WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

editorias






:: ‘PPS’

APÓS SOFRER CRÍTICA, VEREADOR TENTA INVADIR ESTÚDIO DA RÁDIO DIFUSORA

Nel do Bar tentou invadir estúdio da Difusora

O vereador Manoel Farias, o Nel do Bar (PPS), não gostou de críticas feitas pela radialista Jaqueline Mendes, na Rádio Difusora, ontem (27), e resolveu ir à emissora tirar satisfações.

Nel chegou nervoso e querendo invadir o estúdio da emissora, conforme relatos. Foi contido pelo diretor da Difusora, Antônio Badaró, e colegas de Jaqueline, que estava no ar, apresentando o programa, ao meio-dia. O gesto brusco recebeu reprovação até entre os pares de Nel.

Agora, os profissionais do rádio itabunense cobram um posicionamento oficial do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Rádio, TV e Publicidade de Itabuna (Stert). Jaqueline condenou a postura de vassalagem de parte do Legislativo em relação ao Executivo. Por enquanto, a direção do Stert diz ter tentado ouvir a gravação do que teria dito a radialista a ponto de provocar a ira do edil.

DEPUTADO DÁ UMA DE ANGÉLICA E VAI DE TÁXI

Maia utilizou dinheiro público para pagar viagem de 400 quilômetros de táxi

Maia utilizou dinheiro público para pagar viagem de 400 quilômetros de táxi

Em tempos de forte desgaste da classe política, o deputado federal Arthur Maia, do PPS, dá relevante contribuição para manchar ainda mais a imagem dos parlamentares. Segundo reportagem do site Varela Notícias, Maia utilizou dinheiro público para viajar mais de 400 quilômetros de táxi, entre Guanambi e Barreiras.

Para ter seu “momento Angélica”, o deputado gastou a bagatela de R$ 1.200,00, que obviamente não saíram do bolso dele, mas do contribuinte. Com o país em grave recessão e o governo anunciando corte de gastos e possível aumento de impostos, chama atenção esse tipo de esbanjamento do deputado baiano.

A assessoria do parlamentar disse ao VN que a viagem foi eventual e que o valor pago está dentro da realidade do mercado. Afirmou ainda ter se tratado de um deslocamento “de emergência”.

MANGABEIRA E O DISCURSO DO NOVO

marco wense1Marco Wense

 

Mangabeira defende a formação de um bloco com o PSB, PPS, PV e Solidariedade (SD). Vai conversar com os prefeituráveis Carlos Leahy, Leninha Duarte e Alfredo Melo.

 

Algumas pessoas, entre elas alguns jornalistas, achando que o médico oncologista Antônio Mangabeira, pré-candidato pelo PDT, vem adotando um discurso duro em relação ao processo sucessório.

Alegam que Mangabeira erra quando descarta qualquer aproximação com os ex-gestores Fernando Gomes e Azevedo. O civil querendo ser prefeito pela quinta vez e o militar atrás do segundo mandato.

Ora, Mangabeira está no caminho certo. Quem prega mudança na política de Itabuna não pode ficar de convescote com políticos que representam a antítese do novo, que simbolizam a mesmice.

Se Mangabeira estivesse com outra postura, outro comportamento, essas mesmas pessoas iriam dizer que sua pré-candidatura é de mentirinha, que a intenção é ser vice.

“Não vou praticar a velha e carcomida política do toma-lá-dá-cá e nem me aproximar de quem eu acho que não serve mais para Itabuna”, diz o prefeiturável do PDT.

Mangabeira defende a formação de um bloco com o PSB, PPS, PV e Solidariedade (SD). Vai conversar com os prefeituráveis Carlos Leahy, Leninha Duarte e Alfredo Melo. “Não podemos ficar assistindo uma eventual polarização entre Fernando Gomes e Geraldo Simões”, finaliza.

PS: Além de médico, bacharel em direito e administrador de empresas, Mangabeira cursa engenharia civil e ambiental.

INFIDELIDADE

claudevane leiteCostumo dizer que o anzol da fidelidade partidária só consegue fisgar os peixes miúdos, sem dúvida os vereadores e dirigentes partidários. Quando o peixe é graúdo, o anzol entorta, o “peixão” escapole.

O prefeito Vane, só para citar um exemplo bem tupiniquim, desconsiderou a orientação do seu partido, o PRB, para apoiar o então candidato Paulo Souto. Vane ficou com o petista Rui Costa na última sucessão estadual.

Tudo caminha para que o chefe do Executivo venha novamente cometer infidelidade partidária na eleição municipal de 2016, se tornando um reincidente.

O PRB tende a ficar com a oposição, se juntando ao DEM, PSDB e PMDB. Se não for candidato ao segundo mandato, Vane vai apoiar o nome que o governador Rui Costa apontar.

Fica no ar a pertinente, provocativa e intrigante pergunta: os vanistas antipetistas, incluindo aí os evangélicos, seguiriam o prefeito no seu apoio ao candidato do PT?

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

FUSÕES ABORTADAS

Lídice já não acredita mais em fusão PSB-PPS (Foto Tácio Moreira/Metropress).

Lídice já não acredita mais em fusão PSB-PPS (Foto Tácio Moreira/Metropress).

Após o chabu no processo de fusão do PTB com o DEM, parece que também terá o mesmo destino a união PSB-PPS, segundo adiantou, hoje (3), a senadora baiana Lídice da Mata, líder do PSB baiano. De acordo com ela, existem, pelo menos, dois diretórios contra o processo de fusão.

Procurada pelo site Bahia Notícias, Lídice afirmou que a união de PPS e PSB não tem mais a mesma pressa e não pode ocorrer depois que a Câmara dos Deputados manteve as coligações proporcionais.

NETO NO PSB

Hoje, em Salvador, circulou a notícia de que o prefeito da capital baiana, ACM Neto, estaria de malas prontas para desembarcar no novo partido oriundo da união PPS-PSB.

SUBSTITUIÇÃO SÓ EM JULHO

A Secretaria de Comunicação Social de Itabuna (Secom) enviou nota ao PIMENTA esclarecendo que o vereador César Brandão foi apresentado ao prefeito Claudevane Leite pela secretária de Administração, Mariana Alcântara, como seu possível substituto na Pasta, enquanto ela estiver em licença maternidade.

Ainda de acordo com nota da Secom, o nome do vereador e líder do Governo na Câmara foi referendado pelo PPS, porém aguarda definição do prefeito Claudevane Leite. Independente de quem for escolhido, a mudança só deve ocorrer em julho.

GALO PEDE HUMILDADE A TARGINO

Galo pede que Targino Machado siga o Papa Francisco

O sempre ácido deputado estadual Targino Machado (sem partido) tem criticado o PT por ter, segundo ele, comprado o passe de lideranças do PMN, como estratégia para evitar a fusão desta legenda com o PPS, formando o MD (Movimento Democrático).

Após um pronunciamento em que Machado fez a acusação, o petista Marcelino Galo saiu em defesa de seu partido e disse que o colega de Assembleia se sente como a “palmatória do mundo”. Na discussão, até o nome do pontífice entrou no meio.

Segundo Galo, Machado deveria “seguir o Papa Francisco e ser mais humilde, em vez de querer ser a palmatória do mundo”. O petista disse ainda que o colega tenta encontrar culpados para o “naufrágio do MD” e “deixa a emoção falar mais alto que a razão”.

Sobra a acusação em si, Galo naturalmente nega. Mas afirma que o PT defende critérios rígidos para a formação de novos partidos, of course.

PPS E PMN ADIAM CRIAÇÃO DO MD

Líderes do PPS reconheceram o adiamento pelo menos até agosto da criação da Mobilização Democrática (MD), legenda que surgiria a partir de uma fusão com o PMN, diante da insegurança jurídica relativa à regras para criação de novos partidos brasileiros. Com fundação anunciada em abril, a sigla foi formalizada em cartório.

Na época, os idealizadores do partido estimaram a filiação de até 30 deputados. Atualmente, somados, PPS e PMN têm 13 deputados federais. Desde então, porém, as movimentações em torno da formalização da MD diminuíram. Mesmo assim, a direção do PPS nega a perda de força da tese da fusão. “Nossa decisão está mantida. Não houve nenhum recuo”, diz o deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP). Informações da Folha.

ALIADOS COADJUVANTES

marco wense1Marco Wense

Sobre o imbróglio das nomeações de azevistas e fernandistas, é preciso que as lideranças do PRB, PPS, PSC, PV e PP se juntem no esclarecimento de que tais indicações não partiram exclusivamente de seus partidos.

O óbvio ululante é afirmar que o PCdoB é a mais forte legenda do governo Vane. Como é inquestionável que Davidson Magalhães, diretor-presidente da Bahiagás, é o “cara” do comunismo grapiúna.

Essa influência do PCdoB já era esperada. Sem os comunistas, a campanha do então candidato Vane ficaria no meio do caminho. O apoio político foi importante. O financeiro imprescindível.

Todo esse toma-lá-dá-cá é inerente ao processo político. Não é coisa específica do PCdoB. Todas as agremiações partidárias agem do mesmo modo. É regra.

PRB, PPS, PSC, PV e o PP deram suas contribuições, cada um dentro de seus limites e condições. Não são coadjuvantes, como andam dizendo alguns membros do PCdoB. São também protagonistas.

Sobre o imbróglio das nomeações de azevistas e fernandistas, é preciso que as lideranças do PRB, PPS, PSC, PV e PP se juntem no esclarecimento de que tais indicações não partiram exclusivamente de seus partidos.

Querem empurrar o ônus das esquisitas nomeações para os partidos “coadjuvantes”, deixando o PCdoB de fora e, por tabela, o camarada Davidson Magalhães, pré-candidato a deputado federal.

O RETORNO DE FG

O slogan da campanha já está pronto: “O povão de Deus com Fernando”.  É Fernando Gomes em plena campanha para a prefeitura de Itabuna na sucessão de Claudevane Leite.

Os fernandistas estão eufóricos. Acreditam em um cenário favorável na eleição de 2016, com duas candidaturas se bicando: Vane (reeleição) e Geraldo Simões atrás do terceiro mandato.

Maria Alice e Raimundo Vieira são os mais entusiasmados com o retorno do “grande chefe”. Alice comanda o diretório municipal do DEM.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

O BISPO E O PC DO B

Marco Wense

Por dedução, diria que o candidato do bispo Marinho é César Brandão, do PPS da simpática Mariana Alcântara, legenda que acompanhou Vane sem titubear.

Na entrevista que concedeu ao Diário Bahia, na edição do último fim de semana, o deputado Márcio Marinho adotou uma postura pacificadora em relação aos questionamentos envolvendo o PCdoB.

O evangélico parlamentar, candidato à reeleição, conhecido como bispo Marinho da Igreja Universal (IURD), reconhece a importância da legenda comunista na vitória de Claudevane Leite.

A maior liderança do PRB na Bahia sabe que o apoio do futuro prefeito de Itabuna será compartilhado com Davidson Magalhães, pretenso candidato a uma vaga na Câmara Federal.

“O PCdoB ajudou na construção da vitória de Vane e é mais do que legítimo que queira fortalecer o grupo”, disse Marinho ao responder sobre a natural pré-candidatura do presidente da Bahiagás.

O PCdoB caminha no mesmo sentido. Em tom conciliador vai dizer que o apoio do bispo, garantido a legenda do PRB, depois que Vane foi preterido pelo PT, foi fundamental para o sucesso eleitoral do então candidato.

Que essa paz permaneça na indicação dos nomes que irão compor o governo. Que o relacionamento entre o PRB e o PCdoB seja marcado pela transparência, civilidade e bom comportamento político.

MARINHO E O LEGISLATIVO

Nas entrelinhas, o bispo Márcio Marinho deixou claro que é contra a candidatura do pastor Francisco à presidência da Câmara de Vereadores de Itabuna.

Depois de deixar um resquício de esperança no ar, dizendo que “nada impede”, o bispo disse: “… mas ele está no primeiro mandato e a responsabilidade é grande”.

A declaração do deputado Marinho animou os vereadores que não são marinheiros de primeira viagem, como Ruy Machado, Júnior Brandão, Carlito do Sarinha e César Brandão.

Do quarteto, é evidente que Júnior Brandão, por ser do PT, é carta fora do baralho. Carlito apoiou a reeleição do capitão Azevedo. Ruy Machado é um enigma.

Por dedução, diria que o candidato do bispo Marinho é César Brandão, do PPS da simpática Mariana Alcântara, legenda que acompanhou Vane sem titubear.

ESCLARECIMENTO

Pela segunda vez – e última – esclareço que não sou jornalista, repórter ou qualquer coisa do ramo. Sou apenas um modesto colaborador do Diário Bahia e do conceituado e cada vez mais lido Pimenta na Muqueca.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

ALIADA, SONINHA DIZ QUE SERRA “É ESTÚPIDO COM A IMPRENSA”

A jornalista e ex-candidata a prefeita de São Paulo Soninha Francine (PPS) concedeu entrevista ao jornal Brasil Econômico e não economizou em críticas ao PT, ao ex-presidente Lula e até a quem admira muito, o ex-governador José Serra:

– O Serra é um cara esquentado e cai muito fácil em provocação. Quando está no front, sai faísca. Mas ele também é estúpido com a imprensa – disse.

Soninha fez leitura da campanha eleitoral em São Paulo e explica por que chamou (?) o petista Fernando Haddad de “filho da p…” em escritos nas redes sociais. Haddad lidera as pesquisas de intenções de voto na disputa em São Paulo, no próximo domingo, 28.

Confira a entrevista de Soninha na íntegra

PPS E PP OFICIALIZAM ENTRADA NA FRENTE PARTIDÁRIA CONTRA JUÇARA E AZEVEDO

Mariana, de branco, e Minas Aço Jr., de preto, oficializam entrada de PPS e PP (Foto Pimenta).

Agora é oficial. O Partido Progressista (PP) e o Partido Popular Socialista (PPS) confirmaram na noite desta terça-feira, 19, união com os partidos da Frente Partidária integrada por PCdoB, PP, PDT, PV, PSC e PRB.  Ética na política, gestão participativa,  inovação e participação popular foram conceitos e princípios mais citados nos discursos dos líderes partidários.

Segundo Ramon Cardoso, do PCdoB de Itabuna, a intenção da aliança partidária é consolidar gestão que tire o município “do atraso político e do caos administrativo em que está imersa” há 30 anos. “Vejo aqui a mudança que a população deseja”, afirma Evans Maxwell (PV) seguido pelo pastor evangélico  Francisco Edes (PRB) para quem a cidade necessita de gestão mais moderna.

O ato de lançamento oficial da Frente Partidária contou com a presença dos pré-candidatos Acácia Pinho (PDT) e Wenceslau Junior (PCdoB). Os dois fizeram questão de reafirmar que a cabeça de chapa será anunciada na quinta-feira, 21, a partir de pesquisa de intenções de voto já fechada e de critérios internos.

A pesquisa foi feita pela Dataqualy e será analisada em reunião dos partidos da Frente. O pré-candidato Claudevane Leite (PRB) não participou do encontro na Galeteria, no São Caetano, porque está de dengue. O PPS foi representado por Mariana Alcântara e o PP por Minas Aço Júnior.

COLIGAÇÕES PROPORCIONAIS

Um pinga-fogo foi estabelecido com os líderes da Frente Partidária pelos jornalistas e blogueiros. Desse aperto se teve a notícia de que nas candidaturas a vereador, a chamada chapa proporcional se tem um rascunho de coligações: PDT-PV-PRB-PSC / PPS-PP / PCdoB, que sairá sozinho. Mais um partido pode aderir à frente. Um deles seria o PTB.

LENINHA DÁ TCHAU AO PMDB

A empresária Leninha Alcântara resolveu dar troco ao PMDB após ser fritada em fogo alto pela Executiva Municipal. Hoje, apresentou o pedido de desfiliação partidária. Mas não se deu ao trabalho de ir até o escritório do PMDB. Quem entregou a carta de desfiliação foi o secretário-geral do PPS e amigo da empresária, Gilmar França, conta o Blog do Ricky.

A forma como ocorreu a desfiliação foi confirmada pelo diretório do PMDB itabunense.

ELEIÇÕES 2012: WENCESLAU JÚNIOR CRITICA PT E AZEVEDO E DIZ QUE FOI INJUSTIÇADO

O vereador Wenceslau Júnior está no terceiro mandato. Sonha com a cadeira principal do Centro Administrativo Firmino Alves, sede da Prefeitura de Itabuna. O sonho é alimentado pela possibilidade de uma composição de partidos que une desde o seu PCdoB ao PRB de Claudevane Leite e PDT de Acácia Pinho.

Na entrevista concedida ao PIMENTA, Wenceslau acha improvável composição com o PT em Itabuna e faz críticas ao Governo Azevedo (“não consigo enxergar marca positiva nesse governo”).

O prefeiturável também fala do processo de afastamento do mandato por ordem judicial e diz que a decisão foi injusta. Confira os principais trechos da entrevista que abre série com pré-candidatos a prefeito de Itabuna.

PIMENTA – Quem será o candidato da Frente Partidária?

WENCESLAU JÚNIOR – Há unidade e compromisso de avaliarmos a evolução das pesquisas para, em meados deste mês, afunilarmos para um nome.

O sr. acredita que a frente se mantém mesmo após definir o candidato?

Eu acredito nas palavras de Vane [do Renascer] e de Acácia Pinho. Esta frente não é voltada para interesses pessoais, tem princípios e compromisso de melhorar a cidade, fazer gestão inovadora. A frente também está dialogando com PPS e PP e abrindo perspectiva para ter tempo de televisão razoável e consistência política ainda maior.

Do outro lado, existem duas candidaturas com maior estrutura. A frente tem como ir para a disputa com chances até o final?

O elenco de lideranças que compõem essa frente já é algo importante. Além disso, acho que estrutura não é algo tão definidor em eleição em Itabuna. Em 1992, Geraldo Simões caiu na graça do povo e foi eleito imprensado entre duas grandes candidaturas [Ubaldo Dantas e José Oduque].

Hoje não temos cenário de protestos, impeachment de presidente…

(Interrompe)… Em 2008, o prefeito [Azevedo] estava em último, não tinha ajuda da máquina municipal e só passou a contar quando cresceu na pesquisa. De início, foi uma candidatura franciscana. Em Itabuna, um bom programa de TV e militância aguerrida nas ruas são fundamentais para a eleição.

Pelo que se desenha, qual será o tipo de campanha que teremos em 2012?

O compromisso na Frente Partidária é discutir propostas para a cidade. A eleição em Itabuna, o debate tende a ser municipalizado, sem grande influência das políticas nacional e estadual.

O PCdoB se manterá na frente mesmo se ocorrerem pressões de cima?

Olha, o governador Wagner vem tendo postura elogiável em todo o processo. Tentar mediar, mas nunca impor. O PCdoB em Itabuna tem divergência com o PT local, o que não ocorre nos níveis estadual e nacional.

 

ALIANÇA COM O PT: Nada em política é impossível, mas acho um pouco distante essa reaproximação, até porque não há espírito despojado do outro lado.

 

Há possibilidade de coligação com o PT em Itabuna?

Nada em política é impossível, mas acho um pouco distante essa reaproximação, até porque não há espírito despojado do outro lado. Wenceslau pode abrir mão de ser candidato para apoiar Vane ou Acácia, Vane pode abrir mão, Acácia, também… Do outro lado [do PT], não. Isso dificulta qualquer conversa.

O senhor sofre críticas por ter atuação omissa na fiscalização do governo municipal…

Sempre vou ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). É um trabalho árduo e silencioso. Não foi à toa que as contas do prefeito [Capitão Azevedo], de 2009 e 2010, foram reprovadas. Agora eu tenho que reconhecer que foi mandato atípico, por causa da candidatura a deputado estadual. Tanto na pré-campanha, em 2009, quanto na campanha, em 2010, realmente me dediquei à atuação em nível estadual. Nas principais batalhas na Câmara, as questões da saúde, defesa dos salários dos servidores, professores, nós estávamos lá.

Como o senhor avalia a gestão municipal?

É uma gestão sem planejamento, que não consegue planejar e, por conta disso, compromete a execução. Tem muitas pessoas preocupadas com seus interesses pessoais. Azevedo não é bom coordenador e tem dificuldades de exonerar aqueles que não dão resultado. Pergunto ao leitor, qual é a marca positiva deste governo?

E qual seria esta marca?

Não consigo enxergar. Negativas, sim, existem. Aumento da violência na cidade, por que as pessoas são impedidas de ter acesso à educação, lazer. Nós nunca passamos situação tão vexatória na saúde. A marca mesmo é a de malversação de dinheiro público.

Quais seriam estes exemplos de malversação?

Nas obras, todas federais, mas executadas pelo município, a gente não sabe dizer se é construtora ou a prefeitura que está fazendo. Há uma mistura, confusão. Obras são licitadas e quem trabalha é a mão de obra da prefeitura. Sem falar das causas de rejeições de contas: exageros de gastos em alguns setores, aplicação abaixo do mínimo em saúde e educação…

 

FOLHA INCHADA: A folha consome 70% da receita. Existem muitas pessoas que estão na folha sem trabalhar, por apadrinhamento político, consumindo recursos públicos. Fantasmas.

 

Se as obras são federais, para onde está indo o dinheiro das receitas próprias?

Infelizmente, a prefeitura está completamente inchada. A folha consome 70% da receita. Existem muitas pessoas que estão na folha sem trabalhar, por apadrinhamento político, consumindo recursos públicos. Fantasmas.

O PCdoB e a sua campanha já avaliaram os efeitos do escândalo dos consignados na sua pré-candidatura?

O partido já avaliou. Depois do caso, nós fizemos pesquisa e constamos que crescemos ou mantivemos os percentuais. A população de Itabuna me conhece desde os tempos de movimento estudantil. Nunca respondi a processo, já participei de governo municipal, fui assessor parlamentar.

:: LEIA MAIS »

PPS COM PT TAMBÉM EM ITABUNA?

Nesta semana, o PPS ilheense confirmou apoio à chapa petista em Ilhéus, encabeçada pela vereadora Carmelita Ângela. A aliança pode ser reproduzida também em Itabuna. Nas rodas políticas é dado como certo o apoio do PPS à suplente de senadora Juçara Feitosa (PT), que tentará novamente a prefeitura de Itabuna.

Os entendimentos teriam avançado ao ponto da psicóloga e empresária Mariana Alcântara ser cotada para vice de Juçara. O acordo envolveria também o PMN, que se coligaria com o PPS para a disputa de vagas na Câmara.

Juçara, aliás, terá que passar muito sebo nas canelas no seu projeto eleitoral. Ontem, um encontro promovido pelo PT no Centro de Cultura Adonias Filho reuniu pouco mais de 40 pessoas. Juçara esteve lá, acompanhada do deputado e esposo Geraldo Simões, ambos constrangidos pelo público diminuto.

PPS FECHA COM PT EM ILHÉUS

Dirigentes de PPS e PT à mesa: Roland (braços cruzados) é presença de triste memória.

O PPS é o primeiro partido fora do arco de alianças estaduais e federais que fechou com a pré-candidatura petista em Ilhéus. O PPS já faz parte da base governista no município e, ontem, confirmou apoio ao projeto eleitoral de Professora Carmelita (PT), num encontro que reuniu vereadores e dirigentes das duas legendas.

O acordo foi fechado com a participação do ex-deputado Roland Lavigne, que indicou o irmão Ronaldo Lavigne para a Secretaria Municipal de Saúde. Os dirigentes dos dois partidos destacaram o fato da aliança possuir seis dos 13 vereadores ilheenses, inclusive Carmelita, que está no segundo mandato.

A candidatura petista corre contra o tempo para tentar deslanchar até o início da campanha eleitoral, em julho. Do outro lado, o ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP) atraiu o apoio do PCdoB e tenta fechar com o ex-petista Ruy Carvalho, hoje no PRB. Ruy pode ser o vice de Jabes.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia