WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia






secom bahia








maio 2019
D S T Q Q S S
« abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias






:: ‘Polícia Federal’

GOLPE NO INSS: PRESOS EM COARACI ESTELIONATÁRIOS DO ESPÍRITO SANTO

Estelionatários teriam sacado benefícios na agência do BB de Coaraci

A Polícia Civil prendeu, em flagrante, nesta quarta-feira (22), três pessoas acusadas de sacar, indevidamente, benefícios do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) em uma agência bancária na cidade de Coaraci, no sul da Bahia. Os suspeitos foram denunciados por funcionários da agência do Banco do Brasil, onde teriam cometido o crime.

A polícia ainda tenta confirmar as verdadeiras identidades dos acusados, que apresentaram mais de um nome no momento da prisão. As duas mulheres são Elizabeth Aparecida Lobato ou Graziele Conceição Lobato, de 52 anos, e Raimunda Almeida da Cunha ou Ilmar Itamar dos Santos, de 63. Já o homem foi identificado como Orízio Alves Pereira, de 69 anos.

A titular da Delegacia Territorial de Coaraci, Ana Cristina Bastos Soares da Silva, informou ao PIMENTA que os acusados são do estado do Espírito Santo e teriam vindo ao sul da Bahia exclusivamente para aplicar o golpe. A delegada disse ainda que os suspeitos vinham agindo há algum tempo, mas não deu mais detalhes. O trio foi encaminhado para a delegacia da Polícia Federal, em Ilhéus, que investigará os suspeitos.

MAIORIA DO STJ DECIDE REDUZIR PENA DO EX-PRESIDENTE LULA

Ministros reduz condenação do ex-presidente Lula|| Foto Adriano Machado/Reuters

A maioria dos ministros da Quinta Turma  do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu nesta terça-feira (23) reduzir a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do triplex do Guarujá (SP).

Até o momento, os ministros Félix Fischer, relator do recurso da defesa, os ministros Jorge Mussi e Reynaldo Soares da Fonseca entenderam que a pena do ex-presidente deve passar de 12 anos e um mês de prisão, como foi definido pela segunda instância da Justiça Federal, para 8 anos e 10 meses.

De acordo com a maioria, a pena de Lula foi elevada de forma desproporcional na segunda instância. O julgamento continua para a tomada do último voto, do ministro Ribeiro Dantas.

Pela condenação a 12 anos e 1 mês de prisão, Lula está preso desde abril do ano passado na carceragem da Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba (PR). A prisão foi determinada pelo então juiz Sergio Moro, com base no entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) que autorizou a prisão após o fim de recursos na segunda instância.

:: LEIA MAIS »

PF FAZ OPERAÇÃO CONTRA FRAUDE DO SEGURO-DESEMPREGO EM IBICUÍ; PREJUÍZO PODE CHEGAR A R$ 20 MILHÕES

Polícia Federal deflagra operação em Ibicuí e cidades de outros estados

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta segunda-feira (15), nas cidades de São Paulo (SP), Mauá (SP), Porangatu (GO) e Ibicuí (BA), a segunda fase da Pperação Mendacium, para desarticular organização criminosa especializada na prática de fraudes diversas para recebimento indevido de seguro-desemprego.

A PF cumpre 21 mandados de prisão preventiva e 12 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 8º Vara Federal de São Paulo/SP, em razão de representação penal feita pela Polícia Federal.

A investigação começou em outubro de 2017, com base em denúncia de um trabalhador na qual pessoa não identificada estaria recebendo seguro-desemprego em seu nome. Diante da informação prestada, foram identificadas 408 empresas inexistentes de fato, cuja grande parte a organização criminosa havia feito uso para o recebimento fraudulento de benefícios de seguro-desemprego.

Na primeira fase da investigação foram cumpridos 4 mandados de busca e apreensão, nas cidades de São Paulo/SP e Taboão da Serra/SP, ocasião em que os líderes da organização criminosa foram encontrados em um escritório, localizado no bairro Penha de Franca na cidade de São Paulo, na posse de inúmeros documentos falsos, apetrechos para a falsificação de documentos, material de informática e aproximadamente R$ 420 mil em espécie. Na oportunidade, os líderes foram presos em flagrante pela prática dos delitos previstos no artigo 2º da Lei 12.850/2013 e no artigo 333 do Código Penal. :: LEIA MAIS »

EX-GOVERNADOR BETO RICHA É PRESO NO PARANÁ

Polícia Federal prende Beto Richa, ex-governador do Paraná

A Polícia Federal deflagrou hoje (11) a Operação Piloto na Bahia, em São Paulo e no Paraná. O objetivo é investigar o envolvimento de funcionários públicos e empresários com a empreiteira Odebrecht no favorecimento de licitação para obras na rodovia estadual PR-323.

Cerca de 180 policiais federais cumprem 36 ordens judiciais de busca e apreensão, de prisão preventiva e também prisão temporária em Salvador, São Paulo, Lupianópolis, Colombo e Curitiba – estas três últimas cidades no Paraná. Eles apuram denúncias de corrupção ativa e passiva, fraude à licitação e lavagem de dinheiro. Um dos alvos da operação é o ex-governador do Paraná e candidato ao Senado Beto Richa (PSDB).

As irregularidades teriam ocorrido em 2014 e envolvem o chamado Setor de Operações Estruturadas do Grupo Odebrecht para beneficiar agentes públicos e privados no Paraná.

Em contrapartida, a construtora seria favorecida no processo de licitação para duplicação, manutenção e operação da rodovia estadual PR-323 na modalidade parceria público-privada.

O nome de Operação Piloto remete ao codinome atribuído pelo Grupo Odebrecht em seus controles de repasses de pagamentos indevidos a investigados nesta ação policial. Os detidos serão conduzidos à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde permanecerão à disposição da Justiça.

OPERAÇÃO DA GAECO

Em outra operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), também deflagrada na manhã de hoje, os policiais cumpriram mandados de prisão em uma investigação sobre o programa Patrulha Rural. Entre os presos estão Beto Richa e a mulher dele, Fernanda. Com informações da Agência Brasil.

DEPUTADA QUE FOI COTADA PARA SER MINISTRA DO TRABALHO É ALVO DE OPERAÇÃO DA PF

Cristiane Brasil é alvo da Polícia Federal || Foto Antônio Augusto/Câmara dos Deputados

A deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), filha do ex-deputado e presidente nacional do PTB Roberto Jefferson, é alvo de uma operação da Polícia Federal contra fraudes em registros sindicais no Ministério do Trabalho e Emprego. A PF cumpre mandados de busca e apreensão em três endereços da parlamentar que chegou a ser cotada para assumir o Ministério. Trata-se da segunda fase da Operação Registro Espúrio.

As buscas ocorrem no gabinete da parlamentar em Brasília, no apartamento funcional de Cristiane Brasil na capital federal e no Rio de Janeiro, onde ela estava. Na capital fluminense, o mandado foi cumprido e acompanhado pela parlamentar, segundo noticiou, há pouco.

Cristiane Brasil, uma das vozes mais estridentes pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, é suspeita de participar da fraude de registro sindical no Ministério do Trabalho. Dentre os indícios contra ela, existiriam mensagens dela com o coordenador de Registro Sindical do Ministério, Renato Araújo.

As buscas contra a parlamentar foram autorizadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin. Ele determinou que a deputada está proibida de frequentar o Ministério do Trabalho e Emprego e ter contato com outros investigados no inquérito que apura fraudes no registro sindical. Da Redação.

STF DECIDE NA PRÓXIMA SEMANA VALIDADE DE DELAÇÃO NEGOCIADA PELA PF

STF decidirá sobre validade de delações negociadas pela PF || Foto José Cruz/AB

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, marcou para a próxima quinta-feira (14) a retomada do julgamento sobre a autorização legal para que a Polícia Federal (PF) possa negociar delações premiadas, conforme previsto na Lei de Organizações Criminosas (12.850/2013).

O julgamento foi interrompido em dezembro do ano passado, e o placar está em 6 a 1 a favor das delações negociadas pela PF, mas todos com divergências. O ponto comum entre os votos é sobre a validade da delação somente se o Ministério Público concordar com o acordo e a proibição de que delegados acertem as penas com os colaboradores.

Já votaram os ministros Marco Aurélio, Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Dias Toffoli. Edson Fachin votou contra. Faltam os votos dos ministros Celso de Mello, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e da presidente Cármen Lúcia.

POSIÇÃO DA PGR

A Corte julga ação na qual a Procuradoria-Geral da República (PGR) alega que a possibilidade de a PF realizar acordos enfraquece a atribuição exclusiva do Ministério Público (MP) de oferecer denúncia contra criminosos.

Para a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, delegados da PF não têm a prerrogativa de oferecer prêmios ao colaborador, uma vez que cabe somente ao Ministério Público o papel de oferecer denúncia contra o criminoso. Da Agência Brasil.

 

PREFEITURA ACUSADA DE PAGAR POR CIRURGIAS FICTÍCIAS DEVOLVERÁ R$ 800 MIL

Polícia Federal cumpriu mandados de prisão em Guaratinga na quinta||Foto Radar 64

A prefeitura de Guaratinga, no extremo sul do estado, deverá ressarcir o Fundo Estadual de Saúde da Bahia (Fesba) no valor de R$ 817.073,92 pelo desvio de verbas no Hospital Municipal de Guaratinga.A devolução do valor foi determinada após auditoria da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), e publicada no Diário Oficial do Estado de quinta-feira (26).

No decreto, assinado pelo secretário da pasta, Fábio Vilas-Boas Pinto, é informado que “os atos resultantes dos processos da Auditoria estarão sujeitos aos recursos administrativos”, de acordo com decreto estadual. Após a investigação da Polícia Federal, realizada na manhã de quinta, a prefeitura culpou a antiga gestão pelos crimes apontados.

A PF deflagrou na manhã de quinta a Operação “Agentes Nocivos”, que cumpriu dois mandados de busca na sede da Secretaria Municipal de Saúde e no Hospital Municipal de Guaratinga. A ação investiga um grupo suspeito de fazer cirurgias e outros procedimentos médicos “fictícios” na unidade de saúde. Até mortos teriam passado por cirurgias,. segundo investigações.

:: LEIA MAIS »

LULA SE ENTREGA À PF E SERÁ LEVADO PARA CURITIBA

Ex-presidente caminha na multidão para se entregar à PF || Reuters/Leonardo Benassatto

Por volta das 18h45 deste sábado (7), o ex-presidente Lula deixou a sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP) para se entregar à Polícia Federal. Neste momento (20h06min), Lula está na sede da PF, de onde será levado para Curitiba (PR) ainda hoje.

Tecnicamente, o ex-presidente já está preso, por estar sob custódia da Polícia Federal, cujos agentes foram buscá-lo na sede do sindicato, onde Lula se encontrava desde quinta-feira. De São Paulo, o ex-presidente deve seguir para Curitiba.

João Paulo, da coordenação do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), pediu que a militância não “entrasse em provocação” e buscasse “manter a concentração”. Referindo-se à presença de agentes das forças de segurança em meio à multidão, o representante do MST ressaltou:  “Nós estamos em uma negociação séria com a nossa militância, é difícil, mas nós não vamos topar qualquer tipo de repressão contra o nosso povo”, afirmou. “Estamos em uma luta democrática”.

Integrantes do PT se revezaram nos apelos à multidão para garantir a saída de Lula do sindicato. Manifestantes gritavam palavras de ordem e frases de incentivo para o ex-presidente.

Antes, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), afirmou que a Polícia Federal havia concedido o tempo de 30 minutos para que o presidente se apresentasse.

JUIZ DETERMINA PRISÃO DE LULA

Lula deverá se apresentar à Polícia Federal até as 17h de amanhã || Foto Ricardo Stuckert

O juízo federal em Curitiba decretou a prisão do ex-presidente Lula, após o Supremo Tribunal Federal (STF) negar habeas corpus preventivo ao petista. Lula terá até as 17h de amanhã (6) para se apresentar à sede da Polícia Federal para cumprir a pena de 12 anos e 1 mês de prisão no Caso Tríplex do Guarujá. A prisão foi decretada por Sérgio Moro.

“Esclareça-se que, em razão da dignidade do cargo ocupado, foi previamente preparada uma sala reservada, espécie de Sala de Estado Maior, na própria Superintendência da Polícia Federal, para o início do cumprimento da pena, e na qual o ex-presidente ficará separado dos demais presos, sem qualquer risco para a integridade moral ou física”.

CORRUPÇÃO EM CARTÓRIO DE IMÓVEIS NA BAHIA É ALVO DE OPERAÇÃO DA PF

Chefe de cartório em Conquista é preso em operação da PF|| Foto Divulgação

A Polícia Federal iniciou, na manhã desta terça-feira (3), a Operação Factum, que visa reprimir crimes de corrupção praticados no âmbito do Cartório do 1º Ofício de Registro de Imóveis e Hipotecas de Vitória da Conquista, no sudoeste baiano. Os agentes estão nas ruas para cumprir quatro mandados de prisão, sendo uma preventiva e três temporárias; oito mandados de busca e apreensão; além de medidas cautelares diversas, em Vitória da Conquista e Salvador.

Um dos alvos da operação é o chefe do Cartório do 1º Ofício de Registro de Imóveis e Hipotecas de Vitória da Conquista. Ele aparece em um vídeo recebendo uma “taxa de agilização” para a realização de serviços, de possíveis despachantes e de corretores de imóveis. O nome do acusado não foi informado pela Polícia Federal.

O chefe do cartório de Conquista foi indiciado pela prática dos crimes de corrupção passiva, associação criminosa, tráfico de influência, falsidade ideológica e uso de documento falso.

A PF informou que as investigações foram iniciadas em 2016 quando houve o descumprimento, por parte do Titular do Cartório, de decisões oriundas da Justiça Federal e da Justiça do Trabalho. De acordo com as investigações que permitiram comprovar que o Titular do Cartório cobrava uma espécie de “taxa de agilização” para a realização de atos cartorários, tanto de particulares e como também de corretores de imóveis e despachantes.

:: LEIA MAIS »

PF CUMPRE MANDADOS DE PRISÃO EM NOVA FASE DA OPERAÇÃO CARNE FRACA

Polícia Federal cumpre mandados de prisão na Operação Carne Fraca || Arquivo AB

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã de hoje (5), a 3ª fase da Operação Carne Fraca, denominada Operação Trapaça, que tem como alvo das investigações laboratórios credenciados pelo Ministério da Agricultura.

“As investigações demonstraram que cinco laboratórios credenciados junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e setores de análises de determinado grupo empresarial fraudavam resultados de exames em amostras de seu processo industrial, informando ao Serviço de Inspeção Federal dados fictícios em laudos e planilhas técnicos”, diz a nota divulgada pela PF.

Estão sendo cumpridas 91 ordens judiciais no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás e São Paulo. São 11 mandados de prisão temporária, 27 de condução coercitiva e 53 de busca e apreensão.

Segundo a PF, cerca de 270 policiais federais e 21 auditores fiscais federais agropecuários participam dos trabalhos “como resultado de ação coordenada entre a PF e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

O nome da operação – Trapaça – é uma referência ao sistema de fraudes operadas por um “grupo empresarial do ramo alimentício e por laboratórios de análises de alimentos a ele vinculados”. AB

TROCA NO COMANDO DA POLÍCIA FEDERAL

Rogério Galloro é o novo chefe da PF || Foto Roque de Sá/MJ

Em seu primeiro dia à frente do novo Ministério Extraordinário da Segurança Pública, o ministro Raul Jungmann decidiu mexer no comando da Polícia Federal, substituindo Fernando Segovia por Rogério Galloro no cargo de diretor-geral da corporação. Ex-diretor executivo da PF, Galloro é o atual secretário nacional de Segurança Pública.

Antes mesmo de sua posse como ministro da Segurança Pública, ocorrida no final da manhã de hoje (27), Jungmann conversou sobre o assunto com Michel Temer. Na conversa, o ministro manifestou o desejo de fazer a troca no comando da PF e obteve a aprovação do presidente.

Desde o início do mês, quando concedeu uma entrevista a Agência Reuters afirmando que, no inquérito em que Temer e outros acusados são investigados pela PF, os “indícios são muito frágeis”, sugerindo que o inquérito “poderia até concluir que não houve crime”, Segovia vinha sofrendo críticas e sendo alvo de questionamentos. :: LEIA MAIS »

WAGNER NEGA TER RECEBIDO PROPINA E QUESTIONA OPERAÇÃO DA PF

Wagner nega ter recebido propina e critica operação da PF

O ex-governador Jaques Wagner disse em coletiva, hoje à tarde, que não recebeu propina nem sabe como a Polícia Federal chegou ao valor de R$ 82 milhões. Alvo da Operação Cartão Vermelho nesta segunda (26), ele disse que não pede nem autoriza ninguém a solicitar reciprocidade em obras feitas.

– E assim foi na questão da Fonte Nova, que, infelizmente, a Polícia Federal está comprando uma versão de que houve superfaturamento – afirmou.

Hoje secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Wagner diz haver incompreensão sobre como funcionam as parcerias público-privadas (PPPs). “Há uma incompreensão da Polícia Federal como houve do TCE do que é uma PPP e o que é uma obra pública”. “Em PPP não existe a figura do superfaturamento como está se insistindo em falar”

Ao ser questionado se o caso não seria, além de desconhecimento do processo de PPP, depoimentos incorretos de delatores, Wagner disse que estes “estão falando o que querem” para se livrar da prisão. Ainda para o ex-governador, o que foi dito na coletiva da Polícia Federal, só servia para virar manchete de jornal. Com informações d´A Tarde.

PARA ROSEMBERG, OPERAÇÃO DA PF CONTRA WAGNER “PARECEU MISSA ENCOMENDADA”

Rosemberg considera ação contra Wagner “missa encomendada”

Ex-líder do PT na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Rosemberg Pinto disse que “há algo estranho” na movimentação da Polícia Federal na Operação Cartão Vermelho, deflagrada nesta segunda e que tem como um dos alvos o ex-governador Jaques Wagner.

Por meio do Twitter, o deputado se pronunciou. “O inquérito da PF está paralisado desde 2013. Inclusive, nesse período, não foi solicitado nenhum tipo de documento a Jaques Wagner. Cinco anos depois, a PF resolve ir na casa dele buscar provas e leva a TV Bahia junto. Há algo estranho”.

A TV Bahia pertence à Rede Bahia, da família do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), que é pré-candidato a governador. A operação contra Wagner ocorre depois que ele teve o nome cogitado como Plano B do PT, caso Lula não possa disputar a eleição à presidência da República, impedido pela Lei da Ficha Limpa.

MISSA ENCOMENDADA

O parlamentar ainda disse que, a ele, “pareceu missa encomendada” a ação do Judiciário e da PF contra Wagner. “No momento em que o nome de Wagner passa a ser debatido nacionalmente numa possível substituição a Lula, surge uma operação da PF, acompanhada pelas câmeras da TV Bahia”, afirmou, via Twitter.

PF DEFLAGRA OPERAÇÃO PARA INVESTIGAR OBRAS DA FONTE NOVA; WAGNER É UM DOS ALVOS

Nova Arena Fonte Nova é alvo de investigação || Foto Elói Corrêa/GovBA

A Polícia Federal deflagrou operação para apurar irregularidades nas obras do Estádio Fonte Nova, em Salvador. Desde as primeiras horas da manhã de hoje (26), são cumpridos mandados de busca e apreensão em vários endereços, dentre os quais do ex-governador e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner. O superfaturamento total pode chegar a R$ 450 milhões.

A Operação Cartão Vermelho apura irregularidades na contratação de serviços de demolição, reconstrução e gestão da Fonte Nova. A PF informou haver evidências de fraude na licitação, superfaturamento, desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro.

A Nova Fonte Nova foi erguida por um consórcio que reuniu as empreiteiras Odebrecht e OAS, investigadas na Lava Jato. Os mandados de busca e apreensão foram autorizados pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1).

“FOLHA” APONTA QUE PF E PGR POUPAM TEMER EM INQUÉRITO SOBRE PORTOS

Temer é poupado pela PF e PGR, segundo a Folha || Antonio Cruz/Agência Brasil/Arquivo

Reportagem da Folha de São Paulo desta segunda-feira de Carnaval revela que o presidente Michel Temer e amigos estão sendo poupados em investigação sobre decreto do setor portuário (veja aqui). Já na última sexta (10), o diretor da Polícia Federal, Fernando Segovia, criticou a qualidade da investigação do caso. A crítica de Segovia foi feita durante entrevista à Agência Reuters. Mais que isso, Segovia indicou que o inquérito que investiga presidente, amigos e empresários poderá ser arquivado.

A reportagem é assinada por Rubens Valente. Ela aponta que várias medidas não foram tomadas, indicando que o presidente será poupado, ao se deteter apenas em aspectos formais, a exemplo de depoimentos dos investigados, e não houve quebra de sigilos bancário e fiscal dos envolvidos. A matéria atribui à PF e à Procuradoria-Geral da República as falhas na investigação.

POLÍCIAS CUMPREM 30 MANDADOS DE PRISÃO PREVENTIVA EM PORTO E OUTROS MUNICÍPIOS

Polícias cumprem mandados em Porto Seguro|| Foto divulgação

A Polícia Federal, Polícia Civil e Polícia Militar estão realizando nesta terça-feira (12) a segunda fase da Operação Última Estação, que visa coibir os crimes tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e outros crimes decorrentes da atuação de integrantes de facção criminosa baiana.

Cerca de 150 policiais das Polícias Federal, Civil e Militar cumprem 11 mandados de prisão preventiva, 6 de condução coercitiva e 19 de busca e apreensão em Porto Seguro, Salvador, Alagoinhas, Dias D’Ávila, Camaçari e Serrinha, na Bahia; além de Aracaju, em Sergipe; Maceió, em Alagoas; e Goiânia, em Goiás. Também estão sendo cumpridas 22 medidas de bloqueio de contas bancárias usados pelos investigados.

Na primeira fase da operação, em setembro deste ano, foram cumpridas buscas, apreendidos bens e bloqueados mais de R$ 40 mil, auferidos ilicitamente pelo traficante Marcelo Batista dos Santos, o “Marreno”, que morto pouco mais de um mês antes, em Salvador, em confronto com policiais militares.

INTEGRANTES DA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA

Com a continuidade das investigações, foi identificado que outros integrantes da organização criminosa agiam da mesma forma, ou seja, lavavam o dinheiro oriundo do tráfico de drogas, fazendo-o circular em contas bancárias de terceiros ou abertas com identidades falsas e adquiriam imóveis e outros bens em nome de interpostas pessoas.

Ações realizadas no transcorrer das investigações já resultaram na prisão de seis integrantes da quadrilha, sendo apreendidos cerca de 40 quilos de maconha, cinco fuzis, uma pistola de calibre restrito, recuperados três veículos roubados e apreendidos outros três veículos dos criminosos.

JEQUIÉ: SUPLENTE DE VEREADORA É CONDUZIDA COERCITIVAMENTE PELA PF

Suplente de vereadora é investigada em esquema que movimentou R$ 63 milhões

A ex-vereadora Meire Lopes prestou depoimento em um hotel de Jequié, após ser conduzida coercitivamente pela Polícia Federal, nesta terça (5), na Operação Melinoe. Ela é apontada como uma das cabeças do esquema que movimentou mais de R$ 63 milhões na Prefeitura de Jequié, no período de 2013 a 2017. Parentes da hoje suplente de vereadora também são suspeitos de participação.

Cerca de R$ 7 milhões de recursos da educação foram utilizados no esquema de “terceirizados fantasmas”, segundo investigação da Polícia Federal. A maior parte da grana era sugada do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

Nesta terça, a Polícia Federal, numa operação conjunta com o Ministério Público Federal e a Controladoria-Geral da União (CGU), cumpriu mais de 40 mandatos na Operação Melinoe. O esquema de terceirizados fantasmas, de acordo com a investigação, ocorria na Secretaria de Educação de Jequié.

Veja mais

PF FAZ OPERAÇÃO PARA CUMPRIR 46 MANDADOS E CAÇA EX-VEREADORA DE JEQUIÉ

NA UFBA, PROFESSORA É AMEAÇADA DE MORTE POR CAUSA DE PESQUISA

Ataques registrados também na Faculdade de Filosofia da Ufba|| Evandro Veiga/Correio/Arquivo

Ao menos três professores da Universidade Federal da Bahia (Ufba) foram ameaçados – um deles de morte -, recentemente, por conta do teor de pesquisas que desenvolvem dentro da instituição. Além do trio de docentes, uma aluna do mestrado também foi ameaçada dias antes da apresentação de sua dissertação.

Parte dos casos foi denunciada pelo reitor da universidade, João Carlos Salles, nesta segunda-feira (20), quando divulgou uma moção de repúdio contra os ataques, a maioria deles feita através das redes sociais.

No comunicado, o reitor se manifesta contra “a opressão diante das tentativas de cerceamento de todo um campo de produção do conhecimento científico”, a qual ele atribui a uma onda de conservadorismo no país.

“Em episódios recentes, verificamos ameaças de morte e outros tipos de violência contra uma de nossas docentes, pesquisadora do Neim; a tentativa de impedimento de defesa de uma dissertação de Mestrado de aluno do IHAC (Instituto de Humanidades, Artes e Ciências), tendo que solicitar a segurança da própria Universidade; e a perseguição e ridicularização nas redes sociais de projetos de pesquisa e extensão que versam sobre essas temáticas”, destaca o reitor, em nota.

A professora citada, que teve o nome preservado pela instituição, recebeu as ameaças por desenvolver pesquisas relacionadas à divisão sexual do trabalho. Os ataques contra ela ocorrem há cerca de um mês. Além de lecionar, a vítima é pesquisadora do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher (Neim), grupo de estudos sobre gênero e sexualidade vinculado à graduação de Ciências Sociais.

De acordo com a assessoria da Ufba, a instituição tem tomado todas as providências para garantir a segurança dos envolvidos e a realização dos eventos científicos, aumentando, inclusive, a segurança nos locais em que a professora ministra aulas. Confira íntegra da reportagem de Nilson Marinho, Gil Santos e Júlia Vigné no Correio24h.

NOVO DIRETOR-GERAL DA PF TOMA POSSE HOJE

Segóvia toma posse nesta segunda, em Brasília || Foto Zeca Ribeiro/AC

O delegado Fernando Segóvia toma posse hoje (20) como novo diretor-geral da Polícia Federal (PF).  A solenidade será às 10h30min, no Ministério da Justiça. O presidente Michel Temer deve participar da cerimônia. junto com ministros e parlamentares. Segovia substituirá o atual diretor-geral, Leandro Daiello.

Formado em direito pela Universidade de Brasília UnB), Segóvia está há 22 anos na Polícia Federal. Foi superintendente regional no Maranhão e adido policial na África do Sul. Em boa parte de sua carreira, exerceu funções de inteligência nas fronteiras do Brasil.

Leandro Daiello estava no cargo desde 2011, nomeado na gestão do então ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e já havia manifestado interesse em deixar o cargo. Da Agência Brasil.










WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia