WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba

unesul bahia

uniftc






janeiro 2020
D S T Q Q S S
« dez    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias


:: ‘PMDB’

OPOSIÇÕES DESENCONTRADAS

Em artigo que assina neste domingo, 22, no jornal A Tarde, o jornalista Samuel Celestino faz uma análise do momento difícil em que se encontram as oposições, não apenas na Bahia, mas também no cenário nacional. Aliás, o que acontece em âmbito estadual é reflexo da política mais ampla e isso não escapa ao articulista.

Celestino complementa a análise abordando a situação de Salvador, em que PMDB, DEM e PSDB ensaiam, mas não conseguem efetivamente criar um projeto comum para a sucessão municipal.

Corretamente, Celestino observa que as eleições deste ano praticamente antecipam a disputa de 2014 na troca de comando do governo da Bahia. E o cenário atual favorece a continuidade.

Clique aqui para ler o artigo, publicado também no Bahia Notícias.

É MELHOR DESISTIR

Marco Wense

Na areia movediça da política, não há espaços para os ingênuos e os desprovidos de espírito público.

Os pré-candidatos a prefeito de Itabuna não podem ficar chateados com os comentários sobre suas pretensões políticas, que são legítimas e merecedoras de respeito.

Quem pretende entrar na vida pública, assumindo o poder pelo voto popular, sem dúvida o maior instrumento da democracia, não pode ficar tiririca com o pessoal da comunicação.

O projeto político interessa a todos. A vida privada, se fulano ou fulana gosta disso ou daquilo, aí incluindo a preferência sexual, é problema de cada um.

Comentários sobre o particular dos prefeituráveis, com picuinhas, insinuações maldosas e coisas outras, são ridículos. Não merecem nem a lata do lixo.

Até as freiras do Convento das Carmelitas, por exemplo, sabem que candidatura até o fim do processo eleitoral só com alguma possibilidade de vitória.

Quem não pontuar bem nas pesquisas, tendo como limite a primeira quinzena do mês de setembro, terá, compulsoriamente, que entrar no jogo da cúpula estadual das agremiações partidárias.

Os interesses lá de cima, que envolvem os chamados “mangangões”, os que se acham donos vitalícios dos partidos, são como grandes elefantes na frente de pequenas formigas.

Essa conversa de autonomia de diretório municipal para decidir sobre candidatura é conversa pra boi dormir. Se os diretórios não têm autonomia, imagine as coitadinhas das comissões provisórias.

Um acordo na sucessão soteropolitana, envolvendo os partidos de oposição ao governo Wagner, principalmente o PMDB, DEM e o PSDB, é mortal para as articulações interioranas.

Seria de uma ingenuidade gigantesca, de uma infantilidade inominável, alguém pensar que o ex-ministro Geddel não iria fazer um acordo com ACM Neto porque o PMDB de Itabuna pretende ter candidatura própria.

Ou, então, ACM Neto apoiando o candidato do PMDB em Salvador sem exigir como contrapartida o apoio do peemedebismo de Itabuna ao segundo mandato do prefeito Azevedo (reeleição).

Na areia movediça da política, não há espaços para os ingênuos e os desprovidos de espírito público. O melhor conselho é desistir, sob pena de ficar no meio do caminho.

PDT SEM CARGO

Acácia e Félix (Foto Política Livre).

Em decorrência de um acordo entre os deputados Félix Mendonça e Geraldo Simões, respectivamente patronos das pré-candidaturas de Acácia Pinho e Juçara Feitosa, o PDT ficou sem cargos no governo Wagner.

A dobradinha Félix e Geraldo, de olho também na sucessão do prefeito José Azevedo (DEM), deixou os pedetistas de Itabuna a ver navios. Muita gente insatisfeita nas hostes do brizolismo tupiniquim.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

ANUNCIAÇÃO: PRB, PMDB E PDT QUEREM A VICE

Da coluna Política, Gente, Poder (Diário Bahia)

Vane do Renascer, PRB. Não acredito que o PRB terá candidato próprio a prefeito desta capital-cidade do Planeta Cacau, Itabuna. Renato Costa, PMDB. Não acredito que o PMDB terá candidato próprio à Prefeitura de Itabuna. Acácia Pinho, PDT. Não acredito que o PDT terá candidato próprio à sucessão de Nilton Azevedo. PMDB, PRB, PDT querem negociar a vice. A descoberta é saber a vice de quem. Demo ou PT?

RENATO COSTA: “ALIANÇA COM O DEM E O PSDB NÃO SERÁ OBRIGATÓRIA EM ITABUNA”

O presidente local do PMDB, ex-deputado Renato Costa, está fora do páreo em 2012, mas diz que trabalha pela candidatura própria do partido. Até aqui, a legenda possui quatro pré-candidatos: Maruse Xavier, Ruy Côrrea, Edmilton Carneiro e Leninha Duarte.

O partido define até o final deste mês qual deles será o pré-candidato. O escolhido terá até maio para viabilizar-se, segundo Renato, que não descarta aliança com o PT itabunense, embora haja acordo antipetista firmado entre os diretórios estaduais do PMDB, PSDB e DEM. “Nosso plano “A” é viabilizar nossa candidatura própria”, diz o presidente, que completa: ‘Estaremos abertos a aliança com quem quer que seja”.

Confira bate-papo do PIMENTA com o presidente do PMDB itabunense.

Como o partido se posicionará em 2012?
O PMDB trabalha pela candidatura própria. Definiremos até o fim deste mês quem será o pré-candidato. Enquanto isso, vamos manter conversa com os outros partidos, com a Terceira Via, para ver se a gente apoia ou será apoiado. E, por outro lado, caso não consiga viabilizar candidato ou não compor com a Terceira Via, estaremos abertos a aliança com quem quer que seja.

O PMDB seguirá a orientação da estadual para fechar com o DEM e o PSDB?
O PMDB, por tradição, não costuma agir assim, empurrando goela abaixo. Evidentemente que se for por esse caminho, de fazer alianças, passaremos pelo crivo da Estadual. Não há obrigatoriedade [de compor com o DEM e o PSDB]. Caso a candidatura própria não se viabilize, estaremos livres para fazer aliança com quem acharmos melhor.

Na eleição a governador em 2010, havia expectativa de Geddel ter o apoio de Azevedo, o que não aconteceu. Esse fato atrapalharia o diálogo com o DEM em Itabuna?
Isso foi o que eu disse ao prefeito, de que não haveria nenhuma obrigação de apoiá-lo, pois ele não criou essa obrigação. Ele não se definiu na eleição a governador. Além do mais, Geddel trouxe para Itabuna a maior obra, a mais visível [a cobertura do Canal da Amélia Amado]. Agora essa história de verticalizar as decisões, isso é complicado, não existe. Se fosse para alinhar [de cima], nós já temos o PMDB aliado ao PT no plano nacional. Cada município tem sua realidade, suas diferenças. É muito difícil [verticalizar], não há isso de não pode apoiar esse, não pode aquele. Nós não temos nenhum veto. Nosso plano “A” é viabilizar nossa candidatura própria.

Qual será o nome do partido?
Nós temos Ruy Correa, Maruse [Xavier], Leninha [Duarte] e [Edmilton] Carneiro. Dentro de 15 dias, teremos só um nome.

Essa aliança de Salvador [com o DEM e o PSDB] não será obrigatória aqui. Pode até acontecer, mas não é obrigatória.

E a aliança com o PT, está descartada?
Não há proibição nem obrigação de apoiar. A primeira opção é com os partidos menores, com Vane, PCdoB, Acácia Pinho. Caso não seja possível, a gente vê. Mas isso é lá para maio ou junho. Nós vamos trabalhar pela candidatura própria. Essa aliança de Salvador [com o DEM e o PSDB] não será obrigatória aqui. Pode até acontecer, mas não é obrigatória.

O PMDB tem orientado os diretórios a não se aliar ao PT no interior?
Não, eles apenas dizem que aliar-se ou não com o PT é uma decisão nossa, do diretório. Se a candidatura própria não ganhar musculatura, nós buscaremos aliança. Mas agora vamos decidir o nome do PMDB de forma consensual, apoiar quem tem mais visibilidade.

Juvenal Maynart, do diretório estadual, falou que, dos nomes postos, Leninha seria o melhor do PMDB por ter os três Dês: dimensão, densidade, democracia.
E vocês até falaram do outro D, de dinheiro, né? (risos). Mas os outros nomes também têm simpatia.

PMDB SELA ACORDO ANTI-PT EM ILHÉUS, ITABUNA E 8 CIDADES

Geddel arma aliança com o neto do desafeto ACM para tentar derrubar o PT (Foto ABr).

A direção estadual do PMDB baiano incluiu Ilhéus e Itabuna na relação das dez cidades baianas nas quais o partido não fará coligação com o PT em 2012.

O veto faz parte de acordo construído com legendas do campo oposicionista, a exemplo de PSDB, PPS e DEM. A lista foi publicada pelo jornalista Josias de Souza em seu blog.

O veto aumenta as chances do prefeito Capitão Azevedo (DEM) ter o apoio da legenda na tentativa de reeleição em Itabuna, embora Geddel Vieira Lima e o irmão, o deputado federal Lúcio Vieira Lima, tenham se afastado do mandatário grapiúna.

PT E PMDB DEVEM SE ENFRENTAR EM 14 CAPITAIS

Folha:

Parceiros no cenário nacional, PT e PMDB se preparam para disputar o comando de mais da metade das capitais nas eleições deste ano. Com a oposição esvaziada, representantes das duas legendas já avaliam que elas protagonizarão a principal rivalidade no pleito deste ano.

Cruzamento feito pela Folha a partir de dados passados pelas siglas mostra que os partidos podem estar em palanques opostos em 14 das 26 capitais –entre elas São Paulo e Salvador. É quase o dobro das disputas entre as siglas no último pleito municipal, em 2008, quando estiveram em lados diferentes em oito capitais.

OS PRAZOS DO PMDB

Juvenal: preferência por Leninha.

Juvenal Maynart diz que o deputado federal Lúcio Vieira Lima é quem definirá o pré-candidato do PMDB à prefeitura de Itabuna. O nome será divulgado em janeiro. E o escolhido terá até maio para mostrar poder de fogo. Ou isso ou o PMDB abrirá mão de possível cabeça de chapa.

Juvenal, que compõe a Executiva Estadual e é próximo a Lúcio Vieira Lima, defende o nome da empresária Leninha Alcântara. Para ele, é quem, dos nomes postos, tem os três “Dês”: “densidade, democracia e dimensão”. Alguém mais direto resumiria tudo a um só “D” – de “dinheiro”.

QUE VENHA 2012!

Cláudio Rodrigues | claudio@formandus.com.br

 

Vamos ouvir as propostas e promessas dos candidatos, suportar o infernal barulho dos carros de som nas ruas do centro e, no primeiro domingo de outubro, escolher aquele que possa tirar Itabuna desse estado de abandono.

 

Estamos às vésperas de mais um novo ano, onde todos fazem um balanço do período que se finda e planejam as realizações do que está pra chegar. O próximo ano é atípico, teremos eleições municipais e logo veremos uma meia dúzia de candidatos a prefeito prometendo o céu e a solução de todos os problemas de nossa cidade, além de uma legião de postulantes a vereador nos dando nome, número e falando de honestidade e ética.

Dos nomes até agora postos no xadrez da política local, temos o atual prefeito Nilton Azevedo, candidato à reeleição, a ex-comerciante, ex-primeira dama e ex-secretária de Desenvolvimento Social Juçara Feitosa, os simpáticos cururus Davidson Magalhães e Wenceslau Junior. Há também os empresários Roberto Barbosa e Ronald Kalid e a professora Acácia Pinho.

Nas últimas três décadas, Itabuna foi administrada por apenas dois grupos, hora o do ex-prefeito Fernando Gomes, hora o do ex-prefeito e deputado federal Geraldo Simões. O atual prefeito Capitão Nilton Azevedo, uma criação de Fernando Gomes, tem uma administração muito mal-avaliada, sua gestão é marcada pela mediocridade, incompetência e denúncias de corrupção. Não há uma rua, travessa, avenida ou caminho da cidade onde o lixo e os buracos não façam parte da paisagem.

O deputado Simões dono do PT, quer a todo custo empurrar goela abaixo a sua esposa como prefeita da cidade. A petista teve como grande mérito administrativo abrir e fechar em pouco tempo uma loja de roupas íntimas num shopping da cidade.

Esses dois grupos têm receitas semelhantes, administram na base do improviso, nunca planejaram a cidade e fizeram sempre seu feijãozinho com arroz. Penso que Itabuna deve arriscar e experimentar um dos novos nomes que estão sendo colocados nessa eleição.

Vejo com bons olhos os postulantes do PC do B, tanto Davidson quanto Wenceslau, desde que ao chegar ao poder não utilizem as práticas do seu partido, que às vezes cometem “malfeitos”, como diz a presidente Dilma. O empresário Roberto Barbosa, que já disputou a prefeitura na última eleição e ficou na terceira colocação, pode levar sua experiência de empresário bem sucedido para a gestão pública.

O empresário e também arquiteto Ronald Kalid comandou a Secretaria de Viação e Obras do ex-prefeito Ubaldo Dantas e, segundo se comenta, foi grande tocador de obras. Conta a seu favor a questão de ser um urbanista, que pode dar nova roupagem à boa e jovem, mas maltratada Itabuna.

Já a professora Acácia Pinho é uma grande interrogação. Na eleição passada foi vice na chapa do candidato fujão Capitão Fábio. Junto com o cabeça de chapa aderiu à candidatura do PT e no dia seguinte pulou do barco, que já tinha água até a metade. Ela tem os conhecimentos acadêmicos e poderia montar uma boa equipe técnica, mas como foi muito vacilante no último pleito, fica a dúvida.

Que venha 2012! Vamos ouvir as propostas e promessas dos candidatos, suportar o infernal barulho dos carros de som nas ruas do centro e, no primeiro domingo de outubro, escolher aquele que possa tirar Itabuna desse estado de abandono.

Vamos ouvir as propostas e promessas dos candidatos, suportar o infernal barulho dos carros de som nas ruas do centro e, no primeiro domingo de outubro, escolher aquele que possa tirar Itabuna desse estado de abandono.

Cláudio Rodrigues é empresário do ramo de formaturas e eventos.

A DITADURA DOS PARTIDOS

Marco Wense

As legendas partidárias vivem sob o comando autoritário dos que se acham donos dos partidos, colocando os interesses pessoais acima de qualquer coisa.

Todo esse imbróglio envolvendo o PSDB de Itabuna, com o presidente José Adervan defendendo o lançamento de candidatura própria, lembra o que aconteceu com o PDT na sucessão de 2008.

A comissão provisória do partido brizolista, por se recusar a apoiar o então prefeito Fernando Gomes, que era do DEM e pré-candidato a um quinto mandato, foi dissolvida.

Fernando Gomes desistiu da reeleição. O capitão Azevedo, o vice-prefeito, saiu candidato e ganhou a eleição com uma diferença de 12 mil votos sobre a petista Juçara Feitosa.

As legendas partidárias vivem sob o comando autoritário dos que se acham donos dos partidos, colocando os interesses pessoais acima de qualquer coisa. São os figurões, os “mangangões” da política.

O PDT passou a ser presidido por Dinailton Oliveira, sobrinho de Fernando Gomes. Depois foi parar no colo do Sargento Raimundo, que passou a representar o governo do DEM na Câmara de Vereadores.

Não há nem resquícios de democracia nas agremiações partidárias brasileiras. Tudo é uma farsa. Um engodo. Os diretórios municipais e as comissões provisórias não têm autonomia para decidir nada.

Dirigentes tupiniquins são considerados como marionetes. Verdadeiros bonecos de engonço. É o manda quem pode, obedece quem tem juízo. É a ditadura dos partidos.

Para os barnabés do interior somente o que sobrou dos conchavos entre as cúpulas estaduais. Só interessa a política soteropolitana, lá da “capitá”. O resto é resto.

WAGNER QUER GERALDO

Todo mundo sabe, até as freiras do Convento das Carmelitas, que no PT de Itabuna só tem dois nomes que podem disputar a sucessão do prefeito Azevedo (DEM).

Dois nomes com densidade eleitoral: o deputado federal Geraldo Simões, que já governou a cidade por duas vezes, e Juçara Feitosa, ex-secretária de Desenvolvimento Social.

O governador Jaques Wagner tem informações de que Geraldo é o candidato que pode derrotar o legítimo projeto de reeleição do atual chefe do Executivo.

A melhor opção do Partido dos Trabalhadores é aquela que mais preocupa o adversário. A opinião de que a ex-primeira dama perde para Azevedo é unânime entre os democratas.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

ANUNCIAÇÕES

Da coluna Política, Gente, Poder (Diário Bahia):

MARIA ALICE, perdão, Dona Maria Alice, depois de ressentimentos, frustrações, decepções, queixas, mágoas acumuladas, vai dominando, domina o prefeito-governo Nilton Azevedo. Enfim, novamente Dona Maria Alice no município, na cidade, no país das mil maravilhas. Eis mulher, fêmea atrevida.

MARIA ALICE, perdão, Dona Maria Alice, já foi candidata a vice-prefeita há muitos anos passados na chapa de Fernando Vita (PMDB), como já foi candidata a vereadora. Ela (Dona Maria Alice) jamais conseguiu representatividade democrático-popular-urnas. Nesta direção, mulher, fêmea azarada.

“MINHA CRÍTICA FOI À DIREÇÃO DO PARTIDO”

O advogado e pré-candidato a prefeito de Itabuna, Ruy Corrêa, nega que tenha sido específico em suas críticas à direção do PMDB, que demora em definir critérios e data para escolha do nome do partido na sucessão em 2012.

“[O presidente] Renato [Costa] não decide sozinho. Minha crítica foi à direção do partido, que é composta por outros cinco nomes”, assinalou. “Quem define é o colegiado”, disse ele, retificando o publicado no site do Agora e aqui reproduzido.

Ruy disse que, embora possua divergências pontuais com Renato, é amigo pessoal do presidente do partido. Ruy e Leninha Duarte já se posicionaram contra a lentidão na escolha. A direção estadual do partido sugeriu que esse prazo para definição de nome seja dezembro, mas o diretório municipal não anunciou, por exemplo, critérios, segundo Corrêa. Outros dois nomes que disputam indicação são os do advogado Edmilton Carneiro e de Maruse Xavier.

PEEMEDEBISTAS DÃO PRENSA EM RENATO COSTA

Do Agoranarede

Bastou Leninha Duarte se manifestar publicamente contra a morosidade do PMDB em escolher o seu candidato a prefeito de Itabuna, nas eleições de 2012, para outro pré-candidato –o advogado Ruy Corrêa– romper com o silêncio dos últimos dias e atirar munição pesada em direção ao presidente do partido, Renato Costa.

“Ele erra gravemente em não definir os critérios básicos para a escolha do candidato e não estabelecer uma data para anunciar o nome que vai concorrer à sucessão do prefeito Azevedo”, atesta Ruy Corrêa.

Ruy, Leninha, Maruse Xavier e Edmilton Carneiro disputam internamente no PMDB a vaga para candidato a prefeito, em 2012.

Eles tiveram seus nomes anunciados em bloco num ato político realizado há mais de um mês na sede recreativa do Itabuna Esporte Clube, mas até hoje não se sabe qual será o escolhido.

A NOIVA DAS NOIVAS

Marco Wense

Diria que o PMDB tem 60% para ficar com Azevedo (reeleição), 30% com Davidson Magalhães e 10% com a petista Juçara Feitosa.

O PMDB de Itabuna, municipalmente presidido pelo médico Renato Costa, em decorrência do tempo que dispõe no horário eleitoral, é a legenda mais desejada da sucessão do prefeito Azevedo.

Como ninguém acredita que o peemedebismo vai ter candidatura própria, as apostas em torno do comportamento do partido na eleição de 2012 já começaram.

Em termos percentuais, envolvendo aí o DEM, PCdoB e o PT, diria que o PMDB tem 60% para ficar com Azevedo (reeleição), 30% com Davidson Magalhães e 10% com a petista Juçara Feitosa.

ROBERTO, O PREFEITURÁVEL

Roberto Barbosa, mas conhecido como Roberto Minas Aço, inaugura hoje, com a presença do ministro das Cidades, Mário Negromonte, a sede do diretório do PP de Itabuna.

Roberto Barbosa é um empresário bem sucedido. Politicamente, ainda caminha com dificuldades. Mas tem a sorte de ter como conselheiro Jabes Ribeiro, ex-prefeito de Ilhéus e secretario estadual do Partido Progressista.

Fernando Gomes, que já foi quatro vezes prefeito de Itabuna, já deu claros sinais de que vai apoiar a pré-candidatura de Roberto na sucessão de 2012.

Fernando Gomes anda tiririca da vida com a criatura.

DEPOIS DAS ÁGUAS DE MARÇO

Marco Wense

O símbolo desse movediço e traiçoeiro jogo político é uma onça. E ela, independente de ser pintada ou não, só vai começar a beber água depois do carnaval.

Algumas situações, hoje consideradas como improváveis, ainda vão acontecer no desenrolar da sucessão municipal de Itabuna, na disputa pelo cobiçado Centro Administrativo Firmino Alves.

Novidade mesmo só a partir de março de 2012, faltando pouco tempo para as convenções partidárias, que serão realizadas até o último dia do mês de junho.

É evidente que “coisinhas” irão acontecer: disse-me-disse, oba-oba, picuinhas, mentiras e invencionices. Sem falar nos remunerados boateiros de plantão.

Esses boateiros – os mais perigosos são os que misturam política com a vida pessoal dos pré-candidatos – existem em todos os partidos. O lugar preferido pelos diabinhos é o ponto de ônibus.

O símbolo desse movediço e traiçoeiro jogo político é uma onça. E ela, independente de ser pintada ou não, só vai começar a beber água depois do carnaval.

Até lá, só os mesmos assuntos, as mesmas discussões e as mesmas dúvidas: O PCdoB vai ter candidato próprio? O PMDB vai apoiar a reeleição do prefeito Azevedo?

Aos ansiosos comentaristas políticos, sempre ávidos por novos fatos, não resta outro caminho que não seja o da paciência.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

TESTE DE FOGO

Marco Wense

A intenção é abrir uma vaga na Assembleia Legislativa para o suplente Wenceslau Júnior e, como consequência, o apoio da legenda à pré-candidatura da petista Juçara Feitosa.

O que se comenta lá pelas bandas do Palácio de Ondina, morada oficial do governador Jaques Wagner, é que uma mudança no secretariado pode acontecer antes da entrada do ano novo.

Essa pequena reforma administrativa teria a finalidade de abrir espaços para o recém-criado PSD, sob o comando do vice-governador Otto Alencar, e evitar algumas cisões entre os partidos aliados.

No tocante a sucessão do prefeito Azevedo, a intenção é abrir uma vaga na Assembleia Legislativa para o suplente Wenceslau Júnior e, como consequência, o apoio da legenda à pré-candidatura da petista Juçara Feitosa.

A Coluna Wense confessa que não tem informações seguras sobre essa manobra que visa o retorno do PCdoB aos braços do PT de Geraldo Simões.

Os comunistas têm um compromisso com a frente partidária formada pelo PDT, PRB, PSC e o PV. Não acredito que o PCdoB vai novamente se tornar uma legenda subsidiária do PT.

PMDB

Não estão levando o PMDB a sério. Todos os pré-candidatos a prefeito de Itabuna comungam com a mesma opinião: o PMDB não terá candidato na sucessão de 2012.

O PMDB de Itabuna só é procurado para indicar o candidato a vice-prefeito e, mesmo assim, porque tem um invejável tempo no horário eleitoral.

O PMDB é um grande partido e tem o honrado Renato Costa na presidência do diretório municipal. Não pode ficar na condição de coadjuvante e, o que é pior, sendo motivo de chacota.

“São pré-candidatos de brincadeirinha”, costumam dizer os outros partidos em relação a Ruy Correa, Maruse Xavier e Leninha Duarte.

É ASSIM MESMO

A Veja e o triste título para Itabuna (Clique para ampliar).

Quando uma revista de circulação nacional denunciou um possível envolvimento de Geraldo Simões com o caso da vassoura de bruxa, os adversários soltaram foguetes, morteiros e girândolas.

Agora, com a Veja trazendo à tona os sérios problemas da saúde de Itabuna, com o município sendo o campeão do Brasil em mortalidade infantil, os petistas têm todo o direito de soltar foguetes, morteiros e girândolas.

Política, infelizmente, é assim mesmo. Todos eles são adeptos do “quanto pior, melhor”. As principais vítimas da carnificina politiqueira são os Josés e as Marias da vida.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

MARUSE DIZ QUE É PRÉ-CANDIDATA PELO PMDB

Um grupo do PMDB itabunense parece nao ter digerido bem a entrada da empresária Marilene Duarte, a Leninha. Tanto que lançará o nome de Maruse Xavier, presidente da AABB local, como pré-candidata à prefeitura de Itabuna. Maruse apresentará as linhas da sua campanha durante evento na própria AABB, no domingo, às 11 horas. Ao blog, Maruse disse que é filiada ao partido desde os temos de MDB. “Tínhamos que ter um nome histórico nessa disputa”, afirma.

O nome do PMDB seria definido em dezembro, segundo Maruse, ex-esposa do também peemedebista João Xavier, que desistiu do embate para poupar energias e apoiar a candidatura a vereador do filho, Ricardo Xavier. Se está embolado em relação ao centro administrativo Firmino Alves, o partido mostra outra disposição quando o assunto é Câmara de Vereadores. A legenda reforçou o time com nomes de prestígio, a exemplo do advogado Edmilton Carneiro.

BRUMADO: EX-VICE GOVERNADOR FILIA-SE AO PT

Marizete e Edmundo: a caminho do PT.

O ex-vice governador da Bahia, Edmundo Pereira, e a esposa, a ex-deputada Marizete Pereira, são as novas aquisições do PT para a disputa das eleições municipais em Brumado, no sudoeste baiano. Anunciadas pela executiva estadual do partido, as filiações foram comemoradas pelo diretório municipal petista e saudadas como “reforços do partido para a disputa” do próximo ano.

Edmundo e a esposa deixaram o PMDB em meados de agosto, alegando motivos pessoais. Documento assinado pela executiva municipal petista também diz que as filiações “reforçam cada vez mais o sentimento de que é possível construir em Brumado uma alternativa de poder democrática, popular e representativa”.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia