WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
cenoe





dezembro 2018
D S T Q Q S S
« nov    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

editorias






:: ‘tráfico de drogas’

XANDE E ALAN MECÂNICO SÃO PRESOS COM ARMAS E DROGAS EM BUERAREMA

“Xande” e “Alan Mecânico” foram presos por tráfico em Buerarema || Foto SSP-BA

Investigadores da Polícia Civil em Buerarema prenderam Alexandre Alves de Oliveira, o “Xande”, e Alan Santos Kruschewsky, o “Alan Mecânico”, neste final de semana. A polícia cumpriu mandado de prisão preventiva por tráfico de drogas, expedido pelo juízo da Comarca local.

Xande e Alan Mecânico são apontados pela polícia como responsáveis pela venda de drogas na “Boca do Xande”. Alan já possui passagem pela polícia. Segundo o delegado de Polícia Civil em Buerarema, Clodovil Moreira Soares, a prisão de Xande e Alan foi solicitada após a apreensão de drogas.

Segundo a autoridade policial, os investigadores apreenderam, na “Boca do Xande”, 45 papelotes de cocaína, seis pedras de crack e 53 buchas de maconha, além de um revólver calibre 32, dez munições e um simulacro de arma de fogo.

Xande e Alan Mecânico foram encaminhados para o Presídio de Itabuna. A droga, arma e munições apreendidos passaram por perícia no Departamento de Polícia Técnica (DPT), conforme o delegado. Alan Mecânico já tem passagem pela polícia. Em 2016, foi preso pelo crime de lesões corporais contra um vereador do município.

O CRESCIMENTO DO MORRO FOI FINANCIADO PELO ASFALTO

Walmir Rosário

 

E o remédio tem de ser ministrado conforme a doença, para curar e não como paliativo. Não conheço a área de saúde, mas, pelo que me consta, um simples analgésico não combate um câncer em estado terminal. Pode, no máximo, abrandar a dor.

 

Que os cheiradores, maconheiros, fumantes de crack e outros viciados em drogas ilícitas me perdoem, mas são eles os grandes culpados pelo alto índice de violência que toma conta do Brasil, de norte ao sul. Nesta mesma conta, coloco também os políticos brasileiros responsáveis pela elaboração de leis estapafúrdias, que criminalizam os traficantes de drogas e livram a cara dos consumidores.

O tráfico de drogas é uma atividade ilícita. Claro que para o ato ser consumado necessita da participação de dois atores: o que vende e o que compra, embora nessa cadeia também seja criminalizado o que produz. Fere todos os princípios da lógica impor penalidades apenas para quem produz e vende, descriminalizando quem consume. Essa é mais uma das jabuticabas brasileiras.

É impossível existir o vendedor se, do outro lado, não tiver o comprador. Simples, qualquer tipo de atividade – lícitas ou ilícitas – não conseguirá sobreviver se não for completada com essa ligação. E esse elo foi desfeito pelos políticos apenas para essa legislação, com a simples finalidade de agradar uma grande parte de bandidos – com ficha nos órgãos policiais e judiciários, ou não – que se locupletam com o tráfico.

Chega a ser ridículo a chamada sociedade do asfalto reclamar segurança, quando é ela mesma – com as devidas exceções – quem financia a violência desenfreada, para usar a gíria do próprio Rio de Janeiro. As classes média e alta da chamada zona sul da cidade, hoje nem maravilhosa assim, se abastecem de drogas ilícitas vindas do alto dos morros, agora batizados de comunidade, pagando regiamente aos traficantes, promotores da violência.

O que causa revolta é que todo esse comércio ilegal funciona desde antes com a licença e complacência das nossas autoridades, que utilizam o tráfico de influência em troca de votos, como está largamente provado. E essa licenciosidade vem descendo em cadeia pelos diversos membros dos representantes do Estado, conforme as hierarquias, até chegar aos escalões mais chulos.

A permissividade de nossas autoridades criou um verdadeiro monstro, que deixou de atuar no alto dos morros e invadiu o asfalto – os bairros chiques da zona sul carioca e outras cidades do Grande Rio. E, em vez de papelotes de cocaína, trouxas de maconha e pedras de crack, também chegou espalhando o terror, com as gangues assaltando pessoas nas ruas, nos restaurantes e os conhecidos arrastões nas praias.

Hoje, essas quadrilhas criadas e incentivadas com o dinheiro da venda de drogas se impõem com o dinheiro produto da venda e passou a substituir o Estado no alto do morros, aliciando menores para o trabalho dos “aviões”, futuramente guindados aos cargos de bandidos das mais diversas especialidades. É bom que se diga, que esse volume enorme de dinheiro não paga imposto de renda, previdência nem outros tributos a nós destinados.

E a lei do morro – chamada teimosamente de comunidade – é terrível. Pior do que a Lei de Talião, de olho por olho, dente por dente, tem julgamentos sumários, sem direito a qualquer defesa, nem mesmo dos grupos de direitos humanos. Controlam todo o comércio, as idas e vinda dos moradores, a subida dos visitantes do asfalto em busca das drogas, as direções das obedientes associações de moradores, sob o jugo dos chefões do tráfico, com a leniência dos sucessivos governos.

O poder dos chefões das quadrilhas que comandam o tráfico é tão grande e organizado que, mesmo de dentro dos presídios de segurança máxima, comandam toda atuação como se fosse uma empresa exemplarmente bem administrada. Influenciam na política, nos órgãos do Estado e traçam estratégias logísticas de fazer inveja aos administradores mais conceituados.

Importam equipamentos bélicos por diversas rotas – terra, mar e ar –, seja de forma legal, com notas fiscais, como no caso dos fuzis de grande alcance vindos dos Estados Unidos pelo aeroporto do Galeão, ou por contrabando por nossas vastas fronteiras. Para comprar armas e munições não dependem de obediência à lei das licitações, cumprindo prazos e preços menores. Sequer exigem nota fiscal.

E o Rio de Janeiro exportou esse know how para São Paulo, que o aperfeiçoou e o utiliza, transferindo para todo o país, sem a menor cerimônia, substituindo a direção de presídios e a conduta cheia de regalia dos detentos que têm dinheiro. Esses desmandos deixaram de ser noticiados a boca pequena e passaram ao noticiário das grandes redes de jornais, rádios e televisões, com provas bem documentadas.

A situação é tão grave que o cidadão não pode circular livremente pelas ruas, como antes, sem o risco de ser assaltado, caso carregue dinheiro ou objetos de valor em seu poder, ou tomar uma surra, caso não os tenha. Apesar de todas essas evidências e provas, os números apresentados pelos governos dos estados contrariam a verdade mais do que verdadeira. Todos são honestos porém meu chapéu sumiu.

Se quisermos enfrentar e dizimar o crime organizado, temos que partir para a política de tolerância zero, começando as ações através do voto, separando o joio do trigo na nossa miserável política. Estamos numa guerra em que temos que combater a violência, a falta de ética e de moral em todas os segmentos governamentais e na iniciativa privada, caso contrário, estaremos fadados a nos transformar num Haiti e anos passados.

E o remédio tem de ser ministrado conforme a doença, para curar e não como paliativo. Não conheço a área de saúde, mas, pelo que me consta, um simples analgésico não combate um câncer em estado terminal. Pode, no máximo, abrandar a dor. Caso as ações da intervenção federal na área de segurança pública no Rio de Janeiro não alcance os objetivos, a violência se multiplicará de forma geométrica em todo o Brasil.

Walmir Rosário é radialista, jornalista e advogado. Também edita o www.ciadanoticia.com.br.

BARRA GRANDE: GERENTE DE POUSADA É PRESO EM OPERAÇÃO DA POLÍCIA CIVIL CONTRA O TRÁFICO

Prisões por tráfico ocorreram nesta manhã em Barra Grande, em Maraú || Foto Google

Uma operação da polícia civil em Barra Grande, no município de Maraú, resultou na prisão de um dono de pousada e na apreensão de drogas e munições, no início da manhã desta quinta (28). O empresário Ícaro Melo Malaquia, gerente da Pousada da Barra, foi preso com 1,658 quilo de maconha prensa e in natura.

Ainda de acordo com o delegado regional em Ilhéus, Evy Paternostro, durante a Operação Carapitangui foram apreendidos com Ícaro, 28 gramas de haxixe, 25 micropontos de da droga sintética LSD, 3 porções de MD, além de munições de calibres 12 e 38, balança de precisão e 3 aparelhos celulares. O empresário foi levado para a carceragem da 7ª Coorpin, em Ilhéus, e está à disposição da Justiça.

Drogas e materias apreendidos durante operação em Barra Grande || Foto PC-BA

A operação também levou para a cadeia Rodrigo Santos Maciel, preso com 238 gramas de maconha. Ele foi preso na Rua da Vitória, em Barra Grande. Outro preso na operação, mas ainda não identificado, é dono de um bar usado como casa de prostituição e tráfico de drogas.

QUATRO PRISÕES

A propriedade, segundo o delegado, está localizada em Mangue Verde, em Barra Grande. A polícia efetuou um total de quatro prisões, sendo a última delas Elias de Oliveira Dias, suspeito de cometer vários crimes em Barra Grande. Duas pessoas foram conduzidas para a delegacia em Maraú, acusadas de fazer ameaças.

As investigações que resultaram nas prisões de quatro pessoas e apreensão de drogas, munições e celulares foram feitas pela delegacia da Polícia Civil em Maraú. Para cumprir as ordens judiciais, a delegacia local contou com o apoio de efetivo da 7ª Coorpin, por meio do Núcleo de Homicídios, das delegacias de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), do Turista (Deltur) e, ainda, Delegacia de Polícia Civil em Itacaré.

PORTO: POLÍCIA ESTOURA ESCONDERIJO DO TRÁFICO E DESCOBRE DEPÓSITO DE ARMAS

Ionan é preso com armas, droga e munições em Porto Seguro

Poucas horas depois da apreensão de 85 quilos de maconha em Arraial D’Ajuda, equipes da Polícia Civil de Porto Seguro localizaram, na noite de ontem (21), um depósito de armas, munições e drogas na região e prenderam Ionan Galvão Cruz, 38 anos, em flagrante.

Delegados e investigadores da 1ª Delegacia Territorial e da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE) apuravam, há alguns dias, a denúncia de que uma casa era utilizada como depósito para quadrilha de traficantes.

No imóvel, localizado no Bairro Mirante Caravelas, na Rua Seis, foram encontrados três revólveres, dois calibres 32 e um 38, três carregadores, um de submetralhadora e dois de pistolas, todos calibre ponto 40, farta munição de diversos calibres, 745 papelotes de maconha e aproximadamente quatro mil pinos para embalar cocaína.

O criminoso e todo o material foram apresentados na unidade da PC de Porto Seguro. “Estamos em conjunto com a PM atuando firme contra o tráfico de drogas. Infelizmente, por ser uma região turística, com a proximidade da alta estação consumo aumenta e isso significa maia recursos nas mãos doa criminosos. Continuaremos trabalhando firme para tirar as armas e drogas das ruas”, declarou o titular da 23ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior, delegado Moisés Damasceno.

Damasceno: trabalho conjunto com a PM intensifica prisões e apreensões || Foto Oziel Aragão/Arquivo

TRAFICANTE É PRESO COM 1,1 KG DE DROGAS EM CONDOMÍNIO DE ITABUNA

Droga apreendida durante ação da Rondesp, na Califórnia

Droga apreendida durante ação da Rondesp, na Califórnia

Israel foi preso com mais de um quilo de drogas

Israel foi preso com mais de um quilo de drogas

Duas guarnições da Polícia Militar prenderam traficante com 1,1 quilos de drogas em Itabuna, na noite desta sexta (8). Israel Palma dos Santos estava com 749 gramas de cocaína e 356 gramas de maconha. Ele tentou correr ao avistar viatura da Rondesp Sul (PM).

Israel ainda tentou “salvar” parte da droga, lançando quantidades ao chão e fugir com a mochila. De acordo com a Polícia Militar, a prisão ocorreu após denúncia anônima de venda de drogas no Condomínio Vida Nova, na Califórnia.

Além da maconha e da cocaína, também foram apreendidos com Isael cinco celulares, uma balança de precisão e munições calibres 9 milímetros, 32 e 380. O traficante estava com R$ 1.549,45 em espécie, conforme a polícia.



IDENTIFICADO SUSPEITO DE CINCO HOMICÍDIOS EM MAIQUINIQUE

Edson Valdir foi preso em fazenda mineira || Foto SSP-BA

Edson Valdir foi preso em fazenda mineira || Foto SSP-BA

Braço-direito da traficante Jasiane Silva Teixeira, a Dona Maria, a dama de Copas do Baralho do Crime da SSP e líder de uma quadrilha que age no sudoeste baiano, Edson Valdir Souza Silva, o “Valdir”, foi identificado pela polícia como o autor dos cinco homicídios ocorridos, na terça-feira (25), em Maiquinique. Valdir conseguiu fugir ao cerco das polícias da Bahia e de Minas, ontem (28).

De acordo com o delegado Roberto Júnior, coordenador regional, as investigações empreendidas pela Coorpin e pela Delegacia Territorial (DT), de Maiquinique, revelaram que as mortes foram motivadas pela disputa do comércio de drogas na cidade, localizada na região de Itapetinga. As vítimas teriam vendido os pontos de comercialização de drogas para a quadrilha de Valdir, mas descumpriram o acordo, permanecendo com os pontos nas mãos.

Jasiane, a Dona Maria, espalha terror na região de Vitória da Conquista.

Jasiane, a Dona Maria, espalha terror na região de Vitória da Conquista.

Na manhã desta sexta-feira (28), uma operação foi deflagrada para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão na fazenda de Valdir, localizada no município de Jordânia, em Minas Gerais (MG). O local estaria sendo utilizado como esconderijo da quadrilha, mas os criminosos já haviam fugido.

Um dos integrantes, conhecido como “Gudan”, chegou a entrar em confronto com guarnições da Polícia Militar e acabou morto. Ele estava armado com uma pistola ponto 380. Outros dois, Maicon Campos Oliveira, o “Maiquinho”, e Uathila Silva Santos, o “Sapinho, conseguiram fugir.

A operação contou com a participação de policiais da 21ª Coorpin/Itapetinga, da Coordenação de Apoio Técnico à Investigação (CATI), do Departamento de Polícia do Interior (Depin), Departamento de Inteligência Policial (DIP) e 10ª Coorpin, DTE e DH, todas de Vitória da Conquista, além de policiais civis e militares de MG. Atualizado às 17h38min.

PF DEFLAGRA OPERAÇÃO CONTRA LAVAGEM DE DINHEIRO DO TRÁFICO NO SUL DA BAHIA

PF cumpre mandados de prisão, apreensão e sequestro de bens no sul da Bahia ||  Foto Arquivo

PF cumpre mandados de prisão, apreensão e sequestro de bens no sul da Bahia || Foto Arquivo

A Polícia Federal deflagrou, hoje (29), a segunda fase de uma operação contra a lavagem de dinheiro pelo tráfico de drogas no sul da Bahia. A Operação Costa do Cacau cumpre 9 mandados de prisão preventiva, 8 de busca e apreensão e 5 de sequestro de bens. A estimativa da Polícia Federal é que a organização tenha movimentado cerca de R$ 2 milhões.

A operação envolve 60 policiais militares da Cipe Cacaueira e federais no cumprimento dos mandados em Itabuna, Camamu, Maraú, Ubaitaba, Ubatã, no sul da Bahia, além de Santo Antônio de Jesus, no recôncavo baiano, e Campo Largo, Paraná.

Todas as ordens de prisão foram expedidas por varas criminais das comarcas de Ilhéus e Ipiaú, ambas no sul da Bahia. As investigações começaram em 2016, após apreensão de 50 quilos de cocaína transportados de Rondônia para a Bahia, além de preso o dono da droga e líder da facção criminosa.

Ainda de acordo com informações da assessoria da PF, o líder da organização continuou a dar ordens e traficar mesmo preso. Para isso, contava com o apoio da esposa e do filho. A outra fase da operação envolveu a prisão de dois integrantes da quadrilha, com 11 quilos de cocaína, transportada de Goiás para Ubatã. A apreensão ocorreu na fazenda da família dos traficantes investigados.

ITABUNA COMO ROTA DO TRÁFICO DE DROGAS EM “A FORÇA DO QUERER”

Realidade e ficção se misturam. Itabuna vai aparecer como uma das rotas do tráfico internacional de drogas no capítulo de hoje (16) da novela A força do querer, da Rede Globo, na faixa das 21h.

A personagem Major Jeiza, interpretada por Paola Oliveira, surge apontando a rota de uma carga de drogas. O produto entra no Brasil pela Amazônia, passa pelo Tocantins e chega a Itabuna (confira chamada no vídeo acima).

O tráfico de drogas é um dos temas abordados na novela. O município sul-baiano não entra no capítulo por acaso. Itabuna é cortada pelas BRs-415 e 101, e 80% dos homicídios possuem alguma ligação com o tráfico de drogas.

OPERAÇÃO APREENDE 1,5 MIL QUILOS DE MACONHA; DROGA ABASTECERIA ITABUNA

Parte da droga apreendida durante operação nesta quinta (6).

Parte da droga apreendida durante operação nesta quinta (6).

As polícias Federal e Militar, por meio das Companhias Independentes Cacaueira e Sudoeste, apreenderam cerca de 1,5 tonelada de maconha, na tarde desta quinta-feira (6), em Vitória da Conquista. A droga seria distribuída em Itabuna e região e é avaliada em aproximadamente R$ 1,3 milhão.

Após perseguição, as equipes conseguiram interceptar o veículo Ford Ranger branco, placa PJL-1796, que, além da droga, também transportava uma arma longa, calibre 12, e munições. Outros dois carros, um Astra e um Jetta, que faziam a escolta do material, conseguiram escapar do cerco. A procedência do material será investigada.

Moacy de Jesus Oliveira, Elton Silva Costa e Lucas Oliveira estavam na Ranger e foram presos em flagrante e estão sendo autuados na Delegacia da Polícia Federal em Conquista. As buscas pelos demais integrantes da quadrilha continuam.

“Esta é a terceira grande apreensão das policias só nos últimos 15 dias. Ações como esta ajudam a desestruturar as quadrilhas de tráfico de drogas, que financiam outros tipos de crimes”, destacou o secretário da SSP, Maurício Barbosa, lembrando das operações ocorridas em Cafarnaum, onde um roça com aproximadamente 10 toneladas foi erradicada, e na zona rural de Lençóis, onde cinco mil pés foram destruídos na tarde de ontem.

TRAFICANTE É EXECUTADO EM BUERAREMA

O traficante José Roberto Silva Sampaio, conhecido como Beto de Tereza, de 45 anos, foi executado no centro de Buerarema, nesta segunda (27). De acordo com a Polícia Militar, ele levou cinco tiros. Quatro atingiram a região do coração e um, o pescoço.

Beto chegou a ser levado para o Hospital de Base de Itabuna em uma ambulância, mas não resistiu aos ferimentos. O crime ocorreu em frente ao cemitério central. Segundo a PM, ele já havia sido preso por tráfico de drogas. Os autores dos disparos ainda não foram identificados.

PRESO POR TRÁFICO, VEREADOR CHAMA ATENÇÃO EM UBAITABA

Messias Aguiar ao ser preso em outubro do ano passado (Polícia Militar).

Messias Aguiar ao ser preso em outubro passado (Polícia Militar).

A primeira sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Ubaitaba chamou a atenção da mídia estadual. Nada a ver com projetos. As atenções estavam voltadas para um vereador em especial: Messias Aguiar (PMDB).

Até a última sexta-feira (10), Aguiar era hóspede do Presídio de Valença. Dia 3 de outubro do ano passado, menos de 24 horas após ser confirmado como segundo mais votado e vereador eleito, Aguiar foi preso com 272 quilos de drogas.

Ontem, Aguiar não quis comentar sobre a prisão. O advogado do vereador, Rogério Andrade, diz que o cliente nega ser o dono da droga. Caso não consiga provar sua inocência e seja condenado, Messias Aguiar pode perder o mandato. Na semana passada, ao obter a liberdade, Aguiar foi recebido com festa em Ubaitaba.

POLÍCIA IDENTIFICA SUSPEITOS DE PROMOVER CHACINA EM PORTO SEGURO

Mortos na chacina ocorrida na noite de domingo em Porto Seguro (Fotomontagem).

Mortos na chacina ocorrida na noite de domingo em Porto Seguro (Fotomontagem).

Do Ibahia.com

A Polícia Civil em Porto Seguro já identificou os suspeitos pela morte de oito homens, incluindo quatro filhos de policiais, no município na noite de domingo (5). Uma nona vítima sobreviveu o ataque e segue internado em estado grave no Hospital de Base Luis Eduardo Magalhães. Athos Moura foi baleado na cabeça.

Segundo o delegado Moisés Nunes Damasceno, titular da 23ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Eunápolis), tanto a identificação quanto a motivação dos crimes não serão divulgados para não atrapalhar o andamento das investigações.

Equipes coordenadas por Damasceno trabalham agora na localização dos bandidos. “O sobrevivente segue entubado. Mas já ouvimos várias testemunhas e ainda faltam algumas com quem vamos conversar. Não achei nenhum registro criminal contra as vítimas”, disse o coordenador da 23ª Cooprin/Eunápolis.

Nesta segunda-feira (6), o comandante do 8º Batalhão da Polícia Militar (BPM/Porto Seguro), o major Anacleto Silva França, disse ao CORREIO que apenas duas pessoas eram alvos da chacina e que as demais foram mortas por conta “do descontrole”. O delegado Moisés Damasceno negou a versão.

MORTES
O crime aconteceu no bairro Porto Alegre I,  dentro de uma casa. Morreram na ação Gabriel Lobo Fernandes, 22 anos, filho do falecido Policial Militar Sidinei dos Santos Fernandes, Igor Lelis dos Santos Santana, 20, filho do PM Josenilton dos Santos Santana, os irmãos Victor Cláudio do Nascimento Bispo, 20 anos e Caio Felipe Nascimento Bispo, 17, filhos do Policial Civil Cláudio dos Santos Bispo.

Além deles, também foram mortos Vinicius Bispo dos Santos, que era cabo da Aeronáutica, os irmãos Gabriel de Jesus Feitosa, 25, e Leandro de Jesus Feitosa, 21, e Felipe Ricardo Lopes Borges, 27. Uma nona vítima sobreviveu e está internada em estado grave no Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, lá mesmo em Porto Seguro.

ESCONDERIJO DE LADRÕES E DO TRÁFICO

Terreno baldio no Pontalzinho

Terreno baldio está localizado na Rua Bartolomeu Mariano, no Pontalzinho.

Um terreno baldio que se transformou em matagal é foco de preocupação para moradores do Bairro Pontalzinho, em Itabuna. O terreno está localizado na Rua Bartolomeu Mariano e tornou-se esconderijo para ladrões e tráfico de drogas.

Os moradores estão pedindo que a fiscalização da prefeitura dê uma passadinha por lá – e que o dono tome providências…

OPERAÇÃO DA PF PRENDE TRAFICANTES DE DROGAS NA BAHIA E SP

PF deflagram operação contra o tráfico de drogas no sul da Bahia (Foto Arquivo).

PF deflagram operação contra o tráfico de drogas no sul da Bahia (Foto Arquivo).

O tráfico de drogas no sul da Bahia é o alvo da Operação Patente, da Polícia Federal. Nesta quinta (26), a PF e a Cipe Cacaueira (pelotão especializado da PM no sul da Bahia) cumprem 22 mandados de prisão preventiva e 27 de busca e apreensão em Itabuna, Ilhéus, Itacaré, Jequié, Salvador e São Paulo (SP).

De acordo com a superintendência da PF, a operação visa apreender drogas, armas, dinheiro e veículos adquiridos pelos traficantes no sul e no sudoeste baiano, além das capitais da Bahia e de São Paulo. A operação também detecta bens imóveis em poder do tráfico.

Os presos na operação ficarão à disposição da Justiça e serão indiciados por tráfico. Às 11 horas desta quinta, a PF faz um balanço na Operação Patente, na sede do órgão em Ilhéus.

CASAL É PRESO COM 20 QUILOS DE MACONHA NO FERRY

Washington e Sílvia foram presos com 20 quilos de maconha (Foto PC-BA).

Washington e Sílvia foram presos com 20 quilos de maconha (Foto PC-BA).

Vinte quilos de maconha, divididos em dez tabletes, uma pequena quantidade de cocaína, 80 ‘pinos’ plásticos vazios para armazenar a droga, três celulares e a quantia de R$ 110,00 foram apreendidos, nesta quinta-feira (22), com Silvia Santos de Jesus, de 23 anos, e Washington Santos Silva, 24. A prisão ocorreu quando o casal se preparava para embarcar, no Terminal Marítimo de São Joaquim, num ferry boat com destino à Ilha de Itaparica.

Silvia e Washington foram levados para a 3ª Delegacia Territorial, no Bonfim, por policiais da 16ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM). Os policiais receberam denúncia de que um casal embarcaria com drogas em duas mochilas. O entorpecente seria comercializado do outro lado da Baía de Todos os Santos.

A delegada Ana Virgínia Paim, da 3ª DT/Bonfim, informou que o casal é suspeito de integrar uma quadrilha de traficantes que atua em Salvador e na RMS. Washington já tem passagem por porte de arma. Autuados em flagrante pelo crime tráfico de drogas, Silvia e Washington foram conduzidos ao Núcleo de Prisão em Flagrante (NPF), na Mata Escura.

BANDIDOS EMBALAM CELULARES EM FRALDAS PARA LANÇAR EM PRESÍDIO

Leonardo

Leonardo foi preso com fraldas recheadas.

Sete celulares e sete carregadores embalados em sete fraldas descartáveis, que seriam jogados por cima do muro para os presos do Presídio Nilton Gonçalves, foram apreendidos no bairro Kadija, na residência do traficante Leonardo Silva Macedo, de 29 anos, por investigadores da Delegacia de Homicídios (DH), de Vitória da Conquista.

Os policiais encontraram a curiosa encomenda durante uma investigação de homicídio, relacionado ao tráfico de drogas, naquela região do município.  Leonardo era o principal alvo da ação, por integrar uma quadrilha envolvida em roubos, tráfico de drogas e homicídios. Na residência, utilizada para vendas, foram apreendidos ainda um revólver calibre 38, drogas, um pé de maconha e dinheiro.

Com passagens por porte de arma, Leonardo foi autuado por tráfico de drogas, associação criminosa e porte de arma, pelo delegado Neuberto Costa Souza, titular da DH/Conquista, sendo conduzido, em seguida, ao Presídio Nilton Gonçalves. O material apreendido foi encaminhado ao Departamento de Polícia Técnica (DPT).






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia