WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
cenoe
nota premiada prefeitura ilheus





janeiro 2019
D S T Q Q S S
« dez    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

editorias






:: ‘tarifa de ônibus’

VEREADOR ALDENES CRITICA PROPOSTA DE AUMENTO DA PASSAGEM DE ÔNIBUS EM ITABUNA

Vereador Aldenes Meira questiona proposta de aumento da passagem

O reajuste na tarifa de ônibus de Itabuna, proposto pelo Conselho Municipal de Transporte Público no dia 3 dezembro, está sendo questionado pelo vereador Aldenes Meira. Se acatada pelo prefeito, a tarifa subirá de R$3,00 para R$3,80.

Aldenes lembra que, há pouco mais de 8 meses, a passagem foi reajustada, por decisão judicial, de R$2,85 para R$3,00. Além disso, as duas empresas vencedoras do processo licitatório para explorar o serviço de transporte coletivo em Itabuna não cumprem a lei aprovada na Câmara de Vereadores no período em que ele era o presidente.

A lei prevê a construção de dois terminais de transbordo para a integração, do sistema, implementação de serviços de GPS, da climatização dos ônibus e promoção de meios que assegurem a acessibilidade das pessoas com deficiências física e auditiva, entre outras.

“É inadmissível que a população pague por um reajuste acima do valor da inflação em Itabuna e após um aumento já realizado neste ano. Sem falar, as condições precárias em que se encontram os ônibus da cidade. Não podemos admitir que isso aconteça”, disse Meira.

TRANSPORTE PÚBLICO EM ITABUNA: A SERVIÇO DE QUE LÓGICA ESTÁ A CIDADE?

Davidson Brito | davidson_brito@yahoo.com.br

 

A surpresa mesmo, para alguns, existe quando a notícia de que o Conselho Municipal de Transporte, órgão representativo que é responsável por fiscalizar e nortear questões relativas ao transporte, assuma determinada posição sem levar em consideração elementos fundamentais para a tomada de uma decisão democrática, legal e transparente. Pior, ainda, é quando a prefeitura, que deveria ser a porta voz da maioria, vai justamente na contramão disso.

O colapso no transporte público deixou de ser uma ameaça há algum tempo e já é uma dura realidade para maioria da população itabunense. Ao passar dos anos, reclamações se acumulam e nada ou muito pouco tem acontecido. Certo mesmo tem sido ao início de cada novo ano a notícia do aumento na tarifa do transporte coletivo urbano e rural.

Não é preciso ser nenhum especialista para ver o óbvio: o transporte público em nossa cidade beira o caos. Tarifa cara, ônibus cheios e passageiros amontoados, desesperados para chegar ao trabalho ou em casa. Número de ônibus insuficientes e horas e horas a fio desperdiçadas diariamente nos pontos. Isso sem mencionar a sujeira acumulada nos veículos, além, é claro, do cotidiano desrespeito ao Estatuto do Idoso. E as principais vítimas, como não poderiam deixar de ser, são os trabalhadores e jovens da periferia que dependem do serviço e são obrigados a viver um inferno diário dentro dos coletivos.

Enquanto isso, o governo municipal de Fernando Gomes, por sua vez, insiste em fazer de conta que tal realidade não existe. E, quando fala sobre o assunto, foge dos reais problemas e tenta a todo custo criminalizar aqueles que buscam denunciar o atual estado do transporte. Longe de discutirem as reais causas para termos chegado a esse ponto, o governo parece tratar o assunto como mera obra do acaso, sem causas ou culpados. A população, por sua vez, é condicionada a se conformar e achar que esse problema não tem solução.

TRANSPORTE PÚBLICO, LÓGICA PRIVADA

Muitas pessoas em algum momento da vida se perguntaram: como o transporte é público se o serviço é restrito devido à cobrança da tarifa? A resposta para tal pergunta é muito simples e tem previsão legal no art. 175º da Constituição Federal, que incumbe ao Poder Público a prestação de serviços públicos, podendo ser de forma direta ou sob regime de permissão ou concessão, sempre através de licitação, como é o caso da situação do transporte em nossa cidade. E é justamente na maneira de como se dá essa concessão que começam nossos problemas.

As companhias públicas de transporte que existiam foram privatizadas nas últimas décadas. Esse processo seguiu o modus operandi das privatizações: primeiro, precariza-se o serviço para, então, passá-lo à iniciativa privada. Os resultados disso os usuários do serviço conhecem bem: tarifas mais caras, serviços piores e redução de direitos e salários dos funcionários.

A opção pelo transporte rodoviário em nosso país se deu devido à pressão e influência do setor privado, através das grandes multinacionais da indústria automobilística, como a Ford. A esse modelo, caro e ineficiente, imposto pelas multinacionais, soma-se o baixo investimento realizado pelos mais diferentes governos. Em Itabuna, a situação não é diferente, onde, segundo os dados do Portal da Transparência da Prefeitura, no ano de 2017 o município sequer chegou a investir o equivalente a 0,3% do PIB local.

Ao mesmo tempo, entregam a cada dia mais a cidade na mão do capital privado, deixando o controle total do serviço de transporte coletivo na mão das grandes empresas, verdadeiras máfias que, junto com os governos de plantão, assaltam o bolso da população e em troca oferecem um serviço precarizado, ineficaz e com tarifas em valores absurdos, que, diga-se de passagem, contam com o respaldo de todo o processo de licitação, que nos tempos atuais mais se parece com um grande acordo político contra o povo. :: LEIA MAIS »

POR QUE AS PREFEITURAS NÃO PRECISAM AUMENTAR A TARIFA DE ÔNIBUS TODO ANO

Rafael Calabria

 

O fato de a população ter pouco conhecimento sobre a legislação e as alternativas que outras cidades buscaram, aliado à grande pressão midiática, cultural e econômica em favor do uso do carro em nossa sociedade, facilita a omissão das administrações públicas e torna os repetidos aumentos tarifários medidas recorrentes.

Em todo começo de ano, milhões de pessoas são “assombradas” com os anúncios de aumento de tarifa nos sistemas de ônibus e trens pelo Brasil. Com a justificativa de cobrir a inflação ou reajuste das contas, os governos e prefeituras tratam o aumento como algo inevitável, se escorando no argumento da responsabilidade fiscal. Mas o que essa explicação esconde é que existem alternativas para as prefeituras tratarem a tarifa de ônibus com a responsabilidade que o assunto merece.

Um dos resultados marcantes dos protestos de junho de 2013 que se espalharam pelo país foi o destaque dado ao debate sobre o valor da tarifa de transporte no país. A discussão, porém, se concentrou em como a tarifa restringe o acesso de cidadãos aos serviços de transporte e não avançou sobre as formas de reduzir efetivamente o custo da tarifa.

A conta do transporte nas cidades tem um custo alto, não há como negar. Portanto, não se trata de baratear o transporte, piorar os ônibus ou degradar a qualidade. O objetivo é buscar formas de pagar o custo desse transporte, melhorar a qualidade e baratear a tarifa final do usuário, garantindo o acesso de mais pessoas ao direito à mobilidade.

Escolher como pagar as contas deve ser parte da decisão política de cada prefeito ou prefeita, governador ou governadora, e este é um dos casos em que já existe uma lei para ajudar o governante a tomar diferentes decisões para não aumentar, ou até reduzir o custo da tarifa.

A Política Nacional de Mobilidade Urbana, aprovada em 2012, envolve essa discussão e possibilita que o gestor público busque recursos em algumas áreas para cobrir o custo da tarifa. Esses recursos podem vir de receitas alternativas ou de compensações e tributações de outras categorias que se beneficiam dos serviços de transporte.

As receitas alternativas são interessantes e não oneram nenhum cidadão. As mais conhecidas são os espaços para propaganda dentro dos ônibus e exploração comercial de espaços de terminais e estações ferroviárias trazendo outros serviços agregados para o usuário do transporte e gerando receita para baratear a tarifa. Essa possibilidade é especialmente importante para cidades que estão discutindo suas licitações de ônibus, como é o caso de São Paulo, Natal e Porto Velho.

A outra opção, a tributação de setores que se beneficiam do serviço de transporte, seria uma importante ferramenta para melhorar a mobilidade das grandes cidades. Essa solução envolve várias opções como uma taxação sobre o litro da gasolina, políticas de estacionamento, uso do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) ou até outorgas que recolham receitas da valorização imobiliária de terrenos valorizados pelo transporte. Embora gere bastante rejeição, a tributação do uso do carro é a opção política mais interessante, pois, além de baratear o custo das passagens, desestimula o uso do automóvel particular, trazendo melhorias para a fluidez do transporte público e para a qualidade do ar das cidades. :: LEIA MAIS »

FRENTE ANUNCIA PROTESTOS CONTRA REAJUSTE DA PASSAGEM EM ITABUNA

Tarifa de ônibus passará a R$ 3,30 a partir de 8 de fevereiro || Foto Pimenta/Arquivo

Após criar frente contra o reajuste da passagem de ônibus em Itabuna, movimento integrado por estudantes secundaristas e universitários, trabalhadores e usuários do transporte anunciaram manifestação para a próxima terça (30), com saída da Praça Simão Fitermann, no São Caetano, a partir das 9h30min. A passagem custa R$ 2,85 e saltará para R$ 3,30 em 8 de fevereiro, conforme decreto assinado pelo prefeito Fernando Gomes.

Para os integrantes do movimento, não houve transparência nos critérios adotados pela prefeitura para autorizar o aumento. Antes de decretar reajuste de R$ 3,30, o município havia sinalizado que a tarifa justa seria R$ 3,00 (reveja aqui).

Antes, o Conselho Municipal de Transporte de Itabuna havia autorizado aumento para R$ 3,50. A frente de luta questiona, por exemplo, o voto dos representantes dos usuários e dos estudantes secundaristas a favor do reajuste de R$ 3,50.

As pressões contra o reajuste se intensificaram nos últimos dias e houve protesto dos estudantes e trabalhadores durante a Lavagem do Beco do Fuxico, na quinta (18). O movimento criou uma página no Facebook para as ações contra o reajuste. O endereço é www.facebook.com/contratarifa.itb. A promessa é de que os protestos contra o reajuste aumentem nos próximos dias anteriores ao aumento.

ITABUNA: PASSAGEM DE ÔNIBUS CUSTARÁ R$ 2,85

Passagem custará R$ 2,85 a partir de 30 de dezembro (Foto Waldyr Gomes/Arquivo).

Passagem custará R$ 2,85 a partir de 30 de dezembro (Foto Waldyr Gomes/Arquivo).

A partir do dia 30 de dezembro, a tarifa de ônibus em Itabuna custará R$ 2,85. O aumento de 14% foi autorizado pelo prefeito Claudevane Leite por meio do decreto 11.919, publicado na edição eletrônica do Diário Oficial do Município, nesta noite de terça (29).

Na manhã de ontem (28), o PIMENTA já havia antecipado que a tarifa seria majorada (relembre aqui).

Até abril do ano passado, o usuário de transporte coletivo em Itabuna pagava R$ 2,20 de tarifa. Após período de congelamento, a passagem subiu para R$ 2,50, chegando agora a R$ 2,85.

CONTRAPARTIDA

Para a concessão do reajuste, as empresas São Miguel e a Porto Seguro, que substituirá a Expresso Cachoeira, terão que oferecer metade da frota com, no máximo, dois anos de uso e 50% com até oito anos. As vencedoras da concessão licitada neste ano terão que construir dois terminais de integração e, ainda, oferecer 100% dos veículos adaptados para pessoas com deficiência. Os veículos devem ter GPS.

O decreto não informa quando a Porto Seguro começará a explorar o lote de linhas vencidas na licitação no início deste semestre. O contrato foi assinado na semana passada. A empresa pertence a um grupo envolvido em denúncias de licitações combinadas em boa parte do Brasil, inclusive no município de Porto Seguro. Até aqui, não há denúncia de irregularidade relacionada ao processo licitatório em Itabuna.

 

TARIFA DE ÔNIBUS FICA MAIS CARA EM SALVADOR E NO RIO

As tarifas de ônibus urbanos do Rio de Janeiro e de Salvador estão mais mais caras desde hoje (2). Um decreto do prefeito Eduardo Paes, publicado no Diário Oficial do município no dia 31 de dezembro, aumentou o preço da passagem de R$ 3,40 para R$ 3,80. O reajuste se aplica também ao Bilhete Único Carioca, que pode ser usado em até duas viagens em ônibus ou ônibus e trem dentro do Rio.

O aumento de 11,8% foi calculado através de índices da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já em Salvador, o reajuste foi de 10% (ou R$ 0,30). A tarifa passou de R$ 3 para R$ 3,30.

Em Salvador, o mesmo reajuste da tarifa de ônibus foi aplicado ao metrô, também a partir de hoje.

Além de Rio e Salvador, outras capitais também já tiveram ou terão aumentos de tarifas de ônibus neste mês, como Boa Vista (10,7% desde ontem), Belo Horizonte (8,45% a partir do dia 3), Florianópolis (11,94% a partir do dia 3) e São Paulo (8,57% a partir do dia 6).

APÓS FERIADO, PASSAGEM A R$ 2,80 EM ILHÉUS

Tarifa de ônibus salta de R$ 2,60 para R$ 2,80 em Ilhéus.

Tarifa de ônibus salta de R$ 2,60 para R$ 2,80 em Ilhéus (Foto Google).

O ilheense retorna à rotina com uma novidade indigesta: a passagem de ônibus fica mais cara nesta terça (3), após o Feriado de Finados. O aumento foi autorizado pelo prefeito Jabes Ribeiro antes da viagem para Paris.

A partir desta terça, quem pega o busão paga R$ 2,80 por viagem. O reajuste de R$ 0,20, segundo o governo, ficou até abaixo da planilha elaborada pelo município, que cravou R$ 2,87. As empresas pediam reajuste da tarifa para R$ 3,52.

TARIFA DE ÔNIBUS CUSTARÁ R$ 2,50 EM ITABUNA

Tarifa de ônibus custará R$ 2,50 em Itabuna.

Tarifa de ônibus custará R$ 2,50 em Itabuna.

O itabunense deverá preparar o bolso. A tarifa de ônibus será reajustada em 13,63% pelo prefeito Claudevane Leite. A passagem saltará de R$ 2,20 para R$ 2,50. O decreto do reajuste deverá ser assinado na próxima quinta (9) e a tarifa entrará em vigor em 30 dias, conforme lei municipal.

As empresas pediam aumento da tarifa para R$ 2,90, mas o Conselho Municipal de Transportes concedeu os 13,63%. A São Miguel e a Expresso Rio Cachoeira terão que renovar a frota em, pelo menos, 30% até o aniversário da cidade (28 de julho), sendo 15 ônibus novos e 15 com até cinco anos de uso.

Roberto José, secretário de Transporte e Trânsito, informou que os estudos da sua Pasta apontaram tarifa a R$ 2,86, levando em conta aumento de custos desde abril de 2011, última vez que a tarifa teve reajuste.

O prefeito Claudevane Leite assinará o decreto de reajuste na quinta (9), após retornar da Marcha Nacional dos Municípios, em Brasília. O reajuste contraria promessa feita por Vane no ano passado, quando afirmou que somente reajustaria a passagem se as empresas melhorassem a qualidade do serviço. Na seção comentários do blog, o usuário poderá dizer o  que sente quando precisa pegar ônibus.

 

RESULTADO DE ESTUDO DA TARIFA DE ÔNIBUS PROVOCA CONFRONTO E VAIAS PARA JABES

Estudante mascarado mostra bala disparada pela PM (Foto Maurício Maron/JBO).

Estudante mascarado mostra bala disparada pela PM (Foto Maurício Maron/JBO).

Jornal Bahia Online

A realização de um estudo sobre o valor da tarifa no transporte coletivo de Ilhéus era vista pelo Movimento Reúne Ilhéus como essencial para a redução no valor da tarifa. Não é o que aponta o trabalho feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), instituição ligada à Universidade de São Paulo. O estudo revela a necessidade de um aumento no valor da tarifa, que pode variar de R$ 2,60 a R$ 2,70.

O anúncio deste diagnóstico não pôde sequer ser concluído ontem à noite. Estudantes que compareceram à sede da Justiça Federal, onde aconteceu a audiência, não gostaram do resultado e protestaram. O prefeito Jabes Ribeiro; o vice, Carlos Machado, secretários, assessores municipais e vereadores tiveram que contar com a segurança de guardas municipais e de PMs para conter os ânimos dos manifestantes e deixarem o local.

Na saída, mais confusão. Os protestos continuaram. Estudantes ameaçaram atacar um ônibus que trafegava pela área e a PM agiu. Balas de borracha foram disparadas contra o grupo. Um estudante foi atingido. Mascarados provocavam a polícia e xingavam as autoridades locais. O clima de tensão só foi controlado quase uma hora depois do prefeito Jabes Ribeiro deixar o local sob fortes vaias.

Clique e confira imagens do confronto e a matéria na íntegra

EMPRESAS QUEREM TARIFA DE ÔNIBUS A R$ 3,19 EM ILHÉUS

Viametro e São Miguel querem tarifa a R$ 3,19 em Ilhéus (Foto Railan Nascimento).

Viametro e São Miguel querem tarifa a R$ 3,19 em Ilhéus (Foto Railan Nascimento).

As empresas São Miguel e Viametro ingressaram com ação na Justiça para reajustar a tarifa de R$ 2,40 para R$ 3,19. De acordo com o processo, as duas detentoras das concessões de transporte público alegam “desequilíbrio econômico-financeiro” com o valor de R$ 2,40, que entrou em vigor em julho de 2012.

As duas empresas entregaram planilhas e queriam tarifa a R$ 3,12 no ano passado. O município não concedeu o reajuste por causa da pressão popular e do Movimento Reúne Ilhéus, que acampou em frente à sede da prefeitura (Palácio Paranaguá) por cem dias. Uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) foi instalada em Ilhéus para analisar a “caixa-preta” do transporte público, mas a bancada governista travou as investigações.

O secretário de Desenvolvimento Urbano de Ilhéus, Isaac Albagli, afirmou que qualquer reajuste somente será concedido após a conclusão de auditoria no sistema de transporte. O estudo é feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

REAJUSTE À VISTA

Empresas ensaiam nova pressão por reajuste de tarifa.

Empresas ensaiam nova pressão por reajuste de tarifa.

A Associação das Empresas de Transporte Urbano (Aetu) ensaia um pedido de reajuste de tarifa de ônibus em Itabuna. A planilha deve ser apresentada ao prefeito Claudevane Leite assim que o gestor retornar das férias de fevereiro.

As empresas pediram aumento ano passado, mas a pressão popular segurou o reajuste. À época, em junho, a tarifa saltaria dos R$ 2,20 para R$ 2,40, valor que, inclusive, foi aprovado pelo Conselho de Transporte Público. Vane só não assinou o decreto de reajuste por causa da pressão popular.

TARIFA DE ÔNIBUS INTERMUNICIPAL É REAJUSTADA

Linhas intermunicipais terão reajuste de 7% (Foto Divulgação).

Linhas intermunicipais terão reajuste de 7% (Foto Divulgação).

Viajar vai ficar mais pesado para o bolso dos baianos.

A agência que regula o serviço de transporte no Estado, a Agerba, concedeu reajuste de 7% para as linhas de ônibus intermunicipais. O reajuste passa a valer neste sábado (21) para vários trechos do sul da Bahia operados pela Rota Transportes.

A linha Ilhéus-Itabuna terá tarifa reajustada de R$ 5,00 para R$ 5,50. A diferença de 10% no valor da tarifa é atribuída a desconto que a empresa concedia nesta linha no último reajuste, ano passado.

No trecho Itabuna-Salobrinho (Uesc), a tarifa salta de R$ 2,10 para R$ 2,25.

JABES DIZ QUE NÃO HÁ COMO REDUZIR TARIFA DE ÔNIBUS

O prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, não pisa no Palácio Paranaguá há quase 40 dias. Ontem à noite, foi surpreendido pelos integrantes do Reúne Ilhéus enquanto comia acarajé na Praça Castro Alves (Praça do Acarajé da Irene). Não viu outro caminho a não ser conversar com os manifestantes. Aliás, a conversa foi a de sempre: disse que não há como reduzir a tarifa de ônibus nem conceder passe livre aos estudantes. A foto é de Luiz Fernandes Ferreira.

O prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, não pisa no Palácio Paranaguá há quase 40 dias. Ontem à noite, foi surpreendido pelos integrantes do Reúne Ilhéus enquanto comia acarajé na Praça Castro Alves (Praça da Irene). Não viu outro caminho a não ser conversar com os manifestantes. Aliás, a conversa foi a de sempre: disse que não há como reduzir a tarifa de ônibus nem conceder passe livre aos estudantes. Por fim, pediu aos estudantes a desocupação da frente do palácio e passem a acampar na praça ao lado. A foto é de Luiz Fernandes Ferreira.

BUSÃO EM ITABUNA: MOVIMENTO REJEITA CONVITE PARA INTEGRAR COMISSÃO TARIFÁRIA

Estudantes foram às ruas cobrar melhorias no transporte público em Itabuna (Foto Pimenta).

Estudantes foram às ruas cobrar melhorias no transporte público em Itabuna (Foto Pimenta).

O Comando Popular Itabuna (CPI) rejeitou convite para integrar comissão que estudará a tarifa de ônibus no município. Numa nota distribuída hoje, o CPI acusa o Governo Vane de  querer “institucionalizar a luta” pela redução da passagem e “engessar o movimento popular”. O comando também enxerga no convite para compor a comissão uma tentativa de “transferir responsabilidades” e “prorrogar decisões políticas”.

O movimento cobra do governo “ações concretas e imediatas” pela melhoria do transporte público no município. A tarifa de ônibus em Itabuna custa R$ 2,20. As ações do movimento brecaram o reajuste para R$ 2,50, em junho, quando centenas de estudantes secundaristas e universitários foram às ruas, sob o grito de ordem “se a tarifa aumentar, Itabuna vai parar”.

O município tem uma das frotas mais antigas da Bahia. Veículos com 14 anos são colocados pelas empresas para atender a população.

Movimento que não tem líderes, assim como o Passe Livre (MPL), o Comando Popular de Itabuna cobra a meia passagem para pré-vestibulandos, estudantes de ensino a distância, cursos profissionalizantes e de pós-graduação. Um documento com a pauta foi entregue aos representantes do município no dia 5 de julho.

O CPI tem entre as reivindicações o passe livre para estudantes, desempregados e idosos e melhoria na qualidade do serviço, além de regulamentação do serviço mototáxi, investimento em mobilidade urbana e o fim da dupla função para motoristas (“motocobra”). Outro ponto polêmico defendido pelo movimento é a municipalização do transporte público.

CPI COBRA REDUÇÃO DE TARIFA DE ÔNIBUS E PRESSIONA VEREADORES EM ITABUNA

O Comando Popular Itabuna fez ontem à tarde (8) críticas ao Conselho de Transporte de Itabuna durante manifestação no plenário da Câmara de Vereadores. O CPI reúne estudantes secundaristas e universitários e levanta bandeiras como passe livre e redução da tarifa de ônibus.

A Guarda Municipal foi acionada para tentar conter os manifestantes. Não houve confronto, mas um guarda tenta fazer com que estudante recolha cartaz.

Os integrantes do CPI encerraram a manifestação com palavras de ordem que se tornaram “hino” do movimento: “Se a tarifa não baixar, Itabuna vai parar”. Confira momentos do protesto no vídeo abaixo.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia