WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

editorias






:: ‘paralisação’

TRABALHADORES PARAM APÓS TRIFIL SUSPENDER BÔNUS NATALINO

Trabalhadores em pátio da Trifil (Foto Arquivo/Língua de Fogo).

Trabalhadores em pátio da Trifil (Foto Arquivo/Língua de Fogo).

Cerca de mil trabalhadores da unidade da Trifil em Itabuna pararam nesta manhã em protesto contra a suspensão de um bônus natalino. A alegação da direção da indústria têxtil é de que o bônus será substituído por uma festa natalina.

O protesto começou às 5 horas e poderá continuar nos demais turnos, caso a Trifil mantenha a suspensão do bônus. A empresa havia prometido uma “grande festa” com “dois porcos no rolete” em substituição ao tradicional tíquete de final de ano, o que revoltou os funcionários.

A unidade de Itabuna conta com cerca de 2,2 mil trabalhadores. A paralisação está sendo acompanhada por dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores em Indústrias Têxteis e Calçadistas (Sintratec).

A direção do sindicato apoio a manifestação. Os funcionários da Trifil dizem que a festa não pode ser motivo para cancelamento do bônus.

POLÍCIA CIVIL FAZ PARALISAÇÃO NACIONAL

Policiais civis fazem paralisação nacional por 24 horas.

Policiais civis fazem paralisação nacional por 24 horas (Reprodução).

A Polícia Civil em todo o país iniciou às 8h desta quarta (4) uma paralisação para cobrar do governo um plano de carreira única, o piso salarial nacional e a desmilitarização das polícias. O movimento é coordenado pela Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol). A paralisação vai até as 8h de amanhã (5).

Neste período, será mantido o efetivo mínimo exigido por lei (30%) e serão atendidos apenas casos de flagrante, levantamento cadavérico e termo circunstanciado. Os demais serviços voltam a funcionar apenas na quinta. A mobilização nacional “União Policial” tem a participação de policiais e patrulheiros federais, segundo a Cobrapol.

PEDRÃO DEFENDE MOBILIZAÇÃO REGIONAL PELAS OBRAS DA BARRAGEM

Obra da barragem deve começar ainda em janeiro (Reprodução Pimenta).

Projeto é fundamental para aumentar a capacidade do abastecimento em Itabuna e outras cidades da região (Reprodução Pimenta).

O prefeito de Itapé, Pedro Jackson Brandão, o “Pedrão” (PSB), está apreensivo com a paralisação das obras da barragem no Rio Colônia e defende uma mobilização política regional para que a construção seja retomada.

Pedrão diz ter conversado com representantes da empreiteira Andrade Galvão, que consideram improvável a continuidade dos trabalhos em 2013. “O quadro em Itapé é de desânimo, depois que a empresa retirou todo o maquinário pesado e demitiu 80 funcionários”, lamenta o prefeito.

A ordem de serviço das obras foi assinada pelo governador Jaques Wagner no dia 8 de janeiro e os trabalhos começaram no mês seguinte, prevendo-se a conclusão num prazo de 18 meses. O orçamento é de R$ 71 milhões.

A barragem do Colônia é considerada fundamental para regularizar a vazão do Rio Cachoeira e ampliar a capacidade do sistema de abastecimento em Itabuna, Itapé e Itaju do Colônia. Além da paralisação das obras, que afeta a expectativa de atração de investimentos para a região, outra queixa está relacionada ao atraso no pagamento das indenizações a fazendeiros que tiveram áreas desapropriadas em função do projeto.

NA BAHIA, 1,5 MIL FUNCIONÁRIOS DA NESTLÉ AMEAÇAM ENTRAR EM GREVE

 

Funcionários da Nestlé fazem protesto debaixo de chuva em Feira.

Funcionários da Nestlé fazem protesto debaixo de chuva em Feira.

Funcionários das unidades da Nestlé em Itabuna e Feira de Santana cruzaram os braços nesta segunda (10), por duas horas, para forçar a multinacional a negociar reajuste salarial, além de conceder percentual de reajuste igual para as duas fábricas na Bahia. Eles aprovaram indicativo de greve em Itabuna e Feira.

A indústria em Feira tem 1.100 funcionários que acamparam em frente à unidade, mesmo debaixo de chuva. De acordo com Eduardo Sodré, do Sindalimentação-BA, a proposta dos trabalhadores é de reajuste de 13,16% para todos os cargos e piso de admissão de R$ 1.240,00 tanto para Itabuna como Feira.

A Nestlé quer conceder reajuste real de 7,3% para Feira de Santana e apenas 6,58% para Itabuna e Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de R$ 3,9 mil para funcionários de Itabuna e R$ 4 mil para Ilhéus. O sindicato quer R$ 5.800,00 para as duas unidades. Sodré lamenta a “política excludente” praticada pela multinacional de alimentos.

Funcionários da Nestlé em Itabuna na paralisação de duas horas.

Funcionários da Nestlé em Itabuna na paralisação de duas horas.

ILHÉUS: ACORDO GARANTE INÍCIO DE ANO LETIVO

Um acordo assinado entre representantes da Prefeitura de Ilhéus e Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus (APPI/APLB-Sindicato) garantiu o início do  ano letivo. Pelo acordo, a prefeitura pagará salários atrasados e o 13º salário de 2012, integralmente, em abril.

As aulas começaram hoje na rede municipal ilheense, após realização de jornada pedagógica iniciada na última segunda, 18, e encerrada ontem, 20, e o acordo assinado entre APPI e município, celebrado ontem. Caso a prefeitura não cumpra a promessa em abril, a categoria promete retomar greve.

PROFESSORES COBRAM PAGAMENTO DE SALÁRIO PARA INICIAR ANO LETIVO EM ILHÉUS

Sem salários, professores decidem não iniciar ano letivo em Ilhéus.

Sem salários, professores decidem não iniciar ano letivo em Ilhéus.

Os professores da rede municipal de ensino em Ilhéus decidiram não iniciar o ano letivo caso a prefeitura não apresente “proposta satisfatória” de pagamento do salário atrasado de dezembro de 2012. A assembleia da categoria foi realizada nesta quinta, 14, no auditório do IME-Centro.

A decisão é tomada quatro dias antes do iníco da jornada pedagógica da rede municipal, marcada para os dias 18 e 19. Além da quitação do salário de dezembro, os professores exigem o pagamento do 13º salário dos servidores contratados do município.

Dirigentes da Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus (APPI-APLB/Sindicato) vão tentar novo diálogo para que o município apresente proposta à categoria.

A presidente da APPI, Enilda Mendonça,  disse que o secretário da Administração de Ilhéus, Ricardo Machado, foi informado do indicativo de paralisação caso não houvesse contraproposta do município. Apesar do indicativo, a gestão não retormou as negociações, segundo a sindicalista.

No final de janeiro, o secretário Ricardo Machado havia prometido solução contábil para pagamento dos salários atrasados (relembre aqui). O pagamento não ocorreu e a categoria decidiu não iniciar o ano letivo.

FUNCIONÁRIOS DO PRESÍDIO PODEM PARAR

Um agente penitenciário do Conjunto Penal de Itabuna informou há pouco ao PIMENTA  que a categoria fará uma paralisação nesta manhã. O motivo seria um atraso no pagamento dos salários, que já chega a cinquenta dias.

O próprio agente reconheceu que, sem a presença deles, aumenta o risco de rebelião no presídio. Vale lembrar que a unidade é dividida entre duas facções criminosas, identificadas pelos nomes das alas da cadeia: os famosos raios A e B.

SERVIDORES DO MP PARAM EM TODA A BAHIA

Servidores do escritório do MP em Ilhéus aderiram à paralisação

Os servidores do Ministério Público Estadual realizam paralisação de advertência nesta quarta-feira, 5, em toda a Bahia. A categoria reivindica a aprovação do Projeto de Lei 19.648/11, que dispõe sobre o Plano de Cargos e Salários. Nos escritórios do órgão em Itabuna e Ilhéus, a adesão é de 100%.

Havia uma expectativa de que o PCS fosse votado ontem (dia 4) pela Assembleia Legislativa, o que não ocorreu. Lideranças do Sindicato dos Servidores do Ministério Público (Sindsemp) têm mantido contato com o governo, os deputados estaduais e a administração do MP, a fim de acompanhar o andamento do projeto.

A categoria fará uma caminhada hoje à tarde, no Centro  Administrativo da Bahia (CAB), da sede do MP até a Assembleia. O objetivo é acompanhar a sessão e aguardar a possível votação do Plano de Cargos.

ESCOLAS VÃO PARAR EM ILHÉUS

As escolas da rede municipal de Ilhéus vão fechar as portas nos próximos dias 19 e 20, segunda e terça-feira. Será mais uma paralisação de advertência dos professores, que estão com os salários atrasados e já cruzaram os braços no último dia 12.

A nova suspensão das atividades foi decidida ontem (13), em assembleia realizada pela APPI/APLB no auditório do Instituto Municipal de Ensino (IME) Centro. A categoria irá se reunir novamente no dia 20, a partir das 14 horas, no mesmo local, para deliberar sobre os rumos do movimento. Em seguida, os professores farão uma caminhada até o Palácio Paranaguá, sede do governo municipal.

De acordo com a APPI, os professores vinculados ao município por contrato decidiram encerrar suas atividades a partir do dia 1º de dezembro, devido ao atraso no pagamento do mês de outubro e à não garantia do recebimento dos próximos salários. A decisão ainda  será informada à direção das unidades escolares

RETRATO DO MAU USO DO DINHEIRO PÚBLICO

Um trambolho onde deveria existir um teatro

Matéria publicada na edição desta segunda-feira, 12, do jornal A Tarde, mostra o abandono das obras do Teatro e do Centro de Convenções de Itabuna, paralisadas há cinco anos. E, apesar de repetido, não deixa de causar indignação o argumento do diretor-geral da Sucab (Superintendência de Construções Administrativas da Bahia), Elmo Vaz, para justificar a existência de um trambolho  onde deveria haver um espaço cultural  em plenas condições de uso.

Segundo Vaz, a obra foi paralisada porque o projeto continha inadequações que impossibilitaram a construtora responsável de executá-la até o final. Vá lá que tenha fundamento, mas o que seria inceitável em um país sério é o fato de que o Estado diz ter investido R$ 4 milhões para levantar o trambolho e o município afirma ter empregado igual quantia em obras de terraplenagem e drenagem.

É nessas horas que o brasileiro, que dedica quatro meses de trabalho por ano só para pagar impostos, vê como esse dinheiro é mal empregado e literalmente jogado fora por gestores incompetentes, negligentes e irresponsáveis, para não dizer coisa pior.

MÉDICOS PARALISAM UTI DA SANTA CASA

Hospital São José, da Santa Casa, enfrenta mais uma paralisação

A UTI da Santa Casa de Misericóricórdia de Ilhéus fechou as portas, num protesto dos médicos devido ao atraso dos salários de dezembro. A inadimplência decorre do não-repasse da verba mensal de R$ 50 mil, referente a um convênio entre a Prefeitura e a instituição de saúde.

O convênio injeta recursos na UTI, na emergência e na ala de pediatria da Santa Casa, mas por enquanto apenas a Unidade de Terapia Intensiva deixou de funcionar. Caso o atraso dos salários persista, existe ameaça de paralisação também do setor de emergência.

O diretor da Central de Regulação do SUS em Ilhéus, Leonardo Albuquerque, imputa o atraso à Santa Casa. Segundo ele, a instituição demorou a fazer a prestação de contas referente a dezembro (deveria ocorrer até o dia 5, mas somente teria sido feita a 23 de janeiro). Além disso, a Santa Casa teria apresentado a planilha sem abater os dez dias de outra paralisação de médicos.

Como houve questionamento dos números, a instituição precisou reapresentar os dados para assegurar o faturamento. Albuquerque afirma que, em função disso, os recursos do convênio somente deverão ser liberados nesta quinta-feira, dia 2.

O fechamento da UTI da Santa Casa de Ilhéus já provoca sobrecarga no Hospital Geral Luiz Vianna Filho, na mesma cidade, e até mesmo no Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, em Itabuna.

POR QUE PAROU?

Moradores dos bairros Caixa D’água, São Roque e Corbiniano Freire estão preocupados com o sumiço das máquinas e trabalhadores da Prefeitura de Itabuna, que até meados de julho realizavam obras de saneamento naquelas localidades. A promessa era de que, logo em seguida viria a pavimentação e tudo seria entregue dentro da programação de aniversário da cidade, no final de julho, mas… De repente, as equipes desapareceram.

RODOVIÁRIOS DEVEM PARAR AMANHÃ

Se o itabunense que precisa de ônibus sentiu alívio hoje, é bom se preparar para a manhã desta terça (24). O Sindicato dos Rodoviários de Itabuna (Sindirod) deu mais um tempinho para que as empresas apresentem nova contraproposta. A última foi de 6,3% de reajuste e fim da gratuidade para motoristas e cobradores. A categoria rejeitou a proposta e, na última quinta, anunciou paralisação para o início desta semana.

A “surpresa” para os usuários pode vir nesta terça, logo cedinho, caso a proposta não seja “melhorada”. A manifestação vai atingir as linhas urbanas e intermunicipais.

ÔNIBUS PARADOS

O Sindicato dos Rodoviários realiza assembleias nos pátios das empresas de ônibus em todo o Estado e, por essa razão, o transporte intermunicipal está paralisado nesta manhã de terça-feira na Bahia. Segundo o jornal A Tarde, a ação vai atrasar em pelo menos quatro horas a saída dos veículos nas rodoviárias de Salvador, Feira de Santana, Itabuna, Juazeiro, Senhor do Bonfim, Valença e Itaparica.

RODOVIÁRIOS PARAM POR 2 HORAS EM ITABUNA

Pé de Rato critica "demissões absurdas"

Motoristas e cobradores de ônibus iniciaram uma paralisação de duas horas no transporte em Itabuna.  Segundo o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Joselito Paulo, o “Pé de Rato”, o protesto tem a ver com o posicionamento da classe patronal na mesa de negociação da campanha salarial e com a demissão de trabalhadores pelas empresas Rota e Águia Branca.

Pé de Rato diz que as duas companhias demitiram 100 trabalhadores nos últimos dois meses, alegando prejuízos causados pelo transporte clandestino. “Essas demissões são um absurdo em uma região com tanto desemprego como a nossa”, condena o sindicalista.

Com relação à campanha salarial, a categoria rodoviária apresentou uma reivindicação de 15% de reajuste no início das negociações. As empresas rebatem com a oferta de um aumento de 3% nos salários e mesmo percentual para o ticket-refeição.

A paralisação desta manhã está programada para encerrar às 9 horas.

PROFESSORES DA UESC DEFLAGRAM GREVE

Professores deflagram greve na próxima sexta.

Os professores da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) decidiram em assembleia, encerrada há pouco, pela deflagração de greve por tempo indeterminado. Apenas dois docentes se posicionaram contra a paralisação. A plenária contou com a participação do reitor Joaquim Bastos. Os professores cruzam os braços a partir da sexta-feira (8), à tarde.

Os educadores protestam contra decisões recentes, do governador Jaques Wagner, que tiram a autonomia financeira das universidades estaduais baianas. De acordo com o secretário-geral da Associação dos Docentes da Uesc (Adusc), Marcos Neves, os decretos de contingenciamento reeditam medidas do período da crise econômica de 2008. Também no início deste ano, o governador anunciou corte de mais de R$ 1 bilhão no Orçamento 2011.

Ao PIMENTA, Neves lembrou que as constituições Federal e Estadual garantem a autonomia financeira das instituições de ensino superior, mas os decretos governamentais afetam, por exemplo, a contratação de professores substitutos.

“A universidade tem recursos, mas não pode contratar por causa desse contingenciamento”, afirma. O veto à contratação de substitutos provocaria o cancelamento de várias disciplinas, segundo o secretário-geral da entidade.

Marcos Neves diz que os decretos também tiram a autonomia das universidades no que se refere à progressão dos docentes. Outro ponto é o reajuste salarial, pois o governo apresentou cláusulas que praticamente levariam a um congelamento de salário por três anos, caso a proposta fosse aceita pelos docentes.

As medidas, ressalta o secretário-geral, levam a Uesc e demais universidades estaduais a perder docentes para outras instituições – inclusive de nível técnico – que valorizam o professor economicamente. Até o final da tarde, os alunos da Uesc decidem se também deflagram greve. Neste caso, a paralisação começaria a valer já nesta tarde.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia