WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

editorias






:: ‘Simpi’

ANORINA TENSIONA RELAÇÃO COM PROFESSORES E DIZ QUE GREVE É “INTEMPESTIVA”

Anorina disse estranhar postura do Simpi

A greve dos professores da rede municipal de Itabuna chega ao sexto dia com mais uma guerra verbal entre o sindicato da categoria e a secretária de Educação, Anorina Smith Lima. A titular da Pasta classifica a greve dos professores como “intempestiva” (inoportuna), dias após afirmar que a paralisação era exagerada.

A secretária também contesta a versão da presidente do Simpi, Carminha Oliveira, e aponta que a greve tem adesão bem menor que os 90% citados pela dirigente sindical.

De acordo com Anorina, 29 escolas na área urbana estão funcionando normalmente e 16 parcialmente. Apenas 25 escolas aderiram integralmente à paralisação, conforme números divulgados pela secretária. No campo, conforme o município, 12 estão em pleno funcionamento e 8 aderiram de forma integral à paralisação.

A secretária foi ainda mais incisiva e lançou suspeitas quanto ao comportamento do sindicato. Por meio de sua assessoria, Anorina disse “estranhar a postura assumida pelo Sindicato, porque, nos anos de 2014 e 2015, o um terço de férias foram pagos no mês de abril de cada ano”.

Ela ainda apontou que já em 2016 “a categoria aceitou a negociação do sindicato com o governo, sendo o parcelamento de um terço de férias de duas vezes, realizados no mês de junho”.

OUTRO LADO

O site procurou a direção do Simpi. Professora Carminha não poderia falar, porque participa de reunião do Conselho Municipal de Educação. Deverá se pronunciar assim que deixar o compromisso. O Sindicato fez nova atualização e informou que a adesão da categoria à greve mantém-se em 90%. Em algumas das escolas, monitores e diretores estavam em sala dando aula, o que é proibido, de acordo com o Simpi.

GREVE DOS PROFESSORES ATINGE 95% DE ADESÃO, APONTA DIREÇÃO DO SIMPI

Greve dos professores tem 95% de adesão, segundo Simpi

A greve dos professores chegou a 95% de adesão em toda a rede municipal, segundo a presidente do Simpi, Carminha Oliveira. A paralisação por tempo indeterminado começou nesta sexta (9), seguindo decisão tomada em assembleia na última segunda (5). Os educadores cobram pagamento integral do terço de férias e fornecimento dos vales-transporte.

“Propomos várias tentativas de negociação com o Governo, depois de muita pressão eles apresentaram uma proposta de pagamento parcelado. A categoria está cansada de tantos prejuízos e desrespeitos”, afirma Carminha Oliveira.

Segundo a dirigente, 95% das unidades escolares fecharam as portas na manhã desta sexta-feira. “As poucas escolas abertas funcionaram em regime parcial e com o quadro desfalcado”, completou.

A secretária de Educação de Itabuna, Anorina Smith Lima, considerou “exagero” a deflagração de greve por tempo indeterminado. A declaração ocorreu em entrevista à TV Cabrália. Segundo ela, foi apresentado aos professores a proposta de parcelamento da gratificação salarial em duas vezes. Prometida para dia 15, a primeira parcela foi depositada hoje. A categoria cobra o pagamento integral.

LÚCIA OLIVEIRA: DECISÃO DE FERNANDO ATINGE SINDICATOS LIGADOS AO PCdoB

Lúcia Oliveira foi fechado ao completar 80 anos (Foto Divulgação).

Lúcia Oliveira foi fechado em um período em que completava 8 anos (Arquivo).

O prefeito Fernando Gomes determinou a desocupação do prédio onde funcionou por décadas o Grupo Escolar Lúcia Oliveira. O imóvel estava sendo as sedes dos sindicatos dos Servidores e Funcionários Públicos Municipais (Sindserv) e dos Agentes Comunitários e de Combate às Endemias (SindiAcs/ACE), além dos Comerciários. O prazo para desocupação teria sido encerrado na última sexta (27).

A justificativa do prefeito é de que se trata de um imóvel tombado pelo município, cabendo a ele “a responsabilidade por sua manutenção e conservação”. O Grupo Escolar Lúcia Oliveira pertencia à rede estadual até o início da década passada, quando foi municipalizado (2004). Já em 2015, o município desativou a unidade de ensino por falta de alunos e necessidade de reestruturação da rede escolar.

Quando repassado aos sindicatos, as entidades assumiram compromisso de reparos na estrutura física, que ameaçava desabar. “A iniciativa do prefeito de solicitar a desocupação do espaço tem o apoio de cidadãos de Itabuna, muitos, inclusive, ex-alunos que frequentaram a Escola, que foi a primeira Escola Pública construída no município”, afirmou a secretária de Educação de Itabuna, Anorina Lima. A desativação ocorreu quando o grupo escolar completava 80 anos.

SINDICALISMO E POLÍTICA PARTIDÁRIA

A decisão é vista como tendo carga política. Sindicalista do PSDB, Anorina milita em campo político oposto aos sindicatos atingidos pela decisão, os três comandados por dirigentes filiados ou ligados ao PCdoB do ex-vice-prefeito Wenceslau Júnior. No campo educacional, Anorina foi a responsável pela criação do Sindicato do Magistério Público Municipal (Simpi), nos anos 2000, atingindo, desta vez, a API/APLB-Sindicato, este comandado pelo PCdoB e pelo PT à época.

NA GUERRA, O ENIGMA

interrogaçãoNos últimos dias, prefeitura e sindicato dos professores promovem guerra de carro de som em Itabuna.

A prefeitura anunciava o fim da greve na educação, enquanto os carros contratados pelo sindicato comunicavam a continuidade da paralisação, apesar da decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT5).

A mensagem dirigida pelos Simpi aos associados chamou a atenção pelo “arremate”:

– Professor, verás que um filho teu não foge à luta.

 

GREVE DOS PROFESSORES DE ITABUNA PODE ACABAR HOJE

O Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (TRT 5) decidirá hoje à tarde (29) o percentual de reajuste dos professores da rede municipal de Itabuna no julgamento de dissídio. Os professores pedem 13,01% de reajuste, enquanto o município oferece 8%.

Uma audiência de conciliação no último dia 8, no TRT, terminou sem acordo. O Ministério Público do Trabalho chegou a propor 9% de reajuste, mas a proposta não foi aceita.

A greve dos professores começou em 21 de maio. A paralisação é considerada a mais radical da história de Itabuna. Com menos de vinte dias de movimento paredista, sindicalistas ocuparam o gabinete do prefeito Claudevane Leite e, um dia depois, fecharam o Centro Administrativo Firmino Alves. O sindicato da categoria, o Simpi, foi obrigado, por decisão judicial, a desocupar o prédio.

CAVALCANTE DIZ QUE “SEMPRE” APOIOU OS PROFESSORES

Cavalcante recua e diz que sempre apoiou professores (Foto Pimenta).

Cavalcante recua e diz que sempre apoiou professores (Foto Pimenta).

Em nota encaminhada ao Pimenta, o vereador Antônio Cavalcante (PMDB) afirma que foi mal interpretado quando se manifestou sobre a greve dos professores da rede municipal de Itabuna.

Cavalcante diz que em momento algum teria declarado que a greve da categoria perdeu o sentido a partir do momento em que a decisão passou a depender da justiça.

Uma audiência entre a Prefeitura e o Sindicato do Magistério Público Municipal de Itabuna (Simpi) está marcada para o próximo dia 29.

O vereador afirma que sempre apoiou os professores e considera “totalmente justas” as reivindicações do Simpi. O sindicato pleiteia uma reposição salarial de 13,01% para os educadores dos níveis 2 e 3.

O peemedebista lembra ainda que votou a favor da suplementação orçamentária solicitada pelo Executivo para assegurar a melhoria salarial do magistério.

PARA CAVALCANTE, GREVE DOS PROFESSORES PERDEU SENTIDO

Cavalcante critica comando de greve (Foto Pimenta).

Cavalcante critica comando de greve (Foto Pimenta).

O vereador Antônio Cavalcante (PMDB) fez um apelo ao Sindicato do Magistério Público Municipal de Itabuna (Simpi). Para o parlamentar, a greve decretada pela entidade que representa os professores perdeu o sentido.

Cavalcante argumentou que, como o impasse entre a Prefeitura e o Simpi será decidido pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em audiência marcada para o próximo dia 29, o mais correto seria os professores retornarem às salas de aula enquanto aguardam o pronunciamento do judiciário.

“Não faz sentido continuar prejudicando os estudantes, que sofrerão com o atraso do ano letivo”, declarou Cavalcante. Segundo ele, como instrumento de pressão, a greve deixa de ter fundamento quando a decisão passa para a esfera judicial.

O Simpi reivindica um aumento de 13,01% para os professores dos níveis 2 e 3 (aqueles que possuem curso superior e pós-graduação). A Prefeitura ofereceu como contraproposta um reajuste de 8%, que, de acordo com o prefeito Claudevane Leite, é o valor máximo diante da capacidade financeira do município.

“CHEGAMOS AO NOSSO LIMITE”, DIZ VANE SOBRE REAJUSTE DE 8% A PROFESSORES

Vane em audiência no TRT (Foto Alessandra Lori).

Vane em audiência no TRT (Foto Alessandra Lori).

Os professores da rede municipal em Itabuna estão em greve há 19 dias. A categoria cobra reajuste de 13,01% para os níveis II e III, mesmo percentual assegurado aos profissionais que recebem o piso nacional. O governo oferece 8% e cita risco de comprometer pagamento em dia dos salários, se conceder reajuste maior.

Ontem, não houve avanço nas negociações entre governo e professores, desta vez em audiência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Salvador. O avanço foi a antecipação dos 3% da segunda parcela, de novembro para setembro.

O esforço pode ter sido em vão. A diretoria do sindicato dos professores municipais, o Simpi, antecipou-se à assembleia da categoria, marcada para amanhã, e disse que a greve continuará, pelo menos, até dia 29 de junho, quando ocorrerá nova audiência no TRT. Conversamos com o prefeito Claudevane Leite (Vane do Renascer), por telefone. Confira trechos:

BLOG PIMENTA – O senhor diria que houve avanço na audiência com os professores no TRT?

VANE DO RENASCER – Nós estamos dando o máximo possível de reajuste, com 5% retroativo a abril, e antecipamos para setembro os 3% da segunda parcela, que seriam pagos em novembro. Chegamos aos 8%, que é nosso limite máximo. O sindicato ficou de analisar em assembleia [na quarta]. Nenhuma prefeitura do porte de Itabuna está dando 8% de reajuste. A gente está vendo estados ricos, como Rio Grande do Sul, dando só 3%. Nem a Bahia deu 8%.

PIMENTA – Não há como conceder maior reajuste, 8% é o teto?

VANE – Nós pegamos a prefeitura com 83% da arrecadação comprometida com a folha, baixamos para 63%, mas estamos ainda acima do limite da Lei [de Responsabilidade Fiscal], 54%. A folha diminuiu em 20% sem o governo demitir. Reduzi meu salário, salário de secretários e não houve reajuste de comissionados, cortamos o número de cargos comissionados. Agora, saímos de 0% para 6,41% de reajuste, depois 7% e chegamos a nosso limite máximo, que é 8%, para os professores.

PIMENTA – A arrecadação não aumentou?

VANE – Reduzimos o peso da folha, mas nossa arrecadação não aumentou nem diminui. As despesas, o custeio aumentaram. A arrecadação não acompanhou essa demanda.

PIMENTA – O senhor acredita em fim da greve com essa antecipação da segunda parcela?

VANE – Cheguei ao nosso limite com os 8% e a antecipação da segunda parcela de reajuste. Esperamos que os professores retornem. Do contrário, a decisão será com o Tribunal Regional do Trabalho, no dia 29 de junho. A gente espera que os professores se sensibilizem. Nós temos uma crise instalada no país. Basta lembrar como pegamos a prefeitura e ainda tem essa crise nacional. A previsão é de queda na arrecadação em junho, o que dificulta ainda mais um reajuste maior. Apelamos aos professores para que vejam nosso esforço e o prejuízo social que são esses mais de 20 mil alunos sem aula.

PIMENTA – A ocupação de gabinete e fechamento da prefeitura dificultaram as negociações?

VANE – Olhe, nós ficamos preocupados e tristes. Tínhamos escolas funcionando, não aderindo à greve. O sindicato foi para cima e fechou, mas o cúmulo foi o fechamento do centro administrativo. Não prejudicaram só o governo, prejudicaram a sociedade. A prefeitura deixou de arrecadar, de atender, de fazer licitação. Foi um ato inconsequente. Estamos preocupados com o prejuízo social e estamos abertos ao diálogo.

PREFEITURA TEM EXPEDIENTE NORMAL, APÓS DESOCUPAÇÃO DE PRÉDIO

Prefeitura funciona normalmente, após desocupação de prédio.

Prefeitura funciona normalmente, após desocupação de prédio.

A Prefeitura de Itabuna funciona em expediente normal nesta sexta-feira (5), após a desocupação do Centro Administrativo Firmino Alves por um grupo de professores liderado pelo sindicato da categoria. As liminares da Justiça Comum e da Justiça do Trabalho foram cumpridas nesta manhã.

De acordo com a Secretaria de Comunicação, os serviços públicos fornecidos aos cidadãos foram retomados normalmente hoje. O sindicato dos professores, o Simpi, foi notificado por dois oficiais de Justiça no início da noite de ontem.

Os professores ocupavam o gabinete do prefeito Claudevane Leite desde a noite de terça (2). Na quarta, fecharam os acessos ao Centro Administrativo, impedindo o funcionamento da prefeitura. A greve, no entanto, continua. Os professores pedem aumento de 13,01%, enquanto o governo informa que somente pode conceder 8% de reajuste.

GREVE DEIXA 20 MIL SEM AULA EM ITABUNA; PROFESSORES QUEREM 13,01% DE REAJUSTE

Professores fazem "Velório da Educação" (Foto Jeremias Barreto).

Professores fazem “Velório da Educação” (Foto Jeremias Barreto).

Os professores da rede municipal iniciaram, nesta quinta (21), a greve por tempo indeterminado. A categoria cobra reajuste salarial linear de 13,01%, percentual concedido aos profissionais do nível básico. A paralisação afeta cerca de 20 mil alunos matriculados na rede.

O prefeito Claudevane Leite ofereceu, como último proposta, reajuste de 8% em duas parcelas, a primeira delas retroativa a abril, data base da categoria. Durante entrevista nesta semana, Vane do Renascer disse que ainda não sabe nem como pagar o percentual oferecido.

A presidente do Sindicato do Magistério Municipal Público de Itabuna (Simpi), Maria do Carmo Oliveira (Carminha), convocou protesto na Avenida do Cinquentenário, nesta quinta (20). Os educadores desfilaram vestidos de preto com cruzes e caixão, simbolizando enterro do sistema educacional e dos serviços públicos.

PREFEITURA PAGA SALÁRIO E PROFESSORES RETORNAM AO TRABALHO

Professores decidiram só informar frequência após 13º salário em conta.

Professores informarão frequência só com 13º salário em conta (Foto Jeremias Souza).

Após paralisação de cinco dias, os professores da rede municipal em Itabuna retornaram ao trabalho nesta quinta (11). A categoria cobra o pagamento de salário em dia. A rede conta com cerca de 22 mil alunos.

Na última sexta (5), o sindicato que representa a categoria anunciou a paralisação, após confirmar que o município pagaria somente no dia 10 o salário dos professores. O salário foi pago ontem.

A categoria reclama do atraso. A presidente do Simpi, Carminha Oliveira, acusa o governo de usar sempre a verba do mês seguinte para quitar os salários, que antes eram pagos ao final do mês e agora é depositado sempre depois do quinto dia útil.

O governo municipal tem se defendido com a alegação de queda nas receitas. Os maiores prejuízos, segundo a Secretaria da Fazenda, são com os repasses menores do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Os educadores decidiram só informar o boletim de frequência dos alunos ao município quando for creditada a segunda parcela do décimo terceiro salário, segundo a presidente do sindicato.

INTROMISSÃO ESTRANHA NA ELEIÇÃO DO SIMPI

Militantes promovem candidato a deputado na eleição do Simpi

Militantes promovem candidato a deputado na eleição do Simpi

O Sindicato do Magistério Público Municipal de Itabuna  – Simpi – elege hoje (30) sua nova diretoria. O comando é disputado por duas chapas: a 1, que tem a frente a professora Maria do Carmo Oliveira (Carminha), na presidência do sindicato desde sua criação; e a 2, encabeçada pela professora Rita de Cássia Teixeira, a empunhar a bandeira da renovação na entidade.

Até aí, tudo muito normal… Mas o que chama a atenção na sede do Simpi, no bairro Pontalzinho, é a forte presença de militantes do candidato a deputado federal Bebeto Galvão, facilmente identificados pelas praguinhas no peito. A turma, que pertence à corrente Força Sindical, dá sustentação à chapa da professora Carminha.

Muitos educadores consideram indevido que a eleição do sindicato da categoria seja usada para promover um candidato a deputado.

SIMPI PROMOVE ELEIÇÃO NO DIA 30

Carminha (à esq.) disputa reeleição e enfrenta a professora Rita de Cássia (de branco, na segunda foto)

Carminha (à esq.) disputa reeleição e enfrenta chapa que combate o continuísmo no Simpi

Duas chapas disputam o comando do Sindicato do Magistério Municipal Público de Itabuna (Simpi). De um lado, está o grupo que comanda a entidade desde sua criação, há nove anos, tendo à frente a professora Maria do Carmo Oliveira (Carminha); do outro, a professora Rita de Cássia Teixeira, que representa a parcela da categoria que defende a renovação do Simpi.

O processo eleitoral enfrentou percalços com a Justiça do Trabalho, devido a irregularidades no edital de convocação. Corrigida a falha, a eleição ficou marcada para o próximo dia 30, com uma urna fixa na sede do Simpi e três urnas itinerantes. Dos cerca de mil professores da rede pública municipal, 655 estão aptos a votar.

As principais propostas da chapa 1 são valorização da categoria, reformulação do plano de carreira, cumprimento do piso nacional com redução de um terço da jornada de trabalho e construção da sede social do sindicato.

A pauta da chapa 2 também contempla a revisão do plano de carreira, além da contratação de plano de saúde, reconhecimento das certificações obtidas em cursos realizados pelos professores e melhoria das condições de trabalho da categoria. Segundo Rita de Cássia, “muitas escolas se encontram em situação precária e há professores adoecendo por isso”.

JUSTIÇA BARRA ELEIÇÃO DO SIMPI

A Justiça do Trabalho anulou edital de convocação para a eleição da nova diretoria do Sindicato do Magistério Municipal Público de Itabuna (Simpi). A decisão foi da juíza Eloína Barbosa Machado, em liminar que reconheceu irregularidades no edital.

De acordo com a magistrada, o edital desrespeita o estatuto do Simpi. A irregularidade foi detectada na previsão de uma segunda convocação de eleitores para o caso de quórum insuficiente. Pelo regimento do Simpi, tal hipótese exigiria a convocação de uma assembleia geral extraordinária.

A eleição do sindicato seria realizada no dia 1º de outubro. A entidade pode recorrer da liminar ou, simplesmente, reformular o edital.

ITABUNA: REAJUSTE DE 8,32% A PROFESSORES SERÁ VOTADO EM ASSEMBLEIA

Assembleia será realizada às 14h30min desta sexta (Foto Arquivo).

Assembleia será realizada às 14h30min desta sexta (Foto Arquivo).

Os professores dos níveis II e III da rede municipal em Itabuna terão reajuste de 8,32%, após negociação fechada ontem à noite entre o sindicato da categoria e representantes da prefeitura. Procurada pelo blog, a secretária de Educação, Dinalva Melo, não pôde comentar a proposta, pois, segundo a sua assessoria, participava da reinauguração de uma escola na Califórnia.

A proposta ainda será analisada pelos educadores em assembleia marcada para as 14h30min, no auditório da Unime. O percentual foi o reivindicado pelo sindicato dos professores municipais, o Simpi.

Carminha Oliveira, do Simpi, não quis comentar o percentual nem informar as condições em que o reajuste poderá ser concedido. “O percentual será informado aos professores na assembleia”, disse ela ao PIMENTA. “A categoria vai decidir se aceita”.

Os professores conseguiram os 8,32% após rejeição à proposta inicial do governo, que era 5,91%, baseado no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).  Com a proposta, os professores conseguem percentual aplicado aos profissionais do nível I, que recebem o Piso Nacional.

AUDIÊNCIA MARCA MOBILIZAÇÃO POR RETOMADA DAS OBRAS DE TEATRO

trambolho

Obras foram paralisadas em 2006

Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Sindicato do Magistério Público de Itabuna (Simpi) e Associação Cultural dos Amigos do Teatro (Acate) se reuniram em uma mobilização que defende a retomada das obras do Teatro e Centro de Convenções de Itabuna, paralisadas desde 2006, quando a Bahia ainda era governada por Paulo Souto.

Nesta sexta-feira (18), às 15h, essas e outras instituições participam de audiência pública na Câmara de Vereadores com o objetivo de discutir o tema e avaliar estratégias para convencer o governo baiano a dar continuidade ao projeto, hoje mergulhado em controvérsia judicial, já que o benemérito doador da área, o Sr. Fernando Gomes de Oliveira, com o beneplácito do amigo José Nilton Azevedo, usou de prerrogativa contratual para reaver o terreno.

O Ministério Público, naturalmente, trabalha para barrar a investida, que tem base em contrato, mas viola a Constituição, por ser imoral. O presidente da subseção local da OAB, Andirlei Nascimento, quer que o MP também exija o reinício das obras.

VANE ACEITA CONCEDER 10% DE REAJUSTE E GREVE DOS PROFESSORES CHEGA AO FIM

Professores votam pelo fim da greve (Foto Jeremias Barreto).

Professores votam pelo fim da greve (Foto Jeremias Barreto).

Governo e professores chegaram a acordo nesta tarde de segunda (10) e puseram fim à greve que chegou ao 15º dia hoje. As negociações começaram pela manhã. Os representantes dos professores reduziram de 15% para 12% o percentual reivindicado de reajuste.

A negociação evoluiu na parte da tarde, quando o governo aceitou conceder 10%, mas parcelado. Pela proposta, o governo pagará 5,57% retroativo a abril, mais 2,22% a partir de outubro e 2,21 em novembro.

– Nós fizemos um movimento bonito e uma greve pacífica. A sociedade esteve ao nosso lado e, por isso, voltaremos às nossas atividades docentes. Além do mais, nossa categoria merecidamente foi a que atingiu o reajuste mais alto dentro da servidão municipal – disse a presidente do Simpi, Normagnolândia Guimarães.

Os professores prometem passeata para amanhã, às 15h, na Avenida do Cinquentenário, para agradecer ao apoio que obtiveram da comunidade durante a paralisação de duas semanas. A greve durou 15 dias e deixou mais de 20 mil alunos sem aula.

GREVE DOS PROFESSORES CHEGA AO 15º DIA EM ITABUNA

Professores foram às ruas em protesto contra o governo (Foto Jeremias Barreto).

Professores foram às ruas em protesto contra o governo (Foto Jeremias Barreto).

A greve dos professores de Itabuna foi parar na Justiça do Trabalho e chega ao 15º dia nesta segunda (10) ainda sem perspectiva de um fim. A paralisação afeta quase 120 escolas e mais de 20 mil alunos.

Os professores rejeitam os 7,97% oferecidos aos níveis II e III (que possuem graduação superior) e querem aumento linear de 15%. O governo insiste que não há como negociar reajuste maior.

A greve recrudesceu, na semana passada, com a decisão do prefeito Claudevane Leite de judicializar a paralisação.

O governo entrou com ação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT5), em Salvador, onde buscava que a justiça decretasse a ilegalidade do movimento. Perdeu. E haverá audiência de conciliação na quarta (12), às 14h.

Numa entrevista ao PIMENTA, na última sexta, a presidente do Sindicato Municipal dos Professores Públicos de Itabuna (Simpi), Normagnolândia Guimarães, afirmou que o governo tenta fazer o educador “de bobo”, pois entrou com ação judicial contra o movimento, enquanto falava em retomar as negociações (reveja aqui).

PRESIDENTE DO SIMPI CRITICA VANE E DIZ QUE GREVE DOS PROFESSORES CONTINUA

Normagnolândia Sant´Ana simpi foto Luiz Conceição www.pimenta.blog.brA greve dos professores da rede municipal de Itabuna completou duas semanas sem que governo e categoria cheguem a acordo pelo fim da paralisação. O governo oferece 7,97%, em duas vezes, mas a categoria reivindica 15%, parcelado em três vezes.

A presidente do Sindicato Municipal dos Professores Públicos de Itabuna (Simpi), Normagnolândia Guimarães, disse que os educadores foram surpreendidos com uma ação do governo, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), pedindo a ilegalidade da greve.

O TRT não acatou o pedido do governo e marcou audiência de conciliação para as 14h da próxima quarta-feira (12), na capital baiana. A dirigente sindical conversou com o PIMENTA nesta tarde.

BLOG PIMENTA – A greve completa duas semanas. O governo já chamou para novas negociações?

Normagnolândia Guimarães – Bate na mesma tecla dos 7,97%. Ainda não sentaram para negociar. Na quarta, fizemos assembleia. A secretária [Dinalva Melo] enviou ofício sinalizando que o aumento era aquele [de 7,97%] e que estavam certas novas rodadas, mas não para tratar de reajuste.

BP – Qual a posição do sindicato?

NG – Hoje nós fomos à Câmara de Vereadores para pedir mais uma intermediação [do legislativo]. Lá estava o senhor Guilherme, que é assessor da Secretaria da Educação, e pontuamos tudo que está acontecendo desde o dia 27 de março, quando começaram as negociações. Então, ficou firmado lá que iríamos fazer uma reunião para que o governo apresente os números dele e nós, os nossos, para chegarmos a um entendimento. Quando a gente ia saindo, um oficial de justiça me interpelou para entregar ação judicial. Vane entrou com ação contra a greve dos professores. Só que a Justiça não deu e solicitou que fizesse audiência de conciliação.

BP – No fórum trabalhista daqui de Itabuna?

NG – Não, eles já foram direto para Salvador. Essa ação é mais uma de Vane. Enquanto chamava para negociar, entrava com ação contra a gente, nos fazendo de bobos.  Eles estão colocando nos meios de comunicação que a greve acabou e que a justiça deu ganho de causa [ao governo].

Eles estão usando a mídia, têm a máquina na mão, dizem que a greve acabou, que é ilegal, mas não é.

 

BP – Qual é o cenário da greve hoje?

NG – Continua, continua. Só que eles estão usando a mídia, têm a máquina na mão, dizem que a greve acabou, que é ilegal, mas não é.

BP – Qual tem sido o tratamento do governo nessa greve?

NG – É desrespeitoso com a classe desde quando a classe deu total apoio, porque queria mudança. E mudança a gente não consegue retirando direitos.

GREVE DOS PROFESSORES ENTRA NO 2º DIA

Professores fazem manifestação no primeiro dia de greve (Foto Jeremias Barreto).

Professores fazem manifestação no primeiro dia de greve (Foto Jeremias Barreto).

A greve na rede municipal de ensino entrou nesta terça (28) no segundo dia em Itabuna. São mais de 20 mil alunos sem aula em 120 escolas da rede. Os mais de 1,45 mil professores de Itabuna reivindicam reajuste, com ganho real, de 15% parcelado em três vezes. Já o governo, alega dificuldades financeiras e oferece 7,97% em duas vezes.

Ontem à tarde, os professores fizeram caminhada pelas avenidas Princesa Isabel (São Caetano) e Avenida do Cinquentenário em protesto contra o prefeito Claudevane Leite. Durante a caminhada, o Sindicato do Magistério Municipal Público de Itabuna (Simpi) distribuiu panfletos com severas críticas ao gestor. O título do panfleto era “As dez mentiras do Governo Vane – não que não existam mais”.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia