WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
alba





fevereiro 2019
D S T Q Q S S
« jan    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728  

editorias






:: ‘Simões Filho’

MORADOR DE JEQUIÉ FATURA R$ 100 MIL NO NOTA PREMIADA; CONHEÇA OS GANHADORES

Nota Premiada distribui R$ 1 milhão em prêmios por mês

Moradores de Feira de Santana, Jequié, Lauro de Freitas, Luís Eduardo Magalhães, Salvador e Simões Filho foram os ganhadores do quarto sorteio mensal da campanha Nota Premiada Bahia (NPB), ontem (9), de acordo com a Secretaria Estadual da Fazenda. Cada um dos ganhadores vai embolsar R$ 100 mil. Os contemplados da capital moram nos bairros de Marechal Rondon, Jardim das Margaridas, Fazenda Coutos, Liberdade e Rio Vermelho.

Os nomes de todos os ganhadores podem ser conferidos no site da campanha, junto com parte da numeração do CPF. Os contemplados em maio são Carla Jeane Couto Franco, Leonardo Santos de Andrade, Luciana Matos Santa Rita, Luzenilda Lima Maltez do Espírito Santo, Tiago Santos de Jesus, Adiane Reis Brito, Jusciane Machado de Brito, Luciana Silva Santos, Catia Carvalho de Oliveira e Luciene Maria da Silva.

Todos os sorteios baseiam-se nos resultados da Loteria Federal. O programa contava, até ontem (9), com 290,4 mil participantes inscritos no site. Além de estar cadastrado, é preciso incluir o CPF nas compras realizadas em estabelecimentos que emitem a Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e).

Para participar, basta fazer a inscrição no www.notapremiadabahia.ba.gov.br. A partir daí, é preciso solicitar a inclusão do CPF a cada compra realizada em estabelecimentos que emitam a Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica, documento fiscal que possui um QR Code, código de barras com formato quadrado, a popular “quadradinha”.

SOLIDARIEDADE

Os participantes também compartilham suas notas fiscais eletrônicas com 646 instituições beneficentes apoiadas pelo programa Sua Nota é um Show de Solidariedade: quem se cadastra para concorrer aos sorteios deve indicar até duas instituições, uma da área de saúde e outra da área social.

ITABUNA É TERCEIRA NA BAHIA EM NÚMERO DE CASOS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E SEXUAL

Itabuna registra mais de 400 casos de violência doméstica e sexual|| Foto José Nazal

Itabuna ocupa a terceira colocação do ranking estadual de notificações de casos de violência doméstica e sexual neste ano. De acordo com o Sistema de Informação de Agravos de Notificação da Secretaria Estadual de Saúde, foram registradas 404 ocorrências das duas formas de violência no município sul-baiano.

O município de Itabuna só registrou menos casos de violência doméstica e sexual que Feira de Santana e Salvador. Em Feira foram registradas 872 ocorrências das duas formas de violência e na capital outras 2.974.  Outras localidades com grande número de casos são Santo Antônio de Jesus (402), Simões Filho (302), Guanambi (275),  Vitória da Conquista (273), Jequié (252), Eunápolis (232), Ipiaú (223) e Santo Sé (217).

No sul da Bahia, além de Itabuna, casos de violência doméstica e sexual foram notificados em Barro Preto (6), Buerarema (4), Ibicaraí (5), Ilhéus (37), Itajuípe (9), Jussari (3), Pau Brasil (5) e Una (16). Em todo o estado foram 10.273 notificações.

UNICEF APONTA AUMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA ADOLESCENTES EM ILHÉUS

aumenta violência contra jovens em Ilhéus

Aumenta violência contra jovens em Ilhéus || Foto José Nazal

De acordo com o Índice de Homicídios na Adolescência 2014 (IHA), elaborado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), o  índice de letalidade para adolescentes em Ilhéus passou de 4,82, em 2013, para 5,56 em 2014.

O número esperado de mortes na faixa etária de 12 a 18 ficou em 16 pessoas em 2014.  Os dados foram divulgados pelo Unicef nesta quarta-feira (11), em Brasília. O levantamento foi feito em parceria com o Ministério dos Direitos Humanos (MDH), o Observatório de Favelas e o Laboratório de Análise da Violência, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (LAV-Uerj).

MAIS PERIGOSO

O estudo aponta que Eunápolis é o município da Bahia em que o adolescente tem a maior probabilidade de ser assassinado. O IHA do município do extremo-sul foi de 16,89 para cada mil pessoas na faixa etária de 12 a 18 anos. Eunápolis tinha pouco mais de 13 mil moradores nessa faixa etária.

O segundo pior índice foi de Simões Filho, com estimativa de 14,76 mortes para cada mil adolescentes. Outro município perigoso para menores é Lauro de Freitas, que ficou com índice de 13,89 mortes. Na sequência aparece Porto Seguro, com número total esperado de 12,19 óbitos.

Os municípios apontados como menos violentos são Juazeiro (1,33), Barreiras (2,94) e Santo Antônio de Jesus (3,18).  Os demais municípios baianos incluídos pesquisa foram Alagoinhas (7,32),  Camaçari (10,64); Feira de Santana e Itabuna (veja no post sobre Itabuna),  Jequié (4,53), Paulo Afonso (3,33), Teixeira de Freitas (7,64).

IBGE: ITABUNA ATINGE 221 MIL HABITANTES; ILHÉUS REGISTRA NOVA QUEDA

Itabuna tem mais de 221 mil habitantes; Ilhéus cai para 176 mil moradores

Itabuna tem mais de 221 mil habitantes; Ilhéus cai para 176 mil moradores

Maior município do sul da Bahia em número de habitantes, Itabuna manteve ritmo de crescimento populacional nos últimos 12 meses. Já Ilhéus, continua em queda acentuada, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

O órgão federal divulgou hoje (30) as novas estimativas populacionais. Os números são utilizados para definir políticas públicas e repasses constitucionais, a exemplo do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), principal fonte de receita da maioria dos municípios brasileiros.

Segundo o IBGE, Itabuna chega a 221.046 habitantes. Eram 220.386 no ano passado. Com esse ritmo, caiu da quinta para a sexta posição dentre os mais populosos do Estado, superado por Juazeiro (220.253 ano passado e 221.773 agora). Localizado no Vale do São Francisco, o município sempre aparece entre os campões de geração de empregos no Brasil nos últimos anos.

ILHÉUS EM QUEDA

Panorâmica de Coaraci, no sul da Bahia || Imagem Infosaj

Coaraci, no sul da Bahia || Imagem Infosaj

Ilhéus tinha 180.213 habitantes em 2015, caiu para 178.210 no ano passado. E manteve ritmo de queda populacional, chegando a 176.341 moradores em 2017, conforme cruzamento de dados feito pelo PIMENTA.

Mais da metade dos municípios do centro-sul e do extremo-sul da Bahia acompanhou Ilhéus e registrou decréscimo populacional, conforme as estimativas oficiais.

Santa Luzia está entre as quedas significativas na região. Caiu de 13.508 para 13.398 habitantes entre 2016 e 2017. Coaraci está à frente, no quesito, com redução de 19.383 para 19.022 agora.

SALVADOR É 4ª MAIS POPULOSA

Salvador é quarta cidade mais populosa do país || Foto GovBA

Salvador é quarta cidade mais populosa do país || Foto GovBA

A estimativa do IBGE também aponta que Salvador se mantém como a quarta capital mais populosa do país, com 2.953.986 habitantes. Feira de Santana é o segundo município baiano (627.477). Vitória da Conquista 346.069 saltou de para 348.718. Quarta maior, Camaçari saiu de 292.074 para 296.893 moradores.

Ainda segundo o IBGE, o Brasil superou a marca de 207,6 milhões de habitantes em 2017. A Bahia chegou a 15.344.447 moradores ante 15.276.566 em 2016.

OS MAIS POPULOSOS DA BAHIA*

1º Salvador – 2.953.986
2º Feira de Santana – 627.477
3º Vitória da Conquista – 348.718
4º Camaçari – 296.893
5º Juazeiro – 221.773
6º Itabuna – 221.046
7º Lauro de Freitas – 197.636
8º Ilhéus – 176.341
9º Jequié – 162.209
10º Teixeira de Freitas – 161.690
11º Barreiras – 157.638
12º Porto Seguro – 149.324
13º Simões Filho – 136.050
14º Paulo Afonso – 120.706
15º Eunápolis – 115.290
16º Santo Antônio de Jesus – 103.342

_______________________________________
* Fonte: IBGE (Estimativa populacional)
Ubaitaba é dos municípios que tiveram decréscimo populacional || Foto Aleilton Oliveira

Ubaitaba é dos municípios que tiveram decréscimo populacional || Foto Aleilton Oliveira

POPULAÇÃO (CENTRO-SUL E EXTREMO-SUL)

Almadina – 6.062 (2016) | 5.985 (2017) –
Arataca – 11.697 | 11.661 –
Aurelino Leal – 12.891 | 12.706 –
Barra do Rocha – 6.338 | 6.258 –
Barro Preto – 6.367 | 6.251 –
Belmonte – 23.891 | 24.013 +
Buerarema – 19.269 | 19.256 –
Camacan – 33.257 | 33.310 +
Camamu – 36.543 | 36.644 +
Canavieiras – 33.130 | 33.002 –
Caravelas – 22.646 | 22.740 +
Coaraci – 19.383 | 19.022 –
Dário Meira – 11.864 | 11.716 –
Eunápolis – 114.275 | 115.290 +
Firmino Alves – 5.804 | 5.822 –
Floresta Azul – 11.279 | 11.244 –

Clique no leia mais e confira os dados dos demais municípios :: LEIA MAIS »

ITABUNA GERA NOVOS EMPREGOS EM 2016; ILHÉUS FECHA 1,1 MIL POSTOS DE TRABALHO

Oportunidades na área de telemarketing puxaram resultado positivo (Foto Reprodução).

Oportunidades na área de telemarketing puxaram resultado positivo (Foto Reprodução).

Puxado pelos setores de serviços e indústria de transformação, Itabuna fechou 2016 com saldo positivo de empregos com carteira assinada. O município criou 165 novos postos de trabalho no período, de acordo com o Ministério do Trabalho. O cenário difere de 2015, quando houve corte de 1.788 vagas de emprego.

O setor de serviços criou 803 novas vagas, maior saldo em 2016, seguido pela indústria de transformação, com 449 novos postos de trabalho. A área de serviços poderia fechar o ano ainda melhor se não fosse dezembro, porém encerrou com saldo negativo de 157 vagas.

Individualmente, a empresa campeã em geração de novos empregos no ano passado foi a Tel Centro de Contatos, empreendimento da área de call center que começou a se instalar em Itabuna no segundo semestre de 2015. A Tel abriu cerca de 1,3 mil empregos somente em 2016 em suas bases na região do São Caetano e na Avenida J.S. Pinheiro.

Reflexo ainda da crise na economia nacional, o comércio itabunense fechou 592 postos de trabalho. Nos últimos dois anos, este setor cortou 1.097 vagas de emprego com carteira, sendo 505 em 2015.

Outros setores também fecharam 2016 com saldo negativo – construção civil (-272) e agropecuária (-186).

Encerrar 2016 no azul no item geração de empregos faz com que Itabuna se insira em grupo de poucos municípios baianos que conseguiram este feito no período. Juazeiro criou mais de 1,9 mil empregos no ano passado. Além deles, Eunápolis também encerrou período no azul, conforme levantamento feito pelo PIMENTA.

ILHÉUS CORTA 1,1 MIL EMPREGOS

empregoO desempenho da economia ilheense no ano passado foi em direção oposta à de Itabuna. Houve corte de 1.143 vagas com carteira assinada. No período de 12 meses, o segundo maior município sul-baiano gerou 6.980 empregos e registrou 8.123 desligamentos.

Todos os principais setores da economia de Ilhéus fecharam no negativo, com destaque para a área de serviços, com o saldo negativo de 495 vagas.

O comércio fechou 177 postos de trabalho e a indústria cortou outros 174. A indústria, que sempre teve forte peso no Produto Interno Bruto (PIB) ilheense, apresentou saldo negativo de 111 vagas.

A retração no setor industrial na Terra de Gabriela nos últimos 10 anos fez com que Itabuna a ultrapassasse em relação ao PIB.

DESEMPENHO DOS 15 MAIS POPULOSOS DA BA

Juazeiro | + 1.956 vagas

Eunápolis | + 336 vagas

Itabuna | + 165 vagas

Porto Seguro | -78 vagas

Jequié | -308 vagas

Santo Antônio de Jesus |-521 vagas

Teixeira de Freitas | -586 vagas

Vitória da Conquista |  – 1.080 vagas vagas

Ilhéus | -1.143 vagas

Barreiras | -1.347 vagas

Simões Filho | -1.699

Camaçari | -5.437 vagas

Feira de Santana | -5.924 vagas

Lauro de Freitas | -13.918 vagas

Salvador | -25.000 vagas

MASTER ADIADO PARA NOVEMBRO

A comissão organizadora e a Federação Baiana de Handebol (FBHb) adiaram para 15 de novembro a quinta edição do Torneio Master de Handebol de Itabuna, antes previsto para este final de semana, na Vila Olímpica.

O adiamento tem a ver com a saúde da professora Júvia Dantas, organizadora da competição. As equipes do Olímpicos e de Simões Filho confirmaram participação no Master, em novembro (dias 15, 16 e 17).

UNIVERSO PARALELO

MANCHETE: MORRE O FUNDADOR DE A TARDE

Ousarme Citoaian | ousarmecitoaian@yahoo.com.br

1Um século de jornalismoRecebi o belo trabalho da Solisluna Editora/2012, Um século de jornalismo na Bahia, indispensável para quem quiser conhecer a história baiana, tendo como pano de fundo o matutino A Tarde. Curioso, colhi várias expressões referentes ao velho jornal, e que aqui exponho: … feição principal d´A Tarde, … editando A Tarde, … o fundador de A Tarde, … na sua sala em A Tarde, … estreia de A Tarde, … primeiro decênio de A Tarde, … anunciou A Tarde, noticia A Tarde, … registra A Tarde, … dedicou A Tarde, … matéria de A Tarde – e, para encerrar a lista, a manchete principal de 25 de novembro de 1957, sobre a morte de Simões Filho, tratado como … fundador de A Tarde.

________________

Comer o salsinha e estudar no Piedade

“E por que essa procura aparentemente insana?” – indagariam, em uníssono, a gentil leitora e o atônito leitor. Pois eu lhes explico, em feitio daquele psicanalista tido como vienense, mas que nasceu na Checoslováquia: eu procurava, em tão alentado volume, alguma coisa que justificasse chamar a veneranda publicação de “o A Tarde”, conforme vejo (e me arrepio!) com frequência na mídia regional. Não sei de onde vem a invenção, mas de A Tarde, com certeza, não é. Chamar o A Tarde (ou o A Gazeta, o A Região, o Folha de S. Paulo) remete à anedota do alemão que diz “o salsicha”. Já contei aqui: vi jornalista tratar o Instituto Nossa Senhora da Piedade como… o Piedade. Pode?

_______________

Não mais se pode resistir aos bárbaros

3Carlos RibeiroAo encerrar esta coluna, surpreendeu-me uma estranha chamada de primeira página (que eles agora chamam de capa!) no referido diário: “Em entrevista ao A Tarde, o deputado federal e ex-boxeador Popó…”. Em suma, gastei tempo e latim para demonstrar meu respeito pelo velho jornal, enquanto seus jovens redatores e editores faziam, para citar um lugar-comum, as ossadas de Simões Filho, Ranulpho Oliveira e Jorge Calmon dar cambalhotas na tumba. O jornalista e escritor Carlos Ribeiro (foto), autor do cuidadoso texto de Um século de jornalismo…, foi acometido de um ataque de urticária e uma certeza: diante da invasão dos bárbaros, não há mais resistência possível.

COMENTE» |

GILBERTO FREIRE E O AMOR AO PICILONE

O sociólogo Gilberto Freire (1900-1987), aquele do clássico Casa grande & senzala, parecia se ter em grande conta. Vaidoso de sua origem e formação, não admitia, por exemplo, ter o nome grafado como acabo de fazê-lo (de acordo com as regras da ortografia): queria que fosse Freyre – e chegou a publicar laudatório artigo no Diário de Pernambuco, para explicar esse exacerbado apego ao picilone. É curiosa a tendência brasileira de escrever nomes próprios de variadas formas, sem atentar para o que diz a norma. Eu me sinto confuso quanto ao ípsilon de Freyre e de Ruy (nome frequente na Bahia), mas acho que agora pode, pois tal letra está de volta com o Acordo Ortográfico.
______________
Bahia de Gregório a Ariovaldo “Mattos”
Ariovaldo MatosPor aqui nós gostamos muito também das consoantes dobradas, uma excrescência do ponto de vista da ortografia: conheço Vianna, Joanna, Mello, Castello, Zagallo, Netto – e por aí vai. Na Bahia parece haver um acordo tácito, pois todo Matos de que tenho notícia grafa seu nome como Mattos, mesmo que não se veja nenhum motivo para isso. De famosos a nem tanto, passando pelos meramente anônimos, cito de memória Gregório (aquele mesmo, o Boca do Inferno), Cyro, Florisvaldo, Rogério, Julivânia e Humberto, todos Mattos. A exceção, nem sempre observada, é Ariovaldo Matos – que, devido ao hábito, muita gente boa chama de Ariovaldo Mattos.
______________
“Eras real, um homem verdadeiro”
Querido e respeitado, Ariovaldo (1926-1988) ganhou do seu quase homônimo colega Florisvaldo Mattos soneto clássico, decassilábico, de bela tessitura, que releio em Caligrafia do soluço: “Nem (abra-se o caderno do passado)/ se fôssemos parentes saberias/ o que guardava-me a mente a teu lado/ pelo correr das noites e dos dias, # quando, sôfrego, à máquina escrevias/ páginas de um jornal – ou quase um brado/ que ia e voltava a teu convívio, alado/ tropel sobre impassíveis geografias. # Como decifrador de calendários,/ a batalha dos signos açulava-te/ a matilha de ventos operários. # Eras real, um homem verdadeiro./ Mais não pude guardar, se o que eu sonhava/ era ser aprendiz de feiticeiro”.

BETTY CARTER: O “SUCESSO” APÓS 40 ANOS

7Charlie ParkerSe existe jazz puro, deve chamar-se Betty Carter (1930-1998). Menina, em Detroit, ela foi convidada a se apresentar ao lado de famoso jazzman que passava por ali, e não se fez de rogada – antes, alterou os documentos, pois era muito novinha. Mais tarde, vendo-a melhor, o mesmo astro (nada menos do que Charlie Parker) foi direto: “Você vai demorar a alcançar o topo, por ser inflexível”. Bird foi profético: Betty Carter se manteve intransigente com relação à sua música, e só quarenta anos depois foi reconhecida pela crítica  como o mais puro estilo vocal do jazz de todos os tempos – com o aval de Carmen McRae, numa frase dura: “É a única de nós que não se prostituiu”.
_______________

Grande melodia, mas versos medíocres

How high the moon teve gravações de Ella Fitzgerald, Benny Goodman, Dave Brubeck, Harry James, Sarah Vaughan, Armstrong, Ellington, Chet Baker, Gloria Gaynor, Nat King Cole, Stan Kenton, Errol Garner – e mais. É a fórmula americana, de boa melodia em letra medíocre: depois de dizer que em “algum lugar existe música” (somewhere there’s music) e “em algum lugar é o céu” (somewhere there’s heaven) conclui-se que “a lua é muito alta” – enfim, uma coisa ininteligível para quem não é especialista nessa língua de barbares. Na companhia de Hank Jones (piano), Christian McBride (baixo), Hoy Hargrove (trompete) e Al Foster (bateria), Betty Carter mostra sua leitura da canção famosa.

(O.C.)

PF DEFLAGRA OPERAÇÃO EM SIMÕES FILHO

A Polícia Federal deflagrou operação na manhã desta terça, 26, na Prefeitura de Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador. Vários documentos foram apreendidos em secretarias municipais. O trabalho é acompanhado pelo vice-prefeito Manuel Almeida, segundo o jornal A Tarde. O prefeito Eduardo Alencar, irmão do vice-governador Otto Alencar, não está no prédio municipal.

A operação da PF também é realizada em um prédio na Pituba, em Salvador. As primeiras informações apontam para crimes contra a Previdência Social. A prefeitura suspendeu o expediente por causa da operação da Federal.

MAPA DA VIOLÊNCIA: ITABUNA É 4º MAIS VIOLENTO PARA JOVENS NO BRASIL

O Mapa da Violência divulgado ontem pelo Instituto Sangari e Ministério da Justiça mostra Itabuna entre os quatro municípios mais violentos para jovens de até 19 anos em todo o País.

O levantamento utiliza dados de 2010 e o município sul-baiano aparece com taxa de 85,7 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes. A divulgação dos dados por faixa etária ocorreu na véspera da Caminhada pela Paz em Itabuna, que ocorre nesta manhã, com saída do Jardim do Ó, às 11h.

Outro município baiano, Simões Filho, é o campeão em violência nesta faixa etária. Situado na Região Metropolitana de Salvador, Simões Filho apresenta taxa de 134,4 homicídios para cada 100 mil habitantes. O estado tem 17 municípios entre os mais violentos para os jovens no País.

BANCÁRIO SE DÁ MAL APÓS USAR CARTÃO DE CLIENTE

Um funcionário da Caixa Econômica Federal na cidade de Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador, perdeu o emprego e se tornou réu em uma processo por crime contra a administração pública. Motivo: aproveitou-se do descuido de uma cliente, que se esqueceu de retirar o cartão na agência, e ativou o instrumento utilizado para movimentação de conta e pagamento de despesas.

O funcionário, cujo nome é mantido em sigilo, passou a usar o cartão da vítima sem dó nem piedade. A maioria das despesas era feita para bancar uma amante, e foi aí que o barraco desabou. Ao descobrir que o marido pulava cerca e ainda fazia cortesia com o chapéu alheio, a esposa denunciou o espertinho.

Além de levar o fato ao conhecimento do Ministério Público Federal, a mulher o também comunicou a malandragem à titular da conta. O total de despesas realizadas pelo bancário-larápio chegou a R$ 129 mil.

A CAPITAL DA MORTE

O nada honroso título  à cidade de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador, foi dado pela Folha de São Paulo, edição impressa desta segunda-feira, 26, em matéria requentada que tem como base o Mapa da Violência 2012 elaborado pelo Instituto Sangari e Ministério da Justiça e divulgado em dezembro passado.

A cidade  baiana é apontada como a mais perigosa e violenta do País. Na média, entre 2008 e 2010, o município teve 146 homicídios por 100 mil habitantes. O prefeito José Eduardo Alencar (PSD), irmão do vice-governador Otto Alencar, apesar de já ter rebatido o estudo, dessa vez preferiu não dar entrevista, segundo relata o texto do jornal.

O mesmo estudo colocou Itabuna como a oitava cidade mais violenta em todo o País.

ITABUNA ESTÁ ENTRE OS DEZ MUNICÍPIOS MAIS VIOLENTOS DO PAÍS

O Mapa da Violência 2011 foi divulgado nesta quarta-feira (14) e traz Itabuna entre os dez municípios mais violentos do Brasil. Os dados apurados pela Instituto Sangari e o Ministério da Justiça são de 2009. O município sulbaiano aparece em oitavo na lista liderada por Simões Filho, localizado na Região Metropolitana de Salvador.

Simões Filho aparece com taxa de 146,4 homicídios por 100 mil habitantes, quando o aceitável é 10 mortes violentas para cada grupo de 100 mil habitantes. Itabuna aparece com taxa 103,9. Porto Seguro, no extremo-sul, apresentou 108,3 e aparece em quinto lugar. O Mapa apresenta a Bahia com a maior taxa de homicídios e o maior número de municípios entre os 50 mais violentos do Nordeste brasileiro.

SIMÕES FILHO LEVA 3º MASTER DE HANDEBOL

Simões Filho (de verde) e Olímpicos recebem troféus pelo título e vice-campeonato (Foto Pimenta).

Simões Filho foi campeão do terceiro Torneio Master de Handebol de Itabuna, ontem, ao bater o Olímpicos, de Salvador, por 23 a 22. Disputada na Vila Olímpica, a competição reuniu ainda equipes de Itabuna, no masculino e feminino, e representante de Ibicaraí.

Itabuna, representado por atletas da seleção local, ficou com a terceira colocação ao vencer Ibicaraí, mas perder para os times finalistas. Os jogos ocorreram no sábado e no domingo e atraíram velhos e novos adeptos de um dos esportes de quadra mais praticados no Brasil.

Júvia, a homenageada, fala de quase 40 anos de handebol no sul da Bahia (Foto Pimenta).

A edição do Master deste ano prestou homenagem à professora Júvia Dantas, considerada a precursora do handebol no sul da Bahia e idealizadora da competição que atrai as melhores equipes masters da Bahia a Itabuna.

Júvia ficou emocionada com o sucesso do evento e a reunião de alunos das décadas de 80 e 90 para homenageá-la.

Eliana Santos, da coordenação do evento, ressaltou o nível da competição e que ideia pioneira servirá de referência no estado. “A partir do master de Itabuna, o primeiro da Bahia, a ideia começa a ser disseminada e Salvador também promoverá competição nesta categoria”, afirma. O torneio na capital baiana será realizado em 2012.

A edição deste ano teve o apoio do PIMENTA, Costha Fera, Grill a Kilo,Granja Cantagalo, Laticínios Boa Hora, Pro-recargas, Itapac, Digital News, Agora, Diário Bahia, TV Santa Cruz, TV Cabrália, Padaria Le&Gi, Panificadora Alternativa e Secretaria Municipal de Esporte. Clique no leia mais e confira lances da competição.

:: LEIA MAIS »

ITABUNA SOBE DE 11ª PARA 3ª MAIS VIOLENTA DO BRASIL PARA JOVENS

– Cidade é a 13ª mais violenta do país
se consideradas todas as faixas etárias

– Salvador aparece na 21ª posição no ranking da morte

 

Itabuna está entre as campeãs da violência, mas Estado vira as costas!!!

Em primeira mão

No intervalo de apenas um ano, Itabuna saltou de 11ª para 3ª cidade mais violenta do Brasil quando considerado o número de homicídios entre jovens na faixa de 15 a 24 anos em 2008 (confira o resultado do estudo de 2007). É o que revela o mais novo Mapa da Violência feito pelo pesquisador Júlio Jacobo, Instituto Sangari e Ministério da Justiça.

Conforme o estudo, o município registrou 92 assassinatos em que as vítimas eram jovens na faixa etária de 15 e 24 anos de idade. Maceió (AL) lidera o ranking de mortes violentas nessa faixa etária, seguido pela capixaba Serra.

O mapa da violência também traz em destaque no ranking as baianas Simões Filho (5ª posição), Lauro de Freitas (9ª), Porto Seguro (14ª), Salvador (21ª) e Eunápolis (22ª). Ilhéus aparece na 61ª colocação na relação das mais violentas para jovens de 15 a 24 anos.

A posição de Itabuna no ranking “melhora” quando comparados os dados envolvendo todas as faixas etárias. Neste caso, a cidade situa-se como a 13ª mais violenta do país. Simões Filho, na região metropolitana de Salvador, é a 2ª mais violenta do Brasil, conforme o estudo.

Lauro de Freitas aparece na 16ª colocação, seguida por Porto Seguro (17ª).  Eunápolis aparece na 24ª posição. Itabuna, Porto e Eunápolis estão situadas na região sul da Bahia. Simões Filho e Lauro de Freitas, na região metropolitana.

O pesquisador Júlio Jacobo, autor do estudo, diz que ocorre uma desconcentração da violência das regiões mais ricas do país para o Nordeste. Segundo ele, o nordeste enfrenta uma maré positiva de geração de emprego e renda, mas sem a estrutura de segurança pública.

Confira ainda: ITABUNA SUPERA MÉDIA DE HOMICÍDIOS DE SALVADOR






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia