WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia




alba



bahiagas





novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

editorias






:: ‘PV’

WALTER PINHEIRO NO PV – E NA BASE DE NETO

Pinheiro pode se filiar ao PV, segundo Álvaro Dias.

Pinheiro pode se filiar ao PV, segundo Álvaro Dias.

Álvaro Dias concedeu entrevista à Gazeta do Povo e acabou por revelar para qual partido ele e um grupo de senadores devem ir. De acordo com o senador tucano, a tendência é que ele e colegas como Walter Pinheiro filiem-se ao PV.

Pinheiro foi eleito senador pelo PT baiano, mas mostra descontentamento com a legenda desde o final do primeiro Governo Lula – com o estouro do Mensalão – e quase deixa o partido para ingressar no Psol. Manteve-se no partido, por onde chegou ao Senado com o apoio do então governador Jaques Wagner e do presidente Lula.

Ainda na entrevista à publicação paranaense, Álvaro Dias revelou que o grupo de seis senadores pensa em construir uma alternativa à polarização PT-PSDB e ter um nome para disputar a presidência da República em 2018.

Até aqui, o senador Pinheiro evita falar em saída do PT. O Pimenta já tentou entrevistas para tratar deste tema com o senador, mas, por meio de sua assessoria, diz que esta não é uma preocupação do momento. Caso mantenha-se essa tendência de Pinheiro ingressar no PV, ele passará a fazer parte da base de apoio ao prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), com quem estaria conversando. Como se sabe, Neto já se lançou na disputa para 2018.

MANGABEIRA E O DISCURSO DO NOVO

marco wense1Marco Wense

 

Mangabeira defende a formação de um bloco com o PSB, PPS, PV e Solidariedade (SD). Vai conversar com os prefeituráveis Carlos Leahy, Leninha Duarte e Alfredo Melo.

 

Algumas pessoas, entre elas alguns jornalistas, achando que o médico oncologista Antônio Mangabeira, pré-candidato pelo PDT, vem adotando um discurso duro em relação ao processo sucessório.

Alegam que Mangabeira erra quando descarta qualquer aproximação com os ex-gestores Fernando Gomes e Azevedo. O civil querendo ser prefeito pela quinta vez e o militar atrás do segundo mandato.

Ora, Mangabeira está no caminho certo. Quem prega mudança na política de Itabuna não pode ficar de convescote com políticos que representam a antítese do novo, que simbolizam a mesmice.

Se Mangabeira estivesse com outra postura, outro comportamento, essas mesmas pessoas iriam dizer que sua pré-candidatura é de mentirinha, que a intenção é ser vice.

“Não vou praticar a velha e carcomida política do toma-lá-dá-cá e nem me aproximar de quem eu acho que não serve mais para Itabuna”, diz o prefeiturável do PDT.

Mangabeira defende a formação de um bloco com o PSB, PPS, PV e Solidariedade (SD). Vai conversar com os prefeituráveis Carlos Leahy, Leninha Duarte e Alfredo Melo. “Não podemos ficar assistindo uma eventual polarização entre Fernando Gomes e Geraldo Simões”, finaliza.

PS: Além de médico, bacharel em direito e administrador de empresas, Mangabeira cursa engenharia civil e ambiental.

INFIDELIDADE

claudevane leiteCostumo dizer que o anzol da fidelidade partidária só consegue fisgar os peixes miúdos, sem dúvida os vereadores e dirigentes partidários. Quando o peixe é graúdo, o anzol entorta, o “peixão” escapole.

O prefeito Vane, só para citar um exemplo bem tupiniquim, desconsiderou a orientação do seu partido, o PRB, para apoiar o então candidato Paulo Souto. Vane ficou com o petista Rui Costa na última sucessão estadual.

Tudo caminha para que o chefe do Executivo venha novamente cometer infidelidade partidária na eleição municipal de 2016, se tornando um reincidente.

O PRB tende a ficar com a oposição, se juntando ao DEM, PSDB e PMDB. Se não for candidato ao segundo mandato, Vane vai apoiar o nome que o governador Rui Costa apontar.

Fica no ar a pertinente, provocativa e intrigante pergunta: os vanistas antipetistas, incluindo aí os evangélicos, seguiriam o prefeito no seu apoio ao candidato do PT?

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

COMISSÃO DO PV APOIA VANE E ISOLA GLEBÃO

Comissão do PV isola Glebão e ratifica apoio a prefeito (Foto Divulgação).

Comissão do PV isola Glebão e ratifica apoio a prefeito (Foto Divulgação).

Do Bahia24horas

O vereador Glebão (PV) perdeu de vez o controle de seu partido em Itabuna. No Carnaval, o engenheiro Alfredo Melo fez uma articulação que alçou o advogado e arquiteto José Barbosa à presidência do diretório municipal do PV. O grupo também é composto pelo secretário de Esportes do município, Evans Maxwel.

O secretário foi indicado por Glebão após a vitória do prefeito Claudevane Leite em 2012, mas depois os correligionários romperam. Maxwel se manteve no governo por um compromisso pessoal do chefe do executivo, porém a relação com o padrinho ficou trincada.

Agora, o novo comando do PV opera para fortalecer o partido como integrante do governo e isolar Glebão. O prefeito até se comprometeu a ouvir mais a legenda sobre “as definições da administração e encaminhamentos políticos”.

O compartilhamento de definições sinaliza para o apoio do Partido Verde à reeleição do prefeito. Mas o que parece bastante remota é a possibilidade de Glebão pedir votos para reconduzir Claudevane Leite ao poder.

Leia mais

DILMA RECEBE APOIO DE MEMBROS DO PSOL, PMDB, PTN E PV NA BAHIA

Lídice da Mata discursa em evento pluripartidário em Salvador.

Lídice da Mata discursa em evento pluripartidário em Salvador.

A campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff na Bahia ganhou hoje, oficialmente, o apoio de parte do PSOL e do PV e de mais um prefeito do PMDB. O apoio foi ratificado em evento em um hotel de Salvador, quando a senadora Lídice da Mata (PSB) oficializou apoio a Dilma Rousseff.

O prefeito de Cairu,  Fernando Brito (PMDB), contrariou orientação de Geddel Vieira Lima, que está com Aécio, e fechou apoio a Dilma, no que foi seguido pelo prefeito Rodrigo de Dedé (PTN), de Esplanada. Outros apoios anunciados são de membros do PSOL, partido de Luciana Genro. Do PV, apoia Dilma o deputado estadual Marquinhos (PV).

A senadora Lídice da Mata disse que estará integralmente na campanha de Dilma neste segundo turno. “Vou participar integralmente da campanha e ou convidar o PSB da Bahia para esse mesmo movimento”, disse. Lídice, no entanto, fez questão de frisar que o seu partido terá relação de independência em relação do governo de Rui Costa, seu adversário nas urnas no último dia 5.

Rui agradeceu a senadora e novos apoiadores por terem preferido Dilma. “Essa é a melhor decisão para a Bahia e para o Nordeste. Lídice, vamos juntos construir uma estado cada vez melhor”

VEREADOR DO PV PEDE CABEÇA DE SECRETÁRIO… DO PV!

Glebão e Maxwell: os "verdes" estão em pé de guerra

Glebão e Maxwell: os “verdes” estão em pé de guerra

Uma situação inusitada ocorreu na sessão desta quarta-feira, 12, na Câmara de Itabuna. O vereador Glebão, do PV, afirmou que não consegue ser recebido pelo secretário de Esportes do município, Ewans Maxwell. Detalhe, o secretário é do mesmo partido do vereador e até pouco tempo presidia o diretório municipal da legenda.

A afirmação do vereador levou a questionamento de seus pares. Ronaldo Geraldo, do DEM, indagou se o colega ainda pertencia ao PV, pois somente isso poderia justificar a falta de consideração do secretário. Acabou dando corda para um festival de lamentações do “verde”.

Glebão disse que Maxwell não foi indicado pelo PV, que inicialmente desejou assumir a pasta do Meio Ambiente, desde que uma reforma administrativa a desmembrasse da Secretaria da Agricultura.  “Elegemos Maxwell para a presidência do PV, mas ele não correspondeu às expectativas”, começou o vereador. Sobre a ocupação da Secretaria de Esportes, disse que foi fruto de vaidade pessoal do correligionário. “Não foi minha indicação”, esquivou-se.

Maxwell já foi destituído da presidência do PV e, para seu lugar, os membros da legenda escolheram Jonas Barbosa. Um integrante do partido resumiu a situação: “Maxwell ganhou a Secretaria em nome do PV, mas personalizou o cargo e não dialoga com o partido”.

A fritura é em fogo alto e, provavelmente, o prefeito terá que escolher. Ou fica com Ewans Maxwell ou com o apoio do Partido Verde.

CASTRAÇÃO DE CRIATIVIDADE

print_marcell

No Face, vereador do PV se apresenta como autor de projeto da companheira de partido

Em Salvador, o vereador Marcell Moraes deve em pouco tempo deixar o PV e filiar-se ao “Ctrl C + Ctrl V”. Naturalmente, esta legenda não existe, mas a piada já pegou na capital, onde Moraes se tornou conhecido pelo hábito de pongar em projeto alheio.

Com a máquina de xerox operando em alta, o vereador já atribuiu “ao próprio si” a autoria de proposta do colega Cláudio Tinoco (DEM), de ampliar o programa “Domingo é Meia” para o sistema ferryboat. Ele também diz ser autor de um projeto na verdade do vereador Paulo Câmara (PSDB), que visa regulamentar a atuação dos flanelinhas em Salvador.

A última vítima do plagiador em série foi a vereadora Ana Rita Tavares, que é do PV, mesmo partido de Moraes. Ana Rita, identificada com a bandeira da defesa dos animais, é autora do primeiro Projeto de Indicação apresentado no legislativo soteropolitano em 2013, prevendo a implantação de uma Unidade Móvel de Castração, o “Castramóvel”. A matéria foi aprovada na sessão do dia 18 de junho.

Com o projeto já tramitando, Moraes protocolou outro com o mesmo objetivo, mas a duplicidade foi identificada pelo Setor de Análise e Pesquisa da Câmara e a ponga, obviamente, não pode ir adiante. Moraes, porém, não se dá por vencido e se apresenta nas redes sociais como autor do projeto apresentado por Ana Rita.

É um caso típico de castração criativa, neste caso combinada com deformação de conduta.

BETH WAGNER É EXPULSA DO PV

Beth diz que se sente honrada com a expulsão

Beth diz que se sente honrada com a expulsão

Acusada de infidelidade partidária, a ex-diretora do IMA (antigo Instituto de Meio Ambiente da Bahia, hoje Inema), Beth Wagner, foi expulsa do Partido Verde. Mas saiu atirando.

Segundo nota do site Bahia Notícias, Beth diz estar honrada, pois não pretende se tornar uma “neo-carlista”. A referência é ao apoio da legenda ao atual prefeito de Salvador, ACM Neto.

A ex-verde, que pode ir para a Rede Sustentabilidade, partido em gestação pela ex-senadora Marina Silva, também criticou o posicionamento dos antigos correligionários com relação ao novo Código Florestal e disse que o PV se tornou um “partido de aluguel”. Segundo ela, por esse motivo a agremiação tem perdido quadros importantes. Desse grupo, ela citou o deputado federal Alfredo Sirkis, do Rio de Janeiro.

Para Beth Wagner, o PV não está em extinção, mas enfrenta uma crise de identidade que acomete outras legendas.

ALIADOS COADJUVANTES

marco wense1Marco Wense

Sobre o imbróglio das nomeações de azevistas e fernandistas, é preciso que as lideranças do PRB, PPS, PSC, PV e PP se juntem no esclarecimento de que tais indicações não partiram exclusivamente de seus partidos.

O óbvio ululante é afirmar que o PCdoB é a mais forte legenda do governo Vane. Como é inquestionável que Davidson Magalhães, diretor-presidente da Bahiagás, é o “cara” do comunismo grapiúna.

Essa influência do PCdoB já era esperada. Sem os comunistas, a campanha do então candidato Vane ficaria no meio do caminho. O apoio político foi importante. O financeiro imprescindível.

Todo esse toma-lá-dá-cá é inerente ao processo político. Não é coisa específica do PCdoB. Todas as agremiações partidárias agem do mesmo modo. É regra.

PRB, PPS, PSC, PV e o PP deram suas contribuições, cada um dentro de seus limites e condições. Não são coadjuvantes, como andam dizendo alguns membros do PCdoB. São também protagonistas.

Sobre o imbróglio das nomeações de azevistas e fernandistas, é preciso que as lideranças do PRB, PPS, PSC, PV e PP se juntem no esclarecimento de que tais indicações não partiram exclusivamente de seus partidos.

Querem empurrar o ônus das esquisitas nomeações para os partidos “coadjuvantes”, deixando o PCdoB de fora e, por tabela, o camarada Davidson Magalhães, pré-candidato a deputado federal.

O RETORNO DE FG

O slogan da campanha já está pronto: “O povão de Deus com Fernando”.  É Fernando Gomes em plena campanha para a prefeitura de Itabuna na sucessão de Claudevane Leite.

Os fernandistas estão eufóricos. Acreditam em um cenário favorável na eleição de 2016, com duas candidaturas se bicando: Vane (reeleição) e Geraldo Simões atrás do terceiro mandato.

Maria Alice e Raimundo Vieira são os mais entusiasmados com o retorno do “grande chefe”. Alice comanda o diretório municipal do DEM.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

PV DESEMBARCA NA CAMPANHA DE JABES

Boa parte do PV ilheense anunciou apoio à candidatura a prefeito de Jabes Ribeiro (PP), hoje, abandonando a campanha de Professora Carmelita (PT). Segundo o presidente do partido, Robson Melo, 10 dos 12 candidatos a vereador decidiram apoiar Jabes.

Principal liderança verde em Ilhéus, Pastor Gilmar Bonfim é vai continuar no apoio à candidatura petista. Robson Melo disse que a mudança tem a ver conta o jogo tático do PV para se fortalecer em Ilhéus, onde tem, segundo o dirigente, 500 filiados.

CARLOS SODRÉ DIZ QUE ITAPÉ PRECISA DE GOVERNO HONESTO

Sodré-PHS-Chapa-majoritária-de-Itapé-foto-PIMENTA

Sodré (c) diz que falta governo honesto em Itapé (Foto Pimenta).

O advogado e escritor Carlos Eduardo Sodré, 65 anos, disputará a prefeitura de Itapé, no sul da Bahia, após ter homologada candidatura pelo PHS. Ele terá como candidata a vice a professora Tilda Tammá (PV), na coligação que reúne também PCdoB e PSL.

Numa entrevista coletiva hoje à tarde em Itabuna, Sodré condenou as práticas políticas e a gestão de sua cidade natal. “É um absurdo o que se faz com Itapé e sua gente nos últimos 30 anos”, afirmou. Para o candidato, apesar de ter receita estimada em R$ 35 milhões anuais, não há obras e serviços, a educação e a saúde são precárias, crianças e jovens não têm perspectivas e o capital humano, a exemplo de professores com especialização e mestrado, atua em outros municípios.

Segundo Carlos Sodré, apesar de passar parte de sua vida em Itabuna e Salvador, não perdeu o vínculo afetivo com Itapé. “Volto com mais experiência. Sinto-me jovem para trabalhar por minha gente”. Segundo ele, o município precisa de governo honesto.

O prefeiturável criticou o que chama de “cortesia com dinheiro da prefeitura”, pagando “cestas básicas e cachaça” aos eleitores. O recurso público, disse, tem que ser empregado em oportunidades para população.

Para Sodré, “trancando a torneira do desperdício e o ralo da corrupção o dinheiro aparece e se poderá ter economia de R$ 450 mil por mês para investir”, concluiu. Ele enfrentará nas urnas o ex-prefeito Pedro Jackson Brandão, o Pedrão (PSB), e o delegado Humberto Mattos (PDT).

LENILDO TERÁ APOIO DE 10 PARTIDOS NA REELEIÇÃO

O prefeito de Ibicaraí, Lenildo Santana (PT), tentará a reeleição com o apoio de dez partidos. A convenção está sendo realizada neste momento na Dery Eventos.

A chapa majoritária de 2008 será mantida. O petista vai à disputa tendo Lula Sampaio (PV) como vice. A coligação reúne – além dos partidos do prefeito e do vice – PP, PSDC, PSL, PSB, PTB, PCdoB, PSD e PHS.

O prefeito vai para a reeleição tendo o apoio de Luizinho, vocalista do Trio da Huanna, que participa da convenção e há mais de um mês ainda era cotado como prefeiturável.

ACÁCIA SERÁ CANDIDATA A PREFEITA

Acácia: candidata (Foto Pimenta).

A professora Acácia Pinho (PDT) decidiu-se pela candidatura a prefeita, após ruir acordo com a Frente Partidária e manter reuniões em Salvador. O partido vetou a ideia de Acácia aliar-se a Capitão Azevedo (DEM) ou Juçara Feitosa (PT) e deu à pedetista duas opções: permanecer na Frente Partidária ou sair candidata.

Ela preferiu a candidatura, rachando de vez a Frente Partidária, e espera contar com o PV na chapa, mas os verdes assumiram compromisso de permanecer na Frente Partidária, segundo assegurou o dirigente Evans Maxwell em entrevista ao PIMENTA.

Com isso, a disputa pela prefeitura de Itabuna terá seis pré-candidatos: Capitão Azevedo (DEM), Juçara Feitosa (PT), Vane do Renascer (PRB), Acácia Pinho (PDT), Zem Costa (PSOL) e Pedro Heliodoro (PCB).

NÃO DEU

A petista Juçara Feitosa conversou ontem com a professora Acácia Pinho (PDT). Tentou puxá-la para a vice de sua chapa, mas a professora tem agora outra ideia fixa. Depois de ser preterida na chapa da Frente Partidária, Acácia pensa em lançar-se candidata a prefeita. Tentará o “ok” da direção estadual do PDT.

Resta saber se o deputado federal Félix Júnior concorda com a tese de que candidatura própria será interessante para o partido ou suicídio eleitoral, tendo em vista que a pedetista sairia na disputa tendo apenas o apoio do PV – e, no máximo, de mais uma legenda de pouca expressão.

PV VAI PARA O OLHO NO OLHO COM ACÁCIA E PDT

Os dirigentes do Partido Verde (PV) de Itabuna esperam assentar a poeira do forró junino e cessar a fumaça das fogueiras para, sem vaidades, conversar com a professora Acácia Pinho, pré-candidata do PDT à Prefeitura de Itabuna. O presidente do PV, Evans Maxwel, aguarda tão-somente o retorno da pré-candidata para sentar à mesa e, olho no olho, expor as razões partidárias para continuar integrando a Frente Partidária de PRB-PCdoB-PV-PDT-PSC-PP e PPS.

Em clima conturbado, a Frente lançou os vereadores Claudevane Leite (PRB), pré-candidato a prefeito, e Wenceslau Junior (PCdoB), pré-candidato a vice-prefeito, na quinta-feira, 21, embora a pesquisa de intenções de voto do instituto Dataqualy, tenha indicado em segunda colocação a pré-candidata do PDT, que se rebelou e pediu tempo para reflexões à beira da fogueira. Maxwel diz que o PV respeitará qualquer decisão de Acácia Pinho pela forma digna como se comportou e por respeitar compromissos.

Também reforça a necessidade de o PDT e sua pré-candidata continuarem integrados à Frente de sete partidos, que dispõe de projetos e iniciativas para o bem do povo de Itabuna. A maior preocupação do PV são as pré-candidaturas a vereador. A conversa deve acontecer na terça-feira um dia antes das convenções marcadas para o dia 27.

PPS E PP OFICIALIZAM ENTRADA NA FRENTE PARTIDÁRIA CONTRA JUÇARA E AZEVEDO

Mariana, de branco, e Minas Aço Jr., de preto, oficializam entrada de PPS e PP (Foto Pimenta).

Agora é oficial. O Partido Progressista (PP) e o Partido Popular Socialista (PPS) confirmaram na noite desta terça-feira, 19, união com os partidos da Frente Partidária integrada por PCdoB, PP, PDT, PV, PSC e PRB.  Ética na política, gestão participativa,  inovação e participação popular foram conceitos e princípios mais citados nos discursos dos líderes partidários.

Segundo Ramon Cardoso, do PCdoB de Itabuna, a intenção da aliança partidária é consolidar gestão que tire o município “do atraso político e do caos administrativo em que está imersa” há 30 anos. “Vejo aqui a mudança que a população deseja”, afirma Evans Maxwell (PV) seguido pelo pastor evangélico  Francisco Edes (PRB) para quem a cidade necessita de gestão mais moderna.

O ato de lançamento oficial da Frente Partidária contou com a presença dos pré-candidatos Acácia Pinho (PDT) e Wenceslau Junior (PCdoB). Os dois fizeram questão de reafirmar que a cabeça de chapa será anunciada na quinta-feira, 21, a partir de pesquisa de intenções de voto já fechada e de critérios internos.

A pesquisa foi feita pela Dataqualy e será analisada em reunião dos partidos da Frente. O pré-candidato Claudevane Leite (PRB) não participou do encontro na Galeteria, no São Caetano, porque está de dengue. O PPS foi representado por Mariana Alcântara e o PP por Minas Aço Júnior.

COLIGAÇÕES PROPORCIONAIS

Um pinga-fogo foi estabelecido com os líderes da Frente Partidária pelos jornalistas e blogueiros. Desse aperto se teve a notícia de que nas candidaturas a vereador, a chamada chapa proporcional se tem um rascunho de coligações: PDT-PV-PRB-PSC / PPS-PP / PCdoB, que sairá sozinho. Mais um partido pode aderir à frente. Um deles seria o PTB.

O CONSELHO POLÍTICO E A REALIDADE (ELEITORAL) EM ITABUNA

O Conselho Político, do qual participam todos os partidos da base aliada do governo baiano, se reuniu nesta segunda, 11. Na mesa, pesquisas eleitorais e o desenho das alianças. Itabuna foi discutida. E ficou latente a resistência de aliados em apoiar a candidatura petista.

Ontem, o PP de Roberto “Óleo de Peroba” Minas Aço sinalizou que não marchará com Juçara Feitosa. Restará à legenda manter candidatura solitária do empresário Roberto Barbosa ou unir-se à Frente Partidária, integrada por PCdoB, PRB, PDT, PV e PSC. Pelo menos, Juçara assegurou apoio do PSD. Não está fácil.

ELEIÇÕES 2012: WENCESLAU JÚNIOR CRITICA PT E AZEVEDO E DIZ QUE FOI INJUSTIÇADO

O vereador Wenceslau Júnior está no terceiro mandato. Sonha com a cadeira principal do Centro Administrativo Firmino Alves, sede da Prefeitura de Itabuna. O sonho é alimentado pela possibilidade de uma composição de partidos que une desde o seu PCdoB ao PRB de Claudevane Leite e PDT de Acácia Pinho.

Na entrevista concedida ao PIMENTA, Wenceslau acha improvável composição com o PT em Itabuna e faz críticas ao Governo Azevedo (“não consigo enxergar marca positiva nesse governo”).

O prefeiturável também fala do processo de afastamento do mandato por ordem judicial e diz que a decisão foi injusta. Confira os principais trechos da entrevista que abre série com pré-candidatos a prefeito de Itabuna.

PIMENTA – Quem será o candidato da Frente Partidária?

WENCESLAU JÚNIOR – Há unidade e compromisso de avaliarmos a evolução das pesquisas para, em meados deste mês, afunilarmos para um nome.

O sr. acredita que a frente se mantém mesmo após definir o candidato?

Eu acredito nas palavras de Vane [do Renascer] e de Acácia Pinho. Esta frente não é voltada para interesses pessoais, tem princípios e compromisso de melhorar a cidade, fazer gestão inovadora. A frente também está dialogando com PPS e PP e abrindo perspectiva para ter tempo de televisão razoável e consistência política ainda maior.

Do outro lado, existem duas candidaturas com maior estrutura. A frente tem como ir para a disputa com chances até o final?

O elenco de lideranças que compõem essa frente já é algo importante. Além disso, acho que estrutura não é algo tão definidor em eleição em Itabuna. Em 1992, Geraldo Simões caiu na graça do povo e foi eleito imprensado entre duas grandes candidaturas [Ubaldo Dantas e José Oduque].

Hoje não temos cenário de protestos, impeachment de presidente…

(Interrompe)… Em 2008, o prefeito [Azevedo] estava em último, não tinha ajuda da máquina municipal e só passou a contar quando cresceu na pesquisa. De início, foi uma candidatura franciscana. Em Itabuna, um bom programa de TV e militância aguerrida nas ruas são fundamentais para a eleição.

Pelo que se desenha, qual será o tipo de campanha que teremos em 2012?

O compromisso na Frente Partidária é discutir propostas para a cidade. A eleição em Itabuna, o debate tende a ser municipalizado, sem grande influência das políticas nacional e estadual.

O PCdoB se manterá na frente mesmo se ocorrerem pressões de cima?

Olha, o governador Wagner vem tendo postura elogiável em todo o processo. Tentar mediar, mas nunca impor. O PCdoB em Itabuna tem divergência com o PT local, o que não ocorre nos níveis estadual e nacional.

 

ALIANÇA COM O PT: Nada em política é impossível, mas acho um pouco distante essa reaproximação, até porque não há espírito despojado do outro lado.

 

Há possibilidade de coligação com o PT em Itabuna?

Nada em política é impossível, mas acho um pouco distante essa reaproximação, até porque não há espírito despojado do outro lado. Wenceslau pode abrir mão de ser candidato para apoiar Vane ou Acácia, Vane pode abrir mão, Acácia, também… Do outro lado [do PT], não. Isso dificulta qualquer conversa.

O senhor sofre críticas por ter atuação omissa na fiscalização do governo municipal…

Sempre vou ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). É um trabalho árduo e silencioso. Não foi à toa que as contas do prefeito [Capitão Azevedo], de 2009 e 2010, foram reprovadas. Agora eu tenho que reconhecer que foi mandato atípico, por causa da candidatura a deputado estadual. Tanto na pré-campanha, em 2009, quanto na campanha, em 2010, realmente me dediquei à atuação em nível estadual. Nas principais batalhas na Câmara, as questões da saúde, defesa dos salários dos servidores, professores, nós estávamos lá.

Como o senhor avalia a gestão municipal?

É uma gestão sem planejamento, que não consegue planejar e, por conta disso, compromete a execução. Tem muitas pessoas preocupadas com seus interesses pessoais. Azevedo não é bom coordenador e tem dificuldades de exonerar aqueles que não dão resultado. Pergunto ao leitor, qual é a marca positiva deste governo?

E qual seria esta marca?

Não consigo enxergar. Negativas, sim, existem. Aumento da violência na cidade, por que as pessoas são impedidas de ter acesso à educação, lazer. Nós nunca passamos situação tão vexatória na saúde. A marca mesmo é a de malversação de dinheiro público.

Quais seriam estes exemplos de malversação?

Nas obras, todas federais, mas executadas pelo município, a gente não sabe dizer se é construtora ou a prefeitura que está fazendo. Há uma mistura, confusão. Obras são licitadas e quem trabalha é a mão de obra da prefeitura. Sem falar das causas de rejeições de contas: exageros de gastos em alguns setores, aplicação abaixo do mínimo em saúde e educação…

 

FOLHA INCHADA: A folha consome 70% da receita. Existem muitas pessoas que estão na folha sem trabalhar, por apadrinhamento político, consumindo recursos públicos. Fantasmas.

 

Se as obras são federais, para onde está indo o dinheiro das receitas próprias?

Infelizmente, a prefeitura está completamente inchada. A folha consome 70% da receita. Existem muitas pessoas que estão na folha sem trabalhar, por apadrinhamento político, consumindo recursos públicos. Fantasmas.

O PCdoB e a sua campanha já avaliaram os efeitos do escândalo dos consignados na sua pré-candidatura?

O partido já avaliou. Depois do caso, nós fizemos pesquisa e constamos que crescemos ou mantivemos os percentuais. A população de Itabuna me conhece desde os tempos de movimento estudantil. Nunca respondi a processo, já participei de governo municipal, fui assessor parlamentar.

:: LEIA MAIS »

PV FECHA APOIO A PROFESSORA CARMELITA

Pastor Gilmar Bonfim e Carmelita fecham aliança eleitoral.

O pastor Gilmar Bonfim e o PV acabam de fechar apoio à pré-candidatura da Professora Carmelita (PT). O pastor e a pré-candidata a prefeita de Ilhéus se reuniram em um restaurante, acompanhados dos presidentes do PT, Marilene Lapa, e do PV, Robson Melo, para discutir os termos da aliança. Ainda não foi discutido se o pastor será o vice da petista.

Professora  Carmelita fez referência à respeitabilidade e o livre trânsito do pastor. Gilmar Bonfim diz que a aliança reúne uma mulher preocupada com o social e um homem que tem compromisso com o meio ambiente. “A decisão de apoio a Carmelita representa o amadurecimento que a pré-candidatura petista tem demonstrado nas últimas semanas”, assinalou Gilmar Bonfim.

VANE LANÇA PRÉ-CANDIDATURA

O vereador Vane do Renascer lança pré-candidatura a prefeito logo mais, às 19h, no plenário da Câmara de Itabuna. O ato contará com a participação do deputado federal Bispo Marinho (PRB) e integrantes do PSC.

O vereador integra frente partidária composta, além do PRB, pelo PSC, PV, PCdoB e PDT. A frente reúne ainda os prefeituráveis Acácia Pinho (PDT) e Wenceslau Júnior (PCdoB).

CIDADE SUSTENTÁVEL

Membros do PDT, PRB, PCdoB, PSC e PV assinam nesta quinta, às 19h, na Câmara de Vereadores de Itabuna, documento em que se comprometem a implantar o conjunto de ações do Programa Cidades Sustentáveis caso eleitos. Os partidos compõem a Frente Partidária que tem como pré-candidatos a prefeito Acácia Pinho (PDT), Vane do Renascer (PRB) e Wenceslau Júnior (PCdoB).

A prefeiturável pedetista diz que não apenas os candidatos da majoritária, mas os os que disputam vaga à Câmara também assumem compromisso de levantar a bandeira da sustentabilidade. Acácia diz que o objetivo do programa é “sensibilizar, mobilizar e oferecer ferramentas para que as cidades brasileiras se desenvolvam de forma econômica, social e ambientalmente sustentável”.

A FRENTE NA BATALHA

Pré-candidatos a prefeito e a vereador de cinco partidos participaram do encontro

Membros do PRB, PDT, PCdoB, PV e PSC se reuniram ontem (14) em Itabuna para discutir estratégias da frente que se propõe a marchar unida nas próximas eleições municipais. Pré-candidatos a vereador desses partidos também participaram do encontro e ouviram informações sobre a legislação eleitoral.

O evento serviu para os representantes das legendas reforçarem o compromisso com a aliança. Para fortalecer o debate em torno de um novo projeto para Itabuna, com a união dos cinco partidos, a frente pretende se ampliar, atraindo outras forças políticas.

Por enquanto, o grupo tem três pré-candidatos a prefeito: Vane do Renascer (PRB), Wenceslau Júnior (PCdoB) e Acácia Pinho (PDT), mas sonha atrair o PMDB, que tem a pré-candidata Leninha Alcântara.

BAIXAS NA FRENTE

As articulações da Frente Partidária em Itabuna avançam quando se discute a unidade, mas o grupo que tem como núcleo as pré-candidaturas de Acácia Pinho (PDT), Vane do Renascer (PRB) e Wenceslau Júnior (PCdoB) sofreu um revés hoje. A frente divulgou que o PMDB e o PPS estavam nela.

Durou pouco. A pré-candidata peemedebista Leninha Alcântara diz que não integra a frente e só adere na condição de que ela seja a candidata do grupo. Na mesma linha, o PPS, presidido por Mariana Alcântara, negou adesão, conforme entrevistas ao Políticos do Sul da Bahia.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia