WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘PSDB’

“NÃO SOU LARANJA”, DIZ PRÉ-CANDIDATO TUCANO

“Não sou laranja. A decisão partidária local é para valer”. O desabafo foi feito na tarde desta sexta-feira, 18, pelo arquiteto Ronald Kalid, candidato indicado pelo PSDB local à Prefeitura de Itabuna, em entrevista ao PIMENTA.

O pré-candidato tucano disse ser o único dos pré-candidatos a prefeito sem vinculação ou origem nos grupos políticos dos ex-prefeitos Fernando Gomes e Geraldo Simões. Os dois se alternam na Prefeitura há 20 anos. “Minha luta é contra o populismo de esquerda e de direita”, sentenciou Kalid.

Em reunião na noite de quinta-feira, o Diretório local do PSDB, decidiu por 17 votos favoráveis e um contrário, manter o arquiteto na disputa nas eleições de outubro. A decisão bate de frente com a imposição do Diretório Estadual do PSDB, que opinou por apoio ao candidato do DEM à reeleição, Capitão Azevedo.

O presidente estadual da legenda, o ex-deputado Sérgio Passos, chegou a mandar carta até com ameaça de dissolução do diretório, fato confirmado por Kalid. “Não sou laranja. Se a direção estadual quiser intervir, que o faça. Mas manteremos a posição do diretório”, concluiu.

AMEAÇA DE REVOADA NO NINHO TUCANO

Cogitado para ser vice na chapa encabeçada pelo DEM em Itabuna, o jornalista e presidente do PSDB, José Adervan de Oliveira, disse que poderá deixar o partido caso a executiva estadual imponha a aliança sem levar em consideração o pensamento do tucanato local. O jornalista afirma que, além dele, outros poderão deixar a legenda, a exemplo dos ex-vereadores João Piton e João Otávio.

O posicionamento será definido em reunião hoje à noite e a pressão sobre os tucanos locais é forte, pois a executiva estadual já definiu pelo apoio ao DEM em Itabuna e outras cidades, como Salvador, onde o PSDB estará junto com ACM Neto. No caso de Itabuna, o jornalista foi indicado para vice, mas diz que mantém o compromisso feito com a candidatura própria, no caso, com o nome do arquiteto Ronald Kalid.

Leia mais no Cena Bahiana

BALANÇOU…

O empresário e jornalista José Adervan ficou balançado com o convite (informal, ainda!) para ser o vice na chapa do prefeito Capitão Azeved0 (DEM). Menos pelo convite em si, mas pela proposta do presidente da Câmara de Vereadores de Itabuna, Ruy Machado (PRP).

Ruy, na frente de Augusto Castro e de outros interlocutores, disse que leva o PTB e mais dois partidos para a coligação de Azevedo se Adervan aceitar a vice.

Adervan se entusiasmou, mas não disse que sim – nem não. A resposta depende do diretório local do PSDB e de explicações pessoais ao pré-candidato tucano Ronald Kalid. E de uma melhor análise de cenários, claro.

PSDB QUER VAGA DE PIÇARRA

Piçarra, agora no DEM, entra na mira do PSDB.

O PSDB recorrerá à Justiça para tentar tomar a vaga do ex-tucano Antônio Félix, o Piçarra. O suplente de vereador deveria assumir a vaga de Solon Pinheiro, que foi afastado do mandato por 90 dias, a pedido do Ministério Público estadual.

A alegação dos dirigentes do PSDB é que Piçarra deixou o partido sem justa causa. Hoje Piçarra está no DEM, assim como Solon Pinheiro, mas, ao contrário do suplente, o vereador afastado foi liberado pelo PSDB para filiar-se a outro partido. Para a direção tucana em Itabuna, a vaga pertence ao segundo suplente, Roque Almeida.

A pendenga envolvendo Piçarra é uma das desculpas da presidência da Câmara de Vereadores de Itabuna para não dar posse imediata aos suplentes dos seis vereadores afastados no dia 26, pela juíza substituta da 1ª Vara da Fazenda Pública, Rosineide Almeida.

A demora da presidência do legislativo é vista por advogados como descumprimento de ordem judicial. O entendimento é de que não cabe ao presidente da Câmara, Rui Machado (PRP), questionar, mas dar posse imediatamente. Além de descumprimento, a medida do presidente também é considerada manobra para dar tempo aos vereadores conseguir liminar de retorno.

CORRENDO POR FORA

Marco Wense

Uma possível inelegibilidade do prefeito José Nilton Azevedo, do Partido do Democratas (DEM), pode provocar o surgimento de  mais um pré-candidato no jogo sucessório.

O empresário José Orleans, que já foi vice-prefeito de Itabuna no então governo Fernando Gomes, não descarta a possibilidade de entrar na disputa pelo apoio do chefe do Executivo.

Quando questionado sobre o coronel Santana (PTN) e Augusto Castro (PSDB), Orleans lembra que é filiado ao DEM e conta com o aval de Fernando Gomes e dos fernandistas incrustados na prefeitura.

Do outro lado do rio, do nosso triste e moribundo Rio Cachoeira, a turma de Azevedo, acreditando em uma coligação com peemedebistas e tucanos, aposta todas as fichas na reeleição do democrata.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

ITABUNA: TUCANO REAFIRMA CANDIDATURA A PREFEITO

Kalid: candidatura mantida.

O arquiteto Ronald Kalid reafirmou, no início da noite desta sexta-feira, 20, sua candidatura a prefeito de Itabuna com o apoio do diretório municipal do PSDB, que, segundo disse, é independente. O prefeiturável desdenha da posição do diretório estadual tucano, cujos caciques estaduais se inclinam para apoiar o atual prefeito Capitão Azevedo, como informado mais cedo pelo PIMENTA.

– Continuo com minha candidatura. Nada sei e não quero saber o que foi discutido pelo diretório estadual. Sempre digo que poder não se dá, poder se toma. O diretório municipal referenda a posição de candidatura própria a prefeito. Também se mantém contra a venda de apoio ao DEM – disse Kalid.

GEDDEL EM ITABUNA

O vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal, Geddel Vieira Lima, um dos caciques do PMDB da Bahia, estará no dia 27 em Itabuna para encontro com correligionários. Entre eles a empresária Leninha Duarte, pré-candidata à Prefeitura local.

Um dos compromissos de Geddel será uma visita às obras do canal do Lavapés, na Avenida Amélia Amado. Foi o peemedebista quem liberou os recursos de R$ 12,8 milhões para o projeto, quando era ministro da Integração Nacional.

A visita será acompanhada pelo deputado estadual Augusto Castro (PSDB), que aposta na possibilidade de aliança entre PMDB e o DEM do Capitão Azevedo, que disputa a reeleição. Isto, logicamente, se a candidatura de Leninha não vingar…

GEDDEL IRONIZA PRESIDENTE DO PT

Geddel: "e PT com PSDB, pode?"

A articulação entre peemedebistas, tucanos e democratas em vários municípios da Bahia, visando às próximas eleições, tem sido questionada pelo presidente estadual do PT, Jonas Paulo. Para ele, o PMDB não pode ser ao mesmo tempo aliado no campo nacional e adversário dos petistas no Estado.

Em sua página no Twitter, Geddel Vieira Lima, do PMDB, ironizou os questionamentos de Jonas Paulo, lembrando que em Minas Gerais o PT e o PSDB estão juntos em 50 cidades.

Pergunta de Geddel: “será que o sociólogo presidente do PT da Bahia tem uma tese para isso?”.

DEPUTADOS RECLAMAM DE VAIAS

Deputados estaduais da bancada do governo se queixaram hoje das vaias que receberam durante a sessão itinerante da Assembleia Legislativa em Itabuna, realizada na quinta-feira, 22. Para os parlamentares, a hostilidade do público itabunense impediu a discussão de projetos de interesse da população.

Já o deputado Augusto Castro, do PSDB, expressou opinião inversa. Para ele, foi exatamente a falta de projetos que provocou as vaias. O tucano registrou que havia uma cobrança forte da aprovação do projeto de lei que  trata da gratuidade no transporte intermunicipal para pessoas com deficiência e o envio, pelo governo, da proposta relativa à Região Metropolitana de Itabuna.

“A sessão itinerante criou grande expectativa, mas nenhum projeto foi votado e isso gerou frustração e indignação”, disse Castro.

CACÁ PODE TER APOIO DO PSDB

Augusto e Cacá na Cinquentenário (Foto Pimenta).

O PSDB pode fechar apoio à pré-candidatura do peemedebista Cacá Colchões. Nesta semana, o empresário esteve em Itabuna e aproveitou a procissão de São José para conversas políticas. Uma delas foi com o deputado Augusto Castro.

Cacá falou do apoio do DEM à sua pré-candidatura. Augusto apenas quis saber se o deputado federal ACM Neto avalizava o apoio democrata ao empresário, no que Cacá Colchões disse que sim. A estrada está bem pavimentada. Pode ocorrer em Ilhéus o que parece improvável em Salvador, uma chapa PMDB-DEM-PSDB.

PARA TUCANO, PROJETO PORTO SUL ESTÁ “MUITO SOLTO”

Castro defendeu criação de comitê de acompanhamento

Em uma crítica à suposta lentidão do governo baiano nas ações relativas a projetos de logística, o deputado estadual Augusto Castro (PSDB) disse ontem que a articulação em torno do Porto Sul estaria “muito solta”. Para o parlamentar tucano, que faz oposição a Jaques Wagner, o Estado precisa “priorizar esse projeto e trabalhar de forma integrada”.

Castro defendeu a criação de uma comissão de acompanhamento do Porto Sul e da Fiol (Ferrovia de Integração Oeste-Leste). Ele propõe que o grupo seja constituído por representantes das secretarias estaduais da Indústria Naval e Portuária, Meio Ambiente, Relações Institucionais e Casa Civil, além do Ibama e das empresas Valec (estatal federal que gere obras na malha ferroviária) e Bamin, mineradora que pretende construir um terminal privativo dentro do Porto Sul. o comitê seria integrado ainda por membros das comissões do Porto Sul, Fiol e de Infraestrutura e Meio Ambiente na Assembleia Legislativa.

O comentário e a proposta do tucano foram feitos durante visita do presidente da Bamin, Francisco Viveiros, à Assembleia. O presidente estava acompanhado pelo secretário da Indústria Naval e Portuária, Carlos Costa.

PARA KASSAB, SERRA PODE APOIAR DILMA

Do Uol

O prefeito Gilberto Kassab (PSD) confirmou nesta sexta-feira (2) a conversa com o presidente do PT, Rui Falcão, em que disse que José Serra (PSDB) preferiria a reeleição de Dilma Rousseff a apoiar uma eventual candidatura do também tucano Aécio Neves à Presidência em 2014.

“Eu falei em meu nome. Eu disse, em algum momento do ano passado, que eu achava que existia um risco se o Serra fosse prefeito, diante da tensão que existia, de até não apoiar [Aécio Neves]. Isso eu falei mesmo, é verdade”, afirmou o prefeito.

DEPUTADO QUER GAP EM JUNHO

Pelo projeto encaminhado pelo Governo da Bahia à Assembleia Legislativa, a Gratificação da Atividade Policial (GAP) IV será paga aos PMs a partir de novembro. Mas a oposição se movimenta para forçar o governador Jaques Wagner a antecipar o benefício, que foi um dos principais motes do movimento grevista que abalou a Bahia nos primeiros dias de fevereiro.

Uma emenda do deputado Augusto Castro (PSDB) propõe que a GAP IV seja paga já a partir do mês de junho, o que o governo recusa sob o argumento de que o impacto no orçamento será elevado, com reflexo no limite prudencial de gastos com a folha de pagamento.

O oposicionista diz que se o governo quiser, tem como pagar.

TIRIRICA QUER DISPUTAR ELEIÇÃO COM SERRA

O palhaço Tiririca, que é também deputado federal e foi o puxador de votos do PR no estado de São Paulo na eleição de 2010, pensa em disputar a prefeitura paulistana este ano. O Partido da República, que não sabia se apoiava Fernando Haddad (PT) ou José Serra (PSDB), optou por apresentar o folclórico pré-candidato. De acordo com a legenda, a decisão de seu a partir de sugestões recebidas de eleitores.

O PR é aliado do PT no plano federal, mas tem fortes ligações com o tucanato paulista. Sair com Tiririca seria uma maneira de evitar problemas nas duas relações… Ou aumentar o poder de barganha e garantir bons cargos no futuro.

Quem sabe Tiririca venha a desistir da candidatura para se tornar, talvez, o secretário da Educação da Prefeitura de São Paulo…

A DIFÍCIL UNIÃO DAS OPOSIÇÕES NA BAHIA

Do blog de Paixão Barbosa

O fato de Geddel Vieira Lima ter admitido que poderá ser candidato à prefeitura de Salvador pelo PMDB, apenas coloca uma dificuldade a mais na já tão complicada possibilidade de união entre os três principais partidos políticos de oposição na Bahia visando as eleições deste ano e também de 2014. A unidade entre PMDB, PSDB e DEM é muito difícil de se concretizar num projeto amplo, embora vá acontecer de forma pontual em alguns municípios, porque as origens e os interesses das suas lideranças conflitam de modo muito forte.

Partidos que enfrentaram dificuldades, em termos de Bahia,nas últimas eleições, os três precisam lutar para se reinventar a partir de 2012, sob pena de sofrerem um minguamento ainda maior de suas forças. E, para isto, é fundamental a participação nas eleições municipais deste ano com o maior número possível de candidatos próprios, especialmente em Salvador, um pleito que serve como caixa de ressonãncia para todo o Estado. Isto vale principalmente para PMDB e DEM, uma vez que o PSDB baiano não tem conseguido crescer mesmo desde que aqui foi fundado e limita-se a um trabalho de manutenção da sua base parlamentar.

Leia texto completo.

DE MÃOS DADAS

Marco Wense

O ex-prefeito Fernando Gomes, o comprador João Botti e o deputado federal Geraldo Simões. Sem dúvida, os principais protagonistas da transação comercial envolvendo a Rádio Difusora.

Nilton Cruz, presidente da ACI de Ilhéus, e Tiago Feitosa, filho do parlamentar, ficam como coadjuvantes. Raimundo Vieira foi o articulador, o articulador-mor da inusitada aproximação dos ex-prefeitos, que agora são aliados na sucessão de 2012.

PS – A coordenação política da nova Rádio Difusora vai ficar sob a batuta dos jornalistas Eduardo Anunciação e Daniel Thame, profissionais de inteira confiança do deputado Geraldo Simões.

COMENTE JÁ! »

BOATOS

Com a proximidade do dia da eleição, os boatos, que são inerentes ao processo eleitoral, vão crescer em projeção geométrica.

O último é que Tom Ribeiro, do programa Alerta Total, na telinha da TV Cabrália, teria sido convidado para ser o vice na chapa encabeçada pela petista Juçara Feitosa.

Tom é filiado ao PRB, o mesmo partido do prefeiturável Claudevane Leite, o vereador Vane do Renascer. Na política, existe o boato e o “boato”.  Com e sem aspas.

COMENTE JÁ! »

AZEVEDO, CASTRO E SANTANA

Na medida em que o deputado Geraldo Simões se aproxima de Fernando Gomes, o prefeito José Nilton Azevedo fica cada vez mais refém dos deputados estaduais Augusto Castro (PSDB) e do coronel Santana (PTN).

Uma coligação com o PMDB do médico Renato Costa passa a ser imprescindível para o projeto de reeleição do demista. O PSDB continua firme com a pré-candidatura de Ronald Kalid.

Santana e Castro vão pedir o céu ao chefe do Executivo. O céu tem que ser de brigadeiro. Nada de nuvens cinzentas.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

OPOSIÇÕES DESENCONTRADAS

Em artigo que assina neste domingo, 22, no jornal A Tarde, o jornalista Samuel Celestino faz uma análise do momento difícil em que se encontram as oposições, não apenas na Bahia, mas também no cenário nacional. Aliás, o que acontece em âmbito estadual é reflexo da política mais ampla e isso não escapa ao articulista.

Celestino complementa a análise abordando a situação de Salvador, em que PMDB, DEM e PSDB ensaiam, mas não conseguem efetivamente criar um projeto comum para a sucessão municipal.

Corretamente, Celestino observa que as eleições deste ano praticamente antecipam a disputa de 2014 na troca de comando do governo da Bahia. E o cenário atual favorece a continuidade.

Clique aqui para ler o artigo, publicado também no Bahia Notícias.

É MELHOR DESISTIR

Marco Wense

Na areia movediça da política, não há espaços para os ingênuos e os desprovidos de espírito público.

Os pré-candidatos a prefeito de Itabuna não podem ficar chateados com os comentários sobre suas pretensões políticas, que são legítimas e merecedoras de respeito.

Quem pretende entrar na vida pública, assumindo o poder pelo voto popular, sem dúvida o maior instrumento da democracia, não pode ficar tiririca com o pessoal da comunicação.

O projeto político interessa a todos. A vida privada, se fulano ou fulana gosta disso ou daquilo, aí incluindo a preferência sexual, é problema de cada um.

Comentários sobre o particular dos prefeituráveis, com picuinhas, insinuações maldosas e coisas outras, são ridículos. Não merecem nem a lata do lixo.

Até as freiras do Convento das Carmelitas, por exemplo, sabem que candidatura até o fim do processo eleitoral só com alguma possibilidade de vitória.

Quem não pontuar bem nas pesquisas, tendo como limite a primeira quinzena do mês de setembro, terá, compulsoriamente, que entrar no jogo da cúpula estadual das agremiações partidárias.

Os interesses lá de cima, que envolvem os chamados “mangangões”, os que se acham donos vitalícios dos partidos, são como grandes elefantes na frente de pequenas formigas.

Essa conversa de autonomia de diretório municipal para decidir sobre candidatura é conversa pra boi dormir. Se os diretórios não têm autonomia, imagine as coitadinhas das comissões provisórias.

Um acordo na sucessão soteropolitana, envolvendo os partidos de oposição ao governo Wagner, principalmente o PMDB, DEM e o PSDB, é mortal para as articulações interioranas.

Seria de uma ingenuidade gigantesca, de uma infantilidade inominável, alguém pensar que o ex-ministro Geddel não iria fazer um acordo com ACM Neto porque o PMDB de Itabuna pretende ter candidatura própria.

Ou, então, ACM Neto apoiando o candidato do PMDB em Salvador sem exigir como contrapartida o apoio do peemedebismo de Itabuna ao segundo mandato do prefeito Azevedo (reeleição).

Na areia movediça da política, não há espaços para os ingênuos e os desprovidos de espírito público. O melhor conselho é desistir, sob pena de ficar no meio do caminho.

PDT SEM CARGO

Acácia e Félix (Foto Política Livre).

Em decorrência de um acordo entre os deputados Félix Mendonça e Geraldo Simões, respectivamente patronos das pré-candidaturas de Acácia Pinho e Juçara Feitosa, o PDT ficou sem cargos no governo Wagner.

A dobradinha Félix e Geraldo, de olho também na sucessão do prefeito José Azevedo (DEM), deixou os pedetistas de Itabuna a ver navios. Muita gente insatisfeita nas hostes do brizolismo tupiniquim.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

RENATO COSTA: “ALIANÇA COM O DEM E O PSDB NÃO SERÁ OBRIGATÓRIA EM ITABUNA”

O presidente local do PMDB, ex-deputado Renato Costa, está fora do páreo em 2012, mas diz que trabalha pela candidatura própria do partido. Até aqui, a legenda possui quatro pré-candidatos: Maruse Xavier, Ruy Côrrea, Edmilton Carneiro e Leninha Duarte.

O partido define até o final deste mês qual deles será o pré-candidato. O escolhido terá até maio para viabilizar-se, segundo Renato, que não descarta aliança com o PT itabunense, embora haja acordo antipetista firmado entre os diretórios estaduais do PMDB, PSDB e DEM. “Nosso plano “A” é viabilizar nossa candidatura própria”, diz o presidente, que completa: ‘Estaremos abertos a aliança com quem quer que seja”.

Confira bate-papo do PIMENTA com o presidente do PMDB itabunense.

Como o partido se posicionará em 2012?
O PMDB trabalha pela candidatura própria. Definiremos até o fim deste mês quem será o pré-candidato. Enquanto isso, vamos manter conversa com os outros partidos, com a Terceira Via, para ver se a gente apoia ou será apoiado. E, por outro lado, caso não consiga viabilizar candidato ou não compor com a Terceira Via, estaremos abertos a aliança com quem quer que seja.

O PMDB seguirá a orientação da estadual para fechar com o DEM e o PSDB?
O PMDB, por tradição, não costuma agir assim, empurrando goela abaixo. Evidentemente que se for por esse caminho, de fazer alianças, passaremos pelo crivo da Estadual. Não há obrigatoriedade [de compor com o DEM e o PSDB]. Caso a candidatura própria não se viabilize, estaremos livres para fazer aliança com quem acharmos melhor.

Na eleição a governador em 2010, havia expectativa de Geddel ter o apoio de Azevedo, o que não aconteceu. Esse fato atrapalharia o diálogo com o DEM em Itabuna?
Isso foi o que eu disse ao prefeito, de que não haveria nenhuma obrigação de apoiá-lo, pois ele não criou essa obrigação. Ele não se definiu na eleição a governador. Além do mais, Geddel trouxe para Itabuna a maior obra, a mais visível [a cobertura do Canal da Amélia Amado]. Agora essa história de verticalizar as decisões, isso é complicado, não existe. Se fosse para alinhar [de cima], nós já temos o PMDB aliado ao PT no plano nacional. Cada município tem sua realidade, suas diferenças. É muito difícil [verticalizar], não há isso de não pode apoiar esse, não pode aquele. Nós não temos nenhum veto. Nosso plano “A” é viabilizar nossa candidatura própria.

Qual será o nome do partido?
Nós temos Ruy Correa, Maruse [Xavier], Leninha [Duarte] e [Edmilton] Carneiro. Dentro de 15 dias, teremos só um nome.

Essa aliança de Salvador [com o DEM e o PSDB] não será obrigatória aqui. Pode até acontecer, mas não é obrigatória.

E a aliança com o PT, está descartada?
Não há proibição nem obrigação de apoiar. A primeira opção é com os partidos menores, com Vane, PCdoB, Acácia Pinho. Caso não seja possível, a gente vê. Mas isso é lá para maio ou junho. Nós vamos trabalhar pela candidatura própria. Essa aliança de Salvador [com o DEM e o PSDB] não será obrigatória aqui. Pode até acontecer, mas não é obrigatória.

O PMDB tem orientado os diretórios a não se aliar ao PT no interior?
Não, eles apenas dizem que aliar-se ou não com o PT é uma decisão nossa, do diretório. Se a candidatura própria não ganhar musculatura, nós buscaremos aliança. Mas agora vamos decidir o nome do PMDB de forma consensual, apoiar quem tem mais visibilidade.

Juvenal Maynart, do diretório estadual, falou que, dos nomes postos, Leninha seria o melhor do PMDB por ter os três Dês: dimensão, densidade, democracia.
E vocês até falaram do outro D, de dinheiro, né? (risos). Mas os outros nomes também têm simpatia.

PMDB SELA ACORDO ANTI-PT EM ILHÉUS, ITABUNA E 8 CIDADES

Geddel arma aliança com o neto do desafeto ACM para tentar derrubar o PT (Foto ABr).

A direção estadual do PMDB baiano incluiu Ilhéus e Itabuna na relação das dez cidades baianas nas quais o partido não fará coligação com o PT em 2012.

O veto faz parte de acordo construído com legendas do campo oposicionista, a exemplo de PSDB, PPS e DEM. A lista foi publicada pelo jornalista Josias de Souza em seu blog.

O veto aumenta as chances do prefeito Capitão Azevedo (DEM) ter o apoio da legenda na tentativa de reeleição em Itabuna, embora Geddel Vieira Lima e o irmão, o deputado federal Lúcio Vieira Lima, tenham se afastado do mandatário grapiúna.

AGORA É SÓ TUCANO

A situação eleitoral do diretor-administrativo da Emasa, Octaviano Burgos, era delicada no final de outubro, quando o TSE mantinha registro de filiação do mesmo em três partidos ao mesmo tempo. Burgos era do PR, do DEM e do PSDB, mas corria o risco de ser de todo mundo e de ninguém ao mesmo tempo. E ele é apontado como um dos virtuais campeões de voto para a Câmara de Vereadores de Itabuna no próximo ano.

O pré-candidato, é claro, se mexeu e conseguiu reverter a situação. Feitas as baixas nas filiações no PR e no DEM, Burgos manteve somente a ficha no PSDB, partido pelo qual pretende conseguir eleger-se para seu primeiro mandato eletivo.

Venceu a primeira batalha, a jurídica. A próxima será pelo voto.

QUE VENHA 2012!

Cláudio Rodrigues | claudio@formandus.com.br

 

Vamos ouvir as propostas e promessas dos candidatos, suportar o infernal barulho dos carros de som nas ruas do centro e, no primeiro domingo de outubro, escolher aquele que possa tirar Itabuna desse estado de abandono.

 

Estamos às vésperas de mais um novo ano, onde todos fazem um balanço do período que se finda e planejam as realizações do que está pra chegar. O próximo ano é atípico, teremos eleições municipais e logo veremos uma meia dúzia de candidatos a prefeito prometendo o céu e a solução de todos os problemas de nossa cidade, além de uma legião de postulantes a vereador nos dando nome, número e falando de honestidade e ética.

Dos nomes até agora postos no xadrez da política local, temos o atual prefeito Nilton Azevedo, candidato à reeleição, a ex-comerciante, ex-primeira dama e ex-secretária de Desenvolvimento Social Juçara Feitosa, os simpáticos cururus Davidson Magalhães e Wenceslau Junior. Há também os empresários Roberto Barbosa e Ronald Kalid e a professora Acácia Pinho.

Nas últimas três décadas, Itabuna foi administrada por apenas dois grupos, hora o do ex-prefeito Fernando Gomes, hora o do ex-prefeito e deputado federal Geraldo Simões. O atual prefeito Capitão Nilton Azevedo, uma criação de Fernando Gomes, tem uma administração muito mal-avaliada, sua gestão é marcada pela mediocridade, incompetência e denúncias de corrupção. Não há uma rua, travessa, avenida ou caminho da cidade onde o lixo e os buracos não façam parte da paisagem.

O deputado Simões dono do PT, quer a todo custo empurrar goela abaixo a sua esposa como prefeita da cidade. A petista teve como grande mérito administrativo abrir e fechar em pouco tempo uma loja de roupas íntimas num shopping da cidade.

Esses dois grupos têm receitas semelhantes, administram na base do improviso, nunca planejaram a cidade e fizeram sempre seu feijãozinho com arroz. Penso que Itabuna deve arriscar e experimentar um dos novos nomes que estão sendo colocados nessa eleição.

Vejo com bons olhos os postulantes do PC do B, tanto Davidson quanto Wenceslau, desde que ao chegar ao poder não utilizem as práticas do seu partido, que às vezes cometem “malfeitos”, como diz a presidente Dilma. O empresário Roberto Barbosa, que já disputou a prefeitura na última eleição e ficou na terceira colocação, pode levar sua experiência de empresário bem sucedido para a gestão pública.

O empresário e também arquiteto Ronald Kalid comandou a Secretaria de Viação e Obras do ex-prefeito Ubaldo Dantas e, segundo se comenta, foi grande tocador de obras. Conta a seu favor a questão de ser um urbanista, que pode dar nova roupagem à boa e jovem, mas maltratada Itabuna.

Já a professora Acácia Pinho é uma grande interrogação. Na eleição passada foi vice na chapa do candidato fujão Capitão Fábio. Junto com o cabeça de chapa aderiu à candidatura do PT e no dia seguinte pulou do barco, que já tinha água até a metade. Ela tem os conhecimentos acadêmicos e poderia montar uma boa equipe técnica, mas como foi muito vacilante no último pleito, fica a dúvida.

Que venha 2012! Vamos ouvir as propostas e promessas dos candidatos, suportar o infernal barulho dos carros de som nas ruas do centro e, no primeiro domingo de outubro, escolher aquele que possa tirar Itabuna desse estado de abandono.

Vamos ouvir as propostas e promessas dos candidatos, suportar o infernal barulho dos carros de som nas ruas do centro e, no primeiro domingo de outubro, escolher aquele que possa tirar Itabuna desse estado de abandono.

Cláudio Rodrigues é empresário do ramo de formaturas e eventos.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia