente ressentida com o ex-presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc), Roberto José, pré-candidato a prefeito de Itabuna. O motivo da bronca foi a migração de Roberto do PSD para o PR, onde ele diz ter garantias de que poderá disputar a sucessão municipal.

Enquanto acompanhava a visita do governador Rui Costa (PT) às obras da barragem do Rio Colônia, Ângela se aproximou de um grupo de colaboradores do prefeito Claudevane Leite (PRB) e destilou toda sua mágoa. Por diversas vezes, e a um volume que foi captado por várias pessoas presentes, a deputada chamou o ex-correligionário de “mau caráter”.

Ângela disse que Roberto firmara compromisso de permanecer no PSD e reclamou de que ele teria abandonado o partido sem lhe dar satisfações. Para a deputada, o ex-presidente da Ficc não poderia ter condicionado sua permanência à garantia da candidatura a prefeito.

O PIMENTA entrou em contato com Roberto José, que disse ter deixado o PSD porque “o partido estava vendido”. Indignado com o adjetivo usado pela deputada para desclassificá-lo, ele rebateu, chamando Ângela de “desequilibrada”.

Roberto afirma ter sinalizado ao senador Otto Alencar, presidente do PSD na Bahia, sua intenção de deixar a sigla, caso não pudesse ser candidato. “Com a deputada, não foi possível conversar porque ela não me deu oportunidade”, justifica.

Segundo o pré-candidato, Ângela Sousa está com raiva porque “faz política com o fígado”. Ainda se referindo à deputada, ele disse que “as pessoas costumam medir as outras pelo que elas são”.

ROBERTO CONFIA EM CANDIDATURA PELO PSD

Apesar de fontes seguras darem conta de que o PSD embarcará em outra canoa, Roberto José mantém a convicção de que será candidato a prefeito de Itabuna pelo partido.

Hoje, em entrevista a Jaqueline Mendes, na Difusora, José afirmou que permanece como pré-candidato da sigla. Ele disse também que o senador Otto Alencar, cacique do PSD na Bahia, mantém compromisso com seu projeto.

Porém, como seguro morreu de velho, o presidente da Ficc antecipou que já tem um plano B.

SENADOR BAIANO SOFRE AMEAÇA DE MORTE PELO FACEBOOK

Otto sofre ameaças pelo Facebook (Foto Divulgação).

Otto sofre ameaças pelo Facebook (Foto Divulgação).

A Polícia do Senado apura ameaças de morte contra o senador Otto Alencar (PSD-BA) em função de emenda por ele apresentado ao projeto de lei (PLS 138/2012). O projeto trata do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras (Revalida).

O senador apresentou emenda ao projeto na qual propõe a exigência de residência médica para formandos em medicina no exterior por período mínimo de dois anos, no país do curso concluído ou em um terceiro país. As ameaças e ofensas tiveram início nesta semana, segundo o senador.

O projeto de lei a princípio era previsto para ser votado, na última terça-feira (13 ), na Comissão de Educação, Cultura e Esporte. Otto Alencar é titular na comissão e relator do projeto de lei. Ele apresentou parecer favorável a proposta do ex-senador Paulo Davim (PV-RN), além de apresentar a emenda que exige a comprovação da residência médica como condição para se fazer o Revalida.

Numa das ameaças pela rede social Facebook, o autor da mensagem direta que se intitula Guisepe Mercedes Arias faz xingamentos, profere ofensas e afirma: “…E se prepara se este projeto passar eh (sic) melhor o senhor aumentar a quantidade de seguranças a sua volta e olhe la (sic) ainda!”.

Em outro trecho da mensagem, diz: “…não serão poucas as milícias formadas por médicos de origem brasileira formados no exterior que irão se originar querendo lhe matar e será bem feito, porque de políticos como o senhor o povo brasileiro está de saco cheio, e agora a população está prestes a começar a queimar vivo imundícias como o senhor…”.

“Durante a minha vida inteira nem pressão e nem ameaças me intimidaram a fazer aquilo que considero correto e melhor para os brasileiros”, disse o senador.

Otto Alencar ressaltou que o sentimento de ódio e de vingança são negativos e não combinam com o exercício da medicina, com profissionais que lidam com vidas.

:: LEIA MAIS »

OTTO SOBE 10 PONTOS E GEDDEL FICA COM 36%

Geddel, Otto e Eliana disputam vaga ao Senado.

Geddel, Otto e Eliana disputam vaga ao Senado.

Além da disputa ao governo, a pesquisa Ibope/TV Bahia aferiu as intenções de voto para a vaga baiana no Senado. Embora tenha oscilado de 35% para 36%, Geddel Vieira Lima (PMDB) começa a levar “calor” de Otto Alencar (PSD), que saltou dez pontos e agora aparece com 27%.

O crescimento de Otto pode estar relacionado a uma campanha mais propositiva na TV. No palanque eletrônico, além de ser “puxado” por Lula, Otto defende propostas como o fim do fator previdenciário e a ampliação (redução) da maioridade penal.

Quem continua patinando nas pesquisas é a ex-corregedora do Conselho Nacional de Justiça, Eliana Calmon (PSB-Rede), com 4%. Marcelo Evangelista (PEN) e Hamilton Assis (PSOL) aparecem com 2% cada um. De acordo com o instituto, o percentual de indecisos atinge 16% e o de brancos e nulos chega a 13%.

PÚBLICO FRACO

O senador Walter Pinheiro e políticos aliados participaram, ontem à noite (4), da inauguração do comitê do candidato a governador pelo PT, Rui Costa, e ao Senado pelo PSD, Otto Alencar, além de Dilma Rousseff. Chamou atenção não os discursos, mas o público. Pouca gente compareceu, retratando as dificuldades da chapa majoritária em Itabuna.

Nos bastidores, os diversos grupos que compõem a base governista e apoiam Rui, Otto e Dilma se queixam os candidatos não compareceram – nem o vice da chapa, João Leão, o “Bonitão”.

Rui e Otto devem vir a Itabuna e Ilhéus somente no próximo final de semana. Um aliado, espirituoso, diz que, com a falta de mobilização, nem Lula daria jeito – para atrair gente.

COMO É O NOME?

Paulo Fernandes Souto é Rui e Otto de carteirinha

Paulo Fernandes Souto é Rui e Otto de carteirinha

O sujeito se chama Paulo Souto, é filiado ao PSB e apoia a candidatura de Rui Costa, do PT… Entendeu alguma coisa? O blog explica: a nota se refere ao prefeito de Itarantim, Paulo Fernandes Souto, que é crítico ferrenho do xará. Para ele, o ex-governador, ora candidato, representa o atraso.

“Vamos voltar ao que era há dez anos? Paulo Souto é governador de gabinete”, reprova o prefeito.

Apesar de seu partido ter candidata ao governo (Lídice da Mata), Paulo Fernandes Souto diz que não abre mão de permanecer no grupo do governador Jaques Wagner, além de ser amigo do candidato ao Senado, Otto Alencar. “Estou deste lado porque é o lado em que sempre estive, apoiando o governador Jaques Wagner”, explica o prefeito.

O socialista também acredita que Rui esteja crescendo no interior e irá “disparar” com o horário eleitoral. “A oposição sabe disso”, diz ele.

OS CARLISTAS DE WAGNER

cesareotto

Coluna Tempo Presente (A Tarde)

A dura reação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) ao fato de ser chamada de omissa pelo vice-governador, Otto Alencar, no caso da ViaBahia, acendeu uma velha briga entre dois ex-carlistas top hoje aninhados ao lado de Jaques Wagner.

Otto atribui a ‘agressividade’ ao ministro César Borges (a ANTT é ligada ao Ministério dos Transportes), de quem ele foi vice-governador entre 1998 e 2002.

César nega. Pede que Otto não o envolva, mas o histórico dos dois é conturbado.

Em 2010, Otto largou o TCM, onde era conselheiro, e filiou-se ao PP, por imposição de Jaques Wagner, que o queria como vice.

Antes de entrar para o TCM, era filiado ao PL, que fundiu com o Prona e virou PR.

Por conta disso, foi acusado de ter dupla filiação partidária e atribuiu a César Borges, então senador, candidato à reeleição na chapa de Geddel, candidato do PMDB.

Otto bateu pesado. Disse que César estava ‘mais subserviente e amestrado por Geddel do que na época de ACM’.

Quando César foi indicado para o Ministério dos Transportes, Otto contemporizou. Disse que César era um ‘bom baiano’.

Seja lá o que tenha havido agora, um fato é incontestável: a cratera que  a ViaBahia não tapou engoliu o armistício e criou mais um problema para Jaques Wagner.

O SAPATO DO RUMO

Da coluna Tempo Presente (A Tarde)

Auxiliares de Otto Alencar cantaram “parabéns pra você” ontem na Secretaria da Infraestrutura para o chefe, que completou 66 anos de idade.

De um deles, recebeu de presente um par de sapatos italiano, com o lembrete:

– Esse é o sapato com o qual você vai fazer a sua caminhada (rumo a Ondina).

Otto aceitou o presente de bom grado.

ENQUANTO ISSO, NAS IMEDIAÇÕES DA BAÍA-DE-TODOS-OS-SANTOS

ponte jw-neto

Para entender, clique aqui.

O PSD DE OLHO NA CEPLAC

Derrotado nas eleições para a Prefeitura de Ituberá, no baixo-sul baiano, Andrezito de Castro (PSD) já escolheu nova empreitada: emplacar o irmão, Adonias de Castro, na superintendência da Ceplac para  a Bahia e Espírito Santo. Os irmãos procuram se articular com o vice-governador Otto Alencar e utilizam o argumento de que o atual superintendente, Juvenal Maynard, é ligado ao PMDB de Geddel Vieira Lima, adversário de primeira hora do grupo que hoje comanda o Estado.

Adonias, que atualmente é chefe do Centro de Pesquisas do Cacau (Cepec), já encomendou o terno…

PENEDO E O TCE

O nome do deputado estadual Gildásio Penedo (PSD) vai se fortalecendo para a vaga que a Assembleia Legislativa tem direito a preencher no Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Segundo nota da coluna Raio Laser, do jornal Tribuna da Bahia, o ex-oposicionista é quem soma mais apoios e acaba de ser beneficiado com a desistência de Nelson Leal (PSL) de postular a cadeira.

Penedo conta com padrinho forte: o vice-governador Otto Alencar.

AZEVEDO FICARÁ NO DEM

Azevedo teme o chicote do DEM

São praticamente nulas as chances do prefeito de Itabuna, José Nilton Azevedo, sair do DEM, conforme era o seu desejo. Informações obtidas por este blog dão conta de que as portas do PSD, uma das opções, foram fechadas ao prefeito pelo vice-governador Otto Alencar, que já assegurou incluir o partido entre os que apoiarão a candidatura do PT em Itabuna.

Outro problema para o prefeito está no próprio DEM, cujo presidente, José Carlos Aleluia, avisou que não perdoará Azevedo, caso este saia da legenda. Enfim, usará contra o alcaide os chamados “rigores da lei”, que o carlismo sempre foi exímio em manusear contra os inimigos.

Diante da porta fechada do PSD e do chicote do DEM, Azevedo se viu acuado e recolheu-se. Deverá ficar onde se encontra, ainda que desconfortável e constrangido. E ainda corre o risco de acabar tendo a legenda negada para sua candidatura à reeleição, só de pirraça. Aí é caixão e vela.

REUNIÃO DO PDB

O processo de criação do PDB (Partido da Democracia Brasileira) segue em ritmo acelerado. Para tratar sobre a seção baiana, cuja implantação é tocada pelo vice-governador Otto Alencar (atualmente no PP), haverá reunião no próximo domingo, 20, a partir das 9 horas,  no Hotel Fiesta, em Salvador.

A nova legenda será o ninho de políticos das mais diversas legendas e tendências, que utilizarão uma importante brecha da regra sobre fidelidade partidária.

Pelo que está estabelecido, o político perde o mandato se migrar para um novo partido… Mas o conserva se a mudança for para um partido novo, como é o caso do PDB.

WAGNER OSCILA ENTRE PT E OTTO PARA O SENADO

Do Blog do jornalista Paixão Barbosa:

Por ter apostado todas as suas fichas numa chapa majoritária com a presença de César Borges, o governador Jaques Wagner está, agora, com poucas opções e um pequeno espaço de manobra para refazer seus planos. De pronto, ele terá que mudar sua proposta de ter dois nomes fortes com ampla penetração no eleitorado antes dominado pelos aliados do grupo carlista, que seriam César Borges e Otto Alencar, compondo a chapa com mais dois nomes ligados à esquerda, ou seja, ele próprio e Lídice da Matta.

A substituição do senador do PR por um nome do PT não é tão simples porque na legenda há, pelo menos duas correntes defendendo as indicações de Walter Pinheiro e de Waldir Pires e outra que acha perigoso colocar dois petistas, por considerar ser fundamental ampliar o espectro político da chapa. Mais uma vez a bola está nos pés do governador e, depois do impasse gerado com César Borges, a direção do PT não pretende interferir e aceitará o que o Wagner definir.

Fora alguma grande surpresa – que seria mais uma neste processo – há duas opções apenas para o governador: a primeira seria a indicação de Pinheiro ou Waldir (com muito mais chances para o primeiro); a outra saída, na qual tem muita gente apostando, seria a indicação do deputado Marcelo Nilo (PDT) para o posto de vice, passando Otto Alencar para a vaga no Senado (posição, aliás, que ele queria inicialmente).

Nilo, presidente da Assembleia Legislativa, estaria com a reeleição garantida de acordo com seus aliados, mas tem dito a toda hora que aceita ser candidato a vice-governador. E, quanto a Otto, sua espirituosa declaração ao jornalista Levi Vasconcelos (titular da coluna Tempo Presente, de A TARDE), de que “Tanto faz dar na cabeça como na cabeça dar, ou onça na terra ou tubarão no mar“, mostra que está disposto a tudo e aceita de bom grado ir para a disputa senatorial.

Esta próxima semana promete ser decisiva para esta definição. Até porque a demora no fechamento da chapa, nestas ciscunstâncias, só faz aumentar o desgaste que o recuo de César Borges provocou.

VISITA EM CLIMA DE CAMPANHA

Otto, ao lado de Luiz Caetano e Josias (Camaçari Fatos e Fotos)

A visita do pré-candidato a vice-governador da Bahia, Otto Alencar (PP), nesta terça-feira, 13, a Camaçari, teve toda a pinta de campanha. Os membros mais animados da comitiva, aliás, dizem que  pode se considerar que  a corrida sucessória começou ontem na terra do Polo Petroquímico.

Acompanhado de diversos políticos, como o prefeito Luiz Caetano (que será o coordenador da campanha de Wagner à reeleição), Jonas Paulo (presidente da executiva estadual do PT) e o ex-deputado federal Josias Gomes, Otto visitou lideranças locais, deu entrevista em rádio, pintou e bordou.

O pré-candidato afirmou que tem uma relação afetiva com Camaçari. “Quando eu conheci, isso aqui era um canteiro de obras. Camaçari evoluiu muito”, declarou.

WAGNER QUER CÉSAR E WALDIR PARA O SENADO

Waldir pode estar garantido na chapa. Wagner quer

EXCLUSIVO

Fonte ligadíssima às confabulações do poder estadual assegura que o governador Jaques Wagner (PT) tem preferência pelos nomes de César Borges (PR) e Waldir Pires (PT) como candidatos ao Senado. Na construção desejada pelo governador, Otto Alencar ocuparia o posto de vice na chapa majoritária.

Essa é a hora da pergunta inevitável: e o que será de Lídice da Mata?

Pois é, os petistas concluíram que a deputada do PSB não agrega muita coisa à chapa, uma vez que sua popularidade é concentradíssima na capital baiana. Por isso, a opção deverá ser mesmo alçar Otto para vice, ficando Borges na briga por uma das cadeiras no Senado.

Com relação ao senador do PR, a avaliação é de que sua confirmação na chapa irá provocar uma revoada de prefeitos do antigo carlismo no interior. Resta apenas costurar com o PSB a situação de Lídice, que certamente sairá arreliada desse processo.

Para todos os efeitos, o governador já disse que jamais ofereceu a vaga no Senado à deputada, em troca de sua desistência em favor de Walter Pinheiro nas eleições muncipais de 2008.

alba



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia