WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

editorias






:: ‘pcdob’

EM BUSCA DA VAGA PERDIDA

davidsonmagalhaesO PC do B pretende recuperar o mandato de deputado federal perdido na última eleição. O partido elegeu três parlamentares à Câmara, Alice Portugal, Daniel Almeida e Edson Pimenta. Mas este último deu 1×0 nos comunistas ingressando, um mês depois da posse, no PSD, de Gilberto Kassab e Otto Alencar.

Eles deixam claro que a recuperação não será no tapetão. O jogo será nas urnas e, para isso, Davidson Magalhães vai entrar na disputa “com gosto de gás”, recebendo todo o apoio da máquina. O partido quer definir estratégia para que o presidente da Bahiagás saia de Itabuna com uma grande votação. O temor é de que o Governo de Vane, no qual têm poder de mando, não decole até lá.

Na Assembleia Legislativa, o PC do B tem três deputados, Fabrício Falcão, Kelly Magalhães e Álvaro Gomes. A intenção é ampliar para cinco, aproveitando, inclusive, o recall dos 31.832 mil votos conquistados em 2010 pelo hoje vice-prefeito de Itabuna, Wenceslau Júnior.

Segundo fonte ligada ao partido, os preferenciais para dobradinha com Davidson são o militar Serpa, os vereadores Josevaldo (Ilhéus), Zó (Juazeiro) e Aladilce (Salvador) e a ex-candidata a vice na chapa de Pelegrino a prefeito de Salvador, Olívia Santana,

Tem também o nome de Raimundo Nonato Tavares da Silva, aquele homenageado por Caetano na música Reconvexo numa crítica ao jornalista Paulo Francis: “(…) Não tenho escolha, careta, vou descartar/ Quem não amou a elegância sutil de Bobô (…). O ex-jogador,Bobô, atualmente é diretor geral da Sudesb – Superintedência dos Desportos do Estado da Bahia, autarquia ligada à Secretaria do Trabalho.

ASA BRANCA É AQUI?

claudio_rodriguesClaudio Rodrigues | aclaudiors@gmail.com

Elegemos, no último pleito, um prefeito de fato, mas não de direito. O prefeito Claudevane Leite, recebeu os votos, assumiu a prefeitura, mas quem manda é o Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

Na década de 80 a Rede Globo de televisão exibiu um dos maiores sucesso da teledramaturgia brasileira, se não o maior, a novela Roque Santeiro, escrita por Dias Gomes e Aguinaldo Silva. A história se passa na cidade fictícia de Asa Branca, em algum lugar que reúne características e personagens de diversas regiões do Brasil.

O coroinha Luiz Roque Duarte, conhecido como Roque Santeiro por sua habilidade em modelar santos, morreu ao defrontar os homens do bandido Navalhada, logo após seu misterioso casamento com a desconhecida Porcina. Santificado pelo povo, que lhe atribui milagres, tornou-se um mito e fez prosperar a cidade ao redor da sua história de heroísmo.

Só que Roque não está morto, e volta à cidade, ameaçando pôr fim ao mito. Sua presença leva ao desespero o padre Hipólito, o prefeito Florindo Abelha e o comerciante Zé das Medalhas, principal explorador do santo. Mas o maior prejudicado é Sinhozinho Malta, o todo-poderoso fazendeiro do lugar, que vê ameaçado o seu romance com a “viúva” Porcina, que nunca foi casada com Roque e sempre viveu à sombra de uma mentira articulada por Malta. Mentira institucionalizada para fortalecer o mito e tirar vantagens pessoais.

Florindo Abelha era um grande “pau mandado”, prefeito de fato, mas não de direito, quem ditava as ordens na prefeitura de Asa Branca era o coronel Sinhozinho Malta. Abelha só dizia amem para as decisões do coronel. Faço essa viagem no túnel do tempo, para chegar ao atual momento por que passa Itabuna. Elegemos, no último pleito, um prefeito de fato, mas não de direito. O prefeito Claudevane Leite, recebeu os votos, assumiu a prefeitura, mas quem manda é o Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

A demissão do médico sanitarista Humberto Barreto, da diretoria de Planejamento da Secretária de Saúde, atendendo às ordens do PCdoB, mostra que temos um prefeito sem pulso, que não têm as rédeas da administração e, a exemplo do prefeito da ficção Florindo Abelha, segue piamente as ordens dos Comunas.

O prefeito abriu mão de um homem de caráter e índole ilibados, profissional altamente competente e com serviços prestados a Itabuna, por que o partido de “sua base” resolveu colocar interesses partidários acima dos interesses da coletividade, na busca do poder pelo poder, por defender que os fins justificam os meios.

Se o prefeito Claudevane Leite fizesse valer o poder que os eleitores lhe conferiu através do voto, e mantivesse o diretor de planejamento da Saúde, o vice-prefeito Wenceslau Júnior e os demais cururus, sob o comando de Davidson Magalhães, teriam mesmo coragem de romper com o prefeito e deixar os cargos que detêm no município e que tanto adoram?

Prefeito, o poder é para ser exercido. Quem não sabe fazer uso dele, corre o risco de se transformar num Florindo Abelha. E fazer de Itabuna uma Asa Branca.

Cláudio Rodrigues.

PC DO B ACERTOU QUEDA DE MÉDICO NO SÁBADO

A queda do médico Humberto Barreto foi decidida pelo PCdoB no último sábado (8) numa reunião com os “cabeças” do partido. Liga daqui, liga dali, definiu-se no encontro dos capas-pretas uma linha de ação.

A estratégia primordial era derrubar o médico do cargo de diretor de Planejamento. E, na sequência, fazer aprovar a lei que redefine a composição do Conselho Municipal de Saúde, mas ao gosto do freguês. E o freguês não é o cidadão, obviamente.

(Aqui, um adendo: o Ministério Público está de olhos bem atentos à jogada envolvendo o Conselho. E o governo conhece muito bem o trabalho do MP. E aqui não vai nenhum juízo de valor, obviamente).

Foi no sábado que o secretário de Saúde, Renan Araújo, disse ao prefeito Claudevane Leite que era ele ou Humberto na Saúde. Vane titubeou.

O PCdoB local entrou no circuito e acionou os capas-pretas de Salvador, dentre eles o presidente da Bahiagás, Davidson Magalhães.

Agora, a mensagem era outra. Ou Renan ou Humberto. Com um complemento: se Humberto ficar, o PCdoB rompe com a administração.

Entre a seriedade de Humberto e a aliança política com os comunistas, Vane fez a escolha de todos (ou quase todos) já conhecida.

Os comunas até alegaram que o prefeito já havia retirado, do partido, o comando do financeiro da Saúde, quando exonerou Almeciano Maia, cunhado do secretário de Saúde.

Para completar as pressões, o presidente da Câmara, Aldenes Meira, também foi acionado. Vane, literalmente, viu-se encurralado.

PC DO B AMEAÇOU ROMPER COM VANE SE PREFEITO NÃO EXONERASSE HUMBERTO

Humberto Barreto deixa governo após pressão do PCdoB estadual (Foto Pimenta/Arquivo).

Humberto Barreto deixa governo após pressão do PCdoB estadual (Foto Pimenta/Arquivo).

A direção estadual do PCdoB ameaçou o prefeito Claudevane Leite para que o diretor de planejamento da Secretaria da Saúde de Itabuna, Humberto Barreto, fosse exonerado do cargo. A confissão foi feita pelo próprio Vane a aliados mais próximos.

O prefeito se justificou dizendo que aceitou o pedido para que não houvesse rompimento com o aliado. A avaliação interna é de que, com este ato, Vane mostra quem realmente manda no governo. Em outros palavras, demonstrou fraqueza.

O PCdoB teria alegado ao prefeito que Humberto Barreto tinha forte ascendência sobre a equipe (na verdade, foi Barreto quem formou a equipe da Saúde) e não iria admitir “poder paralelo”.

O secretário Renan Araújo chamou Humberto para conversar nesta manhã. Disse a ele que havia combinado com o prefeito a sua exoneração “a pedido”. Humberto rejeitou a proposta, conforme disse ao PIMENTA há pouco.

O médico sanitarista afirmou que deveria constar no decreto o que realmente ocorreu, pois a exoneração partia do secretário.

O blog conversou com mais componentes da equipe da Saúde. Há uma disposição de chefes de departamento e diretores para deixar os seus respectivos cargos em ato de solidariedade a Barreto.

CORRA, VANE, CORRA…

greveO Sindicato dos Servidores Municipais de Itabuna (Sindserv) emitiu nota, na sexta, na qual informa ao Governo Vane que não vai tolerar carga extra de trabalho para os funcionários da área administrativa da Educação (porteiros, merendeiras etc). A compensação de aulas deverá ser seguida de “remuneração”.

O recado do sindicato, ligado ao PCdoB, ocorria no momento em que a greve dos professores da rede municipal completava duas semanas. Exatamente naquele dia (sexta 7), horas depois, o governo era derrotado em sua intenção de que a justiça considerasse a greve dos educadores ilegal.

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) rejeitou o pedido do município e marcou audiência de conciliação para a próxima quarta (12), em Salvador. Abaixo, a íntegra da nota do Sindserv.

“O Sindserv se solidariza com a luta dos professores municipais, que estão em greve por mais valorização, deixando claro para o executivo municipal que não aceitará, sob hipótese alguma, que os trabalhadores labutem extraordinariamente, sem a devida remuneração ou compensação, para suprir as ausências dos professores durante a greve.”

PIMENTA(S) DO DIA – HABEMUS PREFEITO…

Comentário do leitores Osvaldo Palmeira Júnior e Comunista da Sibéria ao post “Vane rejeita nomes do PCdoB para o financeiro da saúde”:

Será que agora, 150 dias após a posse, vamos ter fumaça branca na Prefeitura de Itabuna? Já temos prefeito de direito? Se o nome de Edmar Sodré for confirmado para a Saúde, na área administrativa, teremos de fato um competente profissional cuidando de um setor tão importante.

Leitor (a) Comunista da Sibéria comenta “Vane rejeita nomes do PCdoB para o financeiro da Saúde”:

É o que diz a fonte. As torneiras gotejantes espalhadas pelos quatro cantos da cidade dão conta de que se não há Coitus Interruptus os problemas de “disfunção erétil” continuarão existindo. E não adianta vir a público fingir orgasmo.

VANE REJEITA NOMES DO PC DO B PARA O FINANCEIRO DA SAÚDE

Vane bateu pé (Foto Gabriel Oliveira).

Vane bateu pé (Foto Gabriel Oliveira).

A lua de mel do prefeito Claudevane Leite com o PCdoB registra momentos de turbulência. Ontem, Vane rejeitou as indicações de Ramon Cardoso e Wellington Rodrigues, respectivamente, para os cargos de diretor financeiro e diretor administrativo da Secretaria da Saúde.

Os nomes foram levados ao prefeito pelo próprio secretário Renan Araújo, o vice-prefeito Wenceslau Júnior e o presidente da Bahiagás, Davidson Magalhães. Vane bateu pé, rejeitou as indicações e disse que ele escolheria os nomes.

Vane não aceitou a argumentação do titular da Pasta. Renan explicou ao prefeito que precisava de um nome de sua confiança para o financeiro. O prefeito rebateu afirmando que confiava nos nomes escolhidos por ele próprio (Adenilson Ramos, da Marimbeta, e Edmar Sodré, ex-Uesc).

Os dois cargos eram acumulados, até o início deste mês, por Almeciano Maia. Como revelou o Pimenta em primeira mão, Maia pediu exoneração do cargo (relembre aqui). Antes de apresentar os nomes de Ramon e Wellington, o trio comunista tentou o retorno de Almeciano. Vane não aceitou.

SÓ NA ALEGRIA

marcowenseMarco Wense

Quem faz política no governo Vane é o PCdoB. Faz política com pragmatismo, disciplina e perseverança. O próximo passo é a eleição de Davidson Magalhães para deputado federal. Outras metas virão.

O prefeito Claudevane Leite precisa formar um grupo político de sua inteira confiança, sob pena de ficar “amarrado” ao Partido Comunista do Brasil, o PCdoB.

Não vai também entrar no jogo da oposição, ávida por um rompimento entre o prefeito e o vice Wenceslau Júnior. A possibilidade de uma cisão é remota.

Como é remota – e não inexistente ou impossível –, o pega-pega pode acontecer. Quem sabe em 2015 ou no ano eleitoral de 2016. A torcida é para que o racha aconteça já, agora em 2013.

Quem são os oposicionistas ansiosos por um Vane versus PCdoB? A resposta é mais que óbvia: os petistas de Geraldo Simões, os demistas de Azevedo e alguns tucanos ligados ao prefeiturável Augusto Castro.

Todo chefe de Executivo tem o seu staff político, que funciona como uma capa protetora. Os ex-Fernando Gomes, Geraldo Simões e Azevedo tinham suas armaduras.

E mais: quem faz política no governo Vane é o PCdoB. Faz política com pragmatismo, disciplina e perseverança. O próximo passo é a eleição de Davidson Magalhães para deputado federal. Outras metas virão.

Hoje, o PCdoB é fiel a Vane. Amanhã, é uma grande incógnita. O apoio da legenda comunista vai depender da avaliação do governo pela opinião pública.

Não existe nenhum compromisso do PCdoB com o segundo mandato do prefeito Vane (reeleição). Outro caminho na sucessão municipal de 2016 não é descartado.

O casamento entre Claudevane Leite e o PCdoB pode até ser duradouro. Mesmo sem a promessa de fidelidade na alegria e na tristeza.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

VEREADOR ESQUECEU A VERGONHA EM CASA…

Nerival pensou que estava em casa...

Esse é o Nerival…

O Blog do Gusmão traz uma pérola lançada em plenário pelo vereador ilheense Nerival (PCdoB). Pérola, não. Melhor dizer sem-vergonhice.

Para atacar, indiretamente, o colega Cosme Araújo (PDT), Nerival disse não ser homossexual, ter “pulso firme” e ser homem nascido de um falo grande. Bem, as palavras não foram essas. Aqui, estão suavizadas em respeito ao leitor-eleitor.

Nerival levou uma cossa do presidente em exercício, Fábio Magal (PSC).

PC DO B DEVE LANÇAR 3 NOMES SUL-BAIANOS À ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Dirigentes comunistas discutem tática eleitoral do PCdoB no sul da Bahia (Foto Divulgação).

Dirigentes discutem tática eleitoral do PCdoB no sul da Bahia (Foto Divulgação).

Representantes do PCdoB itabunense se reuniram, ontem, em Salvador, com o comando estadual dos cururus. O vice-prefeito Wenceslau Júnior e o presidente da Câmara de Itabuna, Aldenes Meira, discutiram governo municipal, atuação dos cururus no legislativo local e, ainda, o cenário e a tática eleitoral para 2014. O encontro também teve a participação de Ramon Cardoso e Josenaldo Cerqueira.

Se antes havia resistência, parece que agora se cristaliza cenário em que o PCdoB vai para a disputa à Assembleia Legislativa com três nomes na Região Cacaueira: Oziel da Ambulância, que foi candidato a prefeito de Camacan, o militar Valci Serpa e Aldenes Meira. Oficialmente, o partido ainda está naquela de “discussão de alternativas”.

Quem saiu com sorriso escancarado após o encontro foi Aldenes. A amigos, o presidente da Câmara de Itabuna diz que a sua candidatura não atrapalha os planos do presidente da Bahiagás, Davidson Magalhães, que trabalha para ser candidato a deputado federal.

O “JUDAS DO ANO”

caricatura vaneOs leitores opinaram na seção Comentários e o prefeito Claudevane Leite, de Itabuna, foi o escolhido para o posto de “Judas do Ano”, com 44 menções, ante 38 do ex-prefeito Capitão Azevedo. No geral, os leitores citaram o atual gestor pelo início de governo “cambaleante”. Já o ex-prefeito é lembrado pelo caos financeiro que provocou em Itabuna.

O governador Jaques Wagner foi lembrado por 10 dos leitores que opinaram. O vice-prefeito de Itabuna, Wenceslau Júnior, recebeu 8 menções, seguido do prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, com seis. Houve ainda quem citasse o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros, e o deputado federal Marco Feliciano, acusado de racismo e homofobia.

DE RATOS DE REDAÇÃO A CARRASCOS DA IMPRENSA

walmir rosárioWalmir Rosário | wallaw1111@gmail.com

Às antigas práticas stalinistas foram somadas as nazistas e um exemplo é o projeto de Lei do Marco Regulatório da Imprensa (lei da mordaça). Só nos resta pedir clemência a Deus e votar corretamente nas próximas eleições.

Uma das imagens mais vistas nas redações brasileiras no período da ditadura militar – e até hoje – eram alguns personagens chamados naturalmente de “ratos-de-redação”, “chatos-de-galocha” ou outros adjetivos que o valham. Essas peregrinações diárias tinham como objetivo conseguir nos veículos de comunicação – órgãos capachos do capitalismo, segundo eles – alguns espaços para divulgarem, em muitos casos, material de origem duvidosa.

E traziam material para as possíveis notícias nas várias editorias. Cultura, esportes, reclamações e denúncias diversas e até política. De início, a política sindical; depois partidária. Antes de mostrar o que tinha ido ali fazer, gastava uns 10 tostões de prosa tentando agradar, entrava na seara das dificuldades econômicas, cuspia fogo na tirania da inflação, creditando tudo às mazelas do maldito capitalismo.

Entregavam o material, o repórter lia, faziam algumas perguntas para complementar as lacunas, respondidas prontamente quando eram do interesse partidário. Quando não, geralmente o repórter ouvia alguns impropérios do tipo “é mais um burguesinho, um bajulador dos patrões da grande imprensa que vive cerceando os interesses dos trabalhadores”…e ia embora. De qualquer forma a notícia, quando boa, era publicada.

Outros, de forma dissimulada, chegavam às redações justamente no horário do fechamento, quando somente estavam sendo elaboradas a primeira página e a página da editoria de polícia, e avisavam que tinham a maior notícia do mundo. Quando ouviam que todas as páginas já tinham sido fechadas, retrucavam com a maior cara-de-pau: “Não tem um espaço nem na primeira página?”, perguntavam virando o rosto com vergonha.

Mas nem tudo continua com dantes, eis que esses rapazes e moças chegaram ao poder junto com o Partido dos Trabalhadores e seu leque de satélites, que incluem os PCs, PSB, dentre outros menos votados. Já em 1993, com a chegada desses partidos ao poder em Itabuna, a mudança foi de 180 graus, e as visitas às redações foram escasseando, mas as cobranças, não. Agora eram feitas por telefone, em formas de ameaças.

E essa prática continuou se acentuando com mais vigor após a posse de Lula no Palácio do Planalto. Mutatis mutandis (ou no velho português de guerra, mudando o que tem de mudar), o comportamento acompanhou o surrado brocardo romano. Ao invés de chegarem pisando macio, como antes, brandiam as folhas dos jornais com ameaças da pior espécie: “Nosso governo não admite isso não” e prometiam retirar até mesmo a publicidade do jornal.

:: LEIA MAIS »

A PREFERÊNCIA DE DAVIDSON MAGALHÃES

Davidson conversa com Serpa, enquanto Renan Araújo discursa (Foto Dany)

Davidson conversa com Serpa, enquanto Renan Araújo discursa (Foto Dany Muniz))

A foto acima ilustra bem a preferência do camarada Davidson Magalhães na disputa interna no PCdoB pela vaga sul-baiana nas eleições à Assembleia Legislativa em 2014. O “Homem do Gás” tem simpatia pelo nome de Valci Serpa, mas o presidente da Câmara de Itabuna, Aldenes Meira, sonha com a candidatura a deputado estadual. Não à toa, ontem defendeu que o partido tenha mais nomes na corrida à Assembleia Legislativa na região.

Por enquanto, o partido trabalha com a pretensão de eleger 3 deputados federais e 5 estaduais em 2014. Até o período das convenções partidárias, teremos muita água para rolar por baixo da ponte.

 

ALDENES VERSUS DAVIDSON

marco wense1Marco Wense

Um Aldenes Meira independente, com personalidade, conduzindo a digna instituição com respeito, enfraquece a corrente do PCdoB contrária a sua legítima pretensão de se candidatar ao Parlamento estadual.

Já começou o burburinho em torno da votação das contas de 2011 e 2012 do ex-prefeito José Azevedo, ainda filiado ao Partido do Democratas, o DEM de Maria Alice.

O “ainda” é porque Azevedo quer trocar o DEM pelo PMDB do médico Renato Costa, que vai terminar vivendo o dilema do “se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.”

O bicho pega porque Renato não pode ser ingrato com o ex-prefeito, seu aliado na sucessão de 2012. A dobradinha DEM-PMDB colocou Renato como candidato a vice na chapa da reeleição.

O bicho come porque o discurso da ética, que sempre norteou a carreira de Renato, com a filiação de um político que vai ser alvo de inúmeros e variados processos, fica comprometido. Desacreditado.

Alguns membros do diretório do PMDB querem que a filiação de José Azevedo fique condicionada à aprovação das suas contas pela Câmara de Vereadores.

O “condicio sine qua non” não agrada o comando estadual da legenda, já que o ex-prefeito pode ser um importante aliado de Geddel Vieira Lima na sucessão do governador Jaques Wagner (PT).

A grande expectativa fica por conta de Aldenes Meira, presidente do Legislativo municipal e pré-candidato a deputado estadual pelo PCdoB, partido sob a batuta do vice-prefeito Wenceslau Júnior.

Aldenes sabe que sua ascensão política depende do seu desempenho na Casa. E nada melhor do que a rejeição das contas do ex-alcaide para colocá-lo na mídia. Na vitrine eleitoral.

:: LEIA MAIS »

VANE ANUNCIA FÁBRICA DA DEL VALLE E PROGRAMA PARA 10 MIL CRIANÇAS E JOVENS

(Fotos Gabriel Oliveira)

(Fotos Gabriel Oliveira)

O prefeito Claudevane Leite (Vane do Renascer) disse que estão adiantadas as negociações do governo estadual para que a fábrica de sucos Del Valle, da Coca-Cola Company, seja instalada em Itabuna. A unidade deverá se instalar no Distrito Industrial, às margens da BR-415. Uma área de 72 hectares foi desapropriada pelo governador Jaques Wagner para criar o distrito e abrigar indústrias como a Del Valle.

Durante entrevista exclusiva ao PIMENTA, o prefeito itabunense também revelou a criação do que considera o maior programa social da história do município. A iniciativa envolverá 10 mil crianças e adolescentes em atividades de inclusão por meio do esporte e deverá começar “nos próximos meses”. É uma das cartadas para tentar diminuir os índices de violência no município e integra as ações do programa Cidade de Paz, prometido em campanha.

Vane também comentou sobre a força do PCdoB no governo e negou que os comunistas tenham sido desleais. “Eu desafio aqui os meios de comunicação ou qualquer pessoa a dizer onde foi que o PCdoB avançou sinal”.

A entrevista também aborda duas questões caras nesse início de governo: a nomeação – e exoneração – de azevedistas e as dívidas deixadas pelo ex-prefeito Capitão Azevedo (DEM).  Apenas com a Marquise, cita, foram R$ 12 milhões não pagos, além de R$ 1 milhão com a Oi, o que deixou prefeitura e redes de educação e saúde sem telefone e internet, afetando, por exemplo, a marcação de exames e consultas. Confira principais trechos da entrevista.

BLOG PIMENTA – A mudança foi o lema da sua campanha, mas a sua gestão manteve quadros e situações do governo passado. Com isso, não há uma quebra de expectativa? O senhor não acha que faltaram ações de impacto que marcassem a diferença de um momento para o outro?

CLAUDEVANE LEITE – Eu acredito que houve choque de gestão com a revisão, agora, de todos os contratos feitos de 2009 para cá. Conseguimos reduzir o valor da maioria dos contratos. Dos cargos comissionados, nós preenchemos apenas 40%, o que é muito difícil um prefeito fazer. Quanto aos comissionados do governo anterior, foram 9, 10 pessoas, não era uma multidão e, até onde eu sei, não eram pessoas envolvidas com nada de errado. Nós terminamos por exonerá-las,  exatamente porque a opinião pública não aceitava. [A nomeação] talvez tenha sido um equívoco. Os que ficaram são efetivos e quem errou vai responder. Vamos enviar [as provas] para o Ministério Público estadual.

BP – Numa entrevista, o senhor disse que nomeou algumas das pessoas do governo passado, apresentadas pelos seus secretários,  sem mesmo conhecê-las. Essa surpresa se deu também com o ex-secretário José Alencar?

CL – Não. José Alencar é um bom técnico, tem trânsito muito bom no governo federal e tinha uma boa equipe de planejamento, de projetos. No primeiro momento, a gente precisou ficar com algumas pessoas aqui para passar informações de projetos. Chegamos e não tínhamos conhecimento de como estavam os projetos. Uma dessas pessoas foi José Alencar, que ficou e nos ajudou muito.

BP – Essa necessidade seria um indicativo de que não houve transição efetivamente?

CL – Houve transição, trabalhamos, mas, efetivamente, o governo anterior não encaminhou todas as informações. Até agora, eles não passaram as informações contábeis. Marcam a data e não cumprem. Estamos em nossa auditoria interna e vamos contratar empresa.

BP – Fará auditoria externa?

CL – Exatamente. Estamos conversando com várias empresas. Vamos fechar essa auditoria externa até a próxima semana.

Vane entrevista Pimenta5 foto Gabriel Oliveira______________

NOMEAÇÃO DE AZEVEDISTAS: Foram 9, 10 pessoas, não era uma multidão. Nós terminamos por exonerá-las,  exatamente porque a opinião pública não aceitava.

 

BP – Nos levantamentos internos, o que já foi detectado?

CL – O comprometimento das finanças, as dívidas deixadas, sem dúvida, são os maiores problemas. Itabuna está no Cadin [Cadastro de Inadimplentes] e, por isso, não pode pleitear muitos dos convênios federais por causa da inadimplência. Só de INSS, são R$ 250 milhões em dívidas. Isso é histórico, vem de muito tempo. Temos dívida de R$ 19 milhões com empresas de lixo. São R$ 12 milhões com a Marquise e R$ 7 milhões da Torre.

BP – Como será solucionado este impasse com a Marquise, que tem contrato até setembro?

CL – A Marquise está trazendo muita dificuldade para gente. Aqui em Itabuna, já encontramos empresas que podem fazer o serviço pela metade do preço da Marquise, mas com qualidade. Óbvio que iremos ver isso por meio de licitação. Ainda falando dos problemas encontrados, o ex-prefeito também não pagou os servidores, que precisam receber, mas como é que você paga R$ 11 milhões nessa dificuldade? Outro problema muito grave é com a telefônica Oi. Deixaram R$ 1 milhão de débito. A gente não tem como quitar R$ 1 milhão de um dia para o outro. Em janeiro, tivemos um mês infeliz. Nossa arrecadação caiu de R$ 23 milhões, em janeiro de 2012, para R$ 18 milhões em 2013. 70% da nossa frota estava praticamente sem funcionar, inclusive a patrulha mecânica, equipamento novo. Temos também o alto percentual gasto com a folha de pagamento. Apenas a folha dos efetivos já é muito alta e isso é extremamente preocupante.

BP – Muitos municípios têm sofrido com esse aumento do percentual de gasto com a folha não pelo empreguismo, mas por causa da queda de arrecadação. Qual a saída para aumentar receita?

CL – Nós temos que trabalhar com austeridade e buscar aumentar a receita própria, mas sem aumento ou criação de impostos, e vamos fazer isso. Volto a dizer que cortamos as funções gratificadas e deixamos de preencher 60% dos cargos comissionados como medidas de economia. Mas vamos ter que contratar para a saúde, educação, assistência social. Precisamos estruturar a saúde para que todos os postos estejam funcionando em março. A saúde está sendo preparada para receber a Plena.

______________Vane entrevista Pimenta 6 Foto Gabriel Oliveira

DÍVIDAS E GESTÃO: Nossa perspectiva é de um cenário melhor a partir de abril, mas já estamos fazendo muito dentro do possível. Nós pegamos uma prefeitura com débito e sem dinheiro em caixa.

BP – O retorno do Comando Único estaria condicionado, ainda, ao pagamento de dívidas deixadas em 2008, quando o município perdeu a gestão plena?

CL – Este não é um complicador para que o comando único retorne. O mais importante é melhorar a atenção básica. Nós estamos acelerando para que isso aconteça.

BP – O senhor traz um retrato de “terra arrasada”. Há perspectiva de quando o governo começa a trabalhar dentro de um cenário mais otimista?

CL – Tivemos uma melhora em fevereiro, mas nossa perspectiva é de um cenário melhor a partir de abril, mas já estamos fazendo muito dentro do possível. Nós pegamos uma prefeitura com débito e sem dinheiro em caixa. Estamos regularizando a dívida com o servidor, contratamos 150 pessoas para varrição de ruas, poda, jardinagem e estamos com operação tapa-buracos e iluminando as vias. A cidade não está melhor, mais limpa, por causa desse problema com a Marquise, que faz a coleta de resíduos sólidos. O Hospital de Base já deu uma melhorada, mesmo com toda a dificuldade. As consultas médicas estão sendo marcadas. Gente que estava há oito meses sem marcar exame já  está conseguindo.

BP – Mas quem procurou marcar consulta no início de fevereiro enfrentou dificuldades.

CL – Com certeza, mas isso foi por causa do sistema que é ligado à Oi, a quem a prefeitura deve R$ 1 milhão. Esse foi um problema operacional, que já estamos regularizando. A gente começou a limpar a cidade, tapar os buracos e limpar canais. O canal do São Caetano há seis anos que não passava por limpeza e nós começamos a limpar. E o da Califórnia, também. Então, a gente acredita que de abril em diante a gente comece a avançar muito mais.

BP – As feiras livres de Itabuna sempre foram sujas, mas hoje estão ainda mais. O centro comercial está muito sujo. O que fazer?

CL – O centro comercial é um condomínio e precisa dar uma resposta. Diante da dificuldade toda que temos, estamos fazendo grande esforço. Queria antecipar que, na conversa com o governador Wagner, nós tratamos da revitalização das feiras livres. Outro assunto foi a volta do Comando Único do SUS. A gente não quer apenas melhoramento, mas fazer revitalização total das feiras. As feiras são questão de saúde pública e um pedido de Itabuna. As feiras do São Caetano e Califórnia têm canais sujos, com ratos, urubus… Nós solicitamos ao governador, e ele pediu para encaminhar projeto. Pensamos em feira com estacionamento, pavimentos e que as pessoas que trabalham lá possam aumentar sua renda.

Vane entrevista Pimenta5 foto Gabriel Oliveira______________

FEIRAS LIVRES: As feiras são questão de saúde pública. A gente não quer apenas melhoramento, mas fazer revitalização total das feiras.

 

 

BP – Esses projetos das feiras livres implicam em mudança de local?

CL – Não temos intenção de mudança de local. Pedimos mais algumas coisas ao governador, a exemplo dos canais e apoio para a pavimentação dos bairros.

BP – Na última entrevista ao blog, ainda na condição de prefeito eleito, o senhor falou que um dos assuntos da audiência seria a geração de empregos, atração de indústrias. Isso foi tratado?

CL – Sim, o governo já desapropriou área de 72 hectares para a Sudic. Virá uma empresa para cá. Estou muito preocupado porque 90% das pessoas que vêm à Prefeitura estão em busca de emprego. Nesses 50 dias de governo, já me reuni com mais de 20 empresários. Todas essas 20 virão para Itabuna? Não, mas tentaremos trazê-las. Nós fomos o primeiro prefeito da Bahia que criou a Sala do Empreendedor, com o Sebrae, para que o pequeno empreendedor saia de lá com tudo prontinho, tenha também acesso a crédito, junto com a Caixa [Econômica Federal]. Essa semana, também, já tivemos com o Banco do Povo, para que a prefeitura possa dar suporte financeiro para que possamos expandir o microcrédito. A visão nossa é ampla, estamos preocupados com a questão da saúde, da educação, do emprego, da violência.

BP – Qual a empresa que ocupará essa área do distrito industrial?

CL – É a indústria de sucos Del Valle (da Coca-Cola) e já é uma negociação que está bem adiantada. Mas temos também aquela área onde funcionou a Kildare, que eu penso em utilizar para instalar uma incubadora de pequenas e médias empresas. Hoje nós temos diversas empresas interessadas naquele espaço e nós estamos avançando nisso, embora ainda haja uma questão judicial a ser resolvida. Mas estamos muito preocupados com a questão do emprego e renda em Itabuna.

BP – Existe possibilidade de negociação amigável com os Kaufmann, que reivindicam os galpões?

CL – Na verdade, hoje a Prefeitura tem o domínio da área, mas ainda há questões a serem vencidas.

Vane entrevista Pimenta 7 foto Gabriel Oliveira______________

VIOLÊNCIA E CIDADE DE PAZ: A cada ano a violência aumenta e isso é uma coisa que nos deixa extremamente preocupados. O ano de 2013, particularmente, começou dando sinais de que será pior nesse aspecto.

BP – Como o governo está se mobilizando para transformar em realidade o projeto Cidade de Paz, que foi um de seus compromissos de campanha?

CL – Na última década, os índices mostram que a cada ano a violência aumenta e isso é uma coisa que nos deixa extremamente preocupados. O ano de 2013, particularmente, começou dando sinais de que será pior nesse aspecto. Nós vamos procurar resolver isso, fazendo políticas públicas. Temos feito diversas reuniões com nossos secretários e todas as ações, principalmente na cultura, na Fundação Marimbeta, Secretaria de Esportes, de Educação, é visando promover programas e projetos voltados à inclusão social. O que precisamos fazer é trabalhar a criança e o adolescente para reduzir sua vulnerabilidade. Estamos articulando junto ao Pronatec [Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego] a atração de diversos cursos profissionalizantes. Além da ampliação da renda, queremos oferecer esse treinamento e mais opções no que se refere ao esporte e à cultura.

BP – Já existe algum projeto pelo menos em vias de ser concretizado?

CL – Nós ainda não estamos divulgando na imprensa, mas nos próximos meses vamos lançar um programa que vai atender 10 mil crianças e adolescentes. Será o maior programa social da história de Itabuna. Somente na Vila Olímpica, sede da Usemi (União dos Servidores Municipais de Itabuna) e no Itabunão (Estádio Luiz Viana Filho),  teremos vaga para 3 mil crianças praticarem esportes. Outras 2 mil serão acolhidas na Fundação Marimbeta e mais 5 mil pela Ficc [Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania]. Será o primeiro grande passo que daremos em relação às políticas públicas de inclusão, mas também de prevenção. Itabuna terá uma programação cultural e esportiva que jamais teve. Queremos fazer grandes festivais culturais e muitas competições esportivas para que, nos próximos anos, em vez de ver a  violência aumentar, possamos vê-la diminuir.

CLIQUE NO LINK ABAIXO E CONFIRA TODA A ENTREVISTA
:: LEIA MAIS »

UFSBA MUDARÁ O PARADIGMA DE NOSSA REGIÃO

WENCESLAU1Wenceslau Júnior | wenceslauvereador@gmail.com

A Comissão está trabalhando incessantemente para encontrar a solução mais adequada para garantir a imediata instalação da universidade na cidade.

Na condição de membro da Comissão criada pelo prefeito para acompanhar o processo de implantação da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufsba), vale a pena esclarecer:

A) Que o município não dispõe de área própria que atenda às exigências elencadas pela Comissão de Implantação;

B) Que a área oferecida pela gestão anterior é particular, não existindo qualquer contrato que assegure ao município alguma garantia;

C) Que em conjunto com a comissão de implantação da UFSBA, estamos avaliando tecnicamente a melhor opção de área para em seguida efetuarmos a compra ou desapropriação;

D) essas medidas estão sendo mantidas em sigilo para evitar especulação imobiliária no entorno da área escolhida.

Na verdade, o que mais tem nos angustiado é a definição de um espaço adequado para abrigar imediatamente o funcionamento do Colégio Universitário de Itabuna e a Instalação do Instituto e da sede da Reitoria, pois esses espaços é que são fundamentais, juntamente com a celeridade na aprovação do Projeto de Lei que Cria a UFSBA assegurando o seu pleno funcionamento já em 2014.

Quanto às decisões de prédios para instalação do Colégio Universitário, do Instituto e da Sede da Reitoria, bem como em relação à definição da área para construção do Campus, a comissão de implantação, juntamente com o prefeito da nossa cidade, definiram o mês de março como prazo razoável para tal definição.

A Comissão está trabalhando incessantemente para encontrar a solução mais adequada para garantir a imediata instalação da universidade na cidade. Não poderia ser diferente tal empenho, até porque, eu e o prefeito Vane, na condição de vereadores, juntamente com nossos pares e outros atores, participamos intensamente da luta em defesa da Universidade Federal do Sul da Bahia.

Entendo que a decisão de instalar a Universidade aqui é a maior conquista do centenário de Itabuna, pois esse equipamento, juntamente com a Uesc, Ifba, Ceplac e outros órgãos aqui instalados, possibilitará a formação da massa crítica necessária para formular políticas de desenvolvimento econômico com inclusão social, respeito ao meio ambiente, focado no desenvolvimento tecnológico e na inovação necessários à consolidação de uma mudança de paradigma que supere de uma vez o modelo econômico de exportação de commodities, aproveitando a instalação dos equipamentos de infraestrutura e logística em curso na região dando um salto na diversificação econômica com foco em tecnologia.

Daí a determinação do prefeito Vane para que a equipe não poupe esforços e no prazo combinado com a comissão, nosso município possa cumprir com a parte que lhe cabe.

Wenceslau Júnior é vice-prefeito de Itabuna, advogado e professor da Uesb.

ALIADOS COADJUVANTES

marco wense1Marco Wense

Sobre o imbróglio das nomeações de azevistas e fernandistas, é preciso que as lideranças do PRB, PPS, PSC, PV e PP se juntem no esclarecimento de que tais indicações não partiram exclusivamente de seus partidos.

O óbvio ululante é afirmar que o PCdoB é a mais forte legenda do governo Vane. Como é inquestionável que Davidson Magalhães, diretor-presidente da Bahiagás, é o “cara” do comunismo grapiúna.

Essa influência do PCdoB já era esperada. Sem os comunistas, a campanha do então candidato Vane ficaria no meio do caminho. O apoio político foi importante. O financeiro imprescindível.

Todo esse toma-lá-dá-cá é inerente ao processo político. Não é coisa específica do PCdoB. Todas as agremiações partidárias agem do mesmo modo. É regra.

PRB, PPS, PSC, PV e o PP deram suas contribuições, cada um dentro de seus limites e condições. Não são coadjuvantes, como andam dizendo alguns membros do PCdoB. São também protagonistas.

Sobre o imbróglio das nomeações de azevistas e fernandistas, é preciso que as lideranças do PRB, PPS, PSC, PV e PP se juntem no esclarecimento de que tais indicações não partiram exclusivamente de seus partidos.

Querem empurrar o ônus das esquisitas nomeações para os partidos “coadjuvantes”, deixando o PCdoB de fora e, por tabela, o camarada Davidson Magalhães, pré-candidato a deputado federal.

O RETORNO DE FG

O slogan da campanha já está pronto: “O povão de Deus com Fernando”.  É Fernando Gomes em plena campanha para a prefeitura de Itabuna na sucessão de Claudevane Leite.

Os fernandistas estão eufóricos. Acreditam em um cenário favorável na eleição de 2016, com duas candidaturas se bicando: Vane (reeleição) e Geraldo Simões atrás do terceiro mandato.

Maria Alice e Raimundo Vieira são os mais entusiasmados com o retorno do “grande chefe”. Alice comanda o diretório municipal do DEM.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

FORA DA DISPUTA

marco wense1Marco Wense

O momento é de reflexão. Recomeçar com humildade, reconhecendo os erros cometidos, é o melhor caminho para se manter politicamente vivo.

Juçara Feitosa, ex-primeira-dama de Itabuna, duas vezes candidata ao Centro Administrativo Firmino Alves, não vai mais disputar a presidência do diretório municipal do Partido dos Trabalhadores (PT).

Sem dúvida, o primeiro importante passo do deputado federal Geraldo Simões para enfraquecer o discurso de que seu projeto político é familiar, como gosta de dizer o pessoal do PCdoB.

Geraldo Simões, cada vez mais carente de apoio e distante de um terceiro mandato, não pode ter como adversário o próprio Geraldo Simões.

O momento é de reflexão. Recomeçar com humildade, reconhecendo os erros cometidos, é o melhor caminho para se manter politicamente vivo.

VANE E O ELEITORADO

Se Claudevane Leite fizer um bom governo, quebra o tabu do segundo mandato consecutivo. A reeleição significa o surgimento de uma nova e forte corrente política: o vanismo.

Do contrário, fazendo um governo medíocre, muito abaixo do esperado, a decepção e a revolta, sem descartar a volta ao passado com Fernando Gomes, Geraldo Simões ou Azevedo.

Um grande desafio pela frente, já que o eleitorado cansou da política do “feijão com arroz”, com a sobra do dinheiro público indo para os bolsos dos governantes e de seus homens de confiança.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

DEBANDADA NO PP ITABUNENSE

PP debandadaCerca de 300 filiados ao PP de Itabuna podem abandonar o partido ainda nesta semana em resposta ao que classificam como “falta de diálogo” da direção regional da sigla. Há insatisfação dos cerca de 20 candidatos a vereador quanto à forma como foi escolhido o secretário de Indústria, Comércio e Turismo, pasta destinada ao partido nas discussões entre aliados do prefeito Vane do Renascer (PRB).

O PP integrou o arco de seis partidos que apoiaram a eleição do prefeito itabunense. Dentro da legenda, há quem lembre que traidores estão no grupo dos beneficiados, enquanto quem comeu “sal e poeira” foi relegado ao esquecimento, embora reúna qualidades técnicas.

A revolta ocorre, também, por que os principais cargos abaixo do de secretário estão sendo preenchidos por outra legenda, o PCdoB, que indicou os diretores de Indústria e Comércio (Rosivaldo Pinheiro) e de Turismo (João Carlos Ettinger).

Um dos que reclamam da situação diz que o prefeito Vane do Renascer (PRB) honrou a palavra com o partido, mas a direção local esqueceu dos compromissos e ignorou decisões tomadas internamente.

Outro filiado ouvido pelo PIMENTA também se queixa do comportamento do empresário Roberto Minas Aço, que não tem comparecido às reuniões internas. Roberto é o dono da indicação do advogado José Humberto Martins para o cargo de secretário de Indústria, Comércio e Turismo.

ALDENES E AS ALGEMAS

ALGEMASDepois de escolher um ex-delegado federal para a diretoria administrativa da Câmara de Vereadores e anunciar uma auditoria em contratos firmados pelo legislativo, notadamente os que se referem à terraplanagem da área destinada à futura sede daquele poder, o presidente Aldenes Meira (PCdoB) afirma que não vai tolerar desvios.

Em entrevista concedida ao semanário Itabuna Notícias, que está nas bancas, Meira fala até em algemas para quem “cair em tentação”.

Palavras do próprio:

“A gente indicou para diretor da casa o ex-delegado e ex-superintendente da Polícia Federal, doutor Rubens Paturi, que tem larga experiência na área administrativa. Nós pretendemos trilhar aqui o caminho certo e não temos o direito de errar nem permitir o mau uso do recurso público. A gente vai denunciar e expor para a sociedade no primeiro mau uso que acontecer. Quem tentar se utilizar do recurso público para benefício próprio, por mim, sai daqui algemado”.

Vale o registro para eventuais cobranças futuras.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia