WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
cenoe





novembro 2018
D S T Q Q S S
« out    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

editorias






:: ‘PP’

ILHÉUS: JABES GANHA APOIO DO PDT

O PDT desistiu de candidatura própria e anunciou apoio ao ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP), que tenta sentar na cadeira principal do Palácio Paranaguá pela quarta vez. O prefeiturável se reuniu com o presidente do PDT ilheense, Fred Gedeon, no escritório do PP em Salvador.

A união ocorre após Jabes conversar com algumas das principais lideranças estaduais do partido, a exemplo do deputado estadual Euclides Fernandes e do presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo, bem como o presidente estadual, Alexandre Brust.Estes, segundo o secretário-geral do PP baiano, sinalizaram que a decisão de apoio dependeria do diretório municipal.

Fred afirmou que o PDT está coeso no apoio ao pepista. Jabes diz que, se for eleito, o PDT “terá papel importante” no seu governo. Diplomático, o prefeiturável mencionou o empenho de Fred Gedeon, do advogado Cosme Araújo e do ex-reitor da Uesc, Joaquim Bastos, que chegou a se colocar como um dos nomes que disputariam a prefeitura de Ilhéus.

ELEIÇÕES 2012: WENCESLAU JÚNIOR CRITICA PT E AZEVEDO E DIZ QUE FOI INJUSTIÇADO

O vereador Wenceslau Júnior está no terceiro mandato. Sonha com a cadeira principal do Centro Administrativo Firmino Alves, sede da Prefeitura de Itabuna. O sonho é alimentado pela possibilidade de uma composição de partidos que une desde o seu PCdoB ao PRB de Claudevane Leite e PDT de Acácia Pinho.

Na entrevista concedida ao PIMENTA, Wenceslau acha improvável composição com o PT em Itabuna e faz críticas ao Governo Azevedo (“não consigo enxergar marca positiva nesse governo”).

O prefeiturável também fala do processo de afastamento do mandato por ordem judicial e diz que a decisão foi injusta. Confira os principais trechos da entrevista que abre série com pré-candidatos a prefeito de Itabuna.

PIMENTA – Quem será o candidato da Frente Partidária?

WENCESLAU JÚNIOR – Há unidade e compromisso de avaliarmos a evolução das pesquisas para, em meados deste mês, afunilarmos para um nome.

O sr. acredita que a frente se mantém mesmo após definir o candidato?

Eu acredito nas palavras de Vane [do Renascer] e de Acácia Pinho. Esta frente não é voltada para interesses pessoais, tem princípios e compromisso de melhorar a cidade, fazer gestão inovadora. A frente também está dialogando com PPS e PP e abrindo perspectiva para ter tempo de televisão razoável e consistência política ainda maior.

Do outro lado, existem duas candidaturas com maior estrutura. A frente tem como ir para a disputa com chances até o final?

O elenco de lideranças que compõem essa frente já é algo importante. Além disso, acho que estrutura não é algo tão definidor em eleição em Itabuna. Em 1992, Geraldo Simões caiu na graça do povo e foi eleito imprensado entre duas grandes candidaturas [Ubaldo Dantas e José Oduque].

Hoje não temos cenário de protestos, impeachment de presidente…

(Interrompe)… Em 2008, o prefeito [Azevedo] estava em último, não tinha ajuda da máquina municipal e só passou a contar quando cresceu na pesquisa. De início, foi uma candidatura franciscana. Em Itabuna, um bom programa de TV e militância aguerrida nas ruas são fundamentais para a eleição.

Pelo que se desenha, qual será o tipo de campanha que teremos em 2012?

O compromisso na Frente Partidária é discutir propostas para a cidade. A eleição em Itabuna, o debate tende a ser municipalizado, sem grande influência das políticas nacional e estadual.

O PCdoB se manterá na frente mesmo se ocorrerem pressões de cima?

Olha, o governador Wagner vem tendo postura elogiável em todo o processo. Tentar mediar, mas nunca impor. O PCdoB em Itabuna tem divergência com o PT local, o que não ocorre nos níveis estadual e nacional.

 

ALIANÇA COM O PT: Nada em política é impossível, mas acho um pouco distante essa reaproximação, até porque não há espírito despojado do outro lado.

 

Há possibilidade de coligação com o PT em Itabuna?

Nada em política é impossível, mas acho um pouco distante essa reaproximação, até porque não há espírito despojado do outro lado. Wenceslau pode abrir mão de ser candidato para apoiar Vane ou Acácia, Vane pode abrir mão, Acácia, também… Do outro lado [do PT], não. Isso dificulta qualquer conversa.

O senhor sofre críticas por ter atuação omissa na fiscalização do governo municipal…

Sempre vou ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). É um trabalho árduo e silencioso. Não foi à toa que as contas do prefeito [Capitão Azevedo], de 2009 e 2010, foram reprovadas. Agora eu tenho que reconhecer que foi mandato atípico, por causa da candidatura a deputado estadual. Tanto na pré-campanha, em 2009, quanto na campanha, em 2010, realmente me dediquei à atuação em nível estadual. Nas principais batalhas na Câmara, as questões da saúde, defesa dos salários dos servidores, professores, nós estávamos lá.

Como o senhor avalia a gestão municipal?

É uma gestão sem planejamento, que não consegue planejar e, por conta disso, compromete a execução. Tem muitas pessoas preocupadas com seus interesses pessoais. Azevedo não é bom coordenador e tem dificuldades de exonerar aqueles que não dão resultado. Pergunto ao leitor, qual é a marca positiva deste governo?

E qual seria esta marca?

Não consigo enxergar. Negativas, sim, existem. Aumento da violência na cidade, por que as pessoas são impedidas de ter acesso à educação, lazer. Nós nunca passamos situação tão vexatória na saúde. A marca mesmo é a de malversação de dinheiro público.

Quais seriam estes exemplos de malversação?

Nas obras, todas federais, mas executadas pelo município, a gente não sabe dizer se é construtora ou a prefeitura que está fazendo. Há uma mistura, confusão. Obras são licitadas e quem trabalha é a mão de obra da prefeitura. Sem falar das causas de rejeições de contas: exageros de gastos em alguns setores, aplicação abaixo do mínimo em saúde e educação…

 

FOLHA INCHADA: A folha consome 70% da receita. Existem muitas pessoas que estão na folha sem trabalhar, por apadrinhamento político, consumindo recursos públicos. Fantasmas.

 

Se as obras são federais, para onde está indo o dinheiro das receitas próprias?

Infelizmente, a prefeitura está completamente inchada. A folha consome 70% da receita. Existem muitas pessoas que estão na folha sem trabalhar, por apadrinhamento político, consumindo recursos públicos. Fantasmas.

O PCdoB e a sua campanha já avaliaram os efeitos do escândalo dos consignados na sua pré-candidatura?

O partido já avaliou. Depois do caso, nós fizemos pesquisa e constamos que crescemos ou mantivemos os percentuais. A população de Itabuna me conhece desde os tempos de movimento estudantil. Nunca respondi a processo, já participei de governo municipal, fui assessor parlamentar.

:: LEIA MAIS »

VEREADOR DIZ QUE VAI RECORRER DE CASSAÇÃO

O vereador Valmir de Freitas (PT) disse que vai recorrer da decisão que lhe tira o mandato por ter cometido infidelidade partidária ao trocar o PP pela atual legenda. Neste domingo, “Valmir de Inema”, como é conhecido, divulgou nota pública na qual afirma que ter se sentido abandonado na legenda controlada pelo ex-prefeito Jabes Ribeiro.

– Apesar da turma dos boatos, já conhecida por todos nós, espalhar pelos quatro cantos da cidade de que a cadeira da Câmara de Vereadores não me pertence mais, gostaria de dizer ao povo de Ilhéus que permanecerei, sim, no exercício do meu mandato – diz o vereador em nota.

O pedido de cassação apresentado pelo PP foi acatado pelo juiz-relator do caso no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA), Saulo Casali Bahia.

TÁ PINTANDO A COLIGAÇÃO ÓLEO DE PEROBA

Entenda aqui

PP VAI CAIR NO COLO DO PT EM ITABUNA

O PT de Itabuna deverá anunciar em breve a entrada de um importante partido na aliança em torno da candidatura de Juçara Feitosa. A aquisição será o Partido Progressista (PP), que sofre forte pressão de um barbudo que mora em Ondina para abdicar do nome do empresário Roberto Barbosa.

Não terá jeito. Embora não desejem oferecer o apoio, os membros locais da legenda se verão obrigados a fazer o gesto de boa vontade, já que fazem parte da base do Governo do Estado e seu pré-candidato não demonstra fôlego para entrar na disputa em condições reais de vencer.

A mesma pressão é feita em outros partidos, como PCdoB e PRB, mas nesse caso as legendas têm, além de pré-candidatos mais competitivos que o do PP, uma forte resistência à ideia de apoiar a candidatura petista. Posicionamento que se acentuou após manobras inábeis e declarações desrespeitosas do deputado federal Geraldo Simões.

Pelo visto, ficará para o PP a tarefa de amenizar o complexo de rejeição do deputado e sua pré-candidata.

Leia mais no Blog Cena Bahiana

SEM AVENTURA

Jabes Ribeiro e Israel Nunes selaram união em encontro no sábado.

O procurador federal Israel Nunes (PCdoB) desistiu da disputa pela prefeitura de Ilhéus e declarou apoio à pré-candidatura de Jabes Ribeiro (PP).

No final de semana, durante evento que contou com a participação dos capas-pretas do PP e do PCdoB na Bahia – lá estavam Mário Negromonte, Daniel Almeida e Davidson Magalhães, Israel assim se justificou quanto à escolha: “é o temor de que uma nova aventura política venha colocar Ilhéus mais uma vez em má-situação”.

Para Jabes Ribeiro, a aliança com o PCdoB é “decisão histórica”. A aliança, aliás, foi costurada pelo presidente da Bahiagás, Davidson Magalhães, cunhado de Jabes.

RUY CARVALHO DIZ QUE ESTÁ NO PÁREO

O pré-candidato a prefeito de Ilhéus, Ruy Carvalho, sustenta que permanece “vivo” na disputa. Nesta manhã, o político e as executivas municipal e estadual do PRB divulgaram nota conjunta informando que a pré-candidatura está mantida.

Executivas e Ruy Carvalho dizem que “é importante agora a atuação, a maturidade daqueles que verdadeiramente amam Ilhéus, aqueles que verdadeiramente têm o poder de decidir politicamente os destinos de Ilhéus, os nossos próprios destinos”.

Ele era cotado para vice do ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP) e até da petista Professora Carmelita, e dá estocada ao afirmar que não tem disposição para impor vontades. Confira a íntegra da nota no “leia mais”.

:: LEIA MAIS »

“QUEM NÃO CUMPRE ACORDO, NÃO TEM FUTURO NA POLÍTICA”

Israel explica aliança do PCdoB com Jabes.

O procurador federal Israel Nunes (PCdoB) disse que ainda não está definido se ele será o vice do prefeiturável Jabes Ribeiro (PP). Os dois partidos fecharam acordo no final da semana passada, num golpe quase mortal contra a Plenária Unificada, um arranjo de partidos do qual deveria sair uma chapa para disputar a Prefeitura de Ilhéus.

Numa entrevista ao Cena Baiana, Israel Nunes diz que a posição de vice está em aberto para possibilitar a atração de novas legendas e das negociações em torno das coligações para a disputa de vagas na Câmara de Vereadores.

“Respeitamos e cumprimos os acordos, assim como exigimos que os acordos sejam cumpridos. Em política, quem não cumpre acordo não tem futuro”, diz Israel. Confira a íntegra da entrevista.

O PP DE JABES E O PT DE ALISSON. AINDA ROLA?

Jabes já declarou não querer aliança com o PT

Político da alta cúpula do jabismo participava de uma roda de bate-papo na “Praça do Teatro”, em Ilhéus, e não escondia o contentamento com as recentes pequisas de intenção de voto. Segundo ele, para o ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP) perder as eleições, só se as campanhas adversárias tiverem extrema competência para fazer tudo certo e se o grupo jabista, em contrapartida, demonstrar a suprema incompetência para fazer tudo errado.

“É uma combinação difícil e nós estamos assistindo a tudo de camarote, só vamos entrar no jogo na hora certa”, declarou o político do PP, querendo dizer que a possibilidade de erro neste momento seria nula.

Por falar na política ilheense, há um grupo dentro do PT que anda pensando na hipótese de aliança com Jabes Ribeiro. Meses atrás, o ex-prefeito declarou que não queria se juntar com os petistas, já que estes faziam parte da atual administração municipal. A situação se complicou depois que o próprio prefeito se filiou ao partido e entregou ao PT a maior parte das secretarias.

Mas o grupo petista que ainda tenta o enlace com o PP é o do vereador Alisson Mendonça, que rompeu com o governo. A possibilidade de união, no caso, teria que ser por imposição da cúpula estadual do Partido dos Trabalhadores, já que 28 dos 31 membros do diretório municipal querem a candidatura da vereadora Carmelita Ângela a prefeita.

“TODO CASAMENTO PRECISA TER TESÃO”

Ruy Carvalho diz que Jabes não faz o seu tipo

Numa conversa sobre possíveis alianças políticas em Ilhéus, o médico Ruy Carvalho, pré-candidato a prefeito pelo PRB, foi todo ternura ao falar de seu antigo partido, o PT.

Ao radialista Vila Nova, apresentador d’O Tabuleiro (Conquista FM), Carvalho disse que tem uma história de luta no Partido dos Trabalhadores que não pode ser abandonada. E afirmou: “ainda sou vermelho por dentro”.

O médico cogitou a possibilidade de aliança com o PT, mas fez a ressalva de que isso somente será possível se ele estiver na cabeça de chapa. “Quem vai estar com a caneta na mão sou eu”, salientou.

Quando o assunto foi Jabes Ribeiro (PP), Carvalho rechaçou qualquer chance de aliança e utilizou metáforas de alcova. “A gente não pode ir por interesse e sim por amor. Todo casamento tem que ter tesão”, mandou o pré-candidato do PRB, sem o menor receio de esconder que Jabes não faz o seu tipo.

ESPERTEZA.COM.BR

Ainda tem muito pré-candidato por aí apostando no cochilo da justiça e investindo pesado na propaganda eleitoral antecipada. Em Ilhéus, o caso que chama mais atenção é o de um comerciante, filiado ao PP, que deflagrou estratégia de marketing com o suposto objetivo de anunciar um novo blog. Para isso, espalhou outdoors por toda a cidade.

Detalhe: nas enormes placas de propaganda, tem foto do “blogueiro”, seu email etc. Tudo, menos o endereço do bendito blog. Ou seja, não conseguiu sequer disfarçar que a verdadeira intenção era somente colocar o “bloco na rua” antes da hora, em flagrante desrespeito à legislação.

Infelizmente, o blogueiro-candidato não está só. Como ele, há muitos.

JABES DIZ NÃO AO PT

Apesar de ser cacique de um dos partidos da base de apoio do governador Jaques Wagner, o PP, Jabes Ribeiro tem sido duro na negociação de alianças para as eleições deste ano, quando se coloca a possibilidade de apoio ao Partido dos Trabalhadores.

Ontem (27), em reunião do conselho político que discute as possíveis coligações nos muniçipios, Jabes foi veemente ao recusar a possibilidade de que o PP apoie o PT em Itabuna. Diz que seu partido tem candidato, o empresário Roberto Barbosa. Pelo menos por enquanto…

Em Ilhéus, onde é pré-candidato a prefeito, Jabes também não quer conversa com o PT e já declarou até não aceitar o apoio de quem faça parte do governo petista de Newton Lima.

ALISSON NÃO TOMA POSSE. NEM O SUPLENTE

Benevides diz que o povo, titular do mandato, não sabe o que está acontecendo na Câmara de Ilhéus

O suplente de vereador Rafael Benevides (PP)  foi para a rádio Santa Cruz de Ilhéus nesta manhã “chiar” porque o presidente do legislativo municipal, Dinho Gás, não lhe dá posse.

A Câmara voltou do recesso no dia 15 de fevereiro e permanece com 12 vereadores. Alisson Mendonça (PT) está fora temporariamente, na Secretaria de Governo, da qual já anunciou a saída, mas ainda não o fez porque negocia com o prefeito na tentativa de emplacar o substituto.

Ligado ao deputado federal Geraldo Simões, Alisson quer deslocar o secretário da Adminstração, Fernando Hughes, para o Governo. Outra corrente petista, afinada com Josias Gomes, defende o nome de Ednei Mendonça, ex-diretor da Direc 6. No meio da queda-de-braço, o prefeito Newton Lima, atarantado, sem saber o que fazer.

Atarantado está também Benevides, que já ocupou a cadeira na Câmara em outra oportunidade, quando Alisson saiu para assumir a Secretaria de Planejamento. Acabou punido por “mau-comportamento”, pois dedicou o mandato a promover frequentes ataques ao governo do qual Alisson Mendonça faz parte e até ao próprio, Alisson, de quem curiosamente Benevides é parente.

Agora, o suplente reclama (com toda razão) porque a Câmara não lhe dá posse. Ele afirma que “o verdadeiro titular do mandato é o povo, que não sabe o que está acontecendo no legislativo ilheense”.

ÂNGELA (PRÉ) CANDIDATA

Ângela Sousa vai enfrentar o arquirrival Jabes Ribeiro nas urnas

O chefe de gabinete da deputada estadual Ângela Sousa (PSD), Frederico Vésper, confirmou hoje (24) em entrevista ao radialista Luk Rei, na Rádio Santa Cruz, que a parlamentar será mesmo candidata a prefeita de Ilhéus. Segundo Vésper, o vice-governador Otto Alencar, presidente estadual do PSD, estará em Ilhéus no próximo dia 15 para selar o destino político da deputada.

Além da candidatura de Ângela, que deverá travar uma guerra de foice com o ex-parceiro político e hoje inimigo figadal Jabes Ribeiro (PP), Vésper deixou escapar que o vice-prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, igualmente do PSD e filho da deputada, será também candidato. No caso, à Câmara de Vereadores.

Agora falta apenas, como se diz, combinar com o eleitor.

SÓ COM GERALDO

Marco Wense

Da base situacionista, o PCdoB tem alguma chance com o PP de Roberto Barbosa se houver uma contrapartida na cidade de Ilhéus, com os comunistas apoiando a candidatura de Jabes Ribeiro ao Palácio do Paranaguá.

O deputado federal Geraldo Simões ainda acredita em uma composição entre petistas e comunistas na sucessão do prefeito Azevedo (DEM).

Geraldo tem motivos de sobra para ficar esperançoso. O tititi entre o PT e o PCdoB, com troca de farpas entre suas lideranças – a mais recente foi entre o parlamentar e Davidson Magalhães –, sempre existiu.

Na última eleição (2008), o ex-vereador Luis Sena foi o indicado para compor a chapa majoritária encabeçada pela petista e ex-primeira dama Juçara Feitosa.

Os comunistas juram por todos os santos que essa sucessão municipal é diferente, já que a opinião de que o PCdoB deve ter candidatura própria é avassaladora entre militantes e simpatizantes.

No PCdoB, no entanto, há também os pragmáticos, os que caminham pela estrada de que o partido só deve ter candidato se o cenário apontar uma possibilidade de vitória.

A viabilidade eleitoral, como condição imprescindível para a disputa do Centro Administrativo, só será alcançada com uma coligação envolvendo legendas da base aliada do governo Wagner e de oposição.

Da base situacionista, o PCdoB tem alguma chance com o PP de Roberto Barbosa se houver uma contrapartida na cidade de Ilhéus, com os comunistas apoiando a candidatura de Jabes Ribeiro ao Palácio do Paranaguá.

Do lado oposicionista, descartando aí o PSDB e, obviamente, o DEM do prefeito Azevedo, só o PMDB presidido pelo médico Renato Costa. Vale lembrar que o peemedebismo tem Leninha Alcântara como pré-candidata.

O trunfo do deputado Geraldo Simões é o governador Jaques Wagner. O parlamentar aposta em uma efetiva participação do chefe do Executivo no processo sucessório.

O problema é que o empenho pessoal de Wagner para que os partidos aliados fiquem com o candidato do PT, principalmente o PCdoB e o PDT, só com uma condição: que o candidato seja Geraldo Simões.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

PIRIPAQUE NA HORA DO CLIQUE

Israel Nunes: Jabes, tô fora!

Aliados do ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro (PP), tentam promover uma aproximação entre ele e o procurador federal e professor Israel Nunes, que pretende concorrer à prefeitura ilheense pelo PCdoB. Um encontro entre os dois foi promovido no sábado, 4, em um restaurante da zona sul da cidade, mas, se os jabistas pensavam em concretizar um namoro, a verdade é que não houve clima.

Jabes chegou primeiro ao restaurante e teve que esperar muito pelo procurador, que se atrasou. Quando apareceu, visivelmente nervoso e pouco à vontade, Israel tentava parecer natural, mas estava difícil.

O advogado Carlos Pereira, jabista das antigas, procurou acomodar o procurador em um lugar ao lado do pepista, mas, quando ia bater uma foto, o procurador não aguentou. Teve um mal-estar e precisou sair às pressas do restaurante, com sintomas de queda de pressão arterial, o que foi confirmado no atendimento que recebeu logo em seguida fora dali.

A explicação para a hipersensibilidade a Jabes estaria ligada aos tempos em que Israel Nunes militou no movimento estudantil na Uesc, à esquerda, e combatia o político que hoje é do PP, mas na época era do PFL de ACM. Incompatibilidade total!

JABES MINIMIZA “EFEITO NEGROMONTE” NO PP

Jabes: lógica municipal.

O secretário-geral do PP baiano e ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, tentou minimizar o estrago da exoneração de Mário Negromonte no projeto eleitoral do partido em outubro deste ano. Para ele, a perda do Ministério das Cidades não passará despercebida no cenário baiano, mas acredita que prevalecerão os arranjos (alianças) locais no pleito municipal.

– A lógica das eleições municipais é local, depende mais das articulações e das alianças construídas -, afirmou o político em entrevista ao A Tarde. Jabes, assim, prefere não passar recibo. Porém, o PP baiano não terá mais a força de um ministério como o das Cidades para cortejar possíveis aliados. Afinal, o homem indicado para o lugar de Negromonte é de ala oposta ao ex-ministro.

O CURRÍCULO DO NOVO MINISTRO DAS CIDADES

Da Folha de São Paulo

O novo ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), 42, teve ascensão meteórica, assumindo cadeira na Esplanada um ano após chegar a Brasília.

Novato na capital, ele é de uma tradicional família de políticos na Paraíba, onde foi eleito deputado por dois mandatos.

Em Brasília, herdou a vaga do pai, o ex-deputado Enivaldo Ribeiro. A mãe, Virgínia Maria, é prefeita de Pilar (PB), e a irmã, Daniella, deputada estadual. Todos são do PP. Ele pertence a uma ala do partido apoiada pelo ex-prefeito de São Paulo Paulo Maluf.

O patriarca é o ex-deputado e usineiro Aguinaldo Veloso Borges. Avô do novo ministro, é ligado, em livros oficiais, a assassinatos de dois líderes camponeses.

O pai do ministro foi suspeito de participação no esquema dos sanguessugas, que cobrava comissão de emendas na área da saúde.

Em 2008, o novo ministro foi condenado, em primeira instância, a pagar multa de R$ 15 mil por irregularidades em um contrato de R$ 500 mil assinado durante sua gestão na Secretaria de Agricultura da Paraíba.

NEGROMONTE QUASE FORA DO MINISTÉRIO

Do G1

O ministro das Cidades, Mário Negromonte, se reúne com a presidente Dilma Rousseff na manhã desta quinta-feira (2), de acordo com a assessoria de imprensa da pasta, e deve selar sua saída do cargo. Negromonte é alvo de denúncias de irregularidades desde o fim do ano passado.

Na quarta (1º), o deputado federal Vilson Covatti (PP-RS) informou que o ministro já redigiu a carta de demissão.

O mais cotado para substituí-lo no comando da pasta é o deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), atual líder do partido na Câmara.

DE LEÃO PARA NEGROMONTE: “PEDE PRA SAIR!”

Leão disse que já teria pedido o boné, mas "cada cabeça é um mundo"

Do Bahia Notícias

O secretário da Casa Civil da prefeitura de Salvador, João Leão (PP), comentou a atual situação do seu correligionário Mário Negromonte, ministro das Cidades. Acuado por mais denúncias na última semana, o pepista voltou a ter sua permanência na pasta questionada pela imprensa nacional.

Em entrevista ao Bahia Notícias, Leão saiu em defesa do titular das Cidades, ao garantir que colocaria “a mão no fogo” pelo ministro. No entanto, admitiu que, caso estivesse no lugar do colega de partido, já teria solicitado sua saída do ministério. “Se eu fosse ele, já tinha pedido para ir embora. Mas cada cabeça é um mundo”, ressaltou.

Ao ser informado da exoneração de mais um assessor de Negromonte nesta segunda-feira (30), Leão disse conhecer João Ubaldo Coelho Dantas, filho do ex-prefeito de Itabuna, Ubaldo Dantas, e também filiado ao PP. O secretário também falou sobre as especulações de que Roberto Muniz, mais um da legenda que comanda o ministério, seria o próximo na lista de demissões. “Não acredito. Pelo que eu conheço Muniz, ele só sai se Mário sair”, apostou.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia