dezembro 2014
D S T Q Q S S
« nov    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  



american park

:: ‘sul da Bahia’

CHUVAS: ESTADO DECRETA SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA EM 16 MUNICÍPIOS

Famílias desabrigadas em Aurelino Leal, que encontra-se em situação de emergência.

Famílias desabrigadas em Aurelino Leal, incluído no decreto de emergência.

O Governo da Bahia decretou estado de emergência em 16 municípios do baixo-sul e sul do Estado. O documento, de número 15.757, foi publicado na edição desta sexta-feira (19) do Diário Oficial, motivado pelos danos causados pelas fortes chuvas que atingiram a região nos últimos dias, como deslizamentos de terra e rupturas de pontes e estradas.

Foram reconhecidos como em situação de emergência os municípios de Presidente Tancredo Neves, Laje, Igrapiúna, Ituberá, Ipiaú, Nilo Peçanha, Ubatã, Cairu, Camamu, Valença, Teolândia, Taperoá, Aurelino Leal, Maraú, Ibirapitanga e Barra do Rocha.

Diversos órgãos do governo foram mobilizados para desenvolver ações emergenciais em benefício da população afetada. Uma reunião foi realizada na tarde de quinta-feira, no Gabinete da Casa Civil, a fim de organizar os próximos passos a serem tomados para mitigar os efeitos da chuva.

Participaram do encontro, além do secretário e do chefe de gabinete da Casa Civil, Carlos Mello e Bruno Dauster, representantes do Corpo de Bombeiros, das secretarias estaduais de Segurança Pública, de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes) e sua Superintendência de Proteção e Defesa Civil (Sudec), de Infraestrutura (Seinfra), de Relações Institucionais, de Desenvolvimento Urbano e do Departamento de Infraestrutura de Transportes da Bahia (Derba).

Para Bruno Dauster, é importante que esta mobilização seja articulada em conjunto. “Montamos um grupo de trabalho dinâmico para enfrentar esse processo de forma rápida e eficiente. Uma das possibilidades é o repasse direto de recursos para as prefeituras e, assim, garantir a capilaridade das ações”.

WAGNER NA COORDENAÇÃO POLÍTICA DO GOVERNO DILMA

Wagner confirma ministério na área política (Foto Pimenta).

Wagner confirma ministério na área política (Foto Pimenta).

Jaques Wagner trabalhará na coordenação política do futuro governo da presidente Dilma Rousseff. Foi o que ele disse hoje, em Buerarema. Embora não tenha dito em qual ministério, Wagner assim se pronunciou:

– Vou trabalhar na coordenação política.

Hoje, ele visitou os municípios de Buerarema, São José da Vitória e Almadina, onde entregou ônibus escolares novos e assinou ordem de serviço para reforma e cobertura da feira livre de Buerarema.

Wagner aproveitou para dizer que, se governo fosse olimpíada, o dele levaria medalha de ouro em praticamente todas as áreas. Citou programas e números como recuperação ou construção de estradas (8 mil quilômetros), construção de moradias populares (160 mil entregues e 100 mil em fase de conclusão), construção de cinco hospitais regionais e um em conclusão, redução do analfabetismo e aumento de 4 para 30 escolas técnicas.

CONTAS APROVADAS

 

Deraldino e o presidente da Câmara, Jean Kleber, que também teve contas aprovadas.

Deraldino e o presidente da Câmara, Jean Kleber, que também teve contas aprovadas.

O prefeito de Ipiaú, Deraldino Araújo (PMDB), fez questão de acompanhar, pessoalmente, a votação de suas contas de 2013 pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

As contas tiveram como relator o ex-deputado e conselheiro do tribunal Mário Negromonte.

Foram aprovadas, por unanimidade, após dois anos seguidos de cartão vermelho por parte da corte de contas.

WAGNER EM BUERAREMA

Wagner retorna ao sul da Bahia na segunda (Foto Pimenta).

Wagner retorna ao sul na segunda (Foto Pimenta).

O governador Jaques Wagner vai a Buerarema na próxima segunda (15). Será a primeira vez que o mandatário baiano visitará o município desde quando assumiu o Estado, em 2007.

Buerarema vive conflito entre pequenos produtores rurais e indígenas. Lá, Wagner entregará um ônibus escolar e assinará ordem de serviço das obras de cobertura da feira livre do município.

– Esta obra é uma luta de muitos anos – afirma o vereador Elinho Almeida (PDT), que destaca o empenho do presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo, para assegurar a reforma da feira municipal.

O governador também vai a São José da Vitória, onde também fará entrega de um ônibus, às 10h30min. Wagner poderá visitar Almadina, às 12h. Ele quer encerrar o mandato tendo feito algo inédito: ser o primeiro governador a ter visitado todos os municípios baianos no exercício das suas funções.

FESTIVAL GASTRONÔMICO ABRE VERÃO DE ITACARÉ

 

Itacaré promove festival gastronômico até dia 21 (Foto LK / Divulgação).

Itacaré promove festival gastronômico até dia 21 (Foto LK / Divulgação).

Um festival gastronômico que reúne 36 restaurantes abre, hoje (11), a temporada de verão 2014-2015 de Itacaré. O evento põe em evidência pratos da culinária regional e internacional, segundo organizadores.

Fábio Valgas, do Restaurante Espaço Brasil, acredita que o festival será “um marco para a cidade”. Para ele, o município ganha mais um atrativo ingrediente. Conhecida por ser uma rota famosa, mundialmente, de esportes de aventura, também se insere como destino gastronômico.

De acordo com a organização, os estabelecimentos participam em quatro categorias – prato principal, petisco, lanche e sobremesa. Até o dia 21, a promessa é de preços promocionais na cadeia de restaurantes participantes.

Curadora do Festival Gastronômico Sabores de Itacaré, a chef Rosa Gonçalves diz que o evento firma uma identidade gastronômica por meio da culinária sustentável e da valorização de produtos locais e regionais.

CONFIRA PROGRAMAÇÃO

A programação terá encontros sobre agricultura familiar, pesca e gastronomia no turismo, oficinas, visitas técnicas às fazendas de plantio de cacau, corrida de garçons e aulas-show com grandes chefes da gastronomia nacional.

O secretário de Turismo de Itacaré, Júlio Oliveira, espera cerca de 10 mil pessoas em Itacaré com o festival gastronômico. O festival tem patrocínio do Governo do Estado e Sebrae e apoio do Senac e Abrasel.

CARROS E CASAS SÃO INCENDIADOS APÓS A PRISÃO DE BANDIDO EM CAMACAN

Imóveis foram incendiados por familiares de bandidos em Camacan.

Imóveis foram incendiados por familiares de bandidos em Camacan.

Ricardo, o Cal, é acusado de homicídios em Camacan.

“Cal” é acusado de homicídios em Camacan.

Casas e carros foram incendiados neste domingo (7) em Camacan, no sul da Bahia, em retaliação à prisão do homicida Ricardo Santos Rezende, o Cal. Policiais civis e militares prenderam o bandido durante operação na madrugada de hoje.

De acordo com o comandante da PM em Camacan, major Rodrigues de Castro, Cal tinha contra si mandado de prisão e é suspeito de matar um idoso e uma indígena. Cal e o irmão “Veni” são apontados como autores de vários crimes no município. Veni está foragido.

Os policiais montaram cerco à casa de Cal ontem à noite e negociaram para que o bandido se entregasse. Com a resistência, os policiais decidiram invadir o imóvel, prendendo-o em seguida.

Conforme o comando da Polícia Militar, familiares do bandidos, descontentes com a prisão de Cal, iniciaram ofensiva incendiando, pelo menos, cinco casas. Carros também foram incendiados ou apedrejados entre a madrugada e o final da tarde deste domingo.

O policiamento no Bairro da Gameleira foi reforçado por causa do aumento da tensão. O bandido foi levado para o Complexo Policial de Camacan. A polícia ainda decidirá para onde encaminhar o bandido, se Itabuna ou Feira de Santana.

Criança caminha em meio a escombros de casa e carro incendiado.

Criança caminha em meio a escombros e carro incendiado.

HOTEL SUL-BAIANO É FINALISTA DE PRÊMIO DO SEBRAE

Néa Machado  (Foto Maurício Maron).

Néa Machado comanda o hotel da zona sul ilheense (Foto Maurício Maron).

Maurício Maron | Agência Sebrae

O Hotel Jardim Atlântico Beach Resort, de Ilhéus, é o representante do Sul da Bahia, na categoria Serviços de Turismo, na final da etapa estadual do MPE Brasil – Ciclo 2014, em Salvador, no Salão Lótus do Hotel Fiesta, próximo dia 4, às 19h. Dedicado às micro e pequenas empresas, o MPE Brasil premia os maiores destaques em qualidade, competitividade, produtividade e inovação em atividade no mercado nacional.

O Hotel Jardim Atlântico investiu, ao longo do ano, no aperfeiçoamento das suas instalações e na qualificação da mão de obra dos funcionários. O resultado desta satisfação tem refletido positivamente no aumento do índice de aprovação dos hóspedes, segundo os proprietários.

– A competitividade das empresas só poderá ser assegurada quando houver a compreensão por parte dos empresários de que há critérios de excelência em gestão que precisam ser alcançados. O Hotel Jardim Atlântico, compreendeu e alcançou os números estabelecidos pela Fundação Nacional da Qualidade como gestão de Excelência. Mais que o prêmio, temos a certeza dos bons resultados que alcançarão”, destaca a coordenadora regional do Sebrae Ilhéus, Claudiana Figueiredo

“Sermos finalistas do programa representa que estamos no caminho certo, que as medidas que tomamos foram positivas, inovadoras e importantes para a evolução do negócio”, comemora a empresária Néa Machado, que comanda o projeto.

Além de competir pelo prêmio, os empreendimentos de diversas regiões da Bahia irão receber um relatório feito pela comissão técnica, apontando quais são os seus pontos fortes e as oportunidades de melhoria. Assim, os empresários poderão investir em seus negócios com a orientação da banca técnica e tornar suas empresas ainda mais competitivas. Os vencedores de cada categoria da etapa Bahia também vão concorrer ao Prêmio Nacional.

:: LEIA MAIS »

FORÇA NACIONAL FICARÁ POR MAIS 90 DIAS NO SUL DA BAHIA

Força Nacional está há mais de um ano no sul da Bahia (Foto Gilvan Martins).

Força Nacional está há mais de um ano no sul da Bahia (Foto Gilvan Martins).

O Ministério da Justiça prorrogou, por mais noventa dias, a permanência de tropas da Força Nacional de Segurança na área de conflito entre agricultores e tupinambás. A portaria foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União.

A Força Nacional está no sul da Bahia há um ano e três meses. As tropas chegaram logo após a revolta de moradores de Buerarema, em agosto do ano passado, quando houve onda de invasões de fazendas e saques a casas comerciais. Nos protestes, três carros foram incendiados em Buerarema.

Os conflitos na região começaram há mais de dez anos e se intensificaram há cinco anos. Em 2009, a Fundação Nacional do Índio (Funai) reconheceu como indígena uma área de mais de quarenta e sete mil e trezentos hectares.

Após o ato da Funai, mais de cento e vinte fazendas foram invadidas. Nos últimos meses, a Força Nacional de Segurança e as polícias militar e civil aumentaram o policiamento e as investigações na área que envolve Buerarema, Ilhéus e Una. A intensificação do policiamento pacificou a área.

CASACOR CHEGA AO FIM NESTE DOMINGO

Arquitetos e decoradores regionais da Casacor Ilhéus-Itabuna.

Arquitetos e decoradores regionais da Casacor Ilhéus-Itabuna.

A edição regional da Casacor Bahia será encerrada no próximo domingo, no quilômetro 24 da Rodovia Ilhéus-Itabuna. O evento começou no dia 30 de outubro, atraindo ao espaço do Cidadelle autoridades, empresários, clientes e profissionais das áreas de engenharia e arquitetura do sul da Bahia.

A valorização dos arquitetos e decoradores da região foi um dos pontos altos do evento. Eles foram responsáveis pelos 12 ambientes, considerados de alto nível, apresentados na mostra. Aulas-show dos chefs de cozinha regionais e do convidado especial Ivo Lopes, agregados ao II Festival Gourmet.

Durante a Casacor, também foi realizada a II Exposição de Artes Cidadelle-Acervo do Fotógrafo, quando 12 artistas da fotografia, dentre eles três regionais, mostraram os seus trabalhos. O evento foi promovido pela Cidadelle e AZ Produções.

SALE DA CASACOR

De amanhã até o domingo, será realizado o sale,  quando produtos expostos durante a Casacor será vendidos com desconto. Centenas de visitantes regionais, de Salvador, de outras regiões do estado e turistas de passagem pelo sul do estado prestigiaram a mostra, segundo a organização.

Restaurante da Casacor, projetado por Bruno Santa Fé, foi espaço bem visitado.

Restaurante da Casacor, projetado por Bruno Santafé, foi espaço bem visitado.


Atualizado às 17h40min

WAGNER NO SUL DA BAHIA

Wagner retorna ao sul da Bahia (Foto Pimenta).

Wagner no sul da Bahia (Foto Pimenta).

O governador Jaques Wagner cumpre agenda oficial nesta sexta (21) em Santa Luzia, Belmonte e Mascote. Às 13h, entrega trator e implementos agrícolas em Santa Luzia numa ação, segundo o governo, para fortalecer a agricultura familiar no município.

O compromisso em Belmonte será às 14h30min, quando entregará ônibus do programa Caminho da Escola. Wagner encerra o dia no sul do Estado com a inauguração da obra de requalificação da feira de São João do Paraíso, em Mascote.

PUBLICITÁRIOS SUL-BAIANOS CRIAM A CRÀSE

Cíntia, Lorenna e Alan criam a Cràse.

Cíntia, Lorenna e Alan criam a Cràse.

Os publicitários Cíntia Bonfim, Alan Brandão e Lorenna Caldas inauguraram uma agência com o conceito hotshop, a Cràse Comunicação Dedicada.

Com experiência de agências sul-baianas como a RCM e M21, os profissionais adotaram já na marca o que prometem ser uma característica da nova agência, a criatividade. Cíntia Bonfim acrescenta a inovação como característica da Cràse.

Ela explica que agência hotshop tem, por conceito, estrutura enxuta, ágil e diferenciada. “Os sócios, juntos, caracterizam tudo que uma agência precisa, principalmente sendo um hotshop: atendimento, planejamento, mídia, produção e criação”.

GERALDO DIZ QUE ESPERAVA VOTAÇÃO MAIOR E APOIA RETORNO DE VANE AO PT

Geraldo Simões 3Geraldo Simões já foi prefeito de Itabuna por duas vezes, deputado estadual na década de 90 e três vezes eleito deputado federal. Neste ano, o parlamentar obteve 55.636 votos na disputa à reeleição.

A derrota eleitoral o leva à reflexão, algo que fará, de forma mais aprofundada, segundo o próprio, a partir de fevereiro, já fora do parlamento federal.

Geraldo concedeu uma rápida entrevista ao PIMENTA. O petista defende financiamento público de campanha e o voto distrital misto.

Ainda na entrevista, o petista também aborda a necessidade da reeleição de Dilma Rousseff, retorno de Claudevane Leite ao PT e se o seu filho atrapalhou os seus planos eleitorais.

Confira.

BLOG PIMENTA – O partido abriu as portas para o retorno de Vane, mas se fala em objeções no grupo geraldista. Há resistências de sua parte a esse possível retorno do prefeito?

GERALDO SIMÕES - As portas do PT estão abertas a todas as pessoas de bem de Itabuna. Essa é uma coisa. Qualquer pessoa que tenha comportamento ético, bom vizinho, pense a política da gente, é um filiado em potencial do PT.

PIMENTA – É o caso de Vane?

GERALDO - É, ele pensa coletivo.

PIMENTA – Falando em eleição, o seu resultado não te surpreendeu?

GERALDO - Eu esperava uma votação maior, mas compreendo, porque eu fiz campanha muito nos segmentos mais pobres da cidade. Eu fiz 40 visitas em bairros, de casa em casa, e a abstenção aqui passou de 23%. Abstenção mais voto branco e nulo superaram 37% [para deputado]. Compreendo e agradeço.

PIMENTA – E agora?

GERALDO - Já fui eleito seis vezes, já fui prefeito de Itabuna. É tocar a vida pra frente. Me preocupa a eleição de Dilma. A reeleição de Dilma é garantia de que essas obras importantes – e são muitas – serão concluídas. Vamos continuar trabalhando com ideias, projetos para a nossa região e para que novas obras saiam.

PIMENTA – A candidatura do seu filho, Thiago Simões, não atrapalhou seus planos políticos?

GERALDO - Não, não. A minha dobradinha com Thiago foi em Itabuna, pois Jota Carlos, que transfere voto para o federal, fez uma outra opção em Salvador, apoiando Benito Gama (PTB). Então, aqui em Itabuna, não tinha compromisso com ninguém. Não ficaria bem pra mim, na cidade onde meu filho tem domicílio eleitoral, não apoiá-lo. Se for para dar uma analisada, eu continuo defendendo que se tenha voto distrital, pois eu só faço campanha aqui no sul da Bahia, e que tenha financiamento público de campanha. É difícil concorrer em campanha.

PIMENTA – Por que?

GERALDO - Está ficando cada vez mais caro. Estou analisando e propondo que é bom mudar o marco da política no Brasil com o voto distrital. É desvantagem para o deputado uma campanha em toda a Bahia. Sou um homem sem posses. Gasta-se R$ 10 milhões, R$ 12 milhões em uma campanha em toda a Bahia para ter 100 mil votos.

PIMENTA – O senhor fala que não é um homem de posses, mas não é isso que está nas ruas…

GERALDO - Aí é só olhar Imposto de Renda, olhar essas coisas todas. Olhe minha campanha. Os gastos, acho, não vão passar de R$ 100 mil reais. Minha campanha teve gasto similar à de vereador em Itabuna.

PIMENTA – A dificuldade do sr. em obter recursos para esta campanha se deve a quê?

GERALDO - Decorre da opção que faço, das minhas bandeiras. Olhe minhas opções: eu ajudo o funcionalismo da Ceplac, que não pode financiar campanha, eu ajudo os agricultores familiares, ajudo os produtores contra a demarcação de terras, pois acho injusta, ajudo profissionais papiloscopistas. Então, este é o meu perfil de candidato. As minhas relações são exatamente com grupos que não têm poder econômico consolidado. Aqui em Itabuna, eu não recebi uma contribuição de campanha. Não estou me queixando, apenas dizendo que não mudo meu estilo. Devemos mudar a legislação, com fundo público de campanha, fim das coligações proporcionais e o voto distrital misto.

PIMENTA – Quais são os planos, após o término do mandato em 30 de janeiro?

GERALDO - Vou trabalhar bem até janeiro e dar uma descansada, fazer uma reflexão, eu, Juçara, meus filhos, meu grupo.

PIMENTA – Analisando este mandato, o que ocorreu, especificamente, que afetou seus planos eleitorais?

GERALDO - Tivemos seis mandatos. Quer que eu lhe fale, sem arrogância? Analise os mandatos que existiram em Itabuna de 1950 até hoje. Veja se houve deputado para produzir tanto como eu. Universidade Federal [do Sul da Bahia], todos sabem que tem a minha digital por meio da minha amizade com o presidente Lula… Tem o preço mínimo do cacau. A política do preço mínimo existe desde 1940 e o cacau nunca fez parte disso. Agora faz parte. Some a melhoria da Ceplac, a duplicação da rodovia, a obra da barragem, que está parada, mas vai ser retomada. E ainda temos a defesa contra a demarcação das terras tupinambás.

PIMENTA – Os produtores reclamam de lentidão.

GERALDO - Nosso mandato se posicionou junto à presidenta Dilma e aos ministros da Casa Civil e da Justiça contra um processo de demarcação injusto, a ponto de o próprio governo estar mudando. Agora não é só da Funai o ato exclusivo. Ouve-se a Funai, mas também o Ministério da Agricultura, a Embrapa e Ministério das Cidades para se tomar uma decisão. Trabalhei muito. Saio desse mandato com a consciência do dever cumprido para com a nossa cidade, Itabuna, e a nossa região.

RUI EM ITABUNA E BUERAREMA

Rui Costa, ao centro, na última visita a Itabuna, em setembro (Foto Pimenta).

Rui Costa, ao centro, na última visita a Itabuna, em setembro (Foto Pimenta).

O governador eleito da Bahia, Rui Costa, visitará Itabuna nesta semana. Virá agradecer a votação obtida no sul da Bahia e, ao mesmo tempo, pedir “renovação” de votos em Dilma Rousseff.

Rui reafirmará compromisso com projetos estruturantes para o sul da Bahia – dentre eles a duplicação da Rodovia Ilhéus-Itabuna e Complexo Porto Sul, além da Barragem do Rio Colônia.

A data da visita ainda não foi divulgada. O petista também irá a Ilhéus. Ontem, Rui esteve em Iraquara, cidade onde obteve 89,97% dos votos válidos.

BUERAREMA

A visita se estenderá, ainda, a Buerarema. Junto com o deputado Marcelo Nilo e o deputado eleito Robério Oliveira, Rui acompanha Jaques Wagner na entrega de patrol e assinatura de ordem de serviço para modernização da feira do município, obra pedida pelo prefeito Guima Barreto e pelo vereador Elio Almeida, ambos do PDT.

DAVIDSON: “PRECISAMOS REPACTUAR NOSSA ATUAÇÃO POLÍTICA NA REGIÃO”

davidson - pimentaO comunista Davidson Magalhães não conseguiu se eleger deputado federal, mas avalia que os mais de 65 mil votos obtidos no dia 5 de outubro o credenciam a atuar como liderança no campo da esquerda no Sul da Bahia.

Nesta entrevista concedida ao PIMENTA, o ex-presidente da Bahiagás demonstra otimismo com a possibilidade de assumir uma cadeira na Câmara Federal, após a composição do governo Rui. Por enquanto, afirma que a prioridade é eleger Dilma Rousseff no segundo turno.

Sobre as sinalizações das urnas para Itabuna, onde Rui Costa perdeu, Davidson defende a reorganização das forças de esquerda em nome do “projeto maior”. Numa referência ao deputado federal petista Geraldo Simões, que não se reelegeu, o comunista diz que alguns líderes regionais precisam “calçar as sandálias da humildade”.

Leia abaixo os principais trechos:

PIMENTA – Como você analisa seu desempenho nas eleições?
Davidson Magalhães – Eu considero uma vitória, principalmente no contexto em que ocorreu esse processo eleitoral. Foi uma eleição bastante disputada, na qual houve uma queda de votos muito grande, e mais uma vez a região confirmou uma característica de pulverização de votos. Nós tivemos aqui muitos candidatos de fora sendo votados e isso reduziu muito a possibilidade de uma eleição concentrada. Terminou saindo do sul da Bahia, de novo, um único deputado federal eleito, o que é mais um prejuízo político para a região. Foi reduzido o número de deputados estaduais e não se ampliou o número de federais.

PIMENTA – Chegou-se a se ensaiar na cidade um movimento em defesa do voto regional…
DM – É um prejuízo porque ficam vários segmentos aqui fazendo o discurso do voto para fortalecer a região e na “hora H” esses mesmos segmentos, por interesses menos nobres, terminam contribuindo com a pulverização dos votos. Seguimos como uma região que tem uma pulverização de votos muito acentuada, o que termina por debilitar nossa representatividade política.

PIMENTA – Essa debilidade pode chegar ao ponto de comprometer projetos estruturantes sinalizados para o Sul da Bahia?
DM – Nossas duas principais cidades (Ilhéus e Itabuna) poderiam ter contribuído mais para o fortalecimento desse projeto regional, mas acabaram ficando extremamente prejudicadas. Nós poderíamos ter um desempenho melhor, o que teria como resultante uma maior consistência política, mas isso é algo que precisará ser superado. Como ganhamos o Governo do Estado, ele, que é o responsável por esses grandes investimentos, juntamente com o Governo Federal, deverá tratar desse problema. Inclusive, o sul da Bahia foi uma das regiões onde o governador eleito Rui Costa teve o menor desempenho, e isso exigirá uma atenção especial para permitir a retomada política da região.

PIMENTA – Como você vê essa vitória de Rui Costa no primeiro turno?
DM - Foi um demonstração definitiva do esgotamento do carlismo, que apostava suas penúltimas fichas no Paulo Souto e num desgaste do governo. Fizeram uma avaliação equivocada e mais uma vez perderam a eleição. Já são três eleições seguidas perdidas pelo carlismo e dessa vez o ACM Neto expôs sua condição de líder político e perdeu inclusive em Salvador. Ou seja, nós derrotamos a principal liderança da oposição e fizemos o senador, o que também demonstra um esgotamento do Geddel (Vieira Lima). A lição que nós tiramos é de que há uma avaliação positiva do governo Wagner e de um projeto em curso que está mudando a Bahia.

PIMENTA – Wagner sempre demonstrou acreditar na vitória de Rui…
DM – O governador sempre insistiu nisso nas reuniões com os partidos: vamos ganhar no primeiro turno. E a argumentação dele era muito sólida: “se comparar o que eles fizeram em 30 anos e o que fizemos em oito, nós damos um banho”. O povo soube ver e entender isso quando tivemos a oportunidade de expor os dados na campanha eleitoral. A diferença entre os dois governos de Paulo Souto e os dois de Wagner é abissal.

PIMENTA – Mas o Sul da Bahia e particularmente Itabuna indicaram não pensar da mesma forma.
DM – Em nossa região, é preciso “cair a ficha” para o que está acontecendo. Experimentaremos um desenvolvimento que tende a ser ampliado com a continuidade desse projeto político com Rui Costa. Isso vai permitir à região dar uma virada substancial a partir da implantação do Complexo Multimodal do Porto Sul.

PIMENTA – Já é possível apresentar um panorama de como ficará o tamanho das bases do governo e da oposição na Assembleia?

DM – As assembleias legislativas têm jogado um papel político muito pequeno na história brasileira, por isso eu acho que Rui não terá problema no relacionamento com o legislativo. Ficamos com a maioria da composição da Câmara Federal e acho que ganharemos a eleição presidencial, o que não põe em risco o projeto.

PIMENTA – Qual o tamanho do PCdoB após essas eleições?
DM – Nosso partido ampliou bastante o espaço político que ocupa na região. Em 2010, quando Wenceslau Júnior disputou o mandato de deputado estadual, teve 31.800 votos, e nós saímos agora com mais de 65 mil votos. É um saldo significativo, que indica uma acumulação de força política nesse período. A possibilidade inclusive de assumir o mandato é importante, já que essa lacuna que ficou na representação do sul Precisará ser preenchida. Nos governos estaduais, tradicionalmente, vários deputados são chamados para assumir cargos, tanto no governo federal quanto no estadual, e isso pode abrir um espaço de atuação política nossa na região. :: LEIA MAIS »

DECEPÇÃO DE SOUTO EM CANAVIEIRAS

Paulo Souto (DEM) fez comício ontem (28) à noite em Canavieiras, no sul da Bahia. Apesar do reforço de Geddel Vieira Lima (PMDB), candidato ao Senado, Souto saiu contrariado da Terra do Caranguejo por causa da praça esvaziada durante o ato político, mesmo tendo atraído eleitores da vizinha Una.

Comenta-se em Canavieiras que o fiasco tem a ver com a ausência de Souto na cidade. O ex-governador, segundo comentários, virou as costas para a cidade que antes ele dizia ser sua terra. Até mesmo a casa da família foi abandonada.

Curiosamente, Lúcio Vieira Lima, deputado federal e candidato à reeleição, fez caminhada e carreata na noite anterior. Estava acompanhado do prefeito Almir Melo (PMDB). Almir, como se sabe, apoia os irmãos Vieira Lima, mas faz campanha para outro candidato a governador, o petista Rui Costa.

Público acompanha Souto em comício em Canavieiras.

Público acompanha Souto em comício em Canavieiras (cartazes atrapalham visão).

Imagem do palanque enquanto discursa o ex-ministro Geddel. No detalhe da seta, vereadora aparece sentada após sofrer acidente.

Atualização às 23h.

SUL DA BAHIA PRETERIDO

Lula e Rui Costa em evento na capital baiana em junho (Foto divulgação).

Lula e Rui Costa em evento na capital baiana em junho (Foto divulgação).

O ex-presidente Lula fará a terceira visita à Bahia desde a convenção do seu partido, o PT. Mas, tudo indica, o interior do estado será preterido nesta campanha. Havia expectativa de que a estrela do partido participasse de comício em Itabuna ou Ilhéus, nesta semana, por ser a região onde o candidato ao governo baiano, Rui Costa, tem desempenho mais baixo. Não vem. Dia 1º, Lula estará, outra vez, em Salvador.

Aliás, a última visita de Lula ao sul da Bahia em atividade de campanha foi em 2000, quando o deputado federal Geraldo Simões (PT), atrás nas pesquisas, travava uma disputa dificílima contra o então prefeito Fernando Gomes. “Zé de Cuma” buscava a reeleição com o apoio do trio ACM, Paulo Souto e César Borges. Geraldo, com apoio e presença de Lula em caminhada considerada histórica, acabou eleito prefeito de Itabuna pela segunda vez.

LULA AQUI…

Lula e o candidato ao governo, Rui Costa, durante comício em Salvador (Foto Vaner Casas/BApress).

Lula e o candidato ao governo, Rui Costa, em Salvador (Foto Vaner Casas/BApress).

São cada vez menores as chances do ex-presidente Lula participar de comício no sul da Bahia. A expectativa era grande, principalmente para quebrar o clima de “não campanha” que impera na região.

Nos dois maiores municípios sul-baianos, Ilhéus e Itabuna, aliados questionam as poucas atividades. E têm em vista qual o maior prejudicado, o candidato ao governo Rui Costa (PT). “Nem parece que temos candidatura”, afirma um aliado. “O adversário (Paulo Souto) tem volume de campanha bem maior [no sul da Bahia]. Poderá refletir bem na urna”.

RENATA MALLET FAZ CAMPANHA NO SUL DA BAHIA

Mallet faz campanha no sul da Bahia (Foto Pimenta).

Mallet faz campanha no sul da Bahia (Foto Pimenta).

A candidata ao governo baiana pelo PSTU, Renata Mallet, concede entrevistas e participa de atividades na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) nesta sexta-feira (12).

Ontem (11), Mallet concedeu entrevista ao PIMENTA. Ela defende bandeiras do PSTU, avalia o quadro político baiano e disse que um eventual retorno de Paulo Souto (DEM) ao Palácio de Ondina será culpa do grupo do governador Jaques Wagner.

Para ela, o PT chegou ao poder e manteve algumas práticas carlistas – como a privatização da saúde, além de aliar-se a políticos do grupo do falecido ex-senador Antônio Carlos Magalhães.

GERALDO DEFENDE CENTRO DE LOGÍSTICA DO PORTO SUL EM ITABUNA

Geraldo: centro de logística em Itabuna.

Geraldo: centro de logística em Itabuna.

A implantação do Centro de Logística do Complexo Porto Sul em Itabuna está sendo defendida pelo deputado federal Geraldo Simões (PT).

O complexo intermodal demanda investimentos superiores a R$ 6,5 bilhões e inclui Porto Sul, Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) e um novo aeroporto na região da Ceplac, em Ilhéus.

A localização privilegiada de Itabuna e sua consolidação como polo comercial e de prestação de serviços, na opinião de Geraldo, justificam a instalação do Centro de Logística em Itabuna. O centro atrairá empresas que darão suporte ao porto, à ferrovia e ao aeroporto.

– Vamos trabalhar no Congresso Nacional para garantir que Itabuna receba o Centro de Logística, que vai gerar empregos e impulsionar a economia – disse o deputado.

A AULA NA ERA DE SUA REPRODUTIBILIDADE TECNOLÓGICA

Felipe de PaulaFelipe de Paula | felipedepaula81@gmail.com

A Universidade Federal do Sul da Bahia, que recebe seus primeiros estudantes no mês que vem, propõe uma formação diferenciada. A centralidade está no estudante.

Lembro-me de, há alguns anos, estar no meio de uma aula na universidade e perceber uma estudante com o celular apontado para mim, filmando minha explicação. Ao ser “flagrada” ela pareceu bastante tímida e foi logo se desculpando. Interrompi as explicações e disse: tudo bem, pode gravar. É até bom que, em caso de dúvidas, pode rever alguma explicação.

Depois de algum tempo e de atentar para falas de alguns colegas docentes, percebi o motivo da preocupação demonstrada pela estudante após ter seu ato notado: muitos professores se incomodam com a ideia de sua aula ser gravada.

Recentemente, ouvi professores se queixarem da ideia de terem suas aulas registradas. Poderiam, entre outros argumentos, não “estar inspirados” naquele dia. Ora, independente das tecnologias envolvidas, onde fica então o planejamento? Onde ficam os objetivos da ação educativa?

Particularmente, creio que a função de um professor (em sala ou fora dela) deva ser orientar a obtenção da maior quantidade de conhecimento possível para o maior grupo possível de estudantes. Não há sentido no conhecimento para poucos. A universidade não é um panteão para privilegiados detentores do saber. Ela deve ser um espaço de fronteiras cada vez mais alargadas – assim como os conhecimentos que ela propaga.

E, nesse processo, o centro nunca deve ser no professor. O centro é o estudante. No mundo repleto de tecnologias em que vivemos, não vejo o menor sentido em negar a um estudante que faltou a uma aula a chance de assisti-la em casa. Ou proibir aquele que não entendeu bem de ouvir novamente a explicação.

Toda celeuma em torno da presença da tecnologia em sala – seja gravando aula ou servindo de fonte de pesquisa – passa, no meu entendimento, por um processo de insegurança dos docentes. É mais simples “controlar o ambiente” e repetir o mesmo conteúdo por sucessivos períodos letivos. O estudante com visão ampliada, com as paredes da sala de aula derrubadas, representa sempre um desafio maior, um “incômodo” para muitos docentes.

A Universidade Federal do Sul da Bahia, que recebe seus primeiros estudantes no mês que vem, propõe uma formação diferenciada. A centralidade está no estudante. Todos terão suas formações baseadas em pedagogias ativas. A tecnologia é uma parceira e uma edificadora do aprendizado e não uma inimiga.

A sociedade contemporânea exige que sejamos todos educadores (e consequentemente aprendizes). Que bom que cada vez mais as “novas” tecnologias estão sendo aproveitadas. O papel e a caneta que os estudantes utilizavam são tecnologias. O papel evoluiu, o caderno evoluiu. Qual o pecado em, ao invés de copiar, fotografar o quadro? Gravar o áudio de uma explicação ou filmar uma aula? A sociedade mudou. A relação com o conhecimento mudou. O modo de aprender mudou. O modo de ensinar, também. Aprendem aqueles que ensinam. Estejamos todos dispostos a aprender.

Felipe de Paula é professor da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB).