WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba

unesul bahia

uniftc






janeiro 2020
D S T Q Q S S
« dez    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias


:: ‘trânsito’

ANTES TARDE…

Após 20 dias, semáforo passou por reparos (Fotos Pimenta).

Após 20 dias, semáforo passou por reparos (Fotos Pimenta).

Finalmente, a Secretaria de Transporte e Trânsito (Settran) consertou os conjuntos de semáforos dos cruzamentos das avenidas do Cinquentenário com Amélia Amado e desta avenida com a Rua São Vicente de Paulo. Os conjuntos acendiam os sinais verde e vermelho ao mesmo tempo, confundindo motoristas e oferecendo risco de acidente. O reparo veio 20 dias após constatado – e denunciado – o problema (relembre aqui).

ACIDENTE PRÓXIMO À PONTE DO SÃO CAETANO

O trânsito está lento na Avenida Princesa Isabel, no sentido São Caetano-Centro, próximo à rótula Tancredo Neves. Um ônibus da Expresso Rio Cachoeira colidiu no fundo do GM Corsa placa JMR-5017, licença de Ibicuí-BA. Não há feridos. Os motoristas dos dois veículos ainda aguardam a chegada de agentes da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settran).

O trecho é dos mais críticos do trânsito de Itabuna e onde ocorrem acidentes constantemente. A orientação para quem segue da região do São Caetano para o centro é evitar, momentaneamente, a Avenida Princesa Isabel.

AVENIDA ITABUNA: SECRETÁRIO CULPA LOJISTAS E DIZ QUE INFRATORES SÃO MULTADOS

Isaac: canetada nos infratores da Avenida Itabuna.

Isaac: canetada nos infratores.

O secretário de Desenvolvimento Urbano de Ilhéus, Isaac Albagli, negou que a prefeitura tenha sido omissa na ocupação de calçadas na Avenida Itabuna (veja aqui). “Não está havendo omissão alguma”, disse.

Ele afirma que o comando da Superintendência de Transporte e Trânsito (Sutran) está de olhos bem abertos para a situação.

Os infratores estão sendo multados, mas, assim como há o pecador, há quem estimule o pecado: os lojistas.

– Donos de loja incentivam estes estacionamentos para atrair clientes.

Passeios com recuo de 1,20 metro para passagem de pedestres, enfatiza Albagli, podem ser utilizados para estacionamento. Porém, observa: “não é o caso desse local”.

Em Ilhéus, o passeio é dos carros e a rua... dos pedestres.

Secretário diz que lojistas incentivam infração de trânsito na Avenida Itabuna.

EM ILHÉUS, A CALÇADA (NÃO!) É DO PEDESTRE

Calçada Avenida Itabuna IlhéusA falta de fiscalização em Ilhéus tem forçado pedestres a caminhar na pista de rolamento. Numa das avenidas mais movimentadas do município, a Avenida Itabuna, a calçada serve de estacionamento para veículos, jogando o cidadão na pista, expondo-o ao risco de ser atropelado. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), por meio da Superintendência de Transporte e Trânsito, tem fechado os olhos para esta situação.

QUEDA DE ÁRVORE INTERDITA A ILHÉUS-ITACARÉ

Queda de árvore gerou grande engarrafamento, mas pista já foi liberada (Foto André Galvão/Pimenta).

Queda de árvore gerou engarrafamento, mas pista já foi liberada (Foto André Galvão/Pimenta).

A queda de uma árvore ainda no trecho semiurbano de Ilhéus interditou a Rodovia Ilhéus-Itacaré (BA-001) nesta manhã de quinta-feira, 28. Apenas veículo de pequeno porte conseguia avançar por um dos acostamentos. Houve grande engarrafamento.

Uma equipe do Corpo de Bombeiros em Ilhéus foi acionada para liberar a pista, o que ocorreu há pouco. O fluxo de veículos já está normalizado, conforme a corporação.

PERIGO NA BA-262

O que restou de um ônibus escolar está abandonado há seis meses na BA-262.

O que restou de um ônibus escolar está abandonado há seis meses na BA-262.

A carcaça de um ônibus escolar destruído pelo fogo está abandonada há mais de seis meses bem próximo a uma curva da BA-262. A rodovia liga os municípios de Uruçuca e Ilhéus, na Costa do Cacau, à BR-101.

Apesar de todo esse tempo, nem a Polícia Rodoviária Estadual acionou a empresa dona da carcaça nem o Derba providenciou a remoção do que restou do veículo. Bem, quando acontecer um acidente…

SEMÁFOROS DEFEITUOSOS

O conjunto de semáforos dos cruzamentos da Avenida Amélia Amado com as avenidas do Cinquentenário e Juracy Magalhães vem apresentando seguidos problemas. Ontem, dois deles acendiam os sinais verde e vermelho ao mesmo tempo, causando confusão no trânsito.

Sinais verde e vermelho em conjunto de semáforos na Avenida Amélia Amado (Foto Pimenta).

Sinais verde e vermelho em conjunto de semáforos na Avenida Amélia Amado (Foto Pimenta).

“FÁBRICA DE MULTAS” EM ILHÉUS VIRA NOTÍCIA – E CHACOTA – NACIONAL

Do Jornal Bahia Online

Alexandre: 23 pontos na carteira porque deveria dirigir a 0,5 KM/h.

Alexandre: 23 pontos na carteira porque deveria dirigir a 0,5 KM/h.

O sistema de trânsito do município de Ilhéus volta a ser notícia nacional.

Reportagem exibida pela Rede Record sobre absurdos e exageros na emissão de multas pelo Brasil, apresenta o caso do brasiliense Alexandre Ribeiro, durante viagem de férias ao município baiano. Alexandre perdeu 23 pontos da carteira de habilitação, três a mais que o permitido, por dirigir na avenida Proclamação, bairro Jardim Savóia, a um quilômetro por hora.

De acordo com as multas emitidas pela Secretaria de Trânsito do Município, neste local está previsto apenas a tolerância de 0,5 quilômetro por hora, condição que teria levado o motorista à entrar na lista de absurdos apurada pela emissora de televisão em matéria exibida nacionalmente.

O motorista alega que a cidade vivencia “uma fábrica de arrecadação de dinheiro” e lamenta que, até agora, esteja tentando se defender da infração que, lógico, não cometeu. O limite de velocidade na Avenida Proclamação é de 50 quilômetros por hora e não 0,5 conforme consta nas multas expedidas. Não se sabe se o absurdo foi gerado por erro na digitação ou se por exagero mesmo.

Leia a íntegra no JBO

ESTÁ LIBERADO…

Pouco mais de 20 dias após a proibição de estacionar motos ao longo da Avenida do Cinquentenário e transversais como a Adolfo Leite (Beco do Fuxico), a medida da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settran) vem sendo desrespeitada pelos motociclistas. E a Settran não teve como “endurecer” o jogo.

Motos estacionadas sobre a faixa amarela. Ao fundo, placa de proibido estacionar.

Motos estacionadas sobre a faixa amarela. Ao fundo, placa de proibido estacionar.

ATÉ QUANDO SEREMOS FLEXÍVEIS?

Manu BerbertManuela Berbert | manuelaberbert@yahoo.com.br

Como oportunamente comentou nas redes sociais o jornalista pernambucano Geneton Moraes Neto, ele provavelmente não terá dinheiro para bancar um advogado “menos flexível”, capaz de transformar o caso num marco contra a impunidade.

Sentar-se à frente de uma televisão hoje em dia remete qualquer cidadão a um filme de terror. A gente nem precisa estar portando os óculos e os binóculos do eterno Eduardo Anunciação para enxergar o sangue escoando na tela e, como num passe de mágica cruel, pular no nosso colo. O que era para ser um meio de informação e entretenimento vem causando pânico e deixando no ar uma sensação de impotência fora do comum.

No último domingo, o Fantástico exibiu uma matéria de causar náuseas: um estudante de 22 anos teria atropelado um ciclista na Avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo, após uma noitada movida à fatídica combinação álcool e direção. O violento choque teria arrancado um braço da vítima, o condutor teria fugido com o membro pendurado e logo adiante atirado em um córrego.

Enquanto a TV mostrava imagens da avenida e da bicicleta, uma voz completava a matéria afirmando que os familiares do ciclista estiveram no local na tentativa de recuperar o braço para reimplante, mas que não teriam conseguido. Desviei o olhar da tela, sem querer acreditar no que tinha acabado de assistir, mas ainda cheguei a escutar que ele havia se entregado.

Acontece que o irresponsável motorista é estudante de psicologia e chegou à delegacia acompanhado de um advogado que pediu à justiça e à imprensa um pouco de flexibilidade para analisar o caso. Não precisa ser dos mais entendidos no assunto para saber que todo criminoso tem direito a defesa, mas o que revolta é que em nome desse direito seguimos lamentavelmente inertes.

Acontece também que o ciclista que estava indo trabalhar às cinco horas da manhã e viu seu braço ser dolorosamente arrancado é filho de uma empregada doméstica. Como oportunamente comentou nas redes sociais o jornalista pernambucano Geneton Moraes Neto, ele provavelmente não terá dinheiro para bancar um advogado “menos flexível”, capaz de transformar o caso num marco contra a impunidade.

De fato, a palavra que irá acompanhar o jovem ciclista a partir de agora é flexibilidade, caro advogado! Flexibilidade para aceitar passar o resto de sua vida sem um braço, para conseguir ficar de pé ao pegar um meio de transporte lotado diariamente, para comer, se vestir e, principalmente, para mudar de canal sempre que tiver que assistir a casos ridiculamente impunes e flexíveis como este na TV.

Manuela Berbert é jornalista, publicitária e colunista do Diário Bahia.

FÓRUM DISCUTE MOBILIDADE URBANA

engarrafamento

Itabuna, uma cidade que anda com o trânsito cada vez mais travado, para um pouco nesta  quarta-feira, 6, para discutir a mobilidade urbana. Um fórum sobre o tema será realizado pela Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (Settran), a partir das 18h30, no auditório da FTC. Aberto a toda a comunidade, o evento reunirá engenheiros, estudantes de engenharia e técnicos.

Segundo os organizadores do fórum, que prossegue na quinta-feira, também a partir das 18h30, a intenção é debater e buscar soluções para um dos problemas mais críticos da cidade, ouvindo opiniões não apenas dos especialistas, mas também dos moradores – e, por que não dizer, sofredores – em geral.

O fórum será aberto pela promotora de justiça Hortência Pinho, que falará sobre “Legislação e Obrigações Municipais”. Em seguida, o juiz Eros Cavalcanti aborda o tema “Convivência no trânsito”. Na quinta-feira, haverá palestras sobre “Planejamento urbano e mobilidade urbana”, com a coordenadora do curso de Arquitetura da Unime, Débora Santa Fé, antecedendo a exposição dos técnicos Samiriam Grimberg e Washington Marcelo, acerca do tema “Mobilidade urbana e transporte público”. O evento termina com um debate envolvendo o público presente.

“QUEBRA-O-CARRO-TODO”

Moradores do bairro Nossa Senhora das Vitórias, em Ilhéus, reclamam dos quebra-molas existentes nas ruas da comunidade, feitos sem autorização do poder público e totalmente alheios a qualquer padrão.

A queixa é de que as lombadas são tão altas, que tornam quase impossível passar sem arrastar o chassi dos carros. Quando os veículos transportam mais pessoas, é necessário que elas desçam antes dos quebra-molas.

Uma moradora diz não ser contra os redutores de velocidade, mas defende que eles sejam “bem feitos, sinalizados e autorizados”.

“QUEM ULTRAPASSA EM LOCAL PROIBIDO, CHEGA MAIS RÁPIDO…

… AO CEMITÉRIO”

O título desta nota é uma das mensagens de uma campanha pela paz no trânsito de Itabuna, desenvolvida pela RCM Propaganda com o Diário Bahia e a Outplak Outdoor. A iniciativa alerta para o respeito à sinalização de trânsito e expõe os riscos de ultrapassagens proibidas e a combinação letal bebida alcoólica e direção.

O publicitário Rui Carvalho, da RCM, diz que a campanha buscou levar a pedestres, motoristas e motociclistas mensagem de forte impacto. “Com imagens fortes e textos sugestivos, a campanha provoca reflexão, visando ajudar a cidade para um trânsito melhor, evitando acidentes e mortes”.

Campanha de Trânsito rcm2

Veiculadas em outdoor e jornal, as peças têm direção geral de Rui Carvalho, redação de Ricardo Oliveira e direção de Ronney Cláudio, além de Luís Mota coo mídia e Thiago Nóvoa na produção.

Uma das três peças da campanha educativa de trânsito desenvolvida pela RCM, Outplac e Diário Bahia (Reprodução).

Uma das três peças da campanha educativa de trânsito desenvolvida pela RCM (Reprodução).

SANTANA QUER CIRETRAN EM ITORORÓ

coronel_gilberto_santana2O deputado estadual Gilberto Santana (PTN) encaminhou indicação ao Governo da Bahia, na qual sugere que o município de Itororó seja sede de uma Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran). Para o parlamentar, o aumento da frota de veículos na localidade justifica a solicitação.

Santana sustenta ainda que, caso Itororó receba uma Ciretran, o serviço poderá atender a mais seis municípios: Itajú do Colônia, Firmino Alves, Nova Canaã, Ibicuí, Iguaí e Santa Cruz da Vitória.

Atualmente, Itororó está na área de abrangência da 19ª Ciretran, com sede em Itapetinga, a 29 quilômetros de distância.

APENAS UMA SUGESTÃO

Determinação da Settran proíbe o estacionamento de motos na Cinquentenário a partir de amanhã (Foto Gabriel Oliveira).

Foto Gabriel Oliveira

Diante da polêmica instalada a partir da proibição de estacionamento de motos na Avenida do Cinquentenário, vai aqui uma observação:

Parece claro que a solução não é criar áreas isoladas para os motociclistas deixarem seus veículos, como se fossem guetos. O mais razoável é ter vários pontos determinados ao longo da avenida, bem sinalizados, onde as motos possam ser estacionadas.

O fato é que hoje, com a cidade mal sinalizada, o condutor muita vezes deixa sua moto em qualquer lugar, até mesmo ocupando vaga onde seria possível estacionar um carro. Culpa do motociclista ou da falta de ordenamento do trânsito?

A Settran busca resolver, mas não encontrou o melhor caminho. A intenção é boa, porém a execução pode ser aperfeiçoada.

“BOLSÕES” DA SETTRAN PODEM FACILITAR FURTO DE MOTO NO CENTRO DE ITABUNA

Determinação da Settran proíbe o estacionamento de motos na Cinquentenário a partir de amanhã (Foto Gabriel Oliveira).

Determinação da Settran proíbe o estacionamento de motos na Cinquentenário a partir de amanhã (Foto Gabriel Oliveira).

Especialistas em segurança afirmam que a ideia da Secretaria de Transporte e Trânsito de Itabuna (Settran) de proibir o estacionamento de motocicletas na Avenida do Cinquentenário pode levar a um aumento de furtos deste tipo de veículo na região central. A partir de amanhã, os motociclistas só poderão estacionar o veículo nos “bolsões” criados pela prefeitura na Avenida Amélia Amado (pista esquerda) e praças Camacã e Adami, além da Alameda da Juventude (Beira-Rio).

“Estacionamentos em locais mais afastados de grande movimentação de pessoas e sem fiscalização oferecem ainda mais facilidade para assaltantes, são mais atrativos”, afirma especialista em segurança ouvido pelo PIMENTA.

Outras vias onde o motociclista não poderá estacionar serão as ruas Sóstenes de Miranda, Francisco Silva Rocha, Almirante Barroso, Rua Quintino Bocaiuva, Mariá Ferreira, Professor Alício de Queiroz, Nilo Santana, Adolfo Maron, Osvaldo Cruz e Dom Pedro II e travessas Benigno de Azevedo e Adolfo Leite (Beco do Fuxico).

Quem é motociclista, além de temer o aumento de furtos, também reclama da exclusão. “Isolar motociclistas não é ordenar trânsito, na minha opinião.  Isso é exclusão para quem paga impostos, inclusive IPVA”, opina o motociclista Raimundo Santos. A Avenida do Cinquentenário já possuía vagas próprias para motos, lembra, e a prefeitura deveria ordenar o fluxo de todo tipo de veículo, de carros a motos. “Excluir os motociclistas deve ser mais fácil, né?”, ironiza.

Na Alameda da Juventude, a prefeitura acabará de vez com uma área reservada ao lazer e prática de patinação para torná-la estacionamento de motos. O secretário de Transporte e Trânsito, Clodovil Soares, diz que o estacionamento desordenado de motos acabava por eliminar vagas para carros.

A mudança, no entanto, não garante fluidez ao trânsito devido ao aumento da frota no município. São mais de 50 mil veículos emplacados e poucas áreas para estacionamento, a maioria delas ocupada por lojistas que preferem deixar o carro em frente ao próprio estabelecimento.

KAFKA NA SETRANS DE ILHÉUS

Um proprietário de veículo vem sofrendo horrores junto à Secretaria de Transportes e Trânsito de Ilhéus e não é em função do excesso de multas ou pela onipresença dos “pardais”, como se poderia supor. O motivo é exatamente o contrário: o sujeito faz de tudo para pagar duas multas por infrações cometidas, mas não consegue de jeito nenhum.

A necessidade de se regularizar com a Settran é exigida por uma seguradora para liberar uma indenização devida ao proprietário. Sem essa quitação, ele não recebe o pagamento, por isso foi bater à porta da Secretaria para pedir pelo amor de Deus que lhe deixem limpar sua barra com a administração municipal do trânsito.

Ao receber o pedido, o que a Setrans fez? Simplesmente determinou que o suplicante entrasse com recurso para que fosse julgada a sua defesa!!! “Mas que defesa, se o que quero é pagar?!”, pergunta-se hoje, atônito, o pobre autuado.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia