WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba

unesul bahia

uniftc






janeiro 2020
D S T Q Q S S
« dez    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias


:: ‘PMDB’

DURO DE OUVIR

Quem ouviu Dilma Rousseff na convenção do PMDB baiano saiu convencido de que a petista necessita urgentemente afinar o discurso. Está longo, monótono, claudicante e cheio de informações técnicas. Os gedelistas particularmente não aprovaram, pois gostariam de um pronunciamento na linha motivacional, para inflamar a militância.

Se a chatice foi proposital, azar do PMDB.

O CANDIDATO DA DEPUTADA

Fonte ligadíssima à deputada Ângela Sousa avisa, com relação a um possível apoio da parlamentar ao peemedebista Geddel Vieira Lima,  que as aparências nesse quesito podem enganar. Em outras palavras, a presença dela na grande convenção liderada pelo PMDB, hoje, estaria longe de traduzir adesão à candidatura de Geddel a governador.

Ângela estaria, segundo esta fonte, totalmente disposta a cerrar fileiras com Jaques Wagner (PT), embora não possa assumir publicamente tal condição em virtude da aliança formalizada entre PSC e PMDB. Questão de fidelidade partidária, a mesma que obrigou a deputada a recentemente ausentar-se de importante votação para o governo.

Prossegue a fonte na mesma linha de argumentação, observando que tão a contragosto se encontrava a deputada na convenção peemedebista, que sequer ocupou lugar no palanque do evento. Preferiu ficar embaixo, discretamente. E a faixa estendida no local? “Era apenas uma saudação aos convencionais, sem nenhuma declaração de apoio a Geddel”, explica o angelista.

Outros igualmente obrigados pela “liturgia” partidária, mas tanto quanto de má-vontade na convenção, eram os deputados estaduais Gilberto Brito e Pedro Alcântara (ambos do PR), Adolfo Menezes (PRP) e Maria Luiza Laudano (PTdoB). Todos esses partidos estão com Geddel, mas seus digníssimos filiados fazem calundu para ficar com Wagner.

AZEVEDO AINDA NÃO DEFINIU APOIO, DIZ ASSESSORIA

Capitão Azevedo (DEM) ainda não definiu quem vai apoiar nestas eleições e a sua decisão sai após as convenções partidárias, garantiu ao Pimenta o jornalista Juarez Nunes, da Assessoria de Comunicação Social da prefeitura de Itabuna.  “Embora existam várias especulações em relação ao apoio, ele vai aguardar a realização das convenções [dos pré-candidatos]”, disse. “Oficialmente, o prefeito ainda não se pronunciou sobre o assunto”.

Mais cedo, o deputado estadual Luiz Argôlo (PP) participava do programa Bom Dia Bahia, da Nacional, e dizia ter “100% de certeza” de que o prefeito itabunense marchará com o petista Jaques Wagner. Argôlo foi o primeiro dos pré-candidatos a arrancar apoio oficial do democrata.

Desde o final do ano passado, Azevedo já sinalizou apoio a Geddel Vieira Lima (PMDB) e ao governador Jaques Wagner (PT), que disputa reeleição. Quem também namora Azevedo é o ex-governador Paulo Souto, presidente do DEM baiano, partido ao qual o prefeito itabunense está filiado. Então, aguardemos o início de julho para saber com quem Azevedo vai ficar.

ÂNGELA SOUSA APOIARÁ GEDDEL

Segundo o Bahia Notícias (confira aqui), a deputada estadual Ângela Sousa (PSC) desceu do muro e já definiu o seu candidato a governador. Será Geddel Vieira Lima (PMDB).

A parlamentar fechou com o peemedebista em reação a supostas represálias sofridas por parte do governador Jaques Wagner.

O apoio da parlamentar ao peemedebista – e principal adversário de Wagner nestas eleições – se dá de forma ostensiva e clara, com uma enorme faixa na entrada do Wet´n Wild, local da convenção que oficializa Geddel como o candidato do PMDB.

Enfim, Ângela desceu do muro!

PT E PMDB JUNTOS EM DEZ ESTADOS

Do Bahia Notícias:

Neste fim de semana, PT e PMDB festejam o lançamento das candidaturas da petista Dilma Rousseff à Presidência da República e do peemedebista Michel Temer como vice, na mesma chapa. O mote da festa, no entanto, só vale para dez estados da federação, onde as duas legendas conseguiram formar aliança em torno de candidato único ao governo. Em outras 14 federações, as siglas seguirão para a eleição em lados opostos.

Nos estados do Norte, por exemplo, em nenhum as duas legendas estão juntas na briga pelo governo. Outros três estados ainda estão com as negociações em aberto, mesmo a faltar poucos dias para as convenções locais. A Bahia, por exemplo, dispensa comentários. Aqui, a aproximação é sem possibilidade, pelo menos no 1º turno.

FOI DE WAGNER; SERÁ DE GEDDEL

Edmundo: vice de Geddel.

O PMDB finalmente definiu a chapa majoritária com a qual disputará o governo baiano e as duas vagas ao Senado Federal. Os nomes eram dados como líquidos e certos, mas faltava bater o martelo.

Geddel Vieira Lima disputará o governo, tendo Edmundo Pereira como vice. Para o Senado, os dois nomes serão César Borges (PR) e Edvaldo Brito (PTB).

Edmundo Pereira é o atual vice de Jaques Wagner. Como o PMDB rachou com o petista, ele manteve a ótima relação com o “Galego” mas preferiu aliançar-se com o xerife Geddel Vieira Lima.

PT E ALIADOS DECIDEM LANÇAR PIMENTEL AO GOVERNO DE MG

Do UOL:

Após reunião sem a participação de representantes do PMDB, o PT e partidos da base aliada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Minas Gerais decidiram apresentar aos peemedebistas chapa para a disputa do governo do Estado encabeçada pelo ex-prefeito petista de Belo Horizonte Fernando Pimentel. A vice seria ocupada por Clésio Andrade, presidente estadual do PR. O ex-ministro das Comunicações Hélio Costa (PMDB) seria o único candidato ao Senado da chapa.

Costa e Pimentel disputam a indicação do nome da base aliada para disputar o governo do Estado.

A nova versão, costurada após encontro na casa de Andrade que terminou no início da tarde deste domingo (6), foi referendada por representantes do PR, PT e PC do B. A proposta será apresentada ao PMDB ainda neste domingo e vai contra a vontade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e também do comando da campanha de Dilma Rousseff, pré-candidata do PT ao Palácio do Planalto.

FÁBIO APOIARÁ WAGNER

Segundo o blog Políticos do Sul da Bahia, o deputado estadual Capitão Fábio (PRP) anunciou que apoioará a reeleição do governador Jaques Wagner (PT). Foi durante encontro com lideranças regionais, no Hotel Tarik, hoje pela manhã.

O partido de Fábio, o PRP, é do arco de alianças da candidatura do peemedebista Geddel Vieira Lima. Mas Geddel e Fábio não se bicam desde a eleição para prefeito de 2008, quando o deputado desistiu da peleja para apoiar a petista Juçara Feitosa.

LULA CUMPRE “AGENDA PETISTA” NA BAHIA

Dilma Rousseff pode ter dois palanques na Bahia, mas o presidente Lula virá ao estado na próxima semana para cumprir uma agenda eminentemente petista. Lula desembarca na capital baiana às 16 horas de quinta-feira, 10, sendo recepcionado pelo governador Jaques Wagner. Ao lado deste anfitrião, o presidente terá como uma das principais missões a assinatura de cooperação técnica com o Estado para a revitalização do Centro Histórico. O presidente irá também reinaugurar o Palácio do Rio Branco e autorizar obras de saneamento básico e construção de casas populares.

Ainda na Bahia, Lula vai inaugurar obras de infraestrutura e conjuntos habitacionais em Lauro de Freitas, cidade governada pela petista Moema Gramacho.

Os compromissos do presidente estão restritos a projetos tocados em parceria com “companheiros” do PT, o que levanta a dúvida se  estará presente às solenidades o deputado federal Geddel Vieira Lima (PMDB), pré-candidato a governador. Como se sabe, o partido de Geddel é aliado do PT em Brasília e inimigo ferrenho do mesmo partido na Bahia.

HISTÓRICO DE UM “INOCENTE”

O site Bahia Notícias vasculhou os arquivos para relembrar todos os episódios em que o deputado federal Raymundo Veloso (PMDB) foi flagrado em malfeitos e alegou, candidamente, que não sabia de nada. Isto ocorreu nas “farras” das creches,  das passagens e no golpe das contratações irregulares.

Veloso usou a mesma desculpa de ter sido o último a saber no escândalo da vez, em que reduziu salários de funcionários de seu gabinete para contratar uma coordenadora de campanha.

VELOSO USA DINHEIRO PÚBLICO PARA CAMPANHA ELEITORAL

Ilegalidade foi confirmada pelo chefe de gabinete

Josie Jerônimo | Correio Braziliense

Veloso usa dinheiro público em campanha.

A campanha pela reeleição provocou um fenômeno na Câmara: deputados têm utilizado o artifício de reduzir o salário de funcionários comissionados para contratar mais assessores e ampliar a equipe que trabalha nos estados, de olho na corrida eleitoral deste ano.

Boletins administrativos deste mês mostram que pelo menos 44 secretários parlamentares, lotados em 29 gabinetes, tiveram o salário reduzido. A folha de pagamentos desses comissionados baixou de R$ 266.377,oo para R$ 165.595,00. Economia? Que nada. Com os R$ 100.782,00 que sobraram, os deputados puderam ampliar a equipe em até 60%.

Só este ano, 1.073 secretários parlamentares foram contratados, um aumento de 90% em relação ao ano passado, quando a média ficou em torno de 570,00. Cada deputado tem direito de usar verba de R$ 60 mil para contratar até 25 secretários parlamentares.

O parlamentar define quem trabalha no gabinete em Brasília e quem vai para o estado. Se o deputado pagar o salário máximo de R$ 8.040,00, com comissão, a todos os seus funcionários comissionados só poderá empregar sete pessoas. Para contratar 25 secretários, o parlamentar oferece uma remuneração média de R$ 2.400 aos funcionários.

Um exemplo da redução dos salários ocorre no gabinete do deputado Veloso (PMDB-BA). Neste mês, três servidores passaram a ganhar menos. Um deles teve o vencimento diminuído de R$ 3.005,00 para R$ 721,00, de acordo com o boletim administrativo de 5 de maio. Procurado, o parlamentar disse que “não está sabendo de nada” e indicou o chefe de gabinete Adriano Olivier (ou Oliveira) para explicar a redução de salário.

O responsável pelo gabinete afirmou que outras pessoas do gabinete também tiveram o salário enxugado para que uma “coordenadora-geral da campanha” de Veloso à reeleição fosse contratada.

“Houve essa mudança, porque foi nomeado alguém para o gabinete. O deputado teve que fazer a aquisição de uma funcionária que ganha R$ 6 mil. Ela é a coordenadora-geral da campanha dele, está no estado percorrendo todos os municípios. Para a contratação foi necessário que houvesse a redução do salário de alguns. Foi um acordo, todo mundo aceitou abrir mão de uma parte. Para o bem de todos, porque ele se reelegendo, todos mantêm o emprego”, resumiu Olivier.

Confira a reportagem na íntegra

CARLISTA NOS MÉTODOS

O governador Jaques Wagner é o entrevistado desta noite do programa Canal Livre, da TV Bandeirantes. Provocado sobre carlismo e Geddel Vieira Lima, o petista disse que o legado desta corrente política é do ex-governador Paulo Souto, do deputado ACM Neto e do senador ACM Júnior. Para Wagner, Geddel é carlista apenas nos métodos, modos de fazer política.

– Na verdade, o PMDB baiano está sem identidade política. Os métodos são muito semelhantes aos usados anteriormente pelo grupo do PFL. É o constrangimento, a tentativa de imposição.

SUCESSÃO ESTADUAL

Marco Wense

Lúcio e Geddel Vieira (Foto Pimenta arquivo 30-08-2009).

Não é verdade que o ex-ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, pré-candidato do PMDB ao cobiçado Palácio de Ondina, esteja despreocupado com a mais recente pesquisa de intenção de voto do instituto Vox Populi.

Na sondagem, o peemedebista aparece na terceira posição com 9%, atrás do democrata Paulo Souto (32%) e do petista Jaques Wagner (41%). O presidente estadual da legenda, Lúcio Vieira Lima, esperava um resultado perto dos 15 pontos.

É evidente que Geddel , para evitar um crescente movimento de desânimo  em sua campanha, principalmente entre os prefeitos do PMDB, faz de tudo para não demonstrar  qualquer tipo de preocupação com as pesquisas eleitorais.

Toda boa articulação do PMDB, atraindo o senador César Borges para compor a chapa majoritária e vários partidos para apoiar o ex-ministro, não surtiu o efeito desejado pelos peemedebistas.

Correligionários bem próximos de Geddel, que apostavam em uma melhora do ex-ministro, alguns até falando em uma situação de empate técnico com Paulo Souto, começam a perder a esperança.

Um segundo turno entre Wagner e Geddel parece cada vez mais distante.

RUMO AO HEXA

Victor Wense, meu filho, com seus 12 anos de vida, aluno do Colégio Sagrado Coração de Jesus, assim que recebeu a tabela da copa do mundo de 2010, fez a seguinte previsão.

Oitavas de Final: França x Nigéria, Inglaterra x Sérvia, Alemanha x EUA, Argentina x Uruguai, Holanda x Paraguai, BRASIL x Chile, Itália x Camarões e Espanha x Costa do Marfim.

Quartas de Final: Holanda x BRASIL, França x Inglaterra, Argentina x Alemanha e Itália x Espanha.

Semifinais: Inglaterra x BRASIL e Argentina x Espanha. A grande final: BRASIL x Espanha.

Para Victor Wense, a Argentina perde da Espanha e ganha da Inglaterra, ficando em terceiro lugar. A seleção brasileira, com o placar de 3×2, ganha da Espanha. O terceiro gol, o da vitória, será marcado pelo zagueiro Lúcio.

Brasil Hexacampeão. É a opinião de Victor Wense.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

GEDDEL SE DILUIU

Ao romper com o PT baiano e se lançar candidato ao governo, Geddel Vieira Lima passou a fazer críticas ferozes ao grupo do governador Jaques Wagner na tentativa de estabelecer uma polaridade com o grupo atualmente no poder. Simultaneamente, o PMDB, na condição de aliado nacional do PT, colocou-se como segundo palanque da pré-candidata Dilma Rousseff no Estado, embolando o próprio jogo.

A proximidade aos petistas de Brasília e  o afastamento dos petistas baianos pode ter acabado por confundir o eleitor e comprometer a polarização desejada por Geddel, que além de tudo foi aliado e teve participação no governo Wagner até o penúltimo ano do presente mandato.

O pré-candidato do PMDB percebeu a encalacrada…

 Nos últimos dias, Geddel desviou a artilharia do PT e passou a bombardear o ex-governador Paulo Souto, do Democratas. Em disputa, o título de verdadeiro e autêntico opositor de Jaques Wagner. Quem vencer pode faturar um lugar no segundo turno.

EM BAIXA

Apesar de ser o único deputado federal de Ilhéus, Raymundo Veloso (PMDB) anda em baixa como o eleitorado da cidade natal. Por lá, quem canta de galo é o colega democrata ACM Neto, aponta pesquisa do instituto MHF, de consumo interno.

Para fazer frente à perda de capital eleitoral em seu próprio terreiro, o peemedebista intensificou andanças em outros municípios, dentre eles Itabuna.

GEDDEL SE DIZ TRANQUILO COM PESQUISA

Segundo o site Bahia Notícias, o pré-candidato do PMDB ao governo baiano, Geddel Vieira Lima, afirma que está “sereno” com o resultado da pesquisa Vox Populi que o coloca em terceiro lugar nas intenções de voto, com 9%, atrás de Paulo Souto, do DEM (32%) e Jaques Wagner, do PT (41%).

O peemedebista disse que o resultado do momento é influenciado pelos investimentos do governo  baiano em propaganda, além do fato de que 64% dos eleitores, segundo a pesquisa, ainda estão alheios ao processo eleitoral. Geddel, que foi ministro do governo Lula, também considera que Paulo Souto tem vantagem por já ter sido governador por dois mandatos.

TEMER SERÁ O VICE DE DILMA ROUSSEFF

Temer diz que pretende fortalecer a campanha (foto O Globo)

O presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, teve seu nome aprovado por unanimidade pela Executiva Nacional do PMDB para ser o pré-candidato a vice-presidente na chapa que será encabeçada por Dilma Rousseff (PT). A confirmação será feita no dia 12 de junho, durante a convenção peemedebista.

Ao ter sua indicação aprovada pela Executiva, Temer disse sentir orgulho do partido e afirmou que pretende fortalecer a campanha. Sobre as divisões internas do PMDB, o deputado declarou que vai procurar unir a legenda para “levar a uma campanha naturalmente vitoriosa”.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia