WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘SEI’

ESTUDO DA SEI APONTA CRESCIMENTO DE 1,1% DA ECONOMIA BAIANA EM 2018

Pinheiro: resultado projeta o que deve ser feito nos próximos 4 anos

O Produto Interno Bruto (PIB) da Bahia encerrou 2018 com crescimento de 1,1%, aponta a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais (SEI), órgão da Secretaria Estadual de Planejamento. O percentual é o mesmo registrado pela economia nacional em igual período, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado positivo é resultado direto da recuperação de dois dos principais setores da economia baiana. A agropecuária cresceu 12,5% e o setor de serviços 0,9%. “No caso do setor de serviços, essa alta deve-se a expansão em volume do comércio (1,4%); das atividades Imobiliárias (1,2%) e da Administração Pública (1,0%)”, aponta o estudo.

O secretário estadual de Planejamento, Walter Pinheiro, considera o dado como uma obrigação de “repensar determinados passos daqui para frente, do ponto de vista do planejamento e ao mesmo tempo uma busca para atração de novos investimentos”.

Para o secretário, é importante olhar o PIB de 2018 numa projeção para o que deverá ser feito nos próximos quatro anos, “a partir do Plano Plurianual, olhando o Plano de Desenvolvimento Integrado Bahia 2035 que está ficando pronto e, ao mesmo tempo, chamando as Secretarias para a gente começar a trabalhar de forma muito integrada”.

BAHIA GERA 1,2 MIL NOVOS EMPREGOS EM JANEIRO

Construção civil foi o setor que apresentou maior saldo positivo no período

A Bahia gerou 1.211 postos de trabalho com carteira assinada em janeiro de 2019, segundo análise feita pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O resultado positivo decorre da diferença entre 48.504 admissões e 47.293 desligamentos. Após criação de 5.547 postos de trabalho em janeiro de 2018, a Bahia exibiu novamente registro positivo. O saldo de janeiro de 2019 foi maior que o resultado de dezembro, quando 11.705 postos de trabalho foram suprimidos, sem as declarações fora do prazo.

Setorialmente, em janeiro, cinco segmentos contabilizaram saldos positivos: Construção Civil (+1.873 postos), Agropecuária (+684 postos), Indústria de Transformação (+391 postos), Extrativa Mineral (+157 postos) e Serviços (+100 postos). Comércio (-1.756 postos), Serviços Industriais de Utilidade Pública (-211 postos) e Administração Pública (-27 postos) eliminaram posições de trabalho com carteira assinada.

Segundo o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro, este resultado comprova a efetividade das políticas públicas de geração de emprego do Governo da Bahia. “Num cenário nacional de crise econômica, a Bahia inicia o ano de 2019 com um importante resultado na geração de postos de trabalho, destacando-se como o único estado do Nordeste com saldo positivo”.

ANÁLISE REGIONAL

Em relação ao saldo de postos de trabalho, a Bahia (+1.211 postos) ocupou a primeira posição dentre os estados nordestinos e a décima primeira dentre os estados brasileiros em janeiro de 2019. No Nordeste, apenas a Bahia registrou saldo positivo. Todos os outros oito estados da região apresentaram desempenho negativo no primeiro mês do ano: Paraíba (-7.845 postos), Pernambuco (-7.242 postos), Alagoas (-5.034 postos), Ceará (-4.982 postos), Piauí (-1.905 postos), Sergipe (-1.757 postos), Maranhão (-1.366 postos) e Rio Grande do Norte (-1.359 postos).

Analisando os dados referentes aos saldos de empregos distribuídos no estado em janeiro de 2019, constata-se perda de emprego na Região Metropolitana de Salvador (RMS) e geração no interior. De forma mais precisa, enquanto na RMS foram encerrados 180 postos de trabalho no primeiro mês do ano, no interior foram geradas 1.391 posições celetistas.

ILHÉUS É 1º MUNICÍPIO DA BAHIA A INSTALAR MARCOS TERRITORIAIS, APÓS REVISÃO DE LIMITES

Técnicos iniciam instalação de marcos territoriais de Ilhéus

Ilhéus é o primeiro município da Bahia a iniciar a instalação de marcos territoriais em consonância com a Lei 12.057, aprovada pela Assembleia Legislativa, que baseou o trabalho de atualização dos limites municipais no estado. O trabalho prático já está sendo executado por técnicos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), acompanhado in loco pelo vice-prefeito de Ilhéus, José Nazal.

Ilhéus possui 60 vértices que constituem o seu memorial descritivo e todos serão visitados e identificados. O município faz divisa com Una, Buerarema, Itabuna, Itajuípe, Coaraci, Itapitanga, Aurelino Leal e Uruçuca. Neste momento, estão sendo instaladas estacas provisórias nas áreas limítrofes mas, em seguida, a Prefeitura irá construir estruturas de concreto, instalar placas sinalizadoras e, por meio de um GPS Geodésico, o IBGE vai oficializar a certificação dos marcos.

ILHEENSES

“A iniciativa facilita a vida do cidadão que passa a saber onde começa e onde termina o seu município”, destaca o vice-prefeito de Ilhéus. “Este trabalho estava previsto após a aprovação da lei e, como ele, evita-se a invasão de município pelo outro, que era uma prática generalizada na Bahia”, completa Manoel Lamartin, pesquisador do IBGE que participa da operação. Logo após às identificações dos limites entre as cidades, Ilhéus também vai realizar o trabalho nos limites dos seus distritos e povoados, informa Nazal.

Todo o trabalho realizado pelo IBGE, SEI e Prefeitura de Ilhéus tem o acompanhamento de representantes dos municípios limites, que testemunham toda a operação. Ilhéus já concluiu a identificação no limite com Aurelino Leal e está em fase final com Uruçuca.

Lamartin destaca ainda que a Bahia é o primeiro estado da federação que está completando o trabalho de atualização dos limites municipais. “É um trabalho pioneiro, com metodologia nossa mas que o IBGE pretende levar como referência para o restante do País”, destaca.

“Seu” Adalgiso, de 92 anos, ao lado de Nazal, agora sabe que mora na área limítrofe de Ilhéus e Uruçuca.

O passo pioneiro que Ilhéus dá, neste momento, deverá ser estendido para todos os 417 municípios da Bahia. “Seu” Adalgiso, com 92 anos, agora sabe que mora bem na linha limítrofe de Ilhéus e Uruçuca. Ele foi um dos entrevistados em 2012, quando foi realizado o primeiro levantamento. Um diretor nacional de Estruturas Territoriais do IBGE estará chegando a Ilhéus nos próximos dias para conhecer de perto a metodologia usada e que será levada para todo o território nacional.

PIB BAIANO CRESCE 4% NO SEGUNDO TRIMESTRE

O Produto Interno Bruto (PIB) baiano cresceu 4% no segundo trimestre, quando comparado com igual período de 2012, superando o índice nacional (3,3%), conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Quando a comparação é feita com o primeiro trimestre do ano, o crescimento é de 2,2%. Já o PIB nacional cresceu 1,5%. Os dados foram divulgados hoje (30) pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI).

Geraldo Reis, diretor da SEI, diz que a evolução do segundo trimestre teve uma grande influência do setor industrial, puxado pela expansão da indústria de transformação. Este setor, segundo Reis, registrou crescimento de 6,5% em comparação ao mesmo período do ano passado.

SEI NEGA PEDIDO A ITABUNA E MAKRO DEVE FICAR NO TERRITÓRIO DE ILHÉUS

Nazal representa Ilhéus nas discussões.

A proposta da Prefeitura de Itabuna de tomar parte do território ilheense onde está situada a loja do Makro, no quilômetro 24 da rodovia Ilhéus-Itabuna (BR-415), foi rebatida pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI). Nesta terça, 8, houve reunião entre representantes da SEI e das prefeituras dos dois municípios, em Salvador, quando a SEI negou o pedido itabunense, conta o Jornal Bahia Online.

Itabuna também quer que os novos limites territoriais avancem até a área próxima à sede regional da Ceplac, no quilômetro 19 da rodovia que integra os dois municípios. O chefe de Gabinete do prefeito Newton Lima, José Nazal, disse ao JBO que Ilhéus não acatará o pedido, que significaria “perda substancial de terras para Itabuna”.

A área vizinha à Ceplac pretendida por Itabuna é tida como estratégica, pois é apontada como área possível para a construção do novo Aeroporto Internacional. E poderia também abrigar a sede da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba) caso a proposta itabunense fosse aprovada.

Após as discussões técnicas, novo embate entre Ilhéus e Itabuna acontecerá na Assembleia Legislativa, que dará a palavra final neste imbróglio que reacende as disputas das décadas de 60 e 70. Ganhará quem tiver mais força política.

OS LIMITES ENTRE ILHÉUS E ITABUNA

Ninguém pense que está morto e enterrado o debate em torno dos limites territoriais entre Ilhéus e Itabuna. Entre o final deste mês e a primeira quinzena de fevereiro, estarão na área técnicos do IBGE e da Superintendência de Estudos Sociais e Econômicos da Bahia (SEI), órgão ligado à Secretaria de Planejamento do Estado. Missão: dirimir todas as dúvidas que possam existir no que diz respeito ao assunto.

As informações colhidas pelos técnicos vão compor um relatório e este será encaminhado à Comissão Especial de Assuntos Territoriais e Emancipação da Assembleia Legislativa da Bahia. Nesta, um dos que têm assento é o deputado Coronel Santana (PTN), aquele que propôs a anexação do bairro ilheense do Salobrinho ao município de Itabuna.

PIB BAIANO CRESCE 7,5% EM 2010

O Produto Interno Bruto (PIB) da Bahia apresentou crescimento de 7,5% no ano passado, sendo a segunda maior expansão da história da economia baiana, segundo divulgou a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI).

A indústria cresceu 8,5%, a agropecuária alcançou 8,4% e o setor de serviços, 6,9%, foram os setores que registraram melhor desempenho na Bahia em 2010.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia