WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia






secom bahia








maio 2019
D S T Q Q S S
« abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias






:: ‘pcdob’

JUÇARA FEITOSA: “NOSSO ADVERSÁRIO É O DEM”

A suplente de senadora e petista Juçara Feitosa disputará a prefeitura de Itabuna pela segunda vez. A convenção que confirmará a candidatura ocorre no próximo dia 30.

Ela acredita que o atual modelo de administração em Itabuna “está esgotado” e defende que os partidos da base aliada se juntem à sua candidatura “pelo desenvolvimento da cidade”.

Juçara também crê que a alta aprovação popular da presidente Dilma Rousseff ajudará a quebrar resistência do itabunense em eleger uma mulher prefeita.

Nesta entrevista, a ex-secretária de Desenvolvimento Social desfere estocada no Capitão Azevedo (DEM). Para ele, o prefeito enganou o eleitor com promessa de “20 mil bolsas renda, carteiras de motorista gratuita, terra pra todo mundo e prefeitura móvel”

PIMENTA – A senhora teve 42 mil votos em 2008, mas perdeu a eleição para seu oponente por 12 mil fotos de frente. Por que manter sua candidatura?

JUÇARA FEITOSA – Itabuna e região estão recebendo grandes investimentos. É importante que o município esteja próximo dos governos federal e estadual, pois o modelo que administra a cidade, o DEM, está esgotado, sem criatividade e sem capacidade de gestão. Por isso, sou candidata.

Mas esse discurso de proximidade com os governos federal e estadual já não deu certo, não é? 

Os governos Dilma e Wagner são do PT e vão nos ajudar a colocar Itabuna no contexto do desenvolvimento. Estamos vivendo isso com o Brasil e queremos que seja assim também com a nossa cidade.

A presidente Dilma pode ajudar sua campanha?

A presidente Dilma se mostra grande gestora, faz excelente trabalho e é respeitada mundialmente por isso. O Brasil, após Lula e com Dilma, só tem boas notícias. Acredito que podemos fazer o mesmo com Itabuna. Ter boas notícias em vez de ser apontada como campeã da dengue, campeã da mortalidade infantil, campeã em índices de violência.

Como está a sua pré-campanha?

Tenho conciliado apoios e conversado com as pessoas. Tenho visto de perto as carências de famílias mais humildes de nossa cidade. Percebo o desejo de mudança para vida digna, de qualidade e compromisso com a saúde, infraestrutura dos bairros e o social.

A saúde é das áreas mais criticadas em Itabuna. O que fazer?

Defendo que é urgente reformular a política de saúde, aplicando além dos 15% exigidos pela Constituição, e reforçar os recursos federais e estaduais que vêm para o município. Reorganizar os hospitais e recuperar e melhorar as unidades básicas de saúde com mais cotas de exames, médicos, remédios, equipamentos. Defendo ainda criar centros especializados de saúde da mulher e da criança.

 

RECURSOS FEDERAIS: As obras começam, mas não terminam, ou fazem obra de qualidade duvidosa.

 

A senhora fala em afinidades do seu partido e de seu projeto com os governos estadual e federal. Mas a cidade tem tido muitas obras.

É verdade, mas são obras estruturantes previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal, que não mede esforços em repassar recursos para cidades acima de 200 mil habitantes. Os projetos chegam, as ações são importantes, mas os recursos não são aplicados como deveriam pela prefeitura. As obras começam, mas não terminam ou se faz obra de qualidade duvidosa.

Um dos grandes debates nesta eleição será o avanço da criminalidade. Qual seria a solução para a violência?

É preciso ação firme no combate à violência que afeta crianças, jovens e toda a sociedade. O combate não pode ter somente repressão, mas políticas públicas inclusivas. Defendo a criação da Secretaria da Segurança Pública e Trânsito e ações coordenadas com o Ministério Público e polícias Civil e Militar, além de programas sociais para jovens de 15 a 29 anos, a faixa mais vulnerável, inserindo-os no grupo de população economicamente ativa da sociedade.

Como está o quadro de alianças para sustentação de sua candidatura a prefeita?

Já temos um número significativo de partidos, mas isso será definido até o dia 30 de junho, dia de nossa convenção.

As conversas com os partidos da base aliada do governo estão em que nível?

Estamos conversando com todos. O PT trabalha pela união e defesa do povo, independente das vaidades das lideranças. O nosso adversário é o DEM.

 

O VICE: Não definimos ainda. Será uma grande surpresa que iremos apresentar na nossa convenção.

 

Quem será o candidato a vice de sua chapa?

Não definimos ainda. Será uma grande surpresa que iremos apresentar na nossa convenção, no dia 30.

O PCdoB se mantém ressentido com o PT pelo episódio envolvendo o vereador Wenceslau Junior. Há diálogo com os comunistas?

Itabuna deve estar acima desses sentimentos. Caminhamos para fortalecer a cidade, que não pode perder tempo nem oportunidades.

A militância petista está animada com sua nova pré–candidatura?

A militância do partido está firme e confiante.

As eleitoras de Itabuna estão dispostas a mudar de opinião e votar na senhora?

A mulher tem papel importante na sociedade e sente mais as dificuldades dos serviços públicos de saúde, educação, infraestrutura, má-qualidade de vida e a violência. Tenho certeza que as mulheres de Itabuna responderão a esse chamamento.

A imagem da presidente Dilma pode contribuir para reforçar sua campanha nessa direção?

A presidenta Dilma será um dos nossos exemplos. Queremos convencer as mulheres que, mais próximos dos governos federal e estadual, poderemos realizar os investimentos na infraestrutura dos bairros, na saúde, na educação e na qualificação das pessoas.

 

ESTOCADA EM AZEVEDO: Não nos utilizaremos de mentiras nem falsas promessas, a exemplo de 20 mil bolsas renda, carteiras de motorista gratuita, terra pra todo mundo e prefeitura móvel…

 

Como a senhora acha que será a campanha no rádio e na TV?

Vamos fazer uma campanha de alto nível. Não nos utilizaremos de mentiras nem falsas promessas, a exemplo de 20 mil bolsas renda, carteiras de motorista gratuita, terra pra todo mundo e prefeitura móvel e de portas abertas… Itabuna não quer mais essa enganação. Mostraremos projetos concretos para provar a nossa real intenção em priorizar o cuidado com a cidade.

A senhora foi secretária municipal de Assistência Social como avalia o setor atualmente?

Quando dirigi a Assistência Social, fizemos ou trouxemos vários programas como Viva Maria, Grapiúna Cidadão, Alimenta Itabuna e Bolsa-Família. Muitos desses meninos conseguiram o primeiro emprego na Coelba, Banco do Brasil e na Prefeitura. Os projetos já não oferecem as mesmas oportunidades e caiu em qualidade. Poderia hoje estar atendendo a 30 mil famílias, mas não passa de 19 mil. Isso mostra a falta de prioridade e descaso com os mais humildes.

O Rio Cachoeira está morrendo. O que fazer para recuperá-lo?

A barragem do Rio Colônia é uma forma de recuperar o nosso Rio Cachoeira e irá melhorar o fornecimento de água e garantir abastecimento para mais de 50 anos. O Inema já concedeu a licença prévia e ajustes estão sendo feitos para que a licença definitiva saia. Além disso, o Governo Wagner está elaborando um plano diretor de saneamento básico em Itabuna que irá coletar e tratar 100% do esgoto.

As ações de saneamento que a senhora fala incluiria devolver o patrimônio, fundir a Emasa com a Embasa ou a privatização?

Está fora de cogitação a transferência da Emasa ao Estado ou à iniciativa privada. A empresa é municipal e precisa ser fortalecida e reestruturada para que continue cuidando das ações de saneamento. Pena que se tenha se transformado em cabide de emprego. A Emasa é essencial para continuar a atender a população carente com tarifas diferenciadas de água e esgoto e até isenções tarifárias.

PREFEITO TENTA ACALMAR PSDB; AUGUSTO DIZ QUE AZEVEDO FOI “INÁBIL”

Da coluna Tempo Presente, d’ A Tarde

O prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo (DEM), estava ontem na Assembleia conversando com o deputado Augusto Castro (PSDB).

Buscava auxílio para abortar a fuga dos tucanos, aliados de sempre, depois que ele fechou a chapa botando na vice Renato Costa, do PMDB, sem avisar ninguém. Insatisfeito, o PSDB ameaça fechar com o PCdoB.

Augusto prometeu ajudar, mas ressalvou:

– O PMDB foi ligeiro e o prefeito inábil.

ELEIÇÕES 2012: WENCESLAU JÚNIOR CRITICA PT E AZEVEDO E DIZ QUE FOI INJUSTIÇADO

O vereador Wenceslau Júnior está no terceiro mandato. Sonha com a cadeira principal do Centro Administrativo Firmino Alves, sede da Prefeitura de Itabuna. O sonho é alimentado pela possibilidade de uma composição de partidos que une desde o seu PCdoB ao PRB de Claudevane Leite e PDT de Acácia Pinho.

Na entrevista concedida ao PIMENTA, Wenceslau acha improvável composição com o PT em Itabuna e faz críticas ao Governo Azevedo (“não consigo enxergar marca positiva nesse governo”).

O prefeiturável também fala do processo de afastamento do mandato por ordem judicial e diz que a decisão foi injusta. Confira os principais trechos da entrevista que abre série com pré-candidatos a prefeito de Itabuna.

PIMENTA – Quem será o candidato da Frente Partidária?

WENCESLAU JÚNIOR – Há unidade e compromisso de avaliarmos a evolução das pesquisas para, em meados deste mês, afunilarmos para um nome.

O sr. acredita que a frente se mantém mesmo após definir o candidato?

Eu acredito nas palavras de Vane [do Renascer] e de Acácia Pinho. Esta frente não é voltada para interesses pessoais, tem princípios e compromisso de melhorar a cidade, fazer gestão inovadora. A frente também está dialogando com PPS e PP e abrindo perspectiva para ter tempo de televisão razoável e consistência política ainda maior.

Do outro lado, existem duas candidaturas com maior estrutura. A frente tem como ir para a disputa com chances até o final?

O elenco de lideranças que compõem essa frente já é algo importante. Além disso, acho que estrutura não é algo tão definidor em eleição em Itabuna. Em 1992, Geraldo Simões caiu na graça do povo e foi eleito imprensado entre duas grandes candidaturas [Ubaldo Dantas e José Oduque].

Hoje não temos cenário de protestos, impeachment de presidente…

(Interrompe)… Em 2008, o prefeito [Azevedo] estava em último, não tinha ajuda da máquina municipal e só passou a contar quando cresceu na pesquisa. De início, foi uma candidatura franciscana. Em Itabuna, um bom programa de TV e militância aguerrida nas ruas são fundamentais para a eleição.

Pelo que se desenha, qual será o tipo de campanha que teremos em 2012?

O compromisso na Frente Partidária é discutir propostas para a cidade. A eleição em Itabuna, o debate tende a ser municipalizado, sem grande influência das políticas nacional e estadual.

O PCdoB se manterá na frente mesmo se ocorrerem pressões de cima?

Olha, o governador Wagner vem tendo postura elogiável em todo o processo. Tentar mediar, mas nunca impor. O PCdoB em Itabuna tem divergência com o PT local, o que não ocorre nos níveis estadual e nacional.

 

ALIANÇA COM O PT: Nada em política é impossível, mas acho um pouco distante essa reaproximação, até porque não há espírito despojado do outro lado.

 

Há possibilidade de coligação com o PT em Itabuna?

Nada em política é impossível, mas acho um pouco distante essa reaproximação, até porque não há espírito despojado do outro lado. Wenceslau pode abrir mão de ser candidato para apoiar Vane ou Acácia, Vane pode abrir mão, Acácia, também… Do outro lado [do PT], não. Isso dificulta qualquer conversa.

O senhor sofre críticas por ter atuação omissa na fiscalização do governo municipal…

Sempre vou ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). É um trabalho árduo e silencioso. Não foi à toa que as contas do prefeito [Capitão Azevedo], de 2009 e 2010, foram reprovadas. Agora eu tenho que reconhecer que foi mandato atípico, por causa da candidatura a deputado estadual. Tanto na pré-campanha, em 2009, quanto na campanha, em 2010, realmente me dediquei à atuação em nível estadual. Nas principais batalhas na Câmara, as questões da saúde, defesa dos salários dos servidores, professores, nós estávamos lá.

Como o senhor avalia a gestão municipal?

É uma gestão sem planejamento, que não consegue planejar e, por conta disso, compromete a execução. Tem muitas pessoas preocupadas com seus interesses pessoais. Azevedo não é bom coordenador e tem dificuldades de exonerar aqueles que não dão resultado. Pergunto ao leitor, qual é a marca positiva deste governo?

E qual seria esta marca?

Não consigo enxergar. Negativas, sim, existem. Aumento da violência na cidade, por que as pessoas são impedidas de ter acesso à educação, lazer. Nós nunca passamos situação tão vexatória na saúde. A marca mesmo é a de malversação de dinheiro público.

Quais seriam estes exemplos de malversação?

Nas obras, todas federais, mas executadas pelo município, a gente não sabe dizer se é construtora ou a prefeitura que está fazendo. Há uma mistura, confusão. Obras são licitadas e quem trabalha é a mão de obra da prefeitura. Sem falar das causas de rejeições de contas: exageros de gastos em alguns setores, aplicação abaixo do mínimo em saúde e educação…

 

FOLHA INCHADA: A folha consome 70% da receita. Existem muitas pessoas que estão na folha sem trabalhar, por apadrinhamento político, consumindo recursos públicos. Fantasmas.

 

Se as obras são federais, para onde está indo o dinheiro das receitas próprias?

Infelizmente, a prefeitura está completamente inchada. A folha consome 70% da receita. Existem muitas pessoas que estão na folha sem trabalhar, por apadrinhamento político, consumindo recursos públicos. Fantasmas.

O PCdoB e a sua campanha já avaliaram os efeitos do escândalo dos consignados na sua pré-candidatura?

O partido já avaliou. Depois do caso, nós fizemos pesquisa e constamos que crescemos ou mantivemos os percentuais. A população de Itabuna me conhece desde os tempos de movimento estudantil. Nunca respondi a processo, já participei de governo municipal, fui assessor parlamentar.

:: LEIA MAIS »

DANIEL ALMEIDA CONFIRMA DIÁLOGOS COM GS, MAS DESCARTA ALIANÇA PC DO B-PT EM ITABUNA

O presidente estadual do PCdoB, deputado federal Daniel Almeida, confirmou ao PIMENTA que o colega Geraldo Simões o procurou para tratar de aliança eleitoral comunista em Itabuna, mas ressalvou: “decisão passa pelo diretório municipal”.

O dirigente também comentou os planos do partido para as eleições na Bahia em 2012 (“queremos ultrapassar a marca de 30 prefeitos eleitos”) e o mal-estar no partido com a punição pública ao sindicalista Rui Oliveira, líder da greve dos professores estaduais.

Confira os principais trechos da entrevista concedida nesta noite de segunda, 28, logo após reunião do partido. “Discutimos tática eleitoral em Salvador e em toda a Bahia”, enfatizou.

PIMENTA – O partido terá candidatura própria em Itabuna?

DANIEL ALMEIDA – Temos como prioridade a eleição em Salvador, com Alice Portugal, e em alguns municípios, dentre eles Itabuna. Trabalhamos para construir a candidatura de Wenceslau [Júnior]. Nesse momento, estamos construindo uma frente [PCdoB, PRB, PSC, PDT e PV] da qual o PT não participa.

A frente é para valer?

Vamos insistir na construção da candidatura e de projeto inovador dentro dessa frente. Essa polarização dos últimos anos [PT x DEM] não tem produzido os resultados que Itabuna necessita. Nós temos conversado com todos os partidos da base governista, mas em Itabuna insistimos na necessidade desse caminho novo. Wenceslau é alternativa necessária e viável.

O deputado Geraldo Simões tenta apoio do PCdoB. Disse, em entrevista, que a conversa no partido se dá com o senhor.

Converso com Geraldo todos os dias, são temas variados. Ele já demonstrou interesse em conversar sobre aliança, mas a decisão passa pelo diretório municipal, que tem autonomia e confiança para conduzir a tática eleitoral.

O PCdoB elegeu 18 prefeitos na Bahia em 2008. Qual é o cenário para 2012?

Queremos ultrapassar a marca de 30 prefeitos eleitos. No sul da Bahia, manter Gandu e Itacaré e conquistar outras, como Uruçuca, Itabuna, que é a principal cidade. Temos situação muito favorável em Itagibá e Camacan.

O PCdoB reconhece as reivindicações dos professores. Isso não pode levar dirigente do partido – e Rui é dirigente– a fazer discurso de ataque ao governo.

Como o partido explica a retirada do nome do deputado Jean Fabrício em Conquista, no sudoeste?

Quando lançamos Fabrício, levamos em conta a eleição em dois turnos. Houve afunilamento muito forte dos partidos [da base] em torno de Guilherme Menezes. Por essa razão, achamos que deveríamos somar nessa direção. Nunca nos afastamos do projeto.

Avançando em outro campo, a reprimenda ao professor Rui Oliveira não pegou mal para o partido?

O PCdoB reconhece as reivindicações dos professores. Isso não pode levar dirigente do partido – e Rui é dirigente– a fazer discurso de ataque ao governo, que se soma à oposição para fragilizar o projeto do qual participamos. Isso não tem nada a ver quanto ao reconhecimento do papel da APLB e das reivindicações dos professores. Da mesma forma, reconhecemos que o governo deve dialogar.

A greve de agora se aproxima da paralisação de 55 dias de 2007. Na opinião do senhor, o que está faltando desta vez?

Penso que é necessário ter mais sensatez por parte do governo e dos trabalhadores. O tensionamento que verificamos hoje não vai levar ninguém à vitória. Vai levar a resultado que contabiliza derrota para professores, governo, sociedade, sindicato e suas lideranças. O melhor caminho é o diálogo.

MARKETING E LEGISLAÇÃO ELEITORAL

Osias Lopes fala sobre legislação eleitoral a pré-candidatos (Foto Marcos de Souza).

Mais de 70 pré-candidatos a vereador e coordenadores participaram, hoje, de seminário de marketing e legislação eleitoral em Itagibá, no sul da Bahia.

Osias Lopes, advogado e especialista em Direito Eleitoral, e o professor e adminstrador de empresas Sérgio Lobo foram os conferencistas do encontro direcionado a políticos ligados ao pré-candidato Marquinhos Barreto (PCdoB).

O evento reuniu pré-candidatos a vereador, coordenadores e representantes de 1o partidos que apoiam o nome do comunista para a prefeitura do município (PCdoB, PT, PSDC, PMN, PP, PSD, PSC, PV, PRP e PTB).

Barreto diz que a intenção é, além da motivação, alertar e instrutir os pré-candidatos quanto à legislação e, assim, “não incorrerem em erro” que possam deixá-los de fora da disputa ou impedir a diplomação se eleitos.

O CHAPÉU SUMIU

Quem estava no plenário da Câmara de Vereadores, hoje, não segurou o riso diante da “comédia” proporcionada pelos vereadores Roberto de Souza (PR) e Wenceslau Júnior (PCdoB).

Souza entrou com requerimento para que a chefia da 5ª Ciretran em Itabuna, sob o comando do cururu Gilson Nascimento, explique a exploração que há contra motoristas na vistoria e transferência de veículos. E saiu-se com essa:

– Vocês nem chegaram ao poder e já estão cobrando taxa…

Wenceslau, que sonha com a cadeira principal do centro administrativo Firmino Alves, largou:

– Vereador, o PCdoB trabalha com transparência.

Rapidinho, um gaiato lembrou do ex-ministro do Esporte, Orlando Silva, a quem foi dirigido adjetivo muito comum aos árbitros de futebol…

IRISMÁ NA CORDA BAMBA

O Tribunal de Justiça da Bahia  manteve nesta terça-feira (22) a decisão da Câmara de Vereadores de Gandu de reprovar as contas da prefeita Irismá Santos (PCdoB), referentes ao exercício de 2009.

A prefeita alega perseguição política e observa que as contas tiveram parecer favorável do TCM, embora com ressalvas, porém o legislativo municipal derrubou o parecer da corte de contas.

A decisão do TJ-BA, em resposta a agravo de instrumento impetrado pela Câmara de Vereadores, se deu por unanimidade, determinando que prevaleça a deliberação do legislativo.

Para Irismá, que pretende disputar a reeleição, a derrota pode ter a grave consequência de torná-la inelegível. Leia mais no Cena Bahiana.

SEM AVENTURA

Jabes Ribeiro e Israel Nunes selaram união em encontro no sábado.

O procurador federal Israel Nunes (PCdoB) desistiu da disputa pela prefeitura de Ilhéus e declarou apoio à pré-candidatura de Jabes Ribeiro (PP).

No final de semana, durante evento que contou com a participação dos capas-pretas do PP e do PCdoB na Bahia – lá estavam Mário Negromonte, Daniel Almeida e Davidson Magalhães, Israel assim se justificou quanto à escolha: “é o temor de que uma nova aventura política venha colocar Ilhéus mais uma vez em má-situação”.

Para Jabes Ribeiro, a aliança com o PCdoB é “decisão histórica”. A aliança, aliás, foi costurada pelo presidente da Bahiagás, Davidson Magalhães, cunhado de Jabes.

VANE LANÇA PRÉ-CANDIDATURA

O vereador Vane do Renascer lança pré-candidatura a prefeito logo mais, às 19h, no plenário da Câmara de Itabuna. O ato contará com a participação do deputado federal Bispo Marinho (PRB) e integrantes do PSC.

O vereador integra frente partidária composta, além do PRB, pelo PSC, PV, PCdoB e PDT. A frente reúne ainda os prefeituráveis Acácia Pinho (PDT) e Wenceslau Júnior (PCdoB).

“QUEM NÃO CUMPRE ACORDO, NÃO TEM FUTURO NA POLÍTICA”

Israel explica aliança do PCdoB com Jabes.

O procurador federal Israel Nunes (PCdoB) disse que ainda não está definido se ele será o vice do prefeiturável Jabes Ribeiro (PP). Os dois partidos fecharam acordo no final da semana passada, num golpe quase mortal contra a Plenária Unificada, um arranjo de partidos do qual deveria sair uma chapa para disputar a Prefeitura de Ilhéus.

Numa entrevista ao Cena Baiana, Israel Nunes diz que a posição de vice está em aberto para possibilitar a atração de novas legendas e das negociações em torno das coligações para a disputa de vagas na Câmara de Vereadores.

“Respeitamos e cumprimos os acordos, assim como exigimos que os acordos sejam cumpridos. Em política, quem não cumpre acordo não tem futuro”, diz Israel. Confira a íntegra da entrevista.

WENCESLAU CONFIRMA RACHA E DIZ QUE “NÃO HÁ POSSIBILIDADE DE COMPOR COM O PT”

Wenceslau: sem acordo com o PT.

O vereador e prefeiturável Wenceslau Júnior disse neste sábado à noite que o PCdoB se aliará a qualquer dos partidos da base do Governo Wagner, mas só há um com quem os comunistas não marcharão nestas eleições em Itabuna, o PT.

– Não temos nenhuma possibilidade de compor com o PT. Poderemos coligar com outros partidos da base ou sair sozinhos como tática de sobrevivência partidária, mas com o PT não dá mais – disse Wenceslau em entrevista exclusiva ao PIMENTA.

A direção do PCdoB enxerga as digitais petistas nas denúncias contra o prefeiturável comunista. Por isso, a decisão de não coligar com o PT. O pré-candidato a prefeito de Itabuna pelo PCdoB diz que esta é uma decisão que tem a chancela dos “capas-pretas” do diretório estadual, Davidson Magalhães, Alice Portugal e Daniel Almeida.

Wenceslau diz que, individualmente, a candidatura da petista Juçara Feitosa é a mais forte agora, “mas tem dificuldades de agregar forças políticas e não possui maiores possibilidades de crescimento”. A íntegra da entrevista será publicada nesta semana e ele, dentre outros assuntos, fala do processo que o afastou do mandato.

O comunistas diz que iniciará nesta semana uma ofensiva pela pré-candidatura com visita com diversas categorias de trabalhadores. “Vamos conversar, discutir, reafirmar projetos e, na outra semana, partir para as visitas aos bairros”. Wenceslau integra frente partidária em que também estão os prefeituráveis Acácia Pinho (PDT) e Vane do Renascer (PRB).

O RECADO DE WENCESLAU A GERALDO

O PCdoB usou parte do tempo de propaganda eleitoral gratuita no sul da Bahia para vender o peixe do prefeiturável Wenceslau Júnior. É o vereador quem aparece numa das inserções na televisão.

No vídeo, Wenceslau cita os 90 anos do partido e não deixa de mandar uma indireta diretíssima ao ex-prefeito e deputado federal Geraldo Simões (PT).

Antes das gravações desta peça e logo quando estourou o escândalo dos Consignados, os camaradas se reuniram com o vereador e prefeiturável e fizeram diversos questionamentos.

Wenceslau sustentou durante todo o tempo que não tem envolvimento com escândalo. Foi a firmeza do vereador que levou a direção do partido a ir pra cima do deputado federal com unhas e dentes. E autorizar a gravação com a estocada no petista. Confira o vídeo e, mais abaixo, o post Orelha Quente.

 

PALESTRA DO PREFEITO DE ARACAJU ATRAI MILITÂNCIA DO PC DO B EM ITABUNA

Edvaldo profere palestra em Itabuna.

O êxito da gestão municipal e a qualidade de vida de Aracaju (SE) na gestão do prefeito Edvaldo Nogueira serão tema de sua palestra Desenvolvimento de Cidades, às 19 horas, no auditório do Instituto de Cultura Espírita de Itabuna (Icei).

“Aracaju é a quinta capital que mais investe com recursos próprios e que concedeu um reajuste zero na tarifa de ônibus”, disse ontem, em Salvador, o prefeito comunista que sucedeu a Marcelo Déda (PT) no cargo.

Pela capital baiana se iniciou o ciclo de palestras de Edvaldo Nogueira, cujo projeto de governo, afirma, é norteado por cinco princípios: “ética, democracia, modernidade, tecnologia, inovação dos métodos administrativos e desenvolvimento social”.

O evento é promovido pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Fundação Maurício Grabois e entidades do movimento social. Com a palestra, os líderes comunistas desejam animar a militância local, após o episódio de afastamento e retorno do vereador Wenceslau Júnior, pré-candidato à prefeitura de Itabuna.

ACÁCIA PINHO DIZ QUE “FRENTE” PODE SER AMPLIADA COM PPS E PP

Acácia: ampliação da Frente (Foto Pimenta).

A prefeiturável Acácia Pinho afirmou que a Frente Partidária integrada pelo PDT, PCdoB, PRB, PSC e PV poderá ser ampliada com as adesões de PPS e PP. A pedetista visitou a redação do PIMENTA acompanhada pelo secretário estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia, Paulo Câmara.

Acácia diz que a frente também namora o PMDB, que enfrentou turbulência e trocou a empresária Leninha Alcântara pelo ex-deputado Renato Costa como prefeiturável da legenda. Os entendimentos podem avançar com a chegada a Itabuna do presidente estadual peemedebista, deputado Lúcio Vieira Lima, e do ex-ministro Geddel Vieira Lima.

A Frente Partidária apresenta três nomes entre os prefeituráveis, além da pedetista Acácia Pinho, os vereadores Vane do Renascer (PRB) e Wenceslau Júnior (PCdoB). O candidato da Frente será definido após três pesquisas entre abril e junho, prazo-limite para realização das convenções partidárias.

DEFESA DE WENCESLAU

A pedetista saiu em defesa do comunista Wenceslau Júnior em relação à denúncia de envolvimento com o esquema do crédito consignado na Câmara de Vereadores. Segundo ela, o vereador esclarecerá as denúncias de envolvimento no Loiolagate tão logo tenha acesso aos autos do processo e reúna provas para a própria defesa.

“Não acredito que Wenceslau esteja envolvido [no Loiolagate]”, disse a prefeiturável. Acácia solicitou, publicamente, que o vereador esclarecesse logo a denúncia me diz que o pedido não causou constrangimento. “Ele entendeu perfeitamente. Essa frente [partidária] precisa ser protegida. Defendemos o voto em Ficha Limpa e o voto sustentável e limpo”, completou.

Na sexta-feira, 20, o vereador autorizou a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico ao juiz Gustavo Pequeno, para quem o promotor público Inocêncio Carvalho apresentou a denúncia.

Também estão envolvidos, segundo a promotoria, os vereadores Clóvis Loiola (PSDC), Roberto de Souza (PR), Ricardo Bacelar (PSC), Solon Pinheiro (DEM) e Raimundo Pólvora (DEM).

CIDADE SUSTENTÁVEL

Membros do PDT, PRB, PCdoB, PSC e PV assinam nesta quinta, às 19h, na Câmara de Vereadores de Itabuna, documento em que se comprometem a implantar o conjunto de ações do Programa Cidades Sustentáveis caso eleitos. Os partidos compõem a Frente Partidária que tem como pré-candidatos a prefeito Acácia Pinho (PDT), Vane do Renascer (PRB) e Wenceslau Júnior (PCdoB).

A prefeiturável pedetista diz que não apenas os candidatos da majoritária, mas os os que disputam vaga à Câmara também assumem compromisso de levantar a bandeira da sustentabilidade. Acácia diz que o objetivo do programa é “sensibilizar, mobilizar e oferecer ferramentas para que as cidades brasileiras se desenvolvam de forma econômica, social e ambientalmente sustentável”.

A FRENTE NA BATALHA

Pré-candidatos a prefeito e a vereador de cinco partidos participaram do encontro

Membros do PRB, PDT, PCdoB, PV e PSC se reuniram ontem (14) em Itabuna para discutir estratégias da frente que se propõe a marchar unida nas próximas eleições municipais. Pré-candidatos a vereador desses partidos também participaram do encontro e ouviram informações sobre a legislação eleitoral.

O evento serviu para os representantes das legendas reforçarem o compromisso com a aliança. Para fortalecer o debate em torno de um novo projeto para Itabuna, com a união dos cinco partidos, a frente pretende se ampliar, atraindo outras forças políticas.

Por enquanto, o grupo tem três pré-candidatos a prefeito: Vane do Renascer (PRB), Wenceslau Júnior (PCdoB) e Acácia Pinho (PDT), mas sonha atrair o PMDB, que tem a pré-candidata Leninha Alcântara.

O PROCURADOR ENSINA COMO SE FAZ

Israel Nunes (de branco) com seus alunos da pós-graduação em Gestão Pública

Um dos mistérios da atual política ilheense é o interesse do procurador federal Israel Nunes em ser prefeito da cidade. Com um emprego que lhe assegura tranquilidade, Nunes é também professor universitário e uma daquelas figuras que, numa visão pequeno burguesa, muito raramente se interessariam pela política partidária. Mas se interessou.

O procurador está filiado ao PCdoB e sonha em chegar ao comando do Palácio Paranaguá, que tem abrigado inquilinos de péssima conduta. Nunes acredita que possa mudar essa história, implantando um governo pautado na ética e em boas práticas administrativas.

Neste domingo, 15, o comunista encerrou o módulo de Direito Administrativo, que lecionou na pós-graduação em Gestão Pública promovida pela Faculdade de Ilhéus. E deu a receita de como um gestor pode caminhar bem. “O conhecimento das normas de Direito Administrativo é essencial para quem deseja fazer uma boa administração, além do respeito aos princípios da administração pública, como os da legalidade, impessoalidade, moralidade e eficiência”, orientou.

Tem muito prefeito por aí que deveria assistir a essa aula…

O PC DO B TEM TODO O DIREITO DE ENTRAR NA DISPUTA

Ricardo Ribeiro | redacao@pimentanamuqueca.com.br

 

O PT de Itabuna vive o mal típico dos arrogantes, que conseguem enxergar o cisco no olho do outro, mas não percebem uma trave na própria visão.

 

PT e PCdoB, partidos que militam no mesmo campo, têm entre si uma relação de amor e ódio. Aliás, pode-se dizer que é mais de conveniência e arranca-rabos, pois a união das legendas sempre se deu muito mais pela necessidade de se fortalecer para viabilizar projetos eleitorais do que pela alegada afinidade programática, que fica somente na superfície.

A briga entre os partidos se dá principalmente quando o PCdoB, o polo mais frágil da relação, ensaia andar com as próprias pernas. Nesses momentos, o PT se arvora de um autoritarismo patriarcal e vê a liberdade dos comunistas como rebeldia. É bem o que acontece neste momento em Itabuna.

Wenceslau Júnior, vereador em terceiro mandato, militante comunista oriundo do movimento estudantil universitário, foi confirmado como o nome do PCdoB na disputa sucessória. Ele integra um bloco formado por cinco partidos (PCdoB, PRB,PV,PDT e PSC), onde há outros dois pré-candidatos: Vane do Renascer, do PV, e Acácia Pinho, do PDT. O compromisso é de que o melhor posicionado nas pesquisas e de maior capacidade para aglutinar os partidos da frente terá o apoio dos demais.

Para o PT, a estratégia do PCdoB é uma atitude destrambelhada, um acinte, um desacato à autoridade. Há pressões de todos os lados, desde os que lembram a posição dos comunistas de satélite do petismo nas esferas federal e estadual (o tom é sempre de ameaça) até aqueles petistas que procuram ironizar, diminuir e constranger os antigos aliados. Um deles utiliza velho ditado para alertar o PCdoB: “formiga quando quer se perder, cria asa”.

Há ainda os que relembram 1996, quando o PCdoB lançou candidatura própria em Itabuna e o nome então apoiado pelo PT, Renato Costa, perdeu para Fernando Gomes, à época no PTB. A pecha de laranja foi colocada pelos petistas inconformados, como se não houvesse outro caminho para os comunistas, senão o de ser uma sombra do PT.

Mais uma vez, repetem o argumento. Advertem que a divisão das esquerdas pavimentará o caminho do prefeito Capitão Azevedo (DEM) à reeleição, mas se esquecem de que a candidatura petista é fruto de imposição autoritária e não agrada aos partidos que historicamente têm se aliado ao PT. Caso Azevedo se reeleja, será por culpa dos comunistas ou da insistência em uma candidatura desagregadora?

O PT de Itabuna vive o mal típico dos arrogantes, que conseguem enxergar o cisco no olho do outro, mas não percebem uma trave na própria visão.

Ricardo Ribeiro é advogado e um dos blogueiros do PIMENTA.

A EDUCAÇÃO E A RESPONSABILIDADE FISCAL

A luta por mais recursos para a educação está na crista da onda e expõe diferenças inclusive entre aliados  no plano federal. Opiniões divergentes sobre a matéria foram manifestadas ontem (10), em reunião no Ministério da Fazenda, onde estavam presentes representantes de entidades como a CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação) e Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior).

De um lado da mesa, a deputada federal Alice Portugal (PCdoB) apresentou sua defesa pela destinação de 10% do PIB para o setor. Do outro lado, o ministro Guido Mantega bateu pé firme nos 8,1% do PIB, afirmando ser necessário “compatibilizar responsabilidade educacional com responsabilidade fiscal”.

A comunista saiu do gabinete dizendo que a recepção foi muito gentil, mas não agradou. Para Alice, é preciso “manter a mobilização das ruas pelos 10% do PIB”.

SILÊNCIO NO PT ITABUNENSE

A resposta do PCdoB itabunense às investidas do PT com vistas à sucessão municipal provocou rebuliço no ninho petista, mas, por enquanto, perdura o silêncio. O ex-presidente do diretório local do PCdoB, Ramon Cardoso, disse que não o partido não apoiará, em nenhuma hipótese, a candidatura de Juçara Feitosa à prefeitura de Itabuna (relembre aqui).

Os comunistas apostam na pré-candidatura de Wenceslau Júnior e integra frente partidária com  outros dois pré-candidatos, a pedetista Acácia Pinho e Vane do Renascer (PRB).










WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia