WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba

workshop










setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

editorias






:: ‘PMDB’

COBRAS E LAGARTOS CONTRA UM SANTO DE CASA…

Da Coluna Radar on line (Veja.com), por Lauro Jardim:

A reunião da bancada do PMDB hoje à tarde (ontem, em Brasília) foi um ataque ininterrupto contra o governo e os ministros do partido. Com mais de 30 deputados presentes, as provocações enfileiraram-se em tom por muitas vezes agressivo.

– A oposição está sendo melhor tratada que a base do governo – reclamou Rose de Freitas – Tem deputado governista com 1,7 milhão de reais empenhado em emendas e outros de oposição com 9,6 milhões.

– Ministros de outros partidos nos tratam muito melhor que os do PMDB – reforçou Vítor do Rêgo Filho.

Mas foi Wladimir Costa quem radicalizou:

– Fala-se em um PMDB gigantesco, mas nós estamos sendo execrados pelos ministros, principalmente por Geddel. Ele não parece um ministro da República, mas um ministro da Bahia. Tudo vai pra lá – bradou, e seguiu: Para mim o Geddel é o pior ministro do governo. O segundo pior é o Reinold Stephanes. Este incompetente e despreparado do Geddel não nos atende. Ele precisa imediatamente deixar essa cadeira. O que ele quer é o governo da Bahia, ele tinha de ir pra lá – completou. E encerrou sua fala sem pudor: O Geddel é especialista em ignorância, ele incorporou um espírito hitlerista.

Minutos depois, toca o celular de Henrique Eduardo Alves. Era Geddel Vieira Lima colocando-se à disposição de Wladimir Costa. O líder brincou:

– Geddel está à disposição para se atracar com você lá na liderança.

GEDDEL TIRA LÚCIO VIEIRA DE CENA, DIZ BLOG

Geddel (à dir.) estaria insatisfeito com as articulações do irmão Lúcio (Foto Pimenta).

Geddel (à dir.) estaria insatisfeito com as articulações do irmão Lúcio (Foto Pimenta).

O Blog do Gusmão, de Ilhéus, assegura que o ministro e pré-candidato ao governo do estado, Geddel Vieira Lima, decidiu tirar de cena o irmão Lúcio “Gordo” Vieira, que responde pela coordenação política da sua campanha ao Palácio de Ondina.

O “estilo Lúcio” não estaria agradando a Geddel. Pior, as ações do irmão beneficiariam, indiretamente, o governador Jaques Wagner, pois prefeitos e correligionários peemedebistas demonstram insatisfação com o comando da campanha.

Coincidentemente, a possibilidade de “queda” do presidente estadual do PMDB vem na esteira das investigações da Operação Expresso, da Polícia Civil, que teria elementos para ligar Lúcio ao esquema de propinas nas concessões de linhas de ônibus intermunicipais na Agerba (relembre).

Se Geddel fez operação arriscada ao sair do governo e romper com Wagner, não se sabe, mas ele não é bobo para acumular maiores desgastes só por conta do parentesco. Política está acima dessas “amenidades’.

ABANDONADO

jubombaEx-diretor do Ibametro e financeiro da Superintendência de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Sudic), o peemedebista Juvenal Maynart queixa-se de abandono por parte dos irmãos Vieira Lima.

Juvenal passou por Itabuna, conversou com amigos e fez questão de deixar claro o seu descontentamento com Geddel e Lúcio “Gordo” Vieira Lima, os donos do PMDB baiano.

Tido como eficiente, mas falastrão, Juvenal acumula passagens por dois órgãos que estão na mira do governo estadual. Junte a isso o fato de o homem estar uma arara – ou melhor, uma bomba.

UOL ASSOCIA CASO ROTA A ACORDO PRÓ-DILMA E JOGA VATAPÁ NO VENTILADOR

Analista com trânsito no governo do estado ouvido pelo Pimenta aponta para um inevitável faturamento do presidenciável José Serra (PSDB-SP) em cima do caso da Rota Transportes/Agerba (acompanhe a cobertura em posts abaixo). Aliás, ele já vê os dedos de Serra a direcionar as repercussões da prisão de aliados Geddel (PMDB) e de políticos do PP de forma a prejudicar a candidatura de Dilma e favorecer a sua própria.

Segundo o analista, tudo o que Serra espera é que o acordo do PT com o PMDB – ou pelo menos com Geddel – em benefício de Dilma azede de vez. Se o PP embarcar no time dos descontenstes, melhor. E ele pontua o que diz citando uma matéria veiculada no portal UOL, ligado à Folha de São Paulo e simpático a Serra. O texto foi publicado no blog de Fernando Rodrigues (leia aqui).

Segundo o jornalista, a operação da polícia baiana que prendeu gente de Geddel e protegidos do PP vai dificultar o acordo do PT com os dois partidos para as eleições de 2010, tanto na Bahia quanto em nível nacional. Veja o que diz a nota:

“Se já estava difícil uma aliança entre PT e PMDB na Bahia, agora as coisas ficaram complicadíssimas. A Polícia Civil da Bahia, sob o comando do governador Jaques Wagner (PT), prendeu hoje de manhã 7 pessoas por causa de um suposto esquema de corrupção na área de transportes.

Entre os detidos está Antônio Lomanto Neto, que por indicação do PMDB ficou à frente por 32 meses da Agerba (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia).”

E finaliza: “(…)Tudo registrado, está dificílimo o acerto entre PT e PMDB na Bahia. Mas deve sobrar algum efeito negativo também para a aliança prevista para as duas siglas em nível nacional.”

A BOLA TÁ COM O PMDB

O presidente Lula concedeu entrevistas na sua passagem pela Bahia e, novamente, falou do imbróglio PT-PMDB na Bahia. Sem descartar a possibilidade de dois palanques para a presidenciável Dilma Roussef, Lula considerou a “separação” um erro e ainda acredita em possibilidade de reversão do quadro. Ou seja, sonha com uma aliança entre os dois partidos na Bahia – o que significa dizer uma chapa eleitoral com Jaques Wagner e Geddel Vieira Lima juntinhos…

Da parte que lhe toca, o governador Jaques Wagner age como bom político. Acredita que ainda é possível uma reconciliação. “Penso a mesma coisa do presidente. Trabalho pela união”, reforça, para completar em seguida: “Nunca digo dessa água não beberei. Quem deve responder é o PMDB”.

Então, aguardemos a resposta dos irmãos Vieira Lima.

AMIGOS DE PREFEITO PROIBIDOS DE IR À MISSA

Prefeitura e clero encontram-se em pé de guerra no município de Almadina, sul da Bahia. De acordo com informações de moradores, o prefeito Laudano (PMDB) tornou-se inimigo do padre Ednaldo e até proibiu seus correligionários mais chegados de frequentar a missa.

A briga começou na festa da padroeira de Almadina, quando o padre teria permitido que um adversário político de Laudano fizesse um discurso. Desde então, acabou a paz entre o poder secular e o representante da Igreja Católica Apostólica Romana no município.

A primeira retaliação do prefeito foi a exoneração do padre do cargo de diretor de uma escola municipal. Depois, veio o boicote às missas, o que abalou profundamente o clérigo, a ponto dele planejar sair da cidade.

Leia a história completa no www.politicaetc.com.br

RENATO ESPERA ATÉ 20 MIL VOTOS (SÓ EM ITABUNA)

Renato bate-papo com Roberto de Souza.

Renato, sorridente, bate papo com Roberto de Souza.

Ex-deputado por dois mandatos e sempre comedido nas suas análises – e viabilidades – eleitorais, o médico Renato Costa (PMDB) anda surpreendendo quem lhe conhece há mais tempo. Ele está empolgado com as suas chances em 2010.

Neste sábado (14), o peemedebista caminhava solto entre convidados e homenageados em uma festa promovida pelo Sindicato dos Radialistas de Itabuna, na FTC/Itabuna, quando falou da pré-candidatura. “Estamos recebendo apoios importantes e temos o respaldo da direção estadual do PMDB”, observa.

Renato  diz confiar plenamente na direção do PMDB estadual. Lembrado da situação do deputado estadual Capitão Fábio, que foi abandonado pela direção da legenda em plena campanha a prefeito de Itabuna, em 2008, o médico estabelece diferenças entre ele e o deputado, hoje no PRP.

– Capitão Fábio é uma pessoa, eu sou outra. Mas ele não pode dizer que não recebeu ajuda. Fábio criou uma expectativa irreal, sua candidatura [a prefeito] sofreu um forte processo de decomposição. Então, não foi falta de recursos, mas de votos.

Língua afiada, a essa altura Renato não nega sua decepção com o deputado, que desistiu na reta final da eleição para apoiar a candidata derrotada Juçara Feitosa (PT). “Não gosto de falar disso”. Se não gosta de falar desse passado próximo e desastroso para o PMDB local, Renato abre sorriso largo (sim, ele está sorrindo) ao falar de sua pré-candidatura.

DESEMPENHO EM ITABUNA

Ele fala, faz contas, projeta. Espera sair de uma média de 10 mil, nas últimas eleições, para 15 mil a 20 mil votos conquistados só em Itabuna em 2010. “Melhorei muito aqui”, constata, baseando-se nas últimas pesquisas eleitorais. O peemedebista aparece com percentuais que variam entre 12% e 16%.

Pelas contas do ex-deputado, um candidato a estadual pela coligação do PMDB pode encomendar o terno de posse se sair das urnas com 30 mil votos. Porém, observa não existir eleição fácil.

O arco de alianças do PMDB ainda está restrito a partidos como o PSC e o PTB. “Outros estão chegando”, diz, fazendo ar de mistério. Instado a analisar o quadro sucessório estadual, Renato diz acreditar muito na eleição do ministro Geddel Vieira Lima, o cacique do PMDB baiano.

“Não tenha dúvida de que será uma eleição muito disputada. Temos três candidaturas competitivas: a do governador Jaques Wagner, a do ex-governador Paulo Souto e a do futuro governador Geddel Vieira Lima”, brinca, soltando mais um largo sorriso.

DECISÃO EM DOIS TURNOS

O médico e pré-candidato pondera que Geddel ainda não pontua bem nas pesquisas, mas, observa, metade dos baianos ainda não conhece o peemedebista. “[O ministro] é um bom produto e tem muito a crescer”.

Renato acredita numa disputa decidida lá no segundo turno. O blogueiro, então, o provoca sobre quem os peemedebistas apoiariam na “prorrogação” eleitoral, caso Geddel não esteja lá. “Aí é exercício de futurologia, mas vai depender da temperatura até lá. O ministro tem relações pessoais com os dois, Wagner e Paulo Souto”.

Como não poderia deixar de ser, Renato apela ao fator Lula como decisivo para apontar qual rumo o PMDB pode tomar numa eventual prorrogação sem Geddel lá, no segundo turno. “O ministro está prestigiado, o presidente Lula deu toda a força, sabia de tudo [sobre o rompimento com Wagner e a sua pré-candidatura a governador]”.

CONSTRUTORA ENVOLVIDA EM ESCÂNDALO RECEBEU VERBA DE MINISTÉRIO

Do Bahia Notícias

A Construtora Lustoza Ltda., acusada de ter camuflado financiamento eleitoral para a prefeita de Candeias, Maria Maia (PMDB), recebeu R$ 447 mil da prefeitura por meio de um contrato sem licitação. O pagamento foi feito no dia 16 de setembro. O contrato entre a prefeitura e a Lustoza é para recuperação de estradas vicinais e tem valor total de R$ 1,45 milhão.

Os recursos para pagar a obra têm origem no Ministério da Integração Nacional, pasta comandada por Geddel Vieira Lima, principal liderança baiana do PMDB, mesmo partido de Maria Maia. A pedido da Polícia Federal, a juíza Cyntia Resente, do Tribunal Regional Eleitoral, autorizou a queba dos sigilos bancários da Lustoza e demais pessoas envolvidas no processo.

ACÁCIA CONFIRMA INSATISFAÇÃO, MAS…

Através de sua assessoria, a professora Acácia Pinho ratificou ao Pimenta que está insatisfeita com a nova composição do diretório do PMDB itabunense, mas negou que vá pedir a interferência da cúpula estadual – com a ajuda do deputado Raymundo Veloso (confira nota publicada aqui, mais cedo).

– Não vou criar clima de animosidade com Renato [Costa]. O meu interesse em eleger Márcio e Raymundo Veloso, Renato e fortalecer o PMDB está acima destas questões paroquiais do PMDB de Itabuna.

Bom, dito isso, lá vem estocada: “quero um partido mais atuante, e grande como ele sempre foi”. A professora, ex-candidata a vice-prefeita de Itabuna, disse que o PMDB local deve ser o das mobilizações e que “tenha posições”.

Ainda cabe esclarecer que Márcio Veloso concorre a deputado estadual, Raymundo Veloso, à reeleição como deputado federal, ambos de Ilhéus. Renato Costa, do diretório de Itabuna, tentará retorno à Assembleia Legislativa baiana. Acácia apoia a dupla ilheense.

ACÁCIA ENSAIA DRIBLE NO PMDB ITABUNENSE

Acácia se envolve em nova polêmica no PMDB.

Acácia se envolve em nova polêmica no PMDB.

A professora Acácia Pinho adora atrair ou criar polêmica no campo político. A mais recente envolve a definição da nova executiva do diretório itabunense do PMDB.

Ela está chateada porque lhe ofereceram o cargo de segunda vice-presidente do diretório. A professora (fracassada na tentativa de ser vice-prefeita) não aceitou a oferta e decidiu ficar fora da executiva peemedebista.

Nos bastidores, no entanto, recorreu ao deputado federal Raymundo Veloso para que a direção estadual do partido interfira e lhe garanta uma melhor posição no diretório itabunense.

Como ela chegou recentemente no partido e tornou-se famosa mais por criar problemas internos, será difícil ter êxito na manobra. E a missão é ainda mais dolorosa porque o ‘time’ do ex-deputado Renato Costa fechadinho. A escalação tem o ex-deputado na presidência do partido em ‘Tabocas’. O contabilista Alberto Elmo (Bebeto) ocupa a vice-presidência.

Dois ocupantes de cargos na prefeitura de Itabuna, comandada pelo democrata Capitão Azevedo, estão na primeira e segunda secretarias do diretório peemedebista: respectivamente, Ricardo Xavier e e o secretário de Desenvolvimento Urbano, Fernando Vita.

O diligente Antônio Moreira, o ‘Moreirinha’, ficará com a chave do cofre do partido, ocupando a posição de tesoureiro. O advogado Ruy Correa e o técnico em saúde Edenilton Oliveira (Tita) serão os vogais do diretório.

PMDB DIVIDIDO ENTRE CANDIDATO PRÓPRIO E DILMA

Os peemedebistas que votaram numa enquete do partido sobre a disputa presidencial em 2010 preferem uma candidatura própria a apoiar a petista Dilma Roussef: 41,16% ante 39,9%, segundo a consulta no site.

Neste cenário, 13,29% preferem que o PMDB vá de José Serra (PSDB) e outros 5,65% optaram por liberdade às bases para apoiar quem bem entender. A enquete registrou 4.551 votos.

A MINISTRA E A MENSAGEM

O governandor Jaques Wagner e a ministra Dilma Roussef

O governandor Jaques Wagner e a ministra Dilma Rousseff

A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) incendiou os bastidores do circuito político baiano em sua passagem pela terrinha, no fim de semana. Uma declaração dela deixou bem claro para os rebeldes o que é prioridade para o Planalto na Bahia, em relação às eleições de 2010:

“Geddel é ministro do governo Lula e o governador Jaques Wagner é uma pessoa que tem uma relação absolutamente próxima comigo, sobretudo com o presidente Lula, e portanto a nossa relação aqui é muito clara. Nós temos esses dois vínculos”.

Falta dizer muito pouca coisa pro peemedebista. Talvez que ‘aceitamos dois palanques, mas nosso apoio, aqui, é para Jaques Wagner’. Na verdade, depois de uma declaração dessas, não falta dizer mais nada.

O XEQUE-MATE DE JABES

Jabes Ribeiro, ex-prefeito de Ilhéus e atual secretário do PP baiano, prepara xeque-mate numa ex-aliada, a advogada ilheense Rúbia Carvalho. Nos bastidores, Jabes trabalha para derrubar a desafeta do cargo de coordenadora-executiva do Programa de Inclusão Sociodigital, da Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti).

Por apego ao (e para manter-se no) cargo, a ex-aliada teria adotado uma estratégia daquelas. Primeiro, anunciou sua desfiliação do PMDB e ingresso no PSC, por onde concorreria a deputada federal. Nos bastidores da política ilheense, diz-se que tudo não passa de zignal puro. E o enganado da história seria o governo estadual.

Explica-se: Rúbia ocupa o posto estratégico de implantação de Centros Digitais de Cidadania (CDC) em todo o estado. Chegou ao cargo pelas mãos dos deputados Raymundo Veloso e Colbert Martins, peemedebistas que perderam todos os seus cargos no estado ao decidirem por seguir o ministro Geddel Vieira Lima.

O ingresso no PSC teria sido jogo de cena para manter-se no cargo no governo do estado. Ao mesmo tempo em que mantém o posto, atende às reivindicações de Veloso. OS CDCs são aqueles centros que oferecem cursos de informática e acesso à internet à população mais pobre. Voto (quase) certo.

O problema é que o grupo jabista acredita ter descoberto a jogada da ex-aliada e desafeta. Como Jabes estão com certa moral no estado e pertence ao PP, imagina-se com força suficiente para o xeque-mate. As ligações partidárias de Rúbia seriam fortes motivos. Será?

NEM A PAU!

Na última quinta-feira, 1º, o vereador Ruy Machado (PRP) foi submetido a uma cirurgia para colocação de três pontes de safena. Por conta do procedimento, deverá ficar por um bom tempo afastado das atividades legislativas na Câmara de Vereadores. Nem isso o fez mudar de ideia quanto a passar a vaga, temporariamente e enquanto se recupera, ao suplente peemedebista Ricardo Xavier.

Em tempo: amigos informam que a cirurgia de Ruy foi um sucesso.

NO TOCANTINS, PMDB ATÉ SE DIVIDE PARA NÃO LARGAR O PODER

Vai gostar do poder assim lá no… Tocantins. A eleição indireta para o governo do Tocantins terá dois candidatos do PMDB: o deputado estadual Carlos Henrique Gaguim e o vice-prefeito de Palmas, Derval de Paiva. A eleição está marcada para as 20h de 8 de outubro, na Assembleia Legislativa.

O governador que for eleito pelos deputados estaduais terá pouco mais de um ano de mandato para terminar, já que um novo pleito ocorrerá em outubro de 2010. O PMDB local tentou impedir o lançamento de duas candidaturas. Marcou uma reunião para hoje para convencer Derval de disputar o governo com Gaguim.

“Falei com o Derval para ele desistir, não sair em campo. Que agora era a vez do Gaguim. Mas não teve jeito. Vai entender”, disse o presidente do diretório estadual do PMDB do Tocantins, Osvaldo Reis.

Gaguim, presidente licenciado da Assembleia, assumiu interinamente o governo do Tocantins após a cassação do governador Marcelo Miranda (PMDB) no último dia 8 por abuso de poder político. Detalhe: ele é aliado de Miranda.

As informações são da Folha Online. Leia mais

O PARTIDO DA ‘DELEGATA’

A bela Patrícia Nuno decidiu-se pelo PMDB.

A bela Patrícia Nuno decidiu-se pelo PMDB.

O partido que tem como líderes os irmãos Vieira Lima vai ganhar graça e beleza. A delegada Patrícia Nuno, a ‘delegata’, assinou ficha de filiação ao PMDB baiano, na manhã desta terça-feira (29).

De acordo com a direção peemedebista, ela deverá ser candidata a deputada estadual pela legenda e, também, vai contribuir para a construção do programa de segurança pública do pré-candidato ao governo Geddel Vieira Lima.

A delegata já esteve por aqui (confira). Ela fará a diferença estética no partido que tem Geddel e Lúcio no comando. As informações e foto são do Bahia Notícias.

EDMUNDO QUERIA A VICE; WAGNER NÃO GARANTIU…

.

.

Segundo a edição deste sábado do jornal A Tarde, o vice-governador Edmundo Pereira decidiu ficar onde estava. Apesar das negociações intensas com o PCdoB (confira aqui), Edmundo optou em permanecer no PMDB de Geddel Vieira Lima, pré-candidato à sucessão do governador Jaques Wagner.

Ainda de acordo com o jornal, Edmundo queria de Wagner a garantia de que o petista repetiria a dose de 2006, deixando-o como vice na chapa à reeleição. O governador não assegurou o ‘replay’ e o vice-governador decidiu marchar com Geddel Vieira Lima.

HERZEM GUSMÃO TROCA O PSDB PELO PMDB

Do Bahia Notícias

Herzem troca o PSDB pelo PMDB de olho em 2010.

Herzem troca o PSDB pelo PMDB de olho em 2010.

O radialista e candidato a prefeito de Vitória da Conquista no ano passado, Herzem Gusmão, está trocando o PSDB pelo PMDB oficialmente. O processo de desfiliação da legenda tucana será protocolado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) ainda na tarde desta segunda (21), segundo o próprio Gusmão, que revelou ter sido convidado pela cúpula peemedebista para assumir a direção do partido na terceira maior cidade do estado.

Segundo o radialista, três fatores foram preponderantes para que ele decidisse mudar de partido. O primeiro foi a falta de atenção que o partido deu à candidatura de Gusmão à prefeitura de Conquista no último ano. Além disto, a impossibilidade de se projetar como candidato a deputado federal pelo grupo tucano, que já tem diversos representantes de peso que tentarão a reeleição, também reforçaram o descontentamento. Por fim, o projeto do PMDB para a região teria sido o motivo final a fazer com que o político batesse o martelo da desfiliação.

“Acho que o PSDB não deu a Conquista a atenção que ela merecia. O PMDB tem um bom projeto para a cidade e a direção do partido me deu carta branca para formar o diretório de Conquista”, explicou. Herzem Gusmão deve anunciar a filiação oficialmente em um dos encontros regionais que o PMDB faz pelo interior do estado, mas em data ainda indefinida.

PSDB NEGA APOIO A GEDDEL

O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra, negou ao jornal A Tarde que haja algum plano do seu partido de união e apoio ao projeto eleitoral do ministro Geddel Vieira Lima, que é um dos nomes postos para a sucessão estadual na Bahia.

Segundo o senador, quem decide sobre aliança eleitoral do grupo na Bahia é o ex-governador Paulo Souto (DEM). Assim como Geddel, Souto é pré-candidato ao governo do estado. “Quem decide as ações da chapa PSDB-DEM na Bahia é Paulo Souto”, disse, rechaçando a possibilidade de os tucanos darem apoio a Geddel em detrimento do ex-governador.

DIRETO DA MALHA FINA

Tá dominado
Em Feira de Santana Geddel respondeu a perguntas dos jornalistas por quase três horas. Em Itabuna não aguentou nem três minutos. Também… lá não tinha Vilanova nem Pimenta.

Leia mais em A Região e relembre o caso clicando aqui.







WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia