WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia




alba








novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

editorias






:: ‘território’

O TEMPO FECHOU NA CEPLAC

Helinton Rocha (esquerda) isolou os representantes da região. Joelson Ferreira chiou

Helinton Rocha (esquerda) isolou os representantes da região. Joelson Ferreira chiou

A velha UDR (União Democrática Ruralista), que representou o setor mais reacionário da direita brasileira, praticamente renasceu na manhã desta quinta-feira, 24, na Ceplac. O autor da proeza foi ninguém menos que o diretor do órgão federal, Helinton Rocha, que se deslocou de Brasília para a região e, com pose de Midas, declarou que tinha o plano mágico para resolver os problemas da cacauicultura.

A mesa montada na Ceplac para o milagroso anúncio tinha quase somente representantes do agronegócio. Da Bahia, apenas o titular da Seagri, Eduardo Sales, e Guilherme Moura, da Federação da Agricultura (Faeb), também representando a Confederação Nacional da Agricultura (CNA). Da região, ningas, possivelmente porque as cabeças coroadas veem a turma local como um balaio de incompetentes. Dos movimentos sociais, zero.

Talvez por não acreditar em milagres, o presidente da Câmara Setorial do Cacau, Durval Libânio, pediu a palavra, e afirmou que a cacauicultura não precisa de uma agenda nova, mas tão somente de cumprir a que está posta.

Joelson Ferreira, do Movimento dos Sem-Terra e coordenador do Território de Identidade do Litoral Sul da Bahia, teve que gritar do meio da plateia, pois não lhe concederam formalmente o direito de se manifestar. Ele criticou duramente os que se imaginam donos da verdade e supremos detentores de todo o saber, a ponto de apostar em planos miraculosos concebidos a portas fechadas em gabinetes de Brasília. Sem a necessária humildade de ouvir quem está no campo e tem conhecimento acumulado na matéria.

Arrogância tem limite. Mas hoje o grito da senzala constrangeu a casa grande.

VOCÊ CONHECE NECO?

Em Ilhéus, durante a posse da nova comissão provisória do PMDB, o prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo (DEM), recebeu pressão por causa da disputa territorial com o município vizinho. Como se sabe, Itabuna briga para ter direito de propriedade sobre a área onde estão os supermercados Atacadão e Makro, o que Ilhéus não aceita de jeito nenhum.

Durante o evento do PMDB, Azevedo foi interpelado por Jamesson Araújo, do Agravo, que chegou para o prefeito e disse: “Capitão, largue minha cidade em paz!”.

Na parede, o capitão respondeu bem ao seu modo, ou seja, eximindo-se de qualquer responsabilidade pelo quiproquó. Preferiu sair pela tangente e apontar o deputado Coronel Santana (PTN) como o semeador da discórdia.

Jamesson publicou o diálogo em sua página no Facebook.

NOVO AGENTE TERRITORIAL

Gabrielli dá posse a Marcos Souza como agente territorial (foto Gilvan Rodrigues)

O administrador de empresas Marcos Souza é o novo agente do Território Litoral Sul da Bahia. Souza foi um dos 27 agentes empossados no início da semana pelo secretário estadual de Planejamento e Tecnologia, José Sérgio Gabrielli. A ocupação do cargo foi precedida de uma seleção, ocorrida no mês passado.

O agente territorial tem a incumbência de articular e promover as políticas públicas governamentais e não-governamentais a partir de demandas listadas pelos Colegiados Territoriais.

Marcos Souza já fazia parte do corpo administrativo do Território Sul da Bahia e possui grande experiência na formulação de políticas territoriais.

MOACYR “VOLTA” À PRESIDÊNCIA DA AMURC

Foi essa a impressão durante o encontro ocorrido nesta manhã, no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, em Ilhéus, onde representantes de municípios que integram o Território Litoral Sul discutiam o Plano Plurianual Participativo 2012-2015. Todas as autoridades, da senadora Lídice da Mata (PSB) ao secretário de Planejamento, Zezéu Ribeiro, tratavam o prefeito de Uruçuca, Moacyr Leite, como “presidente da Amurc”.

Leite ocupou o cargo até janeiro deste ano, quando se deu a eleição de Cláudio Dourado, prefeito de Ibicuí. Mas este município não integra o Território Litoral Sul.

Curioso é que o prefeito Newton Lima, de Ilhéus, cidade-anfitriã do evento, não mereceu a mesma consideração do ex-titular da Amurc. E Newton é presidente de honra da entidade!

LIONS DE ITABUNA ELEGE FILHO DE SANTANA. O DE ILHÉUS REPUDIA O DEPUTADO

 

Filho de Santana é eleito presidente do Lions em Itabuna na mesma semana em que o Lions de Ilhéus aprovou moção de repúdio contra o deputado

Disputas territoriais dividiram os “leões” sul baianos na última semana. Na Terra da Gabriela, o Lions Clube Ilhéus-Centro aprovou no dia 27 uma moção de repúdio contra o deputado estadual Coronel Gilberto Santana Filho (PTN), criticado por sua aguerrida campanha para que Ilhéus perca porções de seu território para as vizinhas Itabuna e Coaraci.

Enquanto o Lions ilheense desancou o coronel, o Lions Clube de Itabuna o prestigiou, elegendo Gilberto Santana Neto, seu filho, como o novo presidente da entidade para o ano leonístico 2011-2012.

A escolha se deu no dia 29 e soou praticamente como um desagravo.

SÍNDROME DE NAPOLEÃO

Gerson Marques | gersonilheus@gmail.com

 

Não seria necessário lembrar que o Coronel Deputado tem uma longa história de serviços prestados às causas do autoritarismo e da ditadura.

 

Mal-assessorado ou mal-intencionado, sabe-se lá, o coronel, deputado Gilberto Santana, inventou um factoide certo de que isso pode render votos ao seu projeto de se tornar prefeito em Itabuna. A ideia mirabolante é tomar grande parte do território de Ilhéus, estendendo a fronteira itabunense para logo depois da Uesc (sentido Itabuna/Ilhéus). Da noite para o dia, seriam de Itabuna não somente os dois hipermercados, como também Ceplac, Uesc, Salobrinho, seus habitantes, bichos, rios e florestas.

Pode-se até imaginar uma reunião do deputado com sua assessoria como em uma cena do famoso desenho animado dos anos noventa, “Pink e Cérebro”, em que um dos personagens fricciona as mãos e diz: “qual a ideia genial para dominarmos o mundo hoje, chefe?”, no que o chefe dana a apresentar suas ideias mirabolantes que nunca dão certo.

O Coronel Deputado faz parte de uma comissão da Assembleia Legislativa encarregada de resolver exatamente litígios territoriais entre as cidades baianas. Ao inventar esse factoide, ele abre mão da condição de juiz e torna-se parte, o que o descredencia completamente para permanecer na comissão. Nesse caso, paira sobre o deputado uma suspeição, ele já tomou lado antes de concluir os trabalhos.

:: LEIA MAIS »

DEPUTADO QUER O SALOBRINHO PARA ITABUNA

O deputado estadual Coronel Gilberto Santana (PTN), que integra a Comissão de Assuntos Territoriais e Emancipação da Assembleia Legislativa da Bahia, pôs fogo na disputa entre Itabuna e Ilhéus pelas terras onde estão os supermercados Makro e Atacadão.

Santana defende não somente que o território de Itabuna seja ampliado para a área ocupada pelas duas empresas, mas também que chegue até o bairro ilheense do Salobrinho, onde fica o campus da Universidade Estadual de Santa Cruz.

Na opinião do parlamentar, Ilhéus ainda precisa ceder outras áreas. Os distritos de Inema e Pimenteira, por exemplo, deveriam ser incorporados ao município de Coaraci, de cuja sede estão mais próximos.

É mais combustível para a “Batalha de Quiricós”…

NOVO CAPÍTULO DA BATALHA DE QUIRICÓS

O deputado estadual João Bonfim (PDT) e outros membros da Comissão Especial de Assuntos Territoriais e Emancipação da Assembleia Legislativa da Bahia estarão hoje em Ilhéus e Itabuna. O objetivo é verificar in loco a disputa travada entre as duas cidades pela faixa de terra onde estão instalados os supermercados Makro e Atacadão.

Os parlamentares desembarcam às 11 horas no Aeroporto Jorge Amado e seguem para a área onde fica o limite entre os municípios. Está programada uma visita aos marcos situados na Ilha de Quiricós e no bairro de Nova Califórnia.

O grupo será recebido por representantes dos dois municípios envolvidos na “batalha”, que será decidida por meio de projeto de lei da AL.

ILHÉUS E ITABUNA: A “GUERRA” DA FRONTEIRA

Foto Marcel Leal/A Região

A disputa travada em Itabuna e Ilhéus pela área onde estão situados os supermercados Makro e Atacadão terá mais um capítulo. Nesta quinta-feira, 17, às 9 horas, técnicos da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), estarão na “Faixa de Gaza” para tentar dirimir o conflito.

Representantes das prefeituras das duas cidades também foram convidados. Ambos os prefeitos estarão no local, com membros de seus respectivos primeiros escalões.

Documentos da SEI aos quais o PIMENTA teve acesso apontam Ilhéus como titular dos direitos sobre a área objeto do litígio. O prefeito de Itabuna já tem conhecimento do fato, mas foi orientado a questionar o mapeamento.

A briga ainda vai render.

ITABUNA E ILHÉUS VÃO DISPUTAR TERRITÓRIO

Newton viaja amanhã para Veneza, enquanto itabunenses iniciam operação para tomar área onde é construído o Carrefour

Se o debate sobre que ponta do “eixo Ilhéus – Itabuna” se beneficiará mais da presença do Atacadão Carrefour na rodovia Jorge Amado já fez ressurgir o velho e acalorado bairrismo, o que está por vir anuncia briga muito mais quente.

Nesta terça-feira (13), enquanto o prefeito Newton Lima, de Ilhéus, embarca para a Itália,  uma expedição itabunense adentrará em terras até hoje reconhecidas como pertencentes ao município vizinho. Munidos de GPS e outros apetrechos, os desbravadores querem provar que um significativo pedaço de chão deve mudar de dono.

Não se trata de coisa pequena. A área em questão fica às margens da rodovia BR- 415, tendo acesso por estrada vicinal nas imediações da sede do Tático Ostensivo Rodoviário (TOR).

Caso as marcações da divisa sejam alteradas, o terreno onde está sendo construído o Atacadão passará a ser legitimamente itabunense. Mais do que uma mera disputa territorial, está em jogo a gorda contribuição que a empresa dará em recolhimento de tributos.

Todo o procedimento para a instalação do Carrefour, a exemplo do licenciamento ambiental, foi realizado junto a órgãos ilheenses. Ainda não se sabe que consequências teria  nesse aspecto uma eventual redefinição de limites. Mas é certo que a intenção expansionista itabunense existe e a estratégia está deflagrada.

Newton, o gondoleiro, acompanhará os primeiros momentos dessa batalha direto de Veneza. Deixa o vice Marão, recém-operado e liberado com restrições pelo “departamento médico”, para fazer a defesa dos interesses ilheenses.

A briga promete…








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia