WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘PSC’

PRESIDENTE DO PSC DESCARTA ALIANÇA COM RUI COSTA

Heber descartou aliança com Rui Costa || Foto Tácio Moreira/Metropress

O presidente do PSC da Bahia, Heber Santana, descartou possiblidade de aliança eleitoral à reeleição do governador Rui Costa (PT), apesar de o partido ter conversado com o Pastor Sargento Isidório, do Avante, sobre a aliança. “Nós, do PSC, fazemos questão de colocar que não é esse o caminho”, afirmou o deputado estadual e dirigente do PSC.

Heber reclamou, no entanto da falta de definição na chapa do pré-candidato do DEM ao governo baiano, José Ronaldo. Para ele, a indefinição resulta em perdas para o campo oposicionista e cobra fechamento de aliança ainda nesta semana. Além de Zé Ronaldo, o PSC avaliaria possibilidade de coligar com João Santana, do MDB, ou João Henrique, do PRTB, com Irmão Lázaro (PSC) disputando vaga ao Senado Federal.

SEM LULA, CIRO GANHA

marco wense1Marco Wense

 

É no debate, no olho a olho, que Ciro Gomes vai se aproximar de Bolsonaro, sem dúvida o presidenciável mais fraco, oco, inconsistente e carente de substância.

 

Todas as pesquisas para o Palácio do Planalto apontam uma disputa no segundo turno entre o ex-presidente Lula (PT) e o deputado Jair Bolsonaro (PSC).

Na mais recente, do instituto DataPoder360, Lula tem 32%, Bolsonaro 25%, Ciro Gomes (PDT) 4%, empatando com Geraldo Alckmin (PSDB), e Marina Silva (Rede) 3%.

Quando sai Alckmin e entra o também tucano João Doria, prefeito de São Paulo, Lula fica com 31%, Bolsonaro 18%, Doria 12%, Ciro 6% e Marina 3%.

Sem Lula no páreo, impedido legalmente de concorrer, Bolsonaro assume a ponta com 27%, Alckmin 9%, Ciro e Marina com 8% e Haddad, reserva do PT, fica com 3%.

Em outro cenário, ainda sem Lula, com Doria no lugar de Alckmin, Bolsonaro pontua com 25%, Doria 12%, Ciro 9%, Marina 6% e Haddad 5%.

Uma eventual inelegibilidade de Lula, favorece o pré-candidato do PDT, que tende a crescer no decorrer do processo em decorrência de ser o mais preparado de todos.

É no debate, no olho a olho, que Ciro Gomes vai se aproximar de Bolsonaro, sem dúvida o presidenciável mais fraco, oco, inconsistente e carente de substância.

Não vejo nenhuma chance em Marina e nem nos tucanos Alckmin e Doria. Em relação a Haddad, o PT e Lula não vão transferir os votos.

Sem Lula, Ciro Gomes é o próximo presidente da República.

Marco Wense é editor d´O Busílis.

WESLEY SANTANA ASSUME DIRETÓRIO DO PSC

Pastor Wesley Santana assume presidência do PSC de Itabuna.

Pastor Wesley Santana assume presidência do PSC de Itabuna.

Wesley Santana é o novo presidente do diretório do PSC em Itabuna, após reunião com lideranças estaduais do partido, dentre eles o dirigente estadual, Eliel Santana, o deputado estadual Heber Santana, e o secretário-geral Jorge Mendes, além do secretário executivo Osny Bonfim.

Presidente estadual do partido, Eliel Santana diz que o PSC será fortalecido em Itabuna “com novas filiações e maior participação da juventude e das mulheres. Escolhido novo presidente, Wesley Santana é pastor da Igreja Assembleia de Deus Madureira de Itabuna.

O deputado Heber Santana abordou a abertura do PSC. Segundo ele, não se trata de “um partido apenas de evangélicos”. “As portas da legenda estão abertas a todos que comunguem princípios cristãos e estejam alinhados com a filosofia do partido”.

O PSC, de acordo com os dirigentes, fará encontro regional em Ilhéus, no próximo mês. “Nossa meta é construir um partido cada vez mais forte e atuante, atento às demandas e necessidades da população do nosso vasto estado”, afirmou Heber Santana.

JABES PREPARA O “BOTE” EM MAGAL

Relação de Magal e Jabes ficaram estremecidas há mais de um ano (Foto Divulgação).

Relações de Magal e Jabes ficaram estremecidas há mais de um ano (Foto Divulgação).

O prefeito Jabes Ribeiro está atraindo o PSC para a sua base de apoio, o que deve fragilizar o projeto de reeleição do vereador Fábio Magal. As conversas começaram após um show do Irmão Lázaro em Ilhéus, no Louvar Verão. Lázaro é deputado federal pelo partido e deve assumir o controle da legenda na Bahia.

Internamente, o desgaste de Magal aumentou quando ele decidiu pelo apoio a Fábio Souto (DEM) na disputa à Assembleia Legislativa, quebrando acordo com Heber Santana, filho do dirigente estadual do PSC, Eliel Santana. Não há interesse do partido em salvá-lo, segundo fontes.

Magal terá que, por exemplo, trabalhar forte para se recuperar em regiões onde foi bem votado, a exemplo do Hernani Sá. Mas terá contra si a Máquina de Vingança de Jabes, operada pelo irmão John Ribeiro. Os Irmãos Ribeiro não gostaram nada de ver Magal indo ao procurador-geral de Justiça, Márcio Fahel, denunciar arbitrariedades político-administrativas cometidas pelo governo ilheense.

AUGUSTO É LÍDER DE BLOCO OPOSICIONISTA

O deputado estadual Augusto Castro (PSDB) foi escolhido líder do bloco formado pelo seu partido, o PRB e o PSC. As três legendas somam sete parlaaugusto castro liderancamentares, que farão oposição ao governo Rui Costa (PT) – leia aqui.

Na condição de líder oposicionista, Castro diz que focará na “cobrança de resultados prometidos pelo PT e da realização de obras como a barragem do Rio Colônia, o Hospital Regional do Sul da Bahia e a conclusão do Centro de Convenções de Itabuna”.

A definição do PRB como oposicionista deverá ter influências na política local, já que o prefeito Claudevane Leite (Vane) – membro do partido – é Rui Costa desde criancinha. Ficam fortalecidas, portanto, as chances de Vane ir para o PT.

TRE-BA NEGA PEDIDO DE SUBSTITUIÇÃO DE CANDIDATO MORTO EM ACIDENTE

Ondumar era candidato pelo PSC e faleceu em acidente na BR-349

Ondumar era candidato pelo PSC e faleceu em acidente na BR-349

O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) negou ontem (16) a substituição de candidatura a deputado estadual de Ondumar Marabá (PSC), morto em acidente na BR-349, em Correntina, em 25 de setembro. O pedido foi apresentado pelo filho da vítima, Ondumar Junior.

Os juízes do TRE baiano entenderam que o pedido somente poderia ser aceito se feito 60 dias antes da eleição, conforme legislação vigente, mas foi apresentado em 2 de outubro, às vésperas do pleito.

Ainda segundo entendimento do relatr juiz João de Melo Cruz Filho, a nova lei que permite a substituição em casos como este só entrará em vigor nas eleições de 2016. A Lei 12.891, de 2013, foi aprovada em dezembro do ano passado. Para valer neste pleito, teria que ser a, pelo menos, um ano.

A lei de minirreforma eleitoral reduziu de 60 para 20 dias o prazo para pedido de substituição de candidatura. Casos de morte seriam a exceção, com o pedido de substituição podendo ser apresentado até o dia anterior ao pleito.

IBOPE/CNI: DILMA ATINGE 39% E MARINA OSCILA PARA 31%. AÉCIO MANTÉM 15%

dilma, marina e aécioPesquisa Ibope/Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgada hoje, traz a presidente Dilma Roussef (PT) com 39% das intenções de voto e Marina Silva (PSB) com 31%. A diferença entre ambas dobrou em nove dias (4 para 8 pontos), segundo o Ibope. Na pesquisa divulgada dia 3, Marina estava com 33% e Dilma tinha 37%.

O senador Aécio Neves (PSDB) tem 15% das intenções de voto e Pastor Everaldo (PSC) aparece com 1%.

Nesta pesquisa, os demais candidatos, somados, têm 1%. De acordo com o Ibope, 8% dos entrevistados votariam em branco ou nulo e 5% estão indecisos.

Foram ouvidos 2.202 eleitores, no período de 5 a 8 de setembro, em 144 municípios. O levantamento está registrado sob o número BR-00593/2014. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

SEGUNDO TURNO

Nas simulações de segundo turno, Marina tem 43% contra 42% de Dilma, cenário em que percentual de brancos e nulos atinge 10% e o de indecisos alcança 5%.

Dilma bateria Aécio por 48 a 33%. Brancos e nulos somariam 13% e indecisos, 6%. Marina chega a 41% contra 27% de Aécio. Brancos e Nulos alcançariam 14% ante 8% de indecisos.

DILMA TERÁ MAIS QUE O DOBRO DE TEMPO DE AÉCIO NO HORÁRIO ELEITORAL

horário eleitoral tvO Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou hoje (10) a estimativa de tempo que os 11 candidatos à Presidência da República terão no horário eleitoral no rádio e na televisão, que começa no dia 19 de agosto. Os números serão apresentados aos partidos em audiência pública na quarta-feira (16). Após as coligações tomarem conhecimento da minuta, o plano de divulgação definitivo será colocado em votação no plenário do tribunal.

Segundo os dados, a coligação Com A Força do Povo, da candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT), terá 11 minutos e 48 segundos. A coligação Muda Brasil, do candidato Aécio Neves (PSDB), ficou com 4min31s. Eduardo Campos (PSB), da Coligação Unidos pelo Brasil, terá um 1min49s.

O restante do tempo no rádio e na TV ficou dividido entre o PSC, do Pastor Everaldo (um minuto e oito segundos); PV, de  Eduardo Jorge (um minuto e um segundo); PSOL, da candidata Luciana Genro (51 segundos), e Eymael, do PSDC (47 segundos). Os candidatos Levy Fidelix (PRTB), Zé Maria (PSTU), Mauro Iasi (PCB) e Rui Costa Pimenta (PCO) terão 45 segundos para expor suas ideias.

O bloco de 20 minutos que será destinado aos que disputam a Presidência da República foi dividido de acordo com o número de partidos e coligações que registraram candidaturas ao cargo e a suas representações na Câmara dos Deputados.

O TSE definirá a primeira ordem de exibição dos programas em sorteio no dia 5 de agosto. Nos programas seguintes, a ordem seguirá o critério de rodízio. Caso a disputa vá para segundo turno, o bloco de 20 minutos será dividido de forma igualitária entre as coligações. Informações da Agência Brasil.

ENCONTRO DO PSC EM ITABUNA

O PSC de Itabuna promoverá encontro municipal neste domingo (19), às 14h, no plenário da Câmara de Vereadores. Segundo o presidente, José Teles, o evento terá a participação de líderes estaduais e nacionais do partido.

Polêmico, o deputado estadual Sargento Isidório está entre os confirmados na festa. Após o encontro, o partido inaugurará a sede do diretório, na Avenida Juracy Magalhães, 172, centro, às 17h.

PSC DÁ FÔLEGO A PASTOR MARCO FELICIANO

PSC bate o pé e diz que Feliciano fica na presidência da comissão.

PSC bate o pé e diz que Feliciano fica na presidência da comissão.

Puxa de cá, estica de lá… E o deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), se depender do partido dele, permanecerá à frente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal.

O presidente do partido, pastor Everaldo Pereira, emitiu nota. O conteúdo evidencia possibilidade de confrontos. Everaldo cita que, se for preciso, convocará manifestantes para defender o pastor acusado de racismo e homofobia por deputados e movimentos sociais.

-Respeitosamente, quero pedir que as lideranças dos partidos nesta Casa respeitem a indicação do PSC e peçam a seus militantes que protestem de maneira respeitosa. Não fazemos ameaças, mas se fosse preciso convocar 100, 200, 300, 500 ou mais militantes que pensam como nós, também convocaríamos, mas o PSC é pela paz e harmonia. Queremos o entendimento – ressalta Everaldo Pereira em nota.

O dirigente partidário cita que Feliciano é ficha limpa, não foi condenado pelo Supremo Tribunal nem indiciado.”Feliciano é um deputado ficha limpa, tendo, então, todas as prerrogativas para estar na presidência da Comissão de Direitos Humanos”.

O pastor e dirigente encerra a carta afirmando que o “PSC defende a vida, a família e os direitos humanos de todos, inclusive das minorias”.

“VALÉRIA PIDONA”

Soldado ValériaA vereadora Valéria Morais (PSC) usou a tribuna da Câmara, hoje, para fazer críticas a setores do governo. Segundo ela, as portas do Centro Administrativo Firmino Alves estão fechadas para os edis.

O tom de desabafo acabou provocando risos quando a soldada disse que Jean Baraúna, diretor de Recursos Humanos da Prefeitura, classificou-a de “Vereadora Pidona”.

Risos à parte, Valéria afirmou em plenário que chorou diante do tom jocoso. O diabo é que esse tipo de apelido pega, vereadora…

PSC FAZ ACORDO PARA TIRAR MARCO FELICIANO DE COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS

Feliciano: acordo para deixar comissão na Câmara.

Feliciano: acordo para deixar comissão na Câmara.

Blog de João Bosco Rabello

Pode ser hoje ou amanhã, mas não deve passar desta semana a solução para a Comissão de Direitos Humanos da Câmara. O mais provável é que o pastor Marco Feliciano (PSC-AC) renuncie em favor da vice-presidente da Comissão, a também evangélica e correligionária, Antônia Luciléia Ramos Câmara (AC).

O acordo vem sendo costurado desde que as manifestações contra a permanência de Feliciano no cargo inviabilizaram o funcionamento da comissão, com repercussão negativa para seu próprio partido, o PSC, e para a instituição legislativa. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) já concluiu que a eleição do pastor foi um erro político coletivo.

Já na quarta-feira passada Feliciano esteve a um passo da renúncia, única saída legítima para o impasse criado depois da publicidade de suas posições polêmicas em relação à questão racial, casamento gay, aborto e das cenas de mercantilismo religioso que protagonizou ao exigir de um fiel, mais que o cartão de crédito, sua senha, em nome de Jesus.

Leia mais

 

DENÚNCIA DE LÍDER COMUNITÁRIO DESENCADEOU “OPERAÇÃO INUNDARE”, DA PF, EM ILHÉUS

Policiais federais cumprem mandado de busca e apreensão na prefeitura de Ilhéus (Foto Gidelzo Silva/GovIL).

Policiais federais cumprem mandado na prefeitura de Ilhéus (Foto Gidelzo Silva/GovIL).

A denúncia do líder comunitário de uma das localidades que deveriam ser atendidas por verbas do Ministério da Integração Nacional, em 2010, foi o estopim para que a Polícia Federal deflagrasse a Operação Inundare, hoje, em Ilhéus. O líder comunitário fez a denúncia ao descobrir que a sua comunidade constava como contemplada no pacote do Ministério da Integração, mas as obras não foram realizadas.

As obras deveriam ser executadas em 2010, quando o Ministério da Integração Nacional era comandado pelo baiano João Santana, ligado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima. A operação resultou no cumprimento de sete mandados de busca e apreensão, um deles cumprido na residência do ex-secretário da Fazenda, Jorge Bahia, que também foi chefe de gabinete do ex-prefeito Newton Lima.

A verba de R$ 10 milhões para obras de contenção de encostas e ações contra desastres naturais foi repassada quando o ministério ainda estava sob o controle do PMDB baiano.

Nos bastidores da política ilheense, há o temor de que as investigações respinguem em nomes do PMDB da Bahia e em lideranças que antes pertenciam ao PSC e hoje estão abrigadas em outras siglas.

De acordo com a Polícia Federal, pelo menos R$ 400 mil foram, comprovadamente, desviados por meio de uma empreiteira subcontratada. Os valores foram sacados em espécie e repassados a ex-funcionários da Prefeitura. Existe a possibilidade de que parte do dinheiro tenha irrigado campanhas de políticos ligados ao esquema.

DINHEIRO E ARMAS

Durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão na residência do ex-secretário Jorge Bahia, agentes da Polícia Federal apreenderam cerca de R$ 21 mil em dinheiro, além de arma. Bahia foi conduzido coercitivamente (à força) para a sede da PF em Ilhéus para ser ouvido, sendo liberado após depoimento.

ALIADOS COADJUVANTES

marco wense1Marco Wense

Sobre o imbróglio das nomeações de azevistas e fernandistas, é preciso que as lideranças do PRB, PPS, PSC, PV e PP se juntem no esclarecimento de que tais indicações não partiram exclusivamente de seus partidos.

O óbvio ululante é afirmar que o PCdoB é a mais forte legenda do governo Vane. Como é inquestionável que Davidson Magalhães, diretor-presidente da Bahiagás, é o “cara” do comunismo grapiúna.

Essa influência do PCdoB já era esperada. Sem os comunistas, a campanha do então candidato Vane ficaria no meio do caminho. O apoio político foi importante. O financeiro imprescindível.

Todo esse toma-lá-dá-cá é inerente ao processo político. Não é coisa específica do PCdoB. Todas as agremiações partidárias agem do mesmo modo. É regra.

PRB, PPS, PSC, PV e o PP deram suas contribuições, cada um dentro de seus limites e condições. Não são coadjuvantes, como andam dizendo alguns membros do PCdoB. São também protagonistas.

Sobre o imbróglio das nomeações de azevistas e fernandistas, é preciso que as lideranças do PRB, PPS, PSC, PV e PP se juntem no esclarecimento de que tais indicações não partiram exclusivamente de seus partidos.

Querem empurrar o ônus das esquisitas nomeações para os partidos “coadjuvantes”, deixando o PCdoB de fora e, por tabela, o camarada Davidson Magalhães, pré-candidato a deputado federal.

O RETORNO DE FG

O slogan da campanha já está pronto: “O povão de Deus com Fernando”.  É Fernando Gomes em plena campanha para a prefeitura de Itabuna na sucessão de Claudevane Leite.

Os fernandistas estão eufóricos. Acreditam em um cenário favorável na eleição de 2016, com duas candidaturas se bicando: Vane (reeleição) e Geraldo Simões atrás do terceiro mandato.

Maria Alice e Raimundo Vieira são os mais entusiasmados com o retorno do “grande chefe”. Alice comanda o diretório municipal do DEM.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

NO CLIMA DA FOLIA, PSC ADERE AO GOVERNO WAGNER

Após longo período “pré-nupcial”, o enlace entre o PSC e o governador Jaques Wagner foi selado e já passou para a base de sustentação, que conta agora com oito partidos na Assembleia Legislativa e nada menos que 47 deputados. As negociações com os socialistas cristãos se arrastam desde 2011.

A informação foi antecipada pelo governador Jaques Wagner, em entrevista no programa Balanço Geral e confirmada pelo presidente estadual do PSC, Eliel Santana. Segundo ele, o martelo foi batido após reunião com a executiva nacional e representantes estaduais.

Eliel Santana assegura que as costuras não envolveram barganha por cargos, mas sim os pleitos, os ideais, as bandeiras do PSC. Informações da Tribuna da Bahia.

ELEIÇÕES 2012: WENCESLAU JÚNIOR CRITICA PT E AZEVEDO E DIZ QUE FOI INJUSTIÇADO

O vereador Wenceslau Júnior está no terceiro mandato. Sonha com a cadeira principal do Centro Administrativo Firmino Alves, sede da Prefeitura de Itabuna. O sonho é alimentado pela possibilidade de uma composição de partidos que une desde o seu PCdoB ao PRB de Claudevane Leite e PDT de Acácia Pinho.

Na entrevista concedida ao PIMENTA, Wenceslau acha improvável composição com o PT em Itabuna e faz críticas ao Governo Azevedo (“não consigo enxergar marca positiva nesse governo”).

O prefeiturável também fala do processo de afastamento do mandato por ordem judicial e diz que a decisão foi injusta. Confira os principais trechos da entrevista que abre série com pré-candidatos a prefeito de Itabuna.

PIMENTA – Quem será o candidato da Frente Partidária?

WENCESLAU JÚNIOR – Há unidade e compromisso de avaliarmos a evolução das pesquisas para, em meados deste mês, afunilarmos para um nome.

O sr. acredita que a frente se mantém mesmo após definir o candidato?

Eu acredito nas palavras de Vane [do Renascer] e de Acácia Pinho. Esta frente não é voltada para interesses pessoais, tem princípios e compromisso de melhorar a cidade, fazer gestão inovadora. A frente também está dialogando com PPS e PP e abrindo perspectiva para ter tempo de televisão razoável e consistência política ainda maior.

Do outro lado, existem duas candidaturas com maior estrutura. A frente tem como ir para a disputa com chances até o final?

O elenco de lideranças que compõem essa frente já é algo importante. Além disso, acho que estrutura não é algo tão definidor em eleição em Itabuna. Em 1992, Geraldo Simões caiu na graça do povo e foi eleito imprensado entre duas grandes candidaturas [Ubaldo Dantas e José Oduque].

Hoje não temos cenário de protestos, impeachment de presidente…

(Interrompe)… Em 2008, o prefeito [Azevedo] estava em último, não tinha ajuda da máquina municipal e só passou a contar quando cresceu na pesquisa. De início, foi uma candidatura franciscana. Em Itabuna, um bom programa de TV e militância aguerrida nas ruas são fundamentais para a eleição.

Pelo que se desenha, qual será o tipo de campanha que teremos em 2012?

O compromisso na Frente Partidária é discutir propostas para a cidade. A eleição em Itabuna, o debate tende a ser municipalizado, sem grande influência das políticas nacional e estadual.

O PCdoB se manterá na frente mesmo se ocorrerem pressões de cima?

Olha, o governador Wagner vem tendo postura elogiável em todo o processo. Tentar mediar, mas nunca impor. O PCdoB em Itabuna tem divergência com o PT local, o que não ocorre nos níveis estadual e nacional.

 

ALIANÇA COM O PT: Nada em política é impossível, mas acho um pouco distante essa reaproximação, até porque não há espírito despojado do outro lado.

 

Há possibilidade de coligação com o PT em Itabuna?

Nada em política é impossível, mas acho um pouco distante essa reaproximação, até porque não há espírito despojado do outro lado. Wenceslau pode abrir mão de ser candidato para apoiar Vane ou Acácia, Vane pode abrir mão, Acácia, também… Do outro lado [do PT], não. Isso dificulta qualquer conversa.

O senhor sofre críticas por ter atuação omissa na fiscalização do governo municipal…

Sempre vou ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). É um trabalho árduo e silencioso. Não foi à toa que as contas do prefeito [Capitão Azevedo], de 2009 e 2010, foram reprovadas. Agora eu tenho que reconhecer que foi mandato atípico, por causa da candidatura a deputado estadual. Tanto na pré-campanha, em 2009, quanto na campanha, em 2010, realmente me dediquei à atuação em nível estadual. Nas principais batalhas na Câmara, as questões da saúde, defesa dos salários dos servidores, professores, nós estávamos lá.

Como o senhor avalia a gestão municipal?

É uma gestão sem planejamento, que não consegue planejar e, por conta disso, compromete a execução. Tem muitas pessoas preocupadas com seus interesses pessoais. Azevedo não é bom coordenador e tem dificuldades de exonerar aqueles que não dão resultado. Pergunto ao leitor, qual é a marca positiva deste governo?

E qual seria esta marca?

Não consigo enxergar. Negativas, sim, existem. Aumento da violência na cidade, por que as pessoas são impedidas de ter acesso à educação, lazer. Nós nunca passamos situação tão vexatória na saúde. A marca mesmo é a de malversação de dinheiro público.

Quais seriam estes exemplos de malversação?

Nas obras, todas federais, mas executadas pelo município, a gente não sabe dizer se é construtora ou a prefeitura que está fazendo. Há uma mistura, confusão. Obras são licitadas e quem trabalha é a mão de obra da prefeitura. Sem falar das causas de rejeições de contas: exageros de gastos em alguns setores, aplicação abaixo do mínimo em saúde e educação…

 

FOLHA INCHADA: A folha consome 70% da receita. Existem muitas pessoas que estão na folha sem trabalhar, por apadrinhamento político, consumindo recursos públicos. Fantasmas.

 

Se as obras são federais, para onde está indo o dinheiro das receitas próprias?

Infelizmente, a prefeitura está completamente inchada. A folha consome 70% da receita. Existem muitas pessoas que estão na folha sem trabalhar, por apadrinhamento político, consumindo recursos públicos. Fantasmas.

O PCdoB e a sua campanha já avaliaram os efeitos do escândalo dos consignados na sua pré-candidatura?

O partido já avaliou. Depois do caso, nós fizemos pesquisa e constamos que crescemos ou mantivemos os percentuais. A população de Itabuna me conhece desde os tempos de movimento estudantil. Nunca respondi a processo, já participei de governo municipal, fui assessor parlamentar.

:: LEIA MAIS »

VANE LANÇA PRÉ-CANDIDATURA

O vereador Vane do Renascer lança pré-candidatura a prefeito logo mais, às 19h, no plenário da Câmara de Itabuna. O ato contará com a participação do deputado federal Bispo Marinho (PRB) e integrantes do PSC.

O vereador integra frente partidária composta, além do PRB, pelo PSC, PV, PCdoB e PDT. A frente reúne ainda os prefeituráveis Acácia Pinho (PDT) e Wenceslau Júnior (PCdoB).

ACÁCIA PINHO DIZ QUE “FRENTE” PODE SER AMPLIADA COM PPS E PP

Acácia: ampliação da Frente (Foto Pimenta).

A prefeiturável Acácia Pinho afirmou que a Frente Partidária integrada pelo PDT, PCdoB, PRB, PSC e PV poderá ser ampliada com as adesões de PPS e PP. A pedetista visitou a redação do PIMENTA acompanhada pelo secretário estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia, Paulo Câmara.

Acácia diz que a frente também namora o PMDB, que enfrentou turbulência e trocou a empresária Leninha Alcântara pelo ex-deputado Renato Costa como prefeiturável da legenda. Os entendimentos podem avançar com a chegada a Itabuna do presidente estadual peemedebista, deputado Lúcio Vieira Lima, e do ex-ministro Geddel Vieira Lima.

A Frente Partidária apresenta três nomes entre os prefeituráveis, além da pedetista Acácia Pinho, os vereadores Vane do Renascer (PRB) e Wenceslau Júnior (PCdoB). O candidato da Frente será definido após três pesquisas entre abril e junho, prazo-limite para realização das convenções partidárias.

DEFESA DE WENCESLAU

A pedetista saiu em defesa do comunista Wenceslau Júnior em relação à denúncia de envolvimento com o esquema do crédito consignado na Câmara de Vereadores. Segundo ela, o vereador esclarecerá as denúncias de envolvimento no Loiolagate tão logo tenha acesso aos autos do processo e reúna provas para a própria defesa.

“Não acredito que Wenceslau esteja envolvido [no Loiolagate]”, disse a prefeiturável. Acácia solicitou, publicamente, que o vereador esclarecesse logo a denúncia me diz que o pedido não causou constrangimento. “Ele entendeu perfeitamente. Essa frente [partidária] precisa ser protegida. Defendemos o voto em Ficha Limpa e o voto sustentável e limpo”, completou.

Na sexta-feira, 20, o vereador autorizou a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico ao juiz Gustavo Pequeno, para quem o promotor público Inocêncio Carvalho apresentou a denúncia.

Também estão envolvidos, segundo a promotoria, os vereadores Clóvis Loiola (PSDC), Roberto de Souza (PR), Ricardo Bacelar (PSC), Solon Pinheiro (DEM) e Raimundo Pólvora (DEM).

CIDADE SUSTENTÁVEL

Membros do PDT, PRB, PCdoB, PSC e PV assinam nesta quinta, às 19h, na Câmara de Vereadores de Itabuna, documento em que se comprometem a implantar o conjunto de ações do Programa Cidades Sustentáveis caso eleitos. Os partidos compõem a Frente Partidária que tem como pré-candidatos a prefeito Acácia Pinho (PDT), Vane do Renascer (PRB) e Wenceslau Júnior (PCdoB).

A prefeiturável pedetista diz que não apenas os candidatos da majoritária, mas os os que disputam vaga à Câmara também assumem compromisso de levantar a bandeira da sustentabilidade. Acácia diz que o objetivo do programa é “sensibilizar, mobilizar e oferecer ferramentas para que as cidades brasileiras se desenvolvam de forma econômica, social e ambientalmente sustentável”.

A FRENTE NA BATALHA

Pré-candidatos a prefeito e a vereador de cinco partidos participaram do encontro

Membros do PRB, PDT, PCdoB, PV e PSC se reuniram ontem (14) em Itabuna para discutir estratégias da frente que se propõe a marchar unida nas próximas eleições municipais. Pré-candidatos a vereador desses partidos também participaram do encontro e ouviram informações sobre a legislação eleitoral.

O evento serviu para os representantes das legendas reforçarem o compromisso com a aliança. Para fortalecer o debate em torno de um novo projeto para Itabuna, com a união dos cinco partidos, a frente pretende se ampliar, atraindo outras forças políticas.

Por enquanto, o grupo tem três pré-candidatos a prefeito: Vane do Renascer (PRB), Wenceslau Júnior (PCdoB) e Acácia Pinho (PDT), mas sonha atrair o PMDB, que tem a pré-candidata Leninha Alcântara.

BAIXAS NA FRENTE

As articulações da Frente Partidária em Itabuna avançam quando se discute a unidade, mas o grupo que tem como núcleo as pré-candidaturas de Acácia Pinho (PDT), Vane do Renascer (PRB) e Wenceslau Júnior (PCdoB) sofreu um revés hoje. A frente divulgou que o PMDB e o PPS estavam nela.

Durou pouco. A pré-candidata peemedebista Leninha Alcântara diz que não integra a frente e só adere na condição de que ela seja a candidata do grupo. Na mesma linha, o PPS, presidido por Mariana Alcântara, negou adesão, conforme entrevistas ao Políticos do Sul da Bahia.

SEM ACORDO

Vane afirma que contas serão votadas antes das eleições

Não se sabe se os articulistas políticos do governo Azevedo, se é que eles existem, estão atentos para o risco que rodeia a reeleição do prefeito do DEM. E esse perigo tem a ver com as contas de 2009, já reprovadas pelo TCM e à espera de votação na Câmara.

A vontade do governo é de que as contas sejam apreciadas somente em novembro, após o período eleitoral. Neste sábado, 17, o vereador Claudevane Leite, o Vane do Renascer, do PRB, afirmou a este blog que a possibilidade de votar as contas após as eleições é remota.

“Já está pacífico na Câmara que a votação deve ocorrer logo”, declarou o vereador, que é também pré-candidato a prefeito.

Com a Lei da Ficha Limpa, o gestor que for condenado por órgão colegiado se torna inelegível por oito anos.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia