WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba



policlinica





outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

editorias






:: ‘pcdob’

“NÃO APOIAMOS JUÇARA EM NENHUMA HIPÓTESE”

A direção do PCdoB endureceu de vez o jogo com o PT. Na última quarta, 4, o presidente estadual petista, Jonas Paulo, disse que buscaria o apoio dos comunistas ao projeto de tornar Juçara Feitosa prefeita de Itabuna.

Hoje, Ramon Cardoso, ex-presidente do PCdoB itabunense e um dos coordenadores da pré-campanha de Wenceslau Júnior, rechaçou qualquer possibilidade dos cururus apoiarem Juçara.

Ao PIMENTA, Ramon foi taxativo: – Não apoiamos Juçara em nenhuma hipótese.

Ramon compartilha da tese comunista de que há esgotamento eleitoral do petismo no município sul-baiano, onde não superaria mais que 30% de votos, percentual idêntico ao de itabunenses que têm preferência/simpatia pelo PT.

BAIXAS NA FRENTE

As articulações da Frente Partidária em Itabuna avançam quando se discute a unidade, mas o grupo que tem como núcleo as pré-candidaturas de Acácia Pinho (PDT), Vane do Renascer (PRB) e Wenceslau Júnior (PCdoB) sofreu um revés hoje. A frente divulgou que o PMDB e o PPS estavam nela.

Durou pouco. A pré-candidata peemedebista Leninha Alcântara diz que não integra a frente e só adere na condição de que ela seja a candidata do grupo. Na mesma linha, o PPS, presidido por Mariana Alcântara, negou adesão, conforme entrevistas ao Políticos do Sul da Bahia.

PC DO B CONFIRMA VOO SOLO NAS ELEIÇÕES

Wenceslau, pré-candidato comunista em Itabuna

PCdoB e PT, aliados nacionais, estarão realmente em palanques diferentes este ano, nas eleições  em grande parte dos municípios de maior porte. Essa estratégia dos comunistas foi confirmada ontem (1º), no encontro do Comitê Central do partido, em São Paulo. Estavam reunidos os presidentes estaduais e lideranças da legenda que hoje completa 90 anos de atividade no Brasil.

Na Bahia, o PCdoB confirmou candidaturas próprias em Salvador, Itabuna, Vitória da Conquista, Juazeiro, Brumado, Guanambi e Lauro de Freitas.

Em Itabuna, os comunistas integram um bloco também formado por PV,PRB,PDT e PSC e sonham com a adesão do PMDB. O pré-candidato do partido é o vereador Wenceslau Júnior, mas há um acordo das legendas de se aglutinar em torno da candidatura mais forte.

Nesse caso, o cururu terá que estar na frente de Claudevane Leite (PRB) e Acácia Pinho (PDT). Se o PMDB entrar na “salada”, é preciso ver também como estará posicionada a pé-candidata Leninha Duarte.

ANÍSIO COMEMORA DECISÃO DO TCM

Prefeito descascou o abacaxi

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anísio (PCdoB), livrou-se de um verdadeiro “abacaxi”. Nesta quinta-feira, 29, o pleno do Tribunal de Contas dos Municípios votou pelo provimento parcial do recurso interposto pelo gestor contra a rejeição de suas contas de 2010. A decisão modificou o status das contas, de rejeitadas para aprovadas com ressalvas.

Segundo Anísio, os erros que levaram à decisão inicial de rejeição foram formais e não foi comprovada irregularidade no uso de dinheiro público.

Itacaré não tem um bom histórico no TCM, mas nos últimos dois anos as contas da Prefeitura foram aprovadas, apesar das ressalvas. Na administração anterior, houve rejeição das contas nos últimos três anos.

DEPUTADO DIZ QUE É HORA DO PC DO B em CONQUISTA

Entrevistado pelo Blog do Anderson, o deputado estadual Jean Fabrício confirma sua pré-candidatura a prefeito de Vitória da Conquista, o que contraria uma hegemonia de quase 20 anos do PT.

Os petistas logicamente gostariam de ter mais uma vez o apoio dos cururus na maior cidade do sudoeste baiano, mas o acordo parece distante.

O deputado acredita que, como também é de um partido da base, o governador Jaques Wagner não poderá manifestar preferência pela candidatura petista.

Clique para aqui para acessar o Blog do Anderson.

FESTA COMUNISTA EM BRASÍLIA

Se ontem pela manhã o vereador itabunense Wenceslau Júnior era alvejado abaixo da linha da cintura por um panfleto apócrifo, à noite ele se refestelava no Centro de Tradições Gaúchas em Brasília. No local, ocorreu jantar comemorativo dos 90 anos do PCdoB, com a presença dos chamados “capas pretas”, os homens e mulheres fortes da legenda.

Na foto, Wenceslau aparece entre a deputada Alice Portugal e os senadores Inácio Arruda e Vanessa Grazziotin, líder da bancada comunista no Senado.

CAÇA AO CURURU

Os comunistas, carinhosamente apelidados de cururus, passaram a ter a cabeça a prêmio em Itabuna desde que o vereador Wenceslau Júnior (PCdoB) confirmou sua pré-candidatura a prefeito pelo partido. A ratificação se deu no sábado, 24, e já na manhã desta segunda-feira, 26, circulava na cidade um panfleto apócrifo descendo o malho no pleiteante.

Para despistar, também apanham o presidente da Câmara, Ruy Machado, e os vereadores Claudevane Leite (também pré-candidato, pelo PRB) e Gerson Nascimento, aquele que deu atestado de cegueira a Machado. O grupo é acusado no panfleto de ter recebido uma bolada para aprovar as contas de Azevedo, que ainda serão  analisadas pelo legislativo.

Wenceslau, que “viu estrelas” em virtude da pancada, afirma saber de onde partiu a maldade. Mas prefere não comentar…

PSD NA PLENÁRIA

O PSD da deputada Ângela Sousa diz que continua firme e forte na Plenária Unificada, grupo que já reuniu 12 partidos supostamente comprometidos a marchar juntos na sucessão municipal ilheense, mas já sofreu alguns desembarques. Na semana passada, chegaram a divulgar a saída do PSD da plenária, mas o partido logo desmentiu. Na verdade, foi uma mera troca de letras, pois quem de fato desligou-se do grupo foi o PSB. Também pediram o boné recentemente o PMN e o PDT.

Continuam na plenária, além do PSD, o DEM, o PCdoB e o PRB, um terço do número de legendas que havia no início e ainda com alguns percalços a enfrentar. Em seu blog, o Sarrafo, Guy Valério aponta algumas, como a dificuldade em manter unidos o evangélico PRB e o ateu PCdoB. Este blog acrescenta que os comunistas também não se afinam, pelo menos nos princípios, com os neoliberais do DEM.

Mas como esse negócio de princípios anda meio fora de moda entre os partidos…

WENCESLAU É O PRÉ-CANDIDATO DO PC DO B

Candidatura de Wenceslau (c) foi lançada na festa dos 90 anos do PCdoB .

O vereador e suplente de deputado estadual Wenceslau Júnior será o pré-candidato do PCdoB na sucessão municipal em Itabuna. O anúncio ocorreu na festa dos 90 anos do partido, no Itabuna Esporte Clube, e reuniu os prefeituráveis Acácia Pinho (PDT), Roberto Minas Aço (PP), Leninha Alcântara (PMDB) e Vane do Renascer (PRB), além de dirigentes partidários de legendas como PSDB e PSB.

Ao lado da esposa Márcia Rosely e da mãe dele, Zuleide, Wenceslau Júnior falou da necessidade da formação de uma frente de partidos e deu estocada no prefeito Capitão Azevedo (DEM). “A atual gestão de Itabuna não está conseguindo dar respostas aos problemas do presente, muito menos consegue planejar o futuro. É o governo do improviso. Nem a questão do trânsito, que é a área do prefeito, foi resolvida”.

Wenceslau: estocadas em Geraldo e Azevedo.

Wenceslau não deixou de alfinetar o ex-prefeito e deputado federal Geraldo Simões (PT). “Aqui não existe vaidades porque não estamos diante de um projeto pessoal, familiar ou de um pequeno grupo que quer se beneficiar do poder”. A esposa de Geraldo, Juçara Feitosa, é a pré-candidata petista na sucessão municipal. Em 2008, o comunista Luís Sena foi o vice de Juçara. O PCdoB desejava reciprocidade do PT em 2012 e essa era uma das condições para que Davidson Magalhães fosse o prefeiturável. Não deu.

Presidente da Bahiagás, Davidson retirou-se do páreo e ressaltou a capacidade política de Wenceslau. “São 22 anos de militância e dedicação às causas de Itabuna e da região”. Davidson ressaltou a participação de Wenceslau no movimento estudantil, a luta pela estadualização da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) e mandatos como vereador de Itabuna.

PEEMEDEBISTA FAZ TROÇA DE GERALDO

Via Twitter, o deputado federal e colega de Geraldo Simões na Câmara, Lúcio Vieira Lima (PMDB), aproveitava para fazer troça do petista, vaiado por figuras comunistas, hoje, no auditório da FTC-Itabuna. Lúcio retuitou título de nota publicada no blog Políticos do Sul da Bahia. E, claro, não deixou de cutucar o colega de parlamento: “Quem com vaia fere, com vaia será ferido”.

Para quem não lembra, em 2008, quando do lançamento do PAC do Cacau, em Ilhéus, grupos ligados Geraldo puxaram vaias ensurdecedoras contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima, irmão de Lúcio.

Lúcio faz troça do colega Geraldo Simões, que patrocinou vaia ensurdecedora contra Geddel Vieira.

A VIA-CRÚCIS DO SERVIDOR

Wenceslau admite possibilidade de erro na tramitação

Como se não bastasse o tempo que esperaram até o acordo coletivo firmado com o executivo municipal ser votado na Câmara de Vereadores, os servores públicos de Itabuna ainda correm o risco de ver o dispositivo recém-aprovado virar pó.

É que no afã de votar a proposta a toque de caixa, o legislativo acabou atropelando o próprio regimento e esqueceu de cumprir a regra de que a matéria deve ser incluída na ordem do dia 24 horas antes da votação em plenário. Além disso, é necessário cumprir o prazo também de 24 horas entre as duas discussões, tempo que pode ser reduzido à metade em caso de acordo de lideranças.

O vereador Wenceslau Júnior (PCdoB), que é um dos que mais conhecem o Regimento, reconhece a possibilidade de ter ocorrido “erro formal” na tramitação. “Ainda não alisamos a situação, mas se for o caso de admitir o erro e refazer a segunda votação, faremos isso sem problema para evitar riscos para o servidor”, declarou Wenceslau.

 

OS DESAFIOS DO GOVERNO DILMA

Davidson Magalhães 

A relação entre o hegemonismo petista e a frente política gera tensão permanente em torno da máquina administrativa, cujo desaguadouro quase sempre é o Congresso Nacional.

O primeiro ano do governo Dilma ficou marcado pela afirmação da presidenta. Vencendo as desconfianças de alguns setores e contrariando a expectativa da oposição, em 2011 o governo encerrou, com a ampla aprovação da opinião pública, conseguindo inclusive superar os melhores índices alcançados pelo presidente Lula.

No campo político, a oposição desnorteada viu surgir o PSD, do prefeito Kassab, que estendeu à adesão de líderes antes abrigados nas siglas oposicionistas, ao governo no âmbito federal e nos estados. Abriu-se, inclusive, uma perspectiva de isolamento dos tucanos em São Paulo.

O crescimento econômico mesmo baixo contrastava com uma Europa em crise, EUA em marcha lenta e um Japão estagnado. Ultrapassamos o PIB da economia do Reino Unido, passando a ser a 6ª economia do planeta. Estávamos nadando de braçada. O mundo em crise e nós em um céu de brigadeiro.

Mal começou o ano de 2012 e a outra face da realidade bateu a nossa porta. O IBGE divulgou o resultado do PIB de 2011, crescimento de 2,7%, mostrando forte desaceleração em relação ao crescimento de 7,5% registrado em 2010. A participação do setor industrial no PIB recuou para 14,6% ante 16,2% em 2010.

Apesar da diversificação do nosso parque industrial, o peso relativo da indústria no PIB recuou aos níveis de 1956. Diferentemente da China, onde a indústria representa 43,1% do PIB, da Coréia com 30,4% e de 20,8% da Alemanha. No momento atual, um em quatro produtos industrializados consumidos no Brasil é importado, segundo a Fiesp. Em 2003 essa relação era de um para dez. Esses dados revelam um movimento de desindustrialização.

O desequilíbrio comercial somado à valorização cambial, com o real na posição de uma das moedas que mais se valorizaram no mundo, – só nos dois primeiros meses deste ano o real teve a valorização de 11% a maior entre todas as demais – além da adoção das maiores taxas de juros da economia global e a redução dos preços de commodities em 12,7%, ao longo dos últimos 12 meses, compõe um quadro de relevantes restrições à economia nacional.

No campo político, o inicio de 2012 trouxe novos episódios de antigos problemas. Na Câmara Federal, 53 dos 76 deputados do PMDB divulgaram manifesto de insatisfação com o atual governo. A presidenta Dilma sofreu a primeira derrota no Congresso, o senado rejeitou por 36 votos contra 31 a recondução de Bernardo Figueiredo, pessoa muito ligada à presidenta, ao cargo de diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres. Estes acontecimentos, demonstram o descontentamento e instabilidade da base governista, que pode colocar em risco a votação de importantes projetos e leis, a exemplo do novo Código Florestal.

Aos problemas no Congresso Nacional se somaram o lançamento da candidatura de José Serra à prefeitura de São Paulo, com um significativo potencial de reaglutinação dos setores conservadores tendo como expoente na sua articulação o “errático” Kassab, e a intensificação dos atritos e conflitos na base de sustentação do governo face às disputas locais, principalmente nos grandes municípios.

:: LEIA MAIS »

“FRATURAS” NA ALA DOS POLÍTICOS

Dissidências no bloco oposicionista e na base de sustentação ao prefeito Capitão Azevedo (DEM) ficaram claras na procissão de São José, ontem. A oposição se dividiu em dois blocos e os governistas sofreram leve fratura.

A pré-candidata petista, Juçara Feitosa, seguiu atrás do andor com a imagem do santo padroeiro de Itabuna acompanhada pelo esposo, o deputado Geraldo Simões, e o ex-deputado Capitão Fábio. À frente de Juçara, seguiam os prefeituráveis comunistas Davidson Magalhães e Wenceslau Júnior, acompanhados pela pré-candidata do PDT, Acácia Pinho, e o vereador Glebão (PV). O sonho dos comunistas é fechar aliança com PDT e PV, o que se via traduzido na avenida. Mas Acácia também pede a vez.

Quem puxava o bloco dos políticos prefeituráveis na avenida era o prefeito Capitão Azevedo. Rodeado de secretários e pré-candidatos a vereador, Azevedo tentava enxergar onde estavam os deputados estaduais Augusto Castro (PSDB) e Coronel Santana (PTN). Augusto estava “solto na avenida”, conversando com todas as alas políticas. Santana vestiu-se com a camisa azul, assim como todo seu grupo, e distribuía abraços e sorrisos aos fiéis – e também eleitores (veja texto abaixo).

Márcia Rosely, Wenceslau, Acácia (centro), Davidson e Glebão (Pimenta).

Juçara, ao lado de Geraldo Simões (c), e Sérgio Costa (Foto Pimenta).

Capitão Azevedo conversa com eleitora durante procissão (Foto Pimenta).

PARTIDOS EXPÕEM PRÉ-CANDIDATOS NA TV

O DEM expõe o prefeito Capitão Azevedo, possível candidato à reeleição com conta dos exercícios de 2009 e 2010 pedentes de análise pelos vereadores em ano eleitoral. O PDT, a professora Acácia Pinho, enquanto o PMDB, a empresária Leninha Alcântara. Já o PSDB, aparece com o deputado estadual Augusto Castro, que, abandonando o velho estilo, ataca o governador Jaques Wagner, a quem acusa de ter abandonado o sul da Bahia.

Quem assiste ao horário nobre das emissoras locais de TV de Itabuna nesta segunda-feira, 19, dia do padroeiro São José, parece estar vendo, antecipadamente, o horário eleitoral gratuito com exibições de 15 segundos dos referidos partidos.

A exceção é o PT, que teria perdido o direito de expor sua pré-candidata, Juçara Feitosa, como punição por abuso cometido nas eleições de 2010. A propósito, o candidato Vane do Renascer, do PRB, também pôde usufruir os 15 segundos da TV na semana passada. O PCdoB também usou o espaço com Davidson Magalhães e Wenceslau Júnior em fevereiro.

RELATÓRIO APROVA SEDE DA UFESBA EM ITABUNA

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara Federal votará, na próxima quarta-feira (21), o projeto de lei 2207/2011, de criação da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba). A boa notícia para Itabuna é que o relator do projeto na comissão, deputado Eudes Xavier (PT-CE), deu parecer pela instalação da reitoria da Ufesba em Itabuna.

Eudes conversou com o deputado Geraldo Simões neste final de semana e antecipou o parecer do projeto. O projeto encaminhado pela presidente Dilma Rousseff à Câmara Federal prevê sede da Ufesba em Itabuna e campi em Porto Seguro e Teixeira de Freitas.

Na semana passada, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, agitou a política baiana ao defender a reitoria em Porto Seguro (relembre aqui). A fala do ministro em audiência na Câmara provocou reações dos deputados Geraldo Simões (PT) e Alice Portugal (PCdoB) e do vereador itabunense Wenceslau Júnior (PCdoB). Geraldo chegou a afirmar que se o ministro conseguir alterar a localização da sede da Ufesba, o governo será derrotado na Câmara dos Deputados (confira aqui).

A comissão se reúne a partir das 10h da próxima quarta. Esta não será a última etapa antes da votação em plenário. O projeto de lei seguirá para análise da Comissão de Educação.

OS PREFEITURÁVEIS

Marco Wense

O eleitorado não aceita determinados conchavos arquitetados na calada da noite. A desistência de um prefeiturável ou de uma candidatura deve ser acompanhada de fortes e convincentes argumentos.

O maior desafio dos pré-candidatos a prefeito de Itabuna, principalmente os que integram a frente partidária composta pelo PDT, PCdoB, PRB, PV e PSC, é a sobrevivência política pós-eleição.

A derrota não significa o fim do legítimo sonho de comandar o cobiçado Centro Administrativo Firmino Alves. O enterro político definitivo decorre da malandragem.

O eleitorado não aceita determinados conchavos arquitetados na calada da noite. A desistência de um prefeiturável ou de uma candidatura deve ser acompanhada de fortes e convincentes argumentos.

No último processo sucessório (2008), o apoio do então candidato Fábio Santana a Juçara Feitosa deu no que deu: uma vitória acachapante do Capitão Azevedo sobre a petista.

Política é uma peça de vários atos. Quem assim não entender, vai ficar fora do palco ou, então, como eterno coadjuvante. O próximo ato é a sucessão de 2016.

FRANCO ATIRADOR

A orientação no staff político do prefeito Azevedo é não mexer com o prefeiturável do PCdoB, o vereador Wenceslau Júnior.

Não interessa ao azevismo o enfraquecimento da pré-candidatura de Wenceslau.  O PT versus PCdoB é motivo de festa.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

VARELA PAI X VARELA FILHO

O pai diz que vai acionar o filho no TRE (composição Andrei Amós/BN)

Do Bahia Notícias

O clima esquentou de vez no reino dos Varela após o patriarca da família, Raimundo Varela, ter avisado que somente a sua atual mulher, SheilaVarela (PMDB), poderá usar o sobrenome na disputa eleitoral por uma vaga na Câmara Municipal, em outubro deste ano. O radialista prometeu, diante das câmeras de televisão, acionar o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) caso seu filho, Gel Varela (PCdoB), também postulante a vereador, usasse o sobrenome durante a campanha.

“Sou Varela desde menino e meu pai sabe disso, talvez ele esteja querendo me provocar. Isso é uma provocação porque não tem razão legal, nem moral. […] Se eu me tremer, pensar como menino… talvez ele esteja pensando que eu sou menino, mas eu tenho 44 anos”, refutou, em entrevista ao programa Acorda pra Vida, da Rede Tudo FM 102.5, nesta sexta-feira (16).

O comunista avisa ainda que não pretende deixar para a madrasta toda a visibilidade proporcionada pelo sobrenome. “Isso não nega o meu direito, o meu princípio de identidade. Meu pai não é um déspota, ele não define a minha vida. Ele é uma pessoa que tem a opinião dele e quer exercer o poder em favor das ideias dele”, acredita.

EM DISCURSO DURÍSSIMO, DANIEL ALMEIDA COLOCA O DEDO NA FERIDA – E COBRA DILMA

Daniel Almeida apresenta fatura baiana à presidente Dilma.

O deputado Daniel Almeida (PCdoB) ocupou parte do grande expediente, ontem, na Câmara, para cobrar da presidente Dilma Rousseff o mesmo tratamento que ela obteve na Bahia nas urnas. A cobrança ocorre após as perdas de ministérios e da presidência da Petrobras.

Daniel, dentre outras cobranças, lembra que a Bahia tornou-se, por esses dias, o estado do “já teve”. Já teve a direção-geral da Agência Nacional de Petróleo, já teve a presidência da Petrobras e já teve os ministérios das Cidades e do Desenvolvimento Agrário e o líder do governo na Câmara, que é baiano mas foi eleito por São Paulo. Não tem mais. Além disso, citou Dnocs, Sudene, Chesf, Banco do Nordeste e Codevasf – órgãos presentes na Bahia, mas sem nenhum baiano na direção.

Ressaltando que não enxerga na presidente Dilma a ingratidão, o parlamentar comunista disse não entender “o motivo de um tratamento que não corresponde à dimensão que o nosso Estado tem e a própria vitória que a Presidenta Dilma alcançou no meu querido Estado da Bahia”.

Almeida também elencou uma série de demandas baianas que poderiam ser atendidas pela presidente (como construção e ampliação de aeroportos, recursos para os portos e ações de combate à seca) e citou, especificamente, o que comprovaria tratamento desigual oferecido ao estado.

– Temos uma situação esdrúxula. Juazeiro e Petrolina são cidades irmãs,  uma fica em Pernambuco, outra, na Bahia, divididas pelo Rio São Francisco, com 240 mil habitantes de um lado e 200 mil habitantes do outro lado do rio. Lá (em Petrolina), o programa Minha Casa Minha Vida tem valores diferentes: em Pernambuco, 56 mil reais; na Bahia, 50 mil reais, numa realidade idêntica. Lá, a mão de obra, os equipamentos, o material de construção, o valor do terreno, tudo é a mesma coisa. Por que essa diferença?”.

Confira a íntegra do discurso do parlamentar no “leia mais”, abaixo.

:: LEIA MAIS »

PELA BEIRADA

Marco Wense 

Fernando Gomes vai continuar dizendo que não será, em hipótese nenhuma, candidato a prefeito de Itabuna. Pessoas bem próximas do ex-alcaide murmuram que não é bem assim.

Os órfãos renitentes do fernandismo apostam que Fernando Gomes muda de ideia se o cenário ficar favorável.

“Tem que acontecer quatro coisas: a inelegibilidade do prefeito Azevedo, candidatura própria do PCdoB, apoio total do PMDB e uma boa colocação nas pesquisas”, diz um entusiasmado defensor da candidatura de FG.

MINA DE OURO

A ordem no staff político do governo Azevedo é explorar o acontecimento mais inusitado da sucessão de 2012: a aliança entre os ex-prefeitos Fernando Gomes e Geraldo Simões.

Os azevistas acham que a inesperada aproximação entre FG e GS vai prejudicar a campanha da ex-primeira dama e pré-candidata Juçara Feitosa. O tiro vai sair pela culatra.

Já tem gente até dizendo que Fernando Gomes já conhece a casa de praia de Geraldo. Um irritado ex-fernandista chega a dizer que uma foto com Geraldo, Fernando e Juçara vale uma boa grana.

Pois é. Coisas da política. Do movediço, teatral e traiçoeiro jogo político.

SEM RETORNO

Os meninos do PCdoB, com as peremptórias e incisivas declarações de que o partido terá candidato a prefeito de Itabuna, não tem mais como recuar e apoiar o PT.

O posicionamento mais duro em relação à importância do PCdoB sair da aba do petismo foi do prefeiturável Wenceslau Júnior: “Se o partido não lançar candidato rasgo minha ficha de filiação”.

Petistas e comunistas vão caminhar por estradas diferentes. Os meninos não querem mais o papel de coadjuvantes.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

GERALDO: “JUÇARA É A CANDIDATA”

Geraldo Simões  aproveitou o início da entrevista a Cacá Ferreira, para fazer afago no PCdoB. Lembrou que o partido o atrapalhou em 1996, quando manteve a candidatura de Davidson Magalhães e impediu a vitória de Renato Costa, mas ajudou em 2000, quando foi eleito para o segundo mandato como prefeito, e nas campanhas de 2004 e 2008, indicando os vices Conceição Benigno e Luís Sena, respectivamente.

O parlamentar não acredita, por enquanto, que o PCdoB vá abrir mão da candidatura a prefeito. “Devemos procurar novos caminhos. Se lá na frente, em junho, melhorar a relação, nós nos juntaremos”, afirmou, mas sem dizer se o PT abriria mão da cabeça de chapa. O PCdoB começa a definir, hoje, às 16h, na Câmara de Vereadores, quem será o pré-candidato a prefeito do partido, se Wenceslau Júnior ou Davidson Magalhães.

O deputado disse não ter dúvidas de que sua esposa, Juçara Feitosa, será o nome do PT na sucessão itabunense. “A candidata é Juçara”, afirmou ao radialista Cacá Ferreira, que estreou nesta semana na Rádio Difusora após quatro convites da direção da emissora. Geraldo disse que era essa a dúvida em 2008, mas a esposa foi a candidata, que, segundo ele, “não ganhou por conta das circunstâncias”.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia