WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘Secretaria de Saúde de Itabuna’

ITABUNA: CÂMARA APROVA CONVOCAÇÃO DO SECRETÁRIO DE SAÚDE

Charliane Sousa, centro, propôs a convocação do secretário || Foto Gabriel Oliveira

Os membros da Comissão de Finanças, Orçamento e Tributos da Câmara de Itabuna aprovaram, nesta sexta-feira (31), a convocação do secretário de Saúde do Município, Josemar Sales, para prestar esclarecimentos sobre os projetos desenvolvidos por aquela pasta. A proposta de convocação foi apresentada pela vereadora Charliane Sousa, durante a realização da Audiência Pública sobre as metas fiscais do primeiro quadrimestre de 2019.

“Na audiência, os técnicos da Secretaria de Finanças e Planejamento apresentaram os resultados fiscais como arrecadação e despesas, fazendo também um comparativo com o ano de 2018. Na oportunidade, eu os indaguei sobre como o impacto negativo de R$ 2.298.573,88 decorrente do aumento desrazoável de procedimento de Média e Alta Complexidade autorizados pela Central de Regulação em 2017 e como repercutiu na Dívida Pública, revelado em auditoria realizada pela Controladoria do município, e os mesmos não tinham conhecimento de tal fato”, afirmou.

Charliane Sousa disse que, em razão disso, foi aprovada, pelos membros presentes da Comissão de Finanças, a convocação do Secretário de Saúde, do Controlador, do Procurador Geral e de todos os membros da comissão de auditoria para os devidos esclarecimentos. “A população de ltabuna precisa ter conhecimento sobre o quem vem ocorrendo no âmbito da Saúde e como está sendo aplicado o nosso dinheiro”, acrescentou a vereadora.

A Comissão de Finanças, Orçamento e Tributos da Câmara de Itabuna é presidida pelo vereador Jairo Araújo, tendo como vice-presidente Antônio Cavalcanti e primeira relatora Charliane Sousa. O vereador Ronaldo Geraldo (Ronaldão) é o segundo relator. Como terceiro e quarto relatores, respectivamente, os vereadores Júnior Brandão e Júnior do Trator.

FERNANDO DÁ POSSE A 3º SECRETÁRIO DE SAÚDE EM UM ANO E 4 MESES

O novo secretário de Saúde de Itabuna, Deivis Guimarães, tomará posse nesta segunda-feira (16). A solenidade será no gabinete do prefeito Fernando Gomes, no Centro Administrativo Firmino Alves, no São Caetano. Deivis tomará posse cerca de um mês depois da exoneração de Lísias Miranda.

Além de presidente da Associação Brasileira de Fornecedores de Medicamentos (Abfmed), Deivis foi secretário de Saúde de dois pequenos municípios do Espírito Santo (Anchieta – 2015 a 2016 – e Presidente Kennedy – 2013 a 2014) e consultor das secretarias estaduais de Saúde da Bahia e do Espírito Santo.

Deivis Guimarães será o terceiro nome da Pasta da Saúde em um ano e quatro meses do Governo Fernando Gomes. O primeiro a comandar a secretaria foi Vitor Lavinsky, substituído por Lísias Miranda. Os três foram nomes importados pelo prefeito.

PAULO BICALHO NA SESAB

Bicalho foi nomeado para cargo na Sesab.

Bicalho foi nomeado para cargo na Sesab.

Elogiado pelo trabalho desenvolvido no Hospital de Base e na Secretaria de Saúde de Itabuna, o médico Paulo Bicalho acaba de ser nomeado diretor de Gestão da Rede Própria da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) pelo governador Rui Costa.

O cargo está na estrutura da Superintendência de Atenção Integral à Saúde da Sesab. A nomeação foi publicada na edição desta quinta (16) do Diário Oficial do Estado.

BICALHO OPERA MUDANÇAS EM CARGOS ESTRATÉGICOS DA SAÚDE

Bicalho e Vane, ambos ao centro, com os novos diretores de departamento (Foto Gabriel Oliveira).

Bicalho e Vane, ambos ao centro, com os novos diretores de departamento (Foto Gabriel Oliveira).

O médico Paulo Bicalho começou a mexer no comando dos departamentos da Secretaria de Saúde de Itabuna. A mudança começou pelos departamentos de Atenção Básica, de Planejamento e de Média e Alta Complexidade, além do Financeiro.

Adriano Gonçalves deixa a chefia de Regulação de Alta Complexidade para assumir o Departamento de Média e Alta Complexidade. Substituirá Aline Anjos. Charles Ferreira assume a Diretoria Financeira. O nome é de estrita confiança de Bicalho.

A enfermeira Michele Andrade reassume o Departamento de Atenção Básica em lugar de Claudiana Correia de Jesus. A enfermeira Luciana Pinheiro foi confirmada no Departamento de Planejamento.

As nomeações ainda serão publicadas no Diário Oficial eletrônico, mas já nesta quinta (19) os novos diretores se reuniram com o secretário Paulo Bicalho e o prefeito Claudevane Leite.

Bicalho optou por manter a enfermeira Rosângela Lessa no comando da Regulação. O secretário já havia trabalhado com ela na primeira vez em que comandou a Saúde, no período de 2002 a 2004, na segunda gestão do ex-prefeito Geraldo Simões.

O novo secretário de Saúde assumiu o cargo com a promessa, do prefeito Vane, de que terá autonomia para tocar o barco. Para quem acompanha os bastidores da prefeitura, soou positiva a mudança, pois até mesmo nomes do próprio prefeito foram substituídos, a exemplo da área financeira.

FEIRA DE SAÚDE PRESTA 1.500 ATENDIMENTOS

Feira de SaúdeCerca de 1.500 atendimentos foram prestados, no último sábado (7), durante a II Feira de Saúde da Clínica Escola, no Bairro Lomanto, em Itabuna.

Os atendimentos foram prestados nas áreas de clinica geral, pediatria, oftalmologia, nutrição, mastologia, fisioterapia e psicologia.

Dentre os serviços, aferição de pressão arterial, pressão ocular para prevenção do glaucoma, citologia oncótica e testes rápidos de hepatite B e C e Aids.

A feira foi promovida pela Unime, com participação dos alunos de Enfermagem, e Secretaria de Saúde de Itabuna.

ALMIR ALEXANDRINO ASSUME PROVEDORIA DA SANTA CASA

Alexandrino assume provedoria da Santa Casa (Foto Divulgação).

Alexandrino assume provedoria da Santa Casa (Foto Divulgação).

Com a saída de Eric Ettinger, o médico nefrologista Almir Alexandrino assumirá a provedoria da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna. Ettinger deixou o cargo para a assumir a Secretaria de Saúde de Itabuna (relembre aqui).

Alexandrino afirma que dará continuidade ao trabalho de Ettinger. “É uma grande honra assumir o comando da Santa Casa”, disse ele, enfatizando fazer parte da irmandade há quase quatro décadas. Ele ainda apelou pela união de esforços para que a gestão seja bem-sucedida.

O nefrologista ficará à frente da instituição filantrópica, pelo menos, até 2015. A Santa Casa administra três hospitais (Calixto Midlej Filho, Manoel Novaes e São Lucas) e possui, aproximadamente, 1,8 mil funcionários.

FISCAIS APREENDEM 250 KG DE CARNE ESTRAGRADA EM ITABUNA

A maior apreensão de carne ocorreu em janeiro deste ano (Foto Wilson Oliveira).

Maior apreensão de carne ocorreu em janeiro deste ano (Foto Wilson Oliveira).

A Vigilância Sanitária promete apertar o cerco contra a venda de carne clandestina após a interdição do matadouro de Itabuna. Os comerciantes têm agora como alternativa para abate os frigoríficos de Itapetinga, Jequié e Ilhéus.

No final de semana, a Vigilância apreendeu cerca de 250 quilos de carne imprópria para consumo humano. A apreensão ocorreu nas feiras livres dos bairros São Caetano e Califórnia e no Centro Comercial. Desde o início do ano, aproximadamente 900 quilos de carne estragada foram apreendidos no município, 650 deles no final de janeiro.

Segundo o diretor da Vigilância Sanitária de Itabuna, Antônio Carvalho, a equipe de agentes de fiscalização foi reforçada com seis profissionais treinados “para exigir o cumprimento da legislação pelos abatedores e comerciantes de carnes nas feiras livres, Centro Comercial e açougues”. Carvalho diz que a ação do município visa garantir venda de produtos de qualidade.

BICALHO SERÁ DIRETOR DO HOSPITAL DE BASE

Na foto com o secretário estadual Jorge Solla, Bicalho (à direita) assumirá a gestão do Hospital de Base.

Na foto com o secretário estadual Jorge Solla, Bicalho (à direita) assumirá Hblem.

Cogitado para assumir a Secretaria de Saúde, o médico Paulo Bicalho será o presidente da Fundação de Assistência à Saúde de Itabuna (Fasi), entidade mantenedora do Hospital de Base de Itabuna. O martelo foi batido nesta sexta, 21.

Bicalho já foi secretário de Saúde de Itabuna, diretor da Policlínica 2 de Julho e diretor médico da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna. Ele chega com aval para colocar ordem no “mangue” em que se transformou o Hospital de Base.

Uma das missões será dar transparência à gestão do hospital que recebe cerca de R$ 1,5 milhão. Somente com uma entidade que possui apenas três médicos neurologistas prestando assistência ao Hblem, a Fasi paga aproximadamente R$ 120 mil, por mês.

Além de chegar com carta branca – dada pelo futuro secretário de Saúde, Ubiratan Moreira Pedrosa, e pelo prefeito eleito Vane do Renascer -, Bicalho possui ótimo trânsito no Governo do Estado.

Ubiratan Pedrosa está fechando a equipe com profissionais respeitados na saúde baiana. Outro nome dado como certo é o do médico sanitarista Humberto Barreto.

Uma das unanimidades na área da saúde pública, Barreto colaborou com a equipe de transição e é amigo pessoal do secretário Pedrosa. Pode assumir a Vigilância à Saúde, composta pelas vigilâncias epidemiológica e sanitária.

BICALHO NA SAÚDE

Apontado como dos melhores secretários municipais de saúde da Bahia enquanto ocupou cargo em Itabuna (2003-2004), o médico Paulo Bicalho é apontado como dos prováveis nomes para compor o primeiro escalão do governo de Vane do Renascer (PRB).

Bicalho conseguiu reestruturar e ampliar a rede de atendimento em saúde do município sul-baiano. O secretário entraria na cota pessoal do prefeito. A favor do médico, o livre trânsito na Secretaria Estadual de Saúde (Sesab).

Ex-diretor médico da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna e também um dos responsáveis pela implantação do curso de Medicina na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Bicalho ainda dirigiu o Hospital Roberto Santos, em Salvador.

SEM SALÁRIO, MÉDICOS SUSPENDEM ATENDIMENTO NO ANEXO PSIQUIÁTRICO DO HBLEM

Hospital de Base suspende atendimento ambulatorial psiquiátrico

Os quatro médicos que atendem no Anexo Psiquiátrico do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem) decidiram suspender o atendimento ambulatorial. A comunicação à direção do hospital e da Secretaria Municipal de Saúde foi feita na quinta, 27.

A direção da Fundação de Atenção à Saúde de Itabuna (Fasi) informou à equipe que não dispunha de recursos para manter o atendimento ambulatorial. A equipe médica prestará apenas atendimento emergencial. Os quatro médicos estão há três meses sem receber salário.

O documento assinado pelos quatro médicos psiquiatras aponta como razão para suspender o atendimento a falta de sensibilidade da Secretaria de Saúde de Itabuna. Os cálculos da equipe do anexo apontam para 17 mil pacientes que dependem do funcionamento desta estrutura no Hblem. Número expressivo de pacientes também é submetido a exames psiquiátricos no Hospital de Base, conforme o documento.

“É importante salientar que esta medida extremada [a suspensão do atendimento] é consequência da absurda omissão da Secretaria Municipal de Saúde em, efetivamente, assumir a responsabilidade pela manutenção do serviço médico, vez que a Presidência da Fundação de Atenção à Saúde de Itabuna, contratualizada e mantenedora do Hospital de Base, se diz incapacitada financeiramente em arcar com os custos do Anexo Psiquiátrico”, narram os médicos no documento entregue à presidência da Fasi.

ESTRANHO, HEIN?

Clique para ampliar.

O Blog do Gusmão faz denúncia séria contra a Secretaria de Saúde de Itabuna. A secretaria enviou aos funcionários uma ficha de recadastramento em pleno ano eleitoral que solicita várias informações, dentre elas endereço, dependentes…

Mas o que impressionou os funcionários foi a solicitação de número do título eleitoral com os dados da zona eleitoral e da seção.

A conduta é estranha, principalmente por ocorrer em pleno período em que servidores fazem manifestações por salário e – mais ainda – pela proximidade com o período eleitoral.

 

SECRETÁRIO DIZ QUE ESPERA POR CONSULTA OFTALMOLÓGICA PODE LEVAR 15 MESES

Magela: Sesab no alvo.

A prefeitura de Itabuna decidiu ir pra cima da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab). Ela novamente exige que a secretaria distribua melhor a cota de exames oftalmológicos. O secretário municipal de Saúde, Geraldo Magela, classifica como equivocada a política da Sesab.

Segundo ele, em 2008 Itabuna teve direito a 43.093 consultas, o que dava média mensal de 3.591 exames. Já no ano passado, foram 3.976 consultas autorizadas e média de apenas 497 ao mês. “É menos de 10% do que era liberado na época da gestão plena”, reclama o secretário.

Magela afirma que a fila de espera em 2012 é superior a 4 mil pacientes. Quem precisa, de acordo com ele, pode esperar até 15 meses pela marcação da consulta.

O município fechou pactuação com o estado de R$ 507 mil para exames e consultas oftalmológicos, mas só tem recebido R$ 270 mil por mês. “Nenhuma solução é dada pelo governo do estado”, reclama. O secretário também aponta discrepâncias em consultas cardiológicas. Foram 6.064 autorizadas em 2008 contra 3.656 em 2011.

ATRASOS

O secretário junta à lista o que classifica como “impontualidade” da Sesab no pagamento de prestadores de serviço. A Maternidade Ester Gomes é apontada como exemplo de dificuldades para receber desde dezembro do ano passado. O diretor da maternidade, Leopoldo dos Anjos, diz que a demora nos pagamentos por parte da Sesab gera atrasos de salário dos funcionários e dos compromissos com fornecedores

POSTO DE SAÚDE SEM MÉDICO

Posto-problema: quando não são as filas, faltam médicos na unidade (Foto Pimenta/Arquivo).

Do A Região Online

A unidade de Saúde da Família Alberto Teixeira Barreto, na Califórnia, em Itabuna, está sem médico há mais de uma semana. A denúncia é de uma paciente idosa, portadora de diabetes, que precisa de atendimento diferenciado.

O centro de saúde do bairro é uma unidade de referência para portadores de diabetes e hipertensão arterial. Mas, além de não ter médico, falta aparelho de nebulização, indispensável para quem tem asma e bronquite, doenças muito frequentes nessa época mais fria, segundo os especialistas.

Uma dona-de-casa do bairro de Fátima, cadastrada no Alberto Teixeira Barreto, disse que tem três filhos menores, dois com problema de falta de ar. Constantemente ela precisa levar as crianças para receber nebulização. Como não encontra o aparelho no posto, é obrigada a ir até o hospital.

A mulher diz que nem sempre tem dinheiro para o ônibus, nem para comprar um nebulizador. Além de pacientes da Califórnia, a unidade de saúde atende famílias de outros bairros vizinhos, a exemplo do Fátima, Nova Califórnia, Santa Inês e Antique.

ADMINISTRADOR DIZ QUE UNIDADE TEM MÉDICOS

Alberto Araújo Júnior, diretor da unidade de saúde, afirma que, ao contrário da nota aqui reproduzida, a unidade de saúde teve médicos clínicos em todos os dias desta semana.

Segundo ele, a unidade dispõe de três clínicos, três pediatras, dois ginecologistas e um cirurgião-geral. Alberto reconhece que a unidade de saúde estava sem nebulizador “há cerca de dez dias”. O aparelho foi substituído nesta tarde de sexta (27).

O administrador lembra, ainda, que a unidade é sobrecarregada (“injustiçada”), pois acaba atendendo gente de praticamente todos os módulos (regiões) de Itabuna. Ele informa que, na média, são 12 mil atendimentos por mês. Alberto Júnior disse que se coloca à disposição para solucionar os casos dos pacientes exibidos na nota.

Atualizada às 19h36min

DESLEIXO QUE CUSTA CARO AOS PACIENTES

Um desleixo da Secretaria de Saúde de Itabuna está causando transtornos a pessoas que usam medicamento controlado não fornecido pela rede básica. Uma portaria do Ministério da Saúde exige que esse tipo de medicamento somente seja vendido se constar na receita médica o carimbo e assinatura do profissional que a prescreveu e o endereço da unidade de saúde em papel timbrado.

A porca torce o rabo justamente nesse ponto: os formulários de receita na rede municipal são padronizados, contendo apenas o endereço geral da Secretaria de Saúde. Assim, quem precisa do medicamento só tem uma opção: recorrer a qualquer clínica que forneça receita com o endereço do estabelecimento. E dói no bolso, pois o paciente pagará duas vezes: ao médico que prescreve a receita na clínica particular e na hora de comprar o medicamento.

Uma das vítimas do desleixo diz que é obrigada a desembolsar R$ 58,00 para obter a receita numa unidade particular.

OS 100 DIAS DE MAGELA

Magela: resultados contestados.

Passados mais de 100 dias da posse do secretário de Saúde de Itabuna, Geraldo Magela, começaram a pipocar as cobranças quanto ao desempenho do titular de uma das mais complicadas pastas do governo.

Na avaliação de uma fonte governista, os três meses iniciais de Magela apresentaram, de positivo, apenas a briga pelo retorno do Comando Único do SUS, mas faz uma constatação: “O embate travado com o Conselho Municipal de Saúde, em parte, escondia a frustração com os três primeiros meses da sua gestão”.

A mesma fonte, no entanto, diz que o governo cometeu equívocos na disputa e, por isso mesmo, acabou unindo o conselho. “A eleição por aclamação da Maria das Graças era reflexo dos equívocos”.

O governista ainda dá ponto ao secretário por ter conseguido mudar a direção do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem). “A nova administração é antenada com a área de saúde”, diz. “Mas os resultados são comprometidos pelo empreguismo”, relata a fonte.

No período, Magela – e o prefeito Capitão Azevedo – ainda se viu obrigado a ouvir um autêntico sermão do bispo diocesano Dom Ceslau Stanula, há um mês, ao final da procissão de São José. As cobranças agora são internas.

FORMIGLI REBOUÇAS CRITICA FALTA DE SENSIBILIDADE DE AZEVEDO COM OS MAIS POBRES

O professor José Formigli Rebouças deixou ontem o comando da Secretaria de Assistência Social após dois anos e 18 dias no cargo. Saiu alegando boicote do prefeito Capitão Azevedo (DEM). “Os projetos que a gente propunha ele não deixava [executar]”. A pasta será comandada por Marina Santos, ex-auxiliar de Formigli.

Ontem à noite, o ex-secretário concedeu entrevista ao PIMENTA e revelou que a prefeitura devolveu recursos ao governo federal por não ter implantado projetos sugeridos pela sua equipe. Sobre a sua passagem pelo governo, avalia: “foi uma experiência boa, mas frustrante porque não tive apoio”.  Acompanhe os principais trechos da entrevista.

O que provocou a exoneração do senhor?
O prefeito está procurando os políticos e oferecendo as secretarias. No nosso caso, foi o [deputado estadual eleito, Coronel] Santana, que exigiu colocar lá uma pessoa dele, a Marina. Ele já entregou a Saúde ao [Augusto] Castro e a nossa secretaria ao Santana.

Como o prefeito lhe comunicou sobre a mudança?
Alegou que está em dificuldades financeiras e disse estar precisando da ajuda dos deputados. Esses deputados prometeram recursos. No entanto, dizem que têm que estar lá com pessoas deles. No nosso caso, foi o Santana que colocou a Marina.

O senhor ficou surpreso com esta decisão?
A exoneração não me pegou de surpresa, pois já esperava por isso. Eu não trabalhei na campanha dele e fui lá porque Azevedo tinha compromisso com uma pessoa que sugeriu o meu nome. Fui lá tentar fazer alguma coisa, mas não tive apoio de maneira nenhuma.

Tudo que a gente propunha, o prefeito não deixava [executar].

O prefeito não o apoiou?
Absolutamente. Tudo que a gente propunha, o prefeito não deixava [executar].

E qual a justificativa do governo?
Dou exemplos: apresentei projetos, parcerias para acabar com a mendicância e tirar o pessoal das ruas, mas nada disso foi aceito. O prefeito alegava sempre que não tinha recurso. No ano que passou, nós tivemos a oferta de mais um CRAS, para duplicar esse trabalho do Pró-Jovem e tudo isso foi rejeitado pelo prefeito sob a alegação de que não poderia contratar mais pessoas e não tinha recursos, mas nós devolvemos recursos ao governo federal.

Desde quando assumiu, o senhor nunca teve apoio do prefeito?
No começo, houve alguma manifestação. Muito pouca, mas normalmente não tive. O projeto que ele apoiou foi só o Bolsa-Renda, que era uma proposta que ele mesmo inventou [na campanha eleitoral]. Fora disso, não aconteceu.

Eu me sinto muito frustrado justamente porque ele não aceitava os projetos que apresentávamos, mesmo tendo recursos federais.

De toda a sua passagem, o que mais o deixou triste?
Eu me sinto muito frustrado justamente porque ele não aceitava os projetos que apresentávamos, mesmo, às vezes, tendo recursos federais. Sempre alegava a mesma coisa: falta de dinheiro, isso e aquilo.

A Casa dos Conselhos foi um desses projetos?
Nós batalhamos muito pela Casa dos Conselhos. Ele nos deu uma área, no antigo campo de aviação [aeroporto]. Quando estávamos terminando o projeto, ele embargou e alegou que vai usar aquilo ali para o Samu 192.

O Samu vai mudar do centro para lá?
Diz ele que vai mudar sim. Não se sabe quando. Chegou aí o novo secretário de Saúde e o prefeito está dando tudo que ele pede. Passaram por cima da gente.

Trabalhei com a Marina por muito tempo, mas sabendo que ela estava sempre querendo a secretaria.

O senhor se sentiu traído pelo prefeito?
Eu não digo que fui traído. Não fui apoiado. Conforme eu disse ontem lá na despedida, na minha secretaria havia a figura da Marina, que foi uma pessoa muito importante para a eleição dele e que tem uma penetração muito grande nos bairros. Ela tinha a certeza que a secretaria seria dela. Mas houve aí uma arrumação. Então, trabalhei com a Marina por muito tempo, mas sabendo que ela estava sempre querendo a secretaria. Agora que ela fez um esforço muito grande pela eleição do Santana. Ela, com o apoio dele, assumiu a secretaria.

O senhor foi convidado para outro posto no governo?
Não.

E se fosse convidado?
Olha, dependeria muito da circunstância, porque você sabe que gato escaldado tem medo de água fria. Então, a gente precisaria pensar duas vezes. Não seria muito agradável trabalhar ali naquele ambiente.

Falta sensibilidade das pessoas lá para com essas necessidades, carências da população, principalmente a parcela mais pobre.

O senhor se arrepende de ter trabalhado no governo?
Não digo que me arrependo porque o trabalho em si é algo dignificante, principalmente com as pessoas mais carentes. Tive lá uma equipe muito boa e pessoas dedicadas e com as quais me dava muito bem, inclusive com a Marina. Foi uma boa experiência, mas frustrante porque não tive o apoio. Falta sensibilidade das pessoas lá para com essas necessidades, carências da população, principalmente a parcela mais pobre, gente de rua, as abandonadas. Às vezes, não é tanto o dinheiro. A alegação do dinheiro não convence.

Por que o senhor só preferiu falar agora sobre esses problemas?

Não estou falando só agora, mas há muito tempo. Digo que trabalhar na Assistência Social em Itabuna é como dar murro em ponta de faca. Então, existe essa alegação da falta de recursos. Realmente a prefeitura chegou a uma verdadeira falência. O prefeito sempre falava em modificações, melhoras. A gente vai esperando, esperando, mas de um tempinho para cá não tínhamos esperança e estava esperando a qualquer momento essa mudança. Eu não tinha ilusão de que iria continuar.

DE SAÍDA, VIEIRA PROMETE DIVULGAR CARTA-BOMBA

Neste momento, o ainda secretário de Saúde de Itabuna, o vice-prefeito Antônio Vieira, participa de reunião tensa no centro administrativo Firmino Alves. A promessa é de que ele divulgará uma carta pública, em instantes, se posicionando sobre os problemas da saúde municipal e não dispensará críticas à escolha do prefeito Capitão Azevedo (DEM) para substituí-lo na Saúde.

A carta será divulgada em instantes, conforme um de seus assessores. Todo o conteúdo da carta será conhecido momentos antes da posse de Geraldo Magela como novo secretário de Saúde.

Magela foi exonerado do cargo de secretário da Saúde de Teixeira de Freitas em setembro de 2010, acusado de promover um rombo nas contas municipais estimado em R$ 8 milhões. Ele nega o rombo e diz que a conta é menor (R$ 3,5 milhões) e seria coberta pelo Estado com recursos para o serviço de cardiologia em Teixeira.

Chamem o bombeiro.

Com informações do Trombone.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia