WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba

unesul bahia

uniftc






janeiro 2020
D S T Q Q S S
« dez    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias


:: ‘paralisação’

FUNCIONÁRIOS DA LIMPEZA VOLTAM AO TRABALHO

Funcionários da Porto Corp, responsável pela coleta do lixo em Ilhéus, decidiram voltar ao trabalho na noite desta sexta-feira, 11, depois que os representantes da empresa concordaram em depositar os salários em atraso. Durante todo o dia, a cidade ficou repleta de lixo em virtude da paralisação que havia sido deflagrada.

A Porto Corp também prometeu regularizar o pagamento de horas extras e do adicional de insalubridade, mas só a partir do próximo mês.

GREVE NA SANTA CASA DE ILHÉUS

Greve afetará servios de hospital (Foto Tropa de Elite).

Em uma assembléia ocorrida no início da noite desta quinta-feira (10), em Ilhéus, os trabalhadores da Santa Casa de Misericórdia decidiram entrar em greve a partir da próxima terça-feira (15), caso até lá a provedoria não quite integralmente os salários referentes a janeiro.

A assembléia que decidiu pela paralisação, por tempo indeterminado, foi bastante concorrida e, segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde de Itabuna e Região, Raimundo Santana, a partir da data determinada pela categoria, tanto o Hospital São José quanto a Maternidade Santa Helena passarão a contar com apenas 30 por cento dos efetivos para serviços de urgência e administrativo. Até a Unidade de terapia Intensiva manterá esse percentual de funcionamento.

Nem mesmo a informação de que, nesta sexta-feira (11) será depositada a segunda parcela referente aos salários do mês de dezembro do ano passado, conseguiu conter os ânimos dos trabalhadores. Eles alegam falta de condições de trabalho e muitos afirmam que os débitos pessoais estão se acumulando desde que houve a interrupção dos pagamentos. A Santa Casa conta com cerca de 300 trabalhadores, segundo Raimundo Santana, e a situação da instituição é vista com preocupação pelo sindicato.

Leia mais no Bahia Online

FUNCIONÁRIOS DO HOSPITAL DE BASE PARAM

Os funcionários do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem) cruzaram os braços nesta terça-feira (21) em protesto contra o não-pagamento do salário de novembro e do 13º salário que, por lei, deveria ser depositado até ontem.

A paralisação promete durar toda esta terça-feira. A unidade mantém, pelo menos, 30% do funcionalismo em atividade e atende aos casos de urgência. Os servidores farão assembleia às 17h da quinta-feira, 23, para decidir se haverá greve. É tempo para a direção do Hblem e o prefeito Capitão Azevedo (DEM) fazerem o dever de casa…

SERVIDORES PARALISAM ATIVIDADES EM ILHÉUS E ITABUNA

As Prefeituras de Ilhéus e Itabuna enfrentaram nesta quarta-feira, 15, paralisações de seus servidores. Em Ilhéus, o motivo da paralisação é o atraso de salários, enquanto na cidade vizinha a principal queixa dos funcionários tem a ver com o encolhimento dos contracheques em função da retirada de gratificações.

A prefeitura ilheense enfrenta dificuldades com o bloqueio de repasses para o pagamento de precatórios. Por acordo com o Tribunal Regional do Trabalho, as retenções de verba deveriam se limitar a 7% dos repasses do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), mas essas transfererências já vêm sendo consumidas com a quitação de uma dívida com o INSS.

Como o FPM não tem sido suficiente para cobrir os débitos, no último mês a justiça determinou que o Banco do Brasil bloqueasse outras contas da Prefeitura. O governo chegou a alegar erro do Banco do Brasil, mas o presidente do Sindicato dos Servidores, Luiz Cláudio Machado, contesta o argumento. “A verdade é que o descontrole administrativo levou a Prefeitura ao estado em que se encontra hoje”, critica o representante do funcionalismo.

Cerca de 40 servidores ilheenses ocuparam a entrada do Palácio Paranaguá na manhã de hoje. Segundo o governo, ainda não é possível dimensionar o impacto da paralisação, já que a maioria dos setores funciona na parte da tarde. Serviços essenciais, como os da saúde, não foram afetados.

Em Itabuna, a adesão à paralisação é pequena. Às 17 horas, a presidente do Sindicato dos Servidores, Karla Lúcia Oliveira, senta para negociar com o prefeito José Nilton Azevedo e o secretário da Fazenda, Carlos Burgos. Se não houver o entendimento, a possibilidade de uma greve será discutida em assembleia de servidores.

OPERÁRIOS DA PENALTY PARALISAM ATIVIDADES

Trabalhadores da indústria de material esportivo Penalty, em Itabuna, cruzaram os braços desde as primeiras horas da manhã desta terça-feira, 14, Eles exigem a substituição das cestas básicas pelo ticket-alimentação, além do reajuste no valor do benefício.

Segundo Jéser Cardoso, do Sintratec, a Penalty oferece atualmente entre R$ 20,00 e R$ 70,00 como “cesta básica”. Os trabalhadores querem unificar o valor em R$ 120,00.

O Sintratec reclama ainda de que os valores referentes à cesta básica são condicionados a metas de produtividade “inatingíveis” e a empresa exclui os trabalhadores que faltem ao serviço mediante atestado médico. Há possibilidade de que os operários da unidade da Penalty em Itajuípe também se unam à paralisação.

AGENTES DE TRÂNSITO PARALISAM ATIVIDADES

Agentes exigem pagamentos de horas-extras e produtividade (foto Fábio Roberto /Pimenta)

Os agentes de trânsito de Itabuna decidiram fazer uma paralisação de advertência nesta terça-feira, 7 de setembro. A medida é uma resposta ao não-pagamento das horas extras do mês de julho, além da quitação parcial da produtividade referente ao mesmo período.

“Fizemos várias horas extras em julho, por conta das obras da Cinquentenário e da ponte (Ponte 8 de Dezembro, na Rua Felícia de Novaes), e agora o governo não quer cumprir com a sua obrigação de nos pagar o que deve”, afirmou à nossa reportagem o agente Jorge Telles.

Os agentes de trânsito estão entre as vítimas do corte de despesas determinado pelo prefeito Capitão Azevedo. Para reduzir gastos, o gestor optou por retirar da remuneração dos funcionários verbas referentes a horas extras, adicionais de produtividade e insalubridade e eliminou as chamadas FGs (Funções Gratificadas).

“O governo, para conter despesas, decidiu atacar os servidores, que estão sendo tratados com desrespeito”, declarou a presidente do sindicato da categoria, Karla Lúcia Oliveira. Segundo ela, haverá assembleia na próxima semana e existe possibilidade de ser deflagrada uma greve com a participação de funcionários de diversos setores da administração municipal.

SERVIDORES DA JUSTIÇA BAIANA CRUZAM OS BRAÇOS

A ameaça de desconto salarial pelos dias parados em maio e início de junho, durante a greve da categoria, levou os serventuários da Justiça baiana a cruzar os braços nesta sexta, 30. Uma assembleia do Sinpojud em Salvador, nesta manhã, discute a resolução 04/2010, do Tribunal de Justiça da Bahia.

O tribunal determinou o desconto dos dias não-trabalhados durante a greve de mais de um mês. A garantia é de pelo menos 30% dos serviços de cartório e fóruns estarão disponíveis no Estado. Conforme comunicado do Tribunal de Justiça, funcionarão apenas os serviços de liminar de plano de saúde, guia de sepultamento, casamentos pré-agendados e habeas corpus.

POLÍCIA CIVIL CRUZA OS BRAÇOS

Num protesto contra a mudança nos plantões, os policiais civis da Bahia deflagraram nesta segunda-feira, 19, uma paralisação que tem a previsão de durar 72 horas. O Governo do Estado publicou no dia 23 de junho, no Diário Oficial, portaria que altera o sistema de plantões, que era de 24 horas de trabalho por 72 de folga, para uma nova escala, de 12 horas de trabalho por 24 horas de folga. O Sindipoc (sindicato que representa a categoria) alega que a medida implica em redução do tempo de descanso.

Amanhã (dia 20), haverá assembleia para definir sobre a continuidade da paralisação. Cumprindo a lei, 30% do efetivo policial se encontra em atividade.

AZEVEDO OFERECE 3% DE REAJUSTE E SERVIDORES PARAM

Agentes de saúde e de combate a endemias e os servidores municipais vão parar nesta quinta-feira, 17, em protesto contra o reajuste de 3% oferecido pelo prefeito Capitão Azevedo (DEM), na reunião ocorrida na última segunda, 14.

Os servidores municipais querem 14,7% de reajuste, mais “cesta-alimentação” de R$ 170,00 e retorno de adicionais como o de insalubridade.

Os agentes de saúde e combate a endemias querem que os salários sejam equiparados ao que repassa o governo federal para o município e também exigem equipamentos de segurança e fardamento.

Todos prometem ir às ruas nesta quinta-feira, 17, numa passeata com concentração no Jardim do Ó. O protesto será encerrado no centro administrativo Firmino Alves, sede da prefeitura.

Para a presidenta do Sindicato dos Funcionários e Servidores Municipais (Sindserv), Karla Lúcia Oliveira, o governo adotou a “enrolação” como estratégia contra o funcionalismo.

ENSINO SUPERIOR PARA NESTA QUARTA

Exigindo que a gratificação de 70% referente às Condições Especiais de Trabalho (CET) seja incorporada aos salários, os professores das quatro universidades estaduais baianas farão um grande protesto nesta quarta-feira, 9, em Salvador. A manifestação será a partir das 14 horas, em frente ao shopping Iguatemi. 

Segundo os representantes das Associações de Docentes das Universidades Estaduais, a incorporação da CET poderá tirar a categoria da condição de segundo pior salário de todo o Nordeste, à frente apenas do Maranhão. Os professores reclamam da falta de espaço para negociar com o governo na campanha salarial, que foi iniciada em novembro do ano passado.

Por conta da mobilização desta quarta-feira, não haverá aulas nas universidades estaduais de Santa Cruz, Sudoeste e de Feira de Santana, além da Uneb.

RODOVIÁRIOS ANUNCIAM GREVE POR TEMPO INDETERMINADO

Só 30% da frota nas ruas, amanhã (Foto Alisson Fagundes).

O itabunense que precisa do transporte coletivo urbano terá uma quinta-feira de sofrível. Há pouco, o presidente do Sindicato dos Rodoviários de Itabuna (Sindirod), Joselito Paulo, Pé-de-Rato, antecipou ao Pimenta na Muqueca que a categoria entra em greve por tempo indeterminado a partir das primeiras horas de amanhã (13). Apenas 30% da frota estará em circulação.

A ofensiva é uma resposta à estratégia das empresas e do novo sindicato dos rodoviários, o Sintracol. Juntos, solicitaram à Justiça do Trabalho que antes analisasse a ilegalidade da paralisação do início do mês, quando os rodoviários cruzaram os braços por sete horas.

A audiência era para decidir qual o sindicato é legítimo representante dos trabalhadores nas empresas de ônibus de Itabuna. O pedido de julgamento da ilegalidade será analisado pelo Tribunal Regional do Trabalho. E a greve dos rodoviários perdurará até que saia a decisão.

O Sindirod é o mais antigo representante dos rodoviários. O Sintracol foi criado há menos de um ano e teria pouco menos de 20 associados. Em jogo está a liderança sobre mais de 250 rodoviários.

“MOSTRAMOS QUE A CATEGORIA ESTÁ UNIDA”, DIZ LÍDER DOS RODOVIÁRIOS

Paralisação atingiu 100% da frota (Fábio Roberto).

Uma paralisação de sete horas do transporte coletivo deixou o itabunense a pé e os donos da Expresso Rio Cachoeira e São Miguel sentindo diretamente no bolso. O presidente do Sindicato dos Rodoviários de Itabuna (Sindirod), Joselito Paulo, “Pé de Rato”, diz que esta foi uma das medidas encontradas para pressionar os empresários.

– A paralisação atingiu 100% da frota e mostrou que a categoria está unida.

E por que o discurso da unidade? Porque as empresas, acusa Joselito Paulo, trabalharam na surdina para dividir a categoria ao estimular a criação de um sindicato para atender os rodoviários empregados no transporte urbano de Itabuna.

Joselito Paulo também quer que a prefeitura de Itabuna, que é quem autoriza as concessões das linhas de transporte coletivo, passe a atuar como mediadora. Por meio de sua assessoria, a Settran já anunciou que somente se pronuncia após a Justiça do Trabalho decidir qual sindicato representa os rodoviários urbanos, se o Sindirod ou a associação que é presidida por Adeládio Pereira, o Pezão, funcionário de cargo de confiança do governo municipal.

A audiência decisiva da Justiça do Trabalho ocorre no próximo dia 12 de maio. No dia, avisou Pé de Rato, todos os rodoviários vão cruzar os braços à espera da decisão. O dirigente também observa que uma das alegações das empresas e do novo sindicato é de que o Sindirod não teria carta sindical. “Temos e foi publicada em jornal”, observa.

O transporte urbano tem frota de 100 ônibus. Os rodoviários querem reposição salarial de 29,5%, o fim da circulação de ônibus sem a presença de cobradores e reajuste do tíquete-alimentação, dentre outras reivindicações constantes da pauta da campanha. A data-base da categoria é maio.

ITABUNA AMANHECE SEM ÔNIBUS

Em uma manhã chuvosa, o itabunense que depende do transporte coletivo está tendo que se deslocar a pé para o trabalho. O Sindicato dos Rodoviários deflagrou logo cedo uma paralisação que, de acordo com o presidente da entidade, Joselito Paulo (Pé de Rato), atinge 80% da frota.

Pé de Rato não diz até que horas vai a paralisação. “Depende dos trabalhadores, mas pela revolta que estou vendo e a intransigência do segmento patronal, ela vai até o fim do dia”, afirma.

O sindicato se encontra em campanha salarial, reividicando reposição de 30%. Na próxima quarta-feira (05), haverá assembleia, com possibilidade de ser deflagrada greve por tempo indeterminado.

PARALISAÇÃO SURPRESA

O itabunense que usa ônibus deve se preparar. Os rodoviários prometem paralisação de até três horas nesta segunda-feira em um dos horários de pico. A categoria quer pressionar os donos de Expresso Rio Cachoeira e Viação São Miguel a negociar reposição salarial de 30%, o reconhecimento do Sindirod como o sindicato dos rodoviários e o fim da circulação de ônibus de catraca sem cobrador (o popular motocobra).

Os rodoviários ainda acusam as duas empresas de criar um sindicato fantasma para protelar as negociações. O “fantasma” é presidido pelo ex-vereador Adeládio Pereira, o Pezão, que estaria a serviço das duas empresas concessionárias do transporte coletivo urbano, segundo Joselito Paulo, o Pé de Rato, do Sindirod.

MÉDICOS DO ESTADO ANUNCIAM PARALISAÇÃO

Na próxima quarta-feira, 5, os homens de branco que atuam como servidores do estado vão cruzar os braços. Queixam-se de intransigência das secretarias estaduais de Administração (Saeb) e de Saúde (Sesab). Os médicos vão atender apenas a casos de urgência/emergência. Atendimentos ambulatoriais e eletivos ficam para depois.

Os profissionais reivindicam enquadramento ao Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos (PCCV), regularização dos médicos municipalizados e aposentados e atualização dos valores da Gratificação de Incentivo à Docência (GID). A paralisação é, claro, de advertência. Ou o governo senta para negociar, ou o “Galego da Caneta” vai chorar lá no ‘pé do cabôco’.

ITABUNA: RODOVIÁRIOS ANUNCIAM NOVA PARALISAÇÃO

Categoria ficou em greve por uma semana em 2009

Nova paralisação acontecerá nesta segunda-feira, 3 (Foto Alisson Fagundes).

O itabunense enfrentará uma nova paralisação do transporte coletivo na próxima segunda-feira, 3. Os rodoviários decidiram cruzar os braços em horário-surpresa para forçar as empresas Viação São Miguel e Expresso Cachoeira a negociar reposição salarial de 30%. Na última segunda, a paralisação durou três horas.

O motorista recebe salário de R$ 900,00. Cobradores e fiscais recebem salário mínimo: R$ 510,00. A categoria tem como data-base o mês de maio. Além da reposição, os rodoviários exigem o fim da circulação de ônibus sem cobradores. Nas contas de Pé de Rato, o motocobra (ônibus em que o motorista também é cobrador) eliminou 78 empregos só em Itabuna.

“Será uma paralisação de alerta. Os patrões das duas empresas não voltaram à mesa de negociação nem deram satisfações à categoria. De preferência, vamos parar em um horário de pico”, disse o presidente do Sindicato dos Rodoviários de Itabuna, Joselito Paulo, “Pé de Rato”.

Os horários de maior movimento são das 7h às 8h, 11h30min às 13h e das 17h30min às 1830min, justamente quando as empresas “faturam” mais. As patrões alegam que os rodoviários têm um outro sindicato, criado pelo ex-rodoviário e ex-vereador Adeládio Pereira, o Pezão, acusado de defender o interesse das empresas.

Pé de Rato,do Sindirod, diz que tudo não passa de manobra’: “Eles (patrões e Pezão) querem tumultuar o processo e ganhar tempo. Nós temos carta sindical, somos legais, mas eles criaram um outro sindicato para defender os interesses deles, dos empresários”. Uma audiência no dia 12 de maio define quem representará a categoria, se o antigo ou o novo sindicato.

DESRESPEITO

Os cartórios baianos encontram-se fechados por conta de uma paralisação de 24h dos serventuários. O movimento cria situações esdrúxulas, de desrespeito. Cansados e abatidos pela dor da perda dos pai, os filhos de Dermival Campos ainda não conseguiram sepultar o corpo do servidor municipal vítima de leptospirose. O último adeus estava programado para as 10h desta terça.

A família recorreu à promotoria pública, que a orientou a buscar socorro no Judiciário. O juiz Valdir Viana, da 4ª Vara Cível, foi acionado. Mas nem isso trouxe alento. Era 11h da manhã e a família ainda aguardava pela certidão de óbito, exigida para o sepultamento.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia